Trabalho Festival do Atlântico

353 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
353
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalho Festival do Atlântico

  1. 1. Instituto Superior de Ciências EducativasMiguel Ângelo de Abreu CorreiaUnidade Curricular:Instituto Superior de Ciências EducativasFESTIVAL DO ATLÂNTICOCarlos Alberto AbreuMiguel Ângelo de Abreu CorreiaPaulo Bruno FerreiraLicenciatura em Turismo - 2º AnoUnidade Curricular: Psicologia e Comunicação do TuristaDocente:Dr.ª Ana MarquesJunho 2011ta
  2. 2. ÍNDICE1. INTRODUÇÃO .........................................................................................................12. METODOLOGIA ......................................................................................................13. DESCRIÇÃO.............................................................................................................23.1. Concurso Internacional de Fogo-de-artifício na Madeira.................................. 23.2. Animação de Rua............................................................................................... 33.3. Classic Motor Show........................................................................................... 44. OBJECTIVOS............................................................................................................45. RESULTADOS ESPERADOS..................................................................................56. EVOLUÇÃO DA OCUPAÇÃO HOTELEIRA.........................................................57. MOVIMENTO AEROPORTUÁRIO......................................................................118. MOVIMENTO PORTUÁRIO.................................................................................129. ENTREVISTA – DIRECÇÃO REGIONAL DE TURISMO..................................1210. INQUÉRITO – AGENTES TURÍSTICOS..............................................................1411. NOÇÕES..................................................................................................................1612. PERCEPÇÕES E IMAGENS ..................................................................................1713. CONCLUSÃO .........................................................................................................1814. WEBGRAFIA..........................................................................................................2015. ANEXOS..................................................................................................................21
  3. 3. Página | 11. INTRODUÇÃONo âmbito da unidade curricular de Psicologia e Comportamento do Turista, foi-nossolicitado a elaboração de um trabalho de análise sobre um produto, marca ouempreendimento turístico.O trabalho que apresentamos, intitulado por “Festival do Atlântico”, organizado pelaSecretaria Regional do Turismo e Transportes (SRTT), tem como finalidadedemonstrar, enquadrar e descrever todo o processo relativo a este evento.A Região Autónoma da Madeira tem no turismo uma área de primordial importânciapara a economia local. O dinamismo do sector é realizado pelos diferentes agentesenvolvidos, sejam eles hoteleiros, agências de viagens ou operadores turísticos, comotambém pela Secretaria Regional do Turismo e Transportes, que desempenha um papelfundamental na elaboração e organização de diversos eventos que representam cartazesatractivos e de relevante importância para o destino regional.Assim, escolhemos este evento (produto), “Festival do Atlântico”, que foi concebidopara esbater uma certa redução da ocupação hoteleira no mês de Junho.É um cartaz que tem apoio no projecto Intervir+ da União Europeia e realiza-se nosquatro sábados do mês de Junho, aliando o Festival de Musica da DRAC- DirecçãoRegional dos Assuntos Culturais com o espectáculo pirotécnico da DSAT- Direcção deServiços de Animação Turística.2. METODOLOGIAA metodologia utilizada para o desenvolvimento deste trabalho consistiu em váriasetapas. A primeira baseou-se numa entrevista não estruturada a uma individualidadeligada ao sector do turismo, que está directamente aliada à coordenação de toda a partede animação do Festival. Numa segunda etapa, realizamos um inquérito a vários agentesturísticos, com o objectivo de percebermos a que ponto este Festival é um factor deatracção para o visitante. Em terceiro, realizamos inquéritos, com perguntas abertas efechadas, a uma amostra de 60 turistas, pretendendo-se verificar quais os motivos devisita, locais de origem e opiniões sobre o Festival, podendo-se, desta forma, determinar
