Tendências pedagógicas

13,867 views
13,615 views

Published on

5 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
13,867
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
478
Comments
5
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tendências pedagógicas

  1. 1. TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS PEDAGOGIA LIBERAL PEDAGOGIA PROGRESSISTA PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  2. 2. PEDAGOGIA LIBERAL PRINCIPAIS CARACTERÍSTICASJUSTIFICAÇÃO DO SISTEMA CAPITALISTAÊNFASE NA DEFESA DA LIBERDADE E DOS DIREITOS E INTERESSES INDIVIDUAIS NASOCIEDADETEORIA NÃO CRÍTICA ( MANUTENÇÃO DO STATUS QUO )TEORIAS NÃO-CRÍTICAS ( MANUTENÇÃO DO STATUS QUO )PERÍODO DA PREDOMINÂNCIA ( 1549 À 1985 )TENDÊNCIAS PEDAGÓGICASPEDAGOGIA LIBERAL: DIVIDE-SE EM 4 TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS:TRADICIONALESCOLA NOVA DIRETIVAESCOLA NOVA NÃO-DIRETIVATECNICISTA PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  3. 3. PEDAGOGIA PROGRESSISTA PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS A ESCOLA É CONDICONADA PELOS ASPECTOS SOCIAIS, POLÍTICOS E CULTURAIS, MAS CONTRADITORIAMENTE EXISTE NELA UM ESPAÇO QUE APONTA A POSSIBILIDADE DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL A EDUCAÇÃO POSSIBILITA A COMPREENSÃO DA REALIDADE HISTÓRICO-SOCIAL E EXPLICITA O PAPEL DO SUJEITO CONSTRUTOR/TRANSFORMADOR DESSA MESMA REALIDADE TEORIA CRÍTICA SUSTENTA A FINALIDADE SÓCIO- POLÍTICO DA EDUCAÇÃO INSTRUMENTO DE LUTA DE PROFESSORES AO LADO DE OUTRAS PRÁTICAS SOCIAIS PERÍODO DE PREDOMINÂNCIA 1960 – 1990 TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS A PEDAGOGIA PROGRESSISTA: DIVIDE-SE EM 3 TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS: LJBERTÁRIA, LIBERTADORA, HISTÓRICO-CRÍTICA PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  4. 4. TENDÊNCIA TRADICIONAL OU CONSERVADORAMANIFESTAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA PREDOMINÂNCIA: ATÉ 1930 CATÓLICA: MONOPÓLIO JESUÍTICO ATÉ 1759 LEIGA: LIBERALISMO CLÁSSICO 1759 A 1930 PAPEL DA ESCOLA TRANSMISSÃO DE CONHECIMENTO NÃO POSSIBILITA A MOBILIDADE SOCIAL, PRIVILEGIANDO AS CAMADAS MAIS FAVORECIDAS PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  5. 5. TENDÊNCIA TRADICIONAL OU CONSERVADORA FUNÇÃO DA AVALIAÇÃO CLASSIFICATÓRIA VALORIZA ASPECTOS COGNITIVOS E QUANTITATIVOS COM ÊNFASE NA MEMORIZAÇÃOO ALUNO DEVE REPRODUZIR NA ÍNTEGRA O QUE FOI ENSINADO VERIFICAÇÃO, POR MEIO DE PROVAS,INTERROGATÓRIOS ORAIS, EXERCÍCIOS E TRABALHOS DE CASA PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  6. 