Custos industriais aumentam ritmo
de crescimento para 2,5%
O Indicador de custos Industriais cresceu 2,5% no primeiro trim...
2
Ano 3, n. 1, janeiro/março de 2014
Indicador de Custos Industriais
O custo de produção cresceu 2,2%, após
ajuste sazonal...
3
Ano 3, n. 1, janeiro/março de 2014
Indicador de Custos Industriais
O custo de capital de giro voltou a registrar uma tax...
Ano 3, n. 1, janeiro/março de 2014
Indicador de Custos Industriais
Efeito sobre a lucratividade e a competitividade
No pri...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Indicador de Custos Industriais | Jan/Mar 2014 | Divulgação 05/06/2014

180 views
151 views

Published on

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
180
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Indicador de Custos Industriais | Jan/Mar 2014 | Divulgação 05/06/2014

  1. 1. Custos industriais aumentam ritmo de crescimento para 2,5% O Indicador de custos Industriais cresceu 2,5% no primeiro trimestre de 2014 em relação ao último trimestre de 2013, após ajuste sazonal. O aumento foi superior ao 1,8% apurado no quarto trimestre de 2013. Esse resultado foi determinado pelo aumento dos custos de capital de giro (10,9%), com energia (3,3%) e com pessoal (2,8%). O crescimento do custo de capital de giro chega a 33,8% em relação ao mesmo período do ano passado, o que reverte parte significativa da redução verificada entre o segundo trimestre de 2011 e o final de 2012. Os custos industriais voltaram a crescer em ritmo mais acelerado que os preços dos produtos manufaturados, interrompendo a tendência apresentada em 2013 e voltando a pressionar a margem de lucro da indústria. Como consequência da desvalorização do real entre último trimestre de 2013 e o primeiro de 2014, os preços dos manufaturados importados em reais e dos manufaturados nos EUA, também em reais, cresceram acima dos custos industriais brasileiros. Isso sinaliza uma melhora na competitividade da industria brasileira. INDICADOR DE CUSTOS INDUSTRIAIS Ano 3 Número 1 janeiro/março de 2014 www.cni.org.br Informativo da Confederação Nacional da Indústria Indicadores variação no 1° trimestre 2014 frente ao 4° trimestre 2013 Dessazonalizado Indicador de custos industriais 2,5% Custo de produção 2,2% Custo de capital de giro 10,9% Custo tributário 2,3% Indicador de custos industriais Dessazonalizado - Base: Média de 2006 = 100 80 90 100 110 120 130 140 150 I II III IV I II III IV I II III IV I II III IV I II III IV I II III IV I II 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 III IV I 2014 ISSN 2317-7039
  2. 2. 2 Ano 3, n. 1, janeiro/março de 2014 Indicador de Custos Industriais O custo de produção cresceu 2,2%, após ajuste sazonal, no primeiro trimestre de 2014 em relação ao último trimestre de 2013. Na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, o crescimento é de 8,8%. Contribuiu significativamente para esse resultado o crescimento de 5,6% do custo com energia, particularmente, o custo com óleo combustível (aumento de 12,5%). O custo com pessoal acelerou seu ritmo de crescimento. Na comparação com o trimestre anterior, após ajuste sazonal, cresceu 2,8% no primeiro trimestre de 2014. Esse é o maior crescimento verificado desde o primeiro trimestre de 2012. O custo com bens intermediários cresceu 1,9% em relação ao trimestre anterior, confirmando a desaceleração do crescimento em relação ao terceiro e quarto trimestres de 2013, que apresentaram crescimento de 4,7% e 2,1%, respectivamente. Esse foi o componente com menor crescimento entre os custos de produção. O custo com energia se elevou em 5,6%, influenciado pela alta de 12,5% no custo com óleo combustível e o mais moderado, embora ainda elevado, crescimento de 3,3% no custo com energia elétrica. Cabe destacar que o custo com energia retomou a trajetória de crescimento no último trimestre de 2013. Com isso, reverte-se parte da redução proporcionada pelas revisões das tarifas de energia elétrica no início de 2013. Custo de produção Custo de produção e custo com pessoal Dessazonalizados - Base: Média de 2006 = 100 Custo de produção e custo com bens intermediários Base: Média de 2006 = 100 Custo de produção e custo com energia Dessazonalizados - Base: Média de 2006 = 100 80 90 100 110 120 130 140 150 160 Custo de produção Custo com energia 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 80 100 120 140 160 180 200 Custo de produção Custo com pessoal 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 80 90 100 110 120 130 140 150 160 Custo de produção* Custo com bens intermediários 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 * Dessazonalizado
