Coeficientes de Abertura Comercial nº 1 |  jul-set 2011
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Coeficientes de Abertura Comercial nº 1 | jul-set 2011

on

  • 929 views

Vejam nesta edição: Participação dos produtos importados no consumo doméstico de bens industriais é recorde.

Vejam nesta edição: Participação dos produtos importados no consumo doméstico de bens industriais é recorde.

Statistics

Views

Total Views
929
Views on SlideShare
928
Embed Views
1

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 1

http://paper.li 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Coeficientes de Abertura Comercial nº 1 |  jul-set 2011 Coeficientes de Abertura Comercial nº 1 | jul-set 2011 Document Transcript

  • COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIALInformativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 1 Número 1 julho/setembro de 2011 www.cni.org.br Participação dos produtos importados no consumo doméstico de bens industriais é recorde• Participação das exportações no total da produção industrial volta a crescer O coeficiente de exportação, que corresponde à participação das exportações na produção da indústria, era apenas 10,0% em 1996 e aumentou de forma contínua até 2006, quando alcançou 20,4%. Nos anos seguintes, a participação recuou, terminando o ano de 2010 em 17,5%. A tendência de 2011 indica reversão da tendência de queda.• Coeficientes de penetração de importações segue em tendência de alta desde 2004 O coeficiente de penetração de importações, medido pela participação dos produtos importados no consumo doméstico desses produtos, está aumentando de forma consistente. Excetuando-se o ano de 2009, o coeficiente cresceu de 2003 a 2010, passando de 12,1% para 20,3%. Em 2011, a participação dos importados no consumo deve aumentar ainda mais.Coeficiente de exportação e de penetração de importaçõesPreços constantes de 2007 (%) 24 22 20,4 20,3 21,5 20 18 17,5 17,9 16 14 12 12,5 12,1 10 10,0 8 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010* 2011-III** Coeficiente de exportação Coeficiente de penetração das importações * Estimativa ** Acumulado em quatro trimestres até o terceiro trimestre de 2011
  • CoefiCientes de AberturA ComerCiAl Ano 1, n. 1, julho/setembro de 2011Aumenta a importância das exportações para a indústria A tendência observada em 2011 aponta para a retomada do crescimento do coeficiente de exportação. No acumulado dos quatro trimestres encerrados no terceiro trimestre deste ano, o coeficiente alcançou 17,9%, o que representa um aumento de 0,4 ponto percentual (p.p.) na comparação com o ano de 2010. Este aumento resultou do crescimento do quantum exportado pela indústria de transformação, associado a uma virtual estabilidade da produção física no período. Na indústria de transformação, o aumento foi de 0,4 p.p., atingindo 15,0%. Na indústria extrativa, o aumento foi de 0,8 p.p., alcançando 73,7%.Coeficiente de exportação por tipo de indústriaPreços constantes de 2007 (%) 24 80 22 70 73,7 20 60 18 50 16 17,9 40 14 15,0 30 12 10 20 8 10 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010* 2011-III** Total da indústria (eixo esquerdo) Indústrias de transformação (eixo esquerdo) Indústrias extrativas (eixo direito)* Estimativa** Acumulado em quatro trimestres até o terceiro trimestre de 2011Mais de um quinto do consumo total de bens industriais éatendido por importados O coeficiente de penetração de importações mantém a tendência de alta em 2011. O coeficiente alcançou 21,5% no acumulado dos quatro trimestres findos no terceiro trimestre de 2011, com alta de 1,2 ponto percentual (p.p.). em relação a 2010. Este é o maior valor da série histórica e está quase 10 pontos percentuais acima do nível mais baixo, registrado em 2003. 2
  • CoefiCientes de AberturA ComerCiAl Ano 1, n. 1, julho/setembro de 2011 No caso da indústria de transformação, o aumento no acumulado em quatro trimestres até o terceiro trimestre de 2011 foi de 1,3 p.p., alcançando o percentual de 20,4%, mais do que o dobro do observado em 1996 (10,1%). O coeficiente da indústria extrativa, por sua vez, aponta relativa estabilidade. O acumulado em quatro trimestres situa-se em 58,8% no terceiro trimestre de 2011, uma queda de 0,4 p.p. na comparação com 2010.Coeficiente de penetração das importações por tipo de indústriaPreços constantes de 2007 (%) 24 80 22 21,5 70 20 20,4 60 18 58,8 50 16 40 14 12 30 10 20 8 10 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010* 2011-III** Total da indústria (eixo esquerdo) Indústrias de transformação (eixo esquerdo) Indústrias extrativas (eixo direito)* Estimativa** Acumulado em quatro trimestres até o terceiro trimestre de 2011 Nota metodológica: O coeficiente de exportação é uma medida da importância das exportações para as empresas. Ele é calculado pela divisão do valor da exportação de bens industriais pelo valor da produção industrial. O