(4) 09.00 Carlos Bielschowsky (Louvre II, 25.04)

656 views
552 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
656
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

(4) 09.00 Carlos Bielschowsky (Louvre II, 25.04)

  1. 1. CAEI Brasil 2012A questão da qualidade na oferta de Educação Superior a Distância no Brasil Carlos Bielschowsky Presidente da Fundação Ceciej / consórcio Cederj
  2. 2. Breve Histórico• 1988: A constituição (art. 205 e 209) estabelece a garantia de padrão de qualidade e avaliação pelopoder público 1996 – a LBD cita Ead no art. 80, com credenciamento específico. 1997: A UFMT oferece o primeiro curso de graduação com Ead para 300 professores da rede 1999: Carmen Neves lança uma versão preliminar de referenciais de qualidade para Ead 2001: O Consórcio Cederj , através da UFF, faz o primeiro Vestibular aberto com Ead no Brasil para ocurso de licenciatura em Matemática. 2002: Trabalha-se o marco regulatório, sob coordenação do Sr. Eduardo da Sesu, com i. o estabelecimento da primeira versão de referenciais de qualidade por comissão específica ii. marcos regulatórios iii. ofertas a partir do 1º marco regulatório 2007: i. segunda versão oficial dos referenciais de qualidade ii. em dezembro SEED passa a ter competência na Regulação e Supervisão em EAD iii. instalação e inicio da vigência do 2º marco regulatório (polos regionais) 2007-2010: criação e consolidação de instrumentos (INEP) para o processo de regulação 2008: janeiro - Início da supervisão da EAD, resultando até 2010 em interrupção de oferta para 10 IES 2011: criada a Seres, absorvendo a competência da Seed em Ead
  3. 3. Referencias de Qualidade Construidos após ampla discussão com a comunidade de Ead DIMENSÕES IMPORTANTES:i. Concepção de educação e currículo no processo de ensino e aprendizagem;ii. Sistemas de comunicação;iii. Material didático;iv. Avaliação;v. Equipe multidisciplinar;vi. Infraestrutura de apoio;vii. Gestão acadêmico-administrativa;viii. Sustentabilidade financeira.Os instrumentos de credenciamento de IES e cursos ede recredenciamento foram baseados nestes referenciais
  4. 4. Instrumentos para EADComo funciona resumidamente o processo de credenciamento para oferta decursos de ensino superior com EAD?i. Processo é registrado no MEC seguindo uma primeira análise na SEED;ii. Avaliadores coordenados pelo INEP visitam as instituições e os polos de apoio presencial;iii. A SEED, tendo com base o relatório dos avaliadores e outros elementos, emite um juízo e encaminha um parecer ao Conselho Nacional de Educação - CNE (a instituição pode recorrer do parecer na CTAA);iv. O CNE julga o pedido de credenciamento seguindo o parecer da SEED. Da decisão cabe recurso.Com base nos referenciais de qualidade, foram desenvolvidos instrumentos deavaliação específicos para:i. Credenciamento de instituições;ii. Autorização de cursos;iii. Credenciamento de polos de apoio presencial.
  5. 5. Supervisão HojeEm 2008 iniciamos a Supervisão em EAD: i. 400 colaboradores visitam as instituições e os polos; ii. A equipe da SEED analisa os relatórios, estuda a instituição e apresenta uma nota técnica; iii. A IES e o MEC negociam um termo de saneamento; iv. A IES executa, no prazo de um ano, os ajustes acordados; Até 2010 39 IES passam ou já passaram pelo processo de supervisão (responsáveis por 81% dos alunos de graduação em Ead) i. 15 termos de saneamento assinados; ii. 03 Instituições descredenciadas iii. 01 Instituição com processo administrativo iv. 19 instituições já visitadas e em processo de preparação da nota técnica 5.163 Polos/CAs irregulares fechados para novas entradas.
  6. 6. Consequencias da supervisão900.000800.000700.000 Público600.000 Privado500.000 Total400.000300.000200.000100.000 0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 Marco no processo regulatório através da supervisão: descredenciamento em 2009 por unanimidade e com louvor pelo Conselho Nacional de Educação da Unitins, que tinha (em 2007) 110 mil alunos Até 2010, 10 Universidades tiveram a oferta em Ead descontinuadas por determinação do MEC
  7. 7. Principais Problemas encontradosDesconexão da Universidade com os alunos: atividades acadêmicas terceirizadas,às vezes, inclusive, por um terceirizado do terceirizado;Alguns cursos não eram, na prática, cursos de graduação: i. O material didático não tinha densidade para um curso de graduação, por exemplo, disciplinas com 40 páginas de material impresso e pouco ou nenhum material complementar; ii. Avaliação realizada nesse contexto de conteúdo, ou seja, não exigia do estudante conhecimentos compatíveis com um curso de graduação;Avaliações desconectadas dos docentes das universidades. Por exemplo, provasobjetivas corrigidas automaticamente, em cima de um conteúdo aligeirado. Alunoscom deficiências graves de escrita formando-se em carreiras como pedagogia oulicenciatura em letras;Falta de apoio ao estudante: encontramos casos onde o estudante não dispunhade tutoria presencial e a tutoria a distância era quase inexistente;Polos de apoio presencial sem adequação mínima para oferta de educaçãosuperior.Estas questões foram consideradas nos instrumentos de regulação
