Revolução Francesa-Intensa participação popular, com reinvindicações que iam muito além dos limitesimpostos pelas demais r...
-Ante a pressão do Terceiro Estado, o qual contava com o apoio de algunsrepresentantes do Baixo Clero e mesmo da nobreza, ...
-Apesar da intensa participação popular, essa primeira fase de revolucionários deve servista como uma revolução burguesa. ...
-Houve a criação de uma nova Assembleia, a Convenção Nacional, que tomou posse.Jacobinos e grupos mais radicais formavam a...
Período napoleônico e o Congresso de Viena-Napoleão: 1º Cônsul francês aos 30 anos:--1800 – Nova Constituição*Banco da Fr...
-Outro país que desafiou a França foi a Rússia, a qual possuía uma grande extensãoterritorial, tamanho de exército, quanti...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Revolução Francesa

163

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
163
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revolução Francesa

  1. 1. Revolução Francesa-Intensa participação popular, com reinvindicações que iam muito além dos limitesimpostos pelas demais revoluções burguesas-Elementos de um burguês:*Iluminismo*Possui meios de produção (propriedade privada)*Liberdade para poder trabalhar e comprar*David Ricardo: dizia que os burgueses tinham que explorar os operários ao máximo, jáque seu lucro em através do trabalho dos mesmos-Pode ser vista como um processo revolucionário amplo, o qual abrangeu a RevoluçãoIndustrial Inglesa, a independência dos EUA e, como consequência, a independência daAmérica Latina, já que influenciou uma série de processos revolucionários (SímonBolívar, Inconfidência Mineira)França às vésperas da revolução:-A sociedade apresentava um divisão em 3 Estados: Clero (Primeiro Estado), Nobreza(Segundo Estado) e Povo (Terceiro Estado), o qual possuía elementos muito diferentes,como industriais, ricos comerciantes, banqueiros, operários, camponeses, lojistas,aprendizes, etc.-Ainda era um país agrário e a terra estava quase que totalmente concentrada nas mãosda Igreja e da nobreza-Nas cidades, as corporações de ofício e as manufaturas controladas pelo Estado inibiamo crescimento econômico, deixando pouco espaço para a atividade da burguesia-Havia a miséria da maioria da população. Porém o clero e a nobreza, a qual possuíaaltos cargos clericais, possuíam grandes privilégios, tais como isenção de impostos,monopólio de determinados cargos públicos e pensões. Esses fatores agravaram atensão revolucionária, visto que todos os impostos ficavam no Terceiro Estado-Além disso, a França estava atrás de sua rival, a Inglaterra, em relação ao crescimentoeconômicoA deflagração da revolução-Em 1789, os Estados Gerais reuniram-se em Versalhes, nos quais o voto era porEstado, já que o Terceiro Estado tinha um maior número de pessoas e, portanto sempreganharia
  2. 2. -Ante a pressão do Terceiro Estado, o qual contava com o apoio de algunsrepresentantes do Baixo Clero e mesmo da nobreza, Luís XVI tentou dissolver osEstados Gerais. Houve reação do Terceiro Estado, reunindo-se na Sala do Jogo de Pela,os representantes do povo romperam com os Estados Gerais exigindo do rei atransformação destes em Assembleia Nacional Constituinte-Luís XVI fingiu ceder, ao mesmo tempo em que procurava reunir forças para deter arevolta, porém a mesma fora impossível de ser detida. A população urbana dos sans-culottes começou a se armar. Em Paris, criou-se a Guarda Nacional, uma milíciaburguesa para resistir ao rei e tentar controlar a massa popular. Os populares invadiramo Arsenal dos Inválidos, o depósito de armas do exército, e depois a fortaleza daBastilha, um presídio político que simbolizava a natureza violenta do regime contra seusopositores-Castelos e mosteiros foram atacados e incendiados, cartórios invadidos e títulos depropriedade queimados, nobres e seus funcionários massacrados-Apavorados, clero e nobreza se acovardaram diante do Terceiro Estado, fazendo comque todas as propostas encaminhadas pelo Terceiro Estado foram aprovadas, semnenhum veto. Nessa noite, foi aprovada a abolição de todos os privilégios feudais,suprimiram-se as obrigações devidas à Igreja e à realeza e, acima de tudo, não sepermitiria mais o estabelecimento de privilégios com base no nascimento. Essa noite foidenominada noite do Grande Medo-A Assembleia proclamou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, que,com influência iluminista, afirmava o direito à liberdade, à igualdade jurídica de todos,à inviolabilidade da propriedade e o direito de resistir à opressão-A Igreja foi objeto de tratamento mais drástico, com a elaboração da ConstituiçãoCivil do Clero, que determinou o confisco dos bens eclesiásticos, os quais passarampara o Estado. Esses bens serviram de lastro para a emissão dos assignats (bônus doEstado), a nova moeda que deveria restabelecer a saúde financeira do país. Os padrespassaram a subordinar-se ao Estado, na condição de funcionários públicos. O papa PioVI condenou as medidas, levando o clero francês a dividir-se, uns aceitaram aconstituição, os juramentados, outros a rejeitaram, emigrando ou provocando agitaçõesnas províncias-A Assembleia concluiu a primeira Constituição da França (Constituição de 1791), queestabelecia uma monarquia constitucional, com três poderes. O executivo seria exercidopelo rei, suja sucessão permanecia hereditária, o legislativo, por deputados eleitos paramandatos de dois anos, segundo um critério censitário que dividiu os cidadãos em duascategorias: os ativos, que pagando impostos exerciam o direito de voto, e os passivos. Opoder judiciário foi delegado a juízes eleitos pelo povo (que tem dinheiro)
  3. 3. -Apesar da intensa participação popular, essa primeira fase de revolucionários deve servista como uma revolução burguesa. A burguesia encontrou enormes dificuldades paraconsolidar seu poder. Como a Constituição foi imposta a Luís XVI, o rei conspiravacom elementos contrarrevolucionários, dificultando a eficácia do governo. Muitosnobres emigravam, levando seus bens imóveis, o que empobrecia o país, e acabavam sefixando nos territórios fronteiriços (para ter apoio), onde conspiravam, buscando apoiopara a volta do absolutismo-No exterior, o êxito da revolução estimulou movimentos burgueses, provocando alarmenos Estados absolutistas. Vários déspotas esclarecidos suspenderam as reformas epassaram a adotar uma postura reacionária-Os soberanos da Áustria e da Prússia, por meio da Declaração de Pillnitz, ameaçaram aFrança de intervenção armada, para restaurar a dignidade real e afastar a ameaça-Luís XVI tentou fugir com sua família para a Áustria, porém, a fuga não obtevesucesso, pois fora reconhecido, preso e enviado de volta a Paris, onde permaneceu sobrevigilância, por traição realA revolução popular-Os girondinos, representantes da alta burguesia, controlavam o governo, procurandoconsolidar as reformas-Os jacobinos representavam a burguesia média e pequena e, buscando apoio dos sans-cullottes, adotavam uma postura radical-O grupo do pântano, formado por especuladores enriquecidos, assumia uma posiçãocentrista-Os exércitos austro-prussianos e os nobres emigrantes invadiram a França. Com isso, asituação dos girondinos que, com o apoio do rei, vinham impredindo a deportação doclero refratário e a convocação do exército para combater os contrarrevolucionáriosinternos, tornou-se insustentável-Os jacobinos proclamaram pátria em perigo e convocaram todos os homens válidospara formar um exército nacional. A Comuna Insurrecional de Paris, liderada porMartat, Dantron e Robespierre, assumiu a direção da luta contra os invasores, que foramderrotados em setembro, na batalha de Valmy. O povo invadiu as prisões, eliminando osaristocratas considerados traidores (Massacre de Setembro). O rei, também acusado detraição, foi preso, e a República proclamada em 20 de setembro
  4. 4. -Houve a criação de uma nova Assembleia, a Convenção Nacional, que tomou posse.Jacobinos e grupos mais radicais formavam a maioria e elaboraram a Constituição doAno I (República), que instituiu o voto universal masculino, democratizando o processopolítico. Foram criados o Comitê de Salvação Pública, responsável pela administração epelo exército; o Comitê de Segurança Nacional, encarregado da segurança interna; e oTribunal Revolucionário, para julgar os contrarrevolucionários-O assassinato de Marat desencadeia a ira popular, promovendo o Terror, a eliminaçãodos adversários da revolução sob liderança de Robespierre-Milhares de pessoas acusadas de serem contrarrevolucionárias são guilhotinadas, desdea ex-rainha até líderes girondinos. Ao mesmo tempo, o radicalismo social avançava, opreços foram tabelados (Lei do Máximo), os exploradores e atravessadores presos, osimpostos sobre a riqueza aumentados, etc.