Teodoro gonzalez de léon
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Teodoro gonzalez de léon

  • 1,204 views
Uploaded on

Vida e obra de Teodoro Gonzalez de Léon

Vida e obra de Teodoro Gonzalez de Léon

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,204
On Slideshare
1,204
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
16
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Teodoro Gonzalez de Léon Bruno Lima - Carla Tajra - Christianne Quintino
  • 2.  Arquiteto mexicano nascido em 1926 na Cidade do México;  Formado pela Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM);  Pertence a uma geração educada pelo Movimento Moderno;  Reconhecido internacionalmente BreveHistórico
  • 3.  Estagiou por 18 meses com Le Corbusier, de quem recebeu influências significativas Influências concreto elementos pré- fabricados funcionalismo módulo
  • 4.  Primeiras obras: presença do pilotis, influência direta de Le Corbusier. Clínica do IMSS em Toluca, México VisãoPanorâmica
  • 5.  A partir da década de 60, há uma série de mudanças em sua linguagem; Terminal do Aeroporto em La Ceiba, Honduras, 1965. 1. Edifícios presos ao chão (abandono do pilotis); 2. Uso do brise-soleil como elemento de proteção solar e, em alguns casos, como elemento estrutural; 3. Alta exploração da plástica dos edifícios com o uso dos brises; 4. Uso de painéis pré-fabricados nas fachadas; 5. Colunas no pano da fachada. VisãoPanorâmica
  • 6. Escola de Direito da Universidade de Tamaulipas, 1966. 6. Uso do pátio. VisãoPanorâmica
  • 7.  Ao final dos anos 60, introduz o uso da grapa, um elemento mural em forma de “C”, e das portadas;  As portadas, aliadas aos brises e, algumas vezes à colunada da fachada, deixa claro a transição entre o público e o privado. Biblioteca da República, México, 1966. VisãoPanorâmica
  • 8. Embaixada do México no Brasil, Brasília, 1974-76. VisãoPanorâmica
  • 9. VisãoPanorâmica Embaixada do México no Brasil, Brasília, 1974-76.
  • 10.  A partir dos final dos anos 70, Teodoro substitui o concreto liso, pelo concreto esculpido (concreto + mármore, ao invés dos agregados tradicionais). VisãoPanorâmica Embaixada do México em Berlim, 1998-2000 concreto liso
  • 11. VisãoPanorâmica Palácio da Justiça Federal, México, 1987-91.
  • 12. VisãoPanorâmica Colégio do México, 1974-76.
  • 13. VisãoPanorâmica Embaixada do México em Berlim. 1998-2000.
  • 14.  Teodoro afirma que em sua obra ele trabalha a plástica arquitetônica como uma colagem de elementos geométricos, chegando a se identificar com a frase de Aldo Rossi: “ A arquitetura é indiferente à sua função”, ou seja, pode- se recombinar s elementos e criar coisas totalmente diferentes. VisãoPanorâmica Auditório Nacional, Cidade do México,1992.
  • 15. VisãoPanorâmica Museu Universitário de Arte Contemporânea, Cidade do México, 2008.
  • 16. VisãoCrítica  Octávio Paz (1914-1998), um dos mais importantes ensaístas do México, escreveu a respeito da obra de Teodoro Gonzalez de León: “Sua obra é composta pela aliança entre dois movimentos opostos: a gravidade e o ritmo. Gravidade devido ao aspecto pesado, que realmente dá a sensação de que o prédio está fixo ao chão; e ritmo pelos elementos que compõem o a forma, juntamente com o jogo de luz, que nos dá a sensação de contemplarmos uma dança imóvel.”
