PRÉ-PROJETO DE MONOGRAFIA - CONSTRUÇÃO DA IMAGEM SOCIAL DOS CAMINHONEIROS:  A ROTINA E AS DIFICULDADES DOS PROFISSIONAIS QUE   ATUAM NO TRANSPORTE DE CARGAS NO ESPÍRITO SANTO - CAMILA BELLON BOTACIN - UFES
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

PRÉ-PROJETO DE MONOGRAFIA - CONSTRUÇÃO DA IMAGEM SOCIAL DOS CAMINHONEIROS: A ROTINA E AS DIFICULDADES DOS PROFISSIONAIS QUE ATUAM NO TRANSPORTE DE CARGAS NO ESPÍRITO SANTO - CAMILA BELLON BOTACIN - UFES

on

  • 1,115 views

Projeto de Pesquisa apresentado Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Espírito Santo como requisito parcial para elaboração da monografia de conclusão do curso de ...

Projeto de Pesquisa apresentado Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Espírito Santo como requisito parcial para elaboração da monografia de conclusão do curso de graduação em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, tendo como orientador de conteúdo a professora Doutora Renata de Ribeiro Rezende

Statistics

Views

Total Views
1,115
Views on SlideShare
1,085
Embed Views
30

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

3 Embeds 30

http://sagaheroisdoasfalto.blogspot.com.br 28
http://sagaheroisdoasfalto.blogspot.com 1
http://plus.url.google.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

PRÉ-PROJETO DE MONOGRAFIA - CONSTRUÇÃO DA IMAGEM SOCIAL DOS CAMINHONEIROS:  A ROTINA E AS DIFICULDADES DOS PROFISSIONAIS QUE   ATUAM NO TRANSPORTE DE CARGAS NO ESPÍRITO SANTO - CAMILA BELLON BOTACIN - UFES PRÉ-PROJETO DE MONOGRAFIA - CONSTRUÇÃO DA IMAGEM SOCIAL DOS CAMINHONEIROS: A ROTINA E AS DIFICULDADES DOS PROFISSIONAIS QUE ATUAM NO TRANSPORTE DE CARGAS NO ESPÍRITO SANTO - CAMILA BELLON BOTACIN - UFES Document Transcript

