Your SlideShare is downloading. ×
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Biodiesel congress 2009
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Biodiesel congress 2009

361

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
361
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Brasil EcodieselMovendo o Brasil com Biodiesel Biodiesel Congress 2009 01/09/09
  • 2. Macro Tendências do Setor de BiodieselPressão mundial por combustíveis renováveis • Mundo Em 2008, os biocombustíveis representaram 2,2% do fornecimento global de combustíveis. Em 2050, estima-se que g , q chegará a 26% (Agência Internacional de Energia). O Consumo de biodiesel na UE, em 2008, foi de 7,7 bilhões de litros. A meta para 2020 é chegar a 33 bilhões de litros, sendo que a área de transporte deverá ter 10% de fontes renováveis. • Brasil O programa do biodiesel está em estágio embrionário e já somos o 5º maior produtor mundial. Em 2010 passaremos ao B5 representando 25% de aumento B5, da demanda.
  • 3. Macro Tendências do Setor de Biodiesel (cont)Competitividade do Brasil deverá crescer no mercadointernacional • Extensão territorial, clima, grandes áreas, mercado interno forte e em crescimentoBiocombustíveis de fontes não competitivas comalimentação – possuímos várias opções de matérias li t ã í ái õ d té iprimasTendência de verticalização da indústria de biodieselTendência de consolidação da indústria
  • 4. Estímulo aos Biocombustíveis AMBIENTAL ECONÔMICA Duas grandes Mudança Climática preocupações: Segurança Energética Redução das emissões de CO2 Esgotamento das reservas de Menos Poluente petróleo Combustíveis mais limpos Renovável Altos Preços do Petróleo3
  • 5. Experiência Brasileira com Combustíveis Renováveis Matriz Energética em 2008 100% 87,1% 90% 80% 70% 54,6% 60% 50% 45,4% 40% 30% 20% 12,9% 10% 0% Mundo Brasil Renováveis Não Renováveis ENERGIA LIMPA E RENOVÁVEL JÁ É UMA REALIDADE NO BRASIL, MAS AINDA ESTÁ EM EVOLUÇÃO! Fonte: Resenha Energética Brasileira – Ministério de Minas e Energia4
  • 6. Biodiesel: Combustível Premium x Diesel Mineral Renovável, Renovável biodegradável e com Não Nã causa d danos ao balanço energético positivo meio-ambiente Reduz as emissões de dióxido de Ecologicamente carbono em até 78% correto Alta lubricidade Maior vida útil dos a o da út motores Pouco ou nenhum Produto substituto perfeito ajuste aj ste nos motores Éster metílico feito a partir de qualquer óleo vegetal, como: Melhor qualidade de Maior número de cetanomamona, girassol, pinhão mansomamona girassol pinhão-manso, ignição soja, palma, colza, assim comogordura animal, óleo reciclado e Distribuição simplificada Menor Ponto de Ignição e maior segurança no algas; transporte
  • 7. Biodiesel: Mercado Brasileiro Mercado de Diesel: tamanho do mercado pontecial para o Biodiesel. Biodiesel Diesel: principal combustível brasileiro, 42% de todos os combustíveis derivados de pretróleo e mais de 50% dos combustíveis do setor de transportes. Mercado Brasileiro de Diesel Mineral(‘000 m3) 44.188  46.478  47.000 *  50.000  39.663  39.361  37.971  40.947  40.768  42.206  2007- 2008 45.000  36.581  8.3% 40.000  35.000  35 000 30.000  25.000  20.000  15.000  10.000  5.000  Importações       (000 m3) ‐ Produção Nacional  2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 (000 m3) Mercado doméstico extremamente significativo, permitindo o desenvolvimento e consolidação do setor.6 Fonte: Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP. * Projeção para o ano de 2009
  • 8. Programa Nacional de Biodiesel Lei do Biodiesel: Uso obrigatório para alavancar a produção. Julho 2008 – Julho 2009 – 2010 em diante 2005 - 2007 1º S Sem. 2008 Junho 2009 2010 Mistura autorizada Mistura obrigatória Mistura obrigatória Mistura obrigatória Mistura obrigatória de até 2% mínima de 2%. mínima de 3%. mínima de 4%. mínima de 5%. Espectativa da antecipação da mistura obrigatória de 5%, como acontecido com 3% e 4% Produção Brasileira de Biodiesel (‘000 m3) 2.500  2 500 .2.500  O crescimento da produção mostra 2.000  1.645  . o sucesso do programa. p g 1.500  1.168 1.000  402 As percentagens de mistura p g 500  0,7 69 obrigatória são apenas o estímulo inicial: misturas maiores e o puro ‐ B100 já são viáveis em motores a 2005 2006 2007 2008 2009 2010 diesel. Produção Expectativa de Produção7 Fonte: Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP. (1) Projeção considera B4 no 2S09 e B5 em 2010.
