Apresentação de resultados portugues 4_t13_final

1,696 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,696
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,403
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação de resultados portugues 4_t13_final

  1. 1. Divulgação de resultados 4T13 CPFL Renováveis
  2. 2. Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira e internacional. Essas declarações estão baseadas em certas suposições e análises feitas pela Companhia de acordo com a sua experiência e o ambiente econômico, as condições de mercado e os eventos futuros esperados, muitos dos quais estão fora do controle da Companhia. Fatores importantes que podem levar a diferenças significativas entre os resultados reais e as declarações de expectativas sobre eventos ou resultados futuros incluem a estratégia de negócios da Companhia, as condições econômicas brasileira e internacional, tecnologia, estratégia financeira, desenvolvimentos da indústria de serviços públicos, condições hidrológicas, condições do mercado financeiro, incerteza a respeito dos resultados de suas operações futuras, planos, objetivos, expectativas e intenções, entre outros. Em razão desses fatores, os resultados reais da Companhia podem diferir significativamente daqueles indicados ou implícitos nas declarações de expectativas sobre eventos ou resultados futuros. As informações e opiniões aqui contidas não devem ser entendidas como recomendação a potenciais investidores e nenhuma decisão de investimento deve se basear na veracidade, atualidade ou completude dessas informações ou opiniões. Nenhum dos assessores da Companhia ou partes a eles relacionadas ou seus representantes terá qualquer responsabilidade por quaisquer perdas que possam decorrer da utilização ou do conteúdo desta apresentação. Este material inclui declarações sobre eventos futuros sujeitas a riscos e incertezas, as quais baseiam-se nas atuais expectativas e projeções sobre eventos futuros e tendências que podem afetar os negócios da Companhia. Essas declarações podem incluir projeções de crescimento econômico, demanda, fornecimento de energia, além de informações sobre posição competitiva, ambiente regulatório, potenciais oportunidades de crescimento e outros assuntos. Inúmeros fatores podem afetar adversamente as estimativas e suposições nas quais essas declarações se baseiam. Disclaimer 2
  3. 3. Destaques 4T13 Entrada em operação da usina Alvorada, com 50 MW de capacidade, em Minas Gerais Comercialização no leilão A-5 2013, de 51,3 MW de capacidade de dois parques eólicos para geração a partir de 2018 Ampliação da capacidade em operação para 1.283 MW distribuídos em 60 usinas (+11% vs 2012) Receita líquida de R$ 334 MM no 4T13 (+20% vs 4T12) e R$ 1,0 BI em 2013 (+26% vs 2012) EBITDA de R$ 176 MM no 4T13 (+6% vs 4T12) e R$ 563 MM em 2013 (+12% vs 2012) Sólida situação de liquidez financeira: caixa de R$ 890 MM Investimentos de R$ 804 MM em 2013 Alavancagem de 6,9x EBITDA, com perfil de amortização e custo adequados aos projetos da Companhia 1º reunião APIMEC realizada em dezembro de 2013 3
  4. 4. Eventos recentes Assinatura do acordo de associação com a DESA. O portfólio da CPFL Renováveis alcançará 2.131,1 MW em capacidade total contratada: 1.694,4 MW em operação; e 436,7 MW em construção Conclusão da aquisição de Rosa dos Ventos, adicionando 2 parques eólicos, com capacidade de 13,7 MW, ao portfólio Entrada em operação do último parque do Complexo eólico Atlântica, com 120 MW de capacidade no Rio Grande do Sul. Este é o primeiro empreendimento do Brasil com aerogeradores de 120 metros de altura e 3 MW de potência Com Rosa dos Ventos e Atlântica, a capacidade em operação da Companhia atingiu 1.416,8 MW, com 66 usinas no 1T14 4
  5. 5. Capacidade do portfólio 5 #1 em energia renovável no Brasil com 1,4 GW (79%) da capacidade em operação1 1,8 GW de capacidade em operação até 2018 Portfólio diversificado regionalmente e com presença nas 4 fontes PPAs, concessões e autorizações de longo prazo 1 - Considera a conclusão da aquisição de Rosa dos Ventos e a entrada em operação do Complexo Atlântica, ambas ocorridas no 1T14 2012 2013 1T14 2T14 2016 2018 Total contratado 1,153,1 1,283,1 1,416,8 51,3 78,2 254,0 1,800,3 Evolução do portfólio contratado (MW) 11,3% 10,4%