coeficiente de penetração de importações corresponde à participação dos produtos importados no consumo doméstico de bens industriais, considerando-se tanto o consumo final quanto o consumo intermediário (insumos para a indústria). Trata-se de uma medida da presença de produtos importados nos mercados domésticos dos diferentes setores industriais. Os coeficientes são calculados para a indústria total, indústria extrativa mineral e indústria de transformação, e também para um conjunto de setores produtivos classificados pela Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE versão 2.0, do IBGE. São considerados todos os setores industriais a 2 dígitos da CNAE e também alguns subsetores (CNAE a 3 dígitos) que correspondem a desagregações dos setores a 2 dígitos. Para mais informações acesse: www.cni.org.br/aberturacomercial 3
  • CoefiCientes de AberturA ComerCiAl Ano 1, n. 1, julho/setembro de 2011Em % - preços constantes de 2007 Coeficientes EXPORTAÇÃO PENETRAÇÃO DE IMPORTAÇÕESSETORES 2011 2011 2009 2010* 2009 2010* III trim.** III trim.**TOTAL DA INDÚSTRIA 17,6 17,5 17,9 17,0 20,3 21,5 INDÚSTRIAS EXTRATIVAS 67,2 72,9 73,7 57,0 59,2 58,8 Extração de carvão mineral 0,0 0,0 0,0 76,2 78,2 77,9 Extração de petróleo e gás natural 69,5 83,8 84,1 71,2 81,7 81,2 Extração de minerais metálicos 83,8 79,6 81,1 36,0 29,2 29,7 Extração de minerais não metálicos 13,3 15,3 15,5 9,2 12,5 14,6 INDÚSTRIAS DE TRANSFORMAÇÃO 15,0 14,6 15,0 15,4 19,0 20,4 Produtos alimentícios 23,3 23,6 22,8 3,8 4,2 4,5 Bebidas 1,2 1,0 1,0 3,3 3,3 3,4 Produtos do fumo 53,0 43,8 39,3 2,3 2,7 1,2 Produtos têxteis 11,0 10,7 11,4 14,6 19,1 22,6 Confecção de artigos do vestuário e acessórios 1,5 1,3 1,3 5,8 7,4 10,1 Couros, artefatos de couro, artigos para viagem e calçados 29,6 29,5 29,6 7,3 8,2 10,1 Artigos para viagem e de artefatos diversos de couro 14,1 9,3 7,6 33,7 40,3 47,5 Calçados 18,2 16,4 14,3 4,3 3,4 4,5 Produtos de madeira 26,5 22,8 21,5 2,4 2,3 2,6 Celulose, papel e produtos de papel 23,4 23,3 23,1 6,7 8,5 8,8 Celulose e outras pastas para a fabricação de papel 85,4 86,6 86,0 28,7 32,7 31,5 Impressão e reprodução de gravações 0,9 0,8 0,9 4,1 4,2 4,9 Derivados do petróleo, biocombustíveis e coque 8,2 5,8 6,1 10,6 18,1 18,7 Derivados do petróleo 6,6 5,1 5,3 11,5 19,6 19,7 Biocombustíveis 19,4 10,7 12,4 0,0 0,0 0,0 Produtos químicos 11,1 10,8 11,3 20,6 23,5 26,2 Sabões, detergentes, produtos de limpeza, cosméticos, produtos de 5,2 5,8 5,5 5,3 7,5 8,5 perfumaria e de higiene pessoal Produtos farmoquímicos e farmacêuticos 7,0 8,3 9,3 26,0 30,8 30,2 Produtos farmacêuticos 6,3 7,7 8,6 21,7 26,0 25,0 Produtos de borracha e de material plástico 8,0 8,1 8,4 11,4 14,6 15,9 Produtos de borracha 17,2 16,7 16,5 18,6 23,8 25,6 Produtos de material plástico 4,3 4,4 4,8 8,6 10,5 11,3 Produtos de minerais não metálicos 6,8 7,0 6,6 4,3 6,7 8,2 Metalurgia 27,6 24,2 27,6 14,6 19,2 18,7 Produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos 7,2 6,0 6,1 9,8 12,3 13,7 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 12,1 10,4 9,6 46,3 49,6 50,7 Componentes eletrônicos 15,2 20,6 23,6 76,4 77,8 77,2 Equipamentos de informática e periféricos 6,1 4,7 5,0 38,7 40,8 43,8 Equipamentos de comunicação 20,9 16,7 12,5 33,8 38,5 41,2 Aparelhos de recepção, reprodução, gravação e amplifi. de áudio e vídeo 2,7 2,6 2,6 35,2 43,9 46,6 Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 14,3 13,1 12,7 25,0 30,6 32,9 Geradores, transformadores e motores elétricos 37,6 33,3 32,5 42,2 48,6 50,3 Eletrodomésticos 5,4 4,9 4,1 8,4 10,5 11,4 Máquinas e equipamentos 15,7 16,6 18,5 31,9 36,6 39,7 Veículos automotores, reboques e carrocerias 10,9 12,6 13,1 14,2 16,8 18,5 Peças e acessórios para veículos automotores 13,3 14,9 15,6 17,6 20,7 22,1 Outros equipamentos de transporte, exceto veículos automotores 21,2 23,5 25,0 22,5 26,7 27,0 Construção de embarcações 7,6 7,2 46,5 8,7 8,6 15,4 Fabricação de aeronaves 36,1 41,1 37,4 35,9 40,9 39,2 Móveis 8,0 7,4 6,8 2,9 4,1 4,9 Produtos diversos 17,7 16,4 16,7 29,1 31,9 34,2* Estimativa** Acumulado em quatro trimestres até o terceiro trimestre de 2011COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL | Publicação trimestral da Confederação Nacional da Indústria - CNI | Unidade de Política Econômica - PECGerente-executivo: Flávio Castelo Branco | Unidade de Pesquisa, Avaliação e Desenvolvimento - PAD | Gerente-executivo: Renato da Fonseca | EquipeTécnica: Fernando Ribeiro (Funcex), Marcelo Azevedo, Henry Pourchet (Funcex) e Edson Velloso | Informações técnicas: (61) 3317-9468 Fax: (61) 3317-9456Supervisão Gráfica: DIRCOM | Impressão e acabamento: Reprografia Sistema Indústria | Normalização Bibliográfica: ASCORP/GEDIN | Assinaturas: SACServiço de Atendimento ao Cliente Fone: (61) 3317-9989 sac@cni.org.br | SBN Quadra 01 Bloco C Ed. Roberto Simonsen Brasília, DF CEP: 70040-903www.cni.org.br | Autorizada a reprodução desde que citada a fonte.