Campo Grande                                                 Salvador/BahiaBrasilia                    Brasil….           ...
Minha entrada no Brasil!!!                                      Brasil o pais que eu sonhei conhecer, cheguei ao          ...
Brasilia                                            Nós de Brasília e meus amigos                                         ...
Brasilia Todos os dias no Brasilia foram de muito movimento, mudanza de apartamento de Adhany e Poly, encontrar os amigos ...
Otras fotos de Brasilia                                         Meu último dia em Brasília, foi                           ...
Salvador                                           Cheguei em Salvador, para participar de um                             ...
Salvador    Neste Encontro Nacional de Estudantes Negros assistem    todas as universidades no Brasil, teve lugar durante ...
ENUNE                                                                        SalvadorAlém disso, mais tarde participou de ...
ALGUMAS ORGANIZACOES QUE                                                         SalvadorCONHECÍ NO ENUNE                 ...
Depois do Evento… no Salvador Após o evento e fez um balanço, disse adeus aos meus amigos em Brasília, com quem compartilh...
Fotos de Salvador                                             Os proprietários do                                        t...
SalvadorDevo admitir que esta primeira viagema Salvador seria tão rápido que nãopude desfrutá-la na sua totalidade.Seu pov...
Saí de Salvador pensando que não voltaria,   fazer carona para visitar o minha amiga   Pusa na Chapada Diamantina, o maior...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Ruta da resistência #11. capìtulo primeiro do brasil. versao portugués

228 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
228
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ruta da resistência #11. capìtulo primeiro do brasil. versao portugués

  1. 1. Campo Grande Salvador/BahiaBrasilia Brasil…. Entrega Primeira Na “Ruta da Resistência” # 11 10 de maio – 2 de setembro de 2011 “Reencontro comigo” Salvador - Bahia
  2. 2. Minha entrada no Brasil!!! Brasil o pais que eu sonhei conhecer, cheguei ao pais más grande do sul, que abarca más da terceira parte do continente e têm uma diversidade maravilhosa, cada Estado brasileiro é como um país distinto, com costumes, sabores, colores y geografias diferentes… Como contei no relatório anterior cheguei ao Brasil sem saber português, com pouco dinheiro, pero com amigas e muitas perguntas para resolver…, e tive muita sorte, conheci ao Angel argentino chamado Tomás na fronteira com Bolívia, ele também iria de carona ate Salvador, já tinia então companheiro da viagem… Nenhum dos dois sabia português, mais nosso riso, nossas perguntas e gesticulação ajudaram nos muito... Também nos cuidamos os dois durante os dias de viagem … Tomás caminho à fronteira com Brasil Luna olhando o pôr do sol no rio Na fronteira passamos sem problemas, mais Tomás falou me que em uma viagem anterior de ele foi muito difícil passar ao Brasil… Paramos y chegamos a Corumbá, cidade da fronteira com Porto Quijarro de Bolívia, era outro mundo… Todo muda de dimensões, as avenidas, as construções, a falta de cabinas telefônicas, a moeda, os preços… Tomei antártica e guaraná esse dia, lembrei dos velhos tempos de Letícia com minha amiga Pao na fronteira de Colômbia com Brasil e Peru… que dias maravilhosos também… Borracharia, Tomás olhando o rio e bebendo cerveja Pôr do sol em CorumbáEssa noite tomamos um ônibus para Campo Grande, nos entendíamos o medo a levarde carona pero trafico de drogas nas fronteiras era preciso sair da fronteira paradar começo a nossa longe viagem de 1500 Km ate Brasilia… Brasilia…Uma viagem muito cômodo em ônibus, onde dormimos quase toda a viagem e oamanhecer com um céu rosa laranja nos acordo admirando nossos olhos… No Campo olhos…Grande iniciamos a travessia de quase 400 kms ate a tarde, quando nos decidimospôr a barraca na rodovia e continuar ao dia seguinte a viagem. Ao outro dia muito viagem.cedo nos levaram de carona ate Goiânia, viajamos todo o dia. Em Goiânia caminhamos dia.um tempo, nos percorremos a cidade, fomos ao terminal de transporte central etomamos um carro a Brasília, minhas amigas foram por nos à Rodoviária a meia noite,era todo um logro chagar à Capital Federal do grande Brasil depois de três dias deingressar a este bonito país. país. Minha primeira cerveja brasileira depois da Antártica Depois de nossa infrutuosa primeira jornada de fazer carona, umas cervejas, caminhar por Corumbá, comer algo e ver um maravilhoso pôr do sol no porto… onde agrade cimos não viajar tão rápido, para conhecer Corumbá e olhar essa bonita arde… Amanhecer em Campo Grande Caminho a Brasília de carona Que bonito….
