Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Like this presentation? Why not share!

Desenvolvimento da motricidade, da linguagem e da cognição

on

  • 18,637 views

 

Statistics

Views

Total Views
18,637
Views on SlideShare
18,571
Embed Views
66

Actions

Likes
4
Downloads
147
Comments
0

7 Embeds 66

http://questedu.blogspot.com.br 47
http://www.questedu.blogspot.com.br 7
https://cursosrapidosonline.com.br 6
http://questedu.blogspot.com 2
https://www.xn--cursosonlinedaeducao-7yb1g.com.br 2
http://questedu.blogspot.ru 1
https://www.cursosonlinecursos.com.br 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Desenvolvimento da motricidade, da linguagem e da cognição Desenvolvimento da motricidade, da linguagem e da cognição Presentation Transcript

  • O indivíduo vive imerso em um espaço em quetanto ele quanto os objetos que o rodeiam formamum conjunto de relações que se estruturam comgrande complexidade: daí a necessidade depercebê-las e representá-las mentalmente.O desenvolvimento dele dar-se-á pelaapropriação de linguagens e de formas cognitivasmais complexas existentes em seu contornocultural, a qual ocorre nos inúmeros em que eleestabelece e percebe relações com elementos desua cultua e as avalia.
  • Desde o nascimento, graças à maturação do sistema nervoso e à realização de tarefas variadas com diferentes parceiros em situações cotidianas, a criança desenvolve seu corpo e os movimentos que com ele pode realizar. Os mecanismos que usa para orientar o tronco e as mãos em relação a um estímulo visual, por exemplo, são complexos e acionados à medida que ela manipula e encaixa objetos, lança-os longe e os recupera, os empurra, puxa, prende e solta. Locomove-se, assume posturas e expressa-se por gestos, que são cada vez mais ampliados.
  • De início o recém-nascido pode apenas diferenciar seupróprio corpo do mundo que o rodeia. Depois toma a simesmo como referência para perceber o entorno. Aomovimentar o corpo no espaço, recebe informaçõespróprio-perceptivas (cinestésicas, labirínticas) e externo-perceptivas (especialmente visuais) necessárias parainterpretar e organizações relações entre os elementos,formulando uma representação daquele espaço.A motricidade também se desenvolve por meio damanipulação de objetos de diferentes formas, cores,volumes, pesos e texturas. Ao alterar sua colocaçãopostural conforme lida com esses objetos, variando assuperfícies de contato com eles, a criança trabalhadiversos segmentos corporais com contraçõesmusculares de diferentes intensidades. Nesse esforço, ela se desenvolve.
  • Se, até aproximadamente os 6 anos, a criança temuma perspectiva egocêntrica na sua percepção dasrelações que estabelece com elementos do espaço-proximidade e distância, ordem e inclusão,continuidade e ruptura, etc.- a partir daquela idadevai assumir cada vez mais pontos de vista externosa si mesma para compreender o mundo.
  • Os recursos de que as crianças dispõem, contudo, não constituem apenas atos motores, mas são instrumentos para a realização de atividades simbólicas, como por exemplo, marchar para ser um soldado ou arrastar-se com cuidado para ser um explorador de tesouros, simbolismos que aprende de sua cultura.Além disso, a criança nasce em um mundo onde estão presentes sistemas simbólicos diversos socialmente elaborados, particularmente o sistema linguístico. Este perpassa as atividades produzidas no ambiente humano em que a criança se desenvolve e permite-lhe apropriar-se da experiência das gerações precedentes.
  • A capacidade de adquirir a língua de seu grupo éuma característica específica da espécie humana esupõe um equipamento anatômico eneurofisiológico adaptado, particularmente órgãosperiféricos e sistema nervoso central apropriados eem adequado estado de funcionamento. Contudo, aaquisição da linguagem é um processo sócio-histórico.O desenvolvimento da linguagem apoia-se em fortemotivação para se comunicar verbalmente comoutra pessoa, motivação parcialmente inata, masenriquecida durante o primeiro ano de vida nasexperiências interpessoais com a mãe, pai, irmãos eoutros educadores.
  • As crianças engajam-se, desde o primeiromomento, em um processo de comunicação no qualsão estimuladas a desenvolver procedimentos quelhes permitem questionar o mundo e apropriar-sedele. Desde cedo o entorno humano empreendeuma diligência ativa de integração do bebê emformas pré-construídas da língua: nas atividadesconjuntas, parceiros mais experientes apresentam-lhe normas relativas tanto aos comportamentos e àsformas de relações interpessoais como às palavrasda língua e suas condições de uso.
  • O desenvolvimento da capacidade de perceber eproduzir sons da fala é o precursor mais direto dalinguagem. Os bebês logo discriminam sons, sãosensíveis a entonações, passam seletivamente areagir a sons próprios de sua língua maternaenquanto esquecem outros. Tal desenvolvimentovai se enriquecer com a formação da capacidadetanto de categorização de objetos, que será a baseda denominação e da referência, como de imitaçãoe memória, necessárias para reproduzir padrõesvocais e gestuais. Esse trabalho formativo seprolongará por toda a vida, especialmente por meioda educação escolar, e garantirá a aquisição,reprodução e transformação das significações sociais culturalmente construídas.