6. TENDÊNCIA TRADICIONAL OU CONSERVADORA RELAÇÃO PROFESSOR – ALUNOO PROFESSOR É O CENTRO DO PROCESSO, É AUTORITÁRIOO ALUNO É PASSIVO, SUBMISSO, RECEPTIVO E SUJEITO A CASTIGO TENDÊNCIAS DE ENSINOAULA EXPOSITIVA, COM ÊNFASE NOS EXERCÍCIOS, CÓPIAS, LEITURAS REPETIÇÃO E MEMORIZAÇÃO DE CONCEITOS E FÓRMULAS COM ESTÍMULO AO INDIVIDUALISMO E À COMPETIÇÃO PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  7. 7. TENDÊNCIA TRADICIONAL OU CONSERVADORA MÉTODOS DE ENSINO MÉTODO EXPOSITIVO PREPARAÇÃO: RECORDAÇÃO DA AULA ANTERIORAPRESENTAÇÃO: CONTEMPLAÇÃO E APREENSÃO DO OBJETODA APRENDIZAGEM. O NOVO CONHECIMENTO É COLOCADO DIANTE DO ALUNO E CABE A ELE ASSIMILARGENERALIZAÇÃO: O QUE É GERAL SEPARA-SE NOS ASPECTOS PARTICULARES CONCRETOS: OS ASPECTOS GERAIS SÃOUNIDOS ÀS IDEIAS ANTERIORMENTE ADQUIRIDAS E OCORRE A SISTEMATIZAÇÃO DA APRENDIZAGEM APLICAÇÃO: O ALUNO DEMONSTRA O QUE APRENDEU ATRAVÉS DAS AVALIAÇÕES PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  8. 8. TENDÊNCIA ESCOLA NOVA DIRETIVA MANIFESTAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA 1932 – MANIFESTO DOS PIONEIROS DA EDUCAÇÃO NOVA, ENCABEÇADO POR FERNADO AZEVEDO 1934 – CONSTITUIÇÃO 1940 – PSICOLOGISMO PEDAGÓGICO 1950 – SOCIOLOGISMO PEDAGÓGICO 1960 – ECONOMICISMO PEDAGÓGICO PAPEL DA ESCOLA PROPOSTA DE ESCOLA DEMOCRÁTICA, PROCLAMADA PARA TODOS VALORIZA OS CONHECIMENTOS QUE O ALUNO TRAZ, ESTIMULARALUNOS DIFERENTES E QUE NECESSITAM DE ESTIMULOS DIFERENTES AJUSTAMENTO SOCIAL POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS, EM QUE A ESCOLA DEVE RETRATAR A VIDA PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  9. 9. TENDÊNCIA ESCOLA NOVA DIRETIVA FUNÇÃO DA AVALIAÇÃO VALORIZAÇÃO DE ASPECTOS AFETIVOS – ATITUDES PREOCUPAÇÃO COM A PARTICIPAÇÃO, INTERESSE, SOCIALIZAÇÃO E CONDUTA ÊNFASE NA AUTOAVALIAÇÃO RELAÇÃO PROFESSOR – ALUNO O PROFESSOR É UM FACILITADOR DA APRENDIZAGEM, QUEAUXILIA O DESENVOLVIMENTO ESPONTÂNEO DA CRIANÇA. ELE NÃO DEVE ENSINAR, MAS CRIAR SITUAÇÕES PARA QUE OS ALUNOS APRENDEM O ALUNO É O CENTRO DO PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM, UM SER ATIVO PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  10. 