Uploaded on

 

More in: Travel , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
29,360
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
109
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. CURSO DE PEDAGOGIA 1 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO HOSPITAL DA CRIANÇA SANTO ANTÔNIO
  • 2. CURSO DE PEDAGOGIA 2 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO DE PEDAGOGIA CAROLINE DOS SANTOS COSTA RELATORIO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISONADO EM ANOS INICIAIS PORTO ALEGRE 2010
  • 3. CURSO DE PEDAGOGIA 3 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAROLINE DOS SANTOS COSTA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISONADO EM ANOS INICIAIS Relatório de Estagio Curricular I apresentado a disciplina de Estagio Curricular Supervisonado II do curso de pedagogia e licenciatura do centro universitário metodista do sul Ipa. PROFESSORA SUPERVISORA: NARA RAQUEL NEHME BORGES LOCAL DE ESTÁGIO: HOSPITAL DA CRIANÇA SANTO ANTÔNIO PORTO ALEGRE 2010
  • 4. CURSO DE PEDAGOGIA 4 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Dedico este trabalho primeiramente a Deus, aos meus familiares, supervisores, amigos e colegas.
  • 5. CURSO DE PEDAGOGIA 5 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO AGRADECIMENTOS A minha orientadora, Nara Raquel Nehme Borges, por todo o suporte e apoio na elaboração de meu relatório de estagio, com suas idéias e contribuições. E as pessoas que humildemente me cederam espaço para que pudesse dar continuidade aos dados aqui apresentados.
  • 6. CURSO DE PEDAGOGIA 6 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO LISTA DE FIGURA Figura 1- Complexo Hospitalar Santa Casa .........................................................8 Figura 2- Fundação Hospitalar santa Clara...........................................................9 Figura 3- Fundação Hospitalar São Francisco......................................................9 Figura 4- Fundação Hospitalar são José...............................................................10 Figura 5- Pavilhão Pereira Filho............................................................................10 Figura 6- Complexo Hospitalar Santa Rita............................................................11 Figura 7- Fundação Hospitalar Dom Vicente Scherer...........................................11 Figura 8- Hospital da Criança Santo Antônio........................................................12
  • 7. CURSO DE PEDAGOGIA 7 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO............................................................................................................................7 2 HISTÓRICO E ESTRUTURA DO COMPLEXO HOSPITALAR SANTA CASA..........................8 2.1 FUNDAÇÃO HOSPITALAR SANTA CLARA.......................................................................9 2.2 FUNDAÇÃO HOSPITALAR SÃO FRANCISCO..................................................................9 2.3 FUNDAÇÃO HOSPITALAR SÃO JOSÉ..............................................................................10 2.4 PAVILHÃO PEREIRA FILHO..............................................................................................10 2.5 COMPLEXO HOSPITALAR SANTA RITA..........................................................................11 2.6 FUNDAÇÃO HOSPITALAR DOM VICENTE SCHERER....................................................11 2.7 HOSPITAL DA CRIANÇA SANTO ANTÔNIO.....................................................................12 3 O PRIMEIRO CONTATO COM O HOSPITAL SANTO ANTÔNIO.............................................13 4 COMO TRABALHAR COM A CRIANÇA HOSPITALIZADA ?..................................................17 5 O PROJETO................................................................................................................................18 5.1 CORREIO E BIBLIOTECA MÓVEL.....................................................................................19 6 COMO ALFABETIZAR E LETRAR ATRAVÉS DO LÚDICO.....................................................20 7 PLANEJAMENTO FLEXÍVEL.....................................................................................................22 REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS..............................................................................................23 ANEXO A.......................................................................................................................................24 ANEXO B.......................................................................................................................................35 ANEXO C 1. INTRODUÇÃO
  • 8. CURSO DE PEDAGOGIA 8 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO O Estágio Curricular Supervisionado, mais do que o cumprimento de um requisito legal, constitui-se num espaço diferenciado, onde em contato com as realidades diversas exercem a docência de processos educacionais, permitindo desenvolver habilidades, competências e conhecimentos trabalhados ao longo do Curso de Pedagogia. Esta experiência proporcionará uma reflexão mais profunda sobre o que aprendemos no curso, iniciando nossa trajetória profissional. Outro elemento fundamental que soma para o exercício do Estágio refere-se à interdisciplinaridade possível, especialmente entre as Práticas Pedagógicas, as Didáticas, os Seminários de Estágio e os Fundamentos Metodológicos das disciplinas que trabalham as diferentes áreas do conhecimento interdisciplinarmente, uma vez que, são campos de articulação pedagógica. A seguir passo apresentar o histórico e estrutura do Complexo Hospitalar Santa Casa e os resultados obtidos na observação realizada no Hospital da Criança Santo Antônio, a proposta do projeto elaborado para ser realizado nos leitos, e algumas temáticas que foram realizadas com os educandos/as no projeto de trabalho. 2. Histórico e estrutura do Complexo Hospitalar Santa Casa
  • 9. CURSO DE PEDAGOGIA 9 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO O Estagio Curricular Obrigatório nos Anos Iniciais, teve como referência o Complexo Hospitalar Santa Casa, fundada em 1803 e inaugurada somente em 1826. Contendo assim sete unidades assistenciais, disponibilizando aos pacientes em torno de 1.076 leitos, sendo que 60% são utilizados para o sistema unicamente da saúde, e o restante dos 40% para convênios e particulares, tendo ainda 52 salas de cirurgias. Atualmente na Santa Casa atuam 5.332 funcionários e 2.029 médicos especializados e qualificados para oferecer o assistencialismo. Durante nossa observação podemos perceber que as sete unidades pertencentes dentro do complexo hospitalar oferecem atendimento diversificado ao público. Sendo divido nos Complexos Hospitalares Santa Rita, Fundação Hospitalar São José, Fundação Hospitalar Santa Clara, Fundação Hospitalar São Francisco, Hospital da criança Santo Antônio, Pavilhão Pereira Filho e Complexo Hospitalar Dom Vicente Scherer. Percebendo-se o grande número de unidades assistências dentro do complexo, realizou-se uma pesquisa com o intuito de saber qual a finalidade de cada unidade, coletando assim as seguintes informações. 2.1 FUNDAÇÃO HOSPITALAR SANTA CLARA
