• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Prática: Fórum de Diretores
 

Prática: Fórum de Diretores

on

  • 1,679 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,679
Views on SlideShare
1,679
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Prática: Fórum de Diretores Prática: Fórum de Diretores Document Transcript

    • RELATO DE MELHORES PRÁTICASPRÁTICA: FÓRUM DE DIRETORES 1
    • Município / Estado: Belo Horizonte – MGRealização: Conspiração Mineira pela EducaçãoResponsável: Evando NeivaCriadores: Cláudio Moura Castro Evando Neiva Antonio Carlos Cabral George BroughPropósito: Melhorar a qualidade das escolas públicasmediante o fortalecimento da liderança dos Diretores.Público: Diretores de escolas públicas 2
    • 1 - PROPÓSITO A Conspiração Mineira pela Educação e o Fórum de Diretores em 2 cápsulas1.1. Conspiração Mineira pela EducaçãoÉ uma Aliança Intersetorial (poder público / empresas / fundações)que tem como missão “contribuir para a melhoria da educação básicade Minas Gerais.”O movimento foi criado em agosto/2006, inicialmente com duasações afirmativas: i) Projeto Serra Verde, beneficiando a cerca de 120 escolas públicas na região do entorno da Cidade Administrativa (escolas públicas de Belo Horizonte, Santa Luzia, Vespasiano e Ribeirão das Neves); ii) Projeto Jequitinhonha, beneficiando 198 escolas públicas de 17 municípios do Vale do Jequitinhonha.Todas as ações são norteadas pelos princípios e diretrizes da Carta doCaminho (Anexo 1). 3
    • 1.2. Fórum de DiretoresRealizado de forma organizada e sistemática, o Fórum visa ofortalecimento da liderança dos Diretores de escolas públicas(estaduais e municipais) de um Território Educativo.Focos principais do Fórum:  trabalho cooperativo mediante o compartilhamento das melhores práticas pedagógicas e de gestão  monitoramento dos indicadores de aprendizagem (especialmente IDEB e PROALFA)  criação de uma Aliança Intersetorial de parceiros das escolas com participação efetivas dos três setores - poder público, empresas e fundações 4
    • 2 – DIFERENCIAIS DO FÓRUM A escola só é boa quando o aluno aprende O Diretor é a liderança-chave para melhorar a escola O Diretor não pode se sentir isolado / abandonado; ele tem que ser fortalecido e preparado para exercer a sua liderança-chave O Diretor passa a contar com o apoio dos seus pares (no Fórum de Diretores) na busca da melhoria da qualidade de sua escola O Diretor passa a contar igualmente com uma rede articulada de parceiros dos três setores (Aliança Intersetorial) SETOR I Poder Público SETOR III SETOR II Instituições sem fins Empresas lucrativos A realização sistemática do Fórum de Diretores propicia todas essas oportunidades 5
    • 3 – FÓRUM DE DIRETORES PASSO A PASSO3.1 – A equipe da Conspiração escolhe um Coordenador do Fórum,para conduzir transitoriamente os trabalhos (criação do Fórum erealização dos 3 primeiros encontros)3.2 – O Coordenador convida lideranças dos 3 setores para formaruma Aliança Intersetorial suporte do Fórum – o ponto de partida é aarticulação entre a Secretaria Municipal de Educação (escolasmunicipais) e a Superintendência Regional de Ensino (escolasestaduais)3.3 – O Coordenador forma um Comitê Operacional comrepresentantes dos 3 setores da Aliança3.4 – Diretores das escolas municipais e estaduais são convidados aparticipar juntos do Fórum de Diretores, constituindo uma rede deescolas públicas do “Território Educativo”3.5 – O Fórum de Diretores deve ocorrer de forma sistemática (enão episódica):  freqüência mensal com definição negociada do calendário anual de encontros  duração de 3 horas, com pontualidade para iniciar e para terminar  pauta básica (Anexo 2) com as adequações necessárias 6
    • 3.6 – O Fórum de Diretores deve ser itinerante, alternandoescolas/municípios cada mês3.7 – Focos essenciais do Fórum de Diretores:  trabalho cooperativo  compartilhamento das melhores práticas  monitoramento de resultados (IDEB/PROALFA)  implementação de parcerias3.8 – A equipe da Conspiração deve integrar as ações dos diversosFóruns de Diretores, especialmente pelas redes sociais3.9 – O Comitê Operacional deve buscar a integração com veículosde comunicação do “Território Educativo”3.10 – Após a realização do 3º encontro os integrantes do Fórum deDiretores escolhem o seu Coordenador definitivo 7
    • 4 – GALERIA DE FOTOS Projeto Serra Verde Projeto Jequitinhonha/MG SEST/SENAT – Outubro/2007 Malacacheta – Abril/2010 Projeto Regional Norte/BH Projeto Vespasiano/MGE.E. Ari da Franca – Maio/2012 E.E. Sebastião Fernandes – Maio/2012 8
    • 5 – ANEXO 1 – CARTA DO CAMINHO “Se todos quisermos, poderemos fazer do Brasil uma grande nação.” (Alferes de Cavalaria Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes)Decorridos mais de dois séculos da Inconfidência Mineira e faltando apenas quinze anospara o Bicentenário da Independência, podemos afirmar que, não obstante o muito queavançamos no passado recente, a profecia do Alferes ainda não se concretizou de formacompleta. O Brasil está longe de ocupar o lugar que, pelas suas potencialidades, lhe estariareservado.O que até hoje nos aparta dessa condição? Um dos obstáculos mais formidáveis é umsistema de educação básica muito deficiente. De fato, sem uma Educação de Qualidadepara Todos não poderemos realizar as nossas potencialidades. Não poderemos almejar aeqüidade social, a retomada do crescimento econômico sustentável e a inserção competitivae soberana do Brasil na economia internacional.A decisão de criar uma Conspiração se nutre em uma