• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Estação Ecológica de Arêdes pode perder sítio arqueológico_13 10-13.2
 

Estação Ecológica de Arêdes pode perder sítio arqueológico_13 10-13.2

on

  • 664 views

Estação Ecológica de Arêdes, em Itabirito, Minas Gerais, pode perder sítio arqueológico para a Mineração. Parte 2

Estação Ecológica de Arêdes, em Itabirito, Minas Gerais, pode perder sítio arqueológico para a Mineração. Parte 2

Statistics

Views

Total Views
664
Views on SlideShare
664
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-NonCommercial LicenseCC Attribution-NonCommercial License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Estação Ecológica de Arêdes pode perder sítio arqueológico_13 10-13.2 Estação Ecológica de Arêdes pode perder sítio arqueológico_13 10-13.2 Document Transcript

    • Minas hojeemdia.com.br BeloHorizonte,domingo,13.10.2013 HOJEEMDIA 19 FOTOS SAMUEL COSTA Nº 4 mineradorasatuam aoredorda estação ecológica. Umadelas,a Safm, recompôs umaárea vizinhaà sededa fazenda 129 hectareséo tamanhoda áreaque seria retiradada Estação Ecológicade Arêdespara poderser minerada VIZINHA – A origem dos sítios arqueológicos na região de Arêdes, em Itabirito, é a mineração do ouro; agora, é a própria mineração que coloca em risco sua existência Prefeitura pretende tombar sítios arqueológicos A Prefeitura de Itabirito realiza um procedimento para tombar sítios histórico-arqueológicos da Estação Ecológica de Arêdes e região. Já existem estudos e um laudo do Ministério Público Estadual subsidiando o tombamento, mas será feita a licitação de novas análises técnicas para atestar a importância histórica. O objetivo é ter informação suficiente para justificar o tombamento. INEFICAZ A área é protegida pela lei federal 3.942, de 1961, que institui que os monumentos arqueológicos estão sob proteção do poder público. Entretanto, na prática, a norma não é eficaz. “Queremos fazer um estudo mais aprofundado. Os sítios arqueológicos se estendem até o antigo viaduto das Almas (também em Itabirito). Até março do ano que vem, deve ser publicada a licitação dos estudos”, revela o chefe da divisão de Memória e Patrimônio da Secretaria de Patrimônio Cultural e Turismo, Igor André Gonçalves. Segundo ele, o início da ocupação de Itabirito foi em Arêdes e redondezas. A região é parte de uma complexa cadeia de ruínas, localizadas no chamado Sinclinal Moeda, região do Quadrilátero Ferrífero que testemunhou os primórdios da mineração no país. MINERADORASDE OLHO Na área da Estação Ecológica de Arêdes, pelo menos dez mineradoras requisitaram o direito de exploração junto ao Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Além de minério de ferro, a região é rica em manganês e água mineral. FUNDIÇÃO – Ruína de onde teriam sido forjadas ferramentas utilizadas na exploração de minério de ferro, em Cata Branca ESTAÇÃO ECOLÓGICA ESTADUAL DE ARÊDES Sítios arqueológicos em risco LOCALIZAÇÃO Itabirito, no Quadrilátero Ferrífero, próximo ao Pico do Itabirito, a 60 quilômetros de Belo Horizonte Área 1.187 hectares BR-040 Sítios arqueológicos (ruínas) Patrimônio arqueológico Aredes foi uma unidade mineradora de ouro nos séculos XVIII e XIX, utilizando técnicas de extração por meio de terraços e também nos leitos de rios. O local também foi utilizado para extração e fundição de ferro para a produção de ferramentas ITABIRITO A DA SERR A MOED Área que pode ser suprimida da Estação Ecológica de Arêdes e dar lugar à mineração. O PL 3.311/12 tramita na ALMG BR-040 A Fazenda Aredes continha benfeitorias, habitações, senzala, capela e uma venda. Há, ainda, uma ruína do que seria uma antiga fundição. Parte dessas construções ainda está de pé. FONTE: Laudo técnico produzido pela Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico - Ofício 1.696/2012; Site da ALMG. EDITORIA DE ARTE PORTAL – Janela da antiga sede da fazenda de Arêdes é a única parte da frente da casa ainda de pé