  • 10. CURSO DE PEDAGOGIA 10 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO É uma dos maiores dentro do complexo da instituição, oferecendo atendimento geral aos pacientes com 465 leitos, atuando na clinica médica, cirúrgica e na área materno-infantil abrangendo assim 36 especialidades. Contendo uma maternidade chama Mario Motta que foi inaugurada em 16 de novembro de 1940, sendo que esta recebeu o título de hospital amigo da criança pela UNICEF em 1955. 2.2 FUNDAÇÃO HOSPITALAR SÃO FRANCISCO Fundado em 1930 é centro de referencias do sul do Brasil na área da cardiologia, sendo um dos três hospitais do pais reconhecido nesta área de cirurgia pediátrica. 2.3 FUNDAÇÃO HOSPITALAR SÃO JOSÉ
  • 11. CURSO DE PEDAGOGIA 11 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Iniciou-se em 1946 e foi especializando os seus conhecimentos na área da neurocirurgia há cinqüenta anos, desenvolvendo atividades de pesquisa e estudo. Contendo atendimento de exames, consultas, internações e intensivos. 2.4 PAVILHÃO PEREIRA FILHO O pavilhão foi fundado em 1965 e desenvolvendo avaliações das funções pulmonares e isofânea, pioneiro na América Latina na criação de um laboratório de estudo da tosse. Com programas permanentes a respeito de doenças pulmonares obstrutivas crônicas, oferecida aos pacientes e familiares. 5.5 COMPLEXO HOSPITALAR SANTA RITA
  • 12. CURSO DE PEDAGOGIA 12 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO O hospital Santa Rita começou a ser construído no ano de 1955 porem só incorporou-se ao complexo Santa Casa em 1898, sendo reinaugurado em 2000. É um dos maiores parques do Brasil no radioterápico, tendo também a quimioterapia que oferece 10 leitos e 11 acomodações para realização do tratamento. 5.6 FUNDAÇÃO HOSPITALAR DOM VICENTE SCHERER Inaugurado em dezembro de 2001, o Hospital Dom Vicente Scherer contém, além de um Centro Clínico, o primeiro Centro de Transplantes de todos os tipos de órgãos e tecidos da América Latina. 5.7 HOSPITAL DA CRIANÇA SANTO ANTÔNIO
  • 13. CURSO DE PEDAGOGIA 13 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO O Santo Antonio é totalmente voltado para receber crianças, contendo profissionais qualificados para realizarem este atendimento. O espaço físico é adaptado e estruturado para o acolhimento das crianças em suas mais variadas necessidades. Contendo uma entrada com características infantis com visual agradável a elas, com a finalidade de tornar aquele ambiente o mais natural possível, para que a criança com associe aquele a doenças e tristezas. 3. O primeiro contato com o Hospital da Criança Santo Antônio
  • 14. CURSO DE PEDAGOGIA 14 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Visando o estagio curricular obrigatório que realizamos dentro da instituição Santa casa, nos foi proposto alguns dias de observação, para que pudéssemos compreender o funcionamento da rotina de um hospital. Nosso primeiro contado com este ambiente foi um pouco diferente, por se tratar de um hospital esperávamos expressões tristes e até mesmo desmotivadas. Porém ao passarmos pela porta de entrada do SUS, nos deparamos com outra realidade, nesta entrada existia um enorme elefante colorido no teto, e uma decoração bastante característica com os gostos infantis. O ambiente hospitalar era algo diferente dos demais lugares conhecidos por nós, ali existia uma preocupação com a criança internada enquanto paciente e criança. Após conhecermos o primeiro andar, onde se localizava a entrada do SUS, passamos para os andares seguintes com o intuito de visualizar como era constituída aquela instituição. Já no segundo andar conhecido também como M1 do Hospital Santo Antônio, encontramos com a HCSA (sala pedagógica hospitalar), onde são realizados com as pacientes atividades pedagógicas, para ajudar a dar continuidade no ensino inicializado com este nas escolas ou espaços escolares. Juntamente a este andar continha um centro de orientação e pesquisa utilizado por médicos e estudantes como nós. Passando para terceiro andar o M2, encontrando os setores administrativos do hospital, contendo cabines para reuniões prestadas a santa casa. Sendo assim os seguintes gabinetes:  Fisioterapia;  Psicologia;  Serviço social;  Voluntariado  Terapia Ocupacional Através desta exploração do ambiente descobrimos que o trabalho social realizado dentro do hospital é de extrema importância, pois é a assistente social que
  • 15. CURSO DE PEDAGOGIA 15 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO organiza e estrutura tudo o que será realizado com as crianças lá dentro, pensando na criança enquanto crianças Nos demais andares mantinham-se alguns leitos, sendo o 6° pacientas da oncologia e o 5° de doenças respiratórias. Nestes dois andares havia fatores semelhantes, como uma recepção onde se encontrava o grupo de enfermagem, sala de recreação e playground. Ao entrarmos em contado com a sala de recreação, concluímos que ali naquele espaço existia uma preocupação pedagógica enquanto a formação de um ser. Sabemos que o brincar é à base da educação, pois, é através da brincadeira que a criança se relaciona com o outro. Através do brincar o educador pode identificar as necessidades individuais de cada educando, como também pode solucionar alguns atritos existentes. Percebe-se que durante a utilização da sala o brincar tem seu valor reconhecido dentro das práticas das voluntarias, tendo uma preocupação em que tipos de atividades realizarem com os/as educandos/as, para que possibilite o desenvolvimento das capacidades e habilidades da criança por meio das significações. Lembrando que em nosso primeiro contato com esta sala, estava sendo realizada uma atividade de interação com as crianças, utilizando-se do recurso de contação de histórias. Silveira Queiroz(2009,65) nos fala sobre a importância do brincar na vida da criança, pois é através do brincar e da interação, que o/a educando/a começa a se ver como individuo que faz parte de um grupo, formando sua identidade aos poucos com a ajuda do convívio e da troca de experiências com os demais. Por isso, e por outros vários motivos da área afetiva, motora e cognitiva deve-se sim ter o jogo como parte ativa do planejamento da educação, deve-se observar como estas crianças interagem com o brincar, através das brincadeiras podemos observar algumas necessidades ou dificuldades que o aluno esteja passando, pois a criança expressa o que sente através das representações, do brincar e do simbolizar.
