Projeto politico pedagogico 2010

24,109 views
23,660 views

Published on

PPP do CEEP Castaldi

Published in: Education, News & Politics
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
  • Não consigo baixar iq faço?
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
24,109
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
69
Actions
Shares
0
Downloads
235
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Projeto politico pedagogico 2010

  1. 1. CEEP - Professora Maria do Rosário Castaldi Ensino Médio e ProfissionalAvenida Arthur Thomas, nº 1181 – Jardim Jamaica – Londrina - PR Fone (43) 3338-0011 Fax (43) 3338-3807
  2. 2. 1Projeto Político Pedagógico 2010
  3. 3. 2 Projeto Político Pedagógico 2010 1. JUSTIFICATIVA Tendo em vista que uma das políticas educacionais da SEED étornar visível o trabalho escolar, a construção do Projeto Político Pedagógico vemcontribuir para a consolidação dos objetivos propostos pela Lei de Diretrizes e Basesda Educação nº 9394/96 e das Diretrizes Curriculares do Estado do Paraná. Opresente documento retrata a identidade deste CEEP de educação, faz diagnósticose propõe mudanças. A construção do Projeto Político Pedagógico significa repensar,refletir e incorporar novas idéias e formas democráticas à prática educativa numaperspectiva emancipatória e transformadora da educação, exigindo compromissopolítico-pedagógico dos profissionais deste CEEP. Elaboramos este Projeto para que possa constituir referência para aorganização do trabalho pedagógico escolar, pois expressa a intencionalidadepolítico-pedagógica de um projeto de educação e de sociedade, articulado aosinteresses e necessidades da comunidade, assegurando uma aprendizagem dequalidade para todos.
  4. 4. 3 Projeto Político Pedagógico 2010 2. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO DO CEEP CASTALDI O Centro Estadual de Educação Profissional Professora Maria doRosário Castaldi, conforme Resolução Secretarial nº 2418 de 09 de outubro de2001, situado na Avenida Arthur Thomas nº 1181 – Jardim Jamaica, com sede nomunicípio de Londrina – Paraná, tem como mantenedora o Governo do Estado doParaná. O terreno onde está construído o referido CEEP sita na Quadra IVdo Parque Jamaica, sendo construído da seguinte forma: a frente do CEEP estávoltada para a Avenida Arthur Thomas, faz divisa com Jardim Bandeirantes e oConjunto Orion e ao fundo com a Rua Alfred B. Nobel, a qual faz divisa com oJardim Industrial. O Decreto de nº 5265/78, de 12 de julho de 1978, publicado noDiário Oficial nº 343 de 14 de julho de 1979, cria o Estabelecimento Colégio EstadualProfessora Maria do Rosário Castaldi – Ensino de 2º Grau, de acordo com aDeliberação nº 40/75 do Conselho Estadual de Educação, com os cursos deHabilitação Básica em: Saúde, Crédito e Finanças, Eletricidade e Agropecuária. O seu Projeto de Ensino foi aprovado pelo Parecer nº 144/78 deacordo com o processo nº 1222/78 de março de 1978, pelo Conselho Estadual deEducação, em consonância com os termos de nº 085/78 da Câmara de Ensino de 2ºGrau, baseados no que preconiza o Parecer nº45/72 da Lei 5692/71. Sua construção foi feita por meio de convênio entre MEC, PREMENe SEED – PR. Pela Resolução nº 3066/81, de dezembro de 1981, publicada noDiário Oficial nº 1210 de 15 de janeiro de 1982, fica reconhecidos os CursosRegulares e Agropecuária do Colégio Estadual Professora Maria do Rosário Castaldi– Ensino de 2º Grau, no município de Londrina. A partir da Resolução nº 3379/82 de 10 de dezembro de 1982, ficaautorizado o funcionamento da Habilitação Técnica em Eletrotécnica. No ano de 1984, com a Resolução nº 8436/84 de 21 de dezembrode 1984, fica autorizado o funcionamento do Curso de 2º Grau Regular Propedêuticoe da Habilitação Plena em Magistério.
  5. 5. 4 Projeto Político Pedagógico 2010 Pela Resolução 2037/86 de 02 de maio de 1986, a Secretaria deEstado da Educação cessa definitivamente as atividades escolares da HabilitaçãoBásica em Eletricidade. Ainda no ano de 1986, por meio da Resolução nº 3875/86 de 05 desetembro de 1986, fica reconhecida a Habilitação Técnica em Eletrotécnica e pelaResolução 4668/86 de 31 de outubro de 1986 fica reconhecido o Curso de 2º GrauRegular Propedêutico e a Habilitação Plena em Magistério. No ano de 1988, por meio da Resolução nº 4080/99 de 28 dedezembro de 1988, fica autorizado o funcionamento completo de 1º Grau. Em decorrência da autorização concedida, o Estabelecimento passaa denominar-se Colégio Estadual Professora Maria do Rosário Castaldi – Ensino de1º e 2º Grau. Em 1989 pela Resolução nº 876/89 de 07 de abril de 1989 a SEEDcessa definitivamente as atividades da Habilitação Básica em Crédito e Finanças. No ano de 1990, a partir da Resolução 3895/90 de 13 de dezembrode 1990, fica reconhecido o curso completo de 1º Grau. Neste mesmo ano, por meioda Resolução 4047/90, de 27 de dezembro de 1990, a Secretaria de Estado deEducação cessa definitivamente, com efeito a partir do ano de 1987, a HabilitaçãoBásica em Saúde e Agropecuária, publicado em Diário Oficial n.º 3432 de 17 deoutubro de 1991. A Resolução 4056/96, determina que no PROEM (Programa deExpansão, Melhoria e Inovação no Ensino Médio do Paraná), devem ser cessadosos cursos de Magistério e Técnico em Eletroeletrônica pela Resolução n.º 2247/2000em 4 de julho de 2000. Por meio do Parecer n.º 406/99 e Resolução n.º 4652/99 de 15 dedezembro de 1999, foi autorizado o funcionamento do Curso Técnico em EletrônicaIndustrial com ênfase em Telecomunicações. Em 2001 fica autorizado o Curso Técnico em GestãoEmpreendedora, por meio da Resolução nº 3137/01 e o Curso Técnico emEletromecânica, a partir da Resolução nº 3142/01. Em 2002 fica autorizado o Curso de Administração da Produção,com ênfase em Confecção, por meio da Resolução 4011/02 de 04 de outubro de2002.
  6. 6. 5 Projeto Político Pedagógico 2010 Em 2005, a partir da Resolução 1764/05, fica autorizado o CursoTécnico em Administração, Área Profissional Gestão, SUBSEQUENTE ao EnsinoMédio. Em 2006, a Resolução 676/06, autoriza o funcionamento do CursoTécnico em Administração, Área Profissional Gestão, integrado ao Ensino Médio. Nomesmo ano é autorizado o funcionamento dos cursos: Técnico em Administração daProdução e Confecção Integrado, por meio da resolução nº 3716/06; Técnico emEletrônica Subsequente, resolução nº 3429/06; Técnico em Eletrônica Integrado,resolução nº 3928/06; Técnico em Eletromecânica Subsequente, resolução nº3929/06 e Técnico em Eletromecânica Integrado, resolução nº 3930/06. Em 2007, ocorreu a cessação do curso Técnico em EletrônicaIndustrial com ênfase em telecomunicações, conforme resolução nº 1998/2007.Ainda em 2007 também foi cessado o curso Técnico em Gestão Empreendedoraconforme resolução nº 1999/2007 e o Curso Técnico de Administração da Produçãocom Ênfase para a Indústria da Confecção, por meio da resolução, nº 1997/07. Em 2008 é reconhecido: o Curso Técnico em Administração, ÁreaProfissional Gestão, por meio da resolução nº 1269/08; Curso Técnico emAdministração da Produção e Confecção Integrado, resolução nº 4512/08; Técnicoem Eletrônica Subsequente, resolução nº 4991/08; Técnico em Eletrônica Integrado,resolução nº 5861/08; Técnico em Eletromecânica Subsequente, resolução nº4511/08 e Técnico em Eletromecânica Integrado, resolução nº 4981/08. Em 2008 iniciou-se o processo de autorização de funcionamento doCurso Técnico e Química Subsequente por meio do protocolo nº 7.355.250-8. Em 2009, foi autorizado o Curso Técnico em Química Integrado, pormeio da resolução nº 4079/09.