  8. 8. Perfil do Estudante com a renda familiar 43 45 40 35 26 30 Até 3 mínimos 25 20 15 10 5 0 EAD Presencial Até 3 mínimos30 252520 13 Acima de 10 mínimos1510 5 0 EAD Presencial Mais de 10 mínimos Fonte: Dados do INEP, trabalho de Dilvo Ristoff
  9. 9. Perfil do estudante com a escolaridade dos pais60 515040 Escolaridade do pai30 182010 0 EAD Presencial Pai com ensino médio ou superior 54 60 50 Escolaridade da mãe 40 30 24 20 10 0 EAD Presencial Mãe com ensino médio ou superior Fonte: Dados do INEP, trabalho de Dilvo Ristoff
  10. 10. Nós acreditamos em Ead: o Consórcio Cederj do Estado do Rio de JaneiroConsórcio das seis universidades públicas e o Governo do Estado do Rio deJaneiro onde toda a competência acadêmica emana das universidades: UERJ UNIRIO UENF UFRJ UFF UFRRJ UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO - Universidade do Rio de Janeiro UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro UFF - Universidade Federal Fluminense UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro O corpo docente pertence às universidades consorciadas. É dele a responsabilidade do preparo do projeto político e pedagógico dos cursos, o conteúdo do material didático, além de cuidar da tutoria e da avaliação. O ALUNO É DIPLOMADO PELAS UNIVERSIDADES CONSORCIADAS.
  11. 11. As Universidades e a CECIERJ Uma parceria em rede com estrutura colegiada CECIERJ Estrutura para viabilizar EAD. Produção e distribuição de material didático, estrutura de informática, tutoria, plataforma, sistema acadêmico, vestibular, avaliação institucional, etc Universidade PrefeiturasProjetos político-pedagógicos doscursos, coordenadores de Polos regionais: administração dacurso, disciplina e infraestrutura presencial paraconteudistas, laboração do material atender ao aluno perto da suadidático, avaliação de ALUNO residência.aprendizagem, regrasacadêmicas, emissão de DIPLOMA.
  12. 12. CEDERJ HOJE32 Polos CEDERJ/UAB e Centros de atendimento a distância nasUniversidades: UERJ, UFRJ, UNIRIO, UFF, UENF e UFRRJ e CEFET
  13. 13. CEDERJ hoje 12 Carreiras 21.000 alunos ativos 10.000 vagas em 2012/2=> aproximadamente ¼ das vagas das Universidades Públicas do RJ CURSOS DE GRADUAÇÃO PARA 2012/1: Licenciatura em Matemática (UFF e UNIRIO) Licenciatura em Ciências Biológicas (UENF, UERJ e UFRJ) Licenciatura em Física (UFRJ) Licenciatura em Pedagogia (UERJ e UNIRIO) Licenciatura em Química (UENF e UFRJ) Tecnologia de Sistemas de Computação (UFF e UFRJ) Administração (UFRRJ) Administração Pública (UFF) Licenciatura em Turismo (UFRRJ e UNIRIO) Licenciatura em História (UNIRIO) Licenciatura em Letras (UFF) Tecnólogo em Turismo (CEFET)
  14. 14. Seja profissional: oferecendo itinerários de formação a jovens e adultos compatíveis com suas capacidades e necessidades CEJA = Ensino Curso de Fundamental e Qualificação Médio semi- Profissional Semi- presencial presencial (FAETEC)(CECIERJ/SEEDUC) Orientação acadêmica, vocacional e social. SEJA PROFISSIONAL Pré- Vestibular CEDERJ - Ensino Superior com 12Cursos técnicos pós- Social carreiras em 32médio de 1200 a 1600 horas pela Faetec. (Cecierj) polos, prevendo 2 novas para 2012
  15. 15. SEJA - ProfissionalSISTEMA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOSLOCALIZAÇÃO ATUAL
  16. 16. CEDERJ HOJE32 Polos CEDERJ/UAB e Centros de atendimento a distância nasUniversidades: UERJ, UFRJ, UNIRIO, UFF, UENF e UFRRJ e CEFET
  17. 17. Observatório de Qualidade em Ead na Ibero AmericaInstituto Ibervirtual, sediado pela UNED da Espanha, a partir do AIESAD, Associação Ibero Americana de Educação Superior a Distância:São cinco projetos prioritários do Instituto Ibervirtual, um deles é a questão da qualidade educativa na Ibero America, que tem o apoio da OEI.Grupo de Qualidade educativa contempla duas ações principais: i. Observatório de qualidade na oferta de Ead no Ensino Superior na Ibero América ii. Ajuda a países que necessitem rever os procedimentos de regulação e supervisão na oferta de Ead no ensino superior.Observatório da qualidade educativa: Estamos finalizando uma página, que conterá: i. As leis, procedimentos e instrumentos utilizadas na acreditação de cada país na AL, com link para as fontes, por exemplo, para os instrumentos ii. Material biográfico para acreditação na AL (artigos, livros, etc...) iii. Um fórum de discussão dos processos de acreditação e qualidade iv. Considerações gerais dos processos de acreditação na AL, a partir da análise dinâmica da situação a cada momento por uma comissão de experts v. Em 2013 teremos também dados estatísticos sobre a oferta em cada país, se possível remetendo a elementos de qualidade na oferta.
  18. 18. CAEI Brasil 2012A questão da qualidade na oferta de Educação Superior a Distância no Brasil Carlos Bielschowsky Presidente da Fundação Ceciej / consórcio Cederj

×