Revista Boa Vontade, edição 213

  • 270 views
Uploaded on

A Revista Boa Vontade tem por objetivo levar informações por meio de matérias que abordam temas voltados à cultura, educação, política, saúde, meio ambiente, tecnologia, sempre aliados à …

A Revista Boa Vontade tem por objetivo levar informações por meio de matérias que abordam temas voltados à cultura, educação, política, saúde, meio ambiente, tecnologia, sempre aliados à Espiritualidade como ferramenta de esclarecimento, auxílio, entendimento e compreensão.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
270
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
4
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Passadas cinco décadas deses da Boa os r comAoa própriaahistória da Legião da Obr ção especial o Brasil e Exteri Leitor hoje atinge todoprópria eevolução do Espiritualidade lução daSéculo detodo Obra na força líder, que hoje atinge Meio do-se porpiritualidade E ibui levar Solidariedad lução da Obra na força CONQ Daniel Trevisan Líder, que hoje atinge tod do-se porpiritualidade E ibu levar Solidarieda João Preda HOMENAGENS DOS ESTADOS UNIDOS: O senhor John De Prima, da Prefeitura de Nova York, entrega a Paiva Netto os prêmios “Citation”, “Hall of Fame” e “Proclamation” (segurado pela Assessora Internacional da LBV, Raquel Bertolin), em reconhecimento pelos seus 50 anos de trabalho em favor da Humanidade. EMOÇÃO: O líder da LBV cumprimenta, carinhosamente, vovó atendida no Lar da Legião da Boa Vontade de Uberlândia/MG.  | BOA VONTADE O s 50 anos estampados em nossa capa assinalam uma dupla comemoração: o Jubileu de Ouro do jornalista Paiva Netto nas lides da LBV e as cinco décadas da revista BOA VONTADE. A edição número um, comandada à época pelo também jornalista Alziro Zarur (1914-1979), foi preparada na primeira Sede da Legião da Boa Vontade, uma pequena sala na Rua do Acre, 47, 9o andar, no Centro do Rio de Janeiro, e, àquela altura (década de 1950), rodada na gráfica da Editora Bloch. O exemplar inaugural trouxe pioneiramente a estampa do Cristo Ecumênico ilustrando a capa e apresentava aos leitores a inovadora linha editorial do periódico que nascia, em julho de 1956, realçando os valores fraternos de respeito e unificação das religiões, das diferentes culturas e dos povos. Passado meio século desses marcos miliários, aproveitamos o ensejo da data, que se incorpora na própria história da LBV, para ressaltar nesta BOA VONTADE Especial o extraordinário crescimento da Instituição sob o comando empreendedor de seu líder, notabilizando-se por levar Solidariedade, Educação, Cultura, Meio Ambiente, Saúde, Responsabilidade Social, Paz e Espiritualidade Ecumênica. luçã Líder, do-se po lução d
  • 2. roveitamos o ensej ta, que a Vontade, para apresentarseuse confund ra na por levar Solidariedade, Ânimo, Pa força realizadora de nesta publica Líder, que o-se erealizadora de seu E ibuições impor o o Brasil Exteri de, Ânimo,ePaz e Esições impor de seu a realizadora UISTAS do Brasil Exteri ade,oÂnimo, ePaz e Esuições impor Na gestão de Paiva Netto, entre as suas incontáveis realizações, destacamos o surgimento dos beneméritos meios de comunicação: Super Rede Boa Vontade de Rádio, Portal Boa Vontade (www. boavontade.com), Boa Vontade TV, Rede Mundial de Televisão, revistas BOA VONTADE e JESUS ESTÁ CHEGANDO!, Gravadora Som Puro e Editora Elevação. Durante décadas, o leitor da BV acompanha temas de interesse geral. Entrevistas, reportagens, notícias e artigos relevantes numa permanente busca pelo crescimento pessoal, ético e espiritual do público. Ilustres leitores manifestam-se neste espaço, a exemplo do Presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Maurício Azêdo, que por diversas vezes expôs seu apoio a esta forma de informar: “Senhor Diretor, ao agradecer o exemplar no 209/janeiro de 2006 da revista BOA VONTADE, quero felicitá-lo e aos colaboradores da publicação pela excelência do trabalho realizado e especialmente pela magnífica entrevista com o jornalista Sidney Rezende, conduzida com competência e senso de oportunidade”. ção a edi ir Prime Edição Tão grato como ler a análise de um consagrado colega de profissão, como Azêdo, é ver personalidades cultas e politizadas quanto a cantora Leci Brandão, ao comentar a fidelidade do material produzido a seu respeito: “Recebi a revista BOA VONTADE e simplesmente adorei, porque está fiel ao que falei. Vocês não mudaram absolutamente nada. Fizeram o trabalho com a maior dignidade. Isso me emocionou. A revista está muito bonita”. Ou como afirma um dos ícones da imprensa brasileira Moacir Japiassu com seu inseparável secretário, Janistraquis: “Obrigado pelo texto a respeito do meu livro (Quando alegre partiste). É uma 213 honra merecer registro na revista BOA VONTADE, tão bem-feita, tão bonita, e, ainda por cima, com a Juliana Paes na capa! É algo pra matar o velho...”, comenta o escritor e autor da coluna Jornal da ImprenÇa, do portal Comunique-se. Para comemorar tão profícuas décadas, esta edição especial traz boas novidades: com número maior de páginas, passou por reformulação visual, de acordo com as principais tendências do mercado, chegando ao público com novo e moderno layout. Ratifica, assim, o seu compromisso de bem informar sempre! ão dahoje atinge todo o Brasil e que Obra na força realizadoraP orpiritualidade E ibuições impor levar Solidariedade, Ânimo, Francisco de Assis Periotto, Editor-responsável. da Obra na força realizadora BOA VONTADE | 
  • 3. Sumário Ao Leitor .............................................4 Cartas, e-mails e mensagens ...............8 Notícias de Brasília ...........................15 In memoriam .....................................16 Coluna de Esportes .............................17 Cultura ..............................................18 Atualidades .......................................21 Acontece .......................................... 22 ONU — Brasil ...................................25 Nações Unidas — Internacional ..........26 Responsabilidade Social ....................28 Internacional ..................................... 31 Especial — Paiva Netto ....................32 Literatura ..........................................73 Ecumenismo ......................................74 Entretenimento .................................75 Samba e História ...............................76 Comunicação ....................................78 Meio Ambiente .................................82 Arte na Tela ....................................84 Esperanto ..........................................88 Ação Jovem LBV ................................90 Soldadinhos de Deus ..........................92 Saúde ...............................................94 Melhor Idade .....................................97 17 Esportes (Coluna de José Carlos Araújo) 18 Cultura (Entrevista com Moacyr Scliar) 21 Atualidades (Em visita, Presidente do CNAS encanta-se com a LBV.) O maior discurso de um Ser Humano são as suas obras. Paiva Netto 25 ONU - Brasil (UNIC Rio firma nova parceria com a LBV) 26 Nações Unidas Internacional (Legião da Boa Vontade na ONU em Genebra)
  • 4. BOA VONTADE ANO L • Nº 213 • Junho/Julho de 2006 BOA VONTADE é uma publicação mensal das IBVs, editada pela Editora Elevação. Registrada sob o nº 18166, em 16/03/2006, no livro “B” do 9º Cartório de Registro de Títulos e Documentos de São Paulo. Diretor e Editor-responsável Francisco de Assis Periotto MTE/DRTE/RJ 19.916 JP Coordenador de equipe Gerdeilson Botelho Equipe Elevação Adriane Schirmer, Ana Paula de Oliveira, Angélica Beck, Daniel Trevisan, Danielly Arruda, Débora Verdan, Felipe Tonin, Isabela Ribeiro, João Miguel Neto, Joilson Nogueira, Leila Marco, Maria Aparecida da Silva, Natália Lombardi, Neuza Alves, Nino Santos, Paulo Azor, Rita Silvestre, Rodrigo Oliveira, Rosana Serri, Simone Barreto, Sônia Sabatine, Stella Souza, Walter Periotto, Wanderly Albieri Baptista e William Luz. Projeto Gráfico Alziro Braga e Helen Winkler Capa Alziro Braga Produção Endereço para correspondência: Av. Rudge, 938 — Bom Retiro CEP 01134-000 — São Paulo/SP Tel.: (11) 3358-6868 — Caixa Postal 13.833-9 — CEP 01216-970 Internet: www.boavontade.com E-mail: info@boavontade.com Impressão: Editora Parma Reflexão de BOA VONTADE: Disse Jesus: “Novo Mandamento vos dou: Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos, se tiverdes o mesmo Amor uns pelos outros. (...) Não há maior Amor do que este: dar a sua própria Vida pelos seus amigos. (...) Porquanto, da mesma forma como o Pai me ama, Eu também vos tenho amado. Permanecei no meu Amor”. (Evangelho do Cristo, segundo João, 13:34 e 35; 15:12, 13 e 9) A revista BOA VONTADE não se responsabiliza por conceitos emitidos em seus artigos assinados. 28 Responsabilidade Social (OAB/SP orienta o Terceiro Setor) 32 Especial (Paiva Netto: meio século de Boa Vontade) 78 Comunicação (Reabertura da ABI/SP) 82 Meio Ambiente (Artigo do Dr. Marco Antonio Palermo) 94 Saúde (Defenda-se da asma e rinite alérgica)
  • 5. @ Cartas, e-mails e mensagens (...) No momento em que o eminente consócio festeja seu Jubileu de Ouro na Legião da Boa Vontade, a Associação Brasileira de Imprensa lhe dirige efusivos cumprimentos por data tão marcante em sua fecunda trajetória de jornalista, radialista, escritor, poeta, compositor e destacado membro da ABI, que se orgulha de tê-lo em seu quadro social desde 28 de setembro de 1982 –– há quase um quarto de século, pois. A ABI tem acompanhado o seu profícuo trabalho à frente da Legião da Boa Vontade, marcado pelo êxito na ampliação e aperfeiçoamento dos serviços em prol das comunidades populares, às quais a LBV, sob sua direção e por sua inspiração, tem levado assistência material e espiritual. Entre os destinatários e beneficiários dessas atenções encontram-se associados e funcionários da própria ABI, que têm merecido da LBV o carinho, o conforto e o apoio essencial ao aumento da sua auto-estima. Por tudo isso, quero apresentar-lhe, caro Dr. José de Paiva Netto, os votos da Associação Brasileira de Imprensa de que o eminente amigo continue por muitos anos à frente da benemérita Instituição a que serve há 50 anos com generosidade e desprendimento. (Maurício Azêdo, Presidente da Associação Brasileira de Imprensa)  | BOA VONTADE Caríssimo Paiva Netto, por ocasião do seu Jubileu de Ouro na LBV, aceite o caloroso e fraterno abraço de parabéns que lhe envio em nome de muitos amigos na comunidade judaica do Brasil. Que Deus o abençoe com energia criativa e sucesso cada vez maior em seu trabalho. Cordialmente. (Rabino Henry I. Sobel, Presidente do Rabinato da Congregação Israelita Paulista) A noite no Theatro São Pedro foi das mais belas e emotivas que Arquivo pessoal Clayton Ferreira Por ocasião do Congresso do Jubileu de Ouro de Paiva Netto na Legião da Boa Vontade, apresento meus parabéns e os melhores votos, agradecendo todo o Bem realizado em favor da Paz e do entendimento na sociedade e formulando augúrios para o pleno êxito do evento. Cordial e atenciosamente. (Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, Arcebispo Emérito de São Paulo) Daniel Trevisan Simone Barreto Cordiais saudações ao cinqüentenário presenciei. Minha impressão foi a mesma de todos os amigos e admiradores que até lá foram para homenagear Paiva Netto. Todavia, gostaria de dizer algo que me fascinou, como se fora uma novidade. Vi poucos fenômenos de comunicação em minha vida: Silvio Santos, Leonel Brizola, Chacrinha... São poucos os que silenciam as massas, magnetizando-as com suas palavras, com a força de suas personalidades e o arrebatamento de suas idéias. Paiva Netto é um deles. Que Deus preserve essa autêntica força da Natureza, guardando-a para os milhões de brasileiros que se acostumaram com a palavra serena e firme dele, com seus livros campeões de vendas, com suas sinfonias tocantes. O abraço do amigo e admirador. (Ruy Nogueira, publicitário) Digníssimo Senhor Presidente da LBV, Paiva Netto. Prezado Irmão, estou imensamente feliz de participar das comemorações do seu Jubileu de Ouro na LBV. (...) Agradeço ao Bom Deus pelo seu testemunho de Amor e de sabedoria na missão evangélica de criar uma Humanidade mais fraterna. Oro para que o senhor possa continuar ainda por muitos anos em nosso meio, criando uma
  • 6. Arquivo pessoal Gilberto Amaral A s diversas homenagens prestadas pela sociedade gaúcha e brasileira ao líder da Instituição foram pauta nas redações de diversos periódicos, em especial, em colunas de renomados jornalistas. O colunista Gilberto Amaral deu amplo destaque ao acontecimento em sua coluna de 20 de junho. “Paiva Netto é hoje uma lenda viva, confundindo-se com a própria história da LBV”, destaca o jornalista do Jornal do Brasil. Com o título: “LBV em festa”, Gilberto Amaral apresenta os motivos para se comemorar o Jubileu de Ouro Elisa Rodrigues Moacir Japiassu Simpática charge, de autoria de Bruno Marun, que ilustrou a nota do Jornal do Brasil: o Povo carregando a LBV. Fernando Franco Cida Linares Colunistas brasileiros aplaudem Jubileu de Ouro Paulo Gasparotto Marlene Galeazzi Arquivo BV Arquivo BV abraçá-lo com sincera devoção e, por meio do senhor, abraçar todas as pessoas amigas da LBV. (Padre Mario Celli, de Roma, na Itália) comunhão sempre mais ampla entre todas as pessoas de Boa Vontade. Permita-me, caríssimo Irmão, de dedicação de um homem à Seara de Boa Vontade. O autor do texto ainda ressaltou todo o crescimento da Instituição. O jornalista Moacir Japiassu reservou espaço em sua coluna do dia 13 de julho, do Jornal da ImprenÇa (publicada no Portal www.comunique-se.com.br), para também fazer a homenagem. Na nota, convidou os leitores a prestigiarem a festa do Jubileu de Ouro no Ginásio da Portuguesa e acrescentou: “São 50 anos trabalhando em uma entidade dedicada aos milhões e milhões de brasileiros realmente necessitados. Daqui do meio do mato, Janistraquis e eu enviamos nosso abraço a este homem decente, cujo desempenho jamais se valeu dos favores oficiais”. (grifo nosso) Outros jornalistas que também noticiaram o fato foram Paulo Gasparotto, do Jornal O Sul e Marlene Galeazzi, do Jornal de Brasília. Parabenizamos o caro amigo pelos seus 50 anos na LBV. Que Deus abençoe a todos pelo grande trabalho realizado! (Dulce Lopes Fontes, das Obras Sociais Irmã Dulce) Nem tudo está perdido: o Ecumenismo existe no Brasil graças, sobretudo, ao Paiva Netto! E eu comungo com ambos. Como testemunha ocular de todo o trabalho social feito por Paiva Netto no BOA VONTADE | 
  • 7. @ Jorge Alexandre Rio e em Brasília, me sinto honrada em conhecer uma pessoa tão do bem e de bem. Paiva, você é demais! As melhores vibrações de Paz, Saúde, Amor e Bom Humor, da sua fã. (Leiloca, cantora e astróloga) No ano 2000, ao colaborar com a equipe do ParlaMundi da Legião da Boa Vontade, em Brasília/DF, na reunião do I Fórum Mundial Permanente Espírito e Ciência, da LBV, (...) lembro-me de ter passado por uma experiência espiritual muito forte. (...) Ao repousar, aproximou-se de mim um Ser muito luminoso que pediu que eu o acompanhasse. (...) Comecei a segui-lo e logo percebi que estávamos flutuando no espaço em direção das estrelas. (...) Quando já transcorrido algum tempo, comecei a ver ao longe algo que parecia ser uma estrela muito luminosa. Aos poucos fomos nos aproximando e percebi que a estrela era, na verdade, uma grande construção situada no meio do espaço sideral. Ao chegarmos, foi como se tivesse tomado consciência plena de que estava diante do Templo da LBV no Plano Espiritual. Era como se ali fosse a sede maior da LBV, onde muitas coisas eram decididas. A imensa construção elevava-se aos céus em forma de uma grande igreja, uma imensa Igreja Celestial, era como se fosse o Templo da Boa Vontade em Brasília, mas muito maior. (...) Eu tinha plena consciência de que ali existiam muitas Almas de elevada Espiritualidade, que na Terra haviam servido à LBV e agora prosseguiam seu trabalho na sede maior. Neste estado de consciência plena, eu sabia que fui conduzido até ali para contemplar aquele lugar especial e compreender a importância do trabalho da LBV. (...) Creio Racismo: vergonha! O racismo continua sendo uma mácula da qual o Povo brasileiro tem de se livrar se realmente deseja um país melhor. As incabíveis cenas de preconceito criminoso ainda persistem nas relações cotidianas, envergonhando-nos como sociedade. Dentre tristes episódios, somouse, recentemente, a discriminação sofrida pela sra. Terezinha Marcelino, de 77 anos, querida mãe do cantor Toni Garrido. Ela fazia compras, na Cobal do Humaitá, zona sul do Rio de Janeiro, e, ao selecionar cerejas na banca de frutas, foi abordada no 10 | BOA VONTADE local aos gritos de “negra ladra!” — total absurdo! Fazendo valer seu direito constitucional de ser tratada com igualdade, Dona Terezinha foi ao 10o DP, em Botafogo, e registrou queixa contra o ato de racismo, um crime inafiançável, imprescritível e sujeito à pena de reclusão. A valentia desta senhora contrasta com o panorama cruel do silêncio imposto a milhões de pessoas, geneticamente idênticas a todos os habitantes deste Planeta, que não têm voz para fazer valer sua dignidade. Arquivo BV Cartas, e-mails e mensagens que a Legião da Boa Vontade dirigida por Paiva Netto aqui na Terra se transformou em uma Instituição que transcende as barreiras deste Planeta e tem uma importância a toda Humanidade. A mensagem que ele vem pregando por meio da Religião de Deus, muito mais do que mera dialética religiosa, é a pura Ciência Divina que permite à Humanidade a cura de todos os seus males físicos e espirituais.  A mensagem do Ecumenismo Irrestrito é a chave que permitirá às demais religiões da Terra, um dia, estarem unidas em um único propósito. E nisto, Paiva Netto e a LBV foram precursores. De seu amigo na Luz. (Alcione Luiz Giacomitti, escritor) ____________ Angélica Beck Propício refletir, mais uma vez, sobre a constatação certíssima do escritor Paiva Netto em seu artigo “Apartheids lá e Apartheids cá”, publicado na Folha de S. Paulo, de 30 de março de 1986: “Na Monarquia, os negros eram escravos. Na República, continuam maltratados”. Ao tratar a questão, o escritor assevera ainda que o caminho para tal impasse faz-se possível pela educação: “Enquanto não prevalecer o ensino eficaz por todos os de bom senso almejado, qualquer nação padecerá cativa das limitações que a si mesma se impõe”.