  3. 3. Brasilia Nós de Brasília e meus amigos Adhani Poli e saudou-nos em seu lugar. Belinda me estavam estudando espanhol, assim como me ajudou a adaptar-se ao sair Português, eu disse de como ele veio logo na semana porque tinham muitas Junto al ancla del puerto Panorámica de Copacabana atividades para a aprovação do casamento gay no Brasil, eles iriam comparecer e que iria ajudar na mudança de casa (se eu tinha apontado que antes de chegar). Adhani, Poly e Luna Bruna, Luisa e o arcoíris Brasília é uma cidade enorme, se o tamanho não real, mas as dimensões als de todos os edifícios. Uma cidade com apenas 50 anos de história, absolutamente plana, está tentando desenvolver um modelo de cidade "utópica", onde todo o governo mudou o país para tentar Panorámica del pueblo de Copacabana promover o desenvolvimento em desde la Rinconada donde queda la Kasa diferentes regiões da costa do sul Kultural do Brasil é onde está concentrada a todo o poder econômico de hoje. Uma cidade com enormes edifícios e ruas raros e desabitadas (todas as pessoas que vivem em seus carros), Encontro com minhas amigas uma cidade de pessoas brancas Brasileiras na Universidade dirigindo o país onde mais de 54% da população é negra e cidades Encontrei as amigas brasileiras que satélites são os filhos e filhas dos conheci na Lima (Michelle, Adhani, Adhani, muitos migrantes que vieram para Poli, Bruna, Tate e Rosa y outro dia a viver 50 anos com promessas de Mariana também), foi lindo recorrer igualdade, que até agora não são com eles sua universidade, falar, cumpridas. tomar guaraná e beiju vegetariano, Que mejor lugar para desayunar no! conhecer das discussões em defensa Brasília é uma cidade incomum, mas das ações afirmativas que ha bonita, raramente muito segura, é realizado o movimento negro nas uma cidade para mostrar a nível universidades y o racismo que se vive internacional, infra-estrutura sãoem elas, as alianças e movimentos para as cidades que recebem recursos a aprovação do matrimonio gay em com São Paulo (no final do primeiroBrasil para os que se querem casar, as é a capital administrativa e política, Explanada dos relações da Iglesias e a homofobia y ea segunda é capital econômico). Ministerioslesbofobia nos diferentes espaços de Brasília é uma vitrine para o mundo Brasília. invisível que a desigualdade eo racismo. Biblioteca Iglesia Ecuménica Explanada dos Ministérios
  4. 4. Brasilia Todos os dias no Brasilia foram de muito movimento, mudanza de apartamento de Adhany e Poly, encontrar os amigos Poly, maravilhosos de Adri e Marcelo, que compartilham vários dias de esta semana e tambein deixaron-me lavar minhas roupas deixaron- em sua casa. casa. Conheci a Paula uma outro amigaque me falou de suo trabalho de doutorado com a situação das comunidades quilombolas no Brasil, vou discutir a situação das comunidades negras e conselhos comunitários na Colômbia, foi incrível ver tantas semelhanças na legislação, a dificuldade de títulos de terra e deslocamentos de comunidades por megaprojeitos... o Brasil megaprojeitos... não tem olho guerrilheiros e se você tem grupos que atuam O lago de Brasilia e o Ponte como paramilitares, população itinerante, (para aqueles que ainda acreditam que o existência desses grupos é destruir a guerrilha, esta é uma estratégia global)... global)... Eu também participou do Seminário LGBT 8, onde discutiram todo o processo de negociações e argumentos para a aprovação do casamento gay no Brasil e quais os desafios que permanecem para o movimento para superar a homofobia lesbofobia e transfobia no Brasil... Brasil... Tivemos uma vigília de arte que fizeram para o assassinato de um adolescente por homofobia e eu estava em uma classe de feminismo na