Fernando PerroneGerente do   Departamento   de   Projetos   de   Eficiência   EnergéticaELETROBRASPolíticas Nacionais e No...
Principais Políticas Públicas para a Eficiência Energética  PBE – Lançado em 1984     Aplicado a fabricantes e fornecedo...
Principais Políticas Públicas para a Eficiência Energética  PNE – Plano Nacional de Energia, entre outras coisas impõe pe...
 Programa do Governo Federal vinculado ao Ministério dasMinas e Energia, criado em 1985 e executado pela Eletrobras Miss...
 Objetivos:    Combater o desperdício de energia elétrica    Estimular o uso eficiente e racional de energia elétrica  ...
Consumo de energia elétrica - 2011                   Comercial   Público                     15%        8,1% Outros       ...
RESULTADOS DO PROCEL 2012      ANO BASE 2011
Avaliação de Resultados                Resultados do Procel em 2011Ao consumo                                             ...
Resultados Procel 2011
EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES
Potencial de redução de consumo energéticoEdificações  •   O setor de edificações está entre os maiores consumidores de   ...
Subprogramas do Procel - Objetivos        Procel EDIFICA – Disseminar e divulgar conceitos de Eficiência                  ...
Principais atividades •   O Procel Edifica desenvolve atividades com vistas à divulgação e     ao estímulo à aplicação dos...
Como estamos contribuindo?                      Capacitação                      TecnologiasVertentes                     ...
Rede de Eficiência Energética em Edificações – R3E                                                         UFPA           ...
Programa de Etiquetagem de EdificaçõesParticipa do Programa Brasileiro de Etiquetagem do Inmetro    Regulamenta a Lei nº 1...
2001           2003          2005          2006           2009             2010  Lei de       Criação do    Criação da    ...
1.   INTRODUÇÃO2.  REQUISITOS TÉCNICOS DA QUALIDADE PARA O NÍVEL DE EFICIÊNCIA   ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS COMERCIAIS, DE SE...
Processo de EtiquetagemORGANISMOS DE INSPEÇÃO                                                     PROPRIETÁRIOSEDIFÍCIOS  ...
MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE EEE          Por equações, tabelas e parâmetros          limites, é obtida uma pontuação ...
CONCESSÃO DA ENCE 1ª etapa - Avaliação doProjeto - etiquetagem 2ª etapa – Avaliação doEdifício - inspeção
A ENCE poderá ser outorgada para:                     Novas Edificações                 Edificações Existentes            ...
EDIFÍCIOS COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E PÚBLICOSRTQ-C: Portaria 372/2010complementada pela Portaria 17/2012RAC-C: Portaria 395...
EDIFICAÇÕES RESIDENCIAISRTQ-R: Portaria 18/2012RAC-R: Portaria 122/2011
28 edifícios comerciais = 48 etiquetas5 unifamiliares + 9 multifamiliares = 686 etiquetas
Objetivo  Apoia a administração de prédios públicos na gestão da energia e  desenvolvimento de projetos de eficiência ener...
Objetivo   Contribuir com a expansão do setor de edificações do país, por meio   do estímulo à aplicação dos conceitos de ...
30%   30%   40%
UNIDADES HABITACIONAIS AUTÔNOMAS - UHEDIFICAÇÕES MULTIFAMILIARESÁREAS DE USO COMUM  Potencial de redução de consumo:  •30%...
Case Tecnisa - Guarulhos    Habitação popular – Minha casa minha vida           1a Avaliação          Nível D    Pesquisa ...
ObjetivoTransformação do mercado: gastos públicos dos municípios com de vapor de sódio          Diminuição dos mais de 6 m...
Objetivo  Redução do consumo de energia elétrica e água  nos sistemas de saneamento dos municípios.       Treinamentos par...
Educação, Disseminação dainformação e Tecnologiaseficientes     1     • Setor Industrial     2     • Educação fundamental,...
Objetivo  Promover ações de eficiência energética nos setores industrial,  comercial e das micro e pequenas empresas do pa...
Categoria de   Modelosequipamentos   • 32          • 3.784
Consumo mensal de refrigerador                                de 1 porta          40                                      ...
INFORMAÇÕES SOBRE A ETIQUETAGEMwww.procelinfo.com.br/etiquetagem_edifícios
INFORMAÇÕES SOBRE A ETIQUETAGEMwww.inmetro.gov.br/consumidor/produtosPBE/EdificiosComerciais.asp
PLANO NACIONAL DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA                PNEF
Linhas de ação propostas no PNEfCapacitação•   Criar um programa de formação de especialistas em isolamento    térmico•   ...
Linhas de ação propostas no PNEfTecnologia•   Normalizar e aperfeiçoar métodos e procedimentos de avaliação    do desempen...
Linhas de ação propostas no PNEfDisseminação e Divulgação•   Difundir a etiquetagem e conceitos de EEE através de parceiro...
Linhas de ação propostas no PNEfRegulamentação•   Implementar a R3e•   Fomentar a incorporação de temas de EEE nos estudos...
   Metas do PNEf – Etiquetagem Obrigatória      • Prédios Públicos – 2020      • Prédios Comerciais e de Serviços – 2025 ...
Linhas de ação propostasRegulamentaçãoOutras linhas de ação em andamento e não constantes noPNEf, relacionadas à Vertente ...
PROGRAMA BNDES PROCOPA TURISMO  APOIO DO BNDES AO SETOR HOTELEIRO                    www.bndes.gov.br                     ...
Linhas de ação propostas no PNEfHabitação•   Estimular a inserção de conceitos de EEE em projetos de interesse    social• ...
Eficiência energética em prédios públicosPotencial de redução de consumo •   Unidades consumidoras do poder público: 483.2...
Eficiência energética em prédios públicosLinhas de ação propostas no PNEf •   Implantar o Programa Eficiência e Sustentabi...
Eficiência energética em prédios públicosLinhas de ação propostas no PNEf •   Incentivar o Cadastro dos Administradores e ...
Eficiência Energética é“o mais importante combustível           do futuro”   (Agência Internacional de            Energia)
OBRIGADO! Mais Informaçõeswww.procelinfo.com.br
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

XIV CBE - MESA 5 - Fernando Perrone - 25 outubro 2012

1,125 views
983 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,125
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
25
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

XIV CBE - MESA 5 - Fernando Perrone - 25 outubro 2012

  1. 1. Fernando PerroneGerente do Departamento de Projetos de Eficiência EnergéticaELETROBRASPolíticas Nacionais e Novas Tecnologias de Uso de Energia e Eficiência Energética
  2. 2. Principais Políticas Públicas para a Eficiência Energética PBE – Lançado em 1984 Aplicado a fabricantes e fornecedores  PROCEL – Lançado em 1985  CONPET – Lançado em 1991  PEE da ANEEL – Lançado em 2000 Aplicado às distribuidoras de energia  Lei 10.295 (Lei da Eficiência Energética) – Lançada em 2001
  3. 3. Principais Políticas Públicas para a Eficiência Energética PNE – Plano Nacional de Energia, entre outras coisas impõe pela 1ª vez meta de eficiência energética p/ 2030 (10% da demanda projetada) PNEf – Plano Nacional de Eficiência Energética (Port. 594 OUT/2011)  IN 01 do MPOG (publicada em 2010) – Critérios de sustentabilidade ambiental para aquisição de bens, contratação de serviços e obras pela Administração Pública Federal, Autarquias e Fundações.  Decreto de Compras Públicas Sustentáveis (em desenvolvimento) – Medidas para a Administração Pública Federal adquirir equipamentos com Selo Procel ou com etiqueta nível “A” no PBE.
  4. 4.  Programa do Governo Federal vinculado ao Ministério dasMinas e Energia, criado em 1985 e executado pela Eletrobras Missão: Articular o Setor Elétrico e a Sociedade, visando fomentar a eficiência energética e o uso racional da energia, em benefício da própria sociedadeDesde 1986 a Eletrobras já investiu mais de R$1,26 bilhão no Procel = 51,2 bi kWh economizado!
  5. 5.  Objetivos:  Combater o desperdício de energia elétrica  Estimular o uso eficiente e racional de energia elétrica  Fomentar e apoiar a formulação de leis e regulamentos voltados para as práticas de eficiência energética  Aumentar a competitividade do país  Reduzir os impactos ambientais  Proporcionar benefícios à própria sociedade
  6. 6. Consumo de energia elétrica - 2011 Comercial Público 15% 8,1% Outros 3,9% Residencial Industrial 23,8% 44,2%
  7. 7. RESULTADOS DO PROCEL 2012 ANO BASE 2011
  8. 8. Avaliação de Resultados Resultados do Procel em 2011Ao consumo 1,56% do Equivalente Equivalenteanual de 3,6 consumo total milhões de do Brasilresidências durante o ano de 2011 A Emissão de investimentos Equivalente Equivalente196 mil tCO2 postergados evitada de cerca deequivalente a R$ 4,67 67 mil bilhões.veículos/ano
  9. 9. Resultados Procel 2011
  10. 10. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES
  11. 11. Potencial de redução de consumo energéticoEdificações • O setor de edificações está entre os maiores consumidores de energia elétrica – 426TWh em 2009 (BEN 2010) • Edificações residenciais, comerciais e públicas: 178 TWh • Após a crise energética de 2001, observou-se uma redução do consumo de energia, porém desde 2005 esse consumo já é maior que o crescimento do PIB. – Em relação a 2007, o consumo de energia elétrica atual teve um incremento de 4% • Estima-se um potencial de redução de consumo de 30% em edificações antigas e 50% em edificações novas, por meio de medidas de eficiência energética.