  7. 7. 6 Projeto Político Pedagógico 2010 3. ORGANIZAÇÃO DA ENTIDADE ESCOLAR O Centro Estadual de Educação Profissional Professora Maria doRosário Castaldi oferta a modalidade de Ensino Médio e de Educação Profissionalcom os Cursos Técnicos na modalidade: a) de nível Médio Integrado em: Administração, Eletrônica, Eletrotécnica e Mecatrônica; b) de nível Médio Subsequente em: Administração, Eletrônica, Eletrotécnica, Eletromecânica, Mecatrônica e Química. Atualmente o CEEP Professora Maria do Rosário Castaldi conta com18 salas de aula (10 construídas e 8 adaptadas), dependências administrativas epedagógicas, sanitários masculinos e femininos para os alunos, cozinha, cantina,biblioteca, laboratórios, pátio interno coberto, quadra polivalente coberta edescoberta e refeitório coberto. Atende 02 turmas do Celem Espanhol, 12 turmas do Ensino Médio,14 do Ensino Médio Integrado, 12 turmas do Ensino Médio SUBSEQUENTE,distribuídos no período diurno, vespertino e noturno, num total de 1339 alunos. Conta ainda com 72 professores do Ensino Médio, Integrado eSUBSEQUENTE, 4 professoras pedagogas, 09 coordenadores de curso, 5professores laboratoristas, 4 coordenadores de estágio, 7 auxiliares administrativos,7 auxiliares de serviço gerais, um diretor geral, dois diretores auxiliares e umsecretário geral. O colégio funciona em três turnos, com as turmas assim distribuídas: TURNO MATUTINO: 17 turmas Ensino Médio 1ª séries: 076 alunos (2 turmas) 2ª séries: 116 alunos (3 turmas) 3ª séries: 132 alunos (3 turmas) Ensino Médio Integrado ELETEL 2ª série: 16 alunos (1 turma)
  8. 8. 7 Projeto Político Pedagógico 20103ª série: 20 alunos (1 turma)4ª série: 08 alunos (1 turma)ADM1ª série: 42 alunos (1 turma)2ª série: 45 alunos (1 turma)3ª série: 31 alunos (1 turma)4ª série: 26 alunos (1 turma)MECATRÔNICA1ª série: 39 alunos (1 turma)ELETROTÉCNICA1ª série: 40 alunos (1 turma)Total de alunos do período: 591TURNO VESPERTINO: 8 turmasCELEMEspanhol Básico: 2 turmas1ª série Tarde: 22 alunos (1 turma)2ª série Tarde: 15 alunos (1 turma)Ensino Médio1ª séries: 82 alunos (3 turmas)2ª série : 19 alunos (1 turma)Ensino Médio IntegradoADM1ª série: 37 alunos (1 turma)3ª série: 09 alunos (1 turma)Total de alunos do período: 184
  9. 9. 8 Projeto Político Pedagógico 2010TURNO NOTURNO: 17 turmasEnsino Médio IntegradoADM4ª série: 20 alunos (1 turma)ELETEL4ª série: 09 alunos (1 turma)Ensino Médio SUBSEQUENTEELETEL2º semestre: 27 alunos (1 turma)3º semestre: 26 alunos (1 turma)ELECAM1º semestre: 96 alunos (2 turmas)2º semestre: 32 alunos (1 turma)3º semestre: 24 alunos (1 turma)ELETROTÊCNICA1º semestre: 49 alunos (1 turma)MECATRÔNICA1º semestre: 44 alunos (1 turma)ADM1º semestre: 90 alunos (2 turmas)2º semestre: 34 alunos (1 turma)3º semestre: 23 alunos (1 turma)QUÍMICA1º semestre: 43 alunos (1 turma)2º semestre: 25 alunos (1 turma)3º semestre: 22 alunos (1 turma)Total de alunos do período: 564
  10. 10. 9 Projeto Político Pedagógico 2010 3.1 – Organograma CONSELHO ESCOLAR DIREÇÃO APMF EQUIPE EQUIPE PEDAGÓGICA EQUIPE DE DIREÇÃO ADMINSTRATIVAD D P C C C D B S A AI I E O O O O I E G GR R D O O R C B C E EE E A R R P E L R N NÇ Ç G D D O N I E T TÂ Â O E E T O T E EO O G N N D E T A O A A O E R E EA A S Ç Ç C D C I D DU D Ã Ã E E A A U UX M O O N C CI I T L A AL N D D E A C CI I E E B I IA S O O OR T C E R N N R U T A A A A R Á T L L T S G Ó I O I R I II V S O I A O CORPO DISCENTE
  11. 11. 10 Projeto Político Pedagógico 2010 4. ANÁLISE E DESCRIÇÃO DA REALIDADE Os agentes educacionais, professores, equipe pedagógica e direçãodeste CEEP, durante reuniões pedagógicas, refletiram sobre a sociedade, a escola,os alunos, os professores e os funcionários que temos atualmente. Essa análise ereflexão do marco situacional tem como objetivo permear o trabalho de construçãodo Projeto Político Pedagógico, visto que as ações a serem realizadas atendam asexpectativas dessa comunidade escolar. 4.1 - Sociedade A sociedade contemporânea configura-se pelo sistema capitalista epelo neoliberalismo, em uma sociedade baseada na indústria e na exigência deformação técnica e profissional. Características desse sistema afetam a sociedade e o sistemaeducacional como escola empresa, onde se estimula a competição, o preparo para osetor produtivo e a formação de um indivíduo unilateral, sem qualquer preparo críticopara ter consciência de sua existência como sujeito da práxis, produtor da própriahistória e não produto dela. Faz-se mister apresentar uma proposta pedagógica articulada comos interesses de transformação da sociedade, com vistas a superar esta visãopuramente tecnicista, competitiva e alienada. As relações dentro ou fora de escola não supõem uma igualdadeabsoluta entre as pessoas. Rever estes conhecimentos, não significa ignorar formasorganizadas de trabalho e convivência social, mas admitir as múltiplas e variadasfacetas do real, bem como as diferenças e o aprendizado de como trabalhar comelas. A concepção pedagógica histórico-crítica defendida por Saviani(1992) representa a articulação de uma proposta pedagógica que tem ocompromisso não apenas de manter a sociedade, mas de transformá-la a partir dacompreensão dos condicionantes sociais e da visão que a sociedade exerce sobre aeducação. Desta forma, deve-se objetivar, problematizar e refletir sobre o idealde homem na sociedade, sobre conceitos essenciais que se perdem mediante a
  12. 12. 11 Projeto Político Pedagógico 2010forte presença de ideologias capitalistas, quais doutrinas regem tal sistema e comoestas invadem o interior da escola, modificando até mesmo seu currículo,metodologias e finalidades, pois assim com já dito, sociedade e educaçãoencontram-se relacionadas interferindo uma na outra. 4.2 - Escola A escola tem um caráter de instituição que diferencia um conjunto defunções hierarquizadas que são desenvolvidas por diversos atores que atuam para oobjetivo central que é o educar. Sua função é a de mediar os conhecimentoscientíficos tomados como clássicos, básicos, fundamentais, no sentido de humanizaro homem. A prática pedagógica escolar visa “(...) produzir no aluno necessidade dotipo superior, que não surgem espontaneamente e sim pela apropriação dosconteúdos das esferas das objetivações genéricas ” (DUARTE, 1999, p. 58). Historicamente a escola sofre influência da sociedade burguesa,mas não cabe a ela repassar essa mesma ideologia. Ela é determinada socialmentepelo modo capitalista e sofre influências sociais caracterizada por essassegmentações. Como a escola está inserida dentro do sistema capitalista apresentatambém as contradições dele, se por um lado representa os interesses da classedominante, por outro, se torna o espaço da realidade econômica, política, social,cultural. Ela contribui para a luta contra a discriminação, desigualdade social,rebaixamento de ensino das classes populares e contra a marginalidade. Numa sociedade capitalista, organizada em classes, a escrita e ograu de escolarização são fatores essenciais, sendo que o conhecimento e astécnicas são compartilhados em diversos graus e formas e sua apropriação geradiferentes participações socioculturais, por esse motivo necessitam da suainstitucionalização na educação. A escola constitui-se em um espaço de redefiniçãopor excelência, pois redefine a cultura dominante e a cultura dominada. A escola atual enfrenta uma nova realidade no processo ensino-aprendizagem, porque nossos alunos são frutos da globalização em que acirculação da informação constitui-se num de seus pilares básicos. Esta é umasociedade que está introduzindo modificações profundas no conjunto de valores da
  13. 13. 12 Projeto Político Pedagógico 2010humanidade e estabelecendo uma nova ordem, com conseqüências ainda nãoidentificadas. Compreendemos que uma escola engajada deve garantir um ensinode qualidade diante das condições históricas em que está inserida. Por isso, osprofissionais da educação deste CEEP acreditam que uma prática pedagógicafundamentada na Pedagogia Histórica-Crítica, possa contribuir para que a escolaforme educandos críticos e participativos, que façam a diferença na sociedade emque estão inseridos. 4.3 - Alunos Nosso corpo discente possui características distintas de acordo como período e o curso que frequentam. No período diurno aos alunos são filhos de trabalhadoresassalariados ou prestadores de serviços. Eles têm uma formação heterogênea.Observamos que para alguns alunos faltam referências de vida e limites no processode socialização. Por outro lado têm alunos que demonstram ter uma formaçãofamiliar sólida. Esses parecem ter um projeto de vida já traçado para ingressar nomundo do trabalho. Consequentemente eles possuem características distintas enquantoalguns são desmotivados, imaturos e querem o conhecimento pronto, outros sãodedicados, participativos e interessados, pretendem ingressar em um curso superiorou no mundo do trabalho. O segundo grupo de alunos compreende a necessidadede obter conhecimentos básicos de cada ciência. Observamos que uma parcelasignificativa deles é aprovada em Instituições de Ensino Superior pública e privada. Os alunos do período noturno, em geral, são trabalhadoresassalariados ou autônomos. Eles buscam aperfeiçoamento profissional por iniciativaprópria ou por exigência da empresa que trabalha. Existe também aqueles queprocuram os cursos profissionalizantes visando uma nova colocação no mundo dotrabalho.