10. TENDÊNCIA ESCOLA NOVA DIRETIVA TÉCNICAS DE ENSINO CENTROS DE INTERESSE ESTUDO DIRÍGIDO MÉTODO DE PROJETOS FICHAS DIDÁTICAS CONTRATO DE ENSINO AS TÉCNICAS DE ENSINO E OS MÉTODOS EXIGEM O USO DE MUITOS RECURSOS DIDÁTICOS E SÃO ORIENTADOS POR TRÊS PRINCÍPIOS: INDIVIDUALIZAÇÃO, LIBERDADE E ESPONTANEIDADE PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  11. 11. TENDÊNCIA ESCOLA NOVA DIRETIVA MÉTODOS DE ENSINO MÉTODO DA PESQUISA OU MÉTODO DA DESCOBERTA ATIVIDADE: O ENSINO COMEÇA SEMPRE COM UMA ATIVIDADE, A QUAL PODE SUCISTAR UM PROBLEMA PROBLEMA: ALUNOS E PROFESSORES DEVEM RESOLVER O PROBLEMA LEVANTAMENTO DE DADOS: OS ALUNOS LEVANTAM DADOS ATRAVÉS DE LIVROS, ESTUDOS DE CAMPO, DOCUMENTOS, ETC FORMULAÇÃO DE HIPÓTESES EXPLICATIVAS: OS DADOS ORGANIZADOS PELOS ALUNOS SERVEM DE BASE PARA A FORMULAÇÃO DE HIPÓTESES EXPERIMENTAÇÃO: OS ALUNOS TESTAM AS HIPÓTESESESTE MÉTODO ASSUME CARÁTER PSEUDOCIENTÍFICO PORQUECONFUNDE CIÊNCIA E ENSINO PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  12. 12. TENDÊNCIA ESCOLA NOVA NÃO DIRETIVAMANIFESTAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO CENTRADA NO ESTUDANTE PRÁTICA PEDAGÓGICA ANTIAUTORITÁRIA PAPEL DA ESCOLA PROMOVER O AUTODESENVOLVIMENTO E A REALIZAÇÃO PESSOAL PRIORIZA OS PROBLEMAS PSICOLÓGICOS EM DETRIMENTO DOS PEDAGÓGICOSPRIVILEGIA SITUAÇÕES PROBLEMÁTICAS CORRESPONDENTES AOS INTERESSES DO ALUNOENFOQUE NO AFROUXAMENTO DAS NORMAS DISCIPLINARES (FUNÇÕES DE PROFESSOR E ALUNO SE CONFUNDEM) PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  13. 13. TENDÊNCIA ESCOLA NOVA NÃO DIRETIVA FUNÇÃO DA AVALIAÇÃO ATIVIDADES AVALIATIVAS: DEBATES, SEMINÁRIOS, ELABORAÇÃO DEMURAIS PEDAGÓGICOS, RELATÓRIO DAS PESQUISAS EXPERIMENTOSE ESTUDOS DO MEIO, TRABALHOS EM GRUPO EM QUE O EDUCANDO DEVE APRENDER A FAZER FAZENDO E A PENSAR PENSANDO RELAÇÃO PROFESSOR – ALUNO O PROFESSOR É UM ESPECIALISTA EM RELAÇÕES HUMANAS O RELACIONAMENTO PROFESSOR-ALUNO DEVE SER AUTÊNTICO E PESSOAL O PROFESSOR TEM QUE SER CONFIÁVEL, RECEPTIVO E INTERVIR O MÍNIMO POSSÍVEL NA APRENDIZAGEM DO ALUNO, JÁ QUE SUA INTERVENÇÃO AMEAÇA E INIBE O ALUNO PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  14. 14. TENDÊNCIA ESCOLA NOVA NÃO DIRETIVA TÉCNICAS DE ENSINO CONTRATOS ONDE ALUNOS E PROFESSOR ESTABELECEM NÍVEIS DE APROVEITAMENTOS, TÓPICOS E CONCEITOS (NOTA A, NOTA B)GRUPO DE FACILITADORES: UM PRESIDENTE E UM RELATORQUE PREPARAM AS SESSÕES DE ESTUDO COM O PROFESSOR ENTREVISTA: CRIAR NO CURSO DA ENTREVISTA UMA ATMOSFERA PROPICIA PARA QUE O PRÓPRIO ALUNO ESCOLHA SEUS OBJETIVOS TRABALHOS EMGRUPO, JOGOS/CRIATIVIDADE, OBSERVAÇÕES, EXPERIÊNCIA S, DINÂMICAS DE GRUPOS, PESQUISAS PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  15. 