  3. 3. 3 Ano 3, n. 1, janeiro/março de 2014 Indicador de Custos Industriais O custo de capital de giro voltou a registrar uma taxa de crescimento de dois dígitos: 10,9% em relação ao último trimestre de 2013. Esse é o segundo au- mento superior a 10% verificado em menos de um ano – no terceiro trimestre de 2013 o crescimento foi de 13%. O ciclo de alta que se iniciou no primeiro trimestre de 2013 já reverteu quase completamente a redução verificada entre o terceiro trimestre de 2011 e o final de 2012. Na comparação com o mesmo trimestre de 2013 verifica-se um aumento de 33,8%. O custo tributário apresenta crescimento positivo pelo terceiro trimestre consecutivo – houve cresci- mento de 2,3% em comparação com o último tri- mestre de 2013, após ajuste sazonal. Diferentemen- te dos trimestres anteriores, quando o crescimento foi liderado pelo ICMS, neste primeiro trimestre do ano ele é liderado pelo IPI. Indicador de custos industriais Custo de capital de giro Custo tributário Custo de capital de giro Base: Média de 2006 = 100 Custo tributário Dessazonalizado - Base: Média de 2006 = 100 50 60 70 80 90 100 110 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 50 60 70 80 90 100 110 120 130 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 INDICADOR PERÍODO Variação percentual dos indicadores médios com relação ao ano anterior (%) Variação percentual com relação ao trimestre imediatamente anterior (%)* 2010 2011 2012 2013 2013 - I 2013 - II 2013 - III 2013 - IV 2014 - I Indicador de custos industriais 2,4 6,4 6,6 4,0 -0,3 0,1 3,6 1,8 2,5 Custo de produção 3,6 6,6 8,4 6,1 -0,3 0,3 3,9 2,1 2,2 Custo com pessoal 5,4 10,5 11,0 7,8 1,1 2,6 1,9 2,2 2,8 Custo com bens intermediários 3,1 5,7 7,9 6,4 -0,4 -0,1 4,7 2,1 1,9 Intermediários nacionais 5,5 5,4 6,8 6,2 0,0 -0,8 4,4 2,6 1,8 Intermediários importados -11,5 7,3 16,2 7,8 -2,9 4,7 6,4 -0,8 2,3 Custo com energia 5,1 5,2 4,7 -9,0 -7,3 -5,1 -0,3 1,1 5,6 Energia elétrica 1,9 5,3 4,9 -13,3 -10,0 -6,9 -0,4 1,2 3,3 Óleo combustível 18,4 4,7 3,9 7,1 2,6 0,5 0,1 0,6 12,5 Custo de capital de giro -7,8 3,0 -21,9 0,4 3,7 2,5 13,0 4,2 10,9 Custo tributário 0,9 6,3 5,4 -1,3 -0,5 -0,8 2,0 0,5 2,3 * Após ajuste sazonal
  4. 4. Ano 3, n. 1, janeiro/março de 2014 Indicador de Custos Industriais Efeito sobre a lucratividade e a competitividade No primeiro trimestre de 2014, os custos industriais cresceram em ritmo superior ao preço dos produtos manufaturados: 2,5% contra 2,1%. Na comparação com o mesmo período do ano anterior a diferença chega a 1,1 pontos percentuais (enquanto os custos industriais cresceram 8,1%, o preço doméstico dos manufaturados se elevou em 7%). Isso sugere uma reversão na tendência de recuperação das margens de lucro da indústria iniciada em 2013. O preço dos manufaturados importados se elevou em 3,4% em relação ao último trimestre de 2013, fruto da desvalorização cambial no período. O aumento dos preços de manufaturados importados superior ao crescimento nos custos da indústria brasileira significa uma melhoria na competitividade da indústria no mercado doméstico. Os preços dos manufaturados nos EUA, em reais, se elevaram em 4,8%, crescimento também superior ao aumento nos custos industriais brasileiros, o que indica uma recuperação da competitividade internacional da indústria brasileira no primeiro trimestre de 2014 em relação ao último trimestre de 2013. Vale lembrar que no último trimestre de 2013 se verificou redução dos preços em reais dos manufaturados no mercado americano e crescimento dos custos industriais brasileiros. Custos industriais e preços domésticos dos manufaturados Base: Média de 2006 = 100 Custos industriais e preços dos manufaturados importados, em reais Base: Média de 2006 = 100 Custos industriais e preços nos EUA dos manufaturados, em reais Base: Média de 2006 = 100 INDICADOR DE CUSTOS INDUSTRIAIS | Publicação Mensal ou Trimestral da Confederação Nacional da Indústria - CNI | www.cni.org.br | Diretoria de Políticas e Estratégia - DIRPE | Gerência Executiva de Pesquisa e Competitividade - GPC | Gerente-executivo: Renato da Fonseca | Equipe: Maria Carolina Correia Marques Informações técnicas: (61) 3317-9472 - Fax: (61) 3317-9456 - email: indicadordecustosindustriais@cni.org.br | Supervisão Gráfica: Núcleo de Editoração CNI Assinaturas: Serviço de Atendimento ao Cliente - Fone: (61) 3317-9992 - email: sac@cni.org.br. Autorizada a reprodução desde que citada a fonte. Documento divulgado em 05 de junho de 2014 80 90 100 110 120 130 140 150 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Custos Industriais* Preços dos manuf. importados 80 90 100 110 120 130 140 150 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Custos Industriais* Preços domésticos dos manuf. 80 90 100 110 120 130 140 150 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Custos Industriais* Preços nos EUA dos manuf. *Dessazonalizado *Dessazonalizado *Dessazonalizado

×