  14. 14. 13 Projeto Político Pedagógico 2010 Com relação aos alunos de inclusão informamos que nesse anoletivo temos 1 caso de inclusão, uma aluna com doença degenerativaneuromuscular. É importante observar que existe a suspeita de alunos usuários dedrogas ilícitas. Os professores e funcionários do CEEP têm observado a atitudedesses alunos e procura-se dar o melhor encaminhamento para cada caso. O usode drogas lícitas como o cigarro e as bebidas alcoólicas é proibido no ambienteescolar, conforme a legislação vigente. Para atender a diversidade do corpo discente do CEEP Castaldi éimportante considerar que a educação é um processo globalizante e contínuo. Porisso, faz-se necessário integrar e promover situações no processo educativo quepossibilitem aos alunos condições necessárias para relacionar sua realidade econhecimentos prévios a conteúdos sistematizados permitindo uma leitura crítica euma percepção ativa de seu meio social. Uma das ações que visa atender essa diversidade é o Projeto deextensão curricular Viva Escola com políticas defendidas nas Diretrizes CurricularesEstaduais. Esse programa oferece atividades de contra-turno (4 horas semanais),desde 2009. Ele é um importante passo para a educação de período integral. Em2010 as atividades são realizadas como complemento curricular duas vezes porsemana (2ª e 4ª feira) das 14h às 16h. Esse horário de atendimento pode variar deano a ano. O projeto tem como objetivo atender alunos em situação de risco(evasão, repetência e vulnerabilidade social). Nele o professor tem autonomia paraescolher atividades mais adequadas para a realidade do grupo que esta sendoatendido. É uma proposta do CEEP atender as necessidades e dificuldadesdos alunos. No projeto, os conteúdos selecionados são trabalhados comaprofundamento, por meio de metodologias e tarefas diferenciadas nos laboratórios,na quadra de esportes, entre outros espaços de modo que enriqueça o processo deformação dos estudantes, buscando assim ações que objetivem amenizar ou atémesmo interromper processo de exclusão.
  15. 15. 14 Projeto Político Pedagógico 2010 4.4 - Professores Os professores que fazem parte do nosso quadro sãocomprometidos com a sua função. Eles são imbuído de objetivos que possibilitamaos alunos do Ensino Médio e Profissionalizante ser éticos e competentes na vidaprofissional. Valorizam a formação continuada e procuram conscientizar osestudantes da importância da atualização constante para um desempenhoprofissional satisfatório. Eles são agentes do processo ensino aprendizagem não só para oconhecimento científico mas, também para o desenvolvimento da cidadania plenadentro e fora do ambiente escolar. De modo geral os professores deste CEEP estão ansiosos pormudanças no processo educacional, porém muitas vezes se vêem no papel de“repassador” de conteúdos. Algumas amarras burocráticas deixam muitosprofissionais com baixa auto-estima, desmotivados, pois ele precisa ser polivalente enão tem muitos recursos para sua qualificação, além de não ver valorizada suafunção na sociedade. Para superar algumas dessas dificuldades os professores nãopodem ignorar as possibilidades de aprendizagem relacionadas a sua atuação. Oplanejamento de novas estratégias amparadas pela atual fundamentação teóricametodológica de sua área e por recursos como: os jogos didáticos, materiais deapoio, recursos audiovisuais e a ludicidade, podem provocar as mudançasnecessárias para a formação de cidadãos críticos e conscientes. 4.5 – Agentes Educacionais Os Agentes Educacionais são colaboradores, integrados à direção,equipe pedagógica, professores e aos alunos, dão apoio para o desenvolvimento,crescimento e o sucesso deste CEEP no âmbito funcional. Eles compõe o quadro de educadores deste CEEP. Também sãoresponsáveis pela formação integral dos alunos contribuindo com uma formação
  16. 16. 15 Projeto Político Pedagógico 2010ética e responsável em espaços escolares como: o refeitório, os corredores, abiblioteca, o pátio, a quadra de esportes, os laboratórios, as salas de aula entreoutros. 4.6 - Formação Continuada Diante das exigências da LDB nº. 9394/96 de formação continuadados profissionais da educação e considerando a necessidade de troca deexperiências entre professores, equipe pedagógica e agentes educacionais, apromoção da interdisciplinaridade e o aprofundamento de conteúdo a comunidadeescolar deste CEEP tem participado de capacitações oferecidas pela SEED, NRE etambém por outros órgãos educacionais. Compreende-se a importância da participação de todos na formaçãocontinuada, porém nem sempre isso acontece. Para minimizar este problema busca-se mecanismos que favoreçam a participação de todos, principalmente nas semanaspedagógicas. Visando ofertar um espaço de troca permanente de experiência ediscussões pedagógicas o CEEP Castaldi oferece, à comunidade escolar, em 2010,um fórum sobre assuntos relacionados à prática pedagógica. 4.7 - Órgãos Colegiados Os órgãos colegiados que participam do processo educacional desteCEEP são: APMF, Conselho Escolar, Conselho de Classe e Grêmio Estudantil. O Conselho Escolar, é o órgão máximo de deliberação na escola.Segundo Sene (2008, p. 9) ele (...) possui natureza consultiva, deliberativa, avaliativa e fiscalizadora, tem o objetivo de promover a articulação entre os vários segmentos da sociedade e os diversos setores da escola, a fim de garantir o bom funcionamento, pois é através do conselho escolar que se faz o controle e avaliação de todas as atividades e procedimentos da escola, sejam eles administrativos pedagógicos ou até mesmo financeiros.
  17. 17. 16 Projeto Político Pedagógico 2010 O Conselho Escolar é normatizado por estatuto próprio comfundamento no disposto do artigo 1º da Resolução 2124/05, e nos escritos termosdas normas estampadas na Deliberação nº 016/99, do CEE, tendo sua aprovaçãopelo Ato Administrativo nº 051/09 de 30/09/2009. O Conselho de Classe é um órgão colegiado de natureza consultivae deliberativa em assuntos didático-pedagógicos, com atuação restrita a cada turmado estabelecimento de ensino, tendo por objetivo avaliar o processo ensino-aprendizagem promovendo a reflexão do professor sobre a sua prática e o Plano deTrabalho Docente (PTD). Cabe a este órgão definir estratégias de intervenção sobreos casos analisados. A Associação de Pais, Mestres e Funcionários (APMF), com estatutopróprio, é um órgão de natureza consultiva, deliberativa e fiscal, e tem por finalidadepromover a articulação entre vários segmentos organizados da sociedade e ossetores deste CEEP, com registro no 2º Cartório de Registro de Títulos eDocumentos, de Londrina - PR, sob a averbação nº 565/5 do Livro A-1, de11/11/2008. O Grêmio Estudantil, com estatuto próprio, é um órgão de naturezaconsultiva, que tem a finalidade de representar os interesses do corpo discente.Conforme Sene (2008, p. 10), o Grêmio é o órgão de representação e organização dos alunos, o qual tem suas especificidades próprias lavradas em estatuto, este colegiado contribui para com uma educação emancipatória e transformadora, pois permite uma maior discussão e criticidade entre os alunos. 4.8 - Perfil da Comunidade Para elaborar o perfil da comunidade escolar foram coletados dados,em 2009, de uma amostra de 10% dos alunos dos três períodos e modalidades deensino: Médio, Integrado e SUBSEQUENTE. Com relação ao local de residência podemos observar que 50,50%dos alunos moram em bairros próximos ao CEEP Castaldi. Temos também alunosque moram em outras cidades como Cambé (14,60%) e Rolândia (4,50%).Conforme a tabela 1 e o gráfico 1.