  12. 12. Subprogramas do Procel - Objetivos Procel EDIFICA – Disseminar e divulgar conceitos de Eficiência Energética em Edificações - EEE entre os profissionais envolvidos em projeto e construção no Brasil; Investir em desenvolvimento tecnológico e subsídios que suportem pesquisas e criação de instrumentos legais para regular a questão da EEE. Procel EPP – Promover ações em projetos de eficiência energética, tendo por objetivo a eliminação dos desperdícios de energia elétrica em prédios públicos, disseminar técnicas e metodologias para replicação dos projetos nas áreas de iluminação, climatização ou qualquer outra que promova inovação tecnológica em instalações prediais públicas.
  13. 13. Principais atividades • O Procel Edifica desenvolve atividades com vistas à divulgação e ao estímulo à aplicação dos conceitos de eficiência energética em edificações, apoio à viabilização da Lei de Eficiência Energética (10.295/2001), no que concerne a edificações eficientes e contribu com a expansão, de forma energeticamente eficiente, do setor habitacional do país, reduzindo os custos operacionais na construção e utilização dos imóveis. • O Procel EPP apóia os agentes envolvidos na administração de prédios públicos, promove projetos de demonstração, dá suporte à normatização, implanta infraestrutura e apoia as concessionárias de energia elétrica em projetos de eficiência energética.
  14. 14. Como estamos contribuindo? Capacitação TecnologiasVertentes Regulatória Marketing e Habitação de Disseminação Apoio Interesse Social Encac Entac Fonai Eventos setoriais
  15. 15. Rede de Eficiência Energética em Edificações – R3E UFPA UFC UFRN PA CE RN AL UFAL UFBA MT BA DF UFV UFMT UnB MS MG UFMG SP UFF UFMS RJ PR UFRJ UNICAMP SC PUCPR RS UFSC=2 UFPel UFRGS
  16. 16. Programa de Etiquetagem de EdificaçõesParticipa do Programa Brasileiro de Etiquetagem do Inmetro Regulamenta a Lei nº 10.295/2001, que inclui as edificações no Programa Brasileiro de Etiquetagem.A etiqueta têm o objetivo de informar ao consumidor o nível de eficiência energética do produto adquirido.
  17. 17. 2001 2003 2005 2006 2009 2010 Lei de Criação do Criação da Criação da Lançamento LançamentoEficiência Procel ST CT da Etiqueta da EtiquetaEnergética Edifica Edificações Edificações para edifícios para edifícios do Inmetro Comerciais, d Residenciais e Serviços e PúblicosLei nº10.295, de 17 de outubro de 2001Dispõe sobre a Política Nacional de Conservação e UsoRacional de EnergiaDecreto nº 4.059, de 19 de dezembro de 2001
  18. 18. 1. INTRODUÇÃO2. REQUISITOS TÉCNICOS DA QUALIDADE PARA O NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E PÚBLICAS (RTQ-C)2. REGULAMENTO TÉCNICO DA QUALIDADE PARA O NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS (RTQ-R) 3. REQUISITOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA O NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E PÚBLICAS (RAC-C) 3. REQUISITOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA O NÍVEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS (RAC-R) 4. MANUAL DE APLICAÇÃO
  19. 19. Processo de EtiquetagemORGANISMOS DE INSPEÇÃO PROPRIETÁRIOSEDIFÍCIOS PROJETISTAS / CONSULTORES
  20. 20. MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE EEE Por equações, tabelas e parâmetros limites, é obtida uma pontuação que indica o nível de eficiência parcial dos sistema e total do edifício. Por simulação, o desempenho do edifício é comparado ao desempenho de edifícios referenciais de acordo com o nível de eficiência.
