A formação do Administrador e o mercado de trabalho - Adm. Carlos Augusto Matos de Carvalho

4,590 views

Published on

Apresentação realizada no auditório do CRA-MG em 01/10/2011.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
4,590
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • O Curso de Administração continua formando mais profissionais em comparação com outras áreas tradicionais .
  • O Curso de Administração continua em primeiro lugar na quantidade de matriculados no ensino superior, representando 13% do universo de matriculados.
  • A nível nacional, o curso de Bach. em Administração cresceu 158% no período de 2005 a 2009 (1.646 - 2.599 curso s).
  • Crescimento de 60% de 2005 a 2009 (275 – 172 cursos).
  • O curso de Bach. em Administração teve um aumento de 57% no período de 2005 a 2009 ( 377.019 - 593.723 ).
  • Aumento de 19% no nº de vagas no período de 2005 a 2009 (28.125 – 33.427).
  • O cursos de Bach. em Administração aumentou em 25% no período de 2005 a 2009 (599.701 - 748.887).
  • Houve um aumento de 2% no nº de inscrições entre 2005 e 2009 (50.218 – 51.175).
  • Houve um aumento de 24% no nº de matrículas no período de 2005 a 2009 (643.158 – 798.884).
  • O crescimento no nº de matrículas foi de 38 % no período de 2005 a 2009 (55.517 – 76.642).
  • Houve um crescimento de 10% no nº de ingressos por processos seletivos de 2005 a 2009 (216.037 – 237.916).
  • Houve um aumento de 17% nos ingressos por processos seletivos de 2005 a 2009 (18.584 – 21.821).
  • Cálculo de Interpolação Geométrica no intervalo de 1958 a 1973, tomados por base estimativas do primeiro curso criado pela USP em 1946 e o segundo que foi criado em criado em 1952 pela Fundação Getúlio Vargas.
  • O CPC combina diversas medidas relativas à qualidade do curso: as informações de infra-estrutura e instalações físicas , recursos didático-pedagógicos e corpo docente oferecidas por um curso; o desempenho obtido pelos estudantes concluintes e ingressantes no Enade ; e os resultados do Indicador da Diferença entre os Desempenhos Esperado e Observado (IDD) .
  • O CPC combina diversas medidas relativas à qualidade do curso: as informa ç ões de infra-estrutura e instala ç ões f í sicas, recursos did á tico-pedag ó gicos e corpo docente oferecidas por um curso i; o desempenho obtido pelos estudantes concluintes e ingressantes no Enade; e os resultados do Indicador da Diferen ç a entre os Desempenhos Esperado e Observado (IDD). Ao todo são oito componentes, oito medidas de qualidade do curso.Todas as medidas originais referentes a esses componentes são padronizadas e transformadas em notas entre 0 e 5. 45% dos cursos obteve CPC iguais ou superiores a 3; 28% obteve CPC menores que 3 e 27% ficaram Sem Conceito.
  • O Í ndice Geral de Cursos (IGC) possibilita que a sociedade conhe ç a o desempenho das institui ç ões de ensino superior do pa í s O instrumento é constru í do com base numa m é dia ponderada das notas dos cursos de gradua ç ão e p ó s-gradua ç ão de cada institui ç ão. 24% dos cursos no estado de Minas Gerais ficaram abaixo dos í ndices; 56% dos cursos atingiram a í ndices satisfat ó rios iguais ou superiores a 3; 20% ficaram sem conceito .
  • Participaram do Enade: Bach. em Administração (Minas Gerais) – 9.819 ; Áreas Diversas (Minas Gerais) – 2.149 .
  • Tecnólogos 1,1% maior que a média das Áreas Diversas Estadual. Bach. em Administração 8,3% menor que a média das Áreas Diversas do estado que ficaram com 2,63 em média.
  • Dos estados em que participaram do processo de avaliação os Cursos Superiores de Tecnologias nas Diversas da Administração obteve conceitos acima da média das Áreas Diversas em 41% dos Estados em que participou do processo. Obteve notas acima da média 2 equivalendo a conceito igual ou superior a 3 pelo arredondamento do MEC em 70% dos Estados em que participou.
  • Dos cursos EADs geral de 2002 a 2009 cresceu 1.735% , passando de 46 para 884 cursos. 80 cursos de Bacharelado em Administração; 104 cursos de Tecnologias nas diversas áreas da Administração. A média Enade 2009 desses cursos ficaram em torno de 3,5 pontos ficando acima da média Nacional.
  • Bacharelado em Administração: 23% dos conceitos máximos 5 , 16% dos conceitos 4 ; 25% dos conceitos regulares 3 ; 33% dos conceitos 2 ; 16% dos conceitos 1 dos totais Tecnologias nas Diversas Áreas da Administação: 10% dos conceitos 5 ; 11% dos conceitos 4 ; 12% dos conceitos 3 ; 12% dos conceitos 2 ; 18% dos conceitos 1 .
  • Foi observado um decréscimo nos cursos SC de 24,4% e um aumento de 55% nos conceitos 2.
  • Foi observado um CRESCIMENTO de 42% nos conceitos 3; Aumento de 144% nos conceitos 2
  • Das IESs Públicas avaliadas: 13% ficou com conceito igual ou inferior a 2; 48% ficou com conceito igual ou superior a 3 e 39% ficou sem conceito. Das IESs Privadas : 60% obteve conceitos de 3 a 5; 23% das Privadas ficaram com conceitos 1 e 2 e 17% ficou sem conceito.
  • 67% das IESs Públicas obtiveram conceitos de 3 a 5; 33% das públicas ficaram com conceitos iguais ou inferiores a 2 60% das IESs Privadas obtiveram conceitos de 3 a 5; 12% das Privadas ficaram com conceitos 1 e 2 e 28% sem conceito .
  • A formação do Administrador e o mercado de trabalho - Adm. Carlos Augusto Matos de Carvalho

    1. 1. CICLO DE PALESTRAS DO SISTEMA CFA/CRAs O Projeto Curricular como Gerador de Qualidade nos Cursos de Graduação Belo Horizonte – MG Outubro/2011
    2. 2. A formação do Administrador e o mercado de trabalho Conselheiro Federal do CFA CRA-RR 3-098 Adm. Carlos Augusto Matos de Carvalho
    3. 3. BRASIL GEOPOLÍTICO
    4. 4. Câmara de Formação Profissional - CFP Membros da CFP: Adm. José Samuel de Miranda Melo Júnior (CRA-MA) – Diretor Adm. Ana Mônica Beltrão da Silva (CRA-GO) – Vice-Diretora Adm. João Coelho da Silva Neto (CRA-AC) Adm. Aldemira Assis Drago (CRA-PA) Adm. Carlos Augusto Matos de Carvalho (CRA-RR)
    5. 5. Como os empregadores idealizam o Administrador? A pesquisa demonstrou que a identidade do Administrador ficou visível como articulador , profissional com visão sistêmica da organização promove ações internas criando sinergia entre pessoas e recursos disponíveis, gerando processos eficazes.
    6. 6. Formação do Administrador No Brasil os modelos tradicionais de ensino ainda são os mais utilizados; Novas práticas são exceção; É o que as pesquisas e os empregadores, há longa data, divulgam!
    7. 7. Formação Profissional do Administrador Visão do Professor - BRASIL Novos conteúdos Fonte: CFA. Pesquisa Perfil do Administrador, 2006.
    8. 8. Instrumentos de Avaliação Formação Profissional do Administrador Visão do Professor - Brasil Fonte: CFA. Pesquisa Perfil do Administrador, 2006.   2006 (%) Provas individuais sem consulta 81,02 Seminários e apresentações 60,62 Pesquisas e trabalhos extra-classe 59,63 Discussão e formulação de alternativas para solução de casos 41,93 Freqüência e participação em aula 37,25 Provas individuais com consulta 23,37 Provas em grupo sem consulta 11,19 Provas em grupo com consulta 8,92 Prova oral 2,83 Combinação entre provas, trabalhos, seminários, freqüência e participação dos estudantes - Combinação entre provas, trabalhos e seminários - Outros recursos avaliativos 8,78
    9. 9. Metodologias Didáticas Formação Profissional do Administrador Visão do Professor - Brasil Fonte: CFA. Pesquisa Perfil do Administrador, 2006.   2006 (%) Aulas expositivas 88,49 Discussões em grupo orientadas por exercícios e/ou estudo de casos 79,97 Seminários e apresentações ou dramatizações 33,81 Filmes e recursos multimídia 28,84 Pesquisas realizadas com suporte conceitual e metodológico 22,59 Exercício de Gestão Simulada (Jogos Empresariais) 12,93 Visitas monitoradas 9,81 Comunicação à distância (e-learning ou outras) 3,84 Outros recursos pedagógicos 0,14
    10. 10. <ul><li>O Curso de Bacharelado em Administração continua sendo o mais procurado há mais de uma década. </li></ul>Fonte: Censo da Educação Superior – INEP/MEC 1991 a 2009.
    11. 11. Fonte: Censo da Educação Superior – INEP/MEC 2009. Os 10 Cursos mais Procurados
    12. 12. Fonte: Censo da Educação Superior – INEP/MEC 2009.
    13. 13. NÚMERO DE CONCLUINTES EM 2009 Fonte:INEP/MEC 2009.
    14. 14. NÚMERO DE MATRICULADOS EM 2009 Fonte:INEP/MEC 2009.
    15. 15. 12% 1% 7% 30% Fonte:INEP/MEC 2009. Nº de Cursos Brasil
    16. 16. 21% 3% 8% 18% Fonte:INEP/MEC 2009. Nº de Cursos Minas Gerais
    17. 17. 12% -7% 65% -10% Fonte:INEP/MEC 2009. Nº de Vagas Brasil
    18. 18. 27% -12% 59% -33% Fonte:INEP/MEC 2009. Nº de Vagas Minas Gerais
    19. 19. 10% 10% 35% 7% Fonte:INEP/MEC 2009. Nº de Inscrições Brasil
    20. 20. Fonte:INEP/MEC 2009. 4,7% -1,6% 24% 20% Nº de Inscrições Minas Gerais
    21. 21. Fonte:INEP/MEC 2009. 9% 0,2% 21% -6% Nº de Matrículas Brasil
    22. 22. 11% 1,4% 11% 9,6% Fonte:INEP/MEC 2009. Nº de Matrículas Minas Gerais
    23. 23. Fonte:INEP/MEC 2009. 14% 12% 39% -21% Nº de Ingressos Brasil
    24. 24. 9% -1,5% 5,4% 1,2% Fonte:INEP/MEC 2009. Nº de Ingressos Minas Gerais
    25. 25. <ul><li>O Curso de Bacharelado em Administração já formou 1.308.476 egressos, de acordo com registros contabilizados pelo MEC a partir de 1973. </li></ul><ul><li>Estima-se que antes de 1973 existiam aproximadamente 34.700 Bacharéis em Administração no Brasil. </li></ul>
    26. 26. <ul><ul><li>Bacharelado em Administração - subtotal – 798.884 alunos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Cursos Superiores de Bacharelado e Tecnólogos em Áreas Diversas: subtotal 4.871.112 alunos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Cursos Superiores Tecnológicos em Administração: subtotal – 284.025 alunos. </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>TOTAL 5.954.021 </li></ul>Fonte:INEP/MEC 2009. Matriculados Cursos Superiores Brasil - 2009
    27. 27. O CPC é composto por : ·        40% da nota do Enade; ·        30% da nota do IDD  e ·   30% da avaliação dos professores e da infra-estrutura da instituição .   Conceito Preliminar de Curso (CPC) SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES
    28. 28. <ul><li>O ENADE afere o rendimento dos alunos dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos , suas habilidades e competências; </li></ul><ul><li>O objetivo é formar profissionais com perfil integrador e estejam em constante atualização de suas competências . </li></ul><ul><li>A consequência natural é a necessidade de atualização dos conteúdos ministrados nos cursos de graduação e de pós-graduação nos campos da Administração, de modo a atender as necessidades da sociedade mercadológica. </li></ul>ENADE 2009
    29. 29. O Índice Geral de Cursos da Instituição de Educação Superior (IGC) , consolida as informações relativas aos cursos superiores constantes dos: Índice Geral de Cursos (IGC) ·        cadastros ; ·        censo e ·        avaliações oficiais disponíveis no INEP e na CAPES .
    30. 30. <ul><li>O IGC é divulgado anualmente pelo INEP. </li></ul><ul><li>O cálculo é formado com base nas seguintes informações: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Média ponderada dos CPCs: </li></ul><ul><ul><li>esta ponderação determinada pelo número de matrículas em cada um dos cursos de graduação correspondentes. </li></ul></ul><ul><li>Média ponderada das notas dos programas de pós-graduação </li></ul><ul><ul><li>obtidas a partir da conversão dos conceitos fixados pela CAPES, sendo a ponderação baseada no número de matrículas em cada um dos cursos ou programas de pós-graduação stricto sensu correspondentes. Nas IES sem cursos ou programas de pós-graduação avaliados pela CAPES, o IGC será calculado na forma do item 1. </li></ul></ul>Índice Geral de Cursos (IGC)
    31. 31. Estatísticas CPC 2009 Fonte: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais An í sio Teixeira. Estat í sticas CPC 2009. ( ú ltimo divulgado pelo MEC).
    32. 32. Estatísticas IGC 2009 Fonte: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Estatísticas IGC 2009. Disponível em: www.inep.gov.br Obs: Algumas instituições aparecem em mais de uma unidade da federação, por essa razão o total de IES nessa tabela é 2142 e não 2137 como na tabela de total de instituições.
    33. 33. Fonte:INEP/MEC 2009. Média dos Conceitos ENADE BRASIL 2009 (Cursos em todas as Áreas) Conceito Médio Brasil 2,93
    34. 34. Média dos Conceitos ENADE 2009
    35. 35. Fonte:INEP/MEC 2009.
    36. 36. Fonte:INEP/MEC 2009.
    37. 37. Fonte:INEP/MEC 2009.
    38. 38. Média das Notas Bach. em Administração ENADE 2009 Minas Gerais Fonte:INEP/MEC 2009.
    39. 39. Figura 10 – Médias dos cursos Tecnológicos nas diversas áreas da Administração Enade 2009/UF. Fonte: Censo da Educação Superior – INEP/MEC, 2009. Média das Notas dos Tecnól. Enade 2009
    40. 40. Média dos Tecnólogos ENADE 2009 MINAS GERAIS Fonte:INEP/MEC 2009.
    41. 41. Fonte:INEP/MEC 2009.
    42. 42. <ul><li>O CFA permanentemente discute questões fundamentais sobre o ensino de Administração. </li></ul><ul><li>As sugestões são apresentadas ao MEC, mediante audiência. </li></ul><ul><ul><li>A Comissão Especial Mista do Ensino de Administração (CEMEAD) objetiva: </li></ul></ul><ul><li>analisar as Diretrizes Curriculares e a Profusão da Educação a Distância dos Cursos de Administração . </li></ul><ul><li>A Comissão é integrada por Conselheiros do CFA, dos CRAs e pelo Presidente da ANGRAD. </li></ul>
    43. 43. Resultado Enade 2009 Nacional Figura 16 – Conceito Enade 2009. Fonte: Censo da Educação Superior – INEP/MEC, 2009.
    44. 44. ENADE 2006 X 2009 BRASIL Fonte:INEP/MEC 2009.
    45. 45. ENADE 2006 X 2009 MINAS GERAIS Fonte:INEP/MEC 2009.
    46. 46. Relação IESs Pública X Privada Minas Gerais Fonte:INEP/MEC 2009.
    47. 47. Relação IESs Pública X Privada Minas Gerais Fonte:INEP/MEC 2009.
    48. 48. Revista Ensino Superior, nº 154 – www.revistaensinosuperior.com.br <ul><li>Para a Profª Cláudia Maffini Griboski, Diretora de Avaliação da Educação Superior do INEP não há como garantir que o Enade avalie apenas habilidades ou que não exija a capacidade de pensar . </li></ul><ul><li>Uma educação de qualidade é aquela que desenvolve o pensamento crítico e prepara o aluno para receber mais conhecimento, para ter uma carreira, para a cidadania e para interagir com a sociedade por toda a vida. </li></ul>
    49. 49. Revista Ensino Superior, nº 154 – www.revistaensinosuperior.com.br <ul><li>O Enade avalia o curso e não o estudante; </li></ul><ul><li>Os questionários permitem o levantamento do perfil do participante; </li></ul><ul><li>O Enade está alinhado às DCNs; </li></ul><ul><li>Os instrumentos utilizados no exame são construídos pelas Comissões. </li></ul>
    50. 50. “ À área acadêmica cabe, além da promoção de ações avaliativas com foco no desempenho no ENADE, construir junto às coordenações de curso ferramentas de acompanhamento do efetivo aprendizado de cada aluno ao longo do tempo, desde o seu ingresso na IES.” Telma Crespo, Hope, 2011
    51. 51. Revista Ensino Superior, nº 154 – www.revistaensinosuperior.com.br <ul><li>Será possível nortear políticas públicas a partir dos resultados das provas do ENADE? </li></ul><ul><li>Para a Educadora norte-americana Diane Ravith o melhor método para medir a habilidade de um aluno é o próprio trabalho desenvolvido por ele, não “apenas um teste padronizado de múltipla escolha”. </li></ul>
    52. 52. Revista Ensino Superior, nº 154 – www.revistaensinosuperior.com.br “ Uma educação de qualidade é aquela que desenvolve o pensamento crítico e prepara o aluno para receber mais conhecimento , para ter uma carreira, para a cidadania e para interagir com a sociedade por toda a vida” “ esse tipo de prova testa apenas habilidades e não conhecimento ”. A Educadora Diane Ravith pondera
    53. 53. Revista Ensino Superior, nº 154 – www.revistaensinosuperior.com.br <ul><li>O exame deve ser utilizado para propósito de diagnóstico e não para responsabilizar docentes, dirigentes, alunos. </li></ul><ul><li>Sensibilização de alunos sobre a importância da avaliação para a melhoria da qualidade da educação superior no Brasil. </li></ul>Diane Ravith
    54. 54. <ul><li>Utilização das avaliações pelo INEP: </li></ul><ul><ul><li>A média do ENADE junto com o Conceito Preliminar de Curso (CPC), os relatórios de autoavaliação realizados pelas IES e o perfil dos egressos foram utilizados na formulação de uma pesquisa que objetiva identificar como os formados estão se saindo no mercado de trabalho . </li></ul></ul><ul><ul><li>A pesquisa deve ser divulgada pelo INEP no segundo semestre de 2011. </li></ul></ul>
    55. 55. <ul><li>Concessão de bolsas de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) reconhecidos pela CAPES aos alunos que obtiveram as melhores notas no ENADE em 2007 e 2008. </li></ul><ul><li>O Inep disponibiliza no site www.inep.gov.br uma análise do primeiro ciclo avaliativo do SINAES objetivando realizar uma meta-avaliação e acompanhar o processo. </li></ul>
    56. 56. “ A primeira obrigação da comunidade de professores e alunos da UnB...é olhar para a frente para frefigurar, aqui e agora, utopicamente, o que dentro de dez, de vinte anos, a UnB há de ser, fixar metas e lutar por elas , com clareza sobre os objetivos a serem alcançados: sobre a utopia a ser cumprida” “ ...limpe a mente, abra o coração, tome partido e ouse: vá adiante, aceite errar... Darcy Ribeiro, (antropólogo, fundador da UnB e relator da LDB – 1922/1997)
    57. 57. Projeto : Prêmio Guerreiro Ramos de Gestão Pública <ul><li>Objetivo </li></ul><ul><li>Resgatar e valorizar este saber construído no pensamento crítico em conexão com a realidade social; </li></ul><ul><li>Premiar trabalhos, estudos e pesquisas que contribuem para a compreensão dos fenômenos da sociedade como forma de interpretar os fenômenos organizacionais; </li></ul><ul><li>Reconhecer os profissionais que, no exercício da atividade pública e empresarial tem responsabilidade de repensar e desenvolver as organizações. </li></ul>Site: www.guerreiroramos.org.br
