História Roma

713 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
713
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

História Roma

  1. 1. O império RomanoOrigem de Roma:-Povoamento da Península Itálica, notadamente de uma planície situada na região centro-oriental, o Lácio;-Autóctones: lígures, ao norte e sículos, ao sul;-Invasão indo-européia: Italiotas (latinos, sabinos, volcos e os samnitas);-Após a segunda diáspora, a região foi largamente ocupada pelos povos oriundos dos Bálcãs(influencia grega na formação original de Roma);Formação:-Necessidade dos povos do Lácio se proteger contra as ofensivas dos trucos;-Desenvolve-se um núcleo urbano em torno da fortificação militar, as margens do rio Tibre,que acabou por dar origem a Roma;Mito da Formação:-A obra Eneida, do poeta Virgílio, narra a origem de Roma através da história dos gêmeosRômulo e Remo, descendentes de Enéas, herói de Tróia, que foram criados pela loba romana-Estima-se que a fundação de Roma se deu em meados do séc. VIII a.C. (753 a.C.);Economia:-Forma de sobrevivência: agricultura e pastoreio;-Terra, grande fonte de riqueza;Sociedade:-Patrícios: Elite de proprietários, agrupavam-se em gens;-O nome patrícios deriva de pater, o mesmo radical que designava os eupátridas na Grécia;-Plebeus: Massa de pequenos proprietários, artesãos, comerciantes e camponeses;-Clientes: Ligavam-se a uma família de patrícios. Clientela. Obrigações políticas, militares eeconômicas;Monarquia:-Estrutura monárquica centralizada na figura do Rei (Rex): Chefe supremo, sacerdote e juiz;-Conselho dos Anciãos (Senado): formado pelos chefes das principais famílias patrícias;-Houveram sete reis no período monárquico romano (lenda):--4 primeiros latinos;--3 últimos etruscos;Reis Romanos: Rômulo, Numa Pompílio, Túlio Hostílio, Anco Márcio, Tarquínio Prisco, SérvioTúlio, Tarquínio, o Soberbo;
  2. 2. Reis Etruscos:-A figura dos reis etruscos reflete a disputa entre as cidades-estados pela hegemonia pelaPenínsula Itálica;-Tentaram limitar o poder patrício aliando-se a setores populares (comerciantes queenriqueceram em função da presença etrusca);-Tarquínio, o Antigo: O primeiro rei romano sobre ,o qual existe alguma documentação escrita.Realizou grandes obras publicas;-Sérvio Túlio: edificou a primeira muralha de Roma e estabeleceu uma constituição censitária,dividindo a população em cinco classes com base na renda;-Tarquínio, o Soberbo: O ultimo rei romano, derrubado por uma revolta patrícia;Assembléia Centurial:-Roma era governada por reis escolhidos pela Assembléia Centurial (193 centúrias) e cujopoder era limitado pelo Senado. A Assembléia centurial era formada por cidadãos em idademilitar que, além de escolher os reis, elaboravam e votavam as leis. O Senado ou Conselho deAnciãos era um órgão consultivo, que possuía o direito de aprovar ou vetar as leis elaboradaspelo rei;-Divisão solidificava o domínio oligárquico, que incluía os comerciantes ricos, mesmo deorigem plebeia;-193 Centúrias;-Cada centúria tem direito a 1 voto;-Centúrias = companhias de soldados;-Os cidadãos custeavam seu próprio armamento;-2 primeiras classes (mais ricas) = 98 centúrias (infantaria pesada e cavalaria) ;-Restante = 95 centúrias, contavam com um numero maior de homens para compensar asdeficiências no armamento ;Revolta Patrícia (509 a.C.):-Queda do ultimo rei etrusco;-Ao longo do governo dos três últimos reis etruscos, a desigualdade entre patrícios e plebeusse aprofundou. Os patrícios não cessavam de ampliar o seu poder com o recrutamento declientes;-Já havia um declínio do poderio etrusco na Itália;-Tentativa dos patrícios de resgatarem o monopólio do poder político, ameaçadas pelasreformas dos reis etruscos;-Cria-se a República;República (509-27 a.C.):-República, do latim res publica, ou ‘‘coisa publica’’;-Governo dos cidadãos,porém não democrático;-Governo exclusivamente patrício;-Principal medida, eliminação do cargo de rei, acabando com a concentração de poderes;
  3. 3. Magistratura:-Alta Magistratura:--Cônsules – Em número de dois, com mandato anual, comandavam o exército e pelaadministração (convocavam o Senado e presidiam os cultos públicos);-Pretores – Responsável pela execução das leis e da justiça;-Censor – Elaborava o censo com base nas riquezas e vigiava as condutas dos cidadãos(escolhidos a cada 5 anos);-Questor – Responsável pela área financeira;-Edis – Responsáveis pelo policiamento, pelo abastecimento e pela preservação das cidades;Senado:-Com o fim da concentração dos poderes nenhum cargo administrativo estava acima doSenado (formado por patrícios em caráter vitalício);-Controlava a administração,as finanças, os assuntos militares, e exercia os Poderes Legislativoe Judiciário;-Elegia os magistrados;-Nomeava um ditador em casos de calamidade pública, com mandato de 6 meses, podendoser prorrogado por mais 6;Assembléia Centurial:-Passa a exercer somente um papel formal de ratificador das decisões do Senado;-Os patrícios mantém o controle da maioria das Centúrias e , consequentemente, das decisõesda Assembléia;Lutas sociais:-A Republica se torna sinônimo de marginalização da plebe;-A sociedade grega passa a conviver com intensas lutas sociais entre patrícios e plebeus;-Após 16 anos da instalação da Republica, os plebeus travaram 3 anos de batalha contra ospatrícios, afim de ampliar sua margem de participação nas decisões políticas;-Os plebeus retiraram-se para o Monte Sagrado: a primeira greve social documentada;Importância social dos plebeus:-Mão de obra essencialmente representada por plebeus;-As centúrias plebéias, muito numerosas, eram usadas como instrumento de primeirocombate, servindo para desorganizar o adversário para só então sobrevir o ataque dascentúrias patrícias;-As ameaças externas e as necessidades econômicas fazem os patrícios cederem parcialmenteas exigências;Conquistas da Plebe:-Os plebeus obtinham os tribunos da plebe, representantes políticos da plebe com poderes devetar as decisões do Senado (490 a.C.);-Concilia Plebis ou Assembléia da Plebe, composta por plebeus com função de eleger seusmagistrados (471 a.C.);
  4. 4. -Lei das Doze Tábuas, compilação escrita das leis até então orais em Roma e afixadas nasparedes do Fórum (450 a.C.);Suspensão do casamento entre patrícios e plebeus (445 a.C.);*Outras conquistas:-Leis Licínia-Sextia (367 a.C.) que aboliram a escravidão por divida, franquearam aos plebeus aposse das terras do Estado e estabeleceram a obrigatoriedade de um dos cônsules ser sempreplebeu;-Em 286 a.C., as lei votadas pela Assembléia da Plebe passam a ter validade para todo o Estadoromano (plebiscito);Formação do Estado Itálico (395-270 a.C.)-Marco inicial: vitória sobre os etruscos em 395 a.C. e a anexação da Etrúria aos domíniosromanos;-Expansão de caráter defensivo, a fim de eliminar inimigos potencialmente perigosos (Batalhascontra Pirro, Rei do Épiro);-Vitória sobre os etruscos e sobre os gauleses desencadeou uma reação em cadeia;-Livres dos principais adversários que tinham na península, domina do norte da Itália até asregiões da Sicília, rivalizando com Cartago;Guerras Púnicas:-Região de Cartago era chama da pelos gregos de Punis = Guerras Púnicas (264-146 a.C.);-3 confrontos (264; 202 e 146 a.C.), todos vencidos pelos romanos, tendo o último arrasadototalmente seu rival;*Primeira Guerra (264-241 a.C.):-Fruto da extensão do domínio romano à Sicília, herdando a rivalidade entre Cartago e ascidades da Magna Grécia;-Roma transforma-se em potencia terrestre e naval, dominando as ilhas da Sicília, Córsega eSardenha;*Segunda Guerra (219-202 a.C.):-Aníbal,neutralizou toda a estrutura de defesa romana invertendo toda lógica do ataque;-Ao perder grande parte de sua tropa no trajeto, devido a difícil travessia dos Alpes e asintensas batalhas contra os exércitos romanos, não teve condições militares para invadirRoma;-Tropas romanas da Sicília invadem Cartago, obrigando Aníbal a voltar;-Decisiva derrota na batalha de Zama;-Roma controla os antigos domínios cartagineses, incorporando à Península Ibérica, o noroesteda África e o sul da França;*Terceira Guerra (150-146 a.C.):-Após a tentativa de reerguer-se, Cartago tem sua sentença definitiva proferida pelo Senadoromano: delenga est Carthago;
  5. 5. -Cartago foi devastada, seus habitantes mortos ou vendidos como escravos, as ruínas levadasao mar e seu território declarado maldito, salgado para que ali nada pudesse crescer;Controle do Mediterrâneo:-Após seguidas guerras Macedônia e Grécia são transformadas em províncias (146 a.C.) e oreino de Pérgamo, incorporado (133 a.C.);-Conquista no ano I a.C. a Síria, o Egito e o Ponto;-Mediterrâneo, mare nostrum ;Transformações Econômicas e sociais:-Aniquilação da pequena agricultura plebéia, voltada essencialmente para a produção degêneros de consumo interno;-Vasto comércio ocupava o lugar da atividade agrícola;-Classe dos pequenos proprietários tende a desaparecer devido a concorrência das provínciase ao latifúndio patrício, o qual tinha seu crescimento fortemente baseado na mão de obraescrava;-Crescimento da escravidão = miséria da plebe;-Os plebeus endividados entregavam suas terras aos patrícios para sanar seus débitos =processo de concentração fundiária voltada a uma produção extensiva de exportação;-Miséria da plebe = êxodo rural, concentrando em Roma uma massa miserável (tensão social epolítica);-Novo setor social de comerciantes plebeus ricos, homens novos ou cavaleiros;-Marginalizados politicamente por serem plebeus e adversários do Estado patrício por seremricos;-O exército passa a ser profissional no séc. II a.C., troca da estrutura centurial por uma forçamilitar permanente submetida a uma hierarquia rígida, no topo da qual se achavam osgenerais;-O exército se torna uma força política a margem da estrutura republicana, pois o generalpassa a representar um poder extraordinário;Elementos que iniciaram a crise da República:-Luta de plebeus miseráveis e escravos por melhores condições de vida +Generais e homens novos em busca do poder=Guerras civis e lutas internas

×