  21. 21. CONCESSÃO DA ENCE 1ª etapa - Avaliação doProjeto - etiquetagem 2ª etapa – Avaliação doEdifício - inspeção
  22. 22. A ENCE poderá ser outorgada para: Novas Edificações Edificações Existentes Pré-requisitos para edifícios comerciais, de serviços e públicos: • área construída mínima de 500m2• atendida por tensão igual ou superior a 2,3 kV ou sistema subterrâneo
  23. 23. EDIFÍCIOS COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E PÚBLICOSRTQ-C: Portaria 372/2010complementada pela Portaria 17/2012RAC-C: Portaria 395/2010
  24. 24. EDIFICAÇÕES RESIDENCIAISRTQ-R: Portaria 18/2012RAC-R: Portaria 122/2011
  25. 25. 28 edifícios comerciais = 48 etiquetas5 unifamiliares + 9 multifamiliares = 686 etiquetas
  26. 26. Objetivo Apoia a administração de prédios públicos na gestão da energia e desenvolvimento de projetos de eficiência energética. Programa de Marketing – Projetos Demonstração Programa de Transformação de Comportamento Programa de Melhoria das Tecnologias Existentes
  27. 27. Objetivo Contribuir com a expansão do setor de edificações do país, por meio do estímulo à aplicação dos conceitos de eficiência energética Treinamentos e Capacitação Desenvolvimento e implementação detecnologias eficientes Marketing e Disseminação Habitação de Interesse Social
  28. 28. 30% 30% 40%
  29. 29. UNIDADES HABITACIONAIS AUTÔNOMAS - UHEDIFICAÇÕES MULTIFAMILIARESÁREAS DE USO COMUM Potencial de redução de consumo: •30% em edificações antigas •50% em edificações novas por meio de medidas de eficiência energética.
  30. 30. Case Tecnisa - Guarulhos Habitação popular – Minha casa minha vida 1a Avaliação Nível D Pesquisa qualitativa com os compradores 2a Avaliação Nível B  40% conheciam o Procel 62% se disseram influenciados A no PBE Aquecimento a gás nível positivamente Subcobertura de alumínio (diminuir mais pelo  65% aceitariam pagar 5% a a transmitância) Medição individualizada de água apartamento caso tivessem economia em energia elétrica, gás e água. + 1,3% do custo total da obra Pay back em 3 anos e 1/2
  31. 31. ObjetivoTransformação do mercado: gastos públicos dos municípios com de vapor de sódio Diminuição dos mais de 6 milhões de novas lâmpadas melhoria das condições de vida noturna e segurança dos cidadãos Crescimento obtido mesmo com um aumento do parque de 70% 63 13 anos de evolução % tecnológica 7% Resultados do Programa Procel Reluz Nº de Pontos Investimento Economia •2.348.139 •R$ 509 milhões •827 GWh/ano
  32. 32. Objetivo Redução do consumo de energia elétrica e água nos sistemas de saneamento dos municípios. Treinamentos para profissionais do setor de saneamento Implementação de tecnologias eficientes em empresas de saneamento Pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias
  33. 33. Educação, Disseminação dainformação e Tecnologiaseficientes 1 • Setor Industrial 2 • Educação fundamental, ensino médio e superior 3 • Sites, guias, manuais e eventos
  34. 34. Objetivo Promover ações de eficiência energética nos setores industrial, comercial e das micro e pequenas empresas do país. Redução de Desperdícios e Aumento da Competitividade Melhora dos Processos Industriais – Promoção de Equipamentos Eficientes Retarda Investimentos no Setor Elétrico Benefícios para o Meio Ambiente
  35. 35. Categoria de Modelosequipamentos • 32 • 3.784
  36. 36. Consumo mensal de refrigerador de 1 porta 40 Redução de 36% 30kWh/mês 20 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
  37. 37. INFORMAÇÕES SOBRE A ETIQUETAGEMwww.procelinfo.com.br/etiquetagem_edifícios
  38. 38. INFORMAÇÕES SOBRE A ETIQUETAGEMwww.inmetro.gov.br/consumidor/produtosPBE/EdificiosComerciais.asp
  39. 39. PLANO NACIONAL DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PNEF
  40. 40. Linhas de ação propostas no PNEfCapacitação• Criar um programa de formação de especialistas em isolamento térmico• Inserir disciplinas relacionas à eficiência energética e cursos de extensão nas Escolas de engenharia e arquitetura• Incentivar empresas a promoverem cursos de capacitação de curta duração para questões de EE• Implementar cursos de atualização profissional sobre a metodologia de etiquetagem através dos CREAs e IABs regionais
