ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ

  • 77,439 views
Uploaded on

Descreve as principais alterações que ocorre durante uma gestação fisiológicas correlacionando sumariamente as causas dessas alterações.

Descreve as principais alterações que ocorre durante uma gestação fisiológicas correlacionando sumariamente as causas dessas alterações.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
77,439
On Slideshare
77,080
From Embeds
359
Number of Embeds
4

Actions

Shares
Downloads
884
Comments
1
Likes
5

Embeds 359

http://www.slideshare.net 277
http://www.ginecologiachirleiferreira.com.br 80
http://construtor.host.uol.com.br 1
http://www.ginecologiachirleiferreira.net 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
  • 2. “. ) ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ “A mulher grávida, enfim, tem qualquer coisa nela que a completa como parte de si mesma. • Mas essa parte, ela a perderá. Antes de tê-la, ela estava em errância, como uma alma penada, procurando. Após o parto, acabou: ela não tem mais. Depois de toda poderosa, a aniquilação. O recém-nascido, a criança, é irremediavelmente “outro.” Eugénie Lemoine (Partage des femmes Chirlei A Ferreira
  • 3. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ IMAGENS ULTRASSONOGRÁFICAS Chirlei A Ferreira
  • 4. IMAGENS DE UM FETO PERFEITO AO ULTRASSOM IMAGEM EM 2D IMAGEM EM 3D Chirlei A Ferreira
  • 5. IMAGENS DE UM FETO PERFEITO AO ULTRASSOM ULTRASSONOGRAFIA 3D • Importante para visibilização de pequenas má-formações: lábios, dedos, fechamento completo de coluna • NÃO É ESSENCIAL • O ultrassonografista visualização todas as alterações também em 2D – duas dimensões. Chirlei A Ferreira
  • 6. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ MUDANÇAS FISIOLOGICAS Chirlei A Ferreira
  • 7. MUDANÇAS EXTERNAS QUE PODEM OCORRER ECTOSCOPIA • Pode ocorrer mudança na pilificação; • Presença de manchas em região de face, denominadas cloasma gravídico devido ao maior nível hormonal. Chirlei A Ferreira
  • 8. MODIFICAÇÃO DO ABDOMEN MEDIDAS DO TAMANHO UTERINO • A medida com fita métrica a partir da sínfise púbica até o fundo uterino nos permite avaliar o bom crescimento fetal. • O útero cresce um (1) centímetro por semana, sendo que as quatro (4) primeiras semanas encontra-se intra-pelve, não sendo possível sua medição. • Essa medida diante de uma ausência da data da última menstruação nos permite estimar a idade fetal: acrescentando a medida o valor 4, ou seja, a medida da fita de 28 cm associado a 4 centímetros iniciais que eu não media, permite que eu estime a idade gestacional em 32 semanas. Chirlei A Ferreira
  • 9. MODIFICAÇÃO DO ABDOMEN • O crescimento abdominal pode levar a distensão abrupta da pele e essa apresentar lacerações que denominamos ESTRIAS. Chirlei A Ferreira
  • 10. MODIFICAÇÃO DA MAMA • Há um crescimento global da mama, com aumento da aréola; • Aumento da vascularização formando uma rede que é chamada de REDE DE HALLEY, • O aumento da aréola é acompanhada do aumento das glândulas sebáceas presente nessa que é denominado de TUBERCULOS DE MONTGOMERY, • Há um aumento do mamilo; • Perda dos limites da coloração areolar que se torna mais evidente. Chirlei A Ferreira
  • 11. MODIFICAÇÃO DOS VASOS VENOSOS • Durante a gestação toda a musculatura lisa se torna mais elástica; • Há aumento do volume plasmático e dificuldade de retorno venoso, principalmente, nos membros inferiores favorecendo o aparecimento das varizes; • Que associado a predisposição e a falta de cuidado pode chegar a casos graves de varicosidades, como na foto ao lado. Chirlei A Ferreira
  • 12. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS NO SISTEMA CIRCULATÓRIO • CORAÇÃO – Ocorre um aumento da frequencia cardíaca (10-15 bpm) – Horizontalização cardíaca, desvio para esquerda, desdobramento de B1 e em 90% dos casos há um SS discreto. • DÉBITO CARDÍACO * diminuição da resistência vascular periférica; * resposta inotrópica e cronotrópica positiva em relação ao aumento do metabolismo e do peso • VOLUME PLASMÁTICO • * aumento de 40- 50 % do plasma; * aumento de 20-30 % das hemáceas • PRESSÃO ARTERIAL – Alguns autores relatam uma pequena diminuição no segundo trimestre Chirlei A Ferreira
  • 13. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DO SISTEMA RESPIRATÓRIO • HIPERVENTILAÇÃO: leva a um aumento discreto da freqüência respiratória e a um aumento de 40-50 % do volume corrente. diminuição do pCO2 excreção de NaHCO3 “Alcalose respiratória compensada” Chirlei A Ferreira
  • 14. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DO TRATO GASTROINTESTINAL • Alteração da posição dos órgãos abdominais; • Alteração da motilidade e do tônus; • Queixas freqüentes: azia, pirose, epúlide, mamilos hemorroidários; • Fígado: aumento da fosfatase alcalina, dimuição da albumina e colinesterase; • Vesícula biliar: hipotônica, bile espessa, distendida. Chirlei A Ferreira
  • 15. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DO SISTEMA URINÁRIO • RINS: aumento discreto do tamanho, aumento do IFG e do RFG; • URETERES: dilatam mais acentuadamente a direita e alongam; • BEXIGA: alteração da posição, elevação e espessamento do trígono. Chirlei A Ferreira
  • 16. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DOS ÓRGÃOS PÉLVICOS • Há uma preparação para o parto que se inicia já logo no início com as contrações uterinas; • Um grande aporte sanguíneo direciona para toda a área e os órgãos se torna violáceos, bastante elásticos, podendo ocorrer a eversão do epitélio glandular no colo por ação hormonal (como na foto); • Os ossos pélvicos sob ação da relaxina se tornam mais flexíveis em suas áreas de contato para favorecer o momento do parto. Chirlei A Ferreira
  • 17. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DOS ÓRGÃOS PÉLVICOS • Toda a preparação tem o objetivo de que no momento do parto vaginal tenha condições de distensibilidade suficiente para a passagem do feto – a figura ao lado nos mostra em seu lado esquerdo as diversas vísceras sem a contração do polo cefálico que é visto a direita da imagem; • Nesse processo pode ocorrer distensões e prolapsos dos órgãos próximos: reto, bexiga, uretra e a musculatura Chirlei A Ferreira
  • 18. Afinal não há palavras que consigam expressar o podemos ver nessas fotos.. Abraços, Dra.Chirlei A Ferreira Chirlei A Ferreira
  • 19. ANOMALIAS MÜLLERIANAS Chirlei A Ferreira