universidade, mesmo aqui no falam de afrofeminismo, afrofeminismo, ou pelo menos o feminismo da diferença, que ainda temos longo caminho a percorrer ... Na Concentración da 2 Marcha contra a Homofobia Poly e Luna… A Marcha Nacional contra a Homofobia Nós também estávamos marchando na 2 ª Marcha Nacional Contra a Homofobia pra a aprovação do casamento gay .. Era um lugar de celebração, com muitas cores, sorrisos e muita gente bonita ... Com a partida praticamente eu falei adeus a Brasília, no dia seguinte iria para Salvador, em seguida, na parte da tarde fui com vários amigos para ir para outros lugares em Brasília e o último adeus beber cervejas algumas mulheres maravilhosas... Minhas amigas na marcha… O que boa estadia na Brasília!...
  5. 5. Otras fotos de Brasilia Meu último dia em Brasília, foi melancólica!, Depois da festa, o sentimento de não querer me ir, não querendo separar as pessoas e tão especial como Adhani e Poly. Poly. Com meus amigos em uma cidade com uma história curta, tornando-o tornando- quente é a magia das pessoas que vivem e sonham ... que não se conforma com o país que tem que, como eles continuam a ser ativistas da utopia, sonhar para ver um Feministas amigas no arcoíris Com Bruna mundo sem racismo, sexismo, sexismo, homofobia, e classes sociais, sem crueldade com animais. No ônibus me deixou Poly, Adhani, Poly, Adhani, Tate e Bruna. Conheci a Rogerio e Criss com quem falei por todo o caminho. Obrigada pela sua gentileza, cordialidade e paciência para entender... Obrigada Brasília, minha porta para ver este país grande, com muitos contrastes e muito para aprender ... Obrigada amigas por conspirar para mudar a minha rota e vieram para o Brasil, agora eu dirigir minha Com amigas na Biblioteca Com Tate cidade dos sonhos no Brasil, Salvador, estado da Bahia. Minhas amigas despedian me no önibus Con minhas amigas em minha despedida
  6. 6. Salvador Cheguei em Salvador, para participar de um Encontro Nacional de estudantes negros cotistas de todas as universidades no Brasil. Brasil. O evento ocorreu em Salvador, especificamente a Universidade Federal da Bahia, e desde a minha O Evento chegada eu me sentia diferente, a entrada para o mundo negro no Brasil, Estado da Bahia no Brasil com mais de 70% de população negra, e nas ruas 70% que eu estava vindo para uma cidade como Cartagena, muito misturado, sim, mas predominantemente preto... preto... eu me senti maravilhosamente em casa. Era onde eu queria ser casa. e onde tinham tão ardentemente desejava saber ... Cheguei na sexta-feira 20 de maio de Salvador, um sexta- dia antes do dia do Afro, dos 160 anos de abolição legal da escravidão na Colômbia, fui convidado para estar na abertura de mesa e falou em nome da CEUNA (Coletivo Estudantes universitários Afrocolombian @ s @ s), meu coletivo, as lutas da diáspora, alegando que há, na Colômbia e nas Américas vêm dando a combater o racismo. racismo. Com Rogerio e RayaneEu comentei sobre o Marcha que faria - se naColômbia e atividades para o mês de afro- afro-colombianos, sobre a questão da açãoes afirmativasna Colombia, e é por isso que estávamos no evento Colombia,para aprender com a experiência brasileira ecompartilhar a nossa. nossa.O povo da recepção foram muito boas, apesar domeu portunhol péssimo, meus amigos de Brasíliaconfirmou rom que eu tinha entendido direito. Depois direito.fomos a andar com eles para beber e comer, dançare voltar para a faculdade para a festa de aberturaonde dançou até depois de quatro horas, foi muitoboa, minha primeira aula de samba e lembrar decomo eles dançaram forro com Caribbean flair que Meus amigos de Brasilia com os que andei maiortemos os colombianos ... foi o meu melhor bem-vindo bem- parte do tempoao Bahia. Bahia.