  6. 6. 6 Projetos concluídos em 2013 Campo dos Ventos II Bio Coopcana Bio Alvorada Entrada em operação 3T13 ¹ 3T13 4T13 Capacidade (MW) 30,0 50,0 50,0 Garantia física (MWmédios) 15,0 18,0 18,0 PPA LER 2 / 2010 - 20 anos ACL 3 - 21 anos ACL3 - 20 anos 1) Campo dos Ventos II já está apto a gerar energia e tem direito à receita correspondente ao faturamento contratado no Leilão de Energia de Reserva (LER) 2010 a partir de 27 de setembro de 2013 – pendente término da construção da ICG 2) Leilão de reserva 3) Mercado Livre
  7. 7. Dados operacionais 4T12 4T13 230,7 284,7 0 0,4 427,0 427,9 243,7 274,9 PCH SOL EOL BIO901,4 2012 2013 1,007,9 1,195,5 0 1,4 1,187,3 1,269,8 544,5 733,9 Geração de energia por fonte (GWh) (1) 987,9 2.739,7 3.200,7 3.201 GWh de energia gerada em 2013, 16,8% maior que a geração de 2012, decorrente principalmente do crescimento do portfólio em operação 1) Os dados de geração de energia não consideram o Complexo eólico Santa Clara e Campo dos Ventos II, que estão aptos para gerar energia e têm recebido a receita de seus contratos – pendente término da construção da ICG 9,6% 16,8% 7
  8. 8. Receita líquida R$ Milhões • Ciclo completo de venda em 2013 dos projetos Bio Ipê, Bio Pedra, Complexo Eólico Santa Clara, Solar Tanquinho e PCH Santo Góes (inicio de operação no decorrer de 2012) • Aquisições da Bons Ventos (jun/12) e da Usina Ester (out/12) • Inicio dos contratos de venda em 2013 dos projetos Bio Coopcana, Bio Alvorada, Complexo eólico Campos dos Ventos II e Complexo eólico Atlântica • Reajuste dos contratos ocorridos em 2013 (base: IGP-M ou IPCA) Receita líquida (R$ Milhões) 30,3% PCH 19,2% Bio 50,4% Eólica 4T12 4T13 277,7 334,1 2012 2013 806,4 1.018,6 20,3% 26,3% Por fonte (2013)1 81) A participação da fonte solar é de 0,03%. Em 2012, não houve geração de fonte solar.
  9. 9. • Custos extraordinários com compra de energia para suprimento de lastro de contratos de R$ 73,1 milhões no 4T13 e de R$ 174,7 milhões em 2013 • Aumento das despesas em 2013 deve-se à amortização de exploração de Bons Ventos e pessoal, parcialmente compensados por itens não recorrentes de 2012 • Custos e despesas recorrentes alinhados com o plano de crescimento da Companhia Custos de geração de energia e Despesas gerais e administrativas R$ Milhões Custos–R$mmDespesas–R$mm 4T12 4T13 129,9 188,7 45,3% 2012 2013 371,4 573,5 54,4% 4T12 4T13 70,7 56,1 -20,6% 2012 2013 219,9 230,3 9 4,8%
  10. 10. Ebitda ajustado 4T13 EBITDA R$ Milhões 504,3 212,2 174,7 21,3 563,1 EBITDA 4T12 Receita líquida Gastos extraordinários PMSO e outros EBITDA 4T13 11,7% EBITDA 2012 Receita líquida Gastos extraordinários PMSO e outros EBITDA 2013 59,6% 52,5% 62,5% 55,3% Margem EBITDA 165,4 56,4 175,6 73,1 26,8 Margem EBITDA 6,1% • Receita líquida • Aumento do portfólio em operação (130MW) • PMSO e outros • Itens não recorrentes em 2012 • Gastos extraordinários • 4T13: R$73,1 MM • 2013: R$174,7 MM 74,4% 248,7 Ebitda Ajustado 2013 72,4% 737,8 EBITDA ajustado 2013 10
  11. 11. • Excluindo-se os gastos extraordinários: resultado liquido positivo de R$ 100,9 milhões no 4T13 e R$ 119,6 milhões em 2013 Resultado líquido R$ Milhões 11 27,8 73,1 100,9 -55,0 174,7 119,6 Lucro líquido 4T13 Gastos extraordinários Lucro líquido ajustado 4T13 Prejuízo líquido 2013 Gastos extraordinários Lucro líquido ajustado 2013
  12. 12. 3,809,8 4.001,2 3.772,1 3.874,8 565,3 572,1 553,4 563,1 1T13 2T13 3T13 4T132 Divida Líquida EBITDA UDM³ Caixa 2014 2015 2016 2017 2018+ 755,9 316,0 133,9 356,1 351,8 355,1 2.812,1 573,4 889,8 Dívida por indexador (%)Dívida líquida/ebitda (R$ mm) Amortização da dívida (R$ mm) • Prazo médio: 6,7 anos • Custo médio nominal: 7,9% (81,7% do CDI de dez/13) Perfil da dívida 1) Refere-se a captações realizadas para projetos em construção que ainda não obtiveram os desembolsos de suas dívidas de longo prazo 2) O saldo de caixa considera o saldo em contas reservas (aplicações vinculadas) 3) Últimos 12 meses Perfil da dívida CDI 27,0% Fixo 13,9% TJLP 55,6% TJ6 1,8% IGPM 1,7% 12 889,4 CaixaConta Reserva Empréstimos Ponte(1) Empréstimos e Debêntures 6,7x 7,0x 6,8x 6,9x Alavancagem 2