15. TENDÊNCIA ESCOLA NOVA NÃO DIRETIVA MÉTODOS DE ENSINO MÉTODO CLÍNICO DE ROGERS CONTATO COM A REALIDADE: O CONTATO COM A REALIDADE TORNA A APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA, PELO VÍNCULO DAS EXPERIÊNCIAS E MOTIVAÇÕES DO INDIVÍDUO AUTENTICIDADE OU CONGRUÊNCIA: O PROFESSOR DEVE SER SENTIDO COMO PESSOA UNIFICADA, INTEGRADA, CONGRUENTE ACEITAÇÃO POSITIVA INCONDICIONAL: O PROFESSOR ACEITA OS SENTIMENTOS DO ALUNO, EM TODA ESPÉCIE DE ATITUDE EMPATIA: CAPACIDADE DE CAPTAR O MUNDO DO ALUNOCOMO SE FOSSE O SEU, EM TODAS AS REAÇÕES AO ENFRENTAR UMA NOVA MATÉRIA PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  16. 16. TENDÊNCIA TECNICISTAMANIFESTAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA SURGE NO BRASIL EM MEADOS DA DÉCADA DE 50, MAS ÉINTRODUZIDA EFETIVAMENTE NO FINAL DOS ANOS 60, COM PREDOMÍNIO A PARTIR DE 1978 AS LEIS 5.540/68 (ENSINO UNIVERSITÁRIO) E 5.692/71(ENSINO DE 1º e 2º GRAUS) SÃO MARCOS DA IMPLANTAÇÃO DO MODELO TECNICISTA PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  17. 17. TENDÊNCIA TECNICISTA PAPEL DA ESCOLA ARTICULA-SE COM OS SISTEMA PRODUTIVO PARA APERFEIÇOAMENTO DO SISTEMA CAPITALISTA,PREOCUPANDO-SE COM A FORMAÇÃO DE INDIVÍDUOS PARA O MERCADO DE TRABALHO, DE ACORDO COM AS EXIGÊNCIAS DA SOCIEDADE INDUSTRIAL E TECNOLÓGICA VALORIZA ASPECTOS MENSURÁVEIS E OBSERVÁVEIS PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  18. 18. TENDÊNCIA TECNICISTA FUNÇÃO DA AVALIAÇÃOÊNFASE NA PRODUTIVIDADE DO ALUNO, MENSURADA A PARTIR DE TESTES OBJETIVOS REALIZAÇÃO DE EXERCÍCIOS PROGRAMADOSOCORRE NO FINAL DO PROCESSO, COM A FINALIDADE DE CONSTATAR SE OS ALUNOS ADQUIRIRAM OS COMPORTAMENTOS DESEJADOS EXAGERADO APEGO AOS LIVROS DIDÁTICOS PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  19. 19. TENDÊNCIA TECNICISTA RELAÇÃO PROFESSOR – ALUNO O PROFESSOR É APENAS UM ELO DE LIGAÇÃO ENTRE AVERDADE CIENTÍFICA E O ALUNO, É O TÉCNICO RESPONSÁVEL PELA EFICIÊNCIA DO ENSINOO ALUNO É UM SER FRAGMENTADO, ESPECTADOR QUE ESTÁ SENDO PREPARADO PARA O MERCADO DE TRABALHO PARA APRENDER A FAZER TÉCNICAS DE ENSINO COLOCA A ATENÇÃO EM MODOS INSTRUCIONAIS QUE POSSIBILITAM CONTROLE EFETIVO DOS RESULTADOS:INSTRUÇÃO PROGRAMADA, PACOTES DE ENSINO, MÓDULOS INSTRUCIONAIS, ETC PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  20. 