Plantio diretona palha x convencional

291 views

Published on

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
291
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Plantio diretona palha x convencional

  1. 1. Introdução O Plantio Direto compreende um conjunto de técnicas integradas que visam melhorar as condições ambientais (água-solo-clima) para explorar da melhor forma possível o potencial genético de produção das culturas (Primavesi, 2000). Respeitando os três requisitos mínimos não revolvimento do solo, rotação de culturas e uso de culturas de cobertura para formação de palhada, associada ao manejo integrado de pragas, doenças e plantas daninhas - o Plantio Direto não deve ser visto como uma receita universal, mas como um sistema que exige adaptações locais. Essas têm sido executadas por iniciativa dos próprios agricultores, por meio da integração contínua de esforços com pesquisadores e técnicos, possibilitando avanços palpáveis no desenvolvimento e na transferência de tecnologias. A adoção do Plantio Direto expressa a perfeita harmonia do homem com a natureza e proporciona economias significativas para a sociedade como um todo. Torna-se possível, assim, a minimização de custos por unidade produzida a partir da maximização da produtividade de insumos e de mão-de-obra. Associa-se a isto a diminuição significativa de consumo de petróleo (60 a 70 % a menos de óleo diesel), o aumento do seqüestro de carbono (aumento do estoque no solo e da matéria orgânica em decomposição na superfície), a diminuição expressiva da perda de solo por erosão (90 % de diminuição nas perdas estimadas em 10 t solo/t de grão produzida), que evidenciam a possibilidade de se obter uma agricultura sustentável e limpa, produzindo alimentos de qualidade, com o menor impacto negativo sobre o meio ambiente e o homem. Com o sistema permite também o cumprimento do calendário agrícola, validando as recomendações do zoneamento e sendo um atrativo para as seguradoras, viabilizando a atividade agrícola. Por suas reconhecidas características, comprovadas amplamente pela pesquisa agropecuária brasileira, o Plantio Direto é a mais importante ação ambiental brasileira em atendimento às recomendações da conferência da Organização das Nações Unidas (Eco-92) e da Agenda 21 brasileira, indo ao encontro do que foi acordado na assinatura do Protocolo Verde.
  2. 2. O Plantio Direto, sistema introduzido no Brasil na década de 70, é uma das alternativas que viabiliza a sustentabilidade da agricultura, com amplos benefícios para toda a sociedade. Sistema Plantio Direto Desde quando se iniciaram as primeiras experiências, nos anos 70, o sistema Plantio Direto passou por muitos estudos e testes, despontando-se o papel de produtores pioneiros, os quais, em um profícuo processo de integração tecnológica com órgãos de pesquisa, indústrias de insumos e máquinas, a assistência técnica oficial e privada e outros serviços ligados à
  3. 3. agricultura, conseguiram superar muitas dificuldades e construir uma sólida base de conhecimentos e de referências. A iniciativa em torno do Plantio Direto, exemplo para os países tropicais de todo o mundo, tem refletido uma mudança de comportamento dos produtores e técnicos na busca da sustentabilidade da agricultura. Também acarretou em um maior profissionalismo pela incorporação de novas tecnologias e melhorias gerenciais dos fatores e processos de produção, constituindo, hoje, uma reconhecida alternativa para que se estabeleçam políticas, favorecendo o desenvolvimento ambientalmente sustentável, voltadas para a prosperidade da agricultura, com evidentes benefícios para toda a sociedade. Destaca-se nesse contexto a expressiva expansão do Plantio Direto no Brasil, evoluindo de cerca de um milhão de hectares com culturas anuais, no início da década de 90, para mais de 12 milhões no ano 2000. Além disso, o sistema passou a ser utilizado em todas as culturas perenes, na cana-de-açúcar, na recuperação de pastagens por meio da rotação entre lavouras e pastagens, no reflorestamento, na fruticultura, na olericultura, constituindo-se em importante alternativa para a economia de operações manuais, de tração animal, tratorizadas ou aéreas. Dessa forma, fica evidente sua universalidade e abrangência, ensejando sua escolha como o mais potente instrumento a ser fomentado no manejo racional das bacias hidrográficas. Para que essa fantástica expansão possa trazer os benefícios desejáveis, em um ambiente mais favorável a sua adoção e seu aprimoramento, enseja-se a celebração dos mais variados compromissos e parcerias, conforme os exemplos realizado no 1° DIA INTEGRADO DE MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA, promovido pelo curso de AGRONOMIA DA FACULDADE ASSIS GURGACZ, no dia 15 de março de 2007. A parceria entre a FAG; SENARPR e empresas: JACTO; MARCHESAN e MASSEY FEGUSSON, que perseguem o desenvolvimento de uma agricultura sustentável, próspera e cada vez mais limpa, abrindo-se novos campos de cooperação nas áreas de pesquisa, ensino e de melhor equacionamento das pendências existentes nos agronegócios brasileiros.