  • O sistema linguístico é operável em torno dos 4 a 5anos, época em que a criança domina o essencial dosistema fonológico, conhece o sentido e ascondições de uso de muitas palavras em sua culturae utiliza corretamente a maior parte das formasmorfológicas e sintáticas de sua língua. A partir dos5anos ocorrem novos progressos.Tal sistema continua a se reorganizar e aperfeiçoaraté a pré-adolescência, enriquecido pelasexperiências culturais das crianças, particularmentepor sua vivência escolar.
  • A construção social dos conhecimentos em ambientes socioculturais específicos dependem assim da comunidade de intercâmbio à qual pertence o aprendiz e dos ambientes de aprendizagem criados como recurso para a aprendizagem. Nesses ambientes, tempos, espaços e atividades definem práticas sociais que trabalham diferentes competências ou instituem ritos de formação de habilidades e atitudes julgadas básicas para o desenvolvimento social das novas gerações.
  • De início, pensamento e linguagem têm origensdiversas. Há o pensar sensório-motor e a linguagemnão cognitiva, por exemplo, os balbucios. Noentanto, ambos os elementos convergem nodesenvolvimento para a formação do pensamentodiscursivo.A habilidade da criança para refletir sobre a definiçãode uma palavra é uma capacidade multifacetada e delento desenvolvimento, com precursores cognitivos elinguísticos.Incapaz de definir uma impressão, a criançasimplesmente a exprime, usando uma linguagemexclamativa. Incapaz de “pensar” um fenômeno,fixando suas características essenciais e descartandoas acessórias, ela verbaliza apenas seus elementosmais notáveis.
  • O relato infantil de determinado caso ou evento nãobusca o equilíbrio entre causas e efeitos, aproporcionalidade entre ação e resultado, acoerência entre as partes. É formado peloencadeamento de circunstâncias.A descrição de algo pela criança requer-lhecoordenar as próprias impressões e processosmentais. Implica processo gestual, ideomotor, ouidentificação do objeto consigo mesmo,estabilizando-o.Por sua vez, as tarefas de definir ede explicar supõem um movimento de isolamentode palavras dentro de um universo e suareintegração em um todo, trazendo elementosperceptivos, linguísticos e cognitivos de modofortemente indissociável.
  • As respostas infantis parecem indicar a dificuldadedo pensamento de identificar, diferenciar erelacionar sucessão, causalidade e pertinência deelementos, de estabelecer relações como as delugar, tempo, movimento e causalidade.Os discursos dos professores, dos pais e da mídiainteragem com as condições psicológicas dascrianças em cada idade, produzindo importantecombinação de processos pelos quais signosculturais são pessoalmente interpretados eapropriados por elas.A capacidade da criança de recombinar sinais esentidos, respondendo de forma sempre nova acada situação, interage com a tentativa sistemáticadas instituições educacionais de controlar suasrespostas.
  • Devemos transformar as formas como práticaseducativas sã pensadas e considerar a interaçãosocial como o elemento mais importante parapromover oportunidades de aprendizagem edesenvolvimento. WALLON, Para saber mais: WALLON Henri. As origens do pensamento na criança. São Paulo: Manole, 1989
  • PROCURE OBSERVAR CRIANÇASDE DIFERENTES IDADES. O FOCODA OBSERVAÇÃO PODE SER ODESENVOLVIMENTO MOTOR, ALINGUAGEM OU O PENSAMENTOCONCEITUAL. NESTE ÚLTIMOCASO, AS CRIANÇAS COM MAISDE 3 ANOS PODEM SERCONVIDADAS A DEFINIRPALAVRAS.
  • ADULTO - É uma ALEGRIA - É umpessoa que sabe palhacinho notudo, mas quando coração da gente.não sabe diz logo:“veja na AMAR - É pensar noenciclopédia”. outro, mesmo quando a gente nem tá pensando.
  • BOCA - É a CABELO - É umagaragem da língua. coisa que serve pra gente não ficarBONITA - “Se eu careca.sou bonita ouinteligente? Se eu CALCANHAR - É osou bonita, você vê queixo do pé.na cara. E se eu souinteligente, nemrespondo a umapergunta bobadessas”.
  • CHOCOLATE - É CRIANÇA - Seruma coisa que a criança é nãogente nunca estragar a vida.oferece aos amigosporque eles DEUS - Um dia euaceitam. disse que Deus era muito distraído eCOBRA - É um todo mundo riu. Sóbicho que só tem não sei a graça querabo. isso tem.
  • ELÉTRONS - São os FÉ - É umamicróbios da menininha, naeletricidade. praia, esvaziando o mar com umESPERANÇA - É um baldezinho depedaço da gente plástico furado.que sabe que vaidar certo. FUTEBOL - É um jogo em que, às vezes, a trave joga melhor que o goleiro. Pega tudo.
  • FUTURO - É tudo MENTIRA - (ouve-seque vem depois e, o estraçalhar de umquando chega, já vidro no banheiro eera. o menino grita) - “É mentira do barulho!”INFERNO - É umlugar onde a gentemorre muito mais. MISTÉRIO - É uma coisa que a gente não sabe explicar direito e, quando explica, já não é.
  • NAMORADO - É PIADA - É umauma pessoa que coisa engraçadatem medo do claro. que perde a graça quando a pessoaNEVOEIRO - É avisa que vai ser.poeira do frio. POLUIÇÃO - ÉPACIÊNCIA - É uma sujeira docoisa que mamãe progresso.perde sempre. REDE - É uma porção de buracos amarrados com barbante.
  • REFLEXO - É SAUDADE - Équando a água do quando uma pessoalago se veste de que devia estarárvores. perto está longe.RELÂMPAGO - É um SONO - É saudadebarulho rabiscando de dormir.o céu. SORTE - É a gente acordar, se preparar pra ir pra escola e descobrir que é feriado nacional.
  • STRIP-TEASE - É VEIAS - São raízesmulher tirando a que aparecem noroupa toda, na pescoço dasfrente de todo meninas quemundo, sem ser pra gritam.tomar banho.TRISTEZA - É umacriança com gesso VIDA - A vida deno pé, sem muita gente é sóassinatura. gol contra. VIDA - A vida a gente não explica. Vive.