Csu Institucional 1T11

895 views
741 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
895
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Csu Institucional 1T11

  1. 1. Apresentação Institucional 1T11
  2. 2. CSU: líder em tecnologia e serviços de BPO no Brasil Base com mais de 24 milhões de cartões Maior processadora independente de 55% de market share entre processadoras meios eletrônicos de pagamento da independentes América Latina 20 anos de customizações focadas no mercado Soluções completas em BPO brasileiro (Terceirização de Processos de Negócio) para emissores e adquirentes de Equipe de inteligência de mercado para transações eletrônicas de pagamento maximizar a rentabilidade da base de cartões dos clientes Relançamento dos serviços de infraestrutura e gestão de contact 3.918 posições de atendimento prestando center e soluções BPO serviços receptivos (SAC e HelpDesk) e ativos (Televendas e Cobrança) Melhor e mais eficiente site de contact center (Alphaview) da América Latina)Composição da Receita (últimos 12 meses)(em % do faturamento) CSU Contact 45% CSU CardSystem 55% 2
  3. 3. Histórico consistente de crescimento rentável Pioneirismo e consolidação do modelo de Diversificação de negócios Crescimento negócios e clientes sustentável 5x EBITDA e 4x Receita Líquida Relançamento da CSU Contact: novo site Lançamento de solução Entrada de Criação do para o mercado de Prêmio Marketing investidor Instituto CSU adquirência Best do Século profissional em Private Equity Início dasCSU: primeira Lançamento CSU operações de R$ 395processadora dos primeiros desenvolve Contact Centerindependente Private Labels voucher R$ 314de cartões no eletrônico IPO R$ 383Brasil Primeira empresa a trabalhar com 3 bandeiras globais R$ 96 +50% market EBITDA 15 anos com 15 milhões share no Receita Líquida (em R$ milhões) de cartões administrados Brasil 3
  4. 4. Clientes renomados em todos os segmentos de mercado Receita Líquida (2010) Bancos Financeiras (% do total receita)Seguro e ConvergênciaSaúdeVarejo eIndústria 4
  5. 5. • O mercado brasileiro de cartões tem experimentado um forte crescimento nos últimos anos (+17%) • A participação do cartão nos gastos das famílias brasileiras aumentou de 8% em 1999 para 25% em 2010. Espera-se que atinja 55% em 2025. Número de Cartões (milhões) Representatividade dos Cartões no e Número de Transações (bilhões) Consumo Doméstico (% do total) CAGR 04- CAGR 04- 10E 10E 17% 20%700 8,00 628 55%600 565 7,00 514 7,13 6,11 6,00 45%500 453 5,32 38% 388 5,00 4,43400 336 31% 4,00 277 3,70 25%300 222 3,16 3,00 183 2,52200 151 1,94 2,00 1,63100 1,37 1,00 0 0,00 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010* 2010 2013 2017 2020 2025 Fonte: ABECS 5
  6. 6. Cadeia de pagamento eletrônico Dinheiro Dinheiro Bandeiras Solicitação de Solicitação aprovação de Aprovação Aprovação aprovação Emissores (Bancos e Varejistas) Adquirentes Captura deDinheiro Cartão /Fatura transações Dinheiro eletrônicas Transações comerciais Portadores de Cartão Estabelecimentos Comerciais 6
  7. 7. CSU oferece soluções completas para emissores de cartões • Informações Financeiras • Autorização • Intercâmbio • MIS • Processamento de Transações • Contact Center Eletrônicas • Contabilidade Bandeiras • Processamento • Prevenção de Fraudes • Controle Operacional Emissores (Clientes da CSU) Adquirentes A CSU tem um papel • Faturas central no negócio de • Faturamento • Resolução de disputa transações eletrônicas • Suporte aos clientes no Brasil.Portadores de Cartão Estabelecimentos Comerciais 7
  8. 8. • O mercado brasileiro de adquirência está com nova regulamentação: Situação Anterior Situação Atual • Duas adquirentes dominavam o • Mercado aberto à concorrência mercado brasileiro • Acordos de exclusividade com a Autoridades Visa e MasterCard limitavam a antitruste forçaram o competitividade final do acordo de Oportunidade exclusividade em • Lucros extraordinários são gerados • Novos entrantes no mercado Julho/10 pelos adquirentes brasileiro Número de Transações (unidades)Lucro Liquido e Margem Liquida de 2010 e Adquirentes (bilhões de unidades)(milhões US$/%) 1098 58,116 62.713 840 7,701 8.185 5,322 6.110 103 0,801 405 2 10 12 45,8 53,5 194 105 0,851 12 10 USA 2 Brasil Reino Unido México 7,7 11,3 U.S.A. Número Brasil de Transações (bilhões/2008) México Reino Unido Cielo Redecard Fidelity TSYS Lucro Líquido Margem Líquida Número de Adquirentes Número de Transações Número de Adquirentes 8Fonte: Relatório Anual das Companhias Fonte: BIS, Bancos Centrais e ABECS
  9. 9. CSU oferece um pacote completo de serviços de processamento para adquirentes e lojistas Novos Serviços • Gestão da operação • Autorização • Faturas Bandeiras • Network • Contabilidade • Processamento • Back Office • MIS Emissores Adquirentes (Clientes da CSU) (Clientes da CSU) • Captura Network (POS) • Contact Center • Resolução de disputas • FaturasPortadores de Cartões Estabelecimentos Comerciais 9
  10. 10. Demanda brasileira por tipo de contratante • Mercado estimado em R$ 12 bi no Brasil em 2011, com CAGR de 12/13% a.a. para os próximos anos; (em R$ milhões) Financeiro 6.430 • Crescimento na demanda por atendimento ao Convergência 3.980 consumidor; Varejo 424 Indústria 355 • Reconhecimento dos provedores com melhor Serviços 239 capacidade de cumprir SLA’s contratados; Seguros 208 • Crescimento contínuo dos serviços de cobrança, Utilities 165 televendas e atendimento presencial; Governo 117 Saúde 34 • Incorporação da Dedic pela Contax.Demanda brasileira por tipo de serviço Market Share(em % do faturamento) (em % do faturamento) Escritórios de Cobrança Atendimento Cobrança 23% Contax 21% 38% ao Cliente 40% Demais Call Centers Atento 18% 22% Outros Teleperformance Tivit 4% Telemarketing Dedic 4% serviços 3% 15% Algar 3% 7% CSU 2% 10
  11. 11. Estratégia sustentada por plataforma diferenciada TECNOLOGIA INDEPENDÊNCIA• Infraestrutura flexível, segura e DESEMPENHO robusta (mainframe) • Controle societário• Sistemas e aplicativos de classe independente, sem atividades mundial, totalmente • Time to market acelerado comerciais que compete com personalizados para o mercado para novos clientes clientes atuais e potenciais brasileiro • Equipes comerciais dedicadas a • Custos operacionais mais• Equipe de profissionais baixos alavancados por cada linha de negócio altamente qualificados ganhos de escala • Primeira empresa a receber a• Inovação e novos produtos, em • Infraestrutura excelente e certificação da MasterCard para meio a uma variedade completa instalações operacionais fornecer serviços para de soluções superiores adquirentes • Oportunidades para diversas parcerias e fusões e aquisições 11
  12. 12. Estratégia de crescimento com rentabilidade sustentável Continuar investindo em Continuar expandindo no tecnologia e segmento de emissores desenvolvimento de de cartão: software: orgânico + inorgânico vantagem competitivaRelançar soluções e ampliar Melhorar e expandir vendas em inteligência de contact center/BPO e mercado e gestão de aumentar rentabilidade:relacionamento com cliente auto-sustentávelserviços de valor agregado Consolidar posicionamento no segmento de adquirência: crescimento em greenfield 12
  13. 13. Investimentos consistentes e redução na dívida líquida Capex (em RS milhões) • A CSU continuamente investe um mínimo de 6/7% da receita líquida em 21,0 11,4 sua plataforma tecnológica 2,2 13,9 4,3 • Aumento nos investimentos na CSU 29,2 Contact com objetivo de implementar 25,9 26,0 21,1 15,0 as operações dos novos contratos 2006 2007 2008 2009 2010 Sof tware e Hardware OutrosDívida Líquida e Dívida Líquida/EBITDA(em R$ milhões e índice) • Redução significativa no endividamento líquido nos últimos 2 anos 109,1 95,0 • Plano de investimentos de 2011 pode 3,2x 59,5 55,5 demandar ampliação no endividamento 21,6 0,7x 23,8 30,9 e otimização na estrutura de capital, 1,5x 1,5x0,4x 0,3x 0,4x gerando mais valor ao negócio. 2005 2006 2007 2008 2009 2010 1T11 13
  14. 14. Geração de Caixa Geração operacional de caixa: R$ 11,1 milhões• Redução na dívida líquida de R$ 49,2 milhões para R$ 30,9 milhões;• Saldo de caixa: R$ 21,3 milhões;• Intensificação do programa de recompra de ações CARD3;• Distribuição de proventos aos acionistas, equivalentes a 50% de payout: • JCP de R$ 7,8 milhões pagos em janeiro • Dividendos de R$ 8,0 milhões a serem pagos em maio 14
  15. 15. Consistente recuperação da rentabilidadeReceita Líquida(em R$ milhões) 395 383 • Projetos recém implantados terão 364 318 319 importante contribuição para a receita a partir do 2T11 93 2006 2007 2008 2009 2010 1T11 • Ampliação no lucro brutoEvolução da Rentabilidade • Forte geração de caixa mensurada pelo(em R$ milhões) EBITDA 106,0 • Segundo ano de geração de lucro líquido 114,6 recorde: 73,7 78,9 78,1 46,3 45,5 • Distribuição de dividendos 64,4 17,0 33,1 • Programa de recompra de ações 39,3 33,9 6,7 • Investimento contínuo2006 2007 2008 2009 2010 -11,1 -6,3 • Redução do endividamento Lucro bruto Lucro liquido EBITDA 15
  16. 16. -> forte desempenho operacionalCartões Faturados e Cadastrados – Fim de Período(milhões de unidades) • Histórico de crescimento da base de cartões, 24,3 24,1 apesar da saída pontual de clientes; 20,9 20,1 20,6 • Investimento continuo em tecnologia e escala 17,0 17,3 16,4 resultam em maiores margens; • Ganhos de alavancagem operacional são compartilhados com clientes a fim de aumentar a fidelidade e desestimular a concorrência. 2008 2009 2010 1T11 CADASTRADOS FATURADOSReceita Bruta Lucro Bruto e Margem Bruta(em R$ milhões) (em R$ milhões e % da receita líquida) 253,7 240,8 213,9 103,3 156,7 159,2 94,3 71,2 54,4 50,9 46,3% 21,1 36,0% 40,4% 49,8 37,7% 34,4% 45,7% 2006 2007 2008 2009 2010 1T11 2006 2007 2008 2009 2010 1T11 16
  17. 17. -> posicionada para um crescimento rentávelNúmero de posições de atendimento(em unidades) • Está entre os 10 maiores contact centers do Brasil; • Importantes mudanças estruturais concluídas em 4.283 4.796 2010 para fortalecer o reposicionamento; 4.225 3.757 3.918 3.494 • Criação efetiva de uma unidade de negócios; • Equipe de vendas dedicada: novas ofertas e base de clientes potenciais expandida; • Profissionais de RH especializados: atividade intensiva 2006 2007 2008 2009 2010 1T11 em mão de obra. Lucro Bruto e Margem Bruta (em R$ milhões e % da receita líquida)Receita Bruta(em R$ milhões) 11,6 11,3 197,6 174,3 177,2 172,7 171,9 7,20% 7,00% 2,4 0,9 1,1 1,50% 50,7 0,50% 2,34% 2006 2007 2008 2009 2010 1T11 -3,20% 2006 2007 2008 2009 2010 1T11 -5,4 17
  18. 18. Informações Financeiras Consolidadas (Em R$ milhões ) 2006 2007 2008 2009 2010 1T10 1T11 Receita Líquida 317.9 318.6 363.7 394.8 383.3 97.339 93.452Lucro Bruto 46.3 45.5 73.7 106 114.6 31.259 22.165Margem Bruta 14.6% 14.3% 20.3% 26.8% 29.9% 32,1% 23,7% 54.4 50.9 71.2 94.3 103.3 26.632 21.058 Margem Bruta 37.7% 34.4% 36.0% 40.4% 46.3% 44,8% 45,7% -8.1 -5.4 2.4 11.6 11.3 4.627 1.107 Margem Bruta 0.5% -3.2% 1.5% 7.2% 7.0% 12,2% 2,3% EBITDA 39.2 33.9 64.4 78.9 78.1 20.749 14.400 Lucro Líquido -16.9 -6.3 9.5 16.9 33.1 7.961 4.414 Dívida Líquida 59.5 109.1 95.0 55.5 23.8 49,2 30,9 Capex 28.9 46.9 25.4 40.6 28.5 7.521 10.159 18
  19. 19. CARD3 é negociada em níveis inferiores ao mercado Receita Liq Margem Margem Margem Nome (US$ milhões - Bruta EBITDA Líquida EV/EBITDA P/L 2010) (%) (%) (%) 2458,6 69,0 62,0 45,3 8,4 11,6 10522,5 67,9 19,6 -9,5 - - 1765,1 64,5 22,1 10,5 8,3 21,4 1606 73,3 58,0 50,8 11,2 12,0 1736,4 - 27,0 11,0 7,9 19,2 Média do Segmento 3617,7 68,7 37,7 21,6 9,0 16,1 1514,0 14,8 11,4 3,9 5,7 15,9 2202,0 38,3 1,0 -2,4 71,8 - 594,6 25,0 18,2 7,3 - - Média do Segmento 1436,9 26,0 10,2 2,9 38,8 15,9 233,0 27,8% 18,9% 7,8% 3,8 8,21. Dados correntes: Últimos 12 meses - Último balanço e DRE - base 16/mai/20112. Metodologia para cálculo do EBITDA padronizada pela Economática 19
  20. 20. Alto nível de Governança Corporativa100% ações ordinárias e 44% de free floatNovo Mercado (100% Tag Along e não possui Poison Pills)Maioria de membros independentes no ConselhoConselho FiscalTrês membros, sendo um escolhido pelos acionistas minoritáriosSólida cultura de relacionamento com investidoresInvestimento de fundos de Private Equity desde 1997Área de controles internos bem estruturadaRemuneração variável atrelada a ações para executivosAlinhamento de interesses entre administração e acionistasBraço de sustentabilidade ativo atuante (Instituto CSU) 20
  21. 21. Organograma CSU – Diretoria Executiva Diretor Presidente CSU Diretor Diretor Financeiro/ Diretor de RI e Diretor de Diretor Geral Desenvolvimento Comercial Jurídico/RH e Operações CSU Contact CorporativoCSU CardSystem Controladoria 21
  22. 22. Mônica Hojaij Carvalho Molina Carlos Montenegro Thatiana Zago Relações com Investidores Telefone: (11) 2601-3821 E-mail: ri@csu.com.br Site: www.csu.com.br/riEste material é propriedade da CSU CardSystem S.A. É proibida qualquer reprodução parcial ou total sem a aprovação por escrito da Companhia. Todos os direitos reservados. As opiniões expressas nesse documento podem mudar a qualquer momento sem aviso prévio.

×