20. TENDÊNCIA TECNICISTA MÉTODOS DE ENSINO MÉTODO CIENTÍFICO PREOCUPAÇÃO CIENTÍFICA QUE ESTÁ BASEADA EM PRINCÍPIOS DA TECNOLOGIA EDUCACIONAL HARMONIZAÇÃO ENTRE AS NECESSIDADES DOS ALUNOS E OS VALORES SOCIAIS OBJETIVOS INSTRUCIONAIS OPERACIONALIZADOS EM COMPORTAMENTO OBSERVÁVEL E MENSURÁVEL PROCEDIMENTOS INSTRUCIONAIS ÊNFASE NOS MEIOS, NA INSTRUÇÃO PROGRAMADA, NASTÉCNICAS DE MICROENSINO, NOS RECURSOS AUDIOVISUAIS PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  21. 21. TENDÊNCIA LIBERTÁRIA MANIFESTAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA ANTIAUTORITARISMO E AUTOGESTÃO SÃO OS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA PROPOSTA PEDAGÓGICA ANARQUISTA QUE ABRANGE VÁRIAS CORRENTES: LIBERTÁRIOS, PSICANALISTAS E SOCIÓLOGOS PAPEL DA ESCOLA DESENVOLVER MECANISMOS DE MUDANÇAS INSTITUCIONAIS E NO ALUNO, COM BASE NA PARTICIPAÇÃO GRUPAL, ONDE OCORRE A PRÁTICA DE TODA A APRENDIZAGEMEXERCE UMA TRANSFORMAÇÃO NA PERSONALIDADE DO ALUNO NO SENTIDO LIBERTÁRIO E AUTOGESTIONÁRIO RESISTÊNCIA CONTRA A BUROCRACIA COMO INSTRUMENTO DE AÇÃO DOMINADORA E CONTROLADORA DO ESTADO PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  22. 22. TENDÊNCIA LIBERTÁRIA FUNÇÃO DA AVALIAÇÃONÃO PREVÊ NENHUM TIPO DE AVALIAÇÃO DOS CONTEÚDOS. ELA OCORRE NAS SITUAÇÕES VIVIDAS, EXPERIMENTADAS,PORTANTO INCORPORADAS PARA SEREM UTILIZADAS EM NOVAS SITUAÇÕES PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  23. 23. TENDÊNCIA LIBERTÁRIA RELAÇÃO PROFESSOR – ALUNO PROFESSOR E ALUNO SÃO LIVRES, UM EM RELAÇÃO AO OUTRO E DESENVOLVEM UMA RELAÇÃO BASEADA NA AUTOGESTÃO E NO ANTIAUTORITARISMOO PROFESSOR É UM ORIENTADOR, UM CATALISADOR QUE REALIZA REFLEXÕES EM COMUM COM OS ALUNOS. CABE A ELE: AJUDAR O GRUPO A DESENVOLVER-SE, AUXILIANDO NO DESENVOLVIMENTO DE UM CLIMA GRUPAL EM QUE SEJA POSSÍVEL APRENDER E SUPERAR OS OBSTÁCULOS PARA APRENDER QUE ESTÃO ENRAIZADOS NO INDIVÍDUO E NO GRUPO, AJUDAR O COLETIVO A DESCOBRIR E UTILIZAR OS DIFERENTES MÉTODOS DE PESQUISA,AÇÃO OBSERVAÇÃO E FEEDBACK, LIBERAR AS FORÇAS INSTITUINTES DO GRUPO, QUE FUNCIONA COMO ANALISADORES DAS INSTITUIÇÕES PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  24. 24. TENDÊNCIA LIBERTÁRIATÉCNICAS DE ENSINO VIVÊNCIA GRUPAL ASSEMBLEIA REUNIÕES PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  25. 