  13. 13. 13 Entrada em operação Capacidade (MW) Garantia física (MWmédios) PPA 1T14 120 52,7 LFA 2010 - 20 anos Complexo Atlântica Projeto concluído em março de 2014
  14. 14. 14 1) Macacos, Pedra Preta, Costa Branca e Juremas Entrada em operação Capacidade (MW) Garantia física (MWmédios) Financiamento PPA 2T14 78,2 37,5 BNDES (financiamento contratado, parcialmente desembolsado) LFA ago/10 - 20 anos Projetos em andamento Complexo Macacos I 1
  15. 15. Entrada em operação 1S16 2S16 1S18 Capacidade (MW) 82,0 172,0 51,3 Garantia física (MWm) 40,2 89,0 26,1 Financiamento BNDES (sendo estruturado) BNDES (sendo estruturado) BNDES (a ser estruturado) PPA ACL - 20 anos ACL - 20 anos A-5 2013 1) Campo dos Ventos I, III, V; 2) Ventos de São Benedito, Ventos de Santo Dimas, Santa Mônica, Santa Úrsula São Domingos e Ventos de São Martinho; 3) Pedra Cheirosa I e Pedra Cheirosa II. Próximos projetos Complexo eólico Campo dos Ventos1 Complexo eólico São Benedito2 Complexo eólico Pedra Cheirosa3 15
  16. 16. DESA 16 Transação • Incorporação da WF2 pela CPFL-R, que passará a deter 100% das ações da DESA • O ARROW, fundo gestor da WF2, passará a deter 12,63%(1) do capital social da CPFL-R, mediante cumprimento das condições precedentes Principais condições precedentes • Realização de auditoria pela CPFL-R na WF2, e pela WF2 na CPFL-R • Aquisição pela WF2 das ações remanescentes da DESA, de forma a deter a totalidade do capital da DESA antes da incorporação • Aprovação da Transação pela ANEEL, pelo CADE e pelos credores da DESA Governança • O ARROW ingressará como parte do Acordo de Acionistas da CPFL-R atualmente vigente com direitos e obrigações condizentes, incluindo: ̶ Direito de nomear 1 (um) membro para o Conselho de Administração da CPFL-R ̶ Direito de indicar membros para os comitês de assessoramento do Conselho de Administração Lock-up • As novas ações possuirão lock-up até 10 de fevereiro de 2015 ARROW WF2 Demais Acionistas ARROW WF2 100% 78,9% 21,1% 100% 100% Estrutura Societária da DESA 2 1 Atual Estrutura pré-incorporação Notas: 1 A participação poderá sofrer eventuais ajustes decorrentes de auditoria Associação com a Dobrevê Energia S.A. ("DESA") adicionando 331 MW de capacidade total contratada ao portfólio da CPFL Renováveis
  17. 17. Composição acionária pós incorporação 17 Após a conclusão da transação o FIP ARROW deterá 12,63%(1) do capital total da CPFL Renováveis. A CPFL Energia se manterá controladora 5,61% 5,49% 7,12% 2,97% 1,93% 1,47%58,84% 9,32% Antes da Operação Mercado 7,24% 0,00% 4,90% 4,80% 6,22% 2,59% 1,68% 1,29%51,41% 8,14% Depois da Operação Mercado 6,33% 12,63%(1) (ARROW) (ARROW) Notas: 1 A participação poderá sofrer eventuais ajustes decorrentes de auditoria 2 Via CPFL Geração (2) (2)
  18. 18. Operação Construção Desenvolvimento Total 1,1 1,1326,6 326,6 370,0 370,0 719,2 383,5 3.766,7 1.102,7 3.766,7 Portfólio da CPFL Renováveis após a associação (MW) CPFL Renováveis (atual) DESA Operação Construção Desenvolvimento Total 72,4 205,2 - 24,0 96,4 29,2 234,4 (1) (1) Não inclui os projetos em desenvolvimento de DESA, em avaliação PCH SOL EOL BIO CPFL Renováveis (após a associação) Operação Construção Desenvolvimento Total 1,1 1,1399,0 423,0 370,0 370,0 924,4 412,7 3.766,7 1.337,1 24,0 3.766,7 (1) 1.416,8 277,6 5.567,0 330,8 1.694,4 5.897,8 53,2 436,7 18
  19. 19. • Valor de mercado de R$ 5,9 milhões em 30 de dezembro de 2013 • Volume médio diário de 210 mil ações/dia • Desde o IPO as ações valorizaram 7,1% até o encerramento de 2013 Mercado de capitais 19 1) Base 100 em 19/07/2013 Performance das ações (1) 7,1% 8,7% 2,8% IBOV IEE CPRE3
  20. 20. Contatos Cotação de fechamento em 25/03/2014: R$ 12,30 Valor de Mercado: R$ 5,4 bilhões | US$ 2,3 bilhões Andre Dorf Diretor Presidente Marcelo Souza Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Maria Carolina Gonçalves Superintendente de Relações com Investidores Luciana Silvestre Fonseca Analista de Relações com Investidores Priscila de Oliveira Analista de Relações com Investidores E-mail: ri@cpflrenovaveis.com.br Telefone: 11- 3157-9312 Assessoria de Imprensa RP1 Comunicação Empresarial E-mail: carolinamarcondes@rp1.com.br Telefone: 11-5501-4655 20

×