  41. 41. Linhas de ação propostas no PNEfTecnologia• Normalizar e aperfeiçoar métodos e procedimentos de avaliação do desempenho termoenergético de produtos, instalações de climatização e sistemas construtivos• Estabelecer metodologias de medição, verificação e análise das atividades ligadas à EEE• Desenvolver sistemas computacionais de simulação termoenergética amigáveis• Estabelecer critérios para avaliação periódica de EE das instalações de aquecimento, ventilação e de ar-condicionado• Estudar a tecnologia de bomba de calor como possível substituto aos outros mecanismos de aquecimento de água
  42. 42. Linhas de ação propostas no PNEfDisseminação e Divulgação• Difundir a etiquetagem e conceitos de EEE através de parceiros estratégicos• Desenvolver campanhas de sensibilização, planos de comunicação e mobilização• Incentivar a participação de profissionais no Prêmio Procel- categoria edificações• Fomentar a EE dos prédios existentes• Permitir a criação de massa crítica de retrofitting para dados sobre consumo de energia
  43. 43. Linhas de ação propostas no PNEfRegulamentação• Implementar a R3e• Fomentar a incorporação de temas de EEE nos estudos de planejamento urbano e nos códigos de obra e cadernos de encargo nos principais municípios brasileiros• Regulamentar o uso de materiais com maior EE no isolamento térmico de edifícios• Tornar compulsória a etiquetagem de prédios públicos em um horizonte máximo de 10 anos, edificações comerciais e de serviços em 15 anos e residenciais em 20 anos
  44. 44.  Metas do PNEf – Etiquetagem Obrigatória • Prédios Públicos – 2020 • Prédios Comerciais e de Serviços – 2025 • Prédios Residenciais – 2030 Metas do PNE 2030 • Redução de 10% do consumo projetado para 2030 • 5% através de programas de indução
  45. 45. Linhas de ação propostasRegulamentaçãoOutras linhas de ação em andamento e não constantes noPNEf, relacionadas à Vertente de Regulamentação:• Buscar apoio de instituições financeiras, para o estímulo da adesão voluntária ao processo de etiquetagem, por exemplo por meio de financiamentos com taxas e prazos diferenciados (como o Programa BNDES ProCopa Turismo);• Buscar estreitar relações com entidades responsáveis por certificações de sustentabilidade, buscando que em seus processos a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia seja adotada na parte relativa à eficiência Energética.
  46. 46. PROGRAMA BNDES PROCOPA TURISMO APOIO DO BNDES AO SETOR HOTELEIRO www.bndes.gov.br ProCopa Turismo Características ProCopa Turismo Hotel Eficiência EnergéticaCidades incluídas todasInvestimentos apoiáveis reformas e novos hotéis Reformas até 8 anos até 10 anosPrazo Novos hotéis até 10 anos até 15 anos ReformasTaxas até ± 10,5% a.a. até ± 9,5% a.a. Novos hotéis
  47. 47. Linhas de ação propostas no PNEfHabitação• Estimular a inserção de conceitos de EEE em projetos de interesse social• Promover a integração entre a política habitacional e a energética para as edificações• Estimular a instalação de sistemas de aquecimento solar e a gás em habitações por meio de incentivos econômico-financeiros• Inserir o tema EE nas ações educativas junto às comunidades beneficiadas pelos programas habitacionais do governo federal
  48. 48. Eficiência energética em prédios públicosPotencial de redução de consumo • Unidades consumidoras do poder público: 483.282 ( ANEEL, 2009) • Consumo de energia relativo aos prédios públicos: 12TWh (2,8% do consumo total do país) • Potencial de redução de consumo: 2,4TWh/ano – 20% (referente a projetos implementados entre 2002 e 2007) – 25 a 60% de economia conforme projetos elaborados pelas ESCOs no âmbito do PEE
  49. 49. Eficiência energética em prédios públicosLinhas de ação propostas no PNEf • Implantar o Programa Eficiência e Sustentabilidade na Esplanada dos Ministérios • Inserção dos conceitos de EE nas edificações públicas, para as novas já estabelecidas, através da instalação de sistemas mais econômicos de ar condicionado e iluminação • Restringir projetos que descumpram requisitos mínimos de EE • Estabelecer formas de estímulo ao funcionamento das CICEs em PP
  50. 50. Eficiência energética em prédios públicosLinhas de ação propostas no PNEf • Incentivar o Cadastro dos Administradores e dos PP • Obrigatoriedade da aplicação dos RTQ-C nos projetos de reforma das edificações • Reestruturar o programa de PP e incluir o estabelecimento de metas de consumo, respeitando suas especificidades
  51. 51. Eficiência Energética é“o mais importante combustível do futuro” (Agência Internacional de Energia)
  52. 52. OBRIGADO! Mais Informaçõeswww.procelinfo.com.br

×