Marco antônio juliatto as graduações tecnológicas no brasil

473 views
436 views

Published on

5º Fórum de Qualidade da Educação - 24-11-2011
“Cursos Tecnológicos: Estado Atual e Perspectivas Futuras” com o Prof. Marco Antônio Juliatto, Assessor da Diretoria de Desenvolvimento e Gestão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica da Secretaria de Educação Tecnológica

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
473
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Marco antônio juliatto as graduações tecnológicas no brasil

  1. 1. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO As GraduaçõesTecnológicas no Brasil Prof. Marco Juliatto Assessor SETEC/MEC marco.juliatto@mec.gov.br Novembro de 2011
  2. 2. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Sequência da apresentação Conceito de Graduação Tecnológica Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia Indicadores dos Cursos Superiores de Tecnologia Perspectivas para as Graduações Tecnológicas
  3. 3. Graduação Tecnológica – Realidade e PerspectivasConceito de Graduação TecnológicaLDB - Lei nº 9.394/1996Art. 44. A educação superior abrangerá os seguintes cursose programas:I - cursos sequenciais por campo de saber, de diferentes níveis deabrangência (...), desde que tenham concluído o ensino médio ouequivalente;II - de graduação, abertos a candidatos que tenham concluído oensino médio ou equivalente e tenham sido classificados emprocesso seletivo;III - de pós-graduação, compreendendo programas de mestrado edoutorado, cursos de especialização, aperfeiçoamento e outros,abertos a candidatos diplomados em cursos de graduação (...);IV - de extensão, abertos a candidatos que atendam aos requisitosestabelecidos em cada caso pelas instituições de ensino.
  4. 4. Graduação Tecnológica – Realidade e PerspectivasLDB - Lei nº 9.394/1996 (redação Lei nº 11.741/2008)Art. 39. A educação profissional e tecnológica (...), integra-seaos diferentes níveis e modalidades de educação e às dimensões dotrabalho, da ciência e da tecnologia 2o A educação profissional e tecnológica abrangerá os seguintescursos: I – de formação inicial e continuada ou qualificação profissional; II – de educação profissional técnica de nível médio;III – de educação profissional tecnológica de graduação epós-graduação. 3o Os cursos de educação profissional tecnológica degraduação e pós-graduação organizar-se-ão, de acordo com asdiretrizes curriculares nacionais estabelecidas pelo ConselhoNacional de Educação.
  5. 5. Graduação Tecnológica – Realidade e PerspectivasLDB - Lei nº 9.394/1996Art. 43. A educação superior tem por finalidade:I - estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espíritocientífico e do pensamento reflexivo;II - formar diplomados nas diferentes áreas de conhecimento, aptospara a inserção em setores profissionais e para a participação nodesenvolvimento da sociedade brasileira, e colaborar na suaformação contínua;III - incentivar o trabalho de pesquisa e investigação científica,visando o desenvolvimento da ciência e da tecnologia e da criação edifusão da cultura...;IV - promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos etécnicos que constituem patrimônio da humanidade e comunicar osaber através do ensino, de publicações ou de outras formas decomunicação;
  6. 6. Graduação Tecnológica – Realidade e PerspectivasLDB - Lei nº 9.394/1996Art. 43. A educação superior tem por finalidade: (continuação)V - suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural eprofissional e possibilitar a correspondente concretização,integrando os conhecimentos que vão sendo adquiridos numaestrutura intelectual sistematizadora do conhecimento de cadageração;VI - estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente,em particular os nacionais e regionais, prestar serviçosespecializados à comunidade e estabelecer com esta uma relação dereciprocidade;VII - promover a extensão, aberta à participação da população,visando à difusão das conquistas e benefícios resultantes da criaçãocultural e da pesquisa científica e tecnológica geradas na instituição.
  7. 7. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia Lei nº 4.024/61: autoriza cursos em caráter experimental e cria os Cursos de Engenharia de Operações, em atendimento às demandas do setor produtivo; Parecer do Conselho Federal de Educação (CFE) n 280/1962 – Autoriza os Cursos de Engenharia de OperaçõesDÉCADA DE 60
  8. 8. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia Parecer do Conselho Federal de Educação (CFE) n 60/1963 – Aprova as Engenharias de Operação Lei Federal nº 5.540/68: implanta a reforma universitária, criando cursos profissionais de curta duração, que proporcionavam habilitações intermediárias de nível superior.DÉCADA DE 60
