O AMBIENTE DIGITAL E A APRENDIZAGEM        DA LÍNGUA MATERNA             Estela Lamas – Universidade de Santiago de Compos...
“Vivemos um dos rarosmomentos em que, a partir deuma nova configuração técnica,ou seja, de uma nova relaçãocom o cosmos, s...
TIC: favorecem e potenciam novas metodologias, processos e dinâmicas de aprendizagem(...) permitem transformar profundamen...
Entre o passado e o presente                Passado                         Presenteciência lenta                    explo...
A inter/intra comunicação e a mediatização ...•o agir comunicacional ... interatividade     do pessoal ao coletivo•o estr...
AS TICA                         A era das TIC dá lugar à era da informação,                         comunicação e aprendiz...
A aprendizagem de língua                                              Competências                                     lin...
O contínuo (re)inventar da realidade• a leitura do mundo faz-se na e pela linguagem• a descoberta do mundoO potenciar esta...
• revisão morfossintática de textos produzidos;• Correção - registo de alterações ou inserção de comentários –,  com recur...
• consulta rápida de gramáticas e dicionários (por exemplo:  http://www.priberam.pt/dlpo/), bem como de prontuários  (por ...
BibliografiaCarneiro, R. (2001). Fundamentos da Educação e da Aprendizagem – 21ensaios para o século 21. Vila Nova de Gaia...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

COIED2_O ambiente digital e a aprendizagem da Língua Materna

340 views
247 views

Published on

Apresentação de artigo de investigação - José Couto

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
340
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

COIED2_O ambiente digital e a aprendizagem da Língua Materna

  1. 1. O AMBIENTE DIGITAL E A APRENDIZAGEM DA LÍNGUA MATERNA Estela Lamas – Universidade de Santiago de Compostela José Manuel Couto – ESE Jean Piaget/V.N. Gaia
  2. 2. “Vivemos um dos rarosmomentos em que, a partir deuma nova configuração técnica,ou seja, de uma nova relaçãocom o cosmos, se inventa umnovo estilo de humanidade”(Lévy, 1994: 19-20)
  3. 3. TIC: favorecem e potenciam novas metodologias, processos e dinâmicas de aprendizagem(...) permitem transformar profundamente os modelos e instrumentos de comunicaçãointra/interpessoal, social e pedagógica (...) mergulhar no desconhecido e na incerteza.
  4. 4. Entre o passado e o presente Passado Presenteciência lenta explosão dos conhecimentosmundo bipolar mundo multipolarculturas dominantes multi/interculturalismocultura de proximidade cultura de distância (Carneiro, 2001:123)ensino-aprendizagem presencial aprendizagem-ensino mediatizadométodos passivos, centrados no metodologias ativas e criativas,professor centradas nas crianças-alunos . autonomia, espírito crítico-reflexivo, desenvolvimento holístico
  5. 5. A inter/intra comunicação e a mediatização ...•o agir comunicacional ... interatividade  do pessoal ao coletivo•o estreitamento laços … humanização  pedagogias ativas que geram conhecimento•o agir instrumental + o agir normativo + o agirdramatúrgico  pedagogia da impregnação >>> emergência de um novo paradigma: a autonomia, a cooperação, a colaboração
  6. 6. AS TICA A era das TIC dá lugar à era da informação, comunicação e aprendizagem• evidenciar as dimensões intra e inter- relacional/comunicacional• pesquisar; filtrar; interpretar; questionar(- se), com(a)pre(e)nder/confrontar eu/outro; (re)criar(-se) e (re)inventar(-se)
  7. 7. A aprendizagem de língua Competências linguísticas e literárias em meio escolar Couto, J. M. (2009: 97)
  8. 8. O contínuo (re)inventar da realidade• a leitura do mundo faz-se na e pela linguagem• a descoberta do mundoO potenciar estas representações tendo em vista• a aprendizagem em geral• a aprendizagem da língua em particularComo?• Pesquisa (acesso a bibliotecas digitais), seleção e tratamento de informação/material textual;• construção e reconstrução de documentos vários – trabalhos, correspondência, jornais escolares, através do processamento de texto;
  9. 9. • revisão morfossintática de textos produzidos;• Correção - registo de alterações ou inserção de comentários –, com recurso a ferramentas disponíveis no Word;• (re)organização/aperfeiçoamento do texto, na promoção do enriquecimento vocabular e na busca de coesão e de coerência;• leitura/audição - o texto que se nos oferece no ecrã, em suporte sripto e, muitas vezes áudio, favorecendo a própria oralidade;
  10. 10. • consulta rápida de gramáticas e dicionários (por exemplo: http://www.priberam.pt/dlpo/), bem como de prontuários (por exemplo: http://www.ciberduvidas.com/);• exploração de software específico, em registo on-line ou não - os CD-ROM, o hipertexto, a criação de livros digitais…• promoção de hábitos de colaboração e cooperação, em processos de textualização - o software colaborativo (wiki);• Sistematização de conteúdos/aprendizagens;• troca de mensagens, promovendo interação e socialização;
  11. 11. BibliografiaCarneiro, R. (2001). Fundamentos da Educação e da Aprendizagem – 21ensaios para o século 21. Vila Nova de Gaia: Fundação Manuel Leão.Couto. J. M. (2009). Dizer, Escrever e Ler. Sendo: Contributos da expressão eeducação dramática no 1º ciclo do ensino básico. Tese de doutoramento,Universidade de Santiago de Compostela, Espanha.Lévy, P. (1994). As Tecnologias da Inteligência – o Futuro do Pensamento naEra Informática. Lisboa: Editorial Piaget.

×