  4. 4. O evento foi realizado no moderno CENTRO DE DESENVOLVIMENTO E TREINAMENTO EM MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA da FAG. Os cursos fizeram parte das disciplinas de mecanização e os acadêmicos comprovaram que o Sistema de Plantio Direto (SPD) tem contribuído de maneira positiva para a sustentabilidade da agricultura, com dinâmicas de máquinas para Manejo de Coberturas e Semeadura no Sistema de Plantio Direto. “ O CEDETEC da FAG com dinâmicas de Máquinas e Equipamentos para o Plantio Direto é importante para que os acadêmicos conheçam a realidade na qual o profissional de Agronomia atua, bem como para facilitar o entendimento teórico, que faz parte de sua formação “, explica o professor de SENARPR, Eng° Agro° Vanderley de Oliveira que ministrou o Curso de Plantio Direto. A importância do Sistema Plantio Direto para a Sustentabilidade da Agricultura De uma maneira geral, tem sido reconhecido pelos meios técnicos nacionais e em foros estrangeiros e internacionais que o Sistema Plantio Direto é a maior conquista do século nos campos do manejo do solo e da agricultura sustentável, consolidando a justificativa da alteração do clímax vegetal de origem processada em benefício do homem de maneira eficiente, econômica e sustentável. Tais constatações indicam e comprovam que o SPD tem contribuído de maneira positiva para a sustentabilidade da agricultura, nos seguintes aspectos: • O salto qualitativo que representa o SPD na agricultura brasileira, em termos de melhoria da capacitação profissional, da mão-de-obra e do nível gerencial da atividade agrícola; • O impacto do SPD na eficiência produtiva e na renda do setor e os seus efeitos multiplicadores nos setores secundário e terciário da economia, gerando mais emprego ao se considerar o agronegócio como um todo, conferindo-lhe maior sustentabilidade econômica, social e ambiental; • A amplitude e a velocidade da expansão do SPD no Brasil (12 milhões de hectares em três décadas, ou seja, um terço da área total cultivada no País com culturas anuais);
  5. 5. • O impacto ambiental do SPD, em termos de: 1. contribuição ao manejo racional das bacias hidrográficas; 2. contribuição à manutenção da biodiversidade; 3. contribuição na redução da erosão laminar, com diminuição de até 90% na perda do solo, cifra que corresponde à preservação de mais de 100 milhões de toneladas de terra fértil por ano. Há também a extensão da área plantada sob Plantio Direto no País, o que evita o assoreamento de cursos d’água, lagoas, lagos e barragens, com reflexos positivos na melhoria da qualidade e na disponibilidade da água para a irrigação e o consumo humano e animal, além de reduzir as enchentes; 4. Redução de 60 a 70% no uso de combustíveis fósseis pela mudança do sistema convencional para um avançado modelo de Plantio Direto, o que contribui para a redução da emissão de gases que interferem no efeito estufa, além dos incalculáveis benefícios no equacionamento da matriz energética do país. 5. A absorção de cerca de 130 milhões de toneladas de carbono atmosférico para cada 1% de incremento no teor de matéria orgânica na camada superficial do solo, de 20 cm, nos 12 milhões de hectares de área sob Plantio Direto de culturas anuais no Brasil. Esta cifra, em termos potenciais, poderia possibilitar a captação ou geração de créditos compensatórios de mais de 1 bilhão de dólares/ano, considerando-se a viabilização desse mercado carbono na Bolsa de Chicago, por exemplo. 6. Redução significativa do risco agrícola, tendo em vista a maior probabilidade de atendimento do calendário proposto pelo zoneamento agrícola, favorecendo a atração do setor segurador, com melhores condições dos cálculos atuariais. Com isso, garante-se a implantação de seguros profissionais e a articulação de fundos de equalização de prêmios e de proteção contra catástrofes, com a participação do governo, havendo reflexos positivos na maior estabilidade e maior permanência do produtor na prática do Plantio Direto. 7. O Plantio Direto tem potencial para ser empregado em todas as atividades e por todos os produtores em favor do emprego e renda. No caso da agricultura familiar, como nos outros, o SPD facilita a diversificação de atividades devido à redução de tarefas que demandam grande utilização da mão-de-obra (preparo do solo e tratos culturais), com reflexos na melhoria de renda e na redução na migração rural/urbana.
  6. 6. Vanderley de Oliveira – Consultoria e Treinamento - (44)3528-4827 vanderley_olivei@uol.com.br

×