Your SlideShare is downloading. ×
Blooming
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Blooming

234

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
234
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Blooming (Eflorescência/Afloramento) CENNE – Centro de Estudos e Inovação
  • 2. www.cenne.com.br Página 1 Conteúdo Introdução..................................................................................... 2 Resolvendo o Problema ................................................................. 2
  • 3. www.cenne.com.br Página 2 Introdução As primeiras referências ao fenômeno apareceram na vulcanização com enxofre e mencionavam o problema destacando principalmente o efeito causado pelo aparecimento de cristais sobre a superfície dos vulcanizados. O efeito tinha duas origens principais: falta de vulcanização excesso de agente de vulcanização Embora fosse muito mais freqüente o enxofre aflorar, notou-se que mesmo baixando-se a quantidade do agente de cura (enxofre), os doadores como o TMTD também poderiam produzir forte florescência aliada ao forte odor característico deste acelerador. Resolvendo o Problema Estes dois fenômenos podem ser corrigidos, é claro, mediante correção do sistema de cura completo, ou através de acerto no ciclo de vulcanização. Deve-se levar em conta as características a serem obtidas no produto final. Para sermos mais claros, devemos lembrar que eflorescência pode não significar que um produto não atenda a especificação e neste caso costuma-se levar em conta tão somente à apresentação final do produto. Alguns autores procuram relacionar outros componentes de formulação como passíveis de eflorescer quando ultrapassam os limites de compatibilidade com o elastômero. Isso acontece com algumas parafinas e ceras antiozonantes, mas consideramos estes casos não como eflorescências no
  • 4. www.cenne.com.br Página 3 sentido conferido por este termo, preferimos considerar este fenômeno como exsudação, já que acontecem na maioria dos casos com materiais líquidos ou de baixo ponto de fusão como acontece com os plastificantes e parafinas. Outros materiais já vem sendo citados como capazes de apresentar blooming, mas todos eles fazem parte dos casos acima relacionados e merecem um melhor exame e estudos mais profundos antes de apresentar uma avaliação definitiva.

×