  • 8. Zuzu Cida Linares A Legião da Boa Vontade, que valoriza a cultura nacional, marcou presença na avant-première do filme, ocorrida na capital fluminense, em 11 de julho. Hildegard Angel, filha de Zuzu, revelou suas impressões da obra: “É muito bem-feito, preciso e verdadeiro. Ele contou a história com grande delicadeza, poe­sia e talento, mas conseguiu fazer quase um documentário. Foi muito bonito. Agradeço à LBV por sempre estar presente nesses momentos tão pontuais na vida brasileira!”, finalizou. “Para amar a LBV, basta conhecê-la!” O jornalista Carlos Alberto Guimarães, do Jornal do Brasil, acompanhado da arquiteta Rogéria Rocha, esteve no dia 14 de julho nas instalações da unidade educacional da Legião da Boa Vontade no Rio. “Essa Obra que a LBV faz há 56 anos é algo indescritível. É difícil, mesmo para a gente, jornalista, acostumado a lidar com as palavras, descrever em tão poucas palavras. Eu me sinto muito orgulhoso de ver isso tudo aqui na LBV. (...) Parabéns por esses anos todos, por essas cinco décadas de trabalho digno, limpo, sempre pra frente. (...) Parabéns, Irmão Paiva, pelos 50 anos na Legião da Boa Vontade”, pontuou. Ao término, ratificou sua antiga frase: “Para amar a LBV, basta conhecê-la”. posso também coloco nos meus editoriais, nas minhas matérias, os trabalhos desenvolvidos pela Legião da Boa Vontade. Quero aproveitar esse momento para mandar um beijo muito carinhoso para Paiva Netto (...). Que continue firme e conte comigo. Conheci a Legião da Boa Vontade nos seus mais diferentes segmentos e momentos. É uma coisa tão bem-organizada, tão bem-concatenada que eu cunhei esta frase que ficou marcada e repito até hoje: ‘A LBV é o Brasil que deu certo!’. Paiva Netto firme. (...) Nós estamos com você!”, concluiu. Jorge Alexandre Chega às telas do País o filme Zuzu Angel, personagem encenado por Patrícia Pillar. A cinebiografia, lançada como grande aposta do cinema nacional para 2006, tem a direção de Sérgio Rezende e narra a história da mineira Zuleika Angel Jones (1921-1976), estilista responsável por projetar a moda brasileira no Exterior. O roteiro gira em torno do drama sofrido por ela para encontrar seu filho Stuart (interpretado por Daniel de Oliveira), que desapareceu, depois de ser preso pelo governo militar, em 1971. A luta de Zuzu para descobrir o destino do jovem levou-a, inclusive, a recorrer a personalidades internacionais. Ela morreu num misterioso acidente de carro em um túnel no Rio de Janeiro, que depois foi batizado com o seu nome. Quem também aparece na história do filme é Sônia Angel, mulher de Stuart, papel interpretado por Leandra Leal; Elke Maravilha, na atuação de Luana Piovani; e Heleno Fragoso, por Alexandre Borges. Arquivo pessoal Divulgação Angel O jornalista e apresentador de TV Amaury Jr. também acompanhou a festa e, em entrevista, saudou a Instituição e seu dirigente pelo cinqüentenário de trabalho. “Sou um admirador do Paiva Netto e do trabalho da LBV e sempre que BOA VONTADE | 11
  • 9. @ Tenho grande prazer de falar para a Legião da Boa Vontade sobre o cinqüentenário de trabalho de Paiva Netto neste grande movimento de fé na vida brasileira. Quero dizer que ele é um homem que redimensionou as atividades da LBV, colocando-a a serviço das melhores idéias da Pátria brasileira. Nesse cinqüentenário tão glorioso é importante acentuar que Paiva Netto, como patriota, deu ao Brasil uma grande contribuição do ponto de vista social e humano. É uma data que deve ser comemorada como uma data nacional. Já estive naquele belo Templo da Boa Vontade, uma referência fundamental na capital do país. Ninguém pode ir a Brasília para conhecer a cidade sem ir ao Templo da LBV. Por todas essas razões, tenho alegria de cumprimentar o grande brasileiro Paiva Netto. (José Aparecido de Oliveira, que foi Governador de 12 | BOA VONTADE Paiva Netto sempre nos deu grandes exemplos. Eu visitei o Templo da Boa Vontade, acompanho o trabalho da LBV e já fui a várias creches. É um batalhador e um homem de muita coragem. (...) Temos de apoiar e colaborar com o trabalho de Paiva Netto e da LBV. Pode ter certeza de que estará ajudando uma entidade que sabe distribuir e que sabe levar o que as pessoas precisam onde elas estiverem. (Luciano do Valle, apresentador do Apito Final, da Rede Bandeirantes) João Periotto Paiva Netto está sempre no nosso coração. Parabéns! São 50 anos de trabalho! (...) Parabéns por tudo, pela pessoa maravilhosa que é, por dentro e por fora, e por essa Paz que transmite. (Lucimara Parisi, produtora do Domingão do Faustão, da Rede Globo) Paiva Netto, é um prazer muito grande enviar essa mensagem de Paz, Amor, Carinho e de Fraternidade, acima de tudo. Parabéns, Paiva, pelos 50 anos de LBV! Fico muito feliz de fazer parte dessa família. Que você continue, Cida Linares muitos e muitos anos pela frente. (Daniel, cantor) Quero cumprimentar e dar meus parabéns ao jornalista José de Paiva Netto por esse meio século dedicado à LBV. Ele conseguiu o que poucos conseguiram no Brasil: realizar uma obra gigantesca, voltada para a educação, para a cultura e para a Espiritualidade, da qual participam também, como eu, homens de ciência, ligados à fé — um trabalho tão notável que engrandece não só o José de Paiva Netto e a LBV, mas engrandece o nosso próprio País. Eu gostaria de cumprimentar o jornalista José de Paiva Netto também pela criação do Centro EducacioSimone Barreto Brasília, Ministro da Cultura e Embaixador em Portugal) Fernando Franco Chico Audi Cartas, e-mails e mensagens nal, Cultural e Comunitário no Rio de Janeiro. Quando o visito, saio muito esperançoso de que o Brasil conseguirá ser um grande país, se centros como esse se multiplicarem. (Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, Astrônomo)
  • 10. Com a maior felicidade da minha vida saúdo Paiva Netto. Ele completa um cinqüentenário na Legião da Boa Vontade: não há nada neste País que possa se igualar à LBV. Este cinqüentenário é uma lápide em que nós podemos escrever com honra e com devoção para com o grande amigo Paiva Netto. Por quê? Porque é simples. A Legião da Boa Vontade mantém uma Fernando Franco Reprodução RMTV Dirijo-me a Paiva Netto para congratular-me pelos seus 50 anos de trabalho dedicado às pessoas que necessitam do apoio espiritual. Parabéns, e que Deus continue abençoando Vossa Excelência e distinta família. Um fraterno abraço do amigo Kümmel. (Coronel-Aviador da Aeronáutica Weber Luiz Kümmel) Elisa Rodrigues missão que talvez no Brasil é a única que se tem, porque ela atende a uma necessidade social. Eu me sinto muito honrado por neste dia falar ao grande Diretor-Presidente da Legião da Boa Vontade. Paiva Netto imprimiu, divulgou e implantou em todo o território nacional esta Obra maravilhosa que é a LBV. Esta Instituição merece estar no mundo inteiro, como exemplo de grandeza social e moral. (...) Por tudo isso, só posso dizer obrigado, Paiva Netto! Que tenha saúde e continue imprimindo esta vontade de realizar, de compreender e educar. (Paulo Parisi, jornalista) Cida Linares Falar do Paiva Netto e da Legião da Boa Vontade para nós é agradável e honroso. A LBV tem muitos anos de trabalho em favor da comunidade, o que é extraordinário em termos brasileiros e universais. Paiva Netto tem constância na boa trilha, não se deixou atrair por novidades ou questões passadas. (...) O indivíduo que sabe que tem méritos, mas que abre mão deles em prol do seu semelhante, é uma figura respeitável, diria até santificada. Porque santo é isso, um indivíduo que não se empolga por si e se dedica a outrem. (...) A Legião da Boa Vontade traduz realmente uma potência de forças espirituais. (...) Que o trabalho se multiplique sempre, pois é altamente moral, o que justamente a Instituição prega, sem precisar fazer discursos porque os seus constituintes praticam e, portanto, são a exibição própria daquilo que deve ser um bom caminho. (Fernando Segismundo, jornalista, Presidente do Conselho da ABI – Associação Brasileira de Imprensa) Quero me congratular com o senhor Paiva Netto, conforme já fiz diversas vezes, pela perseverança nesse trabalho que está realizando. Ele completou no dia 29 de junho cinqüenta anos de trabalho. E continua exatamente na mesma linha, no mesmo entusiasmo, estimulando cada vez mais as pessoas em toda a parte. (Léo Persch, Sacerdote da Igreja Católica e escritor) Minha saudação especial ao Irmão Paiva Netto, uma criatura BOA VONTADE | 13
  • 11. @ Daniel Trevisan fantástica, que tem um conhecimento e uma Espiritualidade necessários ao Povo brasileiro. Esperamos que ele possa ter como presente a ampliação da sua mensagem em todos os cantos do Brasil e do mundo. Em nome da comunidade ufológica brasileira, quero agradecer todo apoio que o Paiva Netto tem nos dado. (Rafael Cury, ufólogo) Queremos dar os parabéns a Paiva Netto por esses 50 anos. Que se sucedam mais 50, 50 e 50 anos nas ações da Espiritualidade, pois, com os grandes mentores espirituais, ele trará para nós esse exemplo e será referência para as crianças (...). Paiva Netto, viva a sua força espiritual. (...) Parabéns pelos 50 anos e fica aqui o abraço dos umbandistas do Brasil. (Juberli Varela, Presidente da Federação Espiritualista Reino dos Orixás de São Paulo – Coordenador do Superior Órgão de Umbanda do Brasil) Daniel Trevisan Reprodução RMTV Cartas, e-mails e mensagens 14 | BOA VONTADE Precisamos de pelo menos mais 50 anos das ações praticadas por Paiva Netto para que tenhamos um mínimo de justiça social neste País. Com grande carinho. (Dr. Márcio Pollet, advogado)
  • 12. Arquivo BV Notícias de Brasília Paiva Netto é homenageado na Sala das Sessões do TCU em discurso histórico proferido pelo Ministro Valmir Campelo P or ocasião dos festejos do cinqüentenário de trabalho de Paiva Netto na Legião da Boa Vontade, o Ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), e ex-Presidente da Casa, Valmir Campelo, pronunciou-se na Sala das Sessões para ilustres membros do TCU, em 28 de junho, enaltecendo as realizações de trabalho do líder da LBV. Abaixo, a transcrição de seu pronunciamento: desenvolvimento da Solidariedade e Fraternidade entre os indivíduos, auxiliando-os com palavras de fé e com boas ações. “E nesse benéfico mister, a figura ímpar de Paiva Netto ergue-se com um vigor incomparável, falando de Cristo e agindo como um bom Cristão, na busca incessante de uma nova sociedade de paz, harmonia e amor, trazendo o Reino de Deus para perto das pessoas. “Homenagem pelas comemorações do Jubileu de Ouro de Paiva Netto na Legião da Boa Vontade “Senhor Presidente, “Senhores Ministros, “Senhor Procurador-Geral, “Amanhã, 29 de junho de 2006, comemora-se o Jubileu de Ouro de Paiva Netto na Legião da Boa Vontade. “Nesta oportunidade, não poderia deixar de ressaltar o respeito e a admiração que esse grande brasileiro desperta em todos que conhecem a sua magnífica e edificante Obra. “No seu trabalho na LBV, há 50 anos, vem construindo uma sólida e frutífera estrada, visando essencialmente ao aprimoramento do Homem, fazendo da Boa Vontade a grande lição de cidadania para o Brasil e para o mundo. “Com atuação embasada na misericórdia e na ajuda ao próximo, a LBV cada vez mais ganha corpo como instituição essencial ao “No seu trabalho na LBV, há 50 anos, vem construindo uma sólida e frutífera estrada, visando essencialmente ao aprimoramento do Homem, fazendo da Boa Vontade a grande lição de cidadania para o Brasil e para o mundo.” “Na LBV há cinco décadas, suas ações de promoção humana e social, desenvolvidas nos vários cantos do País, o colocam entre aqueles com grandes e decisivas contribuições ao desenvolvimento social do nosso Povo, com um trabalho magistral nas suas escolas, na atenção aos idosos, na preocupação com as crianças, enfim, na construção de um mundo melhor. “Sinto-me honrado pela oportunidade de dar este breve depoimento sobre um homem à frente de uma Instituição cuja luta tem como resultado uma obra magnífica do Espírito, da Alma e da sensatez humana. “Estou certo de que ele prosseguirá nessa boa luta, divulgando idéias, estimulando a cidadania, organizando mutirões pela vida e sendo referência na formação das pessoas, num trabalho realmente iluminado e de Inspiração Divina, reconhecido nacional e internacionalmente. “É o registro que faço, em homenagem a Paiva Netto — o grande Apóstolo destes tempos —, por tudo quanto ele fez e continuará fazendo de bom aos brasileiros e à Humanidade, levando palavras de luz, amor e esperança a todos, especialmente quando nos prega a fé nos momentos de descrença, quando acende as chamas da coragem nos nossos instantes de desânimo e quando nos devolve a Paz de Espírito nas horas de desespero. “Portanto, ao prezado Paiva Netto, os nossos parabéns pela grandeza do seu trabalho, e que a sua palavra amiga e sábia continue presente nos nossos lares. “Por fim, proponho que cópia integral desta Comunicação seja encaminhada ao homenageado e à LBV. “TCU, Sala das Sessões Ministro Luciano Brandão Alves de Souza, em 28 de junho de 2006. “Valmir Campelo “Ministro”. BOA VONTADE | 15
