Your SlideShare is downloading. ×
0
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Linguagem
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Linguagem

3,349

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,349
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
205
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. LINGUAGEM
  • 2. Responda em dupla/grupo: • Qual a importância da linguagem para o ser humano? • O que é necessário para que o ser humano possa falar? • Como evolui a afetividade da criança dos 2 aos 7 anos?
  • 3. Linguagem... • Boa parte do que acontece, dos dois aos sete anos, gira em torno da linguagem: as primeiras experiências de socialização, envolvendo a interação com outras crianças, principalmente através do brinquedo; a evolução do pensamento e o desenvolvimento afetivo e moral.
  • 4. • No desenvolvimento da linguagem, da socialização, do brinquedo e da afetividade, a criança repete o mesmo caminho que seguiu em relação ao universo físico, durante os dois primeiros anos.
  • 5. • A linguagem, que no início é egocêntrica, passa a ser comunicativa ou socializada; o pensamento, que no início se baseia apenas na própria criança, no final do período vai ser capaz de compreender o ponto de vista do outro; o brinquedo, que no início é solitário, no final vai ser socializado, baseado na cooperação; a afetividade, de centralizada na própria criança, passará a envolver sentimentos interindividuais.
  • 6. Desenvolvimento da Linguagem • Nos primeiros meses: diversos sons – Exercitar as cordas vocais. • Depois dos 6 meses: balbucio (sons mais numerosas e variados). • Dez meses – 1 ano: primeiras palavras (papá, mama, nenê...).
  • 7. • Dezoito – 20 meses: Mesma palavra para diversas situações (leite = Me dá leite, não quero leite, este leite está quente). • 20 meses: Juntar duas palavras formando sentenças (dá água, bola caiu, bola nenê...).
  • 8. Como a criança aprende a falar? • Chomsky: Acha mais importante para a aprendizagem da fala herdadas biologicamente. as estruturas – Só o ser humano aprende a falar porque só ele traz essa capacidade, que é própria da espécie.
  • 9. • Skinner: Acha mais importante o ambiente. – A criança aprende porque é recompensada toda vez que tenta falar ou fala alguma coisa.
  • 10. • Piaget: O papel da linguagem é acessório na construção do conhecimento, pois as raízes do pensamento estão na ação e nos mecanismos sensórios-motores, mas do que no fato linguístico. – A linguagem é uma condição necessária, mas não suficiente para a construção das operações lógicas.
  • 11. • Vygotsky: A importância da linguagem se dá porque a mediação se faz através de signos. – As funções psicológicas superiores (percepção, atenção, memória, capacidad e de solucionar problemas) modificam-se pelo processo de internalização das instruções.
  • 12. • A apropriação da linguagem do grupo social pelo sujeito supõe, também, que este internalizará concepções e significados partilhados dentro do grupo em que se encontra.
  • 13. • Sabemos que as estruturas linguísticas herdadas não são suficientes, para que uma criança aprenda a falar, pois um bebê não aprende a falar se não conviver com pessoas que falam. • A influência do ambiente também não é suficiente, pois por mais que se tenha tentado ensinar macacos a falarem, até hoje eles não conseguiram aprender a linguagem complexa e rica em combinações falada pelos seres humanos.
  • 14. Concluindo... • O ser humano precisa então: – De certas estruturas genéticas, que lhe possibilitem o desenvolvimento da linguagem, num determinado ritmo. As crianças seguem determinadas “regras” não ensinadas, ao aprender a falar e a “explosão vocabular”.
  • 15. • Da maturação do sistema nervoso e das cordas vocais. – De um ambiente favorável: pessoas que falem e estimulem a criança a falar. O ambiente influi na aprendizagem mais lenta ou mais rápida da fala.
  • 16. Socialização • Consequência da aquisição da linguagem: Interação e Comunicação. • Relações com outras crianças, com os adultos, conversa com os outros.
  • 17. Segundo Piaget... • Três aspectos se sobressaem: – Subordinação: a criança tende a ver os adultos como modelos a serem imitados, como senhores e donos da verdade, juízes do certo e errado, pessoas a quem deve obediência.
  • 18. – Monólogo coletivo: Enquanto falam representando interiormente o que fazendo. estão estão – Solilóquio: Além de falar para si mesma quando está junto de outras crianças, fala em voz alta quando está sozinha = Exercitar-se na linguagem e representar mentalmente suas ações.
  • 19. Nota-se que... • A criança ainda não consegue sair de si mesma, socializar-se. Conversa com os outros mas não há trocas de ideias, não há comunicação, há apensa conversas e afirmações paralelas.
  • 20. Brinquedo • No início, final, cooperação. egocentrismo. No • Seis níveis de classificação, segundo Parten (apud Mouly).
  • 21. Evolução do pensamento • Piaget, nas crianças de dois a sete anos, constata 3 etapas sucessivas: – Pensamento egocêntrico = A criança transforma o real e as outras pessoas para satisfazer seus próprios desejos.
  • 22. • Pensamento verbal = Predomina a assimilação egocêntrica, a incorporação deformada da realidade, dirigida para a atividade da criança. • Finalismo (fase dos porquês), Animismo (atribui qualidades humanas aos seres inanimados) e Artificialismo (as coisas foram feitas artificialmente, pelo homem ou por qualquer outro fabricante, como uma divindade).
  • 23. • Pensamento intuitivo: A intuição consiste em afirmar pura e simplesmente o que os sentidos percebem, sem procurar saber se uma mudança da situação alteraria a percepção ou sem pensar em alternativas para a interpretação da percepção: se fossem invertidas as posições, o que aconteceria. – A intuição é a afirmação do que a criança está vendo, sem raciocínio lógico.
  • 24. Desenvolvimento Afetivo e Moral • No que se refere à afetividade, a criança também evolui do egocentrismo inicial aos sentimentos interindividuais. • Sentimentos de simpatia e antipatia.
  • 25. • Primeira moral da criança: Heterônoma. Depende de uma vontade exterior à criança, depende da vontade do adulto. • Moral baseada nos valores dos adultos. • Moral Autônoma: resulta de regras estabelecidas pelo grupo, de comum acordo. • Baseada no respeito entre companheiros.
  • 26. Referência • PILETTI, Nelson. Psicologia Educacional. 9ª ed. São Paulo: Ática, 1991. • SOARES, Maria Vilani. Aquisição da linguagem segundo a Psicologia Interacionista: Três abordagens. Disponível em: <http://www.dtp.uem.br/rtpe/volumes/v9n2/art10.pd f>. Acesso em: 20out.2012.

×