-Robespierre não teve como conter a reação do Pântano, com o apoio da burguesia,fazendo com que os girondinos tomassem o poder, guilhotinando-o. Episódio conhecidocomo 9 do TermidorA contrarrevolução burguesa-O fim do governo de Robespierre marcou o fim dos Comitês-Em meio a uma repressão sobre os setores populares, foi criada uma nova forma degoverno, na qual o poder seria exercido por 5 membros eleitos com o cargo de diretores,estabelecida por meio da Constituição do Ano III, reinstituindo o voto censitário-Porém, o novo governo, o Diretório, sofrendo violenta oposição tanto da nobrezaquanto dos populares, mostrava-se incapaz de conter as rebeliões, destacando-se aConjuntura dos Iguais, que se constituía em um movimento com ampla participaçãocamponesa e em uma séria ameaça à propriedade privada da terra-O governo do Diretório, ainda, mostrava-se também incapaz de promover a retomadado desenvolvimento econômico, ou seja, incapaz de atender aos interesses burgueses, jáque os mesmos necessitavam de um governo forte, capaz de conter as agitações sociaise proteger a propriedade e o capital, além de ampliar os mercados, exigindo umaexpansão militar (= guerra)-O Exército possuía um general chamado Napoleão Bonaparte, que reprimiumovimentos políticos internos e conquistou o Egito, tornando-se uma figurafundamental para a burguesia que necessitava de um Estado forte, a qual apoiou umgolpe, conhecido como 18 do Brumário, que colocou Napoleão e o Exército no poder
  5. 5. Período napoleônico e o Congresso de Viena-Napoleão: 1º Cônsul francês aos 30 anos:--1800 – Nova Constituição*Banco da França*Nova Moeda – o Franco--Estímulo à indústria e a agricultura*1801 – reata às relações com a Igreja com Pio VII*1802 – Nova Constituição--Garantiu a propriedade e o lucro da burguesia--1804- Código Civil Napoleônico: igualdade perante a lei e o direito de propriedade, aproibição de greve e de organização associativa dos trabalhadores foi mantida e aescravidão restaurada nas colônias--Reorganizou o Ensino: mão-de-obra especializada*Responsabilidade do Estado*Criação de Liceus*Escolas de Direito, Política e Técnica Naval--Por meio da Constituição do Ano XII, a França passava a ser uma monarquiahereditária, possibilitando a Napoleão proclamar-se imperador e cônsul-vitalício,novamente com a aprovação de um plesbicito. Convenceu o Papa Pio VII a vir à Paris.Coroou a Imperatriz Josephine e se auto coroou: Napoleão I.O Império-O regime napoleônico restaurou o Absolutismo. As Assembleias foram suspensas, osdireitos individuais e a liberdade política-A ameaça representada pelos países absolutistas já havia sido afastada. Porém aInglaterra ainda representava o grande risco econômico e, por isso, político para aFrança. Não conseguindo derrota-la militarmente, Napoleão decretou o BloqueioContinental: a proibição de relações comerciais de qualquer país com a Inglaterra, sobpena de invasão pelos exércitos franceses-Porém, isso provocou mais problemas na França, já que a fiscalização de toda costaeuropeia era uma tarefa inviável, a maioria dos países europeus era dependente daeconomia inglesa, como Portugal, que desafiou o bloqueio continental, obrigandoNapoleão a decretar sua invasão, fazendo com que a família real portuguesa fugisse parao Brasil
  6. 6. -Outro país que desafiou a França foi a Rússia, a qual possuía uma grande extensãoterritorial, tamanho de exército, quantidade de habitantes, além do frio, fazendoNapoleão evitar enquanto pôde uma ação militar-A Campanha da Rússia marca o início da decadência de Napoleão, já que no limitede seus recursos, o exército francês chegou a Moscou, encontrando a cidade em chamase completamente abandonada, a população havia fugido, assim como o governo russo-Sem alimentos, água potável e com armas e homens congelando, Napoleão teve de seretirar. Essa derrota levou os países dominados à rebelião. Derrotado em Leipzig, naBatalha das Nações, Napoleão não conseguiu evitar a invasão da França no ano seguinte-Napoleão renunciou, com Luís XVIII como o novo imperador, sendo exilado na ilha deElba, porém conseguiu fugir da mesma e chegar à França, onde possuía prestígiopopular e, com o exército, fez com que Luís XVIII fugisse para Viena e retomou opoder (Cem Dias). Porém fora derrotado em Waterloo pela marinha inglesa, depostopela segunda vez e exilado em Santa Helena, onde não havia a menor possibilidade defuga, já que era no meio do AtlânticoO Congresso de Viena-Com a derrota de Napoleão, as potências vitoriosas reuniram-se em Viena (Áustria,Prússia, Rússia e Inglaterra), para reorganizar o mapa político da Europa, apósproblemas causados pela Revolução Francesa e pelo Napoleão-Objetivo: a Europa voltaria a ter as fronteiras anteriores à Revolução Francesa-Possuía dois princípios básicos: legitimidade e o equilíbrio europeu-A legitimidade tinha um sentido político e outro geográfico. Pelo primeiro, asdinastias que reinavam no período pré-revolucionário foram reconduzidas ao governode seus países. Dessa forma, a monarquia francesa foi restaurada com Luís XVIII deBourbon. Pelo segundo, as fronteiras retornariam no período anterior à RevoluçãoFrancesa-A Inglaterra foi a mais beneficiada, pois garantiu sua hegemonia naval pelaincorporação de vários territórios coloniais (ilhas)-Criação da Santa Aliança - acordo militar cujo objetivo era sufocar qualquermovimento revolucionário na Europa. Retomar o Antigo Regime.

×