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE ARTES DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL CONSTRUÇÃO DA IMAGEM SOCIAL DOS CAMINHONEIROS: A ROTINA E AS DIFICULDADES DOS PROFISSIONAIS QUE ATUAM NO TRANSPORTE DE CARGAS NO ESPÍRITO SANTO CAMILA BELLON BOTACIN VITÓRIA AGOSTO DE 2010 1
  • CAMILA BELLON BOTACIN CONSTRUÇÃO DA IMAGEM SOCIAL DOS CAMINHONEIROS: A ROTINA E AS DIFICULDADES DOS PROFISSIONAIS QUE ATUAM NO TRANSPORTE DE CARGAS NO ESPÍRITO SANTO Projeto de Pesquisa apresentado Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Espírito Santo como requisito parcial para elaboração da monografia de conclusão do curso de graduação em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, tendo como orientador de conteúdo o Professor Doutor José Antônio Martinuzzo UFES VITÓRIA AGOSTO DE 2010 2
  • SUMÁRIO CONSTRUÇÃO DA IMAGEM SOCIAL DOS CAMINHONEIROS:.................................1 A ROTINA E AS DIFICULDADES DOS PROFISSIONAIS QUE ATUAM NO TRANSPORTE DE CARGAS NO ESPÍRITO SANTO........................................................1 VITÓRIA............................................................................................................................1 AGOSTO DE 2010.............................................................................................................1 CAMILA BELLON BOTACIN.........................................................................................2 CONSTRUÇÃO DA IMAGEM SOCIAL DOS CAMINHONEIROS:.................................2 A ROTINA E AS DIFICULDADES DOS PROFISSIONAIS QUE ATUAM NO TRANSPORTE DE CARGAS NO ESPÍRITO SANTO........................................................2 AGOSTO DE 2010.............................................................................................................2 1 INTRODUÇÃO...................................................................................................................4 2 OBJETIVO GERAL............................................................................................................6 3 OBJETIVOS ESPECÍFICOS...............................................................................................7 4 JUSTIFICATIVA.................................................................................................................8 5 METODOLOGIA................................................................................................................9 6 CRONOGRAMA ..............................................................................................................10 7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...............................................................................12 3
  • 1 INTRODUÇÃO A atividade de transportar cargas é imprescindível para o desenvolvimento da economia brasileira. A maior parte do transporte realizado no país é feito por vias terrestres, principalmente por meio de caminhões e carretas, que levam desde matéria prima para as indústrias até os produtos já prontos para o consumo. O transporte rodoviário de cargas se estabelece, portanto, como um dos mais importantes fatores que contribuem para o crescimento do Brasil. Os trabalhadores que atuam no transporte rodoviário de cargas enfrentam inúmeros problemas em sua rotina. As dificuldades vão desde a falta de infraestrutura e a situação precária das rodovias públicas até o descaso com os direitos do trabalhador, levando em consideração a extensa e cansativa carga horária de trabalho e os baixos salários oferecidos pelo mercado. Além disso, existem problemas sociais que rodeiam a classe dos motoristas rodoviários, como a prostituição nas estradas e a corrupção policial, que são relatados pelos trabalhadores e que dificilmente são retratados na mídia. Com exceção de alguns programas televisivos ou revistas voltadas para o público caminhoneiro, os problemas enfrentados por esta classe raramente são expostos pela imprensa. O livroreportagem é um veículo que permite dar amplitude a assuntos de relevância e que necessitam de um maior espaço. Pode ser definido como veículo de comunicação impressa não-periódico que apresenta reportagens com grau de amplitude superior ao tratamento costumeiro dos meios de comunicação jornalística periódicos. Esse “grau de amplitude superior” pode ser entendido no sentido de maior ênfase de tratamento ao tema focalizado (LIMA, 2004, p.26) 4
  • A forma de expressão do livoreportagem é um meio eficaz para trabalhar a problemática acerca dos trabalhadores do transporte de cargas no Espírito Santo, já que permite o desenvolvimento das temáticas com ênfase em alguns pontos que dificilamente teriam espaço em outras mídias. 5
  • 2 OBJETIVO GERAL O objetivo do presente trabalho é descrever, por meio de um livroreportagem, o dia a dia dos motoristas que transportam cargas. Os capítulos serão escritos a partir de relatos dos próprios trabalhadores, e cada capítulo irá representar um dos problemas vivenciados pelos caminhoneiros em sua rotina de trabalho, com a finalidade de expor à sociedade os bastidores dessa profissão. 6