  18. 18. 17 Projeto Político Pedagógico 2010 Tabela 1: Local de Residência LOCAL DE RESIDÊNCIA Freq. J.BANDEIRANTES 19,10% J. MESSIÂNICO 3,40% J. TÓKIO 6,70% VILA INDUSTRIAL 3,40% JARDIM JAMAICA 2,20% JARDIM SABARÁ 10,10% J. OLIMPICO 4,50% CONJ. AVELINO VIEIRA 1,10% OUTRO BAIRRO DA CIDADE DE LONDRINA 28,10% CAMBÉ 14,60% ROLÂNDIA 4,50% OUTRA CIDADE 2,20% TOTAL OBS. 100% Gráfico 1: LOCAL DE RESIDÊNCIA OUTRO BAIRRO DA CIDADE DE LONDRINA 28,1% J.BANDEIRANTES 19,1% CAMBÉ 14,6% JARDIM SABARÁ 10,1% J. TÓKIO 6,7% J. OLIMPICO 4,5% ROLÂNDIA 4,5% J. MESSIÂNICO 3,4% VILA INDUSTRIAL 3,4% JARDIM JAMAICA 2,2% OUTRA CIDADE 2,2% CONJ. AVELINO VIEIRA 1,1% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 A forma mais comum de locomoção até a escola é à pé, 37,10% dosalunos, seguida de alunos que utilizam ônibus (25,8%) e carro (24,70%). Tabela 2: Locomoção até a escola LOCOMOÇÃO ATÉ A ESCOLA Freq. A PÉ 37,10% ÔNIBUS 25,80% CARRO 24,70% MOTO 14,60% BICICLETA 4,50% CARONA COM AMIGOS 4,50% TRANSPORTE ESCOLAR 3,40% OUTROS 2,20% CARONA COM FAMILIARES 1,10% Obs.: A quantidade de citações é superior à quantidade de observações devido às respostas múltiplas (9 no máximo).
  19. 19. 18 Projeto Político Pedagógico 2010 Gráfico 2: LOCOMOÇÃO ATÉ A ESCOLA 37,1% 25,8% 24,7% 14,6% 4,5% 4,5% 3,4% 2,2% 1,1% A PÉ ÔNIBUS CARRO MOTO BICICLETA CARONA COM TRANSPORTE OUTROS CARONA COM AMIGOS ESCOLAR FAMILIARES Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 As despesas familiares são mantidas pelos pais de 32,6% dosalunos, apenas pela mãe por 11,2% e apenas pelo pai por 21,3%, de 22,5% dosalunos as despesas são mantidas por familiares. Em 2005, as despesas familiareseram mantidas pelos pais de 46% dos alunos, a queda nesta porcentagem podeestar relacionada com o aumento do número de alunos nos cursos subsequentesque é formado por trabalhadores, muitos são pais de família. Gráfico 3: MANUTENÇÃO DAS DESPESAS FAMILIARES 2,2% 10,1% PAIS FAMILIARES 32,6% SOMENTE O PAI 11,2% SOMENTE A MÃE OUTROS Não resposta 21,3% 22,5% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 A taxa de desemprego dos pais é de 13,5%. Constata-se umaumento de 7,5% com relação a 2005 em que a taxa era de 6%.
  20. 20. 19 Projeto Político Pedagógico 2010 Gráfico 4: SITUAÇÃO EMPREGATICIA DOS PAIS 4,5% EMPREGADO 13,5% DESEMPREGADO Não resposta 82,0% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Dos 13,5% de pais desempregados 77,5% não responderam otempo de desocupação, 11,2% estão desempregados a mais de um ano e o mesmopercentual está desocupado a menos de um ano. Gráfico 5: TEMPO DE DESOCUPAÇÃO DOS DESEMPREGADO 11,2% Não resposta MENOS DE 1 ANO 11,2% MAIS DE UM ANO 77,5% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 As famílias dos alunos matriculados neste estabelecimento deensino são compostas, geralmente, por 2 (40,4%) ou 3 (25,8%) filhos. Gráfico 6: N Ú MERO DE IRMÃOS 4,5%1,1% TEM 1 IR MÃO 7,9% TêM 2 IR MÃOS TêM 3 IR MÃOS N ÃO TEM 9,0% MAIS DE 4 IR MÃOS 40,4% TêM 4 IR MÃOS N ão res pos ta 11,2% 25,8% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009
  21. 21. 20 Projeto Político Pedagógico 2010 Apenas 16,9% dos alunos possuem irmão estudando nesteestabelecimento, conforme o gráfico 7. Conforme os dados do gráfico 8; 77,5% dosalunos não informou o curso que o irmão frequenta. Gráfico 7: IRMÃOS MATRICULADOS NO COLÉGIO 16,9% NÃO SIM 83,1% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Gráfico 8: CURSO QUE O IRMÃO FREQUENTA 6,7% 2,2% Não res pos ta 13,5% MÉDIO SUBSEQUENTE INTEGRADO 77,5% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Mais de 97% dos alunos possui uma religião. A religião maisfrenquente é a católica 53,9% dos alunos, seguida da religião evangélica 37,2%. Gráfico 9: POSSUI RELIGIÃO 2,2% SIM NÃO 97,8% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009
  22. 22. 21 Projeto Político Pedagógico 2010 Gráfico 10: RELIGIÃO 3,4% 2,2% 3,4% CATÓLICA EVANGÉLICA Não res pos ta OUTRAS ESPÍRITA 37,1% 53,9% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Dos alunos que possuem uma religião 75,3% praticam a mesmareligião da família. Gráfico 11: PRATICA A RELIGIÃO FAMILIAR 1,1% 23,6% Não res pos ta SIM NÃO 75,3% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Mais de 53% dos alunos tem profissão remunerada. Gráfico 12: TEM PROFISSÃO REMUNERADA 2,2% Não res pos ta SIM NÃO 43,8% 53,9% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Dos alunos que tem profissão remunerada 27,1% recebem apenas 1salário mínimo, 41,7% recebem de 2 a 5 salários mínimos, 25% recebe menos queum salário mínimo e apenas 2,1% recebe de 6 a 9 salários mínimos.
  23. 23. 22 Projeto Político Pedagógico 2010 Grá fico 1 3 : TEM PROFISSÃO REMUN ERADA x sa lá rio s 4 8 2 ,1% 4 1,7 % 2 7,1 % 2 5,0 % 0 4 ,2% SIM N ão res p os ta m en o s q u e u m s alá rio m ínim o a pe n as 1 sa lário m ín im o d e 2 a 5 s alá rios m ín im o s d e 6 a 9 s alá rios m ín im o s m ais qu e 10 sa lá rio s m ín im o s. Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Com relação a situação econômica dos alunos matriculados noCEEP Castaldi podemos afirmar que, de modo geral, a renda familiar está entre 2 a5 salários mínimos, pois está é a faixa salarial de 66,3% dos pais, assim como amaioria dos alunos empregados também pertence a essa faixa salarial. Apenas3,4% declararam receber mais que 10 salários mínimos. Gráfico 14: SITUAÇÃO ECONÔMICA DOS PAIS 3,4% 6,7% 10,1% 3,4% Não res pos ta 10,1% m enos que um s alário m ínim o apenas 1 salário mínimo de 2 a 5 s alários mínimos de 6 a 9 s alários mínimos m ais que 10 salários mínim os. 66,3% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 De modo geral os alunos do CEEP Castaldi não recebem mesada.Apenas 7,9% recebem até R$ 50,00 de mesada; 2,2% recebem entre R$ 50,00 e R$100,00 e 1% recebem mais que R$ 150,00.