  4. 4. Página | 2se a promoção do evento está a ter resultados positivos, como também observar a suataxa de sucesso e de retorno.A análise estatística, que incide nos níveis de ocupação hoteleira e entradasaeroportuárias, foi também um factor importante na nossa análise, levando-nos aobservar se este produto tem dado resultados ao nível de entradas na Região.Assim, o conhecimento dos factores revelados em todo o processo e a sua classificaçãoquanto ao grau de satisfação revelado pelo público que assiste aos espectáculos, bemcomo a definição das medidas implementadas, permitem-nos avaliar o desempenho detodo este produto turístico.3. DESCRIÇÃOO Calendário de Animação Turística da Região Autónoma da Madeira integra diversoseventos já amplamente consagrados, nomeadamente, as Festas do Carnaval, a Festa daFlor, a Festa do Vinho Madeira e as Festas do Fim-do-Ano.A partir do ano de 2002, o Festival do Atlântico veio enriquecer este calendário,cobrindo um período anual com menor afluência de turistas, o que demonstra adinâmica própria que o destino Madeira tem na procura de novas iniciativas que seconsolidam em cartazes turísticos de inegável impacte junto dos mercados geradores oupotenciais, reforçando assim a sua competitividade através do aumento dos produtosque compõem a oferta turística regional.O Festival do Atlântico inicia a época de Verão na Madeira, integrando diversasiniciativas distribuídas ao longo do mês de Junho, sendo de realçar o ConcursoInternacional de Fogo-de-artifício na Madeira, a animação na baixa citadina do Funchale o Classic Motor Show.3.1. Concurso Internacional de Fogo-de-artifício na MadeiraO Concurso Internacional de Fogo-de-artifício na Madeira decorre em quatro sábadosconsecutivos do mês de Junho no molhe exterior da Pontinha, onde o organizador doconcurso e os três países convidados por este apresentam espectáculos maravilhosos eemocionantes, que conjugam o fogo-de-artifício e a música, numa experiência única
  5. 5. Página | 3para turistas e residentes. Este concurso tem uma duração de três anos e no quarto anoos participantes no evento são os vencedores dos três anos anteriores.É de salientar que a empresa adjudicatária do concurso não concorre, ou seja, temapenas uma participação simbólica.O júri deste concurso é seleccionado pela Secretaria Regional do Turismo e Transportessendo composto por nove elementos de áreas distintas, desde a hotelaria às artes, queavaliam diversos aspectos do evento, tais como os efeitos visuais, a harmonia entre adetonação do material pirotécnico com a música seleccionada pelo concorrente, aquantidade de peças pirotécnicas utilizadas e também as falhas desse mesmo material.O público que assiste aos espectáculos pode dar a sua opinião através de boletim devoto ou no site oficial do Festival do Atlântico, interagindo desta forma com aorganização do espectáculo.O organizador do Concurso Internacional de Fogo-de-artifício é seleccionado através deConcurso Público Internacional, abrangendo o fornecimento, instalação, queima defogo-de-artifício, logística, coordenação e serviços de direcção.Ao longo da marginal da baía do Funchal é instalado um sistema de sonorização parapermitir a transmissão da música do espectáculo piro-musical, para que o público tenhapercepção da sincronização entre o fogo-de-artifício e a música. Atendendo a que oanfiteatro do Funchal abrange uma área de dimensões razoáveis e entendendo que oequipamento de som se encontra apenas na marginal, foi feito um acordo para atransmissão da música via rádio, possibilitando aos espectadores que se encontram maisdistantes usufruir da encenação, no seu total.Além da instalação do som existem outras montagens e desmontagens, nomeadamentede bancadas para que o público possa desfrutar comodamente do espectáculo.Os prémios a atribuir aos concorrentes são compostos por dois tipos de troféus:- O Troféu Festival do Atlântico, constituído por três prémios (1.º, 2.º e 3.º);- O Troféu Pérola do Atlântico, atribuído por votação do público;3.2. Animação de RuaO Concurso Internacional de Fogo-de-artifício na Madeira é a principal iniciativa doFestival do Atlântico, contudo a animação de rua tem um papel fundamental, comomeio de entretenimento de quem nos visita nesta época.
  6. 6. Página | 4Assim sendo, ocorrem inúmeros espectáculos em diferentes locais da cidade doFunchal, tanto na via pública como em recintos preparados para o efeito, com actuaçõesde bandas filarmónicas, conjuntos de artistas, grupos folclóricos e associações.A este conjunto de espectáculos, acrescenta-se ainda o Festival de Música da Madeira,composto por grupos convidados, nacionais e estrangeiros, que tocam árias clássicas.Este festival é realizado apenas em locais seleccionados e as entradas são feitas porconvite ou através de compra de bilhetes.3.3. Classic Motor ShowO Classic Motor Show é organizado pelo Clube de Automóveis Clássicos da Madeira,com o apoio da Secretaria Regional do Turismo e Transportes, e contempla diversasiniciativas:- Mostra de carros antigos e clássicos, que se realiza nas placas centrais da AvenidaArriaga;- Exposição alusiva à temática automobilística antiga e clássica no espaço Infoarte daSecretaria Regional do Turismo e Transportes;- Volta à Madeira – Classic Rally.4. OBJECTIVOSCom a realização deste projecto de cariz turístico, pretende-se atingir os seguintesobjectivos:Potenciar a procura turística nesta época do ano;Esbater as tendências sazonais;Enriquecer e dinamizar o calendário regional de animação turística;Projectar o nome Madeira como um destino turístico de animação que é amplamenteparticipado e vivido em várias frentes;Reforçar a competitividade do destino Madeira nesta época do ano;Aumentar o número de entradas e o número de dormidas.