  9. 9. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia1970 – Criação Entre da primeira 1973 e Faculdade de 1975 Tecnologia do foram Brasil em criados Bauru 28 CST; Parecer CFE Nº 1977 - 1.060/73: denominação extinção dos de “Curso de Formação cursos de de Tecnólogos” para “Curso Superior de engenharia de Tecnologia”, conferindo operações a denominação de “tecnólogos” paraDÉCADA DE 70 egressos.
  10. 10. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia Parecer CFE nº 364/80: ressaltava o exercício livrede profissões, salvo aquelas prescritas em lei Resolução nº 313/86 (CONFEA): regulamentava o exercício profissional dos tecnólogos na sua esfera de atuaçãoDÉCADA DE 80
  11. 11. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia 1987: realização do 1º Encontro Nacional de Educação Tecnológica em Curitiba-PR Decreto Federal nº 97.333/88: criou o 1º curso em hotelaria (SENAC/SP), sendo um CST no setor terciário da economiaDÉCADA DE 80
  12. 12. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia Desativação da Coordenação Geral de Cursos Superiores de Tecnologia no âmbito da SESU (anos 1990); Portaria MEC Nº 1.647/99 - Transfere para a SEMTEC (atual SETEC) os procedimentos de autorização de CSTDÉCADA DE 90
  13. 13. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia Decreto nº 2.406/97: possibilitou a existência de Centros de Educação Tecnológica (CET) privados, potencializando a expansão dos CST, mas, na prática,não se efetivou e somente em 2004 tiveram denominaçãoalterada para “Faculdade de Tecnologia”, figurando como Instituição de Ensino SuperiorDECADA DE 90
  14. 14. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de TecnologiaParecer CNE/CES nº 436/01: reafirmou oCST como Curso de Graduação Resolução CNE/CP nº 3/02: estabeleceu as Diretrizes Curriculares dosPRIMEIRA DÉCADA CSTDESTE SÉCULO
  15. 15. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia Decreto nº5.154/04: define a Educação Profissional deGraduação (EPT) Lei nº 11.195/05: retira o impedimento legal à criação de unidades federais de EPT, iniciando-se, assim, o processo de expansão da Rede Federal.PRIMEIRA DÉCADADESTE SÉCULO
  16. 16. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia 2006: publicação do CatálogoNacional dos Cursos Superiores deTecnologia, a fim de se normatizaras denominações destes cursos e conferir visibilidade 2007: CST passaram a participar do ENADE, se integrando aoPRIMEIRA DÉCADA SINAESDESTE SÉCULO
  17. 17. Graduação Tecnológica – Realidade e PerspectivasIndicadores dos Cursos Superiores de Tecnologia Percentual de CST X Cursos Superiores Brasil 2001 - 201020,0% 17,6% 17,5% 16,1% 15,8%15,0% 13,7% 12,4% 9,7%10,0% 6,9% 5,0% 4,4% 3,7% 0,0% 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Dados: INEP/MEC
  18. 18. Graduação Tecnológica – Realidade e PerspectivasIndicadores dos Cursos Superiores de Tecnologia CST nos Institutos Federais 2001 - 2010450400 389350 323300 268 262 250250 229 229 209200 191 143150100 50 0 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Dados: INEP/MEC
  19. 19. Graduação Tecnológica – Realidade e PerspectivasIndicadores dos Cursos Superiores de Tecnologia Número de CST no Brasil 1991 - 2010* 4.9995.000 4.4914.500 4.3554.000 3.7023.500 3.0373.000 2.5252.5002.000 1.8041.500 1.1421.000 636 364 447 500 244 254 249 241 293 254 317 201 187 0 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Dados: INEP/MEC
  20. 20. Graduação Tecnológica – Realidade e PerspectivasIndicadores dos Cursos Superiores de Tecnologia Dados: SISTEC/MEC
  21. 21. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Indicadores dos Cursos Superiores de Tecnologia* 2011 – Dados provisórios Dados: SISTEC/MEC
  22. 22. Graduação Tecnológica – Realidade e PerspectivasIndicadores dos Cursos Superiores
  23. 23. Graduação Tecnológica – Realidade e PerspectivasPerspectivas para as Graduações TecnológicasValorização da Formação Ampliação da oferta de cursos Projetos Pedagógicos mais amadurecidos Busca pela qualidade  ENADE,  Regulação,  Supervisão dos cursos Sensibilização de docentes para os CST Valorização da educação profissional Maior interesse da mídia
  24. 24. Graduação Tecnológica – Realidade e PerspectivasPerspectivas para as Graduações TecnológicasValorização Profissional Inscrição no Conselho Profissional Projeto de Lei 2.245/07 - regulamenta o exercício das profissões dos tecnólogos Alinhamento com os Conselhos Profissionais Necessidade do desenvolvimento tecnológico do país Crescimento do país e da oferta de empregos formais
  25. 25. Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Obrigado! Agradeço pela atenção e possibilidade de troca de experiências Prof. Marco Antônio Juliatto Assessor SETEC/MEC marco.juliatto@mec.gov.br

×