  24. 24. 23 Projeto Político Pedagógico 2010 Gráfico 15: MESADA 2,2%,1% 1 9,0% 7,9% Não res pos ta NÃO TEM ATÉ R$ 50,00 DE R$ 50,01 A R$ 100,00 DE R$ 100,01 A R$ 150,00 MAIS QUE R$ 150,00 79,8% Com relação a residência familiar 78,7% dos alunos moram emresidência própria; 14,6% moram em residência alugada e apenas 6,7% moram emresidência cedida. Gráfico 16: RESIDÊNCIA FAMILIAR 6,7% PRÓPRIA 14,6% ALUGADA CEDIDA 78,7% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Entre os pais dos alunos matriculados no CEEP Castaldi 33,7% nãoconcluíram o Ensino Fundamental; 14,6% concluíram o Ensino Fundamental; 28,1%concluíram o Ensino Médio e apenas 6,7% cursaram o Ensino Superior. Gráfico 17: ESCOLARIDADE DOS PAIS 6,7% 1,1% 1,1% Não res pos ta ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO 33,7% ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO 28,1% ENSINO MÉDIO INCOMPLETO ENSINO MÉDIO COMPLETO SUPERIOR INCOMPLETO SUPERIOR COMPLETO 14,6% 14,6% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009
  25. 25. 24 Projeto Político Pedagógico 2010 Com relação ao perfil do aluno, apenas 21,3% frequentam outroscursos. Entre os alunos que fazem outros cursos 36% cursam informática, 28%inglês e 36% outros cursos. Gráfico 18: VOCÊ FREQUENTA OUTRO CURSO 1,1% 21,3% Não res pos ta SIM NÃO 77,5% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Grá fico 1 9 : C UR S OS PR ATIC ADOS P E LOS AL UN OS 25 3 6,0 % 2 8,0 % 3 6,0 % 0 S IM N ão res p os ta INFORMÁTIC A INGL ÊS OUTROS Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Com relação as atividades realizadas pelos alunos nos momentosde lazer podemos destacar que 56,2% deles possuem o hábito de praticar algumtipo de esporte. Entre os alunos que praticam esportes 43,6% fazem futebol; 11,9%Vôlei; 11,9% academia. Gráfico 20: PRATICA ESPORTE 1,1% Não res pos ta SIM NÃO 42,7% 56,2% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009
  26. 26. 25 Projeto Político Pedagógico 2010 Gráfico 21: ESPORTE : SIM 3,0% 1 ,5% 1,5% 3,0% FUTEBOL 4,5% OUTROS ACADEMIA 11,9% VÔLEI BASQUETE 46,3% ATLETISMO NATAÇÃO HANDEBOL TÊNIS 11,9% 16,4% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Mais de 93% dos alunos do CEEP Castaldi assistem televisão.31,5% dos alunos assistem entre 1 e 2 horas de TV por dia; 29,2% menos que 1hora e 23,6% entre 2 e quatro horas. Entre os programas favoritos estão notíciascom 55,1% da preferência entre os alunos seguido de filmes com 47,2% depreferência, esportes com 40,4% e novela com 23,6%. Gráfico 22: ASSISTE TELEVISÃO 6,7% SIM NÃO 93,3% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Gráfico 23: TEMPO DIÁRIO QUE ASSISTE TELEVISÃO 7,9% 7,9% Não resposta MENOS QUE 1 HORA MAIS DE 1 ATÉ 2 HORAS 23,6% MAIS DE 2 ATÉ 4 HORAS 29,2% MAIS QUE 4 HORAS. 31,5%
  27. 27. 26 Projeto Político Pedagógico 2010 Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2005 Gráfico 24: PROGRAMAS PREFERIDOS NA TELEVISÃO 55,1% 47,2% 40,4% 23,6% 10,1% 4,5% NOTÍCIAS FILMES ESPORTE NOVELA OUTROS Não resposta Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2005 32,6% dos alunos dormem entre 5 e 6 horas por noite, 19,1% entre 7e 8 horas, 16,9% entre 6 e 7 horas, 3,4% dorme mais que 9 horas e 6,7% menosque 4 horas. Gráfico 25: VOCÊ DORME: 3,4% 6,7% MAIS DE 5 ATÉ 6 HORAS POR NOITE MAIS DE 7 ATÉ 8 HORAS POR NOITE 10,1% 32,6% MAIS DE 6 ATÉ 7 HORAS POR NOITE MAIS DE 8 ATÉ 9 HORAS POR NOITE MAIS DE 4 A 5 HORAS POR NOITE ATÉ 4 HORAS POR NOITE MAIS DE 9 HORAS POR NOITE. 11,2% 16,9% 19,1% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Quando perguntados se recebe ajuda familiar para desenvolver asatividades escolares 62,9% disseram que não recebem ajuda. De modo geral é amãe que acompanha o desempenho do filho, com 47,2% das respostas; 24,7%disseram que o pai acompanha o desempenho escolar entre outros.
  28. 28. 27 Projeto Político Pedagógico 2010 Gráfico 26: AJUDA 1,1% Não resposta SIM NÃO 36,0% 62,9% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Gráfico 27: FAMILIARES 47,2% 24,7% 24,7% 13,5% 5,6% 3,4% 1,1% MÃE PAI Não resposta OUTROS IRMÃOS TIOS AVÓS Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 Com relação ao uso da Internet aproximadamente 90% dos alunos do CEEPCastaldi declararam utilizar a Web, conforme o gráfico 28. Aproximadamente 32%dos alunos utilizam a Internet por mais de quatro horas diárias, 23,6% menos queuma hora diária e 23,6% entre uma e duas horas diárias. Gráfico 28: USA A INTERNET 10,1% SIM NÃO 89,9% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009
  29. 29. 28 Projeto Político Pedagógico 2010 Gráfico 29: TEMPO DIÁRIO QUE UTILIZA A INTERNET 9,0% MAIS QUE 4 HORAS. MENOS QUE 1 HORA 12,4% 31,5% MAIS DE 1 ATÉ 2 HORAS MAIS DE 2 ATÉ 4 HORAS Não resposta 23,6% 23,6% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009 58,4% dos alunos declaram ser de etnia branca; 25,8% dos alunos de etniaparda e 12,4% negra. Gráfico 30: ETNIA 1,1% BRANCA 25,8% AMARELA NEGRA PARDA INDÍGENA 58,4% 12,4% 2,2% Fonte: Questionário respondido pelos alunos – 2009
  30. 30. 29 Projeto Político Pedagógico 2010 4.9 - Auto-Avaliação Institucional1 Coeficiente Valor médio Não respostas Desvio-padrão de variação ORGÃOS COLEGIADOS DE GESTÃO 8 3 2,18 27 PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO 8,17 0 1,60 20 CONDIÇÕES FÍSICAS E MATERIAIS 7,33 0 2,52 34 PRÁTICA PEDAGÓGICA 7,7 0 2,09 27 AMBIENTE EDUCATIVO 7,37 0 2,57 35 A avaliação institucional foi realizada por 31 professores do CEEPCastaldi. Três deles disseram que desconhecem os órgãos colegiados, ou seja, oConselho Escolar, a Associação de Pais e Mestres (APMF), o Grêmio Estudantil e oConselho de Classe. A maior média atribuída pelos professores foi dada aos profissionaisda educação. A menor média foi atribuída às condições físicas e materiais, esse itemapresentou uma significativa variação entre os dados. O ambiente educativo tambémapresentou uma importante variação entre as notas atribuídas pelos professores.Esses dados demonstram que não há uma unidade com relação a avaliação dosprofessores sobre a instituição escolar. 1 Realizada em novembro de 2009.
