Workshop IV
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Workshop IV

on

  • 323 views

 

Statistics

Views

Total Views
323
Views on SlideShare
323
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Workshop IV Workshop IV Presentation Transcript

  • “Turmas infantis: trabalhando conteúdos e disciplina” Bruna Moreno
  • “ [...] Children who learn a foreign language beginning in early childhood demonstrate certain cognitive advantages over children who do not. […] Bilingual students learn sooner that an object remains the same, even though the object has a different name in another language. For example, a foot remains a foot and performs the function of a foot, whether it is labeled a foot in English or un pied in French.” (Therese Sullivan Caccavale, president of the National Network for Early Language Learning (NNELL))
  • “Beginning foreign language instruction early sets the stage for students to develop advanced levels of proficiencies in one or more languages. In addition, younger learners still possess the capacity to develop near native-like pronunciation and intonation in a new language. Finally, young learners have a natural curiosity about learning which is evident when they engage in learning a new language. They also are open and accepting of people who speak other languages and come from other cultures.”(Martha G. Abbott, Director of Education for the American Council on the Teaching of Foreign Languages (ACTFL))
  •  Fale em inglês com as crianças. (De instruções, conte “casos”, etc) Aproveite as histórias que eles já conhecem Busque fazer com que as crianças interajam Mantenha-se atualizado (busque sites, histórias, atividades, músicas) Tenha cuidado especial com a pronúncia (fossilização) Busque variar o ambiente da sala de aula Procure trazer atividades que envolvam o corpo e movimento
  • De 2 a 3 anos: Necessidade de manipular materiais diversos Precisam desenvolver a parte motora Desenvolver a imaginação Estimular a criatividade Precisam conviver com outras crianças Gostam de brincar sozinhos Estão descobrindo o próprio corpo
  • De 4 a 6 anos: Gostam de elogios Emoções extremadas Adoram novidades (lugares, pessoas, objetos) Pouco tempo de atenção É preciso variar as atividades Gostam de mostrar o que sabem fazer Estão descobrindo o prazer de brincar com as outras crianças São muito apegadas aos familiares
  • De 7 a 9 anos: Ápice do desenvolvimento motor Fase favorável às atividades que exigem esforço físico Precisam ser motivadas para o convívio social Aprendem a respeitar o espaço do outro Fase de desenvolvimento intelectual Precisam ser desafiadas intelectualmente
  • De 10 a 12 anos: Fase para jogos de equipe e competições Gostam de atividades ao ar livre Buscam autonomia Buscam a aceitação do grupo Dividem as atividades em “de menino” e “de menina” Fica mais notável a diferença de amadurecimento (meninos x meninas) Precisam trabalhar a sensibilidade e o ciúme
  • Como fazer para crianças de 3 a 6 anos pararem quietas e prestarem atenção?Não existe uma fórmula pronta pra manter aturma [...] interessada na aula. [...]Nesta faixa etária, o comportamento e as noçõesde ética e moral encontram-se em processo deconstrução. Uma das funções da professora éjustamente colaborar com essa construção.(Dicas da Psicóloga Daniela Alonso, de São Paulo, para a Revista "Guia Prático para Professoras de Educação Infantil" de setembro de 2005.)
  • 1) Seja coerente: Não confunda as crianças com graus de aceitação diferentes perante um determinado comportamento. [...] Se você deixar num dia e não deixar no outro, as crianças tentarão tirar proveito dessa brecha."Apenas alunos com hiperatividade ou alguma deficiência devem receber, eventualmente, um tratamento diferenciado. E isso os colegas de classe conseguem entender", observa Daniela.
  • 2) Altere a voz e a expressão, mas não grite: Quando fizer uma censura, altere a voz para marcar a emoção, mas não se mostre muito irritada, pois pode parecer que você não se sente capaz de controlá-los. Em caso de balbúrdia geral, adote códigos de silêncio:- Bata palma 3 vezes;- Apague a luz;- Comece a cantar;- Pare tudo e sente-se.(Decida com sua turma o próprio código de silêncio)
  • 3) Combine as regras de antemão:Essa atitude impede que você tenha deexplicar a razão de uma regra no momentoem que ela é quebrada."Promova uma assembléia: Em roda,estimule-os a expressar o que consideramcerto e errado. Fale você também. Os motivosdas regras devem ser discutidos nessa hora.Assim, no momento de chamar a atenção deum aluno, diga "Lembra que isso é errado?",partindo do princípio de que a justificativa jáfoi dada."
  •  5) Adote a cooperação: Peça para os alunos arrumarem a classe com você no dia que utilizarem uma organização de carteiras diferentes ou para participar do "conserto" de algo que fez: se machuca um colega, pode ajudar no curativo. 6) Expressão dos sentimentos: Dizer "Não gostei" ou "Isso me ofende" é muito válido, pois, na vida em sociedade, sempre teremos de lidar com os limites das outras pessoas. Se você se expressa, mostra ao aluno que tem sentimentos a ser respeitados. 7) Dê exemplos positivos: Não basta dizer que a atitude está errada. Especifique com o aluno como poderia ter sido diferente.
  • IMPORTANTE- A autoridade da classe é a professora: seja firme!- Se a turma inteira estiver desinteressada, questione-se sobre a atividade. Ela pode não ser adequada.- Tente resolver os problemas diretamente com os alunos.- Caso o aluno tenha dificuldade especial em seguir as regras siga os passos do manual dos professores.-Lembre-se: crianças de até 6 anos não têm disposição para ouvir sermões. Faça observações curtas e diretas, como "Isso não pode" e "Pare com isso"
  • No ato da criação das regras combine com osalunos as sanções ao não cumprimento destasnormas.Além de comprometê-la, responsabiliza-a pelasconseqüências de seus atos, caso não as cumpra.Assim, o adulto a está auxiliando a tomarconsciência das conseqüências de suas atitudes.Não se trata apenas de suprimir umcomportamento indesejável (indução pelo medo,ou pela imposição), mas de difundir a adesão aocomportamento desejado.(Por exemplo, o aluno não fica com o mascote da turma naquela semana, não ganhar o FISK dólar)
  • Sugestões de atividades
  • A aula deve ser composta de:Warm up (cerca de 5 minutos)Heavy Learning PeriodFun part (Entre 5 e 10 minutos)
  • Com as crianças mais novas evite jogoscompetitivos, pois eles se frustram facilmente.Favoreça os jogos colaborativos.- Hot Potato- Dancing Chairs- What’s appearing- Treasure hunt- Simons Says
  • Traga coisasda vida realpara a aula
  • Utilize materiaisdiferentes.Copie os personagensdas lições, façafantoches e deixe osalunos interpretaremos diálogos.Traga objetos paraensinar vocabulário
  • Abuse de recursos:Colagens, materiaisvariados (giz,canetinha, tinta,papéis coloridos,etc.)Variação: coloquecoisas que não são“red” e peça paraeles colorirem só ored.
  • http://learnenglishkids.britishcouncil.org/en/s ongs/i-can-runMúsicas de Hello / Good Bye“Hello, hello, hello and how are you?I’m fine, I’m fine, I’m fine thank you!”Vídeos
  •  http://www.english-4kids.com/ http://www.teachingenglish.org.uk/teaching- kidshttp://www.teachingenglish.org.uk/teach ing-kids (mantido pelo British Council) http://supersimplelearning.com/ http://criancasaprendemingles.blogspot.com. br/ (blog de uma professora que dá aula na FISK)