  • 16. CURSO DE PEDAGOGIA 16 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO No Primeiro dia de nossa observação fomos entrando em alguns leitos, para que pudéssemos conhecer as crianças que ali se encontravam, para que assim posteriormente criássemos nosso projeto de trabalho. A realidade e idade das crianças era bastante diversificada, sendo algumas moradoras de outras regiões, contendo outro tipo de cultura e aprendizado. Porém estes fatores nos provocaram a criar um projeto de trabalho que se amplia-se a realidade e necessidades de todos. Uma questão levantada neste ambiente foi a forma de acomodação dos acompanhantes, sendo que estes tinham apenas uma cadeira para poderem ficar ali em companhia do paciente. As acomodações oferecidas eram totalmente desconfortáveis, notando-se ai um ponto de contradição, pois segundo o link do hospital deveriam existir lugares destinados para o descanso dos acompanhantes, porem nada foi encontrado durante a observação, tendo estes que dividir um banheiro por leito destinado a sua higiene pessoal. Entretanto antes de visitarmos os quartos, fomos auxiliadas pela nossa orientadora de estagio a observar algumas questões, nos introduzindo como era o funcionamento daquelas instituições. Foi de grande valia estas primeiras orientações, pois nos norteou dentro de nossa observação, criando assim uma visão maior a respeito de como agir, levando em considerações algumas maneiras de comportamento, como por exemplo:  Cuidar para não nos encostarmos na cama, pois era o lugar de descanso do paciente, sendo que este tem que estar sempre bem higienizado;  Higienizarmos nossas mãos com álcool gel sempre que fossemos entrar ou sair de um leito;  Higienizar nossos jalecos sempre que usássemos;
  • 17. CURSO DE PEDAGOGIA 17 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO  Não forçar os pacientes a contarem sua historia de vida, deixá-lo livre para quando sentir-se confortável.  Conquistar a confiança da mãe ou dos acompanhantes, entre outras tantas recomendações; Posso dizer que estas foram importantes para minha maneira de aplicar nosso planejamento, de forma interessante e significativa, pensando no paciente como um aluno, e não mais como um ser internado e enfermo, pensando nas crianças como um ser ativo que necessita de afeto.
  • 18. CURSO DE PEDAGOGIA 18 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 4. Como trabalhar com a criança hospitalizada? Acredito que esta tenha sido uma das primeiras perguntas a realizar quando fui comunicada de meu estagio no hospital. Pensava ser está uma oportunidade única de poder vivenciar o processo da educação em um ambiente diferenciada da escola. Mas mesmo assim continha comigo muitas inquietações, duvidas e receios, que ao longo de minha pratica foram sendo respondidas. Compreendi que quando pensamos, de que maneira ensinar pessoas enfermas? ou então, serão estas capazes de aprender? Uma maneira de subestimar aquele com o qual trocaremos conhecimento, pois todo o ser humano é capaz de aprender e ensinar, todos temos algo a mediar sobre nossas vivências ou conhecimentos. Tomado consciência disso, logo ficou claro que mesmo aquelas crianças sendo acamadas, estas também continham conhecimentos prévios e experiências com elas. Porém teriam algumas limitações, mas nada que pudesse interferir no seu processo de aprendizagem. Entretanto para que nos como educadoras pudéssemos fazer um ensino de qualidade, era necessário que existi-se um vinculo com elas, porque toda a aprendizagem fluísse de maneira proveitosa tanto para o educando/a como para o/a educador/a.
  • 19. CURSO DE PEDAGOGIA 19 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 5. O projeto Com o auxilio destes aspectos analisados na observação foi possível,em equipe, elaborar um projeto de trabalho que alcançasse as expectativas e necessidades do publico alvo. Este foi construído através das trocas de idéias do grande grupo, considerando que todo o trabalho a ser realizado com os/as alunos/as deve partir dos seus conhecimentos prévios, oportunizando que a criança estabeleça relações, associações e comparações do que já sabia com o que está sendo construído, favorecendo assim o interesse e a aprendizagem, bem como a ampliação do conhecimento para outras dimensões como a área da literatura, da alimentação, da comunicação, da musica, da geografia, do gosto pela expressão corporal e também para a importância de compartilhar momentos com o próximo. Segundo Vygotsky, (1993, p.15) na relação ensino aprendizagem o/a mediador/a deve desafiar as crianças, oportunizar que reflitam através de problematizações e da relação interação social. Através destas propostas pedagógicas inovadoras buscou-se que o aluno do Hospital Santo Antônio fosse o principal agente transformador deste processo. Compreendendo este desafio da busca de uma aprendizagem significativa, elaboramos nosso projeto de trabalho envolvendo diversas atividades desafiadoras e motivadoras, com a finalidade de trazer as crianças para dentro do processo. Não podemos pensar como educadores que saber escrever é a única forma de alfabetização importante, a criança precisa conhecer, identificar e escrever, eis ai um grande equívoco quando as práticas educacionais não contemplam estas vivências. Pois segundo Emilia Ferreiro (1999) a escrita começa a desenvolver-se na educação infantil com as garatujas, e cabe a educadora ajudar as crianças em seu longo processo que é a sua apropriação do código lingüístico de forma letrada.