  31. 31. 30 Projeto Político Pedagógico 2010 4.10 - Recursos Materiais e Físicos Descrição QuantidadeAMPERIMETRO DIGITAL 2AMPLIFICADOR 1ANTENA PARAB`LICA GMI 8498 - 08.07.97 1APARELHO DE AR CONDICIONADO SPRINGER 3ARMARIO 4ARMARIO AÇO 2 PORTAS E 4 PRATELEIRAS 6ARMARIO DE AÇO 20ARMARIO DE AÇO 02 PORTAS 7ARQUIVO DE AÇO 04 GAVETAS 31ARQUIVO DE AÇO 4 GAVETAS 5BALANCA 1BALANCA ANALITICA DE PRECISAO 3BALANCA ANTROPOMETRICA 2BALANCA PEDIATRICA 1BALANCA PLATAFORMA DIGITAL 1BALANCA PRECISAO 1BANCO/BANQUETA EM GERAL - MOBILIA 1BANQUETA ALTA FDE FORMICA 40BANQUETA DE MADEIRA 40BANQUETA EM METAL 45BANQUETAS (MOCHO) 3BOMBA DE VACUO 1BOMBA DE VACUO E COMPRESSOR DE AR 1CADEIRA (EMPILHAVEL) MONOBLOCO 1CADEIRA EM GERAL 1CADEIRA ESCOLAR EM GERAL 1CADEIRA ESCOLAR ESTRUTURA TUBULAR PRETA 2CADEIRA ESCOLAR ESTRUTURA TUBULAR VERDE 3CADEIRA ESCOLAR MODELO PREMEM 5CADEIRA ESTOFADA FIXA C 1 10CADEIRA ESTRUTURA TUBULAR PRETA 2CADEIRA ESTRUTURA TUBULAR VERDE (FDE/3) 1CADEIRA FDE/3 VERDE 1CADEIRA FIXA ESTOFADA SEM BRAÇO 61CADEIRA GIRATORIA 11CADEIRA MODELO PREMEM 2CADEIRA POLIPROPILENO ESTRUTURA TUBULAR 2CADEIRA SEC FIXA PRETA 21CADEIRA TUB.ASS/ENC.POL 1CADEIRA UNIVERSITARIA - PROEM 41CARTEIRA DO ALUNO FDE/3 VERDE 1
  32. 32. 31 Projeto Político Pedagógico 2010CARTEIRA ESCOLAR EM GERAL 1CARTEIRA ESCOLAR ESTRUTURA TUBULAR PRETA 4CARTEIRA ESCOLAR ESTRUTURA TUBULAR VERDE 2CARTEIRA ESCOLAR MODELO PREMEM 1CARTEIRA ESTRUTURA TUBULAR PRETA 1CARTEIRA ESTRUTURA TUBULAR VERDE (FDE/3) 1CARTEIRA MODELO PREMEM 2CENTRIFUGA ELETRICA MICROHEMATOCRITO 2CENTRIFUGA P/BUTIROMETROS 1CHAPA AQUECEDORA BIOMIXER 1COL.LIVROS FINANCAS/METODOL./ADM.CONT.LE 1COMPUTADOR PC 1CONJ.(7) LIVROS EVOLUCIONARIA M.ECONOMIC 1CONJUNTO CART/CAD. MOD. FDE/4 2CONJUNTO MACARICO P/SOLDA CORTE 1CONTADOR DE COLONIAS 1CONTROLADOR PROGRAMAVEL 10CONVERSOR CA TRIFASICO 10CONVERSOR CA/CC MICROPROCESSADO 5CONVERSOR TRIFASICO CA/CA 10COPIADORA - PROEM 1CPU 14CPU GRAPHICS 7DECADA CAPACITIVA 20DECADA RESISTIVA 20DEIONIZADOR COM VAZAO 50 L/H 1DESTILADOR 1DUPLICADORA 2ENC.LIVROS CODIGO PROTECAO E OUTROS 1ENC.LIVROS GERENCIA PROJETOS 1ENCICLOPEDIA 02 LIVROS CONTAB.GERENCIAL 1ENCICLOPEDIA LIVROS ANALISE CUSTO E OUTR 1ENCICLOPEDIA LIVROS AUTOMACAO E OUTROS 1ENCICLOPEDIA LIVROS GERENCIA PROJETOS E 1ESCRIVANINHA 19ESPETROFOTOMETRO DIGITAL 1ESTABILIZADOR DE VOLTAGEM 22ESTADIOMETRO PORTATIL P/TRANSPORTE 1ESTANTE 20ESTANTE DE AÇO 6 PRATELEIRAS 5ESTANTE DE AÇO C/07 PRATELEIRAS 4ESTUFA 2ESTUFA BACTERIOLOGICA 2ESTUFA DE SECAGEM E ESTERELIZACAO 3EXTINTOR DE INCENDIO 5
  33. 33. 32 Projeto Político Pedagógico 2010FICHARIOS 24FONTE FSCC-3006-D 20FORNO ELETRICO 2GERADOR DE FUNÇÃO 10GERADOR DE FUNÇÃO ( FUNCTION GENERATOR) 10HUB 1IMPRESSORA 5IMPRESSORA JATO DE TINTA 1IMPRESSORA JATO TINTA CANON 1IMPRESSORA LASER LEXMARK 1INCUBADORA PARA RECEM NATO 1LIQUIDIFICADOR INDUSTRIAL CAP. 8 LTS 1MAPOTECA 1MAQUINA DE ESCREVER MANUAL 18MEDIDOR DE LCR DIGITAL HOMIS 2MESA DE INFORMATICA 5MESA DE LEITURA 30MESA ESCOLAR PROFESSOR 8MESA ESCRIVANINHA C/03 GAVETAS 3MESA PARA IMPRESSORA 1MESA PARA MAQUINA DE ESCREVER 20MESA PARA MICRO 1MESA PARA REUNIAO 3MESA PARA TELEFONE 2MICROCOMPUTADOR GMI 9698-30/07/97 1MICROSCOPIO BINOCULAR 10MICROSCOPIO MONOCULAR 8MIMEOGRAFO 1MOINHO TIPO WILEY 1MONITOR / TERMINAL 1MONITOR PARA MICROCOMPUTADOR 37MOTOR DE CORRENTE CONTINUA 5MOTOR DE INDUÇÃO TRIFASICO 10MOTOR INDUÇÃO MONOFASICO 10MOTOR INDUÇÃO TRIFASICO 10MULTIMETRO 30MULTIMETRO DIGITAL MX-620 19OSCILOSCOPIO 10OSCILOSCOPIO ANALOGICO 10PAQUIMETRO 5PROJETOR 1PULVERIZADOR 1QUADRO NEGRO 22RACK PARA TV 29 18RECEPTOR DE SINAIS DE TV VIA SATELITE 1
  34. 34. 33 Projeto Político Pedagógico 2010RETROPROJETOR 2RETROPROJETOR GMI 6976 1RETROPROJETOR GMI6031 1ROCADEIRA 1SCANNER CANON 1SERVIDOR 1SERVIDOR INFO 2001 1SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROPROCESSAD 10SISTEMA TREINAMENTO EM MICROPROCESSADORA 10SUPORTE P/ TV E VIDEO GMI 9508-04/07/9 1SUPORTE TV E VIDEO 1SWITCH 24 P ENCORE 1TACOMETRO DIGITAL PORTATIL 1TECLADO 1TECLADO PARA MICROCOMPUTADOR 42TELEVISOR A CORES 1TELEVISOR COLORIDO 20 MARCA-CINERAL GM 1TELEVISOR COLORIDO 20" MARCA-PH.HITACHI 1TESTADOR CI-MIC-100 2TESTADOR E PROGRAMADOR UNIVERSAL MPT-100 5TV 29 POL.TELA PLANA ENT.USB 18UNIDADE DE DIGESTAO E REFLUX 1UNIDADE DE LABORATORIO LOGICO 10UNIDADE ELETROHIDRÁULICA 1UNIDADE ELETROPNEUMÁTICA 1VIDEO CASSETE MARCA-CCE MODELO-VCR30X 79 1VIDEO CASSETE MARCA-CINERAL MODELO-VCR 4 1WATTIMETRO DIGITAL ALICATE 2Total geral 1103
  35. 35. 34 Projeto Político Pedagógico 2010 5. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA E ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA 5.1 – Filosofia O CEEP – Professora Maria do Rosário Castaldi baseia o seuProjeto Político Pedagógico na Pedagogia Histórico Crítica como meio do processode construção social que qualifique o indivíduo e o eduque em bases científicas,bem como ético políticas. Neste contexto a formação humana, profissional e tecnológicareconhece os educandos que necessitam compreender o mundo reconhecendo quea verdade atual, de acordo com o processo evolutivo da ciência, da produçãohumana e da prática social em que está sujeito, e a partir disso transformar arealidade diante de uma nova manifestação científica. O comprometimento de uma escola pública de qualidade se definena democratização da gestão e no comprometimento da função docente e discentedo estabelecimento de ensino, buscando construir um processo participativo edemocrático, incorporando experiências que permitam elaborar conhecimentos epossibilidades, oportunizando o trânsito nas várias camadas da sociedade. 5.2 - Concepção de Educação Segundo Saviani (2008), a especificidade da educação é depertencer ao campo do “trabalho não-material”, que tem a ver com idéias, conceitos,valores, símbolos, hábitos, atitudes, habilidades. E é este trabalho intelectual ounão-material que representa as ciências humanas. No decorrer de todo o processohistórico educacional a educação se configurou tendo como preocupação central avisão de homem. O principal objetivo da educação é a socialização do saberhistoricamente produzido visando a formação de um cidadão crítico diante de suarealidade.