  7. 7. Página | 55. RESULTADOS ESPERADOSCom a realização deste conjunto de eventos, espera-se:O aumento da procura turística durante o período em que se realiza o Festival doAtlântico;Reduzir a sazonalidade;A promoção do destino Madeira e divulgação das suas actividades de animaçãoturísticas;O aumento da competitividade do destino Madeira nesta época do ano;O aumento das taxas de ocupação hoteleira durante o período do Festival do Atlântico;O aumento das receitas das actividades turísticas, restauração e comércio.O aumento da satisfação do cliente.O aumento da fidelização do cliente.6. EVOLUÇÃO DA OCUPAÇÃO HOTELEIRAAnalisando os dados referentes aos últimos anos, observa-se que o mês de Junho,directamente relacionado com o evento “Festival do Atlântico”, obtém ao longo dosanos uma boa percentagem de ocupação, em especial nas unidades hoteleiraslocalizadas na cidade do Funchal.Quadros e gráficos demonstrativos do alojamento nas unidades hoteleiras da Madeira,entre os anos 2002 a 2009:
  8. 8. Página | 61 - Taxas de ocupação hoteleira na Madeira, anos 2002 a 20042 - Gráfico de taxas de ocupação hoteleira na Madeira, anos 2002 a 2004
  9. 9. Página | 73 - Taxas de ocupação hoteleira na Madeira, anos 2005 a 20074 - Gráfico de taxas de ocupação hoteleira na Madeira, anos 2005 a 2007
  10. 10. Página | 85 - Taxas de ocupação hoteleira na Madeira, anos 2008 a 20096 - Gráfico de taxas de ocupação hoteleira na Madeira, anos 2008 a 2009
  11. 11. Página | 97 - Entradas na Região, 2005-20068 - Entradas na Região, 2006-2007
  12. 12. Página | 109 - Entradas na Região, 2007-200810 - Entradas na Região, 2008-2009
  13. 13. Página | 117. MOVIMENTO AEROPORTUÁRIO11 - Tráfego mensal de passageiros no triénio 2008 a 201012 – Gráfico de tráfego mensal de passageiros no triénio 2008 a 2010
  14. 14. Página | 128. MOVIMENTO PORTUÁRIO13 - Gráfico de tráfego mensal de passageiros no ano 2010Com a construção da nova gare marítima, o sector dos cruzeiros passou a ser mais umveículo promocional da Ilha da Madeira. Os espaços da nova gare são utilizados para aexposição de fotografias de todos os eventos realizados na nossa ilha, com o intuito depermitir um primeiro contacto de quem nos visita por via marítima, despertando ointeresse em conhecer melhor os nossos eventos, bem como incentivar um possívelregresso.9. ENTREVISTA – DIRECÇÃO REGIONAL DE TURISMORealizamos uma entrevista à Dr.ª Esmeralda Freitas, Técnica Superior da DirecçãoRegional do Turismo, pertencente à Secretaria Regional de Turismo e Transportes. ADr.ª Esmeralda faz parte da Direcção dos Serviços de Animação Turística, sendo estedepartamento responsável pelos eventos e pelos cartazes criados para a promoção daregião.
