Your SlideShare is downloading. ×
Biodiesel congress 2009
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Biodiesel congress 2009

359

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
359
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Brasil EcodieselMovendo o Brasil com Biodiesel Biodiesel Congress 2009 01/09/09
  • 2. Macro Tendências do Setor de BiodieselPressão mundial por combustíveis renováveis • Mundo Em 2008, os biocombustíveis representaram 2,2% do fornecimento global de combustíveis. Em 2050, estima-se que g , q chegará a 26% (Agência Internacional de Energia). O Consumo de biodiesel na UE, em 2008, foi de 7,7 bilhões de litros. A meta para 2020 é chegar a 33 bilhões de litros, sendo que a área de transporte deverá ter 10% de fontes renováveis. • Brasil O programa do biodiesel está em estágio embrionário e já somos o 5º maior produtor mundial. Em 2010 passaremos ao B5 representando 25% de aumento B5, da demanda.
  • 3. Macro Tendências do Setor de Biodiesel (cont)Competitividade do Brasil deverá crescer no mercadointernacional • Extensão territorial, clima, grandes áreas, mercado interno forte e em crescimentoBiocombustíveis de fontes não competitivas comalimentação – possuímos várias opções de matérias li t ã í ái õ d té iprimasTendência de verticalização da indústria de biodieselTendência de consolidação da indústria
  • 4. Estímulo aos Biocombustíveis AMBIENTAL ECONÔMICA Duas grandes Mudança Climática preocupações: Segurança Energética Redução das emissões de CO2 Esgotamento das reservas de Menos Poluente petróleo Combustíveis mais limpos Renovável Altos Preços do Petróleo3
  • 5. Experiência Brasileira com Combustíveis Renováveis Matriz Energética em 2008 100% 87,1% 90% 80% 70% 54,6% 60% 50% 45,4% 40% 30% 20% 12,9% 10% 0% Mundo Brasil Renováveis Não Renováveis ENERGIA LIMPA E RENOVÁVEL JÁ É UMA REALIDADE NO BRASIL, MAS AINDA ESTÁ EM EVOLUÇÃO! Fonte: Resenha Energética Brasileira – Ministério de Minas e Energia4
  • 6. Biodiesel: Combustível Premium x Diesel Mineral Renovável, Renovável biodegradável e com Não Nã causa d danos ao balanço energético positivo meio-ambiente Reduz as emissões de dióxido de Ecologicamente carbono em até 78% correto Alta lubricidade Maior vida útil dos a o da út motores Pouco ou nenhum Produto substituto perfeito ajuste aj ste nos motores Éster metílico feito a partir de qualquer óleo vegetal, como: Melhor qualidade de Maior número de cetanomamona, girassol, pinhão mansomamona girassol pinhão-manso, ignição soja, palma, colza, assim comogordura animal, óleo reciclado e Distribuição simplificada Menor Ponto de Ignição e maior segurança no algas; transporte
  • 7. Biodiesel: Mercado Brasileiro Mercado de Diesel: tamanho do mercado pontecial para o Biodiesel. Biodiesel Diesel: principal combustível brasileiro, 42% de todos os combustíveis derivados de pretróleo e mais de 50% dos combustíveis do setor de transportes. Mercado Brasileiro de Diesel Mineral(‘000 m3) 44.188  46.478  47.000 *  50.000  39.663  39.361  37.971  40.947  40.768  42.206  2007- 2008 45.000  36.581  8.3% 40.000  35.000  35 000 30.000  25.000  20.000  15.000  10.000  5.000  Importações       (000 m3) ‐ Produção Nacional  2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 (000 m3) Mercado doméstico extremamente significativo, permitindo o desenvolvimento e consolidação do setor.6 Fonte: Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP. * Projeção para o ano de 2009
  • 8. Programa Nacional de Biodiesel Lei do Biodiesel: Uso obrigatório para alavancar a produção. Julho 2008 – Julho 2009 – 2010 em diante 2005 - 2007 1º S Sem. 2008 Junho 2009 2010 Mistura autorizada Mistura obrigatória Mistura obrigatória Mistura obrigatória Mistura obrigatória de até 2% mínima de 2%. mínima de 3%. mínima de 4%. mínima de 5%. Espectativa da antecipação da mistura obrigatória de 5%, como acontecido com 3% e 4% Produção Brasileira de Biodiesel (‘000 m3) 2.500  2 500 .2.500  O crescimento da produção mostra 2.000  1.645  . o sucesso do programa. p g 1.500  1.168 1.000  402 As percentagens de mistura p g 500  0,7 69 obrigatória são apenas o estímulo inicial: misturas maiores e o puro ‐ B100 já são viáveis em motores a 2005 2006 2007 2008 2009 2010 diesel. Produção Expectativa de Produção7 Fonte: Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP. (1) Projeção considera B4 no 2S09 e B5 em 2010.