  • 17.  Localização: Cidade do México  Projeto: 1990  Construção: 1990 – 2007  Superfície de construção: 20,0000 m² ArcosBosquesCorporativoObras
  • 18. Histórico  1980: governo concede permissão para construção de edifícios de escritórios;  Idéia: zona de escritórios com solução integral;  Desenvolvimento integral: evitar desordens viárias e problemas de estacionamento. ArcosBosquesCorporativoObras
  • 19.  Harmonia visual e funcionalidade;  Atrair empresas mundiais.  Conceito totalmente novo em edifícios de escritórios – símbolo da modernidade da Cidade do México; Histórico ArcosBosquesCorporativoObras
  • 20.  Objetivo: desenvolver um conceito que reúne todas as características dos chamados grupos inteligentes;  Todos os serviços necessários em um mesmo espaço de escritórios.  Concurso arquitetônico – Grupo Dine (1990); O Projeto ArcosBosquesCorporativoObras
  • 21.  Imagem arquitetônica: pátio urbano de grande impacto visual e entorno arquitetonicamente harmônico.  Projeto: Francisco Serrano, Teodoro González de Léon e Carlos Tejeda; O Projeto ObrasArcosBosquesCorporativoArcosBosquesCorporativoObras
  • 22.  Maior desenvolvimento que foi feito no país;  Edifício único: mesmo material para toda a estrutura – concreto branco  Vidro temperado e alumínio;  Pátio urbano: visitantes se sintam em um espaço visual controlado. O Projeto ArcosBosquesCorporativoObras
  • 23.  Circulações verticais e abertas;  Janelas quadradas que conservam uma harmonia visual e permitem a entrada da luz durante o dia;  Forma de arco: particularidade original. O Projeto ArcosBosquesCorporativoObras
  • 24. Implantação
  • 25.  Projeto interativo e multidisciplinar;  Eficiência nos recursos e no desenho sem perder a qualidade original;  Preocupação com o meio ambiente;  Evitar problemas de tráfego. Construção ArcosBosquesCorporativoObras
  • 26.  Necessidade de um plano diretor de várias etapas;  Início: Edifício leste – 27,000 m² de escritórios – terminado em Agosto de 1993;  Segunda etapa: fim do Arcos Torre I – 60,000 m² - inaugurado em Junho de 1996. Construção ArcosBosquesCorporativoObras
  • 27. Arcos Torre I:  “El Pantalón”;  161,5 metros (34 andares);  Corporativo e seus setores;  Heliporto: 2560 metros acima do nível do mar;  Segundo edifício mais alto do país. Construção ArcosBosquesCorporativoObras
  • 28. Obras Arcos Torre I:  Espaço total de escritórios: 200,000 m²;  Estacionamento com capacidade para 10740 automóveis – 4 níveis subterrâneos;  Entrada com pé-direito duplo;  Possui 24 elevadores. ArcosBosquesCorporativoObras Construção
  • 29. Planta centro comercial
  • 30. Planta dos escritórios
  • 31. Planta de coberta
  • 32. Arcos Bosques II:  Duas torres unidas por um suporte;  Fevereiro de 2008;  161,2 metros (34 andares);  Hotel cinco estrelas;  Centro comercial na torre I. ArcosBosquesCorporativoObras Construção
  • 33. Arcos Bosques II:  Cada pavimento: 1600 a 1655 m², livre de colunas e altura de 3,82m;  Espaço de oficinas: 98,900 m²;  Torre I: 15 elevadores;  Torre II: 18 elevadores;  Estacionamento para 3000 automóveis. ArcosBosquesCorporativoObras Construção
  • 34. Mapa de lojas – Nível -1
  • 35. Mapa de lojas – Nível CC
  • 36. Mapa de lojas – Nível 1
  • 37.  Serviços: perfeitamente estudados e pensados;  Primeiro edifício inteligente da América Latina equipado com Building Management System (BMS);  Sistema Energypack: economia de gás, água e luz. ArcosBosquesCorporativoObras
  • 38.  Sistema de drenagem: sem perturbações na encanação e sem elevada pressão contra o piso;  Sistema de emergência: rigidez no exterior sem sobrecarga das colunas – zona de terremotos. ArcosBosquesCorporativoObras
  • 39.  Arquiteto: Teodoro González de León/Francisco Serrano Cacho  Contribuintes: José Arce, Oscar Rodriguez, ASSMANN Beraten  Cliente: Governo do México  Localização: Berlim, Alemanha  Ano: 2000  Área do Terreno: 2317 m²  Área utilizada no Projeto: 3300 m² EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras
  • 40. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Histórico  Embaixadas estrageiras se transferiram da cidade de Bonn para a cidade de Berlim;  Ministério dos Negócios Estrangeiros organizou um concurso para projetar a nova embaixada do México;  1997 – resultado do concurso - proposta vencedora a dos arquitetos Teodoro Gonzalez de Leon e Francisco Serrano.
  • 41. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Contexto  Localizado em um lugar privilegiado, no centro de Berlim;  Situado no bairro diplomático de Tiergarten a poucos metros do parque central da cidade;  Área caracterizada pela ligação bairro - natureza e pela hospedagem de edifícios corporativos e diplomáticos.
  • 42. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Contexto  Local de nascimento de ícones da arquitetura contemporânea e de renovação de edifícios que foram abandonados quando a Alemanha se dividiu apos a 2ªGuerra Mundial;  A proposta atende às diretrizes rigorosas do plano diretor para a área.