    58. 58. Projeto : Prêmio Belmiro Siqueira de Administração <ul><li>Objetivos: </li></ul><ul><li>Divulgar e valorizar estudos realizados por Administradores e por Acadêmicos dos cursos de Bacharelado em Administração </li></ul><ul><li>Atrair e estimular a publicação de títulos sobre as teorias da Administração através da parceria dos CRAs para ampla divulgação junto as IES. </li></ul>Site: www.cfa.org.br
    59. 59. Câmara de Formação Profissional Projeto : Avaliação de Cursos <ul><li>AMPARO LEGAL </li></ul><ul><ul><li>Art. 37 do Decreto nº 5.773 de 9 de Maio de 2006 </li></ul></ul><ul><ul><li>Termo de Colaboração entre o CFA e a SESu/MEC firmado em agosto de 2009 </li></ul></ul><ul><li>O CFA apresenta ao MEC parecer elaborado pelos CRAs, como contribuição ao processo de avaliação dos Cursos de Bacharelado em Administração, com vistas à autorização, ao reconhecimento e à renovação </li></ul><ul><li>O foco é a inserção do egresso no mercado de trabalho. </li></ul>
    60. 60. Câmara de Formação Profissional Projeto : Avaliação de Cursos <ul><li>Objetivo </li></ul><ul><li>Contribuir com a melhoria da qualidade do ensino de administração por meio da análise em conjunto com o MEC das condições da oferta do ensino; </li></ul><ul><li>Considera-se uma conquista do Sistema CFA/CRAs e os CRAs tem papel fundamental nesse processo de avaliação, devendo atuar com assertividade dentro de 60 dias a partir da disponibilização do processo no e-MEC. </li></ul><ul><li>Dos Procedimentos para avaliação das IES </li></ul><ul><ul><li>O Sistema CFA/CRAs não fará o que o MEC já faz! </li></ul></ul>
    61. 61. Dimensões Avaliadas pelo Sistema CFA/CARAS <ul><li>Pertinência </li></ul><ul><ul><li>demanda pelo curso na região, observando a quantidade de vagas ofertadas frente à população local Inovação </li></ul></ul><ul><li>Relevância </li></ul><ul><ul><li>impactos sociais e econômicos que a oferta deste curso provocará na região </li></ul></ul><ul><li>Inovação </li></ul><ul><ul><li>aspectos que se oponham à estrutura tradicional dos cursos já existentes na área, incorporando melhorias que reflitam na otimização de trabalho pedagógico. </li></ul></ul><ul><li>Formação profissional </li></ul><ul><ul><li>Atendimento à estrutura dos cursos em relação à legislação profissional do sistema CFA/CRAs </li></ul></ul>
    62. 62. <ul><li>Até 2015, existirão 26 megalópoles no planeta com aproximadamente 30 milhões de habitantes em cada. </li></ul><ul><li>Estima-se que a partir de 2020 quase todo o crescimento populacional mundial venha de países em desenvolvimento. </li></ul><ul><li>O crescimento da migração (das zonas de litígio) pode levar a um aumento de 3% da força de trabalho nos países de alta renda até 2025. </li></ul><ul><li>Em 2030, 60%-75% da população viverá em áreas urbanas. </li></ul>Cenário Mundial
    63. 63. <ul><li>Mais da metade da força de trabalho das regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Salvador e Distrito Federal é constituída por mulheres. Esta proporção tende a crescer principalmente nas funções executivas e nos negócios. </li></ul><ul><li>Aumento da tendência da opção de ficar mais em casa, pelas facilidades tecnológicas e logísticas (aumento dos serviços de entrega, diversão, instalações e consertos). </li></ul><ul><li>Aumento no número de mulheres como chefes de família e no mercado de trabalho. </li></ul>Cenário Brasil
    64. 64. <ul><li>Incremento dos instrumentos de controles internos, em especial para evitar o conflito de interesses entre agentes de órgãos estratégicos; código de ética. </li></ul><ul><li>Aumento dos mecanismos de transparência de gestão e na prestação de contas não-econômicas (relatórios de gestão, balanço social, etc). </li></ul>Cen á rio pol í tico-legal
    65. 65. <ul><li>Intensa migração dos modelos funcionais para modelos de gestão por processo, por força da necessidade de estabelecimento de padrões comparativos de desempenho globais e de atuação interna sistêmica. </li></ul><ul><li>Forte interdependência entre estratégia, estrutura organizacional e desenvolvimento de competências humanas. </li></ul>Cenário Político Legal
    66. 66. <ul><li>Aumento do accountability (responsabilização por resultados). </li></ul><ul><li>Incremento dos mecanismos de avaliação do desempenho setorial mediante a adoção de técnicas de controladoria e de gestão de riscos. </li></ul>Cenário Político Legal