  • 20. CURSO DE PEDAGOGIA 20 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 5.1 Correio e a biblioteca móvel Tanto o correio como a biblioteca surgiu inicialmente com a idéia de fazer com que as crianças se comunicassem com o mundo que existia fora de seus leitos, a finalidade era fazer com que o educando vivência-se outras realidades. Claro que inicialmente houve receios a respeito de sua aceitação por parte das crianças.Porem acabou por ser bem aceito, as crianças adoravam escrever ou ate mesmo desenhar para amigos de outros leitos, e quando a biblioteca móvel chega à alegria de cada um era algo inexplicável.Estabelecendo assim uma relação interpessoal delas com as demais crianças ali internadas. Nesse sentido e apoiada em muitos teóricos da educação, entre eles Paulo Freire, é preciso que o educando relacione-se com o meio que esta inserido, para que assim crie sua identidade pessoal, e possa relacionar aquilo que lhe foi mediado de forma significativa para si próprio. Alem de todos estes fatores mencionados aqui, o principal ainda não foi relatado, sendo a questão de uma alfabetização letrada por meio de práticas sociais de leitura e escrita. Pois como sabemos a alfabetização e o letramento deve ser indissociáveis dentro do processo de educação e aprendizado da aquisição do código lingüístico, com a proposta de gerar pessoas letradas e capazes de entender aquilo que lêem.
  • 21. CURSO DE PEDAGOGIA 21 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 6. Como alfabetizar e letrar através do lúdico ? Esta temática bastante discutida pelos educadores, também foi alvo de debate para nos acadêmicas do curso de pedagogia enquanto estagiarias do hospital santo Antônio. Pensando em uma aprendizagem significativa e prazerosa, logo pensou-se no jogo como forma de auxilio para gerar este objetivo dentro das praticas. Porem jogo pelo jogo não há sentido nenhum, surgindo assim a pergunta de como alfabetizar as crianças através do jogo. Como sabemos o jogo assim como as brincadeiras tem a oportunidade de aguçar a imaginação e o simbolizar das crianças, oferecendo a elas a apropriação do concreto e abstrato. Visando este aspectos, foi de extrema importância a aplicação de jogos e brincadeiras dentro de nossa processo, para que assim conseguíssemos trazer o educando para dentro do ensino de forma agradável e legal. Através do jogo tentávamos gerar no aluno as seguintes apropriações dentro da alfabetização e letramento. Educar para a Trocas de cidadania Conhec. prévios conhecimentos Alfabetização vivências E experiências letrameto Formação continuada significado Individualismo do alunos
  • 22. CURSO DE PEDAGOGIA 22 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Trazendo assim os familiares e acompanhantes a participarem deste processo também, pois de segundo Elizete Lucia Moreira Matos a pedagogia hospitalar deve contar com o apoio dos familiares no decorrer do tempo, para que a recuperação e cura do paciente seja mais eficiente no tratamento desenvolvido. [...] a atenção pedagógica, por meio da comunicação e do diálogo, tão essenciais no ato educativo, se propõe a ajudar o enfermo-criança-adulto para que , imerso nessa situação negativa que atravessa, possa seguir desenvolvendo-se em todas as suas dimensões pessoais, com a maior normalidade possível.(Moreira Lucia Elizabete 2006)
  • 23. CURSO DE PEDAGOGIA 23 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 7. Planejamento flexível O planejamento foi o principal recurso pedagógico a ser utilizado neste estagio curricular obrigatório, com a finalidade de proporcionar atividades que ampliassem os conhecimentos dos educandos para as mais diversas áreas do saber. Visando que este seria realizado em um espaço diferenciado, sabia-se que este planejamento deveria ser pensado com cuidado, para que conseguíssemos alcançar as diversidades encontradas no hospital Santo Antônio. Em uma de minhas praticas me deparei com esta entre outras situações, pois o planejamento do dia era contar uma historia “ minhoquices”. Porem quando entramos no quarto encontrava-se uma criança de 12 anos, sendo que para ela aquela historia parecia ingênua e sem significado. Percebendo o desinteresse do educando, mais do que rápido tinha que pensar em alguma atividade interessante para ali desenvolver com ela. Após conversar com a criança e desenvolver os primeiros vínculos, notei que esta gostava muito de musicas tradicionalistas. Propondo então ao educando que se elabora um pequeno texto falando a respeito das coisas que gosta de fazer, descobrindo então que esta dançava em um grupo de invernada em sua cidade natal. Através desta vivência passei a compreender um pouco mais a importância de um planejamento bem elabora e flexível, que proporcione ao educador a oportunidade de desenvolver as habilidades e competências do educando em todas as suas totalidades.
  • 24. CURSO DE PEDAGOGIA 24 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS  CHAVES, Otilia. A arte de contar histórias. 3 ed. 1963.  FERREIRO, Emília. TEBEROSKY; Ana. Psicogênese da língua escrita.Artes medicas sul. 1999  FREITAS, Denisi S angoi; Giordani, Estela Maris; CORRÊA,Guilherme Carlos. Ações educativas e estágios curriculares surprevisionados. Editora ufsm.2007  GROSSI,Esther Pilar. Vanguardas pedagógicas: lições de um processo: serie didática pos-piagetiana . editora volume 6;  GERALDI, J. Wanderley. O texto na sala de aula: leitura e produção. Cascavel: Assoeste,  Queiroz, Sávio Silveira de; Ronchi, Juliana Peterle; Tokumaru, Rosana Suemi. Constituição das regras e o desenvolvimento moral na teoria de piaget: uma reflexão Kantiana. 22(1): 69-75, ND. 2009  MATOS,Elizete Lucia Moreira. MUGIATTI,Margarida Maria Teixeira de Freitas. Pedagogia Hospitalar: A humanização integrando educação e saude. Editora vozes. Ano 2006  SCHOR, Ira. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987 (5ª ed, 1995), 224p. (Educação e Comunicação)  SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autentica, 1998.  WADSWORTH, Barry J. Inteligência e afetividade da criança na teoria de Piaget. 1ª Edição. São Paulo, Pioneira, 1992
  • 25. CURSO DE PEDAGOGIA 25 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ANEXO A CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO LICENCIATURA PEDAGOGIA- ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS PROJETO DE TRABALHO: “Lendo, Imaginando e Reinventando a Vida” Estagiárias(o)HCSA 2010
  • 26. CURSO DE PEDAGOGIA 26 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO APRESENTAÇÃO: Este projeto será base de nosso trabalho de Estágio Curricular Supervisionado no Ensino Fundamental a ser desenvolvido no ambiente hospitalar do Complexo Santa Casa, no Hospital da Criança Santo Antônio, pelas alunas e aluno do 5° semestre do curso de Pedagogia do IPA. O referido projeto terá duração de 80 horas de prática nos leitos.
  • 27. CURSO DE PEDAGOGIA 27 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO JUSTIFICATIVA: O presente projeto Lendo, Imaginando e Reinventando a Vida foi elaborado através da observação participante realizada no Complexo Hospitalar Santa Casa- Hospital Santo Antônio da Criança, com intenção de propor ações didático-pedagógicas adequadas às condições da criança hospitalizada. No processo de construção do conhecimento as crianças hospitalizadas, através das diferentes linguagens e das interações que estabelecem com as pessoas, procuram entender e compreender as constantes mudanças as quais passam. As crianças observadas são muito receptivas e na sua maioria mostram grande interesse ao novo. Muitas vezes a criança e o adolescente hospitalizados encontram-se numa realidade de exclusão social, pois estão afastados da escola, do ambiente familiar e até de sua cidade. Além disso, a criança pode sentir-se solitária e triste, por não poder se relacionar com outras crianças da sua idade. Segundo Vigotsky, “o professor é o mediador da aprendizagem do aluno [...] e a aprendizagem se dá em colaboração entre as crianças”, e através da realidade que nos foi exposta optamos por um projeto voltado a literatura, pois constitui-se em um universo amplo de possibilidades de trabalho cognitivo com as crianças, que pode ser baseado não apenas na ludicidade, mas também em trabalhos mais consistentes, de acordo com as necessidades do educando. A literatura permite a contemplação de todas as áreas do conhecimento, nas diferentes faixas etárias. Sobre isso a autora Maria Suely Pereira fala em seu artigo “A importância da literatura infantil nas séries iniciais” que: “... nos anos iniciais da educação formal a criança está na fase dos sonhos e adora ouvir histórias que envolvem um mundo imaginário. Os livros que trazem a literatura devem estar sempre presentes na vida dessa criança. A boa literatura facilita o desenvolvimento da inteligência, interação e é fonte de divertimento e prazer. A literatura infantil pode para muitos parecer brincadeira, mas na realidade é o marco inicial de uma cultura e, por isso, é fundamental fazer parte da prática pedagógica do(a) professor(a) das séries iniciais.” (PEREIRA, 2007).
  • 28. CURSO DE PEDAGOGIA 28 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Os estudos sobre a literatura mostram que existem diversos motivos que justificam o trabalho com projetos de literatura em ambientes hospitalares, conforme mostra a autora Elizete Lúcia Moreira Matos, em seu livro “Pedagogia Hospitalar”: “Dentre outros motivos, transparece a necessidade de superação do problema da inatividade da criança/adolescente hospitalizado cativo ao leito, fato esse que torna o tempo interminável, enfadonho e propiciador de expectativas negativas em relação a sua enfermidade.” (MATOS, pg. 134). O foco da pedagogia hospitalar é a comunicação que se dá através da segurança. A criança precisa “esquecer” a sua dor, voltando-se para atividades educativas que proporcionem afeto, conforto e solidariedade em meio a esse momento de enfermidade. O trabalho com a literatura no ambiente hospitalar permite que as crianças interajam entre si, promovendo a aprendizagem e possibilitando momentos de descontração. Visando melhorar a auto-estima das crianças acamadas, pretendemos esclarecer que todos podem aprender superando suas enfermidades e apropriando-se do seu direito à educação, conforme o exposto na lei maior que rege o nosso país, a Constituição Federal de 1988, mais precisamente no Título VIII – Da Ordem Social, Capítulo III – Da Educação, da Cultura e do Desporto, Seção I, artigo 205: “a educação é direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”. Considerando que a criança hospitalizada, encontra-se afastada do ambiente escolar, cabe a nós educadores assumir a tarefa de intermediar a criança com a escola durante a hospitalização, auxiliando no acompanhamento pedagógico durante esse período. É através dessas idéias que foram traçados os objetivos desse projeto.
  • 29. CURSO DE PEDAGOGIA 29 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBJETIVO GERAL: Proporcionar as crianças do HCSA um ambiente lúdico, interativo, humanizador despertando a imaginação, a criatividade e a fantasia através da literatura. OBJETIVOS ESPECÍFICOS:  Despertar o gosto pela leitura através do uso de diferentes literaturas;  Estimular a imaginação e a fantasia a fim de enriquecer o potencial criativo da criança;  Proporcionar a crianças momentos de descontração e aprendizagem paralela a rotina hospitalar;  Envolver os acompanhantes dos pacientes nas atividades, reforçando os vínculos afetivos;  Explorar novos saberes através da literatura de forma interdisciplinar;  Interagir com os outros pacientes, desenvolvendo a socialização e o trabalho em grupo.  Ampliar seu vocabulário  Recontar a história demonstrando a compreensão da mesma.  Representar pelo desenho a sua compreensão da mesma.