  • 43. Implantação
  • 44. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Intenções do projeto  Criar um edifício que tenha uma imagem distinta e que ficaria registrada na memória urbana;  Representar o país de forma diferente, mas que atenda às normas do local a ser implantado.
  • 45. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Principais Críticas  Edifício não se enquadra com o contexto urbano em que está inserido;  Ícones da arquitetura contemporânea e edifícios notáveis ​​obscurecem o projeto;  Luz do sol e perspectivas que poderiam ser gerados são ofuscados.
  • 46. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Aspectos Interessantes do Projeto  Manipulação de fachada;  Simplicidade e limpeza;  Uso do telhado;  Luz dinâmica;  Perspectivas;  Estrutura.
  • 47.  Pórtico de 18m de altura com destaque aos dois planos de colunas;  Junção dos planos forma um buraco que marca o acesso. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Fachada Principal
  • 48. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras  As colunas servem como elementos construtivos;  Total transparência do interior e dão uma imagem de solidez e transparência variável da parte externa. Fachada Principal
  • 49. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras  Efeito de leveza, monumentalidade e transparência;  Na fachada lateral é repetido os mesmos planos. Fachada Principal
  • 50. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras  Conjunto de dois volumes: um cilindro e um paralelepípedo com pilotis de 2 pavimentos. Fachada dos fundos
  • 51. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Dividido em seis níveis:  Subsolo semi-embutido: serviços e estacionamento;  Térreo: espaço com pé direito duplo que contém: jardim do átrio, hall de entrada, sala de múltiplo uso, centro de informação; e no mesanino: serviços consulares e de cultura. Programa
  • 52. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras  Pavimentos superiores: chancelarias;  Último pavimento: jardim com vista para o entorno e para os monumentos do centro de Berlim. Programa
  • 53. Planta do Térreo
  • 54. Planta do Mesanino
  • 55. Planta do 1º, 2º e 3º pavimento
  • 56. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Interior  Ponto focal do edifício: grande cilindro de 18m de altura e 14m de diâmentro;  Metade do cilindro está em balanço num jardim interior escalonado;  Acomoda a circulação vertical do edifício.
  • 57. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Interior  Ponto de encontro do edifício e espaço simbólico da Embaixada;  Fornece uma iluminação interessante jardim interior e proporciona um ambiente agradável no interior do edifício;  Espaços generosos compostos por diagonais;  Diversas alturas e coberturas que proporcionam um interessante jogo de iluminação.
  • 58. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Materiais Revestimentos:  Interior e Exterior: concreto cinzelado branco (acabamento utilizado em muitas obras no México e agora experimentado em Berlim);  Textura forte que estabelece perfeito diálogo com o acabamento alemão.
  • 59. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Volumetria  Pilares da fachada inclinados fazem um convite para a entrar no edifício;  Desenho abstrato e fachada de concreto branco dão destaque ao edifício.
  • 60. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Volumetria  Fachada dinâmica e cilindro interno fornecem impacto suficiente para ser lembrado e catalogados por quem visita ou ver.
  • 61. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Estrutura  Sistema de construção inovador e atraente;  Alvenaria estrutural de concreto;  Cilindro proporciona estabilidade e rigidez à estrutura do edifício.
  • 62. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Estrutura  Pilares da fachada como carga desnecessária e vertical à posição do vento;  1º construído suas colunas e alvenarias de estrutura com ajuda de andaimes.
  • 63. EmbaixadadoMéxicoemBerlimObras Estrutura  Apos a remoção de andaimes a fachada adquire o seu papel estrutural do predio;  Foi usado um andaime de carga de 17,40m para construir o balanço da cobertura de concreto.
  • 64. Bibliografia  SEGAWA, Hugo. Arquitectura latinoamericana contemporánea. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2005;  LARIOS, Jose María. Columna, estructura, y composición em la obra de Teodoro Gonzalez de León;  CURTIS, William J. R. Arquitetura moderna desde 1900. Bookman Companhia Ed., 2008;  TOCA, Antonio (org). Arquitetura América Latina: Nueva Arquitectura em America Latina: Presente y Futuro. México: Editorial Gistavo Gili, 1990;  Revista Projeto nº 130;  www.vituvius.com.br;  www.arqred.mx;  www.revista.unam.mx;  www.paseoarcosbosques.com.mx;  www.arquitour.com;  www.artigos.tol.pro.br/portal.