  7. 7. Salvador Neste Encontro Nacional de Estudantes Negros assistem todas as universidades no Brasil, teve lugar durante três dias, a maioria dos espaços estavam palestrantes comentando como: as ações afirmativas no Brasil som uma luta ainda, porque a maioria das universidades têm quotas onde podem ir comunidades pobres, negros e quilombolas, ou seja, não cumprir a exigência de reparação histórica para a desgraça vivida pela escravização de africanos, som mas como uma ação econômica positiva para as classes mais pobres, onde tambein estão os afro descendentes. Pessoas assitentes do dia dois do evento na mañana Entre os coisas interessantes que apontavam algumas das apresentações são:• No Brasil mais de 54% da população é descendente preto, marrom ou Africano, Mais de 64% da população são jovens.• Hoje aos 10 anos de luta pela ação afirmativa nas universidades, 160 instituições públicas em todo o Brasil e incorporando Ação Afirmativa. Mas 863.771 pessoas que entraram por cotas, apenas 472.424 são sócios ativos, atrito permanece Palestrantes do ENUNE elevada, e desses apenas 171.961 foram formadas. Como o slogan diz, por isso a luta continua.• Antes de a ação afirmativa era impensável que as pessoas em cidades distantes de grandes cidades devem ter acesso ao ensino superior (como ainda acontece hoje na Colômbia), hoje é ainda uma possibilidade para uma minoria, mas depois de todas as possibilidades. Quotistas vários e falei depois com os amigos dormitório são aqueles que vêm de províncias, são os primeiros em sua família ou de seu povo para acesso ao ensino superior, assim que sentem uma grande responsabilidade. Intervencoes do dia trës do Encontro
  8. 8. ENUNE SalvadorAlém disso, mais tarde participou de uma mesa temática dasmulheres, onde conheci várias organizações estudantis e os seustrabalhos e falar de coisas como: como:• Menos mulheres do que homens entram na faculdade e muito menos o fim, porque se estão grávidas, e geralmente são os que saem da universidade e não os homens. homens.• O elitismo do movimento feminista no Brasil, que muitas vezes não reconhece a variável racial• Machismo movimento negro, a mulher é "ser comido e para ser usado“. usado“.• É necessário considerar quotas específicas para as mulheres negras às universidades. universidades.• Eles falaram da necessidade de trabalhar o imaginário das mulheres negras em sala de aula. aula.• O racismo estava falando como na TV e outras mídias, onde uma minoria de atores negros e aqueles que contratam os canais de comunicadores. comunicadores.• Em Salvador, a questão das mulheres usaram a droga por seus pares é uma questão emocional para enfrentar. enfrentar.• Campanha comentou queixa Pagodi Funk e música, onde as mulheres são ofendidos pelos meios de comunicação e esses grupos que mostram como mercadorias, esta queixa foi feita antes de o ministério público. público.• Falaram bem como questão econômica para o empoderamento das mulheres, a questão emocional é fundamental: "A mulher negra é fundamental: sempre o outro, o amante eo casal não é considerado oficial afetiva. afetiva." A afetividade das mulheres negras é uma questão de Com meus amigos de Brasilia a segunda noite trabalhar e fortalecer. fortalecer.• O respeito pelas mulheres e sua diversidade sexual e afetiva. afetiva. Comentei sobre a Colômbia o seguinte: seguinte: • A situação das mulheres no contexto da guerra, em particular as mulheres negras, • A falta de auto-reflexão sobre o afrofeminismo em auto- organizações de mulheres Africano na Colômbia, Sexismo e homofobia do movimento negro na Colômbia e as dificuldades de participar e ser reconhecidos e respeitados como legítimos interlocutores para os nossos companheiros militantes • Interna lutas de poder que os homens mais querem estar representando, apesar de ser muito mais mulheres que trabalham dentro das organizações. organizações. • Do racismo institucional no movimento feminista na A mesa de palestrantes da tarde Colômbia ea resistência e ignorância contra feminismos do segundo día outras diferentes ... • Interseccionalidade como um desafio para l @ s @ s afrocolombian, eles se juntaram a esta necessidade no Brasil, como uma luta que deve ser sustentado. sustentado.