  • 30. CURSO DE PEDAGOGIA 30 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS: Conceituais: Português  Leitura e escrita;  Produção textual;  Estudo de diferentes textos; Ciências  Higiene  Alimentação  Corpo  Natureza Matemática  Jogos lógicos matemáticos  Operações matemáticas  Resoluções de problemas Artes:  Pintura  Recorte  Colagem  Modelagem  Dramatizações  Oficinas de sucatas Musica:  Seções historiadas  Instrumentos musicais Historia e geografia:  Identidade  Profissões  Espaço geográfico hospitalar
  • 31. CURSO DE PEDAGOGIA 31 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Procedimentais:  Leitura  Escrita  Construção da biblioteca móvel  Construção do correio da amizade  Jogos Pedagógicos: bingo, cruzadinhas, dominó, memória, quebra- cabeça, entre outros);  Resolução de histórias matemáticas  Construção de cartazes;  Confecção de fantoches;  Entrevistas;  Desenvolvimento da pintura, recorte e colagem. Atitudinais:  Valorização da auto-estima;  Reconhecimento do eu e do outro;  Colaboração nas atividades propostas;  Relação estagiária (a) x aluno (a);
  • 32. CURSO DE PEDAGOGIA 32 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO METODOLOGIA: No primeiro momento faremos a anamnese nos leitos com intuito de conhecer melhor os pacientes com os quais realizaremos as práticas pedagógicas. As atividades do projeto “Lendo, Imaginando e Reinventando a Vida”, terão duração de 80 horas de prática nos leitos e contemplará interdiciplinarmente diversas áreas do conhecimento. Apresentaremos a caixa pedagógica composta com materiais diversos e atividades interdisciplinares para as diferentes faixas etárias. Organizaremos a biblioteca móvel com diversos livros infanto-juvenis, revistas, jornais, entre outros recursos. Faremos um correio da amizade: uma caixa de correio onde vai circular pelos leitos com cartas e/ou mensagens trocadas entre os pacientes, acompanhantes e funcionários do hospital. Festa em comemoração ao dia das Mães onde faremos uma dramatização utilizando o livro: “Se as coisas fossem mães” da autora Sylvia Orthof e entrega do presente surpresa confeccionado pelos alunos, tendo como encerramento a música “amor eterno”. Realização da festa junina com brincadeiras típicas e a apresentação da bandinha musical formada pelos alunos, utilizando instrumentos musicais criados pelos mesmos.
  • 33. CURSO DE PEDAGOGIA 33 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO RECURSOS:  Lápis de cor  Canetinhas  Giz de cera  Revistas  Livros  Jornais  Sucatas  Cola  Tesoura  Cola plasticor  Tinta  Palito de picolé e fósforo  Folhas coloridas  Pincel  Papéis: crepom, dobradura, laminado, ofício.  EVA, TNT  Cd’s  Dvd’s  Livro: “Se as coisas fossem mães”
  • 34. CURSO DE PEDAGOGIA 34 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO AVALIAÇÃO: A avaliação será processual e contínua e se dará pela observação do desempenho, do interesse, dos níveis de conhecimento, da participação, da motivação, da organização, da interação com o grupo, respeitadas as singularidades. Visando e priorizando o interesse e o desenvolvimento dos alunos diante das atividades propostas.
  • 35. CURSO DE PEDAGOGIA 35 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REFERÊNCIAS: • Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. • Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.mec.gov.br • MATOS, Elizete Lúcia Moreira. MUGIATTI, Margarida Maria Teixeira de. Pedagogia Hospitalar: A Humanização Integrando Educação e Saúde. Petrópolis: Editora Vozes, 2006. • RCNEI, Ministério da Educação. Volume 1,2, e3. Brasília: 1998. • OLIVEIRA, Marta Kohl. Vigotsky- Aprendizado e Desenvolvimento um Processo Sócio-Histórico, São Paulo: Editora Scipione, 1993.
  • 36. CURSO DE PEDAGOGIA 36 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ANEXO B CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO LICENCIATURA PEDAGOGIA- ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS Pedagogia Hospitalar PLANOS DE AULA/ ESTÁGIO 2010-1 Título do Projeto: Imaginando e reinventando a vida. Estagiária: Carla Alessandra da Silva Garcia e Caroline dos Santos Supervisora de Estágio: Nara Raquel Nehme Borges DATA: OBJETIVO SITUAÇÕES ESPECIFICO: CONTEÚDO: DIDADTICAS: RECURSOS: AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA  Minhoquices,  Desenvolver  Linguagem Contar a história  Meias de Utilizaremos Léia Cassol a imaginação, oral e “Minhoquice”, da nylon duas formas a criatividade escrita Léia Cassol.  Cola quente de avaliação:  Um passarinho ea  Ritmo  Tesoura chamado coordenação  Expressão Conversação  Jornais observação Mário, Léia motora musical sobre a história:  Massa de da Cassol  Participar no  Modelagem, interpretação oral modelar participação grupo para  Recorte e (Falar sobre seu  Cola gliter dos alunos socializar colagem personagem  Cartolina nas idéias e  Produção favorito e se tem  Cola atividades e conceitos textual medo de algum colorida diálogos construídos personagem).  Cartolinas onde as coletivamente  Retalhos de crianças . EVA e poderão SABADO  Ler oralmente Crie uma nova papéis expor seu para história com os coloridos parecer 17/04/2010 desenvolver a personagens.  Lápis de sobre a aula. habilidade de (Texto coletivo se cor expressão forem crianças  Folha oficio oral e escrita. menores de 9  Canetinhas anos). Vamos criar uma das minhocas com meias de nylon e jornal utilizando outros materiais diversos. Vamos cantar: “Minhoca”