transformação recente da nossasociedade. Depois de décadas apenas acompanhando os esforços do Estado, a sociedadecivil e suas lideranças se deram conta de que educação não é apenas assunto de governo,mas de todos. Portanto, é sua também a tarefa de melhorá-la.Rememorando o fato de o primeiro documento oficial escrito sobre o Brasil haver sido aCarta de Caminha, os redatores deste manifesto decidiram batizá-lo de A Carta do Caminho.Essa alusão às nossas origens dá força à prioridade merecida pela Educação, pelo fatoincontestável – como o demonstra vastamente a experiência internacional – de ser a políticapública de maior impacto social, a que mais promove o desenvolvimento econômico e aplataforma mais efetiva para todas as demais políticas públicas. Com A Carta do Caminhoqueremos contribuir para a travessia entre o Brasil que temos e o Brasil que queremos epodemos ser.Tanto quanto um apelo aos poderes instituídos, esta mensagem mobilizadora da razão, dosentimento e da ação de todos, é um chamado ao que temos de melhor, ou seja, a nossaconsciência cívica. Convocamos – no marco de uma ética de co-responsabilidade – todas asforças vivas da sociedade para participar dessa nova Conspiração. E, dentre todas as aliançaspossíveis e indispensáveis, destacamos a importância transcendente da coalizão entrefamília, escola e a comunidade em que vive cada educando.É preciso ter sempre claro que o centro de gravidade da Conspiração é o aluno, o principaldestinatário e a razão de ser deste movimento. É ele a fonte do sentido e o suporte designificação de nossa causa, desta nova Conspiração Mineira. Se não chegar à sala de aula enão afetar o que ali acontece com o aluno, o movimento simplesmente não chegou a lugaralgum, e, portanto, carece de razão, não merecendo sequer existir. 9
    • Estamos convencidos de que a Conspiração tem em cada município o locus privilegiado parao início, a disseminação e o foco de todas as ações. Afinal, no município estão quase todosos atores que determinam os fracos resultados observados e, também, onde poderãoacontecer as transformações que nos levarão à Educação de Qualidade para Todos.Reconhecemos que o êxito deste movimento é fortemente dependente de trêscomunidades que integram o universo educacional. Primeiro, a comunidade que o lidera,constituída pelos dirigentes educacionais em todos os níveis - enfatizando de modo especialas diretoras e diretores das escolas. Segundo, a comunidade que estuda a educação e que,nas universidades e centros de pesquisas, aponta as saídas e produz reflexões sobre opassado, o presente e o futuro dos sistemas e métodos de ensino. E terceiro, ainda maisimportante, os professores, técnicos e funcionários, que se levantam todos os dias e fazem aeducação acontecer em cada rincão do país.Onde queremos chegar? Em última análise, queremos juntos encontrar caminhos para quecada escola tenha um ambiente adequado e voltado efetivamente para a aprendizagem,pois a escola só é boa quando o aluno aprende. Temos hoje um bom conhecimento dosproblemas que afligem a escola. Sabemos também das soluções de sucesso, dentre nós epelo mundo afora. Aprendemos que a educação de qualidade se faz com soluções simples, robustas e ao alcance de quase todas as comunidades brasileiras. Boas escolas têm metas e prioridades claras, realistas e compartilhadas por todos. Não é possível obter resultados satisfatórios em nenhuma organização sem boa gestão e sem a criação de um ambiente positivo e estimulante. Por isso, a boa liderança dos diretores é fator crítico para a escola de qualidade. Um dos elementos indispensáveis é a aferição sistemática da aprendizagem, por meio de avaliação externa. É ela que nos permite entender as falhas, cobrar resultados e premiar os êxitos. A presença da política nas decisões escolares é deletéria e precisa ser banida.Ao lançarmos este manifesto, celebramos nossa adesão formal aos objetivos e metas doCompromisso Nacional Todos pela Educação, para compartilharmos da evolução do nossopaís no setor educacional, até o ano de 2022, data escolhida emblematicamente por ser omarco do Bicentenário da Independência.Nosso altruísmo e desvelo estão sendo chamados para desencadear o processo que deixarápara nossos descendentes uma educação melhor – que é a grande ponte para a travessia dopaís que temos para o país com que sonhamos.Começamos com a palavra inspiradora do Alferes Joaquim José da Silva Xavier e com elavamos fechar essa conclamação. “Dez vidas eu tivesse, dez vidas eu daria”. Não importa seo alcance desses objetivos poderá ultrapassar a duração da vida de muitos de nós. O queimporta é que o nosso compromisso seja perene e digno da grandiosidade do nosso país. Antônio Carlos Gomes da Costa - Maio / 2007 10
    • 6 – ANEXO 2 – MODELO DE PAUTA HORÁRIO ASSUNTO 13:00 – 14:00 Credenciamento 14:00 – 14:20 Abertura oficial do evento Hino Nacional Fala de autoridades e anfitrião 14:20 – 14:30 Apresentação cultural 14:30 – 14:50 Todos na mesma página (Retrospectiva da Evolução da Conspiração) 14:50 – 15:30 Painel “Nossa Escola, Nosso Orgulho”: A escola anfitriã se apresenta – o antes e o depois da escola, as boas práticas que a permitiram alcançar a situação atual e seus índices de aprendizagem Certificação de parceiros da escola 15:30 – 16:30 A Parceria é a alma da Conspiração (Apresentação de parceiros e projetos a serem oferecidos às escolas) 16:30 – 17:00 Encerramento Lanche de confraternização 11
    • Maiores Informações:www.cmpeducacao.org.brConspire conosco também pelas redes sociais: 12