  • 13. In memoriam saudades Lembranças e U m dos mais experientes profissionais da história do jornalismo esportivo do País, o radialista Fiori Giglioti, faleceu no dia 8 de junho, aos 77 anos, em São Paulo/SP. Ao longo de sua sólida carreira, fez escola, ao formar locutores e repórteres, além de cobrir dez Copas do Mundo e acompanhar outras três como comentarista. Entusiasta das causas sociais, o jornalista sempre se identificou com as ações da Legião da Boa Vontade. Durante a festa de entrega do Troféu Bola de Ouro, na década de 1990, expressou sua alegria ao saber que o dirigente da Instituição recebeu o prêmio. “O Paiva Netto é uma pessoa que respeitamos. Conhecemos bem a Instituição que dirige. Ele simboliza exatamente o coração aberto, a alma limpa e novos horizontes, um mundo de paz, de carinho, de amor e igualdade. A outorga do Troféu Bola de 16 | BOA VONTADE Ouro para o Paiva é uma decisão acertadíssima. A nossa homenagem a todos os que fazem esta Obra fantástica que merece o apoio dos brasileiros”, afirmou. No mês de julho, os brasileiros deram adeus a dois ilustres nomes do cenário nacional: Raul Cortez e Gianfrancesco Guarnieri. Aos 73 anos, Cortez retornou à Pátria Espiritual no dia 18 de julho. O artista ganhador de cinco edições do prêmio Molière nasceu na capital paulista, em 28 de agosto de 1932, e no coração da cidade, no Theatro Municipal, ele recebeu as últimas homenagens. Guarnieri, aos 71 anos, faleceu em 22 de julho, na capital bandeirante. Italiano (de Milão), mudou-se para o Brasil quando tinha 2 anos de idade. Iniciou a carreira de ator e dramaturgo em São Paulo/SP e consolidou-se na área como um dos seus principais expoentes. Também engajado nas iniciativas solidárias, Arquivo BV Cida Linares Cida Linares O adeus a três notáveis dos campos da arte e da comunicação expressou sua ligação com a LBV em entrevista, na qual destacou: “Há muitos anos, conheço o trabalho da LBV e sempre o vi com entusiasmo e com grande carinho. Vou falar utilizando minha intuição: este trabalho vai muito além do que poderíamos chamar de importante, é uma assistência real, é algo muito maior. Gosto de ver o que está sendo feito, sentir, porque as coisas não me atraem por suas formas, mas porque têm muito dentro de si. E tenho certeza de que, mesmo sem estar lá, pertenço à Legião da Boa Vontade pelo que este movimento é, estou integrado em suas atividades”. A estes ilustres Irmãos, o respeito da LBV, também extensivo aos familiares dos queridos Giglioti, Cortez e Guarnieri. Que recebam, onde quer que estejam, as vibrações de Paz da Instituição e de seu Diretor-Presidente, José de Paiva Netto, que nos ensina: “os mortos não morrem!”.
  • 14. José Carlos Araújo é comunicador esportivo da Rádio Globo do Rio de Janeiro/RJ A CBF surpreendeu a todos que esperavam que o substituto de Carlos Alberto Parreira no comando da Seleção Brasileira fosse Wanderley Luxemburgo ou Paulo Autuori. Depois da recusa de Luiz Felipe Scolari, Luxemburgo e Autuori eram os mais cotados, embora uma pesquisa de opinião pública tenha mostrado que a maioria dos entrevistados não queria nenhum dos nomes apresentados. Numa verdadeira zebra administrativa, eis que a CBF anunciou Dunga como novo treinador da Seleção. O ex-jogador expressou o fracasso brasileiro na Copa de 1990, mas deu a volta por cima e virou símbolo de uma grande conquista, 4 anos depois: a do tetracampeonato mundial, nos Estados Unidos. Dunga foi anunciado como responsável por dar à Seleção Brasileira, outra vez, a garra, a disposição e o orgulho de vestir a camisa amarela do Brasil, características que alguns dos jogadores que participaram da campanha deste ano, na Alemanha, admitiram que andaram em falta no grupo. Ele aparece, também, como o homem capaz de levantar o time e a torcida, vibrando e passando entusiasmo à beira do gramado. A torcida e a maioria da crônica esportiva criticavam a forma impassível como A nova era DUNGA Parreira dirigia a Seleção. Para muitos, a aparente apatia do treinador tinha reflexos nos jogadores, dentro do campo. Caberá a Dunga a missão de renovar a Seleção Brasileira. Ele deverá dar chance a novos talentos, mas – como já adiantou, de forma sensata – vai preferir mesclar o novo com a experiência, mantendo alguns dos que estiveram na última Copa do Mundo. Não sei se Dunga fará tudo o que dele se espera. Mesmo porque começa a carreira de treinador de forma surpreendente, assumindo logo de cara a Seleção Brasileira. Ele jamais foi treinador oficial de qualquer clube, tendo apenas uma experiência como interino de um clube no futebol japonês. Na Europa, sim, isso é até comum. Já aconteceu com as seleções da Itália, Holanda e Alemanha, entre outras, até com sucesso. Afinal, Beckenbauer foi campeão do mundo com a Alemanha, em 1990, sem jamais ter treinado um time antes. Seja como for, Dunga certamente terá todo o apoio dos brasileiros, por tudo que já fez em campo. Sua garra, sua vontade de vencer, a luta que demonstrou em seus 17 anos de carreira de jogador levam o torcedor a confiar no seu trabalho e a esperar resultados altamente positivos. Não sejamos injustos com quem entra e muito menos com quem sai. É preciso dar tempo para que Dunga mostre seu valor e é preciso, acima de tudo, não esquecer que Carlos Alberto Parreira, com seu jeito tão criticado, nos levou ao tetracamponato mundial e a títulos importantes, como os da Copa América e da Copa das Confederações, além do primeiro lugar nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2006. Perdeu um jogo eliminatório, mas não pode perder o nosso reconhecimento pelo trabalho que realizou. Aos dois — Dunga e Parreira — só podemos desejar sucesso. Especialmente a Dunga, para que se inicie como treinador da mesma forma como jogou: de maneira vitoriosa. Arquivo BV Felipe Freitas Felipe Freitas Coluna do Garotinho BOA VONTADE | 17
  • 15. Cultura na medicina PhotoDisc Humanismo S ua presença é simpática e tranqüila. Moacyr Scliar atende a todos que o abordam no corre-corre dos lançamentos literários com tal cordialidade que inspira ainda mais admiração ao seu trabalho. E foi neste clima que concedeu entrevista exclusiva à BOA VONTADE, na qual narra sua forte ligação com a literatura e a medicina e revela quais motivos o levaram a trilhar essas áreas. A trajetória do conceituado professor de Saúde Pública da Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre, colunista 18 | BOA VONTADE Reprodução RMTV Em entrevista exclusiva, o consagrado escritor e médico Moacyr Scliar fala de literatura e medicina, dois ofícios abraçados por ele. dos jornais Zero Hora (de Porto Alegre/RS) e Folha de S. Paulo (São Paulo/SP) e consagrado escritor, membro da Academia Brasileira de Letras (ABL), sintetiza duas grandes paixões. “Tanto Angélica Beck minha vocação para a literatura quanto para a medicina surgiram na infância, ainda que de formas diferentes. Eu me interessei por literatura por causa das histórias que meus pais contavam. Eram grandes narradores, essas pessoas que encantam os outros contando histórias da sua vida. Além disso, minha mãe era professora, gostava muito de ler e encorajava os filhos a lerem também. Em função disso, comecei não só a ler como a escrever historinhas que mostrava aos meus pais e vizinhos”, conta. O gosto pela medicina surgiu “por causa do medo da doen-
  • 16. ça”, revela. Ele afirma:“Nunca fui hipocondríaco, mas quando meus pais, por acaso, adoeciam, eu ficava muito apreensivo e angustiado. E isso me fez buscar conhecimento sobre o assunto. Lia livros, falava com médicos, freqüentava hospitais. Na hora de fazer o vestibular, não pensei duas vezes”. Como o próprio médico-escritor relata, não foi fácil nem para sua família entender estas escolhas integrais. Ambas as profissões abraçadas por Scliar solicitam grande dedicação. “Precisei sacrificar horas de lazer e férias. Quando se está sozinho, tudo bem. Mas eu tenho a minha família e a adoro. Minha mulher sempre foi muito compreensiva em relação a isso e ajudou-me muito. Mas o meu filho, quando era pequeno, não entendia esse negócio do pai dele ficar batendo à máquina e não ir passear. Então, ele sentava em cima da máquina de escrever e protestava: ‘Chega de escrever! Agora vamos andar de bicicleta’. Hoje, ele é um homem e grande entusiasta dos meus livros”, recorda. Aos protestos da criança e à compreensão da família, Moacyr retribuía com livros que hoje ultrapassam seis dezenas de títulos publicados. A profícua produção em números e em qualidade rendeu ao escritor a posse da cadeira no 31 da Academia Brasileira de Letras (ABL). O escritor gaúcho é uma expressiva voz de fomentação à atual e necessária conexão entre a atividade médica e o humanismo da literatura: “Ambas saíram de um mesmo território, lidam com o Ser Humano. Poucas coisas são tão reveladoras da condição humana como a doença, porque diante dela as máscaras que a gente usa habitualmente caem. Por outro lado, a literatura também ensina aos médicos a conhecer melhor o Ser Humano. Não é por outra razão que muitas faculdades de medicina, em vários países e também no Brasil, estão incluindo estudos humanísticos, particular- O olhar médico Conciliar medicina e literatura é uma iniciativa de Scliar que tem gerado excelentes frutos. Exemplo disso é a coluna “A cena médica” que ele publica há doze anos no jornal Zero Hora, em Porto Alegre/RS. Essas crônicas preencheram as páginas de obra literária recente do escritor, que recebeu o título O olhar médico — crônicas de medicina e saúde. Nele, apre- senta, com humor, textos curtos com temas variados, tais como doença e saúde, médicos e pacientes, sexualidade e esporte. Na ocasião da Bienal do Livro de São Paulo, o acadêmico e colunista dedicou um exemplar do livro ao líder da LBV, com a dedicatória: “Para Paiva Netto que o Brasil admira pela generosidade e pela dedicação, a homenagem e afeto do Moacyr Scliar”. mente os estudos literários, no currículo médico. Atualmente, há uma queixa muito grande dos que vêem nela uma profissão demasiadamente tecnológica. As pessoas se queixam de que o contato humano perdeu espaço na prática médica. E isso é verdade, porque realmente a medicina tornou-se tão complexa que os médicos têm de dar maior atenção para os aspectos científicos e tecnológicos. Mas se perder esse lado humanitário, a medicina vai ser incompleta”, analisa Scliar. Ideal humano da medicina Ainda sobre a inspiração médica, o escritor ressalta que este é um campo fértil, sobretudo no Brasil, que teve grandes nomes na área tais como: Oswaldo Cruz (1872-1917), retratado em Sonhos Tropicais, e Noel Nutels (1913-1973), conhecido como médico dos índios, tratado no livro A majestade do Xingu, duas obras de Scliar. “Escrever os livros foi ter acesso a lados desconhecidos da medicina. Tinha conhecimento de Oswaldo Cruz como um personagem histórico. Mas quando iniciei a pesquisa sobre a vida dele, vi algo riquíssimo: ele reflete muitas das contradições em nosso País. Era um grande cientista, um homem que sabia o que precisava ser feito, mas tinha muita dificuldade em se relacionar com a população. Pagou um preço por isso, porque a vacinação obrigatória desencadeou a Revolta da Vacina, no Rio de Janeiro/RJ, em 1904, deixando centenas de mortos.” Da prática como professorconferencista, Scliar concebeu BOA VONTADE | 19
  • 17. Cultura Scliar também defende a importância de dar um tom mais humano à medicina. “Cuidar dos outros não é apenas uma obrigação, mas uma realização pessoal, uma maneira de descobrir novas possibilidades dentro de nós mesmos e no semelhante. É um ponto desanimador essa impessoalidade, corrente no tratamento em todos os setores da sociedade e também na medicina. Precisamos recuperar a dimensão humana que a medicina tinha quando a ela faltavam recursos. Visto que não havia antibiótico, o que o médico podia fazer era consolar, ajudar. Agora tem antibiótico, mas isso não quer dizer que a gente não tenha de consolar e ajudar também. É um ato de empatia na experiência da doença que ensina o estabelecimento de laços emocionais fortes, duradouros e autênticos. Saúde e literatura se complementam porque cuida-se da saúde do corpo através da dieta, da ginástica etc., e da DÜRER, Albrecht Homem nu com um copo e uma cobra, assim chamado Asclépio (deus da Medicina na mitologia grega) Museu Staatliche, Berlim (Alemanha). “Também uso a Bíblia e os temas por ela inspirados. No Antigo Testamento fala-se muito de doença. A lepra, por exemplo, é mencionada abundantemente. Já no Novo Testamento, nós temos a relação de Cristo com a doença e assim pude colecionar uma série de textos que levaram aos meus livros.” (Moacyr Scliar) 20 | BOA VONTADE saúde da alma através dos bons textos literários.” Neste contexto, manifestou sua simpatia à proposta midiática da LBV: “Uma rede que se chama Boa Vontade corresponde a uma necessidade urgente do Povo brasileiro. E como médico e escritor, sinto-me feliz em estar aqui. Boa Vontade é uma expressão-chave do nosso tempo. Agradeço muito essa oportunidade. Paiva Netto é uma figura realmente lendária neste país pelo que tem feito. Esse trabalho de divulgação de vocês se encaixa perfeitamente no propósito de melhorar o conhecimento e a vida das pessoas em geral”, pontuou. Web Gallery Art a obra A Paixão Transformada, contando a história da área médica a partir de textos literários e nãoliterários. “Também uso a Bíblia e os temas por ela inspirados. No Antigo Testamento fala-se muito de doença. A lepra, por exemplo, é mencionada abundantemente. Já no Novo Testamento, nós temos a relação de Cristo com a doença e assim pude colecionar uma série de textos que levaram aos meus livros”, enfatiza. Ao comentar o uso da medicina e da literatura para abordagens da contemporaneidade, Scliar enfatiza o crescimento do protagonismo feminino. “Quando eu entrei na Faculdade de Medicina em Porto Alegre, os alunos cantavam um hino que dizia assim: ‘Medicina é papa-fina, não é coisa pra menina’. As moças eram minoria e só podiam fazer determinadas especialidades, como pediatria, por exemplo. Isso mudou muito e hoje cerca de 50% dos meus alunos são do sexo feminino. Estão em todas as especialidades e brilhando, inclusive na área de Saúde Pública. Acho que esta é mais uma evidência de como o nosso país mudou.”
  • 18. Templo da Natureza e da Criança Professor Silvio Iung, ilustre Presidente do CNAS, encanta-se com a qualidade do atendimento oferecido aos guris do Lar e Parque Alziro Zarur, da LBV, em Glorinha/RS Liliane Cardoso Armando Kitamura Atualidades _____________ Liliane Cardoso O Presidente do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) e Diretor Executivo da Rede Sinodal de Educação, professor Silvio Iung, visitou, no dia 3 de julho, o Lar e Parque Alziro Zarur, da LBV, o Templo da Natureza e da Criança. Na ocasião, destacou que a LBV é um exemplo de sucesso no País. “Obrigado pelo convite e a oportunidade de conhecer esse trabalho. Na atividade que a gente realiza no Conselho é sempre bom colher exemplos bem-sucedidos que acontecem no Brasil. Eu fiquei realmente muito impressionado com o tra- balho que é feito aqui pela LBV em Glorinha. É um lugar muito aconchegante (...)”, frisou. Iung também falou sobre os aspectos físicos dos ambientes: “A flora daqui abre os horizontes, ela é bonita e ao mesmo tempo expressa na alma das pessoas um convite à busca de novos horizontes (...). Esse Parque é muito bem cuidado, percebemos a atenção nos detalhes, no ajardinamento, enfim, na construção de novos espaços, como o pomar que pudemos ver, é um lugar ímpar. Que vocês prossigam com ânimo e disposição para continuar esse trabalho”. “O trabalho da LBV é significativo, importante e certamente exemplar nessa proposta que temos hoje no País, na Política de Assistência Social (...). Este é o exemplo que eu testemunhei na LBV.” Professor Silvio Iung, Presidente do CNAS. BOA VONTADE | 21
  • 19. Wilson Bigas Acontece Lar e e Parque da LBV em festa Com exposição cultural, guris atendidos pela Instituição agradecem e saúdam os 46 anos da Unidade de Glorinha/RS. _________________________________ Ângela Gatelli e Ana Cláudia de Oliveira A s crianças e adolescentes amparados pelo Lar e Parque Alziro Zarur, da Legião da Boa Vontade, têm muitos motivos para comemorar: além das festividades de 50 anos de trabalho de Paiva Netto na Instituição, a unidade educacional da LBV, de Glorinha/RS, completou, em maio, 46 anos de atendimento de qualidade ao povo gaúcho em risco social. Um dos acontecimentos organizados pela garotada para celebrar a data foi a II Mostra do Lar e Parque Alziro Zarur, realizada no Foro Central de Porto Alegre. A exposição desenvolvida pelos guris atendidos pela LBV pôde ser vista pelas mais de 10 mil pessoas que circulam diariamente 22 | BOA VONTADE Fotos: Liliane Cardoso no local, entre as quais juízes, advogados, promotores e colaboradores da Obra. Fernando Paixão é assessor jurídico do 2o Juizado da Infância e da Juventude de Porto Alegre e, ao observar a mostra, enalteceu as iniciativas da Legião da Boa Vontade, destacando que são exemplos para o mundo. “Vim prestigiar a LBV que realiza um trabalho muito bom com crianças e adolescentes. O Lar e Parque da Legião da Boa Vontade é modelo! Não poderia deixar de vir à exposição e abraçar toda a equipe. Estou muito contente com esse espaço aberto para mostrar à comunidade o que é feito pela LBV (...). Ela merece o nosso aplauso e que continue a fazer esse trabalho que, para o Juizado da Infância e da Juventude que atua com abrigos, é muito importante e bem-feito”, atestou. Ao passar pelos ambientes, o visitante teve uma dimensão das atividades e projetos desenvolvidos com as crianças e adolescentes na unidade educacional. Desde chocolates, preparados nas aulas de culinária, até artesanatos, tais como sabonetes e desenhos diversos, estavam expostos no local.
  • 20. Para quem procurava a boa literatura, livros do escritor Paiva Netto e as demais publicações da LBV eram excelentes opções. O publicitário Carlos Ferrão enfatizou os resultados da iniciativa. “O Brasil precisa, cada vez mais, desse apoio. Paiva Netto, com 50 anos de trabalho, prova que é possível mudar a realidade do Brasil. O que mais me chamou a atenção foi o fato de a LBV mostrar para todos o apoio que as crianças recebem em suas atividades. Precisamos cada vez mais de pessoas assim como Paiva Netto”, frisou. Valor da família Outra grande atividade que comemorou os 46 anos do Lar e Parque da LBV foi o I Encontro de Abrigos do Rio Grande do Sul, realizado pela Instituição. Os debates giraram em torno do tema Abrigar é mais que proteger. É resgatar o valor da família e possibilitaram um espaço de discussão e busca de estratégias para o trabalho em abrigos. O “Quero elogiar a LBV, que faz um excelente trabalho em Glorinha (...). Sou grande incentivadora de vocês. Espero que o Lar e Parque cresça cada vez mais, nos auxiliando no resgate infanto-juvenil. A LBV é um exemplo no atendimento social. Por isso é reconhecida mundialmente.” Dra. Ivortiz Marques Fernandes, juíza da 2ª Vara da Infância e Juventude Comarca de Gravataí/RS. evento contou com representações de cidades do Estado e profissionais da Vara da Infância e Juventude, diretores e técnicos de instituições que acolhem crianças e adolescentes. À frente das palestras, diversas personalidades a exemplo do sociólogo Charles Roberto Pranke; da assistente social Rosana Goldani de Borba; da Juíza da 2a Vara da Infância e Juventude (Comarca de Gravataí), Dra. Ivortiz Marques Fernandes; do advogado e assessor jurídico da 2a Vara da Infância e Juventude Comarca Porto Alegre, Dr. Fernando Paixão e da socióloga Ariane Kozen. A Assistente Social do Fórum de Gravataí, Miriam Carboneira, ressalta os bons resultados obtidos pelos guris atendidos pela Legião da Boa Vontade. “Temos exemplos de adolescentes que vieram para a LBV, não faz muito tempo, e os resultados são magníficos; adolescentes que não tinham a 4a série primária e, depois de serem atendidos pela LBV, já estão inseridos no mercado de trabalho, conseguindo ter autonomia, que é o assunto principal deste encontro(...). A LBV está no caminho certo, parabéns!”, felicitou. Sobre o acontecimento, o Diretor Técnico da Fundação de Assistência Social (FASC), Mauro Vargas, assim se expressou: “A LBV nos dá uma aula em questão técnica, capacitação dos seus funcionários para este atendimento. É uma técnica que aqui no Rio Grande do Sul não temos similar”. BOA VONTADE | 23
  • 21. Aldo Henriquez/UN Rádio Rádio ONU, uma equipe antenada com a interatividade e a rapidez das informações. Da esq. p/ a dir., Vladimir Monteiro, redator e apresentador; Mônica Valéria, Chefe da Rádio ONU em Língua Portuguesa; Sandra Guy e Israel Machado, assistentes de produção. “Estamos muito felizes com as emissoras da Super RBV.(...) Esta tem sido uma de nossas parcerias mais sólidas.” Mônica Valéria Rádio ONU e Super RBV parceria de sucesso internacional C riada após o término da Segunda Guerra Mundial, com a finalidade de levar Paz e garantir direitos humanos a todos, a Organização das Nações Unidas (ONU), que reúne 191 Estados soberanos, tem um vasto campo de atuação e renovado desafio de fazer deste um mundo mais justo e fraterno. Neste universo, a Rádio ONU abre um espaço para construir pontes de informações entre a audiência, que são os ouvintes e usuários de internet, e o trabalho desenvolvido pelas Nações Unidas e agências associadas. A emissora transmite programas nas seis línguas oficiais da Organização (Árabe, Chinês, Espanhol, Francês, Inglês e Russo) e também em Português e Suaíle. Além disso, há a produção de documentários de TV pela UNTV. A programação no idioma de Camões atende à meta principal e ainda a amplia ao colaborar com o intercâmbio entre os países lusófonos (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe 24 | BOA VONTADE e Timor-Leste), com noticiários de cinco minutos e programas mais longos de entrevistas e reportagens no Português do Brasil e da África. A distribuição do material produzido pela Rádio é feita por meio de emissoras de várias localidades no globo terrestre e pela página na internet www.un.org/av/radio/portuguese. Neste endereço, o público pode escutar os noticiários em real áudio ou por MP3. A Super Rede Boa Vontade de Rádio (Super RBV), da Fundação José de Paiva Netto, tem sido uma importante aliada na divulgação dos assuntos de interesse da ONU, dando também visibilidade às ações da Legião da Boa Vontade — primeira Organização Não-Governamental brasileira a associar-se ao Departamento de Informação Pública das Nações Unidas (DPI), a partir de 1994, e também primeira ONG do Brasil a conquistar o status consultivo geral no Conselho Econômico e Social (Ecosoc) — em 1999. A iniciativa é vista como um relevante instrumento de interatividade pela Chefe da Rádio ONU em Língua Portuguesa, Mônica Valéria. “Estamos muito felizes com as emissoras da Super RBV. O feedback (retorno) que chega até nós é bastante positivo. Esta tem sido uma de nossas parcerias mais sólidas e o objetivo é levar informação sobre as Nações Unidas e relatar os acontecimentos que influenciam diretamente o noticiário internacional”. Mônica falou também da atuação da LBV nas Nações Unidas em contribuição aos propósitos de Paz de ambas organizações. “A LBV, como uma ONG, é ativa em sua parceria de status de consulta com o Conselho Econômico e Social (Ecosoc) e de associação com o DPI, o Departamento de Informação Pública da ONU, ao qual pertence a Rádio ONU”. A Chefe da unidade de Língua Portuguesa da emissora explica que este ano está sendo marcado por mudanças no site e nos programas, tornando “o produto ainda mais dinâmico e perto da realidade dos usuários de rádio e internet, que são o nosso público-alvo”, diz. [L.S.M.]
  • 22. ONU — Brasil Jorge Alexandre Juventude pela Paz UNIC Rio (ONU) firma nova parceria com a LBV e o Governo do Estado do RJ, agora, pela Paz nas escolas. Simone Barreto e Jorge Alexandre Jorge Alexandre Fotos: Jorge Alexandre O Jorge Alexandre Centro de Informações das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio) firmou parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro, por intermédio da Administração Estadual de Del Castilho/Suburbana, da Secretaria de Estado de Educação e da Legião da Boa Vontade para implantar o projeto Juventude Pela Paz Ampliando Horizontes, que visa à realização de palestras em escolas estaduais a respeito da ação da ONU no Brasil e seus temas votados pelas delegações internacionais. No dia 14 de julho, mais uma vitoriosa etapa desse projeto foi ini- ciada. Um encontro na sede do UNIC Rio, no Palácio do Itamaraty, reuniu um grupo de 60 educadores das escolas públicas estaduais do Rio de Janeiro. Eles acompanharam uma aula inaugural do projeto, que trata de uma série de palestras educativas sobre consciência ecológica, em comemoração ao Ano Internacional do Deserto e Desertificação. Os painéis serão apresentados nas escolas do Estado do Rio, pelos voluntários das Nações Unidas em parceria com a Legião da Boa Vontade. O Dr. Carlos dos Santos, Diretor do Centro de Informações das Nações Unidas, destacou em seu discurso o apoio da LBV e do Governo do Estado. Na ocasião, o educador Paiva Netto foi representado pelo jornalista Francisco Periotto, Assessor da Presidência. Por sugestão da professora Maria das Graças Antunes de Araújo, da Secretaria de Estado de Educação e Coordenadora da Metropolitana III, a primeira palestra educativa ocorrerá no Centro Educacional, Cultural e Comunitário da LBV, na zona norte do Rio. Durante a aula inaugural, Pedro Paulo Torres, da Secretaria de Estado de Governo e Coordenação, Administrador Estadual de Del Castilho, representante do Governo do Estado do RJ, enalteceu a parceria. “É muito importante ter parceiros desta categoria de conhecimento e de infra-estrutura da Legião da Boa Vontade. E o ambiente também Dr. Carlos Santos, Diretor do Centro de Informações das Nações Unidas, ao lado do jornalista Francisco Periotto, representante da LBV no evento. “(...) Conheço a escola da Legião da Boa Vontade e com prazer aceitei. (...) Não adianta falar em Educação se não temos parcerias para levar isso a cabo. Então, com essa parceria entre a LBV, o Governo do Estado do Rio de Janeiro e a Coordenadoria de Educação, podemos levar o Juventude Pela Paz, que é o nosso projeto, às escolas fora do município do Rio de Janeiro (...).” Dr. Carlos dos Santos (UNIC Rio/ONU), ao confirmar sua palestra no Centro Educacional da LBV, em 23 de agosto. tem toda aquela Espiritualidade positiva. Por isso convocamos todos os professores, alunos e sociedade civil para participarem deste evento.” BOA VONTADE | 25
  • 23. Nações Unidas — Internacional Genebra/Suíça Emprego e trabalho decente para todos LBV pronuncia-se em nome da sociedade civil latino-americana em reunião de Alto Segmento da ONU. Recomendações apresentadas pela Instituição receberam destaque do Subsecretário-geral das Nações Unidas, sr. Anwarul Chowdhury. _______________ Danilo Parmegiani A Organização das Nações Unidas reuniu chefes de Estado e alto comissariado para a edição 2006 do Ecosoc High-Level Segment (reunião anual de Alto Segmento do Conselho Econômico e Social da ONU). No encontro mundial, os governos dos países-membros prestam contas e propõem alternativas para vencer problemas globais, a exemplo do tema central deste ano: emprego e trabalho decente. A convite da ONU, a Legião da Boa Vontade, que possui o status consultivo geral no Ecosoc, foi chamada aos microfones do encontro para apresentar o relatório em nome da sociedade civil 26 | BOA VONTADE Fotos: Adriana Rocha latino-americana sobre emprego e desenvolvimento sustentável. O pronunciamento da LBV foi anunciado pelo Subsecretáriogeral das Nações Unidas e Alto Representante para os países menos desenvolvidos, sr. Anwarul Chowdhury, que, em entrevista, felicitou a iniciativa da organização brasileira em mobilizar entidades intersetoriais em torno dos objetivos de desenvolvimento do milênio. “Estou muito feliz de ter recebido uma cópia desse relatório feito pela sociedade civil latino-americana, apresentado pela Legião da Boa Vontade. A sociedade civil tem um papel principal a ser desempenhado nos esforços de desenvolvimento pelo mundo. Nestes anos, em meu gabinete de Alto Representante para os Países Menos Desenvolvidos, temos procurado uma relação de grande proximidade com as organizações da sociedade civil. Elas são reais parceiras do desenvolvimento, tanto no nível nacional quanto no global. Gostaríamos de continuar a trabalhar juntos, e acreditamos que quanto mais, melhor para o futuro do mundo. Estou muito feliz Sr. Anwarul Chowdhury ao lado de Danilo Parmegiani (LBV), com o documento em nome de 400 entidades da América Latina. Na imagem ao lado o representante da Legião da Boa Vontade durante a reunião.
  • 24. Mário Bosso Arquivo BV PARABÉNS — A Legião da Boa Vontade e seu Diretor-Presidente, José de Paiva Netto, congratulam-se com o ilustre Ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, pela passagem de seu aniversário, no dia 3 de junho. Na foto 1, Amorim aparece ladeado pela sua esposa, Ana Maria Amorim (E), e sua filha, Anita (D), tendo ao lado a representante da LBV na ONU, Conceição de Albuquerque. Na imagem à direita, o cordial encontro, nos Estados Unidos da América, entre Paiva Netto e o então Representante Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas, em Nova York. Noys Rocha (E), da Legião da Boa Vontade da Europa, o Subsecretário-geral da ONU, sr. Anwarul Chowdhury (C) e o Representante Internacional da LBV, Danilo Parmegiani (D). que a Legião da Boa Vontade esteja focada na construção da Cultura de Paz. Acredito que é essencial para o nosso mundo conflitante de hoje”, pontuou. O relatório apresentado pela LBV é resultado de seis eventos preparatórios promovidos pela Instituição em março deste ano, dos quais participaram cerca de 400 entidades dos setores público e privado. A atividade intersetorial faz parte da Rede Sociedade Solidária, motivada pela Legião da Boa Vontade, com o objetivo de incentivar, ecumenicamente, a troca de experiências e parcerias entre organizações que desenvolvem ações de Solidariedade e transformação social. O nome para a rede foi inspirado na tese Sociedade Solidária Altruística Ecumênica, escrita há duas décadas pelo Diretor-Presidente da LBV, José de Paiva Netto, em que se fundamenta o trabalho socioeducacional da Instituição ao longo de seus 56 anos de existência no Brasil. O conteúdo da declaração encontra-se disponível na página oficial da ONU, nos seis idiomas oficiais desse organismo internacional (Árabe, Chinês, Espanhol, Francês, Inglês e Russo). Para fazer o download, basta acessar o site www.documents. un.org e buscar o documento, digitando a expressão E/2006/NGO/28. Outra opção é entrar nos sites www. lbv.org.br ou www.sociedadesolidaria.org.br, nos quais, além da versão do relatório em Língua Portuguesa, é possível encontrar a relação com o nome de todas as entidades que colaboraram com sugestões e boas práticas. “Estou muito feliz de ter recebido uma cópia desse relatório feito pela sociedade civil latino-americana, apresentado pela Legião da Boa Vontade. (...) Gostaríamos de continuar a trabalhar juntos, e acreditamos que quanto mais, melhor para o futuro do mundo. Estou muito feliz que a Legião da Boa Vontade esteja focada na construção da Cultura de Paz. Acredito que é essencial para o nosso mundo conflitante de hoje.” Anwarul Chowdhury, Subsecretário-geral das Nações Unidas. A LBV estende seus agradecimentos especiais aos ilustres palestrantes e facilitadores, aos representantes das cerca de 400 ONGs participantes, aos colaboradores que possibilitaram a organização dos eventos e à equipe técnica que consolidou a versão final do documento. Relação completa no site www. sociedadesolidaria.com.br BOA VONTADE | 27
  • 25. Responsabilidade Social Orientações da OAB/SP ao Setor PhotoDisc Terceiro _____________ Daniel Guimarães A doação do bilionário norte-americano Warren Buffet, de 85% de seu patrimônio a uma organização, bem como o anúncio de Bill Gates de que, em 2 anos, se afastará da presidência da empresa que criou para dedicar-se exclusivamente à Fundação Bill e Melinda Gates, chamaram a atenção de todo o mundo para a importância crescente do Terceiro Setor. A doação de Buffet equivale ao que o Terceiro Setor movimenta no Brasil durante dois anos. Apesar da crescente profissionalização da filantropia no País, ela ainda é formada, em grande parte, por entidades de pequeno porte de origem comunitária, que têm uma série de dificuldades, dentre elas a de se adequar à legislação existente. 28 | BOA VONTADE Por isso, a revista BOA VONTADE entrevistou a Presidente da Comissão do Direito do Terceiro Setor da Ordem dos Advogados do Brasil, seção São Paulo, Dra. Lúcia Bludeni, e o Vice-Presidente dessa comissão, Dr. Rodrigo Mendes Pereira, que trouxeram orientações básicas sobre o tema. O Setor Social, como também é conhecido, é formado por entidades que não fazem parte do governo e do mercado. A Dra. Lúcia justifica que, em muitos momentos, o Terceiro Setor pode firmar parceria com essas duas áreas. “É possível um convênio com o Estado, desenvolvendo e fomentando políticas públicas sociais. Atividades que o Primeiro Setor tem de realizar. O Segundo Setor, as empresas privadas, em determinado momento,
  • 26. Dra. Lúcia Bludeni resolvem investir numa causa social: aportam valores e sustentam projetos apresentados pelo Terceiro Setor.” O Vice-Presidente da Comissão esclarece que “existem algumas pesquisas em nível mundial e nacional que definem critérios para determinar o tamanho do Terceiro Setor”. O principal requisito é que entidades e organizações não tenham fins lucrativos. “Isso não quer dizer que elas não podem Associações e Fundações Apesar de serem conhecidas por uma infinidade de nomes diferentes, juridicamente existem apenas dois tipos de organizações do Terceiro Setor: as associações e as fundações privadas. As primeiras são estabelecidas por qualquer pessoa que, associada a outras, tenha um fim social, como ampliar o acesso à saúde e à educação, por exemplo. “Já uma fundação tem base num patrimônio. Nós mesmos podería­mos fazer uma escritura pública ou por meio de um testamento e doar um patrimônio. Ele seria dotado para uma finalidade não-econômica. A associação é mais livre, pois os associados podem até mudar suas finalidades”, explicou o Dr. Rodrigo. Ele enfatiza que as fundações têm um acompanhamento mais intenso do Poder Público, para que a idéia de quem a instituiu seja mantida. A Presidente da Comissão complementou: “O controle do Ministério Público é maior, a exigência de um patrimônio prévio é fundamental. Caso contrário, você não tem uma fundação”. Arquivo pessoal Arquivo pessoal “Existe uma burocracia muito grande (...). Não só para o Terceiro Setor, como para todos os setores e segmentos da sociedade. Para o Terceiro Setor parece que fica mais difícil. (...) Muitas vezes, por conta de um ideal tomado por um grupo de pessoas que monta uma entidade e não desenvolve, ao longo do seu caminhar, uma capacitação mais profissionalizante das pessoas que estão atuando, acaba por não observar muitas exigências legais por mero desconhecimento — a par da legislação já ser muito complexa, muito exigente.” ter atividades econômicas para gerar receitas e aplicar nas suas finalidades não-econômicas. Elas até devem ter superávit para atender às crianças, aos necessitados. A questão é que não podem distribuir esse lucro entre os seus associados. Elas devem reinvestir o lucro para suas finalidades essenciais como o atendimento à população carente”. “O papel da Comissão é fazer com que os direitos conferidos às entidades pela Constituição Federal sejam respeitados. O papel nosso é fomentar, capacitar e apoiar as entidades, para que elas consigam exercer esses direitos.” Dr. Rodrigo Mendes Pereira Aspectos legais Bludeni destacou que se adequar à legislação é uma das maiores dificuldades das ONGs no País. “Existe uma burocracia muito grande (...). Não só para o Terceiro Setor, como para todos os setores e segmentos da sociedade. Para o Terceiro Setor parece que fica mais difícil. (...) Muitas vezes, por conta de um ideal, um grupo de pessoas que monta uma entidade e não desenvolve, ao longo do seu caminhar, uma capacitação mais profissionalizante das pessoas que estão atuando, acaba por não observar muitas exigências legais por mero desconhecimento — a par da legislação já ser muito complexa, muito exigente”. BOA VONTADE | 29
  • 27. cialmente que esse termo tenha especificados os dias que ele trabalha, o horário e o setor em que ele trabalha”, afirma a Dra. Bludeni. Recomendações A Comissão de Direito do Terceiro Setor da OAB/SP desenvolve diversas ações com o intuito de capacitar advogados e organizações para o Terceiro Setor. Criado há dois anos, o órgão, entre outras iniciativas, desenvolveu a Cartilha do Terceiro Setor, que contém orientações básicas às pessoas que atuam nessa área. “É com grande prazer que a gente desenvolve esse trabalho na OAB por iniciativa do Presidente Luiz Flávio Borges D’Urso, que entendeu que deveria implantar essa comissão”, declarou Bludeni. A Presidente da Comissão também falou do curso de Capacitação do Terceiro Setor, de Gestão e Aspectos Jurídicos, implementado na Escola Superior da Advocacia, e destacou as novas ações. “Visamos também à abertura do mercado de trabalho. Nós temos um ideal, que é tentar de alguma forma contribuir (e a própria OAB também contribui) para a implementação dos nossos princípios constitucionais”, completa a Dra. Bludeni. O Dr. Rodrigo conclui: “O papel da Comissão é fazer com que os direitos conferidos às entidades pela Constituição Federal sejam respeitados. O papel nosso é fomentar, capacitar e apoiar as entidades, para que elas consigam exercer esses direitos”. PhotoDisc Neste contexto, enumerou os pontos que as ONGs têm de priorizar. “Há aspectos tributários: o que se movimenta, com relação a imunidades, isenções e tudo mais. E aspectos trabalhistas dessas entidades, que têm de ser mantidos, a par do voluntariado. Existem as exigências, as prestações de contas, enfim, toda uma dinâmica, um balanço social da entidade. Não se pode deixar nada de lado, aquilo que já é difícil torna-se mais ainda porque você vai deixando lacunas ao longo do tempo.” No âmbito do trabalho, o voluntariado aparece com expressão, afinal são 20 milhões deles atuando no Terceiro Setor. “O voluntário é aquele que, por sua livre vontade, quer se dedicar à causa e aos objetivos estatutários daquela entidade, ele também está sujeito a um regramento para atuar dentro dela. Ele tem de assinar o termo de que é voluntário, preferen- Arquivo pessoal Responsabilidade Social 30 | BOA VONTADE
  • 28. Internacional Vieira Filho A famosa Igreja Batista do Harlem (Convent Avenue Baptist Church) Canto à Independência Composição de Paiva Netto é interpretada, em Nova York, durante as comemorações de 4 de Julho dos Estados Unidos da América. _________ Elias Paulo Vieira Filho Público emociona-se com concerto especial em comemoração ao Dia da Independência dos Estados Unidos. “Paiva Netto costuma dizer que a verdadeira Paz somente se estabelece quando se conhece Jesus, e nós gostaríamos de importar esta mensagem e levá-la para o mundo (...). Estamos muito felizes por, de alguma forma, participar do Jubileu de Ouro dele. Cinqüenta anos de serviços prestados à Humanidade e a Deus (...). Paiva Netto luta pela Justiça, pela igualdade e pelo espírito de Amor, mundo afora. Ouçam o Espírito de Cristo que foi concedido a este Movimento”, referindo-se à canção Prece para ter Tranqüilida- de, do Oratório O Mistério de Deus Revelado, de Paiva Netto. “Então, enquanto o restante desse país comemora sua independência, nós comemoramos os 50 anos de Paiva Netto, e de nossa dependência a Deus.” A solista Louise Walker relata sua emoção ao interpretar a música. “Quando ouço essas palavras ‘Só Jesus salva, Dele a Paz virá’, sinto que é tudo. Quando eu canto, quero me doar às pessoas que ouvem. E quando temos esse contato com o Senhor, isso sai de nós. É o que tento transmitir. (...) Para se compor esta música tem de se conhecer Jesus”, declarou. Danilo Parmegiani Conceição de Albuquerque E m uma quinta-feira, 4 de fevereiro de 1999, o relógio marcava 19h40, quando Paiva Netto entoou pela primeira vez a Prece para ter Tranqüilidade, de sua autoria. Essa obra-prima figura entre as mais emocionantes peças musicais do compositor. Exatamente por isso, o maestro norte-americano Gregory Hopkins a colocou no repertório de um concerto especial em comemoração ao Dia da Independência dos Estados Unidos da América (celebrado em 4 de julho). As vozes do Coral do Santuário (Sanctuary Choir) interpretaram a canção, em língua inglesa, no dia 2 de julho, na Igreja Batista do Harlem (Convent Avenue Baptist Church). O fato relembrou o espetáculo protagonizado no mesmo local pelo Coro, no dia 9 de abril deste ano, quando foram entoadas músicas que compõem O Mistério de Deus Revelado, oratório de autoria de Paiva Netto. Hopkins não escondeu a felicidade que sentiu ao apresentar a música e, comovido, relatou: BOA VONTADE | 31
  • 29. Especial — Paiva Netto Emoções e Memórias ______________ Rodrigo Oliveira cultura clássica A força da tradição e da cultura gaúcha impulsionou o início das comemorações dos 50 anos de trabalho de Paiva Netto na Legião da Boa Vontade. A expressão e a importância do Rio Grande do Sul para o Brasil são notáveis, pois neste solo surgem filhos ilustres e perpetua-se o passado e a história de lutas dessa brava gente. O próprio nome São Pedro, padroeiro da província gaúcha, recorda o 29 de junho, data que assinala o ingresso de Paiva Netto na causa do Bem, em 1956. Esse 32 | BOA VONTADE mesmo dia é dedicado à memória do Apóstolo Pedro, o primeiro em autoridade na fé nascente e aquele que realizou a primeira cura, continuando a missão de Jesus, o Cristo Ecumênico. Outra similitude está no nome do centenário Theatro São Pedro, que abriu suas cortinas para celebrar o fato. Segundo dados da organização do teatro, a “Noite Cultural Emoções e Memórias” foi um dos maiores eventos e de mais alto nível já realizados na famosa casa da cultura gaúcha. Apesar de a festa ter ocorrido no
  • 30. João Periotto BOA VONTADE | 33
  • 31. João Preda João Periotto Especial — Paiva Netto “É um grande prazer, uma honra para nós, receber no Theatro São Pedro, nessa data tão especial, Paiva Netto e todos da Legião da Boa Vontade. A casa é centenária e é o templo da cultura do Rio Grande do Sul.” Eva Sopher, Presidente da Fundação Theatro São Pedro. 34 | BOA VONTADE Rio Grande do Sul, o sentimento de gratidão atravessou as fronteiras dos pampas e mobilizou brasileiros e estrangeiros (argentinos, bolivianos, paraguaios e uruguaios também marcaram presença) para acompanhar a Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro e o Coral Ecumênico LBV na apresentação de composições do comandante da Instituição. O espetáculo, sob a regência do Maestro Antônio Carlos Borges Cunha, apresentou obras de Paiva Netto, um dos compositores que mais vendem no Brasil. Antes de iniciar o concerto, o público já superlotava o ambiente. Personalidades, autoridades, convidados, simpatizantes e o Povo em geral compareceram à festa para saudar
  • 32. Clayton Ferreira Acima, vista geral da Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro e do Coral Ecumênico LBV, durante o concerto; abaixo, detalhe dos músicos na hora da exibição. o homenageado. Guris atendidos pela LBV do Rio Grande do Sul também figuravam na platéia e, muitos deles, pela primeira vez assistiram de perto a um concerto de músicas clássicas. O concerto com a Orquestra de Câmara do centenário teatro e Coral Ecumênico LBV trouxe alguns dos sucessos do compositor Paiva Netto — como Deus é a Nossa Fortaleza, trecho do Oratório “O Mistério de Deus Revelado”, e Deus é a Minha Força — e a obra inédita de sua lavra: Ave, Maria! Mater Jesus — que apesar de ter sido composta na década de 1980, uma das primeiras Ave, Marias! escritas por ele, dedicada ao Brasil, só agora é apresentada ao público em latim. “Com grande alegria, envio meus cumprimentos ao Irmão Paiva Netto pelos 50 anos de atividades humanísticas na LBV. (...) Que ele continue a sua missão iluminando e abrindo caminhos, abrindo horizontes para muitas pessoas se engajarem na criação da cultura da Solidariedade. Parabéns, Paiva Netto! Que Deus o acompanhe e o proteja.” Elisa Rodrigues Lucian Fagundes Clayton Ferreira Na imagem ao lado, Paiva Netto discursa no palco da Casa da Cultura gaúcha. Padre Marcos Sandrini, Reitor da Faculdade Dom Bosco, de Porto Alegre/RS. BOA VONTADE | 35
  • 33. Clayton Ferreira Especial — Paiva Netto João Periotto Paiva Netto (C) e sua esposa, Lucimara Augusta, ao lado do Maestro Cunha. Na imagem abaixo, momento em que o homenageado autografa a partitura do concerto, a pedido do próprio Maestro e Regente. “Estamos com a Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro reforçada com músicos convidados e um coro de mais de 100 vozes para interpretar as canções de Paiva Netto, que são realmente hinos de louvor. Observem os títulos: Deus é a minha Força, são hinos de Solidariedade, de confiança na Paz, no Amor; Prece para ter Tranqüilidade, é disto que todos precisamos. Sentimo-nos honrados em participar dessa homenagem ao homem que é um símbolo da Bondade, do Amor, da dedicação ao Ser Humano.” Maestro Cunha, responsável pela regência da Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro. 36 | BOA VONTADE Emocionado, o líder da LBV acompanhou o acontecimento do camarote principal. Ao término de cada composição, o público aplaudia de pé, direcionando-se ao homenageado. Depois das apresentações, Paiva Netto subiu ao palco e proferiu discurso que também foi transmitido para os que acompanharam a Super Rede Boa Vontade de Comunicação (Rádio, TV e Internet), a TV Guaíba (Canal 2) e RBTI (exibida para 12 milhões de assinantes na América do Norte). Saudação ao Povo A noite era de festa, mas mesmo assim o dirigente da LBV em sua prédica fez o público refletir seriamente sobre a importância de educar e, mais que isso, reeducar com Espiritualidade Ecumênica* para investir num futuro melhor. No momento em que subiu ao palco, agradeceu as homenagens da platéia, que bradava: “Ele merece!”. E respondeu: “Vocês merecem! Porque ninguém faz nada sozinho. Aí é que está o segredo”, frisando o fato de a Legião da Boa Vontade ser uma Instituição irrestritamente ecumênica. “(...) Fico muito feliz em iniciar as comemorações desse meu cinqüentenário no Rio Grande do Sul, porque meu pai, Bruno Simões de Paiva (19112000), viveu no Rio Grande do Sul durante um período e me ensinou a amar essa terra que fez questão de ser brasileira. Lembro-me com saudade de que *Espiritualidade Ecumênica — Leia o que Paiva Netto escreveu sobre o assunto nas publicações: Sociedade Solidária Altruística Ecumênica (7ª edição) e Coleção Diretrizes Espirituais da Religião de Deus.
  • 34. João Periotto João Periotto Paiva Netto e o Arcebispo Metropolitano de Porto Alegre, Dom Dadeus Grings, para quem o líder da LBV autografou um exemplar de sua obra Crônicas & Entrevistas. Lúcio Mauro Fernandes (foto) é o premiado professor que ensaia o Grupo de Danças Raízes do Rio Grande, da Legião da Boa Vontade. Clayton Ferreira Poema em homenagem ao Jubileu de Ouro de Paiva Netto na LBV Compositor e intérprete: Wilson Tubino O radialista Wilson Tubino (ao microfone, na imagem acima) impulsionou a homenagem gaúcha no palco do Theatro São Pedro. Ele interpretou poema que antecedeu a bela coreografia apresentada pelo Grupo de Danças Raízes do Rio Grande, da LBV, com o acompanhamento dos músicos Juliano de Oliveira Eloy (violão e voz), João Carlos Missioneiro (gaiteiro) e da percussionista Ivanete de Oliveira (bombo ligüero). Te saúdo, dom Paiva Netto, Em nome desta querência É o Rio Grande que se inclina E te presta reverência. Aqui estão teus amigos O teu povo solidário Comemorando contigo A festa... o cinqüentenário. Vem te dizer: obrigado! Sei que é pouco... quase nada. Mas sei, também, que isto é muito Pra tua Alma iluminada. A tua firme liderança... Tua sábia orientação, Pois todos aqui conhecem O teu nobre coração. Aqui estão teus amigos Os teus fiéis escudeiros Que levam as tuas mensagens E as espalham ao mundo inteiro. Por isso... permita, amigo Coroando essa passagem Que nosso grupo de danças Te preste uma homenagem. Mensagem de puro Amor De gratidão, de bondade Que ilumina os corações Dos Homens de Boa Vontade. São relíquias do folclore Sem retovo ou muito luxo Mas te entregam, de presente, O coração dos gaúchos. BOA VONTADE | 37
  • 35. Clayton Ferreira aos 8 anos eu tomava chimarrão com losna. E quando ele faleceu, beirando os 90 anos, meu assessor, Francisco Periotto, achou minha pequena cuia e tudo o que usava quando menino. Meu pai era meu ídolo. Se ele tomava chimarrão, eu tomava também (risos). Mas o motivo é que faz bem ao estômago, pois é bom para digestão. “Amo o Brasil. E mais uma razão para esse amor pelo Rio Grande, dentre tantas, é que meu filhinho mais novo — sou pai de 8 filhos e quase 9 netos —, Emmanuel Adolfo, é gaúcho! “Agradeço essa homenagem que me tocou profundamente. Para mim é uma honra muito Reprodução BV Reprodução BV Especial — Paiva Netto grande estar aqui nesse palco que conheceu Marian Anderson (18971993), em 1946, Heitor VillaLobos (1887-1959) e Arthur Rubinstein (1887-1982). (...)” Gratidão mundial As Casas do Poder Legislativo também aproveitaram a data para homenagear o cinqüentenário de trabalho de Paiva Netto na Legião da Boa Vontade. Antes da programação da “Noite Cultural Emoções e Memórias”, o líder da Obra foi condecorado com a Medalha Farroupilha, a maior distinção da Assembléia do Rio Grande do Sul. A solenidade ocorreu no gabinete da Presidência da Casa Legislativa e reuniu autoridades, personalidades, familiares do homenageado e Legionários da Boa Vontade. Ao discorrer sobre o preito, o dirigente da LBV destacou: “(...) É uma satisfação estar aqui, pela importância que este Estado tem para o Brasil. Estou Cruz Missioneira, uma honraria da Região dos Povos das Sete Missões, concedida ao líder da LBV 38 | BOA VONTADE A simpática jornalista Hildegard Angel registrou o acontecimento em sua prestigiosa coluna no Caderno B do Jornal do Brasil — edição de 24 de junho —, destacando os detalhes das apresentações musicais e outros marcantes fatos deste dia especial. Com o título “Honraria top”, a jornalista noticiou: “Os festejos dos 50 anos de José de Paiva Netto na Legião da Boa Vontade pararam Porto Alegre. Na Assembléia Legislativa, ele recebeu a Medalha Farroupilha, honraria top do Estado. No Theatro São Pedro, personalidades de todo o país participaram da celebração do Jubileu de Ouro, com concerto da orquestra de câmara do teatro, sob a regência do maestro Antônio Carlos Borges Cunha, e apresentação do Coral Ecumênico da LBV, com mais de cem vozes. E ainda: cantos e danças com o grupo folclórico Raízes do Rio Grande, ao som de composições do próprio homenageado Paiva Netto...”. “Os festejos dos 50 anos de José de Paiva Netto na Legião da Boa Vontade pararam Porto Alegre.” Hildegard Angel
  • 36. Rosana Serri João Periotto muito emocionado pelo reconhecimento ao trabalho da Legião da Boa Vontade, que é uma Obra patriota. Zarur dizia que ‘o Brasil se sustentava geograficamente no Rio Grande do Sul’. Afinal de contas, ele é a base. (...)” Já no palco do Theatro São Pedro, Paiva Netto recebeu da Câmara dos Vereadores de Porto Alegre o Diploma Construtor da Paz. A proposta da honraria, considerada uma das mais valiosas da Casa, foi aprovada por unanimidade, em reconhecimento às constantes iniciativas de Paiva Netto a favor da Cultura de Paz e de campanhas contra a violência. O dirigente da Instituição foi condecorado, também, com a Cruz Missioneira, uma honraria da Região dos Povos das Sete Missões, no Rio Grande do Sul, e símbolo máximo da Espiritualidade daquela região. Prestigiaram os festejos no dia 20 de junho, na capital gaúcha: Dom Dadeus Grings, Arcebispo Metropolitano de Porto Alegre; Eva Sopher, Presidente da Fun- Ao término do evento, Paiva Netto foi entrevistado pela repórter Simone Schimitz, da TV Ulbra (Universidade Luterana Brasileira). dação Theatro São Pedro; Elaine Camargo, odontóloga; Fernando Casagrande da Rocha, advogado e empresário; Frei Rovílio Costa; a Presidente da Federação Espírita do Rio Grande do Sul, Gladis Pedersen de Oliveira; Onélia Prates e Sandra Pereira, socialites; Padre Marcos Sandrini, Reitor da Faculdade Dom Bosco; Pedro Paulo Torres, representante do Governo do Estado do Rio de Janeiro; Ruy Nogueira, publicitário e assessor de imprensa; Hilda Meneses Pallaoro, médica; Dr. Honório Sampaio Menezes, pediatra; João Santos, advogado; Marcelo Berbardes, do Conselho Tutelar; Dr. Marcelo Luiz Lages Leal, pediatra; Marta da Graça Malagues e Maria da Graça Testa Rosa, da instituição Parceiros Voluntários; Mauro Vargas, Diretor Técnico da Fundação de Assistência Social e Cidadania; Simone Schimitz, apresentadora de TV e coordenadora de marketing da Ulbra TV; Valério Menegat, diretor da ONG Pão dos Pobres; e Wilson Tubino, radialista e escritor tradicionalista. *Nas próximas edições da revista BOA VONTADE, publicaremos trechos do importante discurso de Paiva Netto durante as comemorações do seu cinqüentenário de trabalho na LBV. “Eu acredito que todas as iniciativas da LBV são bem-aceitas: primeiro pela finalidade, pelos fins que a LBV trabalha e também pela qualidade e o número de pessoas que estão envolvidas nesses projetos. (...) Ao Presidente Paiva Netto queremos dar os parabéns pelo trabalho que ele vem fazendo ao longo de todos esses anos e saber que o Rio Grande do Sul sempre estará presente nessas campanhas (...).” (Paulo Tigre, Presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul — Fiergs) BOA VONTADE | 39
  • 37. Especial — Paiva Netto Líder da LBV lança o ensaio André Fernandes Evangelho do Sexo 40 | BOA VONTADE
  • 38. BOA VONTADE | 41 Gustavo Oliveira
  • 39. Especial — Paiva Netto Arquivo BV Clayton Ferreira Clayton Ferreira Ao lado, o líder da LBV é recebido com chuva de papel dourado em forma de coração, assim que subiu ao palco do evento. Abaixo, duas jovens lêem, com atenção, o ensaio literário Evangelho do Sexo, de autoria de Paiva Netto. “(...) Tenho um verdadeiro carinho, amor, pelo trabalho do Paiva Netto; pelo Ecumenismo, pela Caridade, pelo apoio às crianças, aos idosos, aos desamparados.” Monja budista Yvonette Gonçalves 42 | BOA VONTADE O s 50 anos de trabalho de Paiva Netto na Legião da Boa Vontade são mais do que um bom exemplo. Trata-se de acontecimento que inspira as atuais e futuras gerações, pois, em todo este tempo, nunca desistiu de seus ideais, mantendo-se firme no compromisso. E ao chegar ao cinqüentenário de serviços e 65 de vida, fase da existência em que a maioria apenas colhe os louros do passado, ele ainda sente e age como se tivesse um mundo a conquistar, com o espírito incansável de realizar sempre em favor do próximo. Assim é que consegue surpreender, mesmo quando deveria ser festejado, como se deu durante o 31o Congresso da Juventude Ecumênica da Boa Vontade de Deus, realizado no Ginásio da Portuguesa, em São Paulo/SP, no dia 15 de julho. __________ Leila Marco Entendimento e respeito às diferenças O evento programado para comemorar seu Jubileu de Ouro, ele transformou, com o lançamento do ensaio literário Evangelho do Sexo, em um presente para os jovens de todas as idades que lá compareceram. Ao falar da publicação que entregava ao Povo, Paiva Netto leu trechos e analisou seu ensaio: “Evangelho quer dizer boa nova, notícias que transmitem felicidade. Ora, tal não se pode dar se Você não tiver conhecimento do que ela significa. O Sexo é assunto primacial na vida humana e ainda bastante discutido neste mundo. Muitos correm atrás dele, pensando obter prazer eterno, mas será que o conseguem? Só perguntando aos seus travessei-
  • 40. André Fernandes Espero que este trabalho sirva como contribuição, por menor que seja, aos que têm a paciência de me ouvir e/ou ler. Grato!”. Contou sobre o preparo do material em apenas uma semana, atravessando as madrugadas com sua equipe, “não medindo esforços para alcançar a meta”. Era a forma que encontrara para ofertar aos que vieram homenageá-lo algo de sua lavra sobre o tema escolhido pelos próprios jovens. E esclareceu: “Este ensaio é um resumo do livro; porém, creio que será valioso para quem o apreciar. Analisem-no a partir do título: Evangelho do Sexo, mas sem conotação religiosa extremada, coisa que abomino. Depois, virá outra sinopse: Política da Caridade Completa, que faz parte de O Capital de Deus. Daniel Trevisan ros, quando as cabeças reclinam e todos se revelam a si mesmos. Por que o sexo, por si só, não traz o que o Ser Humano mais espera da Vida? Porque precisamos entender que sua essência é espiritual. (...) Não cultivo Alma de censor. Meu esforço, em primeiro lugar, está em aprendermos, de uma vez por todas, que a discriminação, o preconceito e os clichês são grandes vilões, situados na raiz de muitos dos problemas que cercam o Sexo e tantas outras manifestações na existência das sociedades, como o execrável racismo. A Criatura Humana é sagrada e, portanto, acima de tudo, digna de respeito, seja qual for a sua orientação no campo da sexualidade e, por extensão, da ideologia, da ciência, da religião e assim por diante. “É muito bonito, confortador, neste mundo dominado por uma cultura de competição, ver um homem como o Irmão Paiva Netto, que, há cinqüenta anos, vem trabalhando no sentido oposto, contra a corrente, preconizando os valores da cooperação, da harmonização fraterna.” Monge budista Ricardo Mario Gonçalves BOA VONTADE | 43
  • 41. Daniel Trevisan Especial — Paiva Netto Há quem hoje, talvez com a mente em excesso racional, pense que a Caridade seja artigo dispensável. Ora, Caridade é a energia que nos mantém vivos. Ela constitui uma estratégia de Deus para que não percamos o sentido de humanidade*¹. Por isso que, ao término de tudo, talvez não se resolva o problema social das nações na Daniel Trevisan Acima, o instante em que o líder da LBV recebe as homenagens da Prefeitura de Nova York (EUA) entregues por John De Prima. medida da necessidade de sua gente, pois, se é feita respeitável diligência em termos materiais, pouco ou nada se realiza em função do inafastável quesito espiritual, por se cogitar que isto se restrinja ao campo religioso, quando tem tudo a ver com ética. E essa falha histórica resulta em serviço incompleto até em termos econômicos, porquanto, não procuram sem ‘parti-pris’ entender que o governo da Terra começa no Céu*². A Caridade integral vem de lá, porque nasce do coração de Deus. Não do deus (este com “dê” minúsculo mesmo) que alimenta detestáveis preconceitos que estigmatizam pessoas e grupos, promovendo guerras de todos os tipos, mas Daquele que é Amor, princípio básico do Ser, fator gerador de vida, que em toda a parte se manifesta e é Tudo. Que o Sexo tem com isso?! Muita coisa! A começar pelo fato de que Sexo é bem mais do que tantos ainda consideram que o seja. E esse raciocínio, de certa forma, estará com simplicidade explicado no livro a ser lançado”. Na apresentação do material literário, o líder da LBV discorreu ainda acerca da importância da Caridade Completa (material e es- A atriz norte-americana Miranda Reinfeldt que acompanhou John De Prima durante visita ao Instituto de Educação da LBV, em São Paulo/SP, aparece na foto com uma das centenas de crianças atendidas pela unidade educacional. 44 | BOA VONTADE
  • 42. Daniel Trevisan Cristo (...) não somente pregou, mas viveu a Fraternidade (...)”. Vale dizer que as homenagens a este Homem da Boa Vontade ocorreram desde as 9 horas daquele sábado, quando pessoas de todo o Brasil e delegações do Exterior assistiram a apresentações teatrais, musicais e de dança, produzidas por alunos atendidos nas escolas da LBV e por jovens que participam voluntariamente da Instituição. O ponto alto se deu às 17 horas, quando, ao subir ao palco, Paiva Netto foi saudado por uma chuva de papel dourado e foi ovacionado por milhares de pessoas que o aguardavam, além dos cumprimentos de artistas, religiosos, personalidades e amigos. Naquele instante, um acontecimento inesperado causou admiração no público: cinco painéis gigantescos surgiram quando as cortinas ao fundo do palco foram descerradas, como se pode ver nas páginas 42 e 43 desta publicação. No primeiro, Paiva Netto “Temos de prestigiar as pessoas que promovem o Bem, a Boa Vontade na religião, na saúde, na educação, entre o Ser Humano; a Boa Vontade no Planeta. E Paiva Netto representa isso, um homem aberto ao diálogo, que leva a mensagem de Paz. Daí a presença das religiões de matriz africana aqui para lhe dar o abraço pelo seu Jubileu.” Reprodução RMTV piritual) no debate do tema, pois, em sua opinião, “Sexo é bem mais do que tantos ainda consideram que seja”. Acrescentou que “é preciso tirar as aspas dessa Força Divina para que ela ressurja com sua face prazerosa, contudo transcendental”. Também destacou que a inspiração maior da obra é o “Jesus Ecumênico, que nada tem a ver com preconceitos e tabus, que possíveis faltosos lançam contra supostos faltosos, em geral, impiedosamente. (...) Jesus Pai Francelino De Shapanan BOA VONTADE | 45
  • 43. Clayton Ferreira Gustavo Oliveira Especial — Paiva Netto Daniel Trevisan O cantor Tony Gordon emocionou o público ao interpretar a canção Prece para ter Tranqüilidade, de autoria de Paiva Netto. Acima, o Coral Ecumênico LBV que abrilhantou o evento. aparece, ainda jovem (aos 19 anos); na seqüência surge ao lado do saudoso Fundador da LBV, Alziro Zarur (1914-1979). No centro, o maior deles, o Mestre Jesus é retratado na famosa cena bíblica da Pesca Milagrosa. E nos dois últimos, Paiva Netto é apresentado em momentos distintos, respectivamente, numa fotografia capturada em 20 de maio de 1995, em Viena/Áustria, | BOA VONTADE Prêmios dos Estados Unidos Entre as muitas honrarias com que Paiva Netto foi agraciado, naquela data, estão as outorgadas pela Prefeitura de Nova York (EUA) e entregues pelo representante desta, John De Prima, que veio ao Brasil acompanhado da atriz norte- “Senti-me um dos membros da LBV nesse dia tão bonito. Ginásio cheio, todo mundo alegre, sorrindo. E Paiva Netto, como sempre, corajoso. Ele está fazendo um trabalho de vanguarda, de prevenção, o aconselhamento prévio que deve ser feito.” Pai Francisco de Osun 46 na qual aparece iluminado por uma luz superior, e saudando os Legionários.
  • 44. André Fernandes Momento de extrema emoção: Paiva Netto ao lado de sua esposa, Lucimara Augusta, acompanham sensibilizados a interpretação da Prece para ter Tranqüilidade, de autoria dele. A imagem comoveu a compacta massa que superlotava o Ginásio da Portuguesa. americana Miranda Reinfeldt. As distinções são: Citation, concedida a pessoas públicas por relevantes serviços prestados à sociedade e dedicada a quem adquiriu um alto grau de reconhecimento por aquilo que faz pela comunidade; Hall of Fame, somente ofertada às pessoas reconhecidas pelo que realizam em sua área de atuação, como melhor ator, melhor jogador, melhor político, melhor dirigente de obra social etc.; e Proclamation, por trabalhos prestados à sociedade mundial. De Prima falou da dedicação e esforço incomum do DiretorPresidente da LBV em favor da Humanidade. Afirmou que, ao conhecer mais de perto o trabalho desenvolvido pela Obra e conversar com as crianças atendidas, aprendeu duas palavras especiais: “amizade e Jesus”. E que para ele “Paiva Netto respeita Jesus”. John De Prima recordou que com os pequenos anotou outra máxima do líder da Instituição que eles transformaram em música, cujo título é: Todos marchando com a Paz, destacando que se este exemplo fraterno “funciona bem no Brasil, funcionará bem no mundo todo”. Dos Estados Unidos lhe chegou mais uma comenda, desta vez o reconhecimento veio de New Jersey, proposto pelo Vereador Augusto Amador, do East Bound de Newark, pelos programas socioeducacionais prestados à população deste Estado norte-americano. Paiva Netto também foi presenteado com uma bela pintura de São Pedro Apóstolo portando as chaves do Céu, feita pelo artista plástico João Marcelo, como símbolo do carinho do povo gaúcho. Oração com o público Como de costume, ele encerrou o encontro do jeito que mais gosta, orando. Antes mesmo de proferir a Prece Ecumênica de Jesus, o PaiNosso, conclamou os presentes ao fortalecimento moral e espiritual das famílias, pedindo a Jesus a intercessão pelas pessoas enfermas do corpo e de coração ferido. Enquanto fazia sua prédica, o cantor Tony Gordon e o Coral Ecumênico LBV interpretaram a composição Prece para ter Tranqüilidade, de Paiva Netto, que emocionou os presentes, inclusive o homenageado. A razão de tamanho sentimento foi justificada por ele, que contou, em seguida, que, ao escrever uma composição, sempre o faz para o Povo. Por isso, ver o resultado do seu trabalho alcançar os corações dos que estavam ali era para ele uma grande recompensa. Ao encerrar a Oração convidou os milhares de participantes a repetirem as palavras da Milícia Celeste, ao anunciar o nascimento de Jesus, o Cristo Ecumênico (Evangelho, segundo Lucas, 2: 14), pedindo Paz na Terra aos Homens e Mulheres, Jovens, Crianças e Espíritos da Boa Vontade de Deus. _______________________ *¹ Caridade: Estratégia de Deus — Paiva Netto aborda mais amplamente o assunto em suas obras O Capital de Deus, Sociedade Solidária Altruística Ecumênica e na coleção O Apocalipse de Jesus para os Simples de Coração (da qual fazem parte os livros As Profecias sem Mistério, Somos todos Profetas e Apocalipse sem medo, coleção esta que já atingiu a expressiva marca de 1,3 milhão de exemplares vendidos). *² Economia, Direito e Mundo Espiritual — Veja Epístola Constitucional do Terceiro Milênio, de Paiva Netto. Seu conteúdo é um documento do autor dedicado à Mocidade Legionária em 18 de julho de 1988, dois dias depois do comparecimento dela ao 13º Congresso dos Jovens da LBV, realizado em São Paulo/SP. BOA VONTADE | 47
  • 45. Especial — Paiva Netto A trajetória de um Homem de Boa Vontade Fatos que marcaram os 50 anos de trabalho de Paiva Netto e o tornaram um patrimônio do Brasil 48 | BOA VONTADE U ma das principais homenagens ao valoroso brasileiro José de Paiva Netto, que completou 50 anos de trabalho na Legião da Boa Vontade, ocorreu no dia 20 de junho, em Porto Alegre/RS. O acontecimento “Noite Cultural Emoções e Memórias” realizado na tradicional casa da cultura gaúcha, o Theatro São Pedro, foi o primeiro dos grandes eventos programados para saudar a pertinácia de um homem que dedicou a vida ao Bem e à difusão da Espiritualidade Ecumênica (leia a reportagem sobre o evento na p. 32). __________ Leila Marco Desde que abraçou este ideal em 1956, em plena adolescência, aos 15 anos de idade, seus arroubos não eram os que geralmente assaltam os jovens nestes tempos. Ele era um rebelde, mas de Jesus*. Sim, pois logo que escutou uma canção natalina (Noite Feliz, de Joseph Mohr e Franz Grüber) durante o programa Campanha da Boa Vontade, na Rádio Tamoio, do Rio, intrigado observou: “Mãe, música de Natal em junho!” e, na seqüência, ouviria ainda o saudoso Fundador da *Rebeldes de Jesus — Programa criado por Paiva Netto, em 1992, até hoje sendo transmitido na Super Rede Boa Vontade de Rádio, aos sábados, às 14 horas.
  • 46. LBV, Alziro Zarur (1914-1979), repetir a passagem do Evangelho em que os Anjos anunciam o nascimento do Cristo:“Glória a Deus nas Alturas e Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade”. O que lera cerca de três anos antes num opúsculo editado pela LBV chamou-lhe de novo a atenção: no folheto, de excelente conteúdo, que recebeu de uma senhora negra, no Rio de Janeiro/RJ, encontrou descritos os ideais que almejava desde a mais tenra idade — pioneiro movimento inter-religioso promovido por Zarur, com a Cruzada de Religiões Irmanadas. Por tudo isso, disse determinado: “Mamãe, é com esse que eu vou!”. Outra coisa que o impressionou foi a sonoridade do nome dele. A pregação de Fraternidade Universal o encantou de tal maneira que, naquele mesmo dia, 29 de junho de 1956, data que homenageia São Pedro e São Paulo, pegou uma bicicleta e saiu pedindo ajuda para a LBV. Arquivo BV Os saudosos pais, Seu Bruno e Dona Idalina, casal-modelo na Legião da Boa Vontade, sempre deram bons exemplos ao filho, Paiva Netto. Na foto, a singela demonstração de carinho para com o líder da LBV. Paiva Netto sempre esteve presente nos momentos de grandes desafios atravessados pelo Fundador da LBV, Alziro Zarur. BOA VONTADE | 49
  • 47. Daniel Trevisan Aquivo BV A Ronda da Caridade é uma atividade da Campanha Permanente da LBV contra a fome, lançada no fim da década de 1940, com a popular “Sopa dos Pobres”, também conhecida como “Sopa do Zarur”. No destaque, o jovem Paiva Netto, que também participou da primeira Ronda, em 1o/9/1962, no Rio. Aquivo BV Aquivo BV A profunda simpatia pelo Fundador da Instituição não o impedia de analisar as ações do amigo. Paiva Netto era daqueles Aquivo BV Bisturi mental estudantes que andam, como ele próprio afirma, com “o bisturi mental” pronto para cortar os acontecimentos e entrar no cerne da questão, visualizando além das aparências os fatos. E foi com este espírito inquiridor, cultivado no lar — seus pais eram cultos e sensíveis à arte, principalmente a musical — que ele observaria que a pregação do Ecumenismo Irrestrito era calçada de atitudes concretas. “Quando descobri que Zarur sendo descendente de árabes (Dona Ássima, sua mãe, Aquivo BV Passou, a partir daquele instante, a colaborar voluntariamente com a Instituição, realizando, mesmo a pé, campanhas para a compra da antiga Rádio Mundial, que se tornou a Emissora da Boa Vontade, de 1956 a 1966, e para auxiliar o Natal Permanente da Obra, que presta socorro diário ao Povo. 50 | BOA VONTADE foi síria e o pai, Elias Zarur, libanês) e que o primeiro Embaixador da LBV era um judeu chamado Jacques Aboab, pensei: esse homem sabe o que está fazendo. Ele não está blefando. A coisa é pra valer!(...)”. Sucessor natural Ainda na infância, interessava-se pelos livros, incentivado principalmente pelo exemplo do pai, Bruno Simões de Paiva (1911-2000); e tinha um cuidado com o próximo, ajudando a
  • 48. Antonio Carlso Figueiredo Nizete Souza Com oportunidades únicas que recebem na LBV, jovens e crianças têm condições reais de mudar suas vidas. Ambientes dignos, educação de qualidade, alimentação balanceada e saúde básica transformam para melhor a existência de milhares de famílias brasileiras. Aquivo BV O Centro Educacional, Cultural e Comunitário, no Rio de Janeiro/RJ (Av. Dom Hélder Câmara, 3.059, Del Castilho), com 5.000 m2 de área construída, atende crianças, jovens, adultos e idosos em situação de risco social e pessoal provenientes das comunidades em torno das favelas do Guarda, Jacarezinho, Parque Evereste, Nova Brasília, Manguinhos, Parque União de Del Castilho, Complexo do Alemão, Águia de Ouro e Comunidade de Escol. BOA VONTADE | 51
  • 49. Daniel Trevisan Cida Liranes Daniel Trevisan Daniel Trevisan Daniel Trevisan Alunos realizam atividade recreativa na ampla praça do Instituto de Educação da LBV, na capital paulista, que atende, diariamente, mais de mil jovens e crianças. Na fachada do local, Paiva Netto fez colocar esta máxima de Aristóteles (384-322 a.C.): “Todos quantos têm meditado na arte de governar o gênero humano acabam por se convencer de que a sorte dos impérios depende da educação da mocidade”. 52 | BOA VONTADE
  • 50. Arquivo BV Clayton Ferreira Daniel Trevisan Campanhas de Valorização da Vida em 1961. Durante largo tempo, escreveu a parte de baixo da coluna de Zarur, no jornal Gazeta de Notícias, conforme revela o próprio criador da Legião da Boa Vontade. São mais de quatro décadas contribuindo com a imprensa, fazendo surgir a via para um jornalismo solidário, que nos últimos anos vem ganhando força na mídia. Mesmo antes da morte de Alziro Zarur experimentava a responsabilidade de levar à frente esta Obra, a Davi Assis Arquivo BV O saber adquirido em anos de lutas e a vitalidade dos voluntários formam a tônica do dia-a-dia dos vovôs e vovós atendidos nos Lares da LBV. Como ensina Paiva Netto há décadas: “É preciso aliar ao patrimônio da experiência dos mais velhos a energia dadivosa dos mais moços”. Marina Figueiredo mãe, Idalina Cecília de Paiva (1913-1994), que era enfermeira prática, no amparo aos doentes e recebia carinhosamente a quem batesse à porta da casa à procura de ajuda. O contato com o saudoso Fun­ dador da LBV ampliou ainda mais seu interesse pelo Ser Humano e o pendor para os cuidados com o Espírito. Com ele também iniciou nas profissões de radialista, ainda na década de 1950, e de jornalista, Graças ao empenho do líder da LBV, a Instituição promove sistematicamente diversas campanhas educacionais antidrogas, antiviolência no trânsito, pela preservação da Natureza, a fim de se obter adesão e conscientizar a sociedade, sobretudo as crianças e os jovens, quanto aos valores reais da existência. Pela Campanha LBV — Esporte é Vida, não violência!, que é realizada desde a década de 1970, Paiva Netto foi, por dois anos consecutivos, ganhador do troféu “Bola de Ouro” (1997 e 1998). Em 14 de abril de 1997, recebeu a homenagem das mãos do Dr. João Havelange, que presidiu por 24 anos a FIFA, órgão máximo do futebol mundial. BOA VONTADE | 53
  • 51. Fotos: Arquivo BV Especial — Paiva Netto Solidariedade Ecumênica além-fronteiras — As ações de Paiva Netto empolgam outras nações do Planeta. Atualmente, as iniciativas fraternas são desenvolvidas pela LBV da Argentina, do Paraguai, do Uruguai, da Bolívia, de Portugal e dos Estados Unidas, e em diversas regiões do mundo. Uma amostra disso são as imagens acima, nas quais pode ser visto o atendimento a crianças em situação de risco social. Destaque também para a atuação da Obra na Organização das Nações Unidas. ponto de o Fundador da Instituição dizer: “Aí está por que José de Paiva Netto foi elevado a Secretário-Geral da LBV. Ele sente os problemas (da Obra) como o próprio criador da Legião da Boa Vontade”. Por isso, a forma natural como se tornou sucessor de Zarur. Em sua administração, multiplicou os Programas de Promoção Humana, Social e Educacional da LBV, num crescimento superior a 15.000%, conforme publicado pela Veja em 1994, ao traçar o seu perfil. Sob seu comando, o ideário da Instituição ganhou caráter internacional, atuando na Bolívia, no Paraguai, no Uruguai, na Argentina, em Portugal e nos Estados Unidos, além de possuir correspondentes em todo o mundo. Graças a seu trabalho, a LBV foi a primeira organização não-governamental brasileira a associar-se ao Departamento de Infor­mação Pública das Nações Unidas, a partir de 1993. Em 1999, tornou-se ainda a primeira ONG do Brasil a conquistar na ONU o status consultivo geral no Conselho Econômico e Social (Ecosoc). E, em 2000, passou a integrar a Conferência das ONGs com Relações Consultivas para as Nações Unidas (Congo). As te- Audição Mundial de O Mistério de Deus Revelado no Harlem Vieira Filho Vieira Filho Em abril de 2006, o Oratório O Mistério de Deus Revelado (que superou a marca das 500 mil cópias vendidas), do compositor Paiva Netto, foi apresentado pelo Coral do Santuário (The Sanctuary Choir) da Convent Avenue Baptist Church, sob a regência do respeitado maestro e professor Gregory Hopkins, na cidade de Nova York, nos Estados Unidos. 54 | BOA VONTADE
  • 52. Antonio Carlos Figueiredo João Periotto As crianças atendidas pela Legião da Boa Vontade, desde pequenas, compreendem a importância de preservar o Meio Ambiente. Outra característica de sua gestão foi o aumento do número de órgãos com fins educativos. Em 1981, inaugurou a primeira creche da Instituição, no Rio de Janeiro/RJ, naquela época chamada de Creche Maternal, a que deu o nome de Alziro Zarur, viabilizou Escolas e Centros Co­ munitários e Educacionais em todo o País, que oferecem educa- Centros de excelência de ensino “A Legião da Boa Vontade não oferece uma opção pobre ao Marina Figueiredo Numa parceria com a Rede Bandeirantes de Televisão, o dirigente da LBV realizou a Campanha LBV — SOS Nordeste, que promoveu uma das maiores mobilizações solidárias já vistas no País, em favor dos flagelados da seca. Em 1998 e 1999, foram mais de 7 milhões de quilos de alimentos distribuídos para cerca de um milhão de pessoas em mais de 1.100 localidades. ção infantil, ensino fundamental, médio, supletivo e EJA — Educação de Jovens e Adultos, além de cursos profissionalizantes a milhares de adolescentes e adultos de comunidades em situação de risco social. Educador de várias gerações Vânia Besse SOS Nordeste Cida Linares ses de Paiva Netto são também divulgadas nas Nações Unidas, como seu artigo “A Mulher no conSerto das Nações”, traduzido para os seis idiomas oficiais da organização (Árabe, Chinês, Espanhol, Francês, Inglês e Russo) e distribuído durante a 50 a Sessão da Comissão do Status da Mulher, ocorrida de 28 de fevereiro a 10 de março deste ano. A LBV oferece cursos visando à melhoria da qualidade de vida de vovôs e vovós da Terceira Idade O Presidente do Grupo Bandeirantes de Rádio e TV, sr. Johnny Saad, e Paiva Netto. BOA VONTADE | 55
  • 53. Marina Figueredo Daniel Trevisan João Preda Especial — Paiva Netto 56 | BOA VONTADE pobre. Ela oferece ao pobre uma opção de qualidade”, ressaltou o sociólogo Pedro Demo, na época em que presidia a Organização Mundial para a Educação PréEscolar. Sua afirmativa ex­­plica de forma resumida a preocupação do dirigente da LBV, Paiva Netto, em criar uma nova realidade para os alunos que ingressavam nos centros educacionais da Instituição, de maneira que tenham acesso a todos os meios encontrados nas melhores escolas. Professores de alto nível, boas condições físicas para o ensino, laboratórios de informática e de ciências bem equipados, alimentação balanceada, com acompanhamento de nutricionista, atendimento médico e psicológico e muito Amor, para que o enorme déficit social do País, também com a cooperação da Legião da Boa Vontade, seja vencido. O resultado deste sistema pode ser visto em relevantes pontos: os estabelecimentos de ensino da Obra têm evasão zero e conseguem promover um desenvolvimento espírito biopsicossocial satisfatório para os alunos. Nesta ação empreendedora, destaque para o Centro Educacional, Cultural e Comunitário da LBV (Rio de Janeiro/RJ); o Instituto de Educação José de Paiva Netto (São Paulo/SP); o Lar e Parque Alziro Zarur (Glorinha/RS); Escolas de Educação Infantil em Brasília/DF, Curitiba/PR e Belém/PA; a Ala dos Estudantes do Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, o ParlaMundi da LBV, em Brasília, entre outros modernos núcleos em atividade no País. Várias das teses defendidas por Paiva Netto po­dem ser vistas nas diversas obras de sua autoria, que se
  • 54. Simone Barreto Daniel Trevisan Pela Campanha Não use drogas. Viver é Melhor!, da LBV, no Brasil e no Exterior, a Instituição e seu dirigente receberam, em 18 de junho de 2004, o Diploma do Mérito pela Valorização da Vida, concedido pela Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) e vinculado ao Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, em cerimônia comandada pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na foto acima, o Dr. Pedro Paulote de Paiva (C), representando a LBV e seu DiretorPresidente, ao lado do proponente da honraria, General Paulo Uchoa, Secretário Nacional Antidrogas (E); e do General Jorge Armando Félix, Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (D). Paiva Netto criou a Editora Elevação, a Gráfica da Boa Vontade, a Gravadora Som Puro, o Portal Boa Vontade (www.boavontade.com), a Super Rede Boa Vontade de Rádio (primeira rede em sistema digital com equipamentos próprios), a Boa Vontade TV (Programadora de conteúdo para a TV a cabo) e a Rede Mundial de Televisão, as três últimas com dezenas de emissoras de Norte a Sul do País. Todas essas importantes mídias prestam contas das realizações da LBV e levam Fé e Esperança, sob o lema: Educação e Cultura, Alimentação, Saúde e Trabalho com Espiritualidade Ecumênica! O carisma com as novas gerações faz de Paiva Netto um jovem, sendo procurado sempre por eles. Daniel Trevisan Arquiovo BV tornaram best-sellers. O autor já vendeu mais de três milhões de livros, além de escrever para importantes publicações do País e colaborar em jornais e revistas do Exterior. Por tudo isso, o evento “Noite Cultural Emoções e Memórias” teve um valor especial, não só para os brasileiros, mas para todos os que acreditam, pelo mundo afora, que é possível se ter uma Humanidade mais feliz e justa. Se há 50 anos uma canção de Natal em pleno mês de junho levou Paiva Netto a dedicar sua existência a esta causa, nada melhor que festejar essa data tão importante com sua excelente música, e quem sabe com ela trazer tantos outros Paivas para a Seara da Boa Vontade. BOA VONTADE | 57
  • 55. Especial — Paiva Netto João Periotto Conjunto Ecumênico da LBV formado pelo ParlaMundi (E), sede administrativa (C) e Templo da Boa Vontade (D). Este é o monumento mais visitado de Brasília/DF, segundo dados oficiais da Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur). Desde que foi inaugurado por Paiva Netto, há 16 anos, em 21/10/1989, já recebeu mais de 15 milhões de peregrinos e turistas. Um teto para a Humanidade E ntre suas realizações, o destaque é para a construção do Templo da Boa Vontade (TBV), entregue à Humanidade em 21/10/1989. A inauguração do monumento repercutiu no Planeta. Foram recebidas milhares de cartas vindas de todas as partes do mundo, inclusive de personalidades internacionais e estadistas, a exemplo de Jimmy Carter (ex-Presidente dos Estados Unidos); Margaret Thatcher (exPrimeira-Ministra da Inglaterra); Mário Soares (ex-Presidente de Portugal e ganhador da Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica do ParlaMundi da LBV, em 1996, na categoria hors-concours); Yasser Arafat (in memoriam — Presidente da Autoridade Palestina e Prêmio Nobel da Paz, em 1994); Dalai-Lama Tenzin Gyatso (Líder religioso tibetano que ganhou o Prêmio Nobel 58 | BOA VONTADE da Paz, em 1989, e a Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica do ParlaMundi da LBV, em 1999, na categoria hors-concours); Madre Teresa de Calcutá (in memoriam — Prêmio Nobel da Paz, em 1979); José Ramos Horta (Prêmio Nobel da Paz de 1996), Adolfo Pérez Esquivel (Escritor argentino e Prêmio Nobel da Paz, em 1980); Arcebispo Anglicano Desmond Tutu (Prêmio Nobel da Paz, em 1984); Fidel Castro (Presidente de Cuba) e Pelé (“Atleta do Século” e ganhador da Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica do ParlaMundi da LBV, em 1996, na categoria Esporte). O TBV, em pouco tempo, tornou-se o monumento mais visitado da capital brasileira. Em seus 16 anos de existência, já recebeu mais de 15 milhões de peregrinos e turistas, segundo dados oficiais da Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur). Ao lado do TBV ergueu, também com o apoio da população, o Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica — o ParlaMundi da LBV —, um fórum de debates destinado a reunir todas as criaturas e instituições do Brasil e do mundo que trabalham pela valorização do Ser Humano e de seu Espírito eterno. Nele está a Ala dos Estudantes — espaço que alia o conhecimento humano às luzes dos ensinos espirituais na formação do Cidadão Ecumênico —, freqüentada anualmente por mais de 150 mil jovens. Instituiu a Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica, prêmio que, desde 1996, é entregue no ParlaMundi da LBV àqueles que mais se destacarem em suas áreas de atuação, mas tendo como princípio básico a Fraternidade sem fronteiras nas atividades que realizam.
  • 56. Arquivo BV O saudoso Dr. João Jorge Saad visita as obras do TBV, ao lado de seu velho amigo Paiva Netto, a quem ele chamava carinhosamente de José. Na ocasião, em janeiro de 1987, ao tomar pessoalmente conhecimento da grandiosidade da obra, ainda no seu início, o respeitado empresário da comunicação desafiou o dirigente da LBV: “José, você vai conseguir mesmo entregar o TBV em 21 de outubro de 1989?”. Ao que Paiva Netto prontamente respondeu: “Vou, Dr. João, porque prometi ao Povo. E aquilo que prometo eu cumpro”. E, de fato, assim aconteceu: o Templo Próximo à inauguração do TBV, o ex-Presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter demonstrou em correspondência sua admiração pela empreitada: “Agradeço o gentil convite (...). Apreciei muito a lembrança. Transmito meus sinceros votos e espero que a LBV tenha muito sucesso nesta grande ocasião (...)”. Reprodução: Cida Linares Gilberto Bertolin Promessa feita, promessa cumprida! da Boa Vontade foi concluído. A inauguração deu-se na data marcada pelo Diretor-Presidente da LBV, a exemplo de outras promessas feitas por ele, como as inaugurações do magnífico ParlaMundi da LBV (25/12/1994) — localizado ao lado do TBV —, e do extraordinário Centro Educacional, Cultural e Comunitário da Legião da Boa Vontade, cujas obras foram entregues à população carioca em 2 de março de 1996, data de aniversário de Paiva Netto e no mesmo ano em que o