  15. 15. Página | 13A finalidade desta entrevista prende-se com o facto de melhor percebermos o “como?” eo “porquê?” deste cartaz, com o objectivo de entendermos os seus factores de atracção ea sua taxa de sucesso.O festival realiza-se no mês de Junho pelo facto de este ser um mês que registava menorprocura deste destino por parte dos turistas, resultando numa reduzida taxa de ocupaçãona hotelaria, e também serviu para associar e promover um evento de índole cultural jáexistente na Região, o Festival de Música da Madeira, que apesar da muita qualidade,tinha pouca expressão além fronteiras. A partir de 2002, o Festival concretiza-se com asvertentes acima descritas e mantém-se fiel ao seu programa, ou seja, realiza-se duranteos quatro sábados do mês de Junho, aliando a música à pirotecnia.Para participarem no Festival, todas as empresas interessadas têm que entrar noconcurso internacional que se realiza anualmente para aferir qual a melhor e maisvantajosa proposta para a Região. O principal critério de avaliação é o “económico, etodas as tarefas relacionadas com o material pirotécnico é da responsabilidade daempresa vencedora do concurso”.As pessoas envolvidas no processo de tornar o espectáculo numa realidade ascendem às500, “30 elementos da Direcção Regional de Turismo e adjudicatário e 480 o número deelementos envolvidos nas diversas prestações de serviços (montagens e desmontagensde equipamentos diversos) ”.Não existe tema, o que permite às empresas concorrentes elaborarem o seu próprioprograma em virtude do explanado no caderno de encargos do Concurso Internacional.O Festival custa cerca de 480.000€ para a pirotecnia, “o Festival de Música éorganizado pela Direcção Regional dos Assuntos Culturais, pelo que não temosconhecimento dos montantes envolvidos”. No início (2002), a Secretaria Regional doTurismo tutelava também a Cultura, sendo o Secretário Regional do Turismo e Cultura,o Sr. João Carlos Abreu. Em 2002 as duas Direcções Regionais estavam na mesmaSecretaria.Na opinião da entrevistada, este é um cartaz que deve ser mantido ou até amplificado,pois constitui já um pólo de atracção que pode, dentro em breve (vários anos), estarequiparado ao maior cartaz, a nível de retorno e de benefícios para a região.O esforço e as directrizes emanadas da Direcção de Animação visam proporcionar aquem nos visita um variado leque de produtos turísticos e que não defraude asexpectativas de quem assiste.Acrescenta-se que é um evento digno de ser visto e revisto, de uma imensa beleza, que
  16. 16. Página | 14alia o colorido da pirotecnia com o som da música num cenário lindíssimo que é a baíado Funchal e todo o seu anfiteatro, com os diversos miradouros completamente lotadospor residentes e visitantes.10. INQUÉRITO – AGENTES TURÍSTICOSSolicitamos a colaboração a pessoas que trabalham na vertente hoteleira, de modo aobservarmos as suas percepções em relação ao evento analisado.Através de um inquérito pudemos obter um parecer de pessoas que, com oconhecimento prático e objectivo da área, elucidaram-nos sobre o que consideram ser oevento.As opiniões são pessoais, mas com a experiência profissional e o real conhecimentosobre o destino Madeira, pensamos ser de primordial importância as seguintes questões:Há quanto tempo trabalha no turismo?; Pode considerar o “Festival do Atlântico” umcartaz com procura?; A oferta turística regional é amplificada com este evento?;Considera que este evento tem a divulgação necessária nos mercados emissores?; Achaque deveriam ser criados novos eventos, quais e com que promoção?; Quais são osmercados que tentam atingir, como é que a mensagem é elaborada e o que pretendempassar aos turistas?;As pessoas a quem pedimos colaboração para o inquérito foram as seguintes:Paulo Vasconcelos, Director do Hotel Gorgulho, situado na zona do Lido, Funchal,onde existe a maior concentração de hotéis na cidade. Jordão Freitas, Director do HotelCalheta Beach, localizado na Calheta, a cerca de 30 quilómetros do Funchal. JoséMestre Barbosa, Director e Administrador de uma Agência de Viagens (MB Travel),operando com clientes de todas as unidades hoteleiras da ilha e disponibilizandovariedade de opções aos seus clientes (levadas, passeios todo-o-terreno, excursões, etc.).Narciso Chaves, Subdirector do Hotel Orca Praia, situado no Funchal, um pouco a oestedo parque hoteleiro (Lido). Maribel Araújo, Directora Comercial da Agência deViagens Intertours, que, entre vários serviços, tem a responsabilidade do “incoming” dealguns operadores e actualmente trabalha o mercado nacional com grande dinamismo(2010- 1º Mercado Emissor). Daniel Serrão, Director das unidades hoteleiras Hotel