  • 9. Capacidade instalada ativa da indústria p por Região g (000m3) Sul SE CO NE Norte TotalIntegradosI t d 777 225 1 212 70 57 2 340 1.212 2.340NãoIntegrados 130 456 0 719 130 1.435Total porRegião 907 681 1.212 789 187 3.775
  • 10. Fator chave do sucesso: tecnologia ou matéria-prima? p 10% 100% 10% Outros Insumos e  80% Despesas Gerais 60% Metanol/ Etanol 80% 40% Óleo Vegetal 20% 0% Tecnologia conhecida ! Estrutura de Custo do Biodiesel O maior insumo é o óleo vegetal, em Nenhuma barreira de entrada. volume e custo. Alcançar qualidade uniforme em O segundo maior insumo é o metanol. produção de larga escala e com o uso de diferentes óleos vegetais é o Portanto, é uma indústria de custo nosso desafio! variável. variável Tecnologia conhecida + Indústria de Custo Variável = Acesso às matérias primas é o fator chave para o sucesso.9
  • 11. Maior mix de óleos no longo prazo SOJA ALGODÃO GIRASSOL MAMONA PINHÃO-MANSO PALMA (DENDÊ) % de óleo 18 - 20 15 - 20 40 - 45 45 - 50 30 - 39 18 - 22 nas sementes kg de óleo 400 350 700 700 1.500 3.000 por hectareTecnologicamente Desenvolvido Perene Comestível Evitar a competição por terras cultiváveis; Riscos diversificados! Grande volume de óleo por hectare; Otimização do uso de terras! Tirar vantagem do potencial regional do Ocupação de terras ociosas, com solo de cultivo; baixa qualidade! 10
  • 12. Brasil: terra, clima, chuvas regulares, sol… REGIÃO AMAZÔNICA: Sem expansão de plantações, evitando degradação NORDESTE: Terras disponíveis, a maioria T di í i i i indadequada para agricultura; Excelente para plantações alternativas, alternativas como mamona e pinhão-manso; Contribuição para o desenvolvimento social BRASIL – Área Milhões ha Total 851 Disponível p/ Agricultura 340 Cultivada 72 Pastos 172 Disponível 96 Fonte: FGVAgro – 2º Brazil –EU Business Summit, Dez 22, 2008. Palestrante Roberto Rodrigues. CENTRO-OESTE, CENTRO OESTE SUL E SUDESTE: Principais áreas de produção atualmente11
  • 13. Paralelo com o Etanol Política de Governo similar: Preços mínimos, incentivos fiscais e financiamento de l d longo prazo Evolução Tecnológica: Agrícola: a produtividade da cana passou de 55t/ha em 1975 para 85t/ha em 2008 Industrial: na produção do álcool e na indústria automotiva Tendência Mundial Potencial para o Brasil ser líder Alternativa Doméstica com impacto na Balança Comercial O Setor de Biodiesel brasileiro pode, em pouco tempo, chegar no mesmo estágio que o etanol levou 40 anos! Isso acontecerá com investimentos e recursos imediatos!12
  • 14. Bases de Distribuição de Combustíveis % do Mercado Brasileiro de Diesel Norte - 9% NE - 15% CO– 11% SE - 45% SUL - 20%13
  • 15. Brasil Ecodiesel: a grande oportunidade Referência na produção de Biodiesel do Brasil e o único com presença nacional. Unidades de Biodiesel – 580 mil m3 a.a. * 6 em operação * Multi matérias-primas (soja, mamona, g girassol, pinhão-manso, óleo reciclados, ,p , , sebo) Unidades de Extração de Óleo * 2 em operação – 1 600 t d ã 1.600 tpd *Multi matérias-primas (soja, mamona, girassol, pinhão-manso, algodão) 3 Laboratórios de Certificação (CE, TO e RS) Fazendas: 41.500 hectares próprios + 17.000 arrendados14
  • 16. Reestruturação Financeira da Companhia Endividamento (em R$ Mil) 1T09 2T09 Após o 2º aumento de K Curto Prazo 120,106 92,543 12,877 (+) Longo Prazo 177,991 136,912 80,499 (=) Total do Endividamento ( ) T t l d E di id t 298,097 298 097 229,455 229 455 93,376 93 376 (-) Disponibilidades 7,416 2,321 151,660 (=) Dívida Líquida 290,681 227,134 -58,28415
  • 17. Evolução do quadro acionário 30/03/2009 30/08/2009 NEO BIODIESEL  NELSON +  FIP CARLETON 14,2% Outros 20,7% SILVIO TINI 35,0% 35 0% 8,5% ZARTMAN +  BOARDLOCK OUTROS SILVIO TINI 29,3% 77,2% 15,0% Aproximadamente 9 500 9.500 Aproximadamente 17 300 17.300 acionistas. acionistas. Total de Ações: 725.248.72716
  • 18. Brasil Ecodiesel: Investindo na produção de Biodiesel no Brasil Contatos: Tel: 55 21 2546-5031 ri@brasilecodiesel.com.br www.brasilecodiesel.com.br www brasilecodiesel com br17

×