25. TENDÊNCIA LIBERTÁRIA MÉTODOS DE ENSINO FAZ O MOVIMENTO DO COMPOSTO AO SIMPLES, DO GERAL AO PARTICULAR, DO NÚMERO À UNIDADE, DA HARMONIA AO SOM, DA REGRA AO FATO, DO PRINCÍPIO À APLICAÇÃO VAI DO OBSERVADO AO NÃO-OBSERVADO, DO CONHECIDO AO DESCONHECIDO MÉTODO RACIONAL, EXPERIMENTAL, CIENTÍFICO: ESTIMULA A CURIOSIDADE, FAVORECE A ATIVIDADE CEREBRAL, SE AFASTA DA CREDULIDADE, COLOCA A RAZÃO E A MEMÓRIA NO SEU DEVIDO LUGAR O EXERCÍCIO DA LIBERDADE PELO ALUNO TEM QUE SER EFETIVO EREAL DESDE O INÍCIO, COM CARÁTER PROGRESSIVO, MANIFESTANDO- SE PLENAMENTE NOS ÚLTIMOS ANOS ESCOLARES PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  26. 26. TENDÊNCIA LIBERTÁRIA MÉTODOS DE ENSINO INTERESSE EM CRESCER DENTRO DA VIVÊNCIA GRUPAL RELEVÂNCIA DA EXPERIÊNCIA, DA ATIVIDADE PRÁTICA QUE É INCORPORADA E UTILIZADA EM SITUAÇÃO NOVA A PARTICIPAÇÃO GRUPAL DEVE SER OBTIDA ATRAVÉS DE ASSEMBLEIAS, CONSELHOS, ELEIÇÕES, REUNIÕES, ASSOCIAÇÕES, DE TAL FORMA QUE O ALUNO LEVE PARA A ESCOLA E PARA A VIDA COTIDIANA TUDO QUE APRENDEUA AUTO-GESTÃO É O CONTEÚDO E O MÉTODO, RESUME TANTO O OBJETIVO PEDAGÓGICO, QUANTO O POLÍTICO ESCOLHIDA UMA MATÉRIA, O ALUNO É ESTIMULADO À PESQUISA PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  27. 27. TENDÊNCIA LIBERTADORA MANIFESTAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICAPRIMEIRA EXPERIÊNCIA: MOVIMENTO DE CULTURA POPULAR NO RECIFE – 1964 PROJETO DE EDUCAÇÃO DE ADULTOS CÍRCULO DE CULTURA CENTRO DE CULTURA PAPEL DA ESCOLA FORMAÇÃO DA CONSCIÊNCIA POLÍTICA DO ALUNO PARA ATUAR E TRANSFORMAR A REALIDADEPROBLEMATIZAÇÃO DA REALIDADE, DAS RELAÇÕES SOCIAIS DO HOMEM COM A NATUREZA E COM OS OUTROS HOMENS, VISANDO A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  28. 28. TENDÊNCIA LIBERTADORA FUNÇÃO DA AVALIAÇÃO PRÁTICA EMANCIPADORADESENVOLVIMENTO E PROGRESSO DO GRUPO A PARTIR DEUM PROGRAMA DEFINIDO COLETIVAMENTE COM O GRUPOPRÁTICA VIVENCIADA ENTRE EDUCADOR E EDUCANDO NO PROCESSO DE GRUPO PELA COMPREENSÃO E REFLEXÃO CRÍTICATRABALHOS ESCRITOS E AUTOAVALIAÇÃO EM TERMOS DO COMPROMISSO ASSUMIDO COM O GRUPO E COM A PRÁTICA SOCIAL PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  29. 29. TENDÊNCIA LIBERTADORA RELAÇÃO PROFESSOR – ALUNO PROFESSOR E ALUNO SÃO SUJEITOS DO ATO DO CONHECIMENTO O PROFESSOR É O COORDENADOR DE DEBATES,ADAPTANDO-SE ÀS CARACTERÍSTICAS E NECESSIDADES DO GRUPO O ALUNO É SUJEITO ATIVO NO GRUPO TÉCNICA DE ENSINO MÉTODOS E TÉCNICAS QUE SE REFAZEM NA PRÁXIS: GRUPOS DE DISCUSSÕES, DEBATES, ENTREVISTAS PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  30. 30. TENDÊNCIA LIBERTADORA MÉTODOS DE ENSINOO MÉTODO EXIGE UMA RELAÇÃO DE AUTÊNTICO DIÁLOGO, EM QUEOS SUJEITOS DO ATO DE CONHECER SE ENCONTRAM MEDIATIZADOS PELO OBJETO A SER CONHECIDOA PROBLEMATIZAÇÃO DA SITUAÇÃO PERMITE AOS ALUNOS CHEGAR A UMA COMPREENSÃO MAIS CRÍTICA DA REALIZADA ATRAVÉS DA TROCA DE EXPERIÊNCIA EM TORNO DA PRÁTICA SOCIAL DEVE POSSIBILITAR A VIVÊNCIA DE RELAÇÕES EFETIVAS DISPENSAM-SE PROGRAMAS PREVIAMENTE ESTRUTURADOS, BEM COMO AULAS EXPOSITIVAS, ASSIM COMO QUALQUER TIPO DEVERIFICAÇÃO DIRETA DA APRENDIZAGEM, FORMAS ESSAS PRÓPRIAS DA EDUCAÇÃO BANCÁRIA, PORTANTO DOMESTICADORAS PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  31. 31. TENDÊNCIA HISTÓRICA-CRÍTICACRÍTICO SOCIAL DOS CONTEÚDOSMANIFESTAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA MARCO TEÓRICO 1979A PRÁTICA PEDAGÓGICA PROPÕE UMA INTERAÇÃO ENTRE CONTEÚDO E REALIDADE CONCRETA, VISANDO ATRANSFORMAÇÃO DA SOCIEDADE AÇÃO COMPREENSÃO- AÇÃOENFOQUE NO CONTEÚDO COMO PRODUÇÃO HISTÓRICO- SOCIAL DE TODOS OS HOMENS SUPERAÇÃO DAS VISÕES NÃO CRÍTICAS E CRÍTICOS REPRODUTIVAS DA EDUCAÇÃO PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  32. 32. TENDÊNCIA HISTÓRICA-CRÍTICACRÍTICO SOCIAL DOS CONTEÚDOS PAPEL DA ESCOLA VALORIZAÇÃO DA ESCOLA COMO ESPAÇO SOCIAL RESPONSÁVEL PELA APROPRIAÇÃO DO SABER UNIVERSAL SOCIALIZAÇÃO DO SABER ELABORADO ÀS CAMADASPOPULARES, ENTENDENDO A APROPRIAÇÃO CRÍTICA E HISTÓRICA DO CONHECIMENTO ENQUANTO INSTRUMENTO DE COMPREENSÃO DA REALIDADE SOCIAL E ATUAÇÃO CRÍTICA E DEMOCRÁTICA PARA A TRANSFORMAÇÃO DESTA REALIDADE PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  33. 33. TENDÊNCIA HISTÓRICA-CRÍTICACRÍTICO SOCIAL DOS CONTEÚDOS FUNÇÃO DA AVALIAÇÃO PRÁTICA EMANCIPADORA FUNÇÃO DIAGNÓSTICA PERMANENTE E CONTÍNUA:CONFIGURA-SE COMO UM MEIO DE OBTER INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS SOBRE O DESENVOLVIMENTO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA PARA A INTERVENÇÃO/REFORMULAÇÃO DESTA PRÁTICA PEDAGÓGICA E DOS PROCESSOS DE APRENDIZAGEM PRESSUPÕE TOMADA DE DECISÃOO ALUNO TOMA CONHECIMENTO DOS RESULTADOS DE SUA APRENDIZAGEM E ORGANIZA-SE PARA AS MUDANÇAS NECESSÁRIAS PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  34. 34. TENDÊNCIA HISTÓRICA-CRÍTICA CRÍTICO SOCIAL DOS CONTEÚDOS RELAÇÃO PROFESSOR – ALUNO RELAÇÃO INTERATIVA ENTRE PROFESSOR E ALUNO, EM QUE AMBOS SÃO SUJEITOS ATIVOS PROFESSOR E ALUNO SÃO SERES CONCRETOS SÓCIOS- HISTÓRICOS, SITUADOS NUMA CLASSE SOCIAL-SÍNTESE DE MÚLTIPLAS DETERMINAÇÕES PROFESSOR É AUTORIDADE COMPETENTE, DIRECIONA O PROCESSO PEDAGÓGICO, INTERFERE E CRIA CONDIÇÕESNECESSÁRIAS À APROPIAÇÃO DO CONHECIMENTO, ENQUANTO ESPECIFICIDADES DA RELAÇÃO PEDAGÓGICA PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  35. 