  17. 17. Página | 15Rocamar e Hotel Royal Orchid, situados no Caniço, a 9 quilómetros do centro doFunchal.Todos os entrevistados apresentam vários anos de conhecimento na sua área de acção, oque lhes permite avaliar, com alguma firmeza, este evento. Com excepção da menosexperiente, a D.ª Maribel Araújo, todos os entrevistados já laboravam no turismoquando este evento foi implementado pala Secretaria Regional do Turismo e Cultura,actual Secretaria Regional do Turismo e Transportes. Com exclusão do Sr. PauloVasconcelos, todos consideram que este cartaz representa valor acrescentado e que podeser considerado como mais um produto atractivo na procura do destino. O Sr. DanielSerrão reforça ainda a ideia de que as unidades hoteleiras localizadas na cidade doFunchal são quem mais beneficia, por ser um espectáculo nocturno e que acontece nocentro da cidade.Consideram que a promoção, apesar de não estar num patamar de excelência, tem vindoa melhorar e a tornar possível uma maior coordenação entre as diferentes entidadesenvolvidas, sejam hoteleiros, agentes de viagens e a Secretaria Regional do Turismo eTransportes.Referente à penúltima questão, todos eles demonstraram interesse em criar outraspossíveis temáticas que poderiam tornar-se cartaz para meses de menor ocupação, taiscomo Fevereiro, Outubro ou ainda Novembro.O Sr. Paulo Vasconcelos revelou alguma apreensão sobre este tipo de cartazes porconsiderar que o destino Madeira pode ser prejudicado pelo destacar de datas emdeterminados períodos, criando um vazio no restante período do ano.Finalmente, os directores de unidades hoteleiras comentaram como se faz a promoçãodo mês de Junho nas feiras internacionais e na BTL- Bolsa de Turismo de Lisboa, ondeacrescentam aos seus serviços próprios o evento do Festival do Atlântico, sendo que, naopinião de todos, é uma atracção de qualidade que desperta interesse nos mercadosexternos.O Sr. Paulo Vasconcelos não demonstrou grande ânimo em promover o Hotel Gorgulhocom a utilização deste cartaz, reiterando que os hotéis têm que promover todos os mesese não optarem por dar ênfase a este tipo de cartazes que contribuem para um aumento deprocura em datas específicas, acabando por reduzir os restantes meses.Ao avaliar os questionários podemos afirmar que o evento representa uma mais-valiapara a ilha, com especial enfoque no Funchal, e não é mais um produto, mas sim um
  18. 18. Página | 16cartaz vendável que já dispõe de uma grande procura, sempre com tendência para ocrescimento.O mês de Junho oferece condições ímpares, num destino de excelência, que alia estecartaz a um povo hospitaleiro e a serviços de qualidade na área do turismo.11. NOÇÕESAtendendo ao crescimento da procura por este cartaz, não nos podia passar ao lado qualo motivo desse aumento e qual a percepção existente nas pessoas que procuram odestino, por altura do Festival do Atlântico. Sendo o mercado predominantemente inglêse alemão, apresentando já um forte crescimento português, fomos para a rua fazer uminquérito a estes visitantes.Realizamos 60 entrevistas a diversos indivíduos, dos quais 23 eram portugueses(continentais), 17 eram visitantes do Reino Unido, 12 provenientes da Alemanha e 8escandinavos.Da análise efectuada, o que facilmente observamos é o crescente mercado nacional,seguido dos mercados tradicionais do Reino Unido e Alemanha. Dos inquéritosapurados, verificamos que estes visitantes ficam, em média, entre 3 a 5 noites e emalguns casos (alemães e escandinavos) permanecem mais de 5 noites.Todos os inquiridos estavam informados sobre o evento e este foi uma das razões que oslevou a escolher o destino, nestas datas em particular. Na sua maioria, obtiveramconhecimento do festival através da agência consultada, através de familiares ou amigosque já haviam assistido ao evento e em alguns casos realizaram pesquisas na internet,em sites de “reviews” turísticos, apesar de notada a falta de informação online sobreeste Festival.Alguns são visitantes repetentes e consideram que a qualidade tem vindo a melhorar aolongo dos anos, no geral todos revelam elevada satisfação sobre o espectáculopresenciado.A azáfama na baixa citadina e a grande quantidade de pessoas que se deslocam paraassistir ao evento na Avenida do Mar é relatado como ponto de satisfação, onde tambémse incluem a duração do evento, as cores no céu e a música sincronizada ao segundo,assumindo estes factores como incentivo para futuras deslocações à Região.
  19. 19. Página | 17Este evento é considerado pelos turistas como um benefício para a Região, visto que seestá a tornar num produto muito procurado, estando já posicionado em terceiro lugar,precedido apenas pela Festa da Flor e pela noite de “Reveillon”.A principal sugestão que recebemos por parte dos nossos visitantes é que o eventodeveria ser realizado em quatro dias consecutivos, pois assistir a todo o evento requeruma permanência mínima de quatro semanas, tornando-se uma condição inacessívelpara muitos.Estes inquéritos foram realizados no dia 4 de Junho de 2011, aquando da realização doespectáculo da responsabilidade da Áustria, sendo este o primeiro país a apresentar-seem concurso, no qual se seguirão a Ucrânia, no dia 11 de Junho, a França, a 18 e Junho,e Portugal, a 25 de Junho.12. PERCEPÇÕES E IMAGENSNa actividade turística é vital que se acompanhe constantemente a opinião dosconsumidores para se perceber como é que estão a compreender os serviços turísticos. Aformação de um produto não se pode basear em suposições. Investigar, analisar e pôrem prática o que os clientes percebem sobre o produto e avaliar se o que se queroferecer está realmente sendo assimilado como conceito de valor agregado, é umamaneira de mantê-lo actual e alinhado com as necessidades destes consumidores. Noimaginário do turista criam-se algumas opiniões, de um modo quase inconsciente. Oproduto precisa responder ao que o turista pretende receber de benefício por tê-lopreferido em detrimento de outro. Através do valor agregado pela qualidade dosserviços a imagem do produto consolida-se na mente do consumidor e termina por setornar preferencial e isto termina, muitas vezes, por substituir o poder de compraimposto pelo factor preço. A imagem de um produto turístico está ligada intimamente àcriação de um forte conceito desse produto no mercado. Construir uma imagem quepossua uma característica que diferencie esse produto dos outros é o primeiro passo paraa consolidação de uma imagem ou de uma marca.Através da pesquisa realizada por nós pudemos avaliar as seguintes variáveis:A motivação da viagem; A acessibilidade de informações sobre o produto; A percepçãodos turistas sobre o produto; A qualidade do produto; A avaliação sobre o alcance das
  20. 20. Página | 18expectativas; A opinião de alguns hoteleiros.Resumidamente, os dados obtidos no questionário evidenciam que o turista demonstrasatisfação pelo produto oferecido. Os aspectos deficientes mais significativos referem-seà dificuldade de obtenção de informação sobre o evento, bem como à duração domesmo, obrigando a quem queira assistir à totalidade do evento a ficar um mês naRegião.A grande maioria dos turistas teve a motivação da visita pela ocasião da realização dofestival. A informação dada pelas agências de viagens e a indicação de familiares eamigos foram os meios mais citados como estímulo do desejo da viagem. A maioriacitou que o evento transmite as características regionais e que as informações recebidasforam comprovadas no atractivo, afirmando que o produto atendeu as necessidades ecorrespondeu às suas expectativas.Como já foi abordado por meio da pesquisa realizada pôde-se observar que a percepçãodos turistas sobre o produto turístico “Festival do Atlântico” é, de um modo geral, muitoboa, pois a maioria respondeu positivamente às questões.13. CONCLUSÃOCriado com o objectivo principal de combater a baixa taxa de ocupação hoteleira nomês de Junho, o “Festival do Atlântico” é actualmente um cartaz com capacidade deatrair milhares de turistas.Após análise de todo o trabalho, podemos concluir que após dez anos de realização dofestival, a procura do evento é cada vez mais uma certeza. O feedback esperado foimuito mais rápido do que aquele que era esperado inicialmente.Analisando os anos de 2005, 2006 e 2007, as estadias na Região Autónoma da Madeiraestão em ascensão, o que nos leva a acreditar que o “Festival do Atlântico” éfundamental para o objectivo a que a iniciativa se propôs.Em 2009 constatamos uma descida da ocupação hoteleira para valores idênticos aosregistados entre os anos de 2005 e 2006, sendo de fácil compreensão, pois foi nestaaltura que se iniciou a crise, que actualmente nos assombra.A partir do ano de 2010, embora ainda em tratamento de dados no que diz respeito aentradas de turistas na Região, previa-se já uma melhoria. Cruzamos os dados