  • 37. CURSO DE PEDAGOGIA 37 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO LICENCIATURA PEDAGOGIA- ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS Pedagogia Hospitalar PLANOS DE AULA/ ESTÁGIO 2010-1 Título do Projeto:Imaginando e reinventando a vida. Estagiária: Carla Alessandra da Silva Garcia e Caroline dos Santos Supervisora de Estágio: Nara Raquel Nehme Borges DATA: OBJETIVO SITUAÇÕES ESPECIFICO: CONTEÚDO: DIDADTICAS: RECURSOS: AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA  Estimular a  Linguagem Contar a história  Tesoura Utilizaremos  Figuras imaginação e oral e Dos três  Massa de a mágicas Os a fantasia a escrita porquinhos onde a modelar observação três porquinhos fim de  Produção criança ajudará a  Cola gliter da da editota todo enriquecer o textual montar a historia  Cola participação livro potencial da  Pintura. com os adesivos colorida dos alunos criança; que completam o  coloridos nas  personagem da  Lápis de atividades e  Recontar a editora todo livro, cor seu história  Folha oficio interesse na SABADO demonstrand Conversação  Canetinhas relização. 01/05/2010 oa sobre a história: compreensão interpretação oral da mesma  Ler oralmente Crie um novo final para para história (se desenvolver a forem crianças habilidade de que já souberem expressão escrever) oral e escrita. Pintura dos personagens da historia
  • 38. CURSO DE PEDAGOGIA 38 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO LICENCIATURA PEDAGOGIA- ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS Pedagogia Hospitalar PLANOS DE AULA/ ESTÁGIO 2010-1 Título do Projeto:Imaginando e reinventando a vida. Estagiária: Carla Alessandra da Silva Garcia e Caroline dos Santos Supervisora de Estágio: Nara Raquel Nehme Borges DATA: OBJETIVO SITUAÇÕES ESPECIFICO: CONTEÚDO: DIDADTICAS: RECURSOS: AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA  Interagir com  Linguagem Jogo das  Folha de Utilizaremos  Esther Pillar os pacientas, visual e oral quantidades em oficio a Grossi Numero Desenvolven- dupla,  Giz de cera observação e do a  Pintura.  Lápis e da alfabetização: socialização e Saber identificar borracha participação a matemática o trabalho em quantas tampas  Tinta dos alunos em novas equipe.  Jogos tem, quantas o  Pincel nas bases . editora  Estimular a lógicos colega tirou e  Dado com atividades e edelbra imaginação e matemático quantas faltam quantidades sua maneira a fantasia a s para ficar igual a  Tampinhas de SABADO fim de do outro. de garafas organização, 08/05/2010 enriquecer o potencial da  Operações Classificar as criança; matematica tampinha de s acordo com a cor  Saber ou desenho representar suas idéias Relatório do jogo através de através de formas desenho pictograficas
  • 39. CURSO DE PEDAGOGIA 39 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO LICENCIATURA PEDAGOGIA- ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS Pedagogia Hospitalar PLANOS DE AULA/ ESTÁGIO 2010-1 Título do Projeto:Imaginando e reinventando a vida. Estagiária: Carla Alessandra da Silva Garcia e Caroline dos Santos Supervisora de Estágio: Nara Raquel Nehme Borges DATA: OBJETIVO SITUAÇÕES ESPECIFICO: CONTEÚDO: DIDADTICAS: RECURSOS: AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA  Despertar o  Linguagem Historia do  Folha de Utilizaremos  Yogi, Chizuko. gosto pela visual , oral Bonifácio oficio a Aprendendo e leitura através e escrita  Giz de cera observação brincando na de diferentes Conversação das  Lápis e da Creche com literaturas,  Produção idéias gerais da borracha participação musicas e  Proporcionar textual historia  Tinta dos alunos jogos. Edição a criança  Pincel nas 4. Editora Fapi. momentos de Apresentação do  Massa de atividades e 203 descontração  Jogos Bonifácio e sua modelar através de e lógicos surpresa que será  Eva sua opinião QUARTA- aprendizagem uma folha e vários  Cola gliter a respeito FEIRA na rotina materiais para a  Tesoura das Hospitalar, criança recontar a  Cola atividades 12/05/2010  historia realizadas., Jogo das memória dos animais, onde terá também o Bonifácio que é uma baleia,
  • 40. CURSO DE PEDAGOGIA 40 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO LICENCIATURA PEDAGOGIA- ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS Pedagogia Hospitalar PLANOS DE AULA/ ESTÁGIO 2010-1 Título do Projeto: Imaginando e reinventando a vida. Estagiária: Carla Alessandra da Silva Garcia e Caroline dos Santos Supervisora de Estágio: Nara Raquel Nehme Borges DATA: OBJETIVO SITUAÇÕES ESPECIFICO: CONTEÚDO: DIDADTICAS: RECURSOS: AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA  Proporcionar  Valorização Atividades de  Recursos Utilizaremos a criança da auto- socialização entre para beleza a momentos de estima os  Matérias de observação descontração  Reconheci- acompanhantes e pintura e da e mento do eu pacientes desenho participação aprendizagem e do outro como: dos alunos na rotina Lápis nas Hospitalar Gis de cera atividades e  Envolver os Lápis de cor através de acompanhant Etc.. sua opinião SABADO es dos a respeito 15/05/2010 pacientes nas das atividades , atividades reforçando realizadas., vínculos afetivos
  • 41. CURSO DE PEDAGOGIA 41 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO LICENCIATURA PEDAGOGIA- ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS Pedagogia Hospitalar PLANOS DE AULA/ ESTÁGIO 2010-1 Título do Projeto: Imaginando e reinventando a vida. Estagiária: Carla Alessandra da Silva Garcia e Caroline dos Santos Supervisora de Estágio: Nara Raquel Nehme Borges DATA: OBJETIVO SITUAÇÕES ESPECIFICO: CONTEÚDO: DIDADTICAS: RECURSOS: AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA  Envolver os Jogo da memória  Moreira, acompanhan-  Reconheci- das profissões  Material de Utilizaremos Angelica tes dos mento do eu uso comum a Albana. O pacientes nas e do outro Relatório do jogo como lápis observação ESPAÇO DO atividades ,  Entrevistas folha de da DESENHO: a reforçando  Resolução Relacionar as oficio e participação educação da vínculos de profissões do jogo borracha, dos alunos educador. afetivos, problemas com as existentes  Jogo nas Editora Loyola  Estimular a  Linguagem no hospital,  Giz de cera atividades e Sinopse. 1999 imaginação e visual,escrit  Lápis de cor através de a fantasia a a oral Elaborar sua opinião QUARTA- fim de perguntas para a respeito FEIRA enriquecer o fazer para a das potencial enfermeira, em atividades 19/05/2010 criativo da relação a sua realizadas., criança profissão