  9. 9. ALGUMAS ORGANIZACOES QUE SalvadorCONHECÍ NO ENUNE UNEA União Nacional dos Estudantes da UNE-Brasil, é a UNE-organização que agremia todas as organizaçõesestudantis há mais de 70 anos, e tem presença emtodos os 27 estados do Brasil. Promove eventos alunoa cada ano muitas discussões temáticas nacionais paracontribuir para a realidade nacional. Aparentemente,eles não tinham ligação com partidos políticos, masnos últimos anos tem sido próximos ou Lula do governoLula tem sido próximo do movimento estudantil?A bandeira principal da UNE tem sido a educaçãogratuita para todos, e também promove a luta contrao racismo, que reúne alunos que entraram por quotassocial e racial no país. Verhttp://unecombateaoracismo.blogspot.com/. Este Com dois companeiros Bahianos, ela me lembraba a uma amiga Colombiana, eevento que participei foi a terceira versão, onde falou tambein face teatro e danza…sobre os avanços, conquistas e desafios 10 anos apóso impulso de cotas em universidades de todo o país. ENEGRECER Organização de jovens comprometidos do Partido dos Trabalhadores - PT com as lutas do povo negro. Defender o socialismo como a negro. superação do sistema capitalista que usa o racismo para se sustentar. Eles sonham com sustentar. uma sociedade onde a diversidade é respeitada. respeitada. Tentar construir uma cultura revolucionária e Afrocentrica em todas as áreas da juventude. juventude. Entre suas linhas de trabalho são: combate ao são: racismo, Cultura, Economia Solidária, Eco- Eco- socialismo, feminismo, LGBT, Mundo do Revista El Colectivo Trabalho e quilombolas Saúde para saber mais podem ser encontradas em: em: http://enegrecer.blogspot. http://enegrecer.blogspot.com/search/ label / Com amigos de Minas y Bahía Combate% 20ao% 20Racismo. Combate% 20ao% 20Racismo. Eles fazem parte com acarajé e cerveja Skol… da Campanha Contra o Extermínio da Juventude Negra no Brasil. Brasil. Finalmente para mim o evento foi muito interessante saber o quadro nacional de açãos afirmativas, fazer contatos para CEUNA (meu Coletivo) e fazer amigos. Eles valorizaram muito conhecimento sobre a experiência da Colômbia e estavam muito abertos para falar de suas próprias experencas...