  36. 36. 35 Projeto Político Pedagógico 2010 A partir disto cabe, ao corpo docente como um todo, refletir sobrequal homem deseja formar por meio da educação, ou seja, se quer formar umindividuo critico, reflexivo, que tenha consciência de sua realidade e de todoprocesso histórico-cultural que está inserido, ou se deseja formar um homem queapenas reproduza o que a classe dominante lhe impõe. Devido este CEEP visar à formação básica e profissional éimportante ampliarmos a formação educacional de nossos alunos para que elestenham conhecimento de sua realidade, de todo processo histórico cultural em quefoi construído e no qual está inserido e assim não apenas aceitar o que lhe forimposto quando concluir sua formação e entrar no mundo do trabalho, mas sim quereflita sobre sua realidade e assim possa interferir nela tendo consciência de quetambém é um ser histórico e tem possibilidade de modificá-la. 5.3 - Princípios O Ensino Médio deste CEEP foi autorizado pela Resolução n°:4.688/86 de 31/10/1986. A última renovação de autorização desta modalidade deensino, para este CEEP, ocorreu por meio da Resolução nº. 4964/07 de 30/11/2007. Com relação aos Princípios e Fins da Educação Nacional a Lei LDBnº 9394/96, art. 2º preconiza que a educação é: (...) dever da família e do Estado, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. (BRASIL, 1996) Ainda segundo o artigo 3º da LDB 9394/96: O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; II - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber; III - pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas; IV - respeito à liberdade e apreço à tolerância; V - coexistência de instituições públicas e privadas de ensino; VI - gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais; VII - valorização do profissiona l da educação escolar;
  37. 37. 36 Projeto Político Pedagógico 2010 VIII - gestão democrática do ensino público, na forma desta Lei e da legislação dos sistemas de ensino; IX - garantia de padrão de qualidade; X - valorização da experiência extra-escolar; XI - vinculação entre a educação escolar, o trabalho e as práticas sociais. (BRASIL, 1996) Ainda segundo a LDB nº 9394/96, art. 22º a Educação Básica temcomo finalidades: desenvolver o educando, assegurar- lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores. (BRASIL, 1996) O artigo 35 da LDB nº 9394/96 estabelece que o Ensino Médio é aetapa final da educação básica e tem como finalidades: I- a consolidação e o aprofundamento dos conhecimentos internalizados no Ensino Fundamental, possibilitando o prosseguimento de estudos; II- a preparação e a orientação básica, continuada e diversificada para o trabalho e para o exercício ético da cidadania do educando, para que seja capaz de se adaptar com flexibilidade às novas condições de ocupação ou de aperfeiçoamento posteriores e integrar uma equipe; III- aprimoramento do educando como pessoa humana, incluindo a formação ética e religiosa, o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico, bem como da definição e da avaliação de metas para um aprendizado duradouro; IV- a compreensão dos fundamentos científico-tecnológicos dos processos produtivos, relacionando a teoria com a prática, no ensino de cada disciplina. (BRASIL, 1996) Com relação a Educação Profissional a LDB nº. 9394/96, por meiodo artigo 39 determina que a (...) educação profissional, integrada às diferentes formas de educação, ao trabalho, à ciência e à tecnologia, conduz ao permanente desenvolvimento de aptidões para a vida produtiva. Parágrafo único. O aluno matriculado ou egresso do ensino fundamental, médio e superior, bem como o trabalhador em geral, jovem ou adulto, contará com a possibilidade de acesso à educação profissional. Art. 40. A educação profissional será desenvolvida em articulação com o ensino regular ou por diferentes estratégias de educação continuada, em instituições especializadas ou no ambiente de trabalho. (BRASIL, 1996)
  38. 38. 37 Projeto Político Pedagógico 2010 As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional deNível Técnico é regulamentada por meio da Resolução CNE/CEB nº 04/00.Conforme o artigo 3º deste documento são: (...) princípios norteadores da Educação Profissional de nível técnico, além dos enunciados no art. 3° da LDB, os seguintes: I- independência e articulação com o Ensino Médio; II- respeito aos valores estéticos, políticos e éticos; III- desenvolvimento de competências para a laborabilidade; IV- flexibilidade, interdisciplinaridade e contextualização; V- identidade dos perfis profissionais de conclusão de curso; VI- atualização permanente dos cursos e currículos; VII- autonomia da escola em sua proposta pedagógica. (BRASIL, 1999) 5.4 - Objetivo do CEEP O CEEP Castaldi deve proporcionar aos alunos meios para oexercício da cidadania capacitando-os para lidar com todo o avanço tecnológico demodo que possam compor uma sociedade mais humana e ética. Desta forma o desenvolvimento das ações educativas deverá voltar-se para a concretização desse objetivo, fazendo com que a escola se firme como umlugar privilegiado para a construção do saber e da cidadania, possibilitando aosalunos um processo de inserção social, oferecendo-lhes instrumentos decompreensão entre a teoria e a prática para a apropriação do conhecimento e ainteração e participação de toda a comunidade escolar no processo educacional.Buscamos um trabalho coletivo com competência e seriedade, proporcionandoalternativas educacionais, que possibilite ao aluno sua permanência e seu sucessona escola. De acordo com Frigotto (2003) a concepção que orienta aorganização curricular incorpora a perspectiva de romper com a estrutura dual quetradicionalmente tem marcado o Ensino Médio, oferecendo ao aluno uma formaçãoomnilateral, portanto diversa da prevista pela lei 5692/71, ou seja: ultrapassando aformação unidimensional. “Educar para que os alunos conheçam tudo que temdireito e não apenas o que o mercado quer”.
  39. 39. 38 Projeto Político Pedagógico 2010 5.5 - Matriz Curricular A organização curricular dos cursos ofertados por esteestabelecimento, contempla a filosofia e as diretrizes da legislação vigente, osprogramas e conteúdos curriculares a serem ministrados em cada modalidade,calendário escolar e metodologias de ensino são homologadas pelo órgãocompetente da Secretaria de Estado da Educação. A estrutura curricular do Ensino Médio fundamenta-se por uma basenacional comum e uma parte específica que vai enriquecer e complementar a basenacional comum. As Diretrizes Curriculares do Estado do Paraná defendem umcurrículo baseado nas dimensões científica, artística e filosófica do conhecimentoque se explicita nos conteúdos das disciplinas de tradição curricular, ou seja: Arte,Biologia, Ciências, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, LínguaEstrangeira Moderna, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia.Conforme as diretrizes as disciplinas técnicas dos cursos de Ensino Médio Integradodevem orientar-se, também, por essa compreensão de conhecimento, pois a ciência,a técnica e a tecnologia são frutos do trabalho e produtos da prática social.Participam, portanto, dos saberes das disciplinas escolares. Nos cursos técnicos as disciplinas específicas devem ser integradasà base nacional comum por enriquecimento, ampliação, diversificação, podendoincluir todos os conteúdos da base nacional comum ou apenas parte deles, sendoobrigatório uma língua estrangeira. A organização curricular da educação profissional contém asfunções, sub-funções, competências, habilidades, bases tecnológicas, basescientificas e instrumentais, plano de estágio e quadro curricular. A educação profissional SUBSEQUENTE está organizada emsemestres, composta de conteúdos estabelecidos com a finalidade de melhorar ograu de desempenho profissional de ocupação definida no mundo do trabalho. A proposta da Secretaria Estadual de Educação que consta nasDiretrizes Curriculares defende o currículo como configurador da prática,fundamentado nas teorias críticas e com organização disciplinar. Porém
  40. 40. 39 Projeto Político Pedagógico 2010 o fato de se identificarem condicionamentos históricos e culturais, presentes no formato disciplinar de nosso sistema educativo, não impede a perspectiva interdisciplinar. Tal perspectiva se constitui, também, como concepção crítica de educação e, portanto, está necessariamente condicionada ao formato disciplinar, ou seja, à forma como o conhecimento é produzido, selecionado, difundido e apropriado em áreas que dialogam mas que constituem-se em suas especificidades. (PARANÁ, 2008, p.20) 5.6 – Calendário Este estabelecimento de ensino elabora anualmente o calendárioescolar, atendendo ao disposto na legislação vigente e Instrução específica daSEED, propondo para apreciação do Conselho Escolar e encaminhandoposteriormente ao NRE para homologação. As alterações no calendário escolar por ventura necessárias pormotivos relevantes, serão encaminhadas ao NRE em tempo hábil para asprovidências cabíveis. Além dos dias previstos para a carga horária mínima exigida, esteCEEP realiza reuniões pedagógicas bimestrais, e ainda, também bimestralmente,reuniões com os pais, líderes comunitários para avaliação do trabalho desenvolvido. 5.7 – Projetos Projetos integrados ao Projeto Político Pedagógico: CELEM Semana da Humanidades Junior Achievement ExpoCEEP - modalidade integrado e subsequente Projeto Valorizando Vidas (15 minutos com Jesus) Ciclo de palestras do ADM Projeto Viva a Escola Programa do adolescente em conflito com a lei (Adolescente Aprendiz) Os projetos propriamente ditos encontram-se nos anexos desteProjeto Político Pedagógico.