35. TENDÊNCIA HISTÓRICA-CRÍTICACRÍTICO SOCIAL DOS CONTEÚDOS TÉCNICAS DE ENSINO DISCUSSÕES DEBATES LEITURAS AULA EXPOSITIVO-DIALOGADATRABALHOS INDIVIDUAIS E TRABALHOS EM GRUPO, COM ELABORAÇÃO DE SÍNTESES INTEGRADORAS PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  36. 36. TENDÊNCIA HISTÓRICA-CRÍTICACRÍTICO SOCIAL DOS CONTEÚDOS MÉTODOS DE ENSINODECORRE DAS RELAÇÕES ESTABELECIDAS ENTRE CONTEÚDO, MÉTODO E CONCEPÇÃO DE MUNDO CONFRONTA OS SABERES TRAZIDOS PELO ALUNO COM OSABER ELABORADO, NA PERSPECTIVA DA APROPRIAÇÃO DE UMA CONCEPÇÃO CIENTÍFICO/FILOSÓFICA DA REALIDADE SOCIAL, MEDIADA PELO PROFESSORINCORPORA A DIALÉTICA COMO TEORIA DE COMPREENSÃO DA REALIDADE E COMO MÉTODO DE INTERVENÇÃO NESTA REALIDADE FUNDAMENTA-SE NO MATERIALISMO HISTÓRICO: CIÊNCIA QUE ESTUDA OS MODOS DE PRODUÇÃO PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  37. 37. TENDÊNCIA HISTÓRICA-CRÍTICA CRÍTICO SOCIAL DOS CONTEÚDOS MÉTODOS DE ENSINO A RELAÇÃO DE INDISSOCIABILIDADE ENTRE FORMA E CONTEÚDOPRESSUPÕE A SOCIALIZAÇÃO DO SABER PRODUZIDO PELOS HOMENS OS FINS A SEREM ATINGIDOS É QUE DETERMINAM OS MÉTODOS E PROCESSOS DE ENSINO-APRENDIZAGEM BUSCA COERÊNCIA COM OS FUNDAMENTOS DA PEDAGOGIA, ENTENDIDA COMO PROCESSO ATRAVÉS O QUAL O HOMEM SE HUMANIZA SE TORNA PLENAMENTE HUMANO A PRÁTICA É FUNDAMENTO DO CRITÉRIO DE VERDADE E DA FINALIDADE DA TEORIA INCORPORA O PROCEDIMENTO HISTÓRICO COMO DETERMINANTE DA TOTALIDADE SOCIAL É NA MEDIAÇÃO ENTRE O PENSAMENTO E O OBJETO ENQUANTO OPENSAMENTO BUSCA APROPRIAR-SE DO OBJETO QUE DESENVOLVE- SE O MÉTODO PROFESSOR PEDAGOGO CÉSAR TAVARES
  38. 38. TENDÊNCIA HISTÓRICA-CRÍTICA CRÍTICO SOCIAL DOS CONTEÚDOS MÉTODOS DE ENSINO PRÁTICA SOCIAL PONTO DE PARTIDA: PERCEBER E DETONAR, IDENTIFICAR O OBJETO DA APRENDIZAGEMPROBLEMATIZAÇÃO: MOMENTO PARA DETECTAR AS QUESTÕES QUE PRECISAM SER RESOLVIDAS NO ÂMBITO DA PRÁTICA SOCIAL, E QUE CONHECIMENTOS SÃO NECESSÁRIOS A SEREM DOMINADOS INSTRUMENTALIZAÇÃO: APROPRIAÇÃO DAS FERRAMENTAS CULTURAIS NECESSÁRIAS À LUTA SOCIAL CATARSE: TOMADA DE CONSCIÊNCIA PRÁTICA SOCIAL PONTO DE CHEGADA: RETORNO À PRÁTICA SOCIAL, COM O SABER CONCRETO PENSADO PARA ATUAR E TRANSFORMAR AS RELAÇÕES DE PRODUÇÃO – VISÃO PROFESSORSINTÉTICA PEDAGOGO CÉSAR TAVARES

×