  10. 10. Depois do Evento… no Salvador Após o evento e fez um balanço, disse adeus aos meus amigos em Brasília, com quem compartilhei todos os dias, e pegou alguns contatos de as organizações para CEUNA (meu Coletivo) e conversei com os organizadores para ficar mais alguns dias em Salvador, eu queria ir a conhecer Salvador. Pelorinho foi um lugar de tortura de escravos e hoje é o centro histórico de Salvador, seus mil igrejas em todo lugar som testemunhas, da participação da Igreja neste crime vergonhoso, no Mercado Modelo para a minha indignação, permanece como um mercado, não das pessoas, mas de artesanato para turistas e visitantes a esta cidade antiga. Fomos para a igreja do Bom Fim, a quem visitam muitas pessoas e um lugar conhecido pelos milagres que dizem fez, era um lugar bonito de se ver um Panorama desde a igreja do Bom Fim panorama da cidade. Após a Praia do Farol Barra, onde nadamos, tomamos uma cerveja e depois voltar para a faculdade. No dia seguinte eu me encontro com Camila e Naiara, dois amigos de Poly e Adhany que disseram me alguns aspectos introdutórios de Candomble, a participação das Candomble, mulheres, a comunidade do Tejeiro da Boa Morte é um Terreiro de mulheres. Depois falaríamos mas e encontrar nos de novo se eu voltou para o Salvador, porque no dia seguinte saí de Salvador ... Ruas de Pelorinho Com minhos amigos de Bello Horizonte e Rio de Janeiro paseiando por Pelourinho Sair de um dos lugares que a maioria de pessoas quere conhecer de Brazil, teve um sabor agridoce, eu aprendi muito, mas realmente me machucou tanto: tanto: um discurso terrível passado hoje para atrair turistas, candombe vendido ao lado de fora enquanto dentro do Brasil tem um enorme estigma, os fundamentalistas religiosos e evangélicos que perseguem um povo negro e sua espiritualidade, mas com uma realidade tão misturados que às vezes nega o racismo como Cartagena na Calombia... Calombia... Ruas de Pelorinho
  11. 11. Fotos de Salvador Os proprietários do turismo em Salvador, são pessoas de fora, a maioria das pessoas aqui som muito pobres, com a violência nas favelas raramente é discutido para não afugentar os turistas e onde, no final de modo que se aqueles que morrem são sempre Café Carcajada jovens negros que pouco Na casa de Jorge Amado, importa para o estado ... Bahiano, um dos principais drogados ou traficantes escritores do Brasil, que tem foram provavelmente diz escritos sobre Salvador obscurecendo as pessoas nas ruas como disseram no evento a crescente criminalização da pobreza e do trabalho de "limpeza" a ser realizado pela polícia em locais como estes. Eu amei a história de Salvador e da resistência de seu povo, mas estava desgostoso com tudo isso paraíso turístico que faz o jogo do capitalismo e da população proprietário Luna no Faro da Barra dessa história, permanece pobre... Zumbi dos Palmares, o Benkos Biohó de Brasil Palacio Rio Branco em Pelorinho Com meus amigos no Faro da Barra depois do paseio
  12. 12. SalvadorDevo admitir que esta primeira viagema Salvador seria tão rápido que nãopude desfrutá-la na sua totalidade.Seu povo estava lindo para mim, agalera do evento foi muito simpática eacolhedora, que foi um bálsamo paraminhas preocupações financeiras,porque era muito caro, mas nósqueríamos comer ou beber mais baratomais meu dinheiro estava voando, ascoisas custavam três vezes mais doque na Colômbia e eu senti que só A Praia do Faro da Barrapoderia manter-me uma semana noBrasil e realizar a saída, mas eu nãosabia que a vida tinha me preparadoficar um pouco mais ... Ruas de Pelourinho.. Eu amei o acarajé, a cerveja nas ruas enquanto caminhava de rumba em rumba, eu amei todas as músicas: Forró, Samba, Capoeira, bossa-nova, funk ... O encontro com os artistas em todos os lugares, homens e mulheres tão bonhitas ... Mercado Modelo, onde os escravos Africano foram negociados para o tráfico
  13. 13. Saí de Salvador pensando que não voltaria, fazer carona para visitar o minha amiga Pusa na Chapada Diamantina, o maior Parque Natural do Brasil ... Ela e seu marido Ari estavam ali com o circo, a música e um sorriso esperando por mim... Precisava vê-la, falar e pensar mais sobre isso que eu tinha aprendido em duas semanas no Brasil ... Em Vale do Capão tinha surpresas esperando por mim... ¡ Até o próximo relatório…!

×