  • 3 OBJETIVOS ESPECÍFICOS Levantar informações sobre a rotina dos caminhoneiros, suas dificuldades e necessidades através de entrevistas; Descrever os relatos coletados em forma de capítulos para a construção de um livroreportagem; Expor, através dos relatos, como é a rotina do trabalhador em questão; Determinar qual é a visão que a sociedade tem dos caminhoneiros e confrontar com o ponto de vista dos próprios trabalhadores da área. 7
  • 4 JUSTIFICATIVA A jornada de trabalho de um motorista de caminhão envolve vários problemas sociais, detre eles as condições precárias das estradas, a carga horária de trabalho excessiva, a polícia corrupta, a prostituição, entre outros. Alguns desses problemas são abordados pela imprensa separadamente, mas não são relacionados ao ramo dos transportes, onde eles se agrupam. A coleta de relatos e divulgação do que é vivenciado pelos caminhoneiros, bem como a procura por respostas para os problemas descritos por eles junto aos órgãos responsáveis pode proporcionar melhorias, provenientes da conscientização da população pela observação das necessidades expostas ou mesmo iniciar uma cobrança por melhores condições para todos os envolvidos por parte dos governantes. Essas melhorias, que inicialmente são voltadas diretamente aos caminhoneiros, na verdade refletem em toda a sociedade, já que, além de serem a base da economia do país, há outras pessoas envolvidas indiretamente com a profissão e que dependem dela para levar seus negócios adiante. O livroreportagem é uma forma de jornalismo muito agradável para desenvolver temas extensos e que necessitam de mais espaço do que uma simples reportagem para serem esclarecidos. Por esse motivo, a escolha da produção de um livroreportagem se torna viável para debater o assunto em questão, já que também se enquadra em minhas preferências de formato jornalístico. 8
  • 5 METODOLOGIA A pesquisa que irá embasar o livroreportagem é de campo, incluindo visitas ao local de trabalho e entrevistas com os personagens. O levantamento das fontes será realizado com o auxílio de profissionais que atuam no ramo do transporte de cargas, e, a partir dos contatos realizados, a comunicação com os personagens será efetivada com agendamento de entrevista e visita. As entrevistas serão gravadas em áudio e transcritas, e os relatos dos personagens vão ser distribuídos de acordo com a temática de cada capítulo. Todo o conteúdo proveniente das fontes será documentado. A aquisição do conhecimento, portanto, será primeiramente pelo levantamento das fontes e depois através de visitas agendadas e entrevistas, bem como recolhimento de material que pode auxiliar como complementação das informações. Durante o período de uma semana, um personagem será entrevistado, seu relato documentado e separado por tema. Após a coleta das informações, os capítulos serão desenvolvidos com base nos depoimentos dos trabalhadores. À medida que cada capítulo for escrito e os depoimentos agregados por temas, o roteiro será organizado com auxílio do orientador e a revisão e edição serão feitas. 9
  • 6 CRONOGRAMA O primeiro mês de prática do projeto será voltado exclusivamente à leitura da bibliografia de referência e à procura de fontes, para estabelecer o primeiro contator o e agendar entrevistas. Nos meses seguintes ainda será possível incluir novos personagens no roteiro, já que o esperado é realizar no mínimo uma entrevista a cada semana. A análise dos dados consiste na transcrição das entrevistas na íntegra e, a partir daí, a elaboração dos capítulos com base nos depoimentos colhidos. Esse trabalho será feito por partes, ou seja, na medida que os depoimentos são transcritos e separados por temática, os capítulos do livroreportagem serão escritos. A organização do roteiro será feita progressivamente, respeitando o tempo de coleta de dados e os resultados obtidos por meio das entrevistas. No mês de outubro, a previsão é de que os capítulos já estejam em ordem, escritos e finalizados, para o início do trabalho de revisão e edição, que se dará a partir de novembro. A entrega da monografia será em novembro, com o projeto e o livroreportagem finalizados e revistos pelo professor orientador. TABELA 1. Cronograma de atividades MES/ETAPAS AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO Apresentação do projeto X Coleta de dados X X X X Análise dos dados X X X Organização do roteiro/partes X X 10
  • Redação do trabalho X X Revisão e redação final X X Entrega da monografia X Defesa da monografia X 11
  • 7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BELO, Eduardo. Livro-reportagem. Contexto, 2006. DEMO, Pedro. Pesquisa participante: saber pensar e intervir juntos. Brasília: Liber Livro, 2004. Série Pesquisa em Educação, v. 8. FERREIRA, Carlos Rogé. Literatura e jornalismo: práticas políticas. Edusp, 2004. GALENO, Alex. Jornalismo e literatura: a sedução da palavra. Escrituras, 2003. LAGE, Nilson. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. Rio de Janeiro: Record, 2005. LIMA, Edvaldo Pereira. O que é livro-reportagem. Brasiliense, 1993. PROSE, Francine. Para ler como um escritor. Jorge Zahar, 2008. WOLFE, Tom. Radical chique e o novo jornalismo. Companhia das Letras, 2005. 12