  • 42. CURSO DE PEDAGOGIA 42 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO LICENCIATURA PEDAGOGIA- ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS Pedagogia Hospitalar PLANOS DE AULA/ ESTÁGIO 2010-1 Título do Projeto: Imaginando e reinventando a vida. Estagiária: Carla Alessandra da Silva Garcia e Caroline dos Santos Supervisora de Estágio: Nara Raquel Nehme Borges DATA: OBJETIVO SITUAÇÕES ESPECIFICO: CONTEÚDO: DIDADTICAS: RECURSOS: AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA  Ampliar o  Esther Pillar vocabulário  Produção Jogo das palavras  Material de Utilizaremos Grossi: Jogos através de textual, uso comum a de alfabetiza- atividades Identificação de como lápis observação ção. Editora pedagógicas,  Resolução letras iniciais e folha de da Edelbra  Envolver os de finais das palavras oficio e participação Estimular a problemas borracha, dos alunos imaginação e Tentar escrevê-las  Jogo nas a fantasia a  Linguagem sem visualizar  Giz de cera atividades e fim de visual,escrit  Lápis de cor através de enriquecer o a oral Elaborar frases sua SABADO potencial com estas organização 22/05/2010 criativo da palavras e interesse criança
  • 43. CURSO DE PEDAGOGIA 43 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO LICENCIATURA PEDAGOGIA- ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS Pedagogia Hospitalar PLANOS DE AULA/ ESTÁGIO 2010-1 Título do Projeto: Imaginando e reinventando a vida. Estagiária: Carla Alessandra da Silva Garcia e Caroline dos Santos Supervisora de Estágio: Nara Raquel Nehme Borges DATA: OBJETIVO SITUAÇÕES ESPECIFICO: CONTEÚDO: DIDADTICAS: RECURSOS: AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA  Expressar o  Esther Pillar gosto pela  Resolução O boto cor de rosa  Jogo Utilizaremos Grossi: Jogos leitura através de  Garrafas a de alfabetiza- de diferentes problemas Conversação  Bola observação ção. Editora literaturas, sobre a história,  Livro da Edelbra  Explorar  Linguagem participação novos visual,escrit Jogo de boliche dos alunos saberes a oral nas através da atividades literatura de propostas forma QUARTA- interdisciplina FEIRA r 26/05/2010
  • 44. CURSO DE PEDAGOGIA 44 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO LICENCIATURA PEDAGOGIA- ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS Pedagogia Hospitalar PLANOS DE AULA/ ESTÁGIO 2010-1 Título do Projeto: Imaginando e reinventando a vida. Estagiária: Carla Alessandra da Silva Garcia e Caroline dos Santos Supervisora de Estágio: Nara Raquel Nehme Borges DATA: OBJETIVO SITUAÇÕES ESPECIFICO: CONTEÚDO: DIDADTICAS: RECURSOS: AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA  Expressar o  CHAVES, gosto pela  Linguagem Teatro da historia  folha de Utilizaremos Otilia. A arte literatura visual,escrit da chapeuzinho oficio a de contar infantil a oral vermelho  lápis de cor observação histórias. 3 e. através de  giz de cera direta e 1963 atividades Realizar  teatro dialogada socializadoras  arte representações  fantoches artísticas com o  Saber auxilio de folhas explorar de oficio e lápis de diversos cera SABADO materiais, 29/05/2010
  • 45. CURSO DE PEDAGOGIA 45 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO LICENCIATURA PEDAGOGIA- ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS Pedagogia Hospitalar PLANOS DE AULA/ ESTÁGIO 2010-1 Título do Projeto: Imaginando e reinventando a vida. Estagiária: Carla Alessandra da Silva Garcia e Caroline dos Santos Supervisora de Estágio: Nara Raquel Nehme Borges DATA: OBJETIVO SITUAÇÕES ESPECIFICO: CONTEÚDO: DIDADTICAS: RECURSOS: AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA  Expressar a CHAVES, coordenação  Resolução Jogo de  Jogo Utilizaremos Otilia. A arte motora fina de classificação das  Formas a de contar através problemas formas geometricas observação histórias. 3 atividades geométricas.  Massa de direta e e. 1963 lúdicas,  Linguagem modelar dialogada  Saber visual,escrit Realizar  jornal explorar a oral representações diversos artísticas com o QUARTA- materiais, auxilio de massa  arte de modelar, FEIRA 02/06/2010
  • 46. CURSO DE PEDAGOGIA 46 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA CURSO LICENCIATURA PEDAGOGIA- ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS Pedagogia Hospitalar PLANOS DE AULA/ ESTÁGIO 2010-1 Título do Projeto: Imaginando e reinventando a vida. Estagiária: Carla Alessandra da Silva Garcia e Caroline dos Santos Supervisora de Estágio: Nara Raquel Nehme Borges DATA: OBJETIVO SITUAÇÕES ESPECIFICO: CONTEÚDO: DIDADTICAS: RECURSOS: AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA  Expressar a  CHAVES, Otilia. coordenação História do  Massa de Utilizaremos A arte de contar motora fina  Linguagem Rabanete, modelar a histórias. 3 e. 1963 através visual e oral  Jornal observação atividades  livros direta e lúdicas, dialogada  Saber  arte Realizar explorar representações diversos artísticas com o SABADO materiais, auxilio de massa de modelar, 05/06/2010
  • 47. CURSO DE PEDAGOGIA 47 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ANEXO C PRATICAS DESENVOLVIDAS NO COMPLEXO HOSPITALAR SANTO ANTÔNIO
  • 48. CURSO DE PEDAGOGIA 48 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO
  • 49. CURSO DE PEDAGOGIA 49 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO
  • 50. CURSO DE PEDAGOGIA 50 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO