O consultor na prática módulo iii-focon-cra-mg 2014
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

O consultor na prática módulo iii-focon-cra-mg 2014

on

  • 268 views

Curso de Formação Inicial de Consultores - 30/08/2014

Curso de Formação Inicial de Consultores - 30/08/2014
Módulo III - O consultor na prática
Instrutor: Adm. Adão Ladeira Martins

Statistics

Views

Total Views
268
Views on SlideShare
268
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
42
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

O consultor na prática módulo iii-focon-cra-mg 2014 Presentation Transcript

  • 1. CONSULTORIA: O Consultor na Prática Módulo III FOCON/CRA-MG 2014 Curso de Formação de Consultores Prof. Adão Ladeira
  • 2. Realidade atual da empresa-cliente Situação futura deseja pela empresa-cliente IDENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE DOS SERVIÇOS DE CONSULTORIA:
  • 3. Quando o assunto a ser analisado é o próprio negócio da empresa; Quando o assunto a ser analisado é um sistema ou um processo da empresa; Quando o assunto a ser analisado é a atuação dos executivos e profissionais da empresa- cliente e o correspondente processo decisório. QUANDO UMA CONSULTORIA É CONVIDADA PARA PRESTAR SERVIÇOS EM UMA EMPRESA?
  • 4. Auxílio profissional especializado por um período de tempo previamente estabelecido; Visão e análise crítica estruturada e imparcial de uma situação-problema; Sustentação e parceria para a adoção de medidas drásticas necessárias para a sobrevivência da empresa-cliente; Preparação para a busca de novas oportunidades e negócios; PRINCIPAIS CAUSAS PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA:
  • 5. Auxílio no processo sucessório, que ser seja familiar ou profissional; Auxílio na estrutura decisória e de alocação de poder; Estruturação das informações essenciais para a otimização do processo decisório dos executivos da empresa. PRINCIPAIS CAUSAS PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA:
  • 6. É aquele que é capaz de desenvolver comportamentos, atitudes e processos que possibilitem à empresa transacionar proativa e interativamente com os diversos aspectos do ambiente e do sistema no qual está trabalhando; O Consultor ideal é aquele que, entre outros aspectos, trabalha com o cliente e não para o cliente. O CONSULTOR COMO AGENTE DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL
  • 7. ETAPAS DE INTERVENÇÃO DO CONSULTOR EMPRESARIAL:
  • 8. Assessoria Conselho Consultivo Consultoria Executiva ou Consultoria de Gestão Consultoria de Risco Treinamento Palestra/workshops Pesquisa Auditoria OUTRAS INTERAÇÕES COM A EMPRESA- CLIENTE;
  • 9. Negociação é o processo através do qual as pessoas envolvidas, com o objetivo de construir uma relação duradoura, se deslocam das posições originais no sentido de alcançar a satisfação de suas mútuas necessidades. NEGOCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CONSULTORIA
  • 10. Preparar-se antes. Pense e simule sua estratégia e a de seu interlocutor; Desenvolva diversas situações; Não se perca em detalhes preparativos de forma exagerada; Monte uma estrutura metodológica para o processo de negociação. ANTES DE SENTAR À MESA
  • 11. Usar sua habilidade de barganha; Não caminhar para extremos; O “meio-termo” pode representar uma situação adequada para as partes; Dirija o debate para uma análise mais genérica ou mais específica de acordo com seus interesses; Não se basear simplesmente em acordo de cavalheiros; DURANTE O PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO
  • 12. Paciência e tempo certos são importantes Busque a relação GANHA x GANHA As partes não inimigas e nem sócios-colaboradores Solucione primeiro os aspectos quantitativos e metafísicos e só depois trate dos aspectos quantitativos e físicos; Utilize o blefe, se for necessário; Consolide as habilidades interpessoais e de relacionamento. DURANTE O PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO
  • 13. Se a negociação não ocorrer como você gostaria, tenha antecipadamente alternativas para colocar na mesa; Se a negociação der certo, tenha antecipadamente um plano detalhado e estruturado para operacionalizar os próximos passos. APÓS A CONCLUSÃO DA NEGOCIAÇÃO
  • 14. BLOCK, Peter. Consultoria: o desafio da liberdade. São Paulo: Makron Books, 1991. ELTZ, Fábio; VEIT, Mara. Consultoria Interna. Rio de Janeiro: Casa da Qualidade, 1999. FISHER, Roger; URY, William. Como chegar ao sim: a negociação de acordo com concessões. Rio de Janeiro: Imago, 1995. GREENBAUM, Thomas L. Manual do Consultor. Rio de Janeiro: LTC, 1991. IANNINI, Pedro Paulo. Cliente e consultor: uma parceria para o desenvolvimento organizacional. Niterói: Eduff, 1996. JUNQUEIRA, Luiz A. C. Negociação: Tecnologia e comportamento. 4ª. ed. Rio de Janeiro: COP, 1987. MARCHIONI, Célia. Cada empresa tem o consultor que merece. São Paulo: Gente, 1998. OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. Manual de consultoria empresarial: conceitos, metodologia, práticas.5ª. ed. São Paulo: Atlas, 2004. SHEIN, Edgard H. Consultoria de procedimentos. São Paulo: Edgard Blucher, 1972. BIBLIOGRAFIA: