Revista Boa Vontade, edição 224

674
-1

Published on

A Revista Boa Vontade tem por objetivo levar informações por meio de matérias que abordam temas voltados à cultura, educação, política, saúde, meio ambiente, tecnologia, sempre aliados à Espiritualidade como ferramenta de esclarecimento, auxílio, entendimento e compreensão.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
674
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revista Boa Vontade, edição 224

  1. 1. DOAÇÃO DE MEDULA Em artigo, Paiva Netto destaca a Lei Pietro BBc de londres Templo da Boa Vontade é pauta de importante série da TV inglesa Milú Villela Incentivo à educação brasileira Marília Gabriela lança Eu que amo tanto Edson Santos Consciência, cidadania e igualdade Maurício Azêdo Jornal da ABI, edição especial do centenário Fernando Mitre O diretor nacional de Jornalismo da Band fala da trajetória dele na comunicação, do trabalho na emissora e das características essenciais à profissão. Sérgio Murillo O direito à informação Ricardo Cravo Albin Preservação da Cultura eMOÇÃO Jornalistas Cristina Ranzolin e Rosane Marchetti, da RBS TV, são homenageadas pelo Dia da Mulher Responsabilidade Social Ações de sucesso da iniciativa privada em prol da saúde, educação, cultura e meio ambiente fazem a diferença Balanço social de 2008 LBV apresenta expressivo número de atendimentos e benefícios socioeducacionais às comunidades de baixa renda
  2. 2. Sumário 6 22 28 34 44 48 54 70 104 110 6 A Lei Pietro por Paiva Netto 10 Cartas, e-mails, livros e registros 2 1 Opinião Esportiva 22 Entrevista na Band — Capa Fernando Mitre 28 Música Elza Soares 32 Homenagem 34 Destaque Entrega de kits escolares DOAÇÃO DE MEDULA Em artigo, Paiva Netto destaca a Lei Pietro BBC DE LONDRES Templo da Boa Vontade é pauta de importante série da TV inglesa Milú Villela Incentivo à educação brasileira Marília Gabriela lança Eu que amo tanto Edson Santos Consciência, cidadania e igualdade Maurício Azêdo Jornal da ABI, edição especial do centenário Fernando Mitre O diretor nacional de Jornalismo da Band fala da trajetória dele na comunicação, do trabalho na emissora e das características essenciais à profissão. Sérgio Murillo O direito à informação Ricardo Cravo Albin Preservação da Cultura EMOÇÃO Jornalistas Cristina Ranzolin e Rosane Marchetti, da RBS TV, são homenageadas pelo Dia da Mulher RESPONSABILIDADE SOCIAL Ações de sucesso da iniciativa privada em prol da saúde, educação, cultura e meio ambiente fazem a diferença BALANÇO SOCIAL DE 2008 LBV apresenta expressivo número de atendimentos e benefícios socioeducacionais às comunidades de baixa renda créditos das Fotos de Capa: Edson Santos: Divulgação; Fernando Mitre: Divulgação; Maurício Azêdo: Salomão Sant’Ana; Ricardo Cravo Albin: Vivian Ribeiro; Marília Gabriela: Clayton Ferreira; Milú Villela: Divulgação; Sérgio Murillo: Divulgação. 4 | BOA VONTADE 4 0 Arte na Tela 4 3 Acontece 44 Instituto Cultural Entrevista com Ricardo Cravo Albin 48 Jornalismo Sérgio Murillo de Andrade 54 ABI Associação Brasileira de Imprensa em festa 56 Sindicato 57 Programa Segundo Tempo 60 Notícias de Brasília 67 Amazônia em foco 68 Acontece na Bahia 70 Abrindo o Coração Luiz Caldas 73 Cultura 76 LBV é ação 87 Responsabilidade Social 93 SOS Santa Catarina 96 Opinião — Mídia Alternativa 99 Em Foco 102 Instituto de Educação da LBV 104 Cidadania Em defesa da diversidade 110 Samba & História Carlos Colla 114 Ação Jovem LBV — Internacional 117 Acontece nos EUA 118 Saúde 121 Viver é Melhor! 124 Esporte 126 Melhor Idade 128 Soldadinhos de Deus 130 Frases
  3. 3. Ao leitor Reflexão de BOA VONTADE “Na Economia da Solidariedade Espiritual e Humana que, há décadas, propomos, a maior vocação do Ser esclarecido é servir ao Criador no amparo de Suas criaturas. Para ilustrar, poderíamos dizer que, no trabalho de socorro aos nossos semelhantes, o melhor não é o suficiente. Trata-se do Ecumenismo que se comove com o sofrimento alheio, potente fator para o progresso ético da Humanidade. Portanto, não percamos ocasião de fazer o Bem. Isso nos renova sempre.”   Mensagem extraída do livro Como Vencer o Sofrimento (Editora Elevação), de autoria do escritor Paiva Netto. BOA VONTADE Revista apolítica e apartidária da Espiritualidade Ecumênica A N O 5 3 • N o 2 2 4 • D e z / 2 0 0 8 j an / f e v / 2 0 0 9 Edição fechada em 17/03/2009 BOA VONTADE é uma publicação das IBVs, editada pela Editora Elevação. Registrada sob o no 18166 no livro “B” do 9º Cartório de Registro de Títulos e Documentos de São Paulo. Diretor e Editor-responsável: Francisco de Assis Periotto - MTE/DRTE/RJ 19.916 JP Coordenação geral: Gerdeilson Botelho e Rodrigo de Oliveira Jornalistas Colaboradores Especiais: Carlos Arthur Pitombeira, Hilton Abi-Rihan, José Carlos Araújo e Mario de Moraes. Equipe Elevação: Adriane Schirmer, Carla Luz, Cida Linares, Daiane Emerick, Danielly Arruda, Débora Verdan, Felipe Tonin, Gizelle de Almeida, Jefferson Rodrigues, João Miguel Neto, Joílson Nogueira, Jonny César, Leila Marco, Leilla Tonin, Maria Aparecida da Silva, Mário Augusto Brandão, Natália Lombardi, Neuza Alves, Raquel Bertolin, Rosana Bertolin, Sarah Jane, Silvia Ligieri, Simone Barreto, Vivian Ribeiro, Walter Periotto, Wanderly Albieri Baptista e William Luz. Projeto Gráfico: Helen Winkler Impressão: Editora Parma Endereço para correspondência: Rua Doraci, 90 • Bom Retiro • CEP 01134-050 • São Paulo/SP • Tel.: (11) 3358-6871 • Caixa Postal 13.833-9 • CEP 01216-970 Internet: www.boavontade.com / E-mail: info@boavontade.com A revista BOA VONTADE não se responsabiliza por conceitos e opiniões em seus artigos assinados. Duas destacadas entrevistas desta edição apontam para o papel preponderante da mídia na inclusão social e melhoria da qualidade de vida do nosso povo. Portanto, a informação qualificada deve ser o objetivo permanente nas redações. Nossa primeira reportagem traz a opinião do veterano Fernando Mitre, diretor nacional de Jornalismo da Rede Bandeirantes de Televisão. A segunda focaliza o jornalista Sérgio Murillo, presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), um expoente das lutas da classe. Ambos falam de ética e credibilidade, considerando a função de informar um serviço público e, por isso, primordial à sociedade. Ainda para refletir sobre assuntos relevantes de nosso país, a BOA VONTADE dedica várias páginas ao tema Educação. Brindamos o sucesso de mais uma edição da Campanha da LBV Criança Nota 10 — sem Educação não há futuro! A mobilização entregou milhares de kits de material escolar em todo o País a crianças em situação de risco social. Prestando contas do que faz, a LBV apresenta seu expressivo balanço social de 2008, quando realizou mais de 7,4 milhões de atendimentos a comunidades de baixa renda das cinco regiões brasileiras. O jornalista e escritor Paiva Netto dá outra grande contribuição ao escrever sobre os avanços da medicina na cura do câncer e ao ressaltar a força de quem enfrenta a doença acreditando na vida e em um Poder Superior, como o vice-presidente da República, José Alencar, e o sambista Neguinho da Beija-Flor. O alto-astral está também nas declarações da cantora Elza Soares, expoente do samba-jazz, e na visão musical do pai do axé, Luiz Caldas. A veia musical é ainda o ponto forte da seção “Samba & História”, que traz entrevista com o compositor Carlos Colla. Boa leitura! Os Editores BOA VONTADE | 5
  4. 4. A Lei Pietro por Paiva Netto Doação de Medula “Eis o tocante pedido que deve atingir um número expressivo de cidadãos, formando uma corrente solidária em prol de milhares de enfermos que esperam pelo transplante. Nada fortalece e tranquiliza mais a Alma do que a certeza do dever cumprido.” 6 Pietro | BOA VONTADE PhotoDisc A Lei
  5. 5. Neguinho da Beija-Flor mostra o seu alto-astral e casa-se com Elaine Reis, em plena Sapucaí, no Rio de Janeiro/RJ. A cerimônia foi acompanhada por diversas personalidades. Diagnóstico precoce igual à morte. Atual­ ente, longe m disso, a gente tem muitas curas e muito controle da doença”. Em outra matéria, o oncologista dr. Gustavo Guimarães, diretor de cirurgia pélvica do mesmo hospital, apontou que “os males de próstata diagnosticados em estágio inicial têm mais de 95% de chance de Gustavo Guimarães cura”. Notícias confortadoras sempre trazem alento. O avanço da medicina na área da oncologia enche-nos de confiança. Talvez, mais breve do que imaginemos, vençamos em definitivo o câncer, igualmente no que diz respeito aos tumores de mama e de próstata, que são os de maior incidência. Numa entrevista ao Viver é Melhor!, da Boa Vontade TV, canal Neguinho da Beija-Flor, 23 da SKY, a mastologista puro alto-astral do Hospital A. C. Camargo, Outro guerreiro na bade São Paulo, dra. Fabiana talha contra o câncer é Baroni Makdissi, revela Neguinho da Beija-Flor. que, “quando descoberto O alto-astral contagiante numa fase precoce, a cura foi a tônica do seu matriFabiana Makdissi chega a 90% dos casos. mônio, no dia 23/2, em Então, o objetivo é fazer o trata- pleno Sambódromo da Marquês mento, não ter medo de se conhecer, de Sapucaí, no Rio de Janeiro, não temer o resultado, enfrentar a com Elaine Reis, mãe de sua bela doença. Hoje em dia, tem-se conse- filha, Luiza Flor. O presiden­e da t guido uma qualidade de vida muito República, Luiz Inácio Lula da melhor. Antes, falar em câncer era Silva, acompanhado da primeiraBOA VONTADE | 7 Reprodução BVTV uma corrente solidária em prol de milhares de enfermos que esperam pelo transplante. Nada fortalece e tranquiliza mais a Alma do que a certeza do dever cumprido. Reprodução BVTV Daniela Duarte A sabedoria antiga demonstra que as criaturas humanas podem ser avaliadas por sua atitude diante da dor. Ao criar a Lei Pietro, aprovada na Câmara dos Deputados e que seguiu para análise do Senado, a qual institui a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea, o parlamentar gaúcho Beto Albuquerque dá uma lição de humanidade: “Outras vidas ainda poderão ser salvas”. Em mensagem dirigida aos amigos e familiares, por ocasião da volta de seu querido filho à Pátria da Verdade, em 3 de fevereiro, Beto Albuquerque o deputado federal escreveu: “Ajude o Pietro a salvar vidas. Vá até um hemocentro e cadastre-se como doador. Esta é a maior homenagem que lhe podemos prestar. Conto, mais uma vez, com sua solidariedade”. Eis o tocante pedido que deve atingir um número expressivo de cidadãos, formando Fabio Rossi/Agência O Globo João Preda José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor. É diretor-presidente da LBV.
  6. 6. A Lei Pietro Valter Camparato/ABr Em 3 de março, 36 dias após a cirurgia para retirada de tumores na região abdominal, o vice-presidente da República, José Alencar, retornou ao trabalho. Sobre a perseverança de Alencar, destacou o jornalista Paiva Netto em seu artigo publicado no dia 21 de fevereiro, em centenas de jornais, revistas e na internet: “Considero-o um homem notável. A luta que mantém pela saúde é um exemplo de fortaleza, e não somente para os que sofrem”. -dama, Marisa Letícia, e do governador do Estado, Sérgio Cabral, foram convidados para padrinhos do casamento. Entre as presenças ilustres, lá estavam a secretária de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio, Benedita da Silva, e o ator Antônio Pitanga. Neguinho tem muitos planos para o futuro. Em março de 2010 pretende lançar o seu próximo álbum e, provavelmente em maio, viajar à Europa para a divulgação do trabalho. Aqui está mais uma postura de Fé que robustece o ânimo dos que vivenciam situação semelhante. E não podemos nos esquecer dos inúmeros anônimos, daqui e do exterior, que enfrentam ou enfrentaram a doença com galhardia, e que nos ensinam a perseverança, a lutar pela existência humana. Aliás, quero reiteradamente agradecer a Neguinho, que gravou o famoso bordão, com o qual anuncia a Beija-Flor na Sapucaí, para saudar também a Legião da Boa Vontade. E com este consagrado grito: “Olha a LBV aí, gente!”, convoca os brasileiros a colaborarem com a Instituição. Registro sxc.hu Recebi da terapeuta Marta Lúcia Franco, de Goiânia/GO, um e-mail muito simpático. Diz ela: “Olá, eu lhe escrevo para parabenizá-lo por seus artigos sempre tão cheios de luz e esperança! Parabéns a você, mas, mais ainda, a todos os que recebem suas palavras!”. 8 | BOA VONTADE Grato, Marta. Sua mensagem muito me alegrou o coração. “Alma leve” A terapeuta holística Olinda Zequi Machado também me endereçou atencioso e-mail no qual tece generosos comentários a respeito do meu artigo  “Alma leve”, em que apresento um relato do repórter-fotográfico Orlando Brito sobre o Templo da Boa Von­ tade, TBV, publicado no site do jornalista Cláudio Humberto: “Hoje quando li essa mensagem vieram à minha mente os dias maravilhosos que passei lá no Templo da Boa Vontade,  em Brasília. Jamais vou esquecer a energia que senti naquele dia e que depois continuou, é claro. Foi sensacional! Obrigada pelas mensagens encaminhadas, têm me dado muita força. Tenho transmitido esses artigos aos meus amigos. Recebi a última edição da revista Boa Vontade (no 223), que se superou! Está maravilhosa! Abraços a todos os amigos da LBV”. Suas palavras, cara Olinda, vieram acompanhadas de uma excelente vibração. Aproveito o ensejo para saudar uma vez mais o veterano Orlando Brito, que destacou o TBV como opção neste carnaval: “(...) Muita gente preferiu a tranquilidade de lugares silenciosos. O Templo da Paz, por exemplo, ficou repleto de pes­ soas que optaram por momentos de reflexão”. paivanetto@uol.com.br www.boavontade.com
  7. 7. APESAR DA TRANSPARÊNCIA DA ÁGUA, TEM GENTE QUE NÃO VÊ O QUE ESTÁ POR TRÁS DO TRABALHO DA SABESP. Sabesp. Cuidando do meio ambiente com transparência. Tudo o que a Sabesp faz, ela faz pensando na nossa qualidade de vida. E isso vai muito além de tratar a água que chega à sua casa. O trabalho da Sabesp é cuidar do meio ambiente como um todo. E a gente faz questão de deixar isso bem claro para você. Claro, limpo e cristalino. Proteção de mananciais, tratamento de esgotos e soluções ambientais são apenas algumas atividades da Sabesp. Fornecer uma das melhores águas tratadas do mundo é apenas conseqüência desse trabalho.
  8. 8. Vivian Ribeiro O comentarista de economia da Rede Globo de Televisão e âncora da rádio CBN Carlos Alberto Sardenberg lançou, recentemente, na cidade do Rio de Janeiro/RJ, o livro Neoliberal, não. Liberal. Para entender o Brasil de hoje e de amanhã. A obra, bastante oportuna em tempos de crise internacional, trata de temas que vão da política econômica à questão da lei seca, em linguagem jornalística, clara e precisa, longe do restritivo economês. Na dedicatória ao diretor-presidente da LBV, escreveu: “Ao Paiva Netto, com o abraço do C. A. Sardenberg”. Combate à pedofilia O presidente da CPI da Pedofilia, senador Magno Malta, informou, por meio de 10 | BOA VONTADE Em comemoração ao cinquentenário da Bossa Nova, movimento que revolucionou a música brasileira na década de 1950, o conceituado jornalista, escritor, crítico musical e compositor Sérgio Cabral relançou duas biografias dedicadas aos astros da MPB Antonio Carlos Jobim e Nara Leão. A sessão de autógrafos foi realizada recentemente na capital fluminense. Os dois trabalhos relatam um pouco da vida pessoal e profissional dos dois artistas, além de episódios curiosos da carreira de ambos, e apresentam mais de 40 fotos e discografias completas. Na ocasião, ao receber a reportagem da BOA VONTADE, o escritor destacou a antiga amizade com o líder da LBV. “Ele está sempre prestigiando meu trabalho”, disse. E completou em suas dedicatórias: “Para o amigo fiel Paiva Netto, com o carinho de Sérgio Cabral” e “Para Paiva Netto, amigo, com admiração do Sérgio Cabral”. sua assessoria de imprensa, que foi da Criança e do Adolescente no seu enorme a repercussão da reporta- 18o aniversário, está muito boa. Sou fã da revista! Gosto muito gem especial publicada pela das matérias que vêm sendo BOA VONTADE (edição nº publicadas. (...) Onde estou 223) em defesa da criança e falo da LBV, pois conheço do adolescente. “Agradeço e vejo suas ações desenvolimensamente, aos amigos vidas com a juventude do da LBV, o grande destaque Magno Malta nosso Brasil. (...) Saúdo o que recebi nos veículos de comunicação da Boa Vontade, na diretor-presidente da Legião da Boa entrevista sobre a pedofilia. Percebi Vontade, José de Paiva Netto, sempre uma repercussão incrível. Muita gente muito atento às questões ligadas à criança falou comigo”, disse o parlamentar. e ao adolescente. (Siro Estatuto da Criança e do Darlan de Oliveira, presidente do Conselho Adolescente Esta edição 223 da BOA Estadual de Defesa dos Siro Darlan VONTADE, com matérias Direitos da Criança e interessantes, uma delas do Adolescente do Rio de Janeiro pautando o Estatuto — CEDCA) Vivian Ribeiro Para entender o Brasil de hoje e de amanhã Relançadas biografias de Tom Jobim e Nara Leão Valter Campanato/ABr Vivian Ribeiro Cartas, e-mails, livros e registros
  9. 9. Estêvão Lombardi Encontro cordial A revista (nº 223) está linda! Contém personagens dos mais importantes do cenário brasileiro. Há também uma entrevista comigo, em que abordo algumas questões sobre Educação e Cultura. (...) A BOA VONTADE contém a ideologia da própria LBV, do nosso querido professor Paiva Netto, cuja essência é, exatamente, a Pedagogia do Afeto. Por isso, estou muito honrado em receber a revista, eu a coleciono, é de um padrão, de uma linha bastante superior da linguagem de imprensa, não capital federal, do Centro Universitário Unieuro e do Instituto de Educação de Brasília (IESB) — em que leciona Técnicas e Gêneros Jornalísticos. Ao lado de duas amigas de profissão — Sílvia Faria (diretora de jornalismo da TV Globo, em Brasília) e Cristiana Lôbo (comentarista e apresentadora da Globo News) —, a conversa tratou de diversos temas: bastidores da política, obrigatoriedade do diploma de jornalismo e mudanças na mídia desde o aparecimento da internet. O dirigente da LBV ressaltou que aquele encontro, estampado na capa da edição nº 221 (para ler a matéria, acesse o endereço eletrônico: www.boavontade.com/ pdf/olhares_de_brasilia), foi um grande incentivo a tantos jovens que pelo País buscam no jornalismo uma oportunidade de crescer no mercado de trabalho. número de páginas e matérias é uma publicação de mídia, interessantes. É muito bom mas de reflexão a respeito de ver também que o jornalista várias questões ligadas não Paiva Netto e toda a equipe só à Instituição, mas também da revista publicaram matéao Brasil. Um abraço ao meu ria a respeito do I Congresso amigo Paiva Netto e a todos Dr. Cármine Savino Filho dos Jornalistas do Estado que participam desta Obra maravilhosa: a LBV. (Desembarga- do Rio de Janeiro, promovido pelo dor criminal Cármine Antonio Savi- Sindicato dos Jornalistas Profissiono Filho, vice-presidente do Instituto nais do Estado do Rio de Janeiro (SJPRJ). A matéria dos Magistrados do Brasil) é ilustrada com boas fotos I Congresso de jornalistas dos participantes e diverdo Estado do RJ sos aspectos do evento. A edição n° 223 da BOA VONTA- (Ernesto Vianna, pre­ Ernesto Vianna DE foi muito bem-feita, com grande sidente do SJPRJ) BOA VONTADE | 11 Agência Hora Revista de padrão superior Na foto, os jornalistas Paiva Netto e Jorge Moreno confraternizam. Ao lado, Francisco Periotto, assessor do dirigente da LBV. Vivian Ribeiro No Aeroporto Tom Jobim, na capital fluminense, o diretor-presiden­e t da Legião da Boa Vontade, jornalista Paiva Netto, encontrou o amigo e diretor de O Globo, em Brasília/DF, Jorge Bastos Moreno, um dos grandes nomes do jornalismo político brasileiro. Ao cumprimentar o líder da LBV, afirmou que é frequentador do Templo da Boa Vontade (TBV) e que se sente ecumênico dentro dos ambientes do monumento (o mais visitado da capital federal, segundo dados oficiais do governo do DF). Na ocasião, Paiva Netto relembrou a entrevista concedida pelo veterano colunista político à revista BOA VONTADE, agradecendo-lhe o simpático gesto de abrir a casa para a reportagem. Naquela oportunidade, Moreno reuniu alunos do curso de Comunicação Social da Universidade Paulista (Unip), da
  10. 10. Thiago Campos Mendes Cartas, e-mails, livros e registros Niskier: “A LBV faz um trabalho formidável”. Simone Barreto Fotos: Vivian Ribeiro O procurador de Justiça do DF José Eduardo Sabo Paes (E) ao lado de Renato Viana, da Fundação José de Paiva Netto. Sociedade e Terceiro Setor “É fundamental a ação da sociedade organizada, pois o Estado não pode fazer tudo sozinho”, afirmou o procurador de Justiça do Ministério Público do Distrito Federal e Território, José Eduardo Sabo Paes, em entrevista ao programa Sociedade Solidária, da Super Rede Boa Vontade de Comunicação. O programa veiculado pela Boa Vontade TV (canal 23 da SKY) apresentou a opinião do mestre em Direito Comparado e doutor em Direito Constitucional, ambos pela Universidad Complutense de Madri (Espanha), sobre a importância do Terceiro Setor, uma de suas principais atuações. Ao término da entrevista, o procurador dedicou o segundo volume do seu livro Terceiro Setor e Tributação ao diretor-presidente da LBV: “Ao Professor Paiva Netto com a homenagem do autor por seu trabalho em prol da cidadania. Com apreço do José Eduardo Sabo Paes”. 12 | BOA VONTADE A próxima edição da BOA VONTADE, nº 225, trará uma entrevista com um dos mais experientes educadores do Brasil: Arnaldo Niskier, escritor, pedagogo, jornalista, membro da Academia Brasileira de Letras (ABL) e presidente do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), do RJ. O bate-papo com Niskier ocorreu na sede da ABL, no centro do Rio de Janeiro/RJ. Na conversa, ele comentou a realidade educacional brasileira, as mudanças no ensino após mais de uma década da Nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), as políticas públicas implantadas para superar os desafios, a educação integral, o papel do professor no processo educacional e a influência da TV e da internet na vida de crianças e jovens. Durante o encontro, ao receber os cumprimentos fraternos da equipe, o professor afirmou: “O Paiva Netto é uma figura que conheço desde quando nós dois éramos bem jovens, através da revista Manchete, na qual ele ia no tempo do Alziro Zarur, que era grande amigo do Adolpho Bloch. Eu trabalhava lá e os via sempre juntos, produzindo coisas, é uma amizade antiga. Agora, apartando a amizade daquilo que se faz, também conheço, não só no Rio de Janeiro, várias escolas da LBV, inclusive em São Paulo, onde se faz um trabalho formidável, sobretudo em relação aos mais jovens, ao pré-escolar, à educação infantil, como hoje está na Constituição e na Lei Brasileira de Educação”. E citando as qualidades da Pedagogia do Cidadão Ecumênico, criada pelo educador Paiva Netto e aplicada, com sucesso, nas escolas da Legião da Boa Vontade, Arnaldo Niskier acrescenta: “As professoras são muito carinhosas, a metodologia, bem brasileira, que é isso que defendo. Peço a Deus que permita à LBV construir mais escolas, que dê assistência a mais alunos, porque estará fazendo um bem enorme ao Brasil”. Na sede da ABL, Arnaldo Niskier e Simone Barreto, da LBV, durante entrevista à Super Rede Boa Vontade de Comunicação.
  11. 11. Marília Gabriela lança Eu que amo tanto Clayton Ferreira A consagrada jornalista e apresentadora Marília Gabriela, que já mostrou talento na dramaturgia e na música, recentemente estreou na literatura com o lançamento de Eu que amo tanto, com fotos de Jordi Burch. O livro, que nasceu, segundo a autora, da reflexão sobre o amor além da conta, o amar demais, teve sua segunda sessão de autógrafos, em janeiro, no estande da Livraria Cultura, instalado no São Paulo Fashion Week, ocasião em que recepcionou os leitores e concedeu entrevista à BOA VONTADE. O trabalho reúne relatos de mulheres que “passaram do amor para a patologia no amor”, como define a própria escritora. O tema, aliás, foi escolhido “exatamente pela complexidade”, diz. Para compor a base da obra, a jornalista visitou o grupo Mada (Mulheres que Amam Demais Anônimas) e colheu histórias reais vividas pelas frequentadoras.“Treze delas relataram-me a sua experiência e eu peguei esses relatos e dei um verniz literário”, explica. Nessas narrativas, Marília apresenta os sentimentos de angústia e ansiedade, mas, ao mesmo tempo, de força e esperança das personagens. “Deu para fazer um belo mosaico, mostrando que talvez cruzemos todos os dias com essas mulheres, que nunca tiveram voz; então elas estão falando no meu livro.” Sarah Jane A autora também convida os leitores a pensar a respeito de como os exemplos no lar influenciam no comportamento dos filhos na fase adulta. E, quando indagada quanto à importância de uma família estruturada emocionalmente, Marília comenta: “Não tenho a menor dúvida, foi uma constatação nessas entrevistas (...). Muitas delas repetem os pais e, se você se dedicar um pouco a fazer retrospecto da sua vida, e for lá para trás, de repente também descobrirá que as suas escolhas na juventude vêm muito, muitíssimo baseadas no que viveu”. Ao término da entrevista, Marília Gabriela, com a habitual simpatia, autografou um exemplar de seu livro ao diretor-presidente da LBV: “Ao Paiva Netto, muito amor, sempre!”. “(...) Se você se dedicar um pouco a fazer retrospecto da sua vida, e for lá para trás, de repente também descobrirá que as suas escolhas na juventude vêm muito, muitíssimo baseadas no que viveu.” BOA VONTADE | 13
  12. 12. Tudo em Família Casal-símbolo do teatro, do cinema e da televisão, Nicette Bruno e Paulo Goulart conduziram animada sessão de autógrafos do livro Tudo em Família, no dia 7 de março, no Memorial da América Latina, em São Paulo/SP. A obra, de autoria da jornalista Elaine Guerini, relata a trajetória de vida dos atores, juntos há 55 anos. Nicette e Paulo contam histórias de lutas e vitórias, de amor à vida e à arte, acompanhadas do testemunho dos filhos, que também seguiram a carreira dos pais. Na oportunidade, representantes da Legião da Boa Vontade prestigiaram o evento e receberam, em nome do diretor-presidente da LBV, um exemplar do livro com a seguinte dedicatória: “Paiva, parabéns pelo trabalho, pelas jornadas e benesses... Paulo Goulart e Nicette Bruno”. Uma concorrida noite de autógrafos marcou o lançamento do livro Nívea Maria — Uma atriz real. A obra retrata a vida e a trajetória da atriz, que iniciou aos 2 anos de idade graças à influência do avô fotógrafo. O convívio em família e a busca pela felicidade são outros temas recorrentes do título. Para a concretização da obra literária, Nívea Maria narrou as várias passagens de sua vida à jornalista Eliana Pace e ao consultor e pesquisador de teledramaturgia da Rede Globo Mauro Alencar em dois encontros, com duração de pouco mais de oito horas. Amplitude e variedade Vivian Ribeiro Nívea Maria: Uma atriz real A atriz Nívea Maria ladeada pelos autores do livro em homenagem a ela: a jornalista Eliana Pace e o consultor Mauro Alencar. Durante o lançamento, a atriz e os autores, ao brindarem o sucesso do livro, autografaram um exemplar para o dirigente da LBV, com a mensagem: “Ao Paiva Netto, um grande beijo — Nívea Maria”. Os autores escreveram: “E as memórias de personagens de uma grande atriz. Com abraço do Mauro Alencar”. “Com carinho, de Eliana”. mite esperança e confiança. Aborda temas interessantes A revista BOA VONTApara que as pessoas tomem DE é de muito boa qualidade conhecimento e se esclaretécnica, gráfica e de conteúdo, çam. (Arlindo Porto Neto, traz reflexões importantes e, vice-presidente da CompaLuzia Ferreira sempre que a leio, destaco nhia Energética de Minas alguns artigos e coloco na recepção do Gerais — Cemig) gabinete para que as pessoas tenham conhecimento. Isso mostra a seriedade Canal de comunicação da LBV para conseguir manter uma A revista é um excelente canal de publicação de alto nível como essa comunicação, uma forma inteligente revista. (Luzia Ferreira, presidente e competente de mostrar o que é feito da Câmara Municipal de Belo Ho- na LBV, e as pessoas se sentem bem rizonte/MG) quando colaboram com a Instituição. (Tadeu José de Mendonça, diretor-ge­ A revista é muito boa, traz uma rea­ ral do Instituto de Pesos e Medidas de lidade de vida importante, pois trans- Minas Gerais — Ipem/MG) Divulgação Fotos: Leilla Tonin Cartas, e-mails, livros e registros
  13. 13. Novos rumos para o Terceiro Setor A cidade de São Paulo/SP sediará, no dia 30 de março, o II Congresso Brasileiro de Fundações. Na pauta do evento, a discussão sobre os avanços, os rumos e os atuais desafios do Terceiro Setor, incluindo uma reflexão sobre o caminho percorrido nos últimos anos pelas fundações e entidades sociais que trabalham para alterar a realidade da população mais carente. Promovido pelo Ministério Público do Estado de São Paulo, o encontro pretende ampliar o debate sobre o tema, com o apoio de autoridades, formadores de opinião, dirigentes e colaboradores de fundações e de entidades sociais, além de estudiosos do assunto. Entre os tópicos a serem abordados, estão “O Supremo Tribunal Federal e o Terceiro Setor”, “As Fundações prestando contas à sociedade civil” e “Imunidade e isenção tributária para as Fundações e Entidades de Interesse Social”. Serviço — O II Congresso Brasileiro de Fundações ocorre, das 8h30 às 17 horas, dia 30/3, no Memorial da América Latina (Auditório Simón Bolívar), Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, São Paulo/SP, tel.: (11) 3284-1787. A representante da LBV no evento, pedagoga Suelí Periotto, cumprimenta a dra. Milú Villela, notável presidente do Instituto Faça Parte. Ao lado, confraterniza com o ilustre professor Mário Sérgio Cortella. Abertas as inscrições para o IV Selo Escola Solidária do Instituto Faça Parte O Instituto Faça Parte, presidido pela dra. Milú Villela, realizou em 13 de fevereiro, na capital paulista, o I Seminário de Voluntariado Educativo, acompanhado do lançamento do IV Selo Escola Solidária. Promovido a cada dois anos, o Selo Escola Solidária chega à quarta edição oferecendo às escolas que se inscreverem, a partir de março pelo site www.facaparte.org.br, a oportunidade de mostrar de que forma conseguem resolver questões do dia-a-dia no ensino: por exemplo, a evasão e o abandono escolar, como despertar a vontade dos alunos pelo aprender, formas de motivar a comunidade a integrar-se ao colégio e o reflexo disso na evolução do aprendizado. Na ocasião, a dra. Milú Villela foi cumprimentada pela representante da Legião da Boa Vontade (LBV) no evento, a pedagoga Suelí Periotto, que destacou o idealismo da presidente do Instituto Faça Parte em defesa da causa da Educação e do voluntariado no nosso país. O ilustre filósofo Mário Sérgio Cortella, professor, mestre e doutor em Educação pela PUC-SP, que palestrou no encontro, agradeceu a presença da LBV e lembrou que, recentemente, encaminhou um exemplar de seu livro O que é a pergunta? ao dirigente da Instituição. No autógrafo da obra, em agosto de 2008, o escritor registrou: “Paiva Netto, Sabedoria!”.  O voluntariado educativo é uma proposta comprometida a estimular a cultura do voluntariado, com caráter pedagógico, a partir do desenvolvimento de projetos que potencializam a principal função da escola: promover a aprendizagem, preparando o aluno para o trabalho e a vida adulta. Atuações sociais integradas ao currículo escolar têm, também, o objetivo de melhorar a qualidade de vida da comunidade onde está inserido o estabelecimento de ensino.
  14. 14. Cartas, e-mails, livros e registros UNIC-Rio, ONU-Brasil, apoia VI Fórum Intersetorial da LBV O Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC-Rio), órgão oficial de divulgação da ONU no País, ratificou seu apoio ao Fórum Intersetorial Rede Sociedade Solidária, promovido pela Legião da Boa Vontade, com o suporte das Nações Unidas, por meio de uma carta assinada pelo seu diretor, dr. Giancarlo Summa: “É com grande satisfação que apoiamos a VI edição do Fórum Intersetorial Rede Sociedade Solidária — 3a Feira de Inovações, a ser realizado pela Legião da Boa Vontade (LBV) dos dias 20 de março a 2 de abril percorrendo cinco países latino-americanos. Este evento, cujas discussões girarão em torno do tema ‘Saúde e Qualidade de Vida’, colabora com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs) das Nações Unidas que devem ser cumpridos até o ano de 2015. (...) Desejando que esta iniciativa tenha sucesso, enviamos nossas cordiais saudações”. Para a série de eventos foi confirmada a presença do dr. Joop Theunissen, representante oficial do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU. O Unic-Rio ainda cedeu seu auditório para a realização do painel temático do fórum no Rio de Janeiro/RJ, que ocorrerá em 31 de março, das 10 às 13 horas, no Palácio Itamaraty (Av. Marechal Floriano, 196, Centro). Inscrições pelo telefone: (21) 2518-0940 ou pelo e-mail: redesociedadesolidaria@lbv.org.br. Além da capital fluminense, sediarão o VI 16 | BOA VONTADE Márcio Ferreira Dr. Joop Theunissen, representante oficial do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da Organização das Nações Unidas, confirma presença na série de eventos Fórum as cidades de La Paz (Bolívia), Montevidéu (Uruguai), Assunção (Paraguai), Buenos Aires (Argentina) e Brasília/DF (Brasil). Organizações de outras localidades também poderão participar dos encontros — cuja agenda pode ser vista no site www.redesociedadesolidaria.org.br — respondendo a uma pesquisa que a LBV está empreendendo nos referidos países. Histórico O VI Fórum Intersetorial Rede Sociedade Solidária e a 3a Feira de Inovações, em suporte à Revisão Ministerial Anual do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (Ecosoc), contam com o apoio do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da Organização das Nações Unidas (UN/Desa), localizado em Nova York/EUA, e terão seus resultados apresentados na Reunião de Alto Dr. Giancarlo Summa, diretor do UNIC-Rio, ONU-Brasil. Ao lado, carta assinada pelo jornalista e encaminhada à LBV. Segmento do Conselho, em julho. A Legião da Boa Vontade foi a primeira organização brasileira do Terceiro Setor a associar-se, em 1994, ao Departamento de Informação Pública (DPI) e a conquistar, em 1999, o status consultivo geral no Ecosoc, grau máximo de participação que uma entidade pode obter nesse Conselho. Em 2000, passou a integrar a Conferência das Organizações Não-Governamentais com Relações Consultivas para as Nações Unidas (Congo), em Viena, na Áustria. Desde 2006, atua em Nova York como vice-presidente do Comitê de Espiritualidade, Valores e Interesses Globais na ONU, grupo ligado à Congo.
  15. 15. Divulgação Repórter-fotográfico Orlando Brito destaca o Templo da LBV na coluna do jornalista Cláudio Humberto André Fernandes Crônica fotográfica Débora Verdan O repórter-fotográfico Orlando Brito, acostumado a registrar imagens históricas da política brasileira, deixou de lado, como ele mesmo afirmou em reportagem, “o lado oficial da cidade”, para revelar um pouco da beleza, da Solidariedade e da Espiritualidade Ecumênica da capital federal. Na coluna do jornalista Cláudio Humberto (www.claudiohumberto.com.br), o fotógrafo publicou, no dia 3 de fevereiro, um verdadeiro testemunho sobre o Templo da Boa Vontade, a Pirâmide das Almas Benditas, a Pirâmide dos Espíritos Luminosos, do qual a revista reproduz o trecho abaixo: “Alma leve Como foi — Um casal de amigos de São Paulo dizia que em Brasília eu só os levava para o lado oficial da cidade. Dessa vez, decidi. Nada de Esplanada, nem Planalto, nem Itamaraty e Três Poderes. Levei-os a esse lugar, onde se prega a Fraternidade entre homens e nações. É um ambiente curioso e interessante por vários motivos. Primeiro, pelo caráter ecumênico. Depois, a arquitetura diferenciada. A nave princi- pal é formada por uma pirâmide de sete lados. Em sua base superior está encravada a maior pedra de cristal puro conhecida no mundo. Tanto a luz do sol quanto a da lua traspassam a gema mineral, irradiando energia sobre as pessoas que caminham descalças. No subsolo da Catedral dos Espíritos Luminosos, encontra-se uma réplica do Trono do Faraó Akhenaton. Nesse ambiente de penumbra e mantras, ficaram ainda mais surpresos. (...) Com a alma leve. Orlando Brito”. Fac-símile da página principal do site do jornalista Cláudio Humberto. Na legenda, Orlando Brito ressalta: “Durante o dia ou na madrugada, pessoas caminham sobre a espiral de mármore recebendo a energia do cristal purificado, encravado no topo do Templo da Boa Vontade. É um dos lados místicos da capital do Brasil”. Martinho da Vila lança romance O cantor e compositor carioca Martinho da Vila lançou, em 19 de fevereiro, na livraria Fnac Paulista, São Paulo/SP, seu nono livro e novo romance: A Serra do Rola-Moça, com versos inspirados no poema homônimo de Mário de Andrade. A narrativa, em forma de novela literária, é sobre uma história de família de Minas Gerais. Na ocasião, o cantor, homenageado este ano no sambódromo do Anhembi pela escola Tom Maior, autografou um exemplar da obra ao diretor-presidente da Legião da Boa Vontade, com a dedicatória: “Ao mestre José de Paiva Netto, com um abraço do Martinho da Vila”. BOA VONTADE | 17
  16. 16. Cartas, e-mails, livros e registros Prefeitura e fundações: da esq. à dir., Antonio Laudanna, Jair Gomes, Joaquim Carlos Monteiro, Alda Marco Antonio, Dora Silvia, Renato Viana e Nilton Padredi. valho e Nilton Cesare Padredi; e o diretor-administrativo da Fundação José de Paiva Netto, Renato Viana de Souza. Na oportunidade, a dra. Alda recebeu a edição nº 223 da BOA VONTADE, na qual pôde verificar Comunicação e sociedade O jornalista, publicitário e sociólogo Luiz Artur de Oliveira Saraiva, em recente entrevista à Super Rede Boa Vontade de Comunicação, ressaltou a importância de ações socioeducacionais como as que são promovidas pela Legião da Boa Vontade, porque minimizam as distâncias sociais. Doutorado em Ciências Políticas pela Universidade de Paris I, Sorbonne, Saraiva destacou o papel da mídia perante a sociedade e de que forma, segundo ele, o Brasil pode alcançar o pleno desenvolvimento. “O mundo seria melhor se tivesse mais LBVs. Pela observação e pela própria história da Instituição, o que 18 | BOA VONTADE se verifica é que, além de ser uma Obra séria, cumpre profunda e fundamental função social pela ação da Educação, da construção do Homem novo, na medida em que tem como ponto de referência a doutrina cristã, sem perder o caráter universal. Ela é uma Instituição Ecumênica que acolhe”, declarou. O jornalista comentou também o exemplo de dedicação do dirigente da Obra. “Deus age através das pessoas. Falar da LBV é falar do Paiva, falar do Paiva é falar da LBV, porque ele fez de seu trabalho um sacerdócio. A Legião da Boa Vontade é a cara dele, dessa perseverança, desse apostolado, fundamentado na Fé, que abrange e a matéria “O desafio da transparência”, que registra o 4º Encontro de Fundações. Ao folhear a revista, a vice-prefeita ressaltou o trabalho da Legião da Boa Vontade: “Mande um abraço ao diretor-presidente da LBV, José de Paiva Netto”. Reprodução BVTV Em audiência na sede da Prefeitura de São Paulo, realizada em janeiro, a vice-prefeita Alda Marco Antonio, que também responde pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads), conheceu o trabalho desenvolvido pela Associação Paulista de Fundações (APF) e suas associadas. Compareceram ao encontro a presidente da APF e da Confederação Brasileira de Fundações, Dora Silvia Cunha Bueno; o assessor jurídico da União Cultural Brasil Estados Unidos, Antonio Carlos da Silveira Laudanna; o presidente da Fundação Stickel, Fernando Diederichsen Stickel; o vice-presidente do Conselho Municipal de Assistência Social (Comas-SP), Jair Gomes de Araújo; os conselheiros do Comas Joaquim Carlos Monteiro de Car- Arquivo BV Fundações reúnem-se com vice-prefeita de São Paulo Sr. Luiz Artur de Oliveira Saraiva contempla a justiça social, a Solidariedade, a Fraternidade, a busca da sociedade melhor, e isso tudo a LBV exercita e pratica.” E complementa Luiz Saraiva, em entrevista veiculada na Boa Vontade TV (canal 23 da SKY): “O Paiva Netto, na atualidade, é dos poucos brasileiros que têm uma história construída. E a LBV é a expressão dessa história”.
  17. 17. L B V d e P or t ugal Inauguração das instalações do Centro Comunitário da LBV dos EUA Ronda da Caridade expande trabalho social na Europa A LBV de Portugal mantém em seu Centro Social do Porto um atendimento diário aos sem-teto. Por meio da pioneira Ronda da Caridade, a Instituição fornece acesso a direitos básicos, como alimentação e roupas, além de apoio para a reintegração destes na sociedade. Em razão do rigoroso inverno, com temperaturas abaixo de zero e neve (algo que não ocorria havia 30 anos), a LBV reforçou esse trabalho nas cidades de Lisboa e do Porto. Às 21 horas, os voluntários saem pela cidade para distribuir leite quente, pão, sopa e outros alimentos, além de cobertores e agasalhos para minimizar o frio da população em risco social. A ação ganhou destaque na Rádio TSF e nos jornais 24 Horas, Jornal de Notícias e O Primeiro de Janeiro, entre outros meios de comunicação. Para saber mais sobre essa e outras atividades da LBV, acesse o site www.lbv.pt. Adriana Rocha A cidade de Newark/Nova Jersey recebeu da LBV dos Estados Unidos as novas instalações do Centro Comunitário e Educacional, no bairro Ironbound. A inauguração ocorreu em 18 de janeiro, já em clima cívico, por conta das homenagens ao Dia de Martin Luther King (19), coincidindo também com o chamado do presidente dos EUA, Barack Obama, para o engajamento dos norte-americanos em atividades comunitárias. No local são realizadas ações educacionais, de promoção da Cultura de Paz, segurança alimentar, apoio integral à mulher, além de atendimento emergencial a moradores de rua e promoção de projetos de apoio aos países menos desenvolvidos ou em situação de calamidade. Nos EUA, para tornar-se voluntário da LBV, dirija-se à 20 Calumet St, Newark, NJ – 07105; tel.: (+1973) 3445338. Fotos: Adriana Rocha Fotos: Ricardo Ribeiro Eduarda Pereira BOA VONTADE | 19
  18. 18. Pedro Paulo Torres Cartas, e-mails, livros e registros Revista BOA VONTADE Especial saúda o mês das mulheres Lançada em três idiomas, a publicação é a porta-voz da LBV à 53a Comissão sobre o Status consultivo geral das Nações Unidas. No mês dedicado às mulheres, a BOA VONTADE homenageia, com uma edição especial, aquelas que batalham e contribuem, em todas as épocas, para um mundo melhor. Inicialmente editada em três idiomas (espanhol, inglês e português), a publicação da LBV foi dirigida aos chefes de Estado e delegações internacionais presentes à 53ª Comissão sobre o Status da Mulher da ONU, realizada entre 2 e 13 de março, na sede das Nações Unidas, em Nova York (leia a cobertura completa na próxima edição da BOA VONTADE). A homenagem da LBV, instituição brasileira com status consultivo geral no Ecosoc (ONU), é direcionada a todas as mulheres. Como exalta o jornalista Paiva Netto, diretor-presidente da LBV, em mensagem especial, intitulada “O Milênio das Mulheres”, logo nas primeiras páginas do documento: “A Mulher, o lado mais formoso da Humanidade, singulariza o alicerce de todas as grandes realizações. Aquilo que fisicamente nos constitui é gerado em seu ventre (...). Componentes do gênero feminino se traduzem em elemento preponderante para a sobrevivência das boas causas. Organizações estáveis contam com mulheres estáveis. (...) O meu fito aqui é ressaltar quanto é primacial para a evolução humana e a segurança do mundo a missão da Mulher (...). Nossos primeiros passos no desenvolvimento da cidadania são por ela guiados, ao nos conduzir pelas mãos. A estabilidade do mundo começa no coração da criança. Por isso, na LBV praticamos, há tantos anos, a Pedagogia do Afeto”. A publicação abre espaço também para séria reflexão a respeito da violência doméstica contra a mulher. Em outra reportagem, ilustra as várias vertentes trabalhadas pela LBV para criar oportunidades de inclusão para mulheres de baixa renda. Na capa da edição em português (à esquerda), o destaque é a sra. Maria da Penha, que deu nome à Lei 11.340, a qual pune com mais rigor quem pratica violência contra a Mulher. Em inglês e espanhol, a foto que ilustra é a de Eleanor Roosevelt, notável presidente da Comissão de Direitos Humanos da ONU. Feliz, a dra. Jandira Feghali exibe seu exemplar da BOA VONTADE Mulher. Flagrante clicado por celular. Secretária de Cultura, Jandira Feghali, destaca mensagem da LBV encaminhada à ONU Em evento ocorrido no Dia Internacional da Mulher, a secretária Municipal de Cultura do Rio de Janeiro/ RJ e relatora da Lei Maria da Penha na Câmara Federal, dra. Jandira Feghali, ao tomar conhecimento da BOA VONTADE Mulher, comentou: “É fundamental que as instituições coloquem como prioridade destacar a questão da mulher, porque ela é a maioria da população. É tão competente quanto o homem; participa da história desse País e deve ser valorizada como tal, não só como mãe, companheira, mas também como cidadã que constrói a nação”. A dra. Jandira Feghali deixou seu abraço ao dirigente da LBV pela passagem do aniversário dele (2 de março): “Parabéns ao Paiva Netto. Muito obrigada por esta idealização. Que essa contribuição se repita, pois é importante. Parabéns pelo aniversário, pela iniciativa da LBV, por esse presente, e que continue valorizando a mulher brasileira”.
  19. 19. Opinião Esportiva Coluna do Garotinho Arquivo pessoal Para onde vão nossos talentos José Carlos Araújo, comunicador da Rádio Globo do Rio de Janeiro. N um balanço do que foi o ano de 2008 nos esportes, um dado chama a atenção: o número de jogadores de futebol exportados pelo Brasil. Foram 1.176 atletas em apenas um ano. Em média, 98 jogadores negociados a cada mês, para todos os continentes. Não por acaso, acontece o que se vê no Vasco da Gama: Phillippe Coutinho, um jogador de 16 anos, que surgiu como a maior revelação das categorias de base do clube, não chegou a atuar nos profissionais e, embora continue no clube, já foi negociado com o futebol italiano. Assim como ele, muitos outros deixam o País todos os anos. Jovens, quase crianças, partem em busca da realização profissional e financeira. Vão em busca de conforto para suas famílias. São atletas que deixam seus clubes pelas mãos de empresários e nem são conhecidos da própria torcida. Os quase 1.200 jogadores negociados para o exterior, em 2008, agora pertencem a clubes de 96 países. Boa parte desse contingente vai para Portugal, mas muitos desses $$$ $ $ $ $ $ jovens acabam em locais sem nenhuma tradição no futebol. Ou seja, praticamente desaparecem do cenário esportivo e, em troca do que parece uma grande oportunidade financeira, abrem mão de seus sonhos de brilhar num grande clube e chegar à seleção brasileira. É assim que, muitas vezes, nos surpreendemos com o sucesso de algum jogador brasileiro no exterior. Mais surpreendente ainda é tomar conhecimento de que esse mesmo profissional foi formado nas divisões de base de algum clube aqui do Brasil. Agora, não é preciso nem mais passar pelas categorias de base de alguma agremiação. Clubes do exterior, como Milan e Roma, se antecipam e promovem as chamadas oficinas de futebol. Aqui mesmo, no Brasil, reúnem garotos de 8, 9 ou 10 anos e selecionam os mais promissores. Os escolhidos são levados para a Itália, com seus familiares. E os clubes brasileiros perdem a oportunidade de revelar talentos. $ $$ São jovens promessas que saem do País a custo zero para defender os clubes de lá. Perdem os clubes daqui, perde a seleção brasileira, já que todos sentem falta da renovação. Já não há mais tantos craques à disposição. Penso que está na hora de alguma autoridade do setor interferir nessa questão. Não se trata de impedir a realização profissional e financeira dos jovens atletas, mas de disciplinar essa verdadeira invasão estrangeira em busca dos nossos talentos. Alguma coisa precisa ser feita, para salvaguardar os interesses dos clubes brasileiros e da nossa seleção. Nenhum país pode se dar ao luxo de exportar tantos jogadores impunemente. Tudo tem limite, até mesmo a tão falada capacidade de gerar gênios do futebol. Uma capacidade que dá sinais de esgotamento. Tanto que as consequências já podem ser vistas na escassez de craques no futebol brasileiro. BOA VONTADE | 21
  20. 20. Entrevista na Band — Capa Fernando Mitre Bastidores mídia da por Fernando Mitre, diretor nacional de Jornalismo da Conheça a experiência deste veterano da comunicação . Leila Marco e Rodrigo de Oliveira O local da entrevista: a Rede Bandeirantes de Televisão, em uma sala no primeiro andar da emissora do Morumbi, na capital paulista. O entrevistado: Fernando Mitre, veterano homem da comunicação, o típico jornalista inquieto, ousado na busca pela notícia e comprometido com a qualidade do telejornalismo. Apesar da intensa atividade como diretor nacional de Jornalismo da Band, uma das maiores redes de TV aberta do País, ele encontra 22 | BOA VONTADE Fotos: João Periotto disposição para exercer outras funções dentro da profissão — na emissora, é também comentarista político do Jornal da Noite e entrevistador do programa Canal Livre, além de assinar uma coluna semanal no Jornal da Tarde e publicar críticas literárias em jornais e revistas. Para Mitre, o fato de acumular diversas tarefas, longe de atrapalhar, funciona em uma engrenagem maior, isto é, como fontes alimentadoras umas das outras. Por isso, considera estudo, leitura e pesquisa como fundamentos diários de todo bom jornalista. A carreira, iniciada em Minas Gerais, na cidade de Oliveira, onde nasceu, solidificou-se no Correio de Minas, no Diário de Minas e em uma breve incursão no jornal Binômio, do saudoso José Maria Rabelo, que circulou entre 1952 e 1964, nas cidades de Belo Horizonte e Juiz de Fora. Por lá passaram grandes nomes, a exemplo dos escritores Paulo Mendes Campos e Rubem Braga. A experiência nesses veí­ culos estimulou a criatividade do jovem jornalista e enriqueceu o currículo, o que serviu de passaporte para ingressar na equipe que criaria o Jornal da Tarde, de São Paulo, em 1966, no qual, dez anos depois, se tornaria diretor de redação, ocupando o cargo em mais duas outras ocasiões. Na Band, produziu 31 debates políticos, inclusive o primeiro da eleição direta para presidente da
  21. 21. “Durante os primeiros 20 anos de vida profissional, fui um típico jornalista de mídia impressa, aquele famoso rato de redação. (...) Virei um fanático, ficava o dia inteiro na redação. (...) Essa profissão me pegou desde o primeiro dia e não me largou até hoje.” República, em 1989, e por isso é recordista desse tipo de cobertura pré-eleitoral na televisão brasileira. Nesta entrevista à BOA VONTADE, falou sobre o início da carreira e fez reflexões acerca do exercício da profissão. BOA VONTADE — Como foi o início no jornalismo? Fernando Mitre — Uma vocação que surgiu naturalmente e foi se solidificando, mesmo enfrentando algumas adversidades. No interior de Minas, há 40 anos, ser jornalista era bastante diferente, a perspectiva era ser engenheiro, médico ou advogado. BOA VONTADE | 23
  22. 22. Entrevista na Band — Capa E de fato fui estudar Direito e minha vida estudantil foi um caos completo. Passei por várias universidades, mas sempre tendo o jornalismo como objetivo. Em certo momento, já militando na imprensa, desde quando saí do interior e fui para Belo Horizonte, continuava a me preparar para o vestibular. Tive algumas experiên­ ias como jornalista na c minha terra, havia escrito artigos no jornal da cidade, além de fundar um jornal chamado Tribuna do Estudante, com alguns colegas de escola. Essa vocação estava ali bem expressa e, uma vez na Faculdade de Direito, foi quase um passo natural tentar estágio numa redação mais próxima da faculdade. aprofundada na área cultural; há conterrâ­ eos ilustres. Fui criado n ouvindo falar do grande Carlos Chagas. Ele é de lá, e existe no local a Fundação Casa de Cultura Carlos Chagas. Ministros da República nasceram na cidade, e isso tudo criou um clima: lá se valorizava o estudo, o trabalho intelectual, o que tem muito a ver com o exercício do jornalismo. O ambiente da cidade e a perspectiva que se criava ali, de certa forma, influiu com significação na minha escolha. Arquivo BV BV — Há alguma cena marcante de sua infância, de que se recorde como uma fotografia? Mitre — Quando garoto era impressionado com os grandes comunicadores do País. Juscelino Kubitschek BV — Inspirou-se em alesteve em Oliveira, e guém para seguir a área ouvia dizer que era um de comunicação? líder popular, queria vêMitre — Na minha -lo falar. Então, ele inaufamília, tenho um primo Juscelino Kubitschek gurou [um posto dos] mais velho, o Décio Mitre, hoje um grande advogado. Correios da minha cidade, e eu, Ele começou também como bem pequenininho, estava lá na jornalista e me levou para fazer escadaria e o Juscelino, lá em estágio num jornal que estava cima, fazendo o discurso. Ele se nascendo em Belo Horizonte e, a empolgou com um gesto e acabou partir daí, me treinou na redação, tocando a minha nuca e, com isso, e nunca mais saí. Arquivo BV BV — Quais as boas recordações da cidade de Oliveira, onde nasceu? Mitre — Oliveira, pelo ambiente e pela atmosfera, foi muito importante na minha vida. É uma cidade Carlos Chagas com tradição bastante 24 | BOA VONTADE desci escada abaixo (risos). Quer dizer, esse interesse por política é uma coisa que me acompanha sempre; lembro-me daquelas orelhas de livros, é jornalista, político ou escritor, alguma das três coisas eu seria. BV — Mais alguém da família seguiu esse caminho? Mitre — Estudei Direito, fui para a faculdade, mas não terminei o curso, depois para a faculdade de Economia e mais tarde me formei em Letras. Fiz pós-graduação em Letras, mas com a maioria dos créditos em Ciências Políticas. Minha vida foi de bastante experiência e caótica também — tanto que em casa evitava, quando meus filhos estavam na adolescência, falar do meu exemplo, porque é negativo, uma falta de rumo total. Mas nunca deixei a trilha do jornalismo durante todos os anos que estive na universidade, durante uns 15 anos entre todos os cursos. Sempre mantive a ação de jornalista, comecei em Minas e nunca mais parei. BV — Para o iniciante, a redação de um meio impresso é uma das melhores escolas? “A primeira qualidade de um jornalista é a curiosidade. (...) O jornalista que tem realmente vocação deve estar sempre pesquisando, ser um curioso e ter fome e sede de informação nova. Essa é uma qualidade fundamental.”
  23. 23. Arquivo BV Divulgação Ricardo Stuckert/ABr Mitre — Sim. Durante os primeiros 20 anos de vida profissional, fui um típico jornalista de mídia impressa, aquele famoso rato de redação. Quando cheguei a São Paulo, integrei a equipe que fundou o Jornal da Tarde, um jornal importantíssimo, criativo, diferente de tudo o que se tinha feito até então. Virei Mino Carta um fanático, ficava o dia inteiro na redação. Meu primeiro diretor foi o Mino Carta, com quem trabalhei alguns anos. Depois, o diretor que sucedeu o Mino foi um grande jornalista, talentoso, com uma criatividade impressionante, muito importante na minha vida: Murilo FelisMurilo Felisberto berto, que já faleceu [em 2007]. Ficava com o Murilo ali o tempo todo, meu trabalho terminava e eu não ia embora, era aquele fanatismo. Essa profissão me pegou desde o primeiro dia e não me largou até hoje. 1 2 AE (1) Sr. Johnny Saad, presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação. (2) Registro da fraterna amizade entre José de Paiva Netto e o saudoso dr. João Jorge Saad. BV — Em sua opinião, a paixão pela reportagem é a característica mais importante de um jornalista? Mitre — A primeira qualidade de um jornalista é a curiosidade. É preciso pesquisar, e a busca da informação não se dá só em torno da agenda do dia: você busca informação o tempo todo, pesquisa livros e tem a internet, que facilita tudo. O jornalista que tem realmente vocação deve estar sempre pesquisando, ser um curioso e ter fome e sede de Mitre e Ricardo Boechat preparam mais uma edição do Jornal da Band. informação nova. Essa é uma qualidade fundamental. Já as características fundamentais do exercício da profissão incluem alguns itens básicos. O compromisso com a realidade dos fatos é uma coisa muito importante. Não deve deformar os fatos; esse, talvez, seja o primeiro compromisso. Deve ter um senso crítico diante das coisas e uma capacidade de avaliar eticamente o que se está cobrindo. É preciso ter um olho muito atento com o poder, os poderosos de um modo geral. Então, isso aí faz parte do dia-a-dia do jornalista. BV — O jornalismo da Band tem se destacado por sua atuação e qualidade, inclusive ganhando prêmios. A que se deve esse resultado positivo? Mitre — A Band tem uma BOA VONTADE | 25
  24. 24. Entrevista na Band — Capa vocação jornalística consolidada, que se aperfeiçoa através do tempo. É um grupo que tem mais de 70 anos. A busca da informação e o compromisso com a utilidade pública sempre foram marcas registradas do grupo. E isso não poderia produzir outro efeito senão este que aí está: o grupo cresce na área de comunicação, na área de informação com competência, com consistência, responsabilidade e credibilidade. São características do jornalismo que fazemos, e a perspectiva é continuar crescendo, se fortalecendo. Temos na nossa história momentos fundamentais que se confundem na História do Brasil. O jornalismo da Band, sempre muito atento, presente, é obsessivo na busca da informação correta e completa. Na história recente do Brasil não faltaram as câmeras da Band. BV — Uma marca muito forte da emissora é a realização dos debates políticos, pré-eleitorais, um ponto apoiado pelo presidente do grupo, o saudoso dr. João Jorge Saad... Mitre — Sempre apoiado. Tivemos aqui todos os debates e, até de certo modo, apostas dos diretores e acionistas. O primeiro debate entre candidatos à Presidência da República da História do Brasil foi feito aqui na Band, com nove candidatos. Eu tinha acabado de chegar aqui, não entendia de televisão. O Johnny Saad, que na época era vice-presidente da Band, me deu a força que eu precisava para ir em frente, senão não seria possível. Tecnicamente, era discutível fazer um debate com nove candidatos... não era possível. Mas nós fizemos um cenário em forma de ferradura e foi um debate histórico. Não havia as regras rígidas de hoje. Foi uma coisa extraordinária, seguramente. Tive o apoio do Johnny Saad, e sem isso não sei se caminharia sozinho. É muito importante considerar que está dentro da vocação da Band essa história da cobertura política. Não é por acaso que os debates aconteceram principalmente aqui, porque a Bandeirantes sempre abriu espaços para todas as bandeiras, todos os programas e projetos. O jornalismo da Band sempre foi um debate vivo, um conflito saudável, legítimo e democrático de ideias. Então, é evidente que e lidad sustentabi Fernando Mitre, entrevistado por Rodrigo de Oliveira. 26 | BOA VONTADE u r e produzir, o sário preserva “É neces paração servar. Essa se pre seja, crescer e nsam que uns queles que pe entre a r e outros para para preserva estão preciso um absurdo! É desenvolver é lítica de haver uma po juntar, tem de política de oplada a uma c preservação a não deveria to. Uma coisa n desenvolvime eria nem ser utra, não dev o existir sem a a outra.” enfocada sem
  25. 25. os debates ocorreriam aqui com naturalidade. BV — Jamais deixar de praticar esse “ouvir os vários lados”, certo? Mitre — Claro! Mesmo no tempo da ditadura, daquela coisa ferrenha em cima das redações. Nem todos os grupos de comunicação enfrentavam aquilo; já a Band enfrentava com naturalidade. Alguém se lembra da famosa entrevista com Luís Carlos Prestes no exílio, em pleno governo militar? Foi feita aqui pela Band. A jornada das Diretas Já? Cobertura da Band. Todo o processo de impeachment do ex-presidente Fernando Collor? Cobertura intensa e cobertura justa, ouvindo todos os lados, sem nenhum tipo de preconceito. Isso é marca nossa. BV — Muita dessa marca, aliás, tem a ver com o dr. João Jorge Saad. Como era a convivência com esse grande comunicador? Mitre — Ele era uma pessoa agradabilíssima, tratar com ele era um prazer. Eu tratava com ele e o Johnny. Ele era o presidente e o Johnny, vice-presidente. Vim aqui fazer o primeiro contato a convite dele (Johnny) e foi quando conheci o seu João, que se mostrou tão afável, tão agradável e muito perspicaz. A partir daí, nossa relação foi muito boa. BV — Desde o instante em que assumiu o jornalismo da Band até o dia de hoje, é possível fazer um balanço das vitórias e das correções a serem feitas? A bela apresentadora do Jornal da Band Ticiana Villas Boas exibe exemplar da edição especial BOA VONTADE Mulher. Mitre também confere os destaques da revista. Mitre — Sempre. O aperfeiçoamento deve ser constante. O exercício do jornalismo é um processo de aprendizado. Você erra muito e tem que ter humildade para corrigir os erros; assim como os acertos, é preciso saber se aproveitar deles e transformá-los em grandes soluções. É um desafio constante, vigilância, trabalho e atenção o tempo todo e, principalmente, trabalho de equipe. Em televisão, sozinho você não faz nada. E uma das características nossas é o excelente ambiente que temos aqui na redação. Aliás, a empresa tem um ambiente muito bom. BV — O mundo atravessa uma grande crise econômica e se vê desafiado pela questão climática. Agora é mesmo imprescindível pensar em crescimento sustentável? Mitre — Só vejo uma possibilidade de pensar nessa questão: desenvolvimento sustentável. É necessário preservar e produzir, ou seja, crescer e preservar. Essa separação entre aqueles que pensam que uns estão para preservar e outros para desenvolver é um absurdo! É preciso juntar, tem de haver uma política de preservação acoplada a uma política de desenvolvimento. Uma coisa não deveria existir sem a outra, não deveria nem ser enfocada sem a outra. BV — Quais os planos da direção de jornalismo da emissora? Mitre — Aperfeiçoar. O jornalismo da Band é um jornalismo que tem essa ambição de se aperfeiçoar e ampliar o tempo todo, lançar produtos novos. Estamos lançando programas novos e vamos continuar nesse diapasão. E a gente nunca está satisfeito. Ao término da entrevista, Mitre retribuiu a saudação do diretor-presidente da LBV, o jornalista Paiva Netto, com a mensagem: “Tenho uma grande admiração por ele. Um abraço nele também”. BOA VONTADE | 27
  26. 26. Música A versatilidade musical de Elza Soares de todos os berços Natália Lombardi U Arquivo BV ma cantora do samba que calouros, Elza obteve as maiores fez sucesso, inclusive no notas.“Foi chocante. Aquele miexterior, interpretando o neirão bem-humorado ensinou melhor desse estilo sem, como me vestir e a me apresentar contudo, ficar restrita a ele: “Sou às pessoas. Foi sério o momento. carioca de todos os berços”. Isso Valeu muito, Ary”, relembra. explica a versatilidade musical de Em 1959, começou na profissão Elza Soares, nascida no morro da já recriando o samba. “Lembro do Água Branca, bairro de Engenho primeiro sucesso, que foi Se acade Dentro, e criada na comuni- so você chegasse, do Lupicínio dade de Padre Miguel. Foi cedo Rodrigues; depois, Beija-me, que a menina descobriu o talento Mulata assanhada, Teleco Teco para cantar, e as primeiras no 2, Edmundo, tanta coinotas já impressionavam sa gostosa que gravei.” pelo traço que seria a Elza alcançou notoriedade marca da artista nesses logo no primeiro LP. Seu 50 anos de carreira: a voz segundo disco, Bossa Nerouca e afinada. gra, também foi bastante Ary Barroso Descoberta por Ary aplaudido, surgindo como Barroso (1903-1964), um dos alternativa aos estilos que mais mais renomados músicos bra- tocavam na época, o samba de raiz sileiros, durante um show de e a Bossa Nova. 28 | BOA VONTADE Dj GArRinchA Berlin.7 Carioca A artista também inovou ao usar scats — técnica de canto recorrente entre os cantores de jazz, vocalizando sílabas sem sentido (ex.: quais la gum dum, dara padam) —, encantando o público e intérpretes destacados com sua originalidade. Propositadamente extravagante, conseguiu arrancar elogios até de nomes consagrados internacionalmente, como o cantor norte-americano Louis Armstrong, com quem dividiu uma apresentação especial na Copa do Mundo de 1962, no Chile. O auge da carreira atravessaria mais de uma década. Para Elza, experimentar na música e agradar tem sido comum: “No meu trabalho busco ficar não só dentro do samba puro. Gosto de trazer esses ritmos que tanto
  27. 27. Fotos: Arquivo BV O lendário jazzista Louis Armstrong Garrincha joga no Maracanã e Elza ouve a transmissão pelo radinho de pilha Aneliése de Oliveira de Brito, Jorge Ben Jor, Nei Lopes, Noca da Portela, Nelson Cavaquinho, Tom Jobim, Toquinho, Vinicius de Moraes e Zeca Pagodinho. No ano de 1970, Elza Soares viajou em turnê pelos Estados Unidos e pela Europa. Dois anos depois, o álbum Elza Pede Passagem foi um dos mais aclamados de sua trajetória, considera“O samba do um clássico e tem uma riqueza tão representante do samba soul do imensa, uma linha melódica início da década maravilhosa, que você pode da Disco. Hoje é empolgam, fazer dele o que bem possível encono hip-hop, o trar o CD remastefunk, o samba pretender.” rizado. jazz, o samba rock, enfim..., para Uma mulher na dentro da música popular brasileira. (...) Sou muito jazz Avenida do Samba São muitas as razões que levam e gosto do blues. Acho que o samba tem uma riqueza tão imensa, a crítica especializada a tecer couma linha melódica maravilhosa, mentários elogiosos à cantora, mas que você pode fazer dele o que nada se compara ao fato de ela ter sido a primeira mulher a puxar um bem pretender”. A artista fez também parce- samba-enredo na Sapucaí durante rias com outros compositores de a festa mais popular do Brasil. prestígio, a exemplo de Aldir Para Elza, aflorar a percepção Blanc, Chico Buarque, Dorival pela cultura nacional no carnaval Caymmi, Guinga, Guilherme é uma “maravilha!”, exclama. E completa: “É um momento que todo mundo canta o Brasil. Temos grandes autores de escola de samba. Falar de um compositor é falar de um Silas de Oliveira, que era, na minha opinião, um maioral. Falo de Cartola, Zé Kéti, de tanta gente boa. O carnaval faz parte da nossa cultura”. Como puxadora de samba-enredo no Rio de Janeiro, já teve passagens pelo Salgueiro, campeã deste ano do carnaval, Mocidade Independente e Acadêmicos do Cubango. Dando a volta por cima Elza Soares tem seu nome marcado na história cultural do País, mas nem por isso deixou de enfrentar momentos difíceis na vida pessoal e profissional. Ficou viúva do jogador de futebol Mané Garrincha (1933-1983), passou por altos e baixos na música, pensou em desistir e perdeu Garrinchinha, em 1986, seu único filho com o jogador. Depois disso, passou nove anos fora do Brasil. De volta, lançou em 1997 a biografia Cantando para não enlouquecer. Para vencer todas as intempéBOA VONTADE | 29
  28. 28. Eliana Gonçalves Música Guilherme Carvalho Marcelo K-b-ça Amiga de longa data da Legião da Boa Vontade, Elza Soares já fez parte de diversas ações realizadas pela Obra, como salienta: “Fui algumas vezes visitar as crianças, porque gosto de participar, de saber o que está acontecendo. É muito importante que todos saibam o que é essa bela Instituição, esse presente que vocês têm dado sempre a essas crianças maravilhosas que precisam tanto”. A cantora felicita também o diretor-presidente da LBV: “Ao meu amigo Paiva Netto, meu grande exemplo de vida, o meu beijo, o meu carinho, pela coragem de manter a LBV de pé”. ries, diz que conuma indicação ao “Quando temos tou com a Ajuda Grammy, consiDeus dentro de nós, Divina: “Quanderado o Oscar somos capazes do temos Deus da música. O dentro de nós, disco foi muide superar qualquer somos capazes de to bem recebido sacrifício.” superar qualquer pela crítica. Cosacrifício. Eu me laboraram no traapego a Ele em qualbalho Caetano Veloso, quer momento. Quem tem Chico Buarque, Carlinhos Deus dentro de si não tem medo Brown, Jorge Ben Jor e outros. de nada. Eu não tenho medo”. O lançamento impulsionou turEm reconhecimento à sua con- nês pelo mundo. Depois desse tribuição para a música brasileira, “grande CD”, conforme diz a em 1972 ela recebeu o diploma própria artista, um problema de de Embaixatriz do Samba, do saúde a levou às pressas para a conselho de música popular do mesa de cirurgia. Mesmo presa Museu da Imagem e do Som, temporariamente a uma cadeira do Rio de Janeiro. Em 2000, foi de rodas, não deixou de produzir premiada como a “Melhor Can- o CD Beba-me. tora do Universo”, pela BBC de Teve a honra de interpretar o Londres. “Ganhar esse título foi Hino Nacional na abertura dos muito bom, um destaque maravi- Jogos Pan-americanos Rio 2007. lhoso que nem esperava que me- Pelo conjunto do seu trabalho, recesse. É muito sério carregar foi agraciada, em 2008, com a algo com essa dimensão toda”, Grã-Cruz, da Ordem do Mérito admira-se. Cultural, o maior prêmio do Em 2002, o álbum Do cóc- gênero concedido pelo governo cix até o pescoço garantiu-lhe federal. Luiz Melodia e Elza Soares apresentaram-se juntos durante o 5o Festival Chorando sem parar, em São Carlos/SP, no dia 21 de dezembro de 2008. 30 | BOA VONTADE
  29. 29. Tchê Barbaridade promove show solidário Barbaridade, que nos declaramos publicamente parceiros, voluntários da causa da LBV em todo o País”, destacou o empresário e diretor do grupo Paulinho Bombassaro, quando visitou o trabalho da Instituição em Glorinha/RS. O show solidário contou também com a participação dos grupos Balanço do Tchê e Bandavanera. Durante a apresentação, a LBV prestou homenagem aos músicos, presenteando-os com um belo quadro com a foto da visita deles ao Centro Comunitário e Educacional da Obra na capital gaúcha. [E.R.] agundes Barbaridade promoveu um grande show em benefício da Campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia! A festa ocorreu no Clube Farrapos, em Porto Alegre/RS. Sobre a iniciativa, ressaltou Marcos: “A gente pretende ainda fazer este trabalho o ano inteiro”. Carmen Silva, vocalista da banda (ao lado de Pablo e Marcelo), registrou o carinho e a satisfação de colaborar para a Obra: “Hoje é uma noite de coração. (...) Pessoas trazendo alimentos que serão distribuídos para tantas crianças. (…) Nós abraçamos uma causa que ocorre o ano inteiro; não é só no Natal que a LBV trabalha com essas crianças”. “Quero falar, em nome do grupo Tchê Lucian F Ao lado, os integrantes do Tchê Barbaridade. Acima, os músicos com o quadro que registra a visita do grupo à LBV. Divulgação H á 21 anos surgiu no cenário musical uma banda que apostou num jeito novo, universal, de fazer vanerão, a tchê music, dança típica dos Estados da Região Sul, especialmente apreciada entre os gaúchos, que se tornou também popular em Mato Grosso. A partir dali, o grupo Tchê Barbaridade iniciou uma carreira de sucesso, lançando ao longo de duas décadas 16 CDs e 3 DVDs. A banda fez aniversário em dezembro, sabendo que, apesar da carreira sólida, ainda há muito que realizar. “É uma história realmente de luta, mas não acabou; é uma conquista constante”, afirma Marcos Noms, gaiteiro e tecladista do grupo. Para comemorar a data, o Tchê BOA VONTADE | 31
  30. 30. Homenagem Jornalistas Rosane Marchetti e Cristina Ranzolin Emoção e alto-astral na redação da Elisa Rodrigues P or ocasião do Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, meninas e meninos atendidos pela Legião da Boa Vontade no programa LBV — Criança: Futuro no Presente! visitaram a redação do Jornal do Almoço, da RBS TV (Rede Brasil Sul de Televisão), emissora filiada da Rede Globo, canal 12, em Porto Alegre/RS, 32 | BOA VONTADE Fotos: Elisa Rodrigues para homenagear as apresentadoras Rosane Marchetti e Cristina Ranzolin. As jornalistas — que são âncoras de um dos principais noticiários do Rio Grande do Sul — ficaram comovidas com o carinho das crianças e com a apresentação musical feita por elas na ocasião. Cristina e Rosane receberam também flores e um belíssimo quadro, contendo assinaturas das crianças e um pensamento extraído do artigo “A Mulher no ConSerto das nações”, de autoria do diretor-presidente da LBV, jornalista Paiva Netto. Em entrevista à Boa Vontade TV, Cristina leu para os telespectadores trecho da mensagem do dirigente da Instituição: “Às mulheres do Brasil e do mundo,
  31. 31. 1 2 3 a nossa saudação pela data especial: 8 de março. Todo dia, porém, é dia da mulher, cujo exemplo de coragem encontramos no Evangelho do Cristo, segundo João, 19:25, que relata o apoio por Ele recebido, na derradeira hora: ‘E diante da cruz estavam a mãe de Jesus, a irmã dela e também Maria Madalena, e Maria, mulher de Clopas’. Essas heroínas, no instante supremo da dor, não O abandonaram, permanecendo ao Seu lado, num inaudito sinal de bravura. Nenhuma ação humana pode, decisivamente, progredir sem o auxílio, reservado ou público, das mulheres. A História está repleta de comprovações”. E acrescentou a apresentadora: “E aí assinam diversas crianças, que coisa linda! Muito obrigada, fiquei emocionada, um beijo!”. Além de falar sobre o seu trabalho no Jornal do Almoço, Cristina ressaltou: “A mulher tem cumprido o seu papel de forma realmente envolvente, porque conseguimos ser mãe, mulher, esposa e profissional. É maravilhoso ser mulher, poder cuidar de tudo um pouco. Às vezes podemos falhar numa dessas posições, mas a gente tenta pelo menos, e isso dá muito prazer”. Da mesma forma atenciosa, retribuiu Rosane Marchetti: “Muito lindo, especialmente As apresentadoras Rosane Marchetti (1) e Cristina Ranzolin (2), do Jornal do Almoço, da RBS TV, recebem flores e quadros contendo assinaturas das crianças e a fraterna mensagem da LBV. (3) A redação do jornal parou para ouvir o canto do Coral Infantil da Instituição. pela homenagem feita pela LBV, por esses meninos, coisa mais querida. Que amor, que maravilhoso o carinho grande dessas crianças! Obrigada”. Rosane destacou ainda detalhes daquela manhã especial e parabenizou a Legião da Boa Vontade e todos os seus colaboradores e voluntários, que tornam possíveis os diversos programas socioeducacionais da Instituição. “Para nós, é um imenso prazer, fico emocionada de ver essas crianças. Conversamos com elas sobre as atividades, sobre esse carinho e o apoio que têm [na LBV]. Parabéns pelo trabalho, parabéns mesmo!”. BOA VONTADE | 33
  32. 32. Destaque Entrega de kits escolares Em todo o Brasil, autoridades, artistas e colaboradores prestigiam a tradicional iniciativa campanha permanente pela educa ç ã o LBV distribui milhares de kits escolares Regina do Nascimento 34 | BOA VONTADE
  33. 33. Clayton Ferreira Liliane Cardoso Clayton Ferreira Eduardo Siqueira Glorinha/RS Salvador/BA Cida Linares Adelar Pereira Vivian Ribeiro Campinas/SP desigualdades sociais. Outra análise associa diretamente o aumento da escolaridade feminina à redução das taxas de mortalidade infantil. A fim de que nada seja empecilho para que meninos e meninas de 6 a 12 anos em situação de vulnerabilidade social concluam o Ensino Básico, a Legião da Boa Vontade promove a sua tradicional Campanha Criança Nota 10 — Sem Educação não há Futuro!, que este ano entrega milhares de kits de material escolar. São beneficiados com a iniciativa alunos das escolas da Instituição Curitiba/PR Álida Santos S abe-se que a Educação é essencial para a construção de uma sociedade justa, mais humana e autossustentável e, portanto, para o progresso de um país. Diversos estudos e pesquisas já comprovaram sua importância. De acordo com o Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), se todo trabalhador brasileiro tivesse pelo menos cinco anos de estudo, a pobreza diminuiria em média 6%, e se fossem oito anos, reduziria13%. Esses dados demonstram que a falta de instrução influi nas Clayton Ferreira Ribeirão Preto/SP Ipatinga/MG Belford Roxo/RJ
  34. 34. Senador Jefferson Praia e participantes do Programa LBV — Criança: Futuro no Presente!, desenvolvido nos Centros Comunitários e Educacionais da Obra, localizados em dezenas de cidades do Brasil. Educação e futuro Clayto n Ferr eira Uma das primeiras cidades beneficiadas pela iniciativa foi Curitiba/PR, em 6 de fevereiro. O deputado federal Ratinho Junior entusiasmou-se com o evento e declarou: “Com muita alegria, acompanho, já há algum tempo, Campo Grande/MS esse trabalho que a LBV queiram fazer um bom faz. Sempre que posso, trabalho. A LBV serve prestigio os eventos, porde exemplo para todo o que a LBV tem um papel Brasil”. Sobre o que pôde fundamental na sociedatestemunhar, ressaltou: de, que é o de educar as Ratinho Junior “A gente vê a alegria nossas crianças, mas, das crianças em receber acima de tudo, não é dar esse kit tão bem-feito, mochilas uma educação apenas bem preparadas. Temos de pedir didática, de matemática àquelas pessoas que colaboram ou português, para ser que continuem colaborando e um cidadão de bem. É conheçam o trabalho da LBV, que uma educação na alma é realmente exemplar”. da criança, na espiriNa sequência, foi a vez de tualidade. A gente tem Goiânia/GO, em 9 de fevereiro. de agradecer, pois O senador Marconi Perillo, preé um exemplo para sente ao acontecimento, resumiu outras entidades que a relevância da campanha: “Fui uma criança pobre que passou por dificuldades. Cheguei aonde estou graças ao estudo, à formação, à escola. Por isso me Clayton Ferreira Senador Marconi Perillo Eliana Mendes Clayton Ferreira Juliana Valin Destaque 36 | BOA VONTADE Cida Lina Cada kit entregue pela campanha é composto de mochila, estojo, lápis preto nº 2, caixa de lápis de cor com 12 unidades, canetas hidrográficas coloridas e esferográficas, apontadores com depósito, borrachas, pincéis, tesoura sem ponta, tubos de cola, caixa de tinta guache com 6 cores, cadernos de desenho e universitário, papel sulfite reciclado, régua de 30 cm, dicionários da língua portuguesa e bilíngue (português/inglês), jogo pedagógico e fichário com zíper. res Campanha Criança Nota 10 — Sem Educação não há Futuro!
  35. 35. Goiânia/GO Senadora Marisa Serrano Senador César Borges vamos assegurar um futuro de cidadania, inclusão social, respeito e igualdade para essas crianças com iniciativas como esta. (...) Vou ajudar mais ainda, porque a LBV merece a nossa atenção pelos resultados alcançados e pela seriedade do trabalho. (...) Quero cumprimentar Paiva Netto, pelo que realiza no Brasil inteiro, e toda a equipe da Legião da Boa Vontade, e dizer que hoje é um dia muito feliz para mim”, finalizou Perillo. Seis dias depois da capital goiana, foi a vez de o Centro Comunitário da LBV em Manaus/ AM realizar a entrega do material escolar, que contou com a participação do senador Jefferson Praia. Na opinião do parlamentar, uma das principais preocupações do Senado “deve ser a garantia da Educação para todas as crianças, principalmente para as menos favorecidas”. E completou: “A LBV entra nesse espaço dando a sua contribuição. Nós percebemos uma ação importante, além de todas as atividades que são realizadas com essas crianças, que tenho a honra de conhecer nesta manhã”. Em Salvador/BA, a entrega dos kits às crianças atendidas, em 16 de fevereiro, coincidiu com a inauguração das instalações do Centro Comunitário e Educacional da Instituição, que foram ampliadas e modernizadas. O evento teve um gosto especial para a criançada, que conheceu as novas salas onde terão atividades. Salvador/BA Clayton Ferreira entusiasmo tanto. As crianças são o maior tesouro da nossa vida. Se nós queremos um país melhor, temos de investir nelas”. O parlamentar ressaltou não somente o valor da campanha, mas também o somatório dos empreendimentos desenvolvidos. “É fantástico o que a LBV faz em Goiás e no Brasil. Só Clayton Ferreira Analice Barcelá Clayton Ferreira João Pred a Manaus/AM BOA VONTADE | 37
  36. 36. Clayton Ferreira Clayton Ferreira Destaque João Preda Goiânia/GO pareceu. Ao ver os frutos que a no para a cerimônia iniciativa traria, destacou: “Eu fico de entrega dos kits. muito feliz, porque nós, vivendo “Educação de qualineste país pobre, numa região dade é o que as crianças do Mato pobre, precisamos, cada dia mais, Grosso do Sul precisam. Ver a de iniciativas desse porte. Quero LBV assim nos mostra que vale a parabenizar todos vocês, parabeni- pena lutar. Ela não está só aqui, zar Paiva Netto. Que Deus ajude e mas no Brasil todo, lidando com a Educação das crianças. fortaleça vocês para cada Esses pequeninos aprenvez mais ampliar esse traderão a ser mais felizes ao balho, que é extremamenajudar o próximo. Vejo o te necessário para toda a Amor que é fundamental nossa comunidade”. em tudo isso”, registrou a Na mesma data, CamMaurício Trindade parlamentar. po Grande/MS recebia a Um dos objetivos da senadora Marisa SerraLBV com essa iniciativa, realizada anualmente, no período de janeiro a abril, é contribuir para a redução dos índices de reprovação e abandono escolar e, portanto, para a melhoria da qualidade de vida e da autoestima das crianças atendidas. O senador Renato Casagrande, presente à distribuição dos kits em Vitória/ES, em 20 de fevereiro, destacou a alegria da garotada ao receber mochilas com o material escolar, tendo nesse gesto uma Carolina Dutra “Estou emocionado e gratificado por ver este trabalho desenvolvido pela LBV em um bairro carente (...). Esses jovens estão complementando a educação e dizendo que vêm aqui com muito amor, satisfação e alegria para participar das atividades de aprendizado lúdico. A LBV cumpre papel importantíssimo”, afirmou o senador baiano César Borges, que prestigiou o evento. O deputado federal Maurício Trindade também com- Vitória/ES Diego Basso Manaus/AM Cuiabá/MT 38 | BOA VONTADE
  37. 37. Senador Renato Casagrande oportunidade a mais para prosseguir no estudo: “É um prazer participar de evento tão importante e cheio de energia. (...) Estou muito feliz de estar aqui. São centenas de crianças que vêm receber o complemento escolar pelo esporte e pela cultura. Este ambiente ajuda individualmente na formação de um espírito de Fraternidade, com caráter, de preo­ upação com o Ser c Humano. Este é o papel que a LBV desempenha e, para isso, é preciso de todo o apoio da sociedade”. Nesse mesmo dia, várias personalidades participaram da entrega dos kits na capital do Mato Grosso, Cuiabá. A senadora Serys Slhessarenko falou da felicidade nos olhos de meninas e meninos atendidos pela Instituição enquanto recebiam o material escolar. “Através da contribuição grandiosa da LBV, as crianças estão construindo seu futuro; elas têm esperança, perspectiva de vida. Temos certeza de que terão uma história de vida bonita. E isso se deve, em grande parte, à LBV e ao Paiva Netto, que é um nome internacional, figura que tem a questão social muito presente. É a pessoa dele que inspira essa vontade, essa determinação em fazer a melhoria da qualidade de vida dos mais carentes da nossa sociedade”, comentou. Essa iniciativa é uma das muitas ações socioeducacionais empreendidas pela Legião da Boa Vontade em defesa do desenvolvimento integral do Ser Humano, isto é, considerado em todos os seus aspectos: Espiritual, físico, mental, cognitivo, psicológico e social. Para a realização e manutenção desse trabalho, a LBV tem contado, há quase 60 anos, com o apoio e a colaboração imprescindíveis da população. Os interessados em obter outras informações sobre o trabalho da LBV ou em colaborar com ela, seja por meio de doações, seja por meio do voluntariado, podem dirigir-se à unidade de atendimento da Instituição mais próxima, entrar em contato pelo telefone: (11) 3225-4500 ou acessar o site www.lbv.org.br. Lucian Fagundes Clayton Ferreira Diego Basso Senadora Serys Slhessarenko Primeira-dama de Porto Alegre visita a LBV A primeira-dama de Porto Alegre/ RS, sra. Isabela Fogaça, esteve no dia 12 de março nos estúdios da Boa Vontade TV na capital gaúcha para participar do programa Boa Vontade Entrevista. Na recepção, foi saudada pelo canto do Coral Ecumênico Infantil LBV. A surpresa emocionou a convidada: “Pensei que eu só iria fazer a gravação do programa, não sabia que iria receber tanto amor. Muito obrigada, estou rodeada de ternura por esses anjos queridos”. Em entrevista, relembrou a homenagem que a Instituição prestou a ela: “Vocês foram me visitar ano passado na prefeitura e me levaram flores, mas é muito melhor vir até aqui. Tenho certeza de que todas as pessoas deveriam visitar a LBV para entender o que é o trabalho da Legião da Boa Vontade e perceber o quanto é importante ajudar ao próximo. Eu me sinto especialmente emocionada hoje com essa gurizada querida. Muito obrigada, de coração”. BOA VONTADE | 39
  38. 38. Luênia Guedes Arte na Tela Inovando o processo de ensino e aprendizagem Educação com o pé na estrada Tadeu Gonçalves especial para a BOA VONTADE Divulgação Fotos: Pedro Clerot Tadeu Gonçalves* É gratificante quando descobrimos iniciativas de escolas públicas que, fugindo da mesmice, inovam o processo de ensino e aprendizagem, buscando formar cidadãos engajados e conscientes das suas responsabilidades. O projeto Re(vi)vendo Êxodos é um exemplo dessa prática, que merece ser adotada por outros estabelecimentos de ensino em todo o Brasil. A empreitada já está em sua sétima edição e foi desenvolvida no Centro de Ensino Médio Setor Leste, no Centro de Ensino Fundamental 104 Norte e na escola Nova Betânia em São Sebastião. Essas escolas do Distrito Federal demonstram que, quando o corpo docente se envolve, é possível vencer as dificuldades das verbas escassas e a estrutura deficiente, comuns na maioria dos colégios públicos. O empenho e a abnegação de professores do Centro de Ensino Médio do Setor Leste levaram ao primeiro evento do projeto, em 2001, que de lá para cá cresceu e agregou parceiros. A cada edição os estudantes realizam, a partir do início do ano, extensa pesquisa bibliográfica e de campo com a abordagem de temas contemporâneos e o aprofundamento experimental. Também constroem dossiês, portfólios, vídeos, boletins informativos, cartazes, folders, encenações, desenvolvem uma monografia escolar e apresentam seminários. Além disso, os alunos monito- * Tadeu Gonçalves é gerente de Educação Patrimonial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). 40 | BOA VONTADE
  39. 39. res visitam as cidades integrantes de um roteiro preestabelecido e realizam entrevistas e pesquisas sobre o patrimônio cultural dessas comunidades, preparando desta forma a estrutura para a caminhada de todo o grupo. Nessa etapa estão envolvidos os estudantes, professores e colaboradores que, assim, vivenciam a realidade das comunidades e interagem com os moradores num processo de troca e aprendizagem, cujas marcas acompanharão os participantes pelo resto de suas vidas. O ano de 2008 marcou o centenário de nascimento do escritor João Guimarães Rosa e o projeto fez um mergulho em sua obra, adotando como região de pesquisa o Vale do Urucuia e adjacências, em Minas Gerais. Os jovens estudaram, refletiram sobre os textos de um dos maiores nomes da literatura brasileira de todos os tempos, entendendo-os como identidade e patrimônio de um povo, e conheceram a região e o ambiente natural e humano que formam a base da obra rosiana. A caminhada partiu do Parque Nacional Grande Sertão Veredas, Chapada Gaúcha/MG, e seguiu até o Jardim Botânico, Brasília/ DF (atravessando os municípios de Chapada Gaúcha, Arinos, Morrinhos, Sagarana, Urucuia, Riachinho, Buritis, Taquaril, Vila Cordeiro e Unaí, em Minas Gerais, passando por Cabeceiras/ GO, por São Sebastião e pela Reserva Ambiental Jardim Botânico, no DF), com duração de 15 dias e trajeto de mais de 300 quilômetros, percorrido a pé, e 1.200 quilômetros de ônibus. Ao término de cada encontro é realizada uma Mostra de Resultados no Espaço Cultural Renato Russo da 508 Sul, da Secretaria de Cultura do Governo do Distrito Federal. O evento promove uma exposição fotográfica, além da exibição de outros produtos idealizados e confeccionados pelos alunos. Para a mostra, foram selecionadas 200 fotos dos alunos do segundo e do terceiro ano do Ensino Médio. É interessante observar o resultado desse olhar, estimulado por estudos e pesquisas; é um olhar forte, contundente, às vezes duro, mas nota-se que a ternura não foi perdida. Igualmente, é bom perceber o grau de satisfação dos alunos e uma mudança de comportamento depois do projeto. A vida ganha novos significados, os horizontes se ampliam e a consciência das próprias responsabilidades sociais norteia a postura perante a vida. Impressiona, ainda, a estrutura empregada para a realização da caminhada, na qual mais de 100 pessoas se deslocam a pé por trajetos que exigiram de sete a 16 dias. A logística inclui locais para dormir, para alimentação, banhos, primeiros socorros, entre outros quesitos. O projeto não conta com patrocínio, embora sua organização venha tentando todos os anos, sem sucesso, sensibilizar o setor privado. Hoje, o que existe é uma junção de esforços liderados pelo incansável professor Luis Guilherme, que capitaneia a iniciativa. Graças ao empenho dele, foi possível sensibilizar o Exército, o qual fornece, todos os anos, a estrutura de barracas e um batalhão com caminhão para acompanhar e garantir o banho e o pernoite dos aventureiros. Outros colaboraram, como o Iphan; o Exército Brasileiro, através do Comando Militar do Planalto; a 11a Região Militar e suas unidades; a Polícia Militar Ambiental/PMDF e o Corpo de Bombeiros Militar/ PMDF; além dos secretários de governo do DF, MG e GO e prefeitos envolvidos. São projetos como esse que demonstram que é possível desenvolver ações educativas para além da sala de aula, ajudando a formar melhores cidadãos para conduzir este país. Claro que seria menos difícil se houvesse patrocinadores. Fica em aberto o convite, o nosso apelo, pois esse e muitos outros casos dão exemplo de como a união da sociedade faz a diferença e promove o desenvolvimento de nossos jovens.
  40. 40. Arte na Tela A sofisticada cultura brasileira na Teia-2008 Marta Jabuonski Marcello Casal Jr./ABr Arquivo pessoal tividade. Curiosamente, do que é possível convilembra Célio Turino, ver com as diferenças e, secretário de Programas ao mesmo tempo, na luta Marta e Projetos Culturais do pela igualdade dos direiJabuonski, MinC, o processo de tos, pela inclusão social e, curadora seleção dos Pontos de acima de tudo, para “ser da Galeria Chico Simões de Arte do Cultura ocorreu no Parladiferente no direito de ser Templo da diferente”, nas palavras de Chico Mundi da LBV, em Brasília, em Boa Vontade. Simões, coordenador-geral da 2005: “Recebemos 2.500 projetos e aprovamos 400 e, depois, Teia Brasília 2008. O Ministério da Cultura mais 500; quem sabe o ambiente a capital da República, na Esplanada dos Minis- (MinC), por meio do Programa não ajudou nessa seleção, que térios, um grande evento Cultura Viva, iniciou uma forma aconteceu de maneira bem livre e espontânea? Alguns no fim de 2008 chamou de política na qual o Esparticipantes fizeram a a atenção de todos que por ali tado promove e comparcaminhada na espiral da transitaram. A montagem de uma tilha a gestão de projetos, nave do TBV e voltaram aldeia indígena com dez etnias, o que possibilitou a reapara a reunião de decia representação de quilombolas, lização de programas vasão...”. candomblé, além de teatro, hip- riados, a exemplo da Teia, Juca Ferreira Para o ministro da -hop, MPB, palestras, dos Pontos de Cultura enfim, manifestações e do próprio Cultura Viva. Este Cultura, Juca Ferreira, “esse que evidenciam a di- último conjuga arte e cidadania programa é a prova maior de versidade cultural do e utiliza-se da prática do diálogo que o desenvolvimento real só se entre o Estado e a sociedade para dá quando a cultura e o humano Brasil. O grande arquite- o desenvolvimento de projetos estão na base”. Oscar Niemeyer to Oscar Niemeyer, como Ação Griô, Escola Viva, Por sua vez, o ministro da construtor de Brasí- Agentes Culturais, Cultura Di- Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, afirlia, por certo ficaria satisfeito gital. As ações propostas criam ma: “Se o Brasil já tivesse acorse visitasse o local nesses dias, soluções adaptadas à rea­ dado para construir porque viveria na prática lidade de cada segmen- o que fazemos hoje, uma ideia toda sua, ou to envolvido. Trata-se já teríamos um País seja, entregar ao povo da cultura dinâmica, de com menos violência, as praças e os espaços pessoas acreditando no mais respeito mútuo, públicos. potencial transformador compreensão e solidaViu-se um Brasil dePaulo Vannuchi Célio Turino do Ser Humano e da cole- riedade”. monstrando para o mun42 | BOA VONTADE Elza Fiúza/ABr Antonio Cruz/ABr Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr Arquivo BV N
  41. 41. Acontece LBV amplia trabalho socioeducacional em Santa Catarina Clayton Ferreira Derli Francisco D urante o lançamento do projeto de ampliação do Centro Comunitário e Educacional da Legião da Boa Vontade em Florianópolis, no dia 2 de março, o senador Raimundo Colombo e o deputado estadual Darci de Matos, que prestigiaram o evento, foram saudados com belas canções pelos meninos e meninas que participam do programa LBV — Criança: Futuro no Presente! Depois de conhecer o local, Colombo destacou o que mais lhe chamou a atenção em tudo o que viu: “O carinho. Aqui tem algo a mais, porque, na atividade pública, a gente tem essa função, mas Acima, o senador Raimundo Colombo (D) e o deputado Darci de Matos e algumas das crianças da LBV em Florianópolis/SC. Ao lado, a maquete que mostra como ficará o Centro Comunitário e Educacional na cidade depois da reforma. aqui é o voluntariado; há uma doação, um espírito de missão, uma entrega a essa causa, e essa é a diferença. Por isso, esse carinho, essa esperança, o sorriso, a convivência são essenciais. Isso diz tudo e é muito diferente. Você não está somente proporcionando complemento alimentar nem apenas preenchendo o tempo livre das crianças com atividades, mas no fundamento dos princípios, dos valores humanos, da Solidariedade é que se constrói o verdadeiro cidadão”. O senador completou 54 anos em 28 de fevereiro e foi surpreendido pela garotada com o tradicional Parabéns pra você e um bolo em comemoração à data. “Queria dar os parabéns a todas as pessoas que trabalham nesta Casa, que trazem o seu exemplo na demonstração profunda de sentido à vida. É assim que eu me sinto. Quero entregar o bolo como se estivesse fazendo isso com os meus pais no dia do meu aniversário. Do fundo do coração, vocês me deixam profundamente emocionado e fazem com que eu encontre, reforce e renove o sentido especial da vida pública, que é o de servir às pessoas. Muito obrigado!”, disse. Darci de Matos também se manifestou satisfeito com o que presenciou. “Estou emocionado. É um prazer estar aqui com vocês, o senador Raimundo Colombo, as crianças e os educadores. A LBV é uma opção para garantir a formação de um bom cidadão. Eu sou um admirador do trabalho da LBV”, enfatizou. O projeto de ampliação (desenhado por Renata Mazakina Siano, Diego Basso e Silvio de Faria) possibilitará melhorias na estrutura física da unidade com a construção de um ginásio poliesportivo e de salas para a realização de ações em prol de centenas de atendidos. Também está prevista reforma nos centros socioeducacionais da LBV em Joinville e Blumenau, além da abertura de uma unidade de atendimento em Lages, no Planalto Serrano. BOA VONTADE | 43
  42. 42. Instituto Cultural Entrevista com Ricardo Cravo Albin Pela preservação da cultura brasileira As ações do Instituto Cultural Cravo Albin em defesa de um dos patrimônios mais valiosos de nosso país Simone Barreto A Fotos: Vivian Ribeiro música popular brasileira tem um grande aliado em sua defesa: o historiador, produtor e crítico musical Ricardo Cravo Albin. Entusiasta da produção cultural de nossa terra, tem se esmerado no trabalho de reunir e democratizar o que de melhor é desenvolvido por aqui. Para cumprir esse intento, o jornalista fundou o Instituto Cultural Cravo Albin (ICCA), do qual é presidente: “Preservei uma área de propriedade da família, em tombamento cultural e ecológico (o Instituto encontra-se na Urca, em plena Mata Atlântica). Já havia o Dicionário musical Cravo Albin na internet e a fundação do Instituto veio complementar o projeto, para prover a preservação da música popular brasileira (MPB), sua dignidade, sua história e seu resguardo”. Além desse trabalho, Albin concilia a agenda exercendo as funções de jornalista, radialista e escritor; há 37 anos também presta serviços ao Ministério da Educação. Para ele, realizar tais tarefas só é possível “graças à proteção de Deus”. E completa: “Às vezes, acho que me excedo um pouco no trabalho, tento 44 | BOA VONTADE

×