    67. 67. <ul><li>A Nova Classe Média é mais esclarecida e politizada, devido à massificação do ensino superior (programas sociais); </li></ul><ul><li>Aumento da importância de associações civis e locais; </li></ul><ul><li>Estilo administrativo de Dilma ; quer governo com a eficiência de empresas. </li></ul>Cenário Político Legal
    68. 68. <ul><ul><ul><li>Crise de Energia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Déficit em Conta Corrente </li></ul></ul></ul>O que Aborta o Crescimento
    69. 69. <ul><li>Nível de atividade econômica global continuara a crescer em 2011 a crescer, apesar das turbulências (FMI). </li></ul><ul><li>O dólar se desvalorizará frente as principais moedas internacionais para corrigir rapidamente o déficit externo dos EUA. </li></ul><ul><li>No Japão há a expectativa de uma recessão mais forte e as medidas recentemente adotadas pela autoridade monetária para fornecer liquidez ao mercado tenderão a enfraquecer o iene numa perspectiva de médio prazo. </li></ul>Cen á rio econômico mundial
    70. 70. <ul><li>A atividade nos emergentes claramente está se recuperando antes. A China já está se recuperando; a Índia foi beneficiada pelas políticas de estímulo; e o preço das commodities está ajudando a Rússia. </li></ul><ul><li>A recuperação dos EUA pode ser antecipada, mas o desemprego elevado deve frear o consumo pelo momento. </li></ul><ul><li>As projeções do FMI apontam inflação média para a economia mundial próxima a 2% a. a. no período 2010/2014. </li></ul>Cen á rio econômico mundial
    71. 71. <ul><li>Em 2014 a participação dos países emergentes no PIB mundial deverá superar a dos avançados. (51% países emergentes e 49% países ricos). </li></ul><ul><li>Até 2025 as economias do Brasil, China, Índia, Rússia, Indonésia e Coréia do Sul vão responder por mais da metade do crescimento global, segundo Banco Mundial. </li></ul>Cen á rio econômico mundial
    72. 72. <ul><li>Estimativa de U$21 bilhões de investimentos estrangeiros no Brasil (em alta) </li></ul><ul><li>Os analistas mantiveram a projeção para o Investimento Estrangeiro Direto (IED) (caracterizado pelo interesse duradouro do investimento na economia) deve haver entrada de US$ 50 bilhões em 2011, acima do montante previsto antes, de US$ 46 bilhões. </li></ul>Cen á rio econômico nacional
    73. 73. <ul><li>Para 2010, a projeção para o desempenho da indústria passou de um crescimento de 5,10% para 7,00%. </li></ul>Cen á rio econômico nacional
    74. 74. <ul><li>Em termos de tendências foram identificadas um total de 83 tecnologias, que abarcam os seguintes setores: tecnologias da informação, tecnologias da vida, novos processos de produção, materiais e química, construção, energia, transportes e meio ambiente. </li></ul>Cen á rio tecnol ó gico
    75. 75. Câmara de Formação Profissional Projeto : Pesquisa Perfil do Administrador <ul><li>Diante desse cenário o CFA desenvolve a Pesquisa, para: </li></ul><ul><li>Contribuir com as IES para a construção de projetos pedagógicos inovadores, alinhados às necessidades do mercado de trabalho e </li></ul><ul><li>Identificar tendências e analisar cenários relacionados ao exercício dos campos da Administração e campos conexos. </li></ul>
    76. 76. Sua contribuição é valiosa para a Administração profissional no país! Acesse o link http://pesquisa.cfa.org.br/ e responda a pesquisa.
    77. 77. Câmara de Formação Profissional Projeto : Pesquisa Perfil do Administrador <ul><li>A pesquisa está descrita em 3 dimensões </li></ul><ul><ul><li>Perfil do Administrador </li></ul></ul><ul><ul><li>Perfil dos Professores/Coordenadores dos cursos de graduação em Administração </li></ul></ul><ul><ul><li>Empregadores. </li></ul></ul>Sua contribuição é valiosa para a Administração profissional no país! Acesse o link http://pesquisa.cfa.org.br/ e responda a pesquisa
    78. 78. Projeto: Pesquisa Perfil do Administrador 2003 1999 1994 2006 A fase qualitativa da 5ª edição da pesquisa foi concluída. A partir da segunda quinzena de agosto a fase quantitativa será iniciada CFA (pesquisa eletrônica).
    79. 79. “ Nada vale todos os saberes científicos que aí estão a dizerem há tantas décadas que nenhum fator natural, climático ou racial é explicativo do desempenho de um povo” Darcy Ribeiro
    80. 80. <ul><li>(61) 3218-1809 </li></ul><ul><ul><ul><li>[email_address] </li></ul></ul></ul>Estamos à disposição Obrigado!

    ×