Your SlideShare is downloading. ×
Historia ouriço mal_ penteado
Historia ouriço mal_ penteado
Historia ouriço mal_ penteado
Historia ouriço mal_ penteado
Historia ouriço mal_ penteado
Historia ouriço mal_ penteado
Historia ouriço mal_ penteado
Historia ouriço mal_ penteado
Historia ouriço mal_ penteado
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Historia ouriço mal_ penteado

5,954

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,954
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
19
Actions
Shares
0
Downloads
225
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Texto de Maria Mendonça SoaresDo livro “Histórias para ler e contar”Imagens retiradas da história “O ouriço Carrapiço” no youtube
  • 2. Todas as vezes que o Ouriço Carrapiço passava à beira do charco e se via ao espelho na água quieta,dava um suspiro:- Ai, ai!... Estes picos são a vergonha do meu focinho! Quem olha para mim, há-de pensar que nãocostumo pentear-me, ou que vi bicho-homem e se me puseram os bicos em pé…
  • 3. APoupa, que tem um lindo tufo de penas no alto da cabeça, ouviu-lhe o desabafo e aconselhou:- Por que não faz uma permanente, vizinho?
  • 4. Foi dali o Ouriço Carrapiço bater à porta do Mestre Ondinhas cabeleireiro que penteava as belezas damata.-Faça-me uma permanente, senhor cabeleireiro.- A quente ou a frio? – perguntou Mestre Ondinhas. – Não tenho preferências, contanto que fique bemfrisado.
  • 5. O cabeleireiro deitou mãos à “cabeleira” do Ouriço Carrapiço, mas por muito artista que fosse nãoconseguia enrolar-lhe os picos. Dobrava um; logo que passava ao seguinte, saltava o primeiro como sefosse a mola de um boneco de corda. Se depois de muito transpirar, enrolava dois, picava os dedos nosoutros!Viu-se obrigado a desistir.- Desculpe, mas você não é um Ouriço. É uma pregadeira de alfinetes com os bicos ao contrário
  • 6. O pobre do Ouriço Carrapiço foi-se embora desolado. Passou pelo prado e viu o Carneiro a pastar.Que inveja sentiu daquela lã fofa e frisada, toda aos anéis!- Ai, ai! Quem me dera ter caracóis! – suspirou.
  • 7. ? A Pega, que é a maior linguareira da mata, badalou o desejo do Ouriço por toda a banda:- O Ouriço Carrapiço quer caracóis! O Ouriço Carrapiço quer caracóis!
  • 8. E a raposa, que tem olho para o negócio, apareceu logo em casa do Ouriço com um cesto cheio deles.- Vendo-lhe os caracóis que forem precisos. Três? Quatro? Cinco dúzias…
  • 9. O Ouriço Carrapiço agora está radiante. Enfiou um caracol em cada pico e ficou todo encaracolado.Claro que quando chegar a Primavera e os caracóis puserem os pauzinhos ao sol, o Ouriço Carrapiçovai ter outra vez problemas… Mas até lá, acha-se lindo e sente-se muito feliz.

×