  • 9. Capacidade instalada ativa da indústria p por Região g (000m3) Sul SE CO NE Norte TotalIntegradosI t d 777 225 1 212 70 57 2 340 1.212 2.340NãoIntegrados 130 456 0 719 130 1.435Total porRegião 907 681 1.212 789 187 3.775
  • 10. Fator chave do sucesso: tecnologia ou matéria-prima? p 10% 100% 10% Outros Insumos e  80% Despesas Gerais 60% Metanol/ Etanol 80% 40% Óleo Vegetal 20% 0% Tecnologia conhecida ! Estrutura de Custo do Biodiesel O maior insumo é o óleo vegetal, em Nenhuma barreira de entrada. volume e custo. Alcançar qualidade uniforme em O segundo maior insumo é o metanol. produção de larga escala e com o uso de diferentes óleos vegetais é o Portanto, é uma indústria de custo nosso desafio! variável. variável Tecnologia conhecida + Indústria de Custo Variável = Acesso às matérias primas é o fator chave para o sucesso.9
  • 11. Maior mix de óleos no longo prazo SOJA ALGODÃO GIRASSOL MAMONA PINHÃO-MANSO PALMA (DENDÊ) % de óleo 18 - 20 15 - 20 40 - 45 45 - 50 30 - 39 18 - 22 nas sementes kg de óleo 400 350 700 700 1.500 3.000 por hectareTecnologicamente Desenvolvido Perene Comestível Evitar a competição por terras cultiváveis; Riscos diversificados! Grande volume de óleo por hectare; Otimização do uso de terras! Tirar vantagem do potencial regional do Ocupação de terras ociosas, com solo de cultivo; baixa qualidade! 10
  • 12. Brasil: terra, clima, chuvas regulares, sol… REGIÃO AMAZÔNICA: Sem expansão de plantações, evitando degradação NORDESTE: Terras disponíveis, a maioria T di í i i i indadequada para agricultura; Excelente para plantações alternativas, alternativas como mamona e pinhão-manso; Contribuição para o desenvolvimento social BRASIL – Área Milhões ha Total 851 Disponível p/ Agricultura 340 Cultivada 72 Pastos 172 Disponível 96 Fonte: FGVAgro – 2º Brazil –EU Business Summit, Dez 22, 2008. Palestrante Roberto Rodrigues. CENTRO-OESTE, CENTRO OESTE SUL E SUDESTE: Principais áreas de produção atualmente11
  • 13. Paralelo com o Etanol Política de Governo similar: Preços mínimos, incentivos fiscais e financiamento de l d longo prazo Evolução Tecnológica: Agrícola: a produtividade da cana passou de 55t/ha em 1975 para 85t/ha em 2008 Industrial: na produção do álcool e na indústria automotiva Tendência Mundial Potencial para o Brasil ser líder Alternativa Doméstica com impacto na Balança Comercial O Setor de Biodiesel brasileiro pode, em pouco tempo, chegar no mesmo estágio que o etanol levou 40 anos! Isso acontecerá com investimentos e recursos imediatos!12
  • 14. Bases de Distribuição de Combustíveis % do Mercado Brasileiro de Diesel Norte - 9% NE - 15% CO– 11% SE - 45% SUL - 20%13
  • 15. Brasil Ecodiesel: a grande oportunidade Referência na produção de Biodiesel do Brasil e o único com presença nacional. Unidades de Biodiesel – 580 mil m3 a.a. * 6 em operação * Multi matérias-primas (soja, mamona, g girassol, pinhão-manso, óleo reciclados, ,p , , sebo) Unidades de Extração de Óleo * 2 em operação – 1 600 t d ã 1.600 tpd *Multi matérias-primas (soja, mamona, girassol, pinhão-manso, algodão) 3 Laboratórios de Certificação (CE, TO e RS) Fazendas: 41.500 hectares próprios + 17.000 arrendados14
  • 16. Reestruturação Financeira da Companhia Endividamento (em R$ Mil) 1T09 2T09 Após o 2º aumento de K Curto Prazo 120,106 92,543 12,877 (+) Longo Prazo 177,991 136,912 80,499 (=) Total do Endividamento ( ) T t l d E di id t 298,097 298 097 229,455 229 455 93,376 93 376 (-) Disponibilidades 7,416 2,321 151,660 (=) Dívida Líquida 290,681 227,134 -58,28415
  • 17. Evolução do quadro acionário 30/03/2009 30/08/2009 NEO BIODIESEL  NELSON +  FIP CARLETON 14,2% Outros 20,7% SILVIO TINI 35,0% 35 0% 8,5% ZARTMAN +  BOARDLOCK OUTROS SILVIO TINI 29,3% 77,2% 15,0% Aproximadamente 9 500 9.500 Aproximadamente 17 300 17.300 acionistas. acionistas. Total de Ações: 725.248.72716
  • 18. Brasil Ecodiesel: Investindo na produção de Biodiesel no Brasil Contatos: Tel: 55 21 2546-5031 ri@brasilecodiesel.com.br www.brasilecodiesel.com.br www brasilecodiesel com br17

×