  41. 41. 40 Projeto Político Pedagógico 2010 5.8 - Avaliação A avaliação deve ser entendida como um dos aspectos do ensinopelo qual o professor analisa e interpreta os dados da aprendizagem e de seupróprio trabalho, com as finalidades de acompanhar e aperfeiçoar o processo deaprendizagem dos alunos, bem como diagnosticar seus resultados e atribuir-lhesvalor. A avaliação deve: dar condições para que seja possível ao professor tomardecisões quanto ao aperfeiçoamento das situações de ensino e aprendizagem. proporcionar dados que permitam ao estabelecimento deensino promover a reformulação do currículo com adequação dos conteúdos emétodos de ensino. possibilitar novas alternativas para o planejamento do CEEP edo ensino como um todo. Os critérios de avaliação do aproveitamento escolar são elaboradosem consonância com a organização curricular deste estabelecimento de ensino. A avaliação do aproveitamento escolar deverá incidir sobre odesempenho do aluno em diferentes situações de aprendizagem, utilizando técnicase instrumentos diversificados, sendo vedado um único momento de avaliação,utilizando-se de procedimentos que permita a análise dos critérios de avaliaçãoelaborados de acordo com o conteúdo de cada disciplina, refletindo na práticapedagógica, considerando aspectos qualitativos da aprendizagem, ainterdisciplinaridade e multidisciplinaridade, que possibilite a atividade crítica ecriativa, a autoconfiança e a capacidade de síntese. Para que a avaliação cumpra sua finalidade deverá ser contínua,permanente e cumulativa, distribuída com 60% da nota em avaliação escrita eindividual e 40% em atividades diversificadas (seminários, trabalhos em equipes,apresentações de pesquisas, resoluções de exercícios, entre outros) a critério decada docente. A avaliação do ensino de Educação Física e de Arte adotaráprocedimentos próprios, visando ao desenvolvimento formativo e cultural do aluno,
  42. 42. 41 Projeto Político Pedagógico 2010levando em consideração a capacidade individual, o desempenho do aluno e suaparticipação nas atividades realizadas. O processo avaliativo deve obedecer a ordenação e a sequência doensino e da aprendizagem, bem como a orientação das Diretrizes Curriculares doEstado do Paraná. Visando os resultados obtidos durante o período letivo, por meiode um processo contínuo, cujo resultado final venha incorporá-los, demonstrando oaproveitamento escolar. Todo instrumento de avaliação deve ser registrado emdocumentos próprios, a fim de assegurar a regularidade e a autenticidade da vidaescolar do aluno. ENSINO MÉDIO E ENSINO MÉDIO INTEGRADO O rendimento mínimo exigido para aprovação no Ensino Médio é anota 6,0 (seis vírgula zero) por área de estudo ou disciplina. A nota do bimestre será resultante da somatória dos valoresatribuídos em cada instrumento de avaliação. O resultado da avaliação no Ensino Médio será expresso por meiode notas numa escala de 0 (zero) a 10,0 (dez vírgula zero). Os resultados bimestrais serão comunicados aos pais ouresponsáveis por intermédio de boletins e reuniões de pais. CURSOS TÉCNICOS SUBSEQUENTES O rendimento mínimo exigido para aprovação nas disciplinas domódulo ofertado nos Cursos Técnicos é nota 6,0 (seis vírgula zero). Caso o alunonão atinja a nota mínima deverá fazer a recuperação de estudos. Entre a nota daavaliação e da recuperação, prevalecerá sempre a maior. Nos Cursos Técnicos, a nota da disciplina ofertada no semestre seráresultante da somatória dos valores atribuídos em cada instrumento de avaliação,conforme a Deliberação da 002/2000. O resultado da avaliação nos Cursos Profissionais será expresso pornotas numa escala de 0 (zero) a 10,0 (dez vírgula zero).
  43. 43. 42 Projeto Político Pedagógico 2010 Os resultados finais das disciplinas ofertadas serão comunicados emedital.5.8.1 – Recuperação de Estudos A recuperação de estudos é um dos aspectos da aprendizagem noseu desenvolvimento contínuo, na qual o aluno, com aproveitamento insuficiente,dispõe de condições que lhe possibilite a retomada de conteúdos básicos. Deverá constituir um conjunto integrado ao processo de ensinoadequado às dificuldades dos alunos. Os resultados da recuperação deverão incorporar-se aos dasavaliações efetuadas durante o período letivo, constituindo-se em um componentedo aproveitamento escolar. Para os alunos de baixo rendimento escolar será proporcionadarecuperação de forma concomitante ao longo do período letivo, ou semestre, nocaso dos Cursos Técnicos. Na recuperação de estudos, o professor considera a aprendizagemdo aluno no decorrer do processo para aferição do bimestre no Ensino Médio e dadisciplina ofertada no Ensino Profissional, entre a nota da avaliação e darecuperação, prevalecerá sempre a maior. Os registros dos conteúdos e avaliações de recuperação constarãono livro registro de classe do professor. Os resultados finais do Ensino Médio e do Ensino Profissional serãocomunicados aos alunos e/ou responsáveis em edital.5.8.2 – Promoção A avaliação final deverá considerar, para efeito de promoção, todosos resultados obtidos durante o período letivo , incluída a recuperação de estudos. Encerrado o processo de avaliação, este estabelecimento registraráno histórico do aluno, sua condição de aprovado ou reprovado.
  44. 44. 43 Projeto Político Pedagógico 2010 A promoção resultará da combinação do resultado doaproveitamento escolar do aluno, expresso na forma de escala de notas de 0 (zero)a 10,0 (dez vírgula zero) e da apuração da assiduidade. Após a apuração dos resultados finais de aproveitamento efreqüência no Ensino Médio, serão definidas as situações de aprovação oureprovação dos alunos. I – será considerado aprovado o aluno que apresentar: a) no Ensino Médio a freqüência igual ou superior a 75% (setentae cinco por cento) do total da carga horária do período letivo e média anual igual ousuperior a 6,0 (seis vírgula zero); resultante da média aritmética dos bimestres nasrespectivas disciplinas, como segue: 1º B 2º B 3º B 4º B MA 6,0 4 b) no Ensino Profissional a freqüência igual ou superior a 75%(setenta e cinco por cento) do total da carga horária do período letivo e média finalda disciplina / módulo igual ou superior a 6,0 (seis vírgula zero), resultante da somadas avaliações consecutivas aplicadas dentro do período letivo das disciplinas /semestre. II – será considerado reprovado o aluno que apresentar: a) no Ensino Médio a freqüência inferior a 75% (setenta e cincopor cento) sobre o total da carga horária do período letivo e média anual inferior a6,0 (seis vírgula zero). b) no Ensino Profissional a freqüência inferior a 75% (setenta ecinco por cento) sobre o total da carga horária do período letivo e média final inferiora 6,0 (seis vírgula zero) na disciplina. O aluno que apresentar freqüência igual ou superior a 75% (setentae cinco por cento) e média anual inferior a 6,0 (seis vírgula zero) no Ensino Médio,mesmo após os estudos de recuperação paralela, ao longo da série ou períodoletivo, será submetido à análise do Conselho de Classe que definirá pela sua

×