  21. 21. Página | 19apresentados pelos gráficos da ANAM (Aeroporto Internacional da Madeira) everificamos que, neste momento, estamos em franca recuperação deste sector,fundamental para a sustentabilidade do destino Madeira. Neste ano de 2010 ascampanhas de promoção foram mais incisivas, pois foi o ano em que a Madeira sofreuuma enorme catástrofe, os aluviões de 20 de Fevereiro.Provas de toda esta situação são os vários inquéritos elaborados e enviados, a hoteleirose presencialmente a visitantes, onde podemos constatar esta realidade, no que dizrespeito ao aumento de turistas, enquadrando o imprescindível evento.A aposta dos responsáveis por este sector incidiu, sem sombra de dúvida, na quebra dasazonalidade que poderia eventualmente existir na ilha. Este objectivo já estáconsolidado.Quanto a cruzeiros, devido à concorrência do Mediterrâneo, ainda não obtivemos umasituação muito positiva, sendo que o grande objectivo centra-se no sentido de seconseguir um aumento da taxa de retorno nos cruzeiros. A aposta em exposições com atemática dos diferentes cartazes realizados na Madeira, nas salas da nova gare marítima,é uma forte via de promoção da ilha, possibilitando chegar a um público-alvo diferentedo habitual.Destaca-se, ainda, que a Madeira é considerada como destino consolidado em váriosmercados, britânico e alemão essencialmente, encontrando-se em expansão no mercadofrancês, polaco, russo, checo e português, sendo este último o que lidera, nestemomento, o top de visitantes e de ocupação hoteleira. Denota-se aqui o correctofuncionamento da promoção da Região no continente.Em suma, podemos dizer que, com as entrevistas realizadas e os questionáriosanalisados, o “Festival do Atlântico” é um evento que corresponde muito positivamenteao que se propôs, pois todos os intervenientes consideram a existência deste cartazcomo uma mais-valia para a Região.Os directores hoteleiros com quem falamos, à excepção do Sr. Paulo Vasconcelos,admitem que acrescentam este evento à sua promoção, para o mês de Junho. Os turistasdemonstram o seu agrado e inclusive existe já os que repetem a estadia nesta altura.
  22. 22. Página | 2014. WEBGRAFIAFestival do Atlântico - http://www.festivalatlantico.com/, consultado a 02 de Abril de2011;Turismo da Madeira - http://drturismo.gov-madeira.pt/, consultado a 03 de Abril de2011;XXXII Festival de Música da Madeira -http://www.festivaldemusicadamadeira.com/site/festivaldemusicadamadeira/2011/default.asp, consultado a 10 de Abril de 2011;
  23. 23. Página | 2115. ANEXOSAnexo 1 – Inquérito realizado aos turistasAnexo 2 – Cartaz do Festival do AtlânticoAnexo 3 – Programa do Festival do Atlântico
  24. 24. 1. – How many times h12 – 5+ 52. – Where are you visiting from?3. – How many nights are you staying?12 – 5+ 54. – Was “Festival do Atlântico” the main reason for your visit?YesNo5. – Is this the first time you seeYesNo6. – Do you think “Festival do Atlântico”YesNo7. – Do you think the “Festival do Atlântico” is a benefit to the community?YesNoFESTIVAL DO ATLÂNTICOSurveyHow many times have you visited Madeira?Where are you visiting from?How many nights are you staying?Was “Festival do Atlântico” the main reason for your visit?Is this the first time you see “Festival do Atlântico” ?“Festival do Atlântico” has improved over the years?Do you think the “Festival do Atlântico” is a benefit to the community?Página | 22has improved over the years?Do you think the “Festival do Atlântico” is a benefit to the community?
  25. 25. Página | 238. – How many people are visiting the festival with you (including yourself)?12 – 5+ 59. – How did you hear about the “Festival do Atlântico”?Travel Agency/Tour OperatorNewspaper/MagazineWord of mouthFestival do Atlântico WebsiteOther WebsiteTwitter/FacebookOther (please specify)10. – Overall, how satisfied are you with the events you attended?Very satisfiedSatisfiedNeutralUnsatisfiedVery unsatisfied11. – What was your favourite aspect of the festival?12. – Is there anything we can do to improve the festival in 2012?Thank you for your time!
  26. 26. Página | 24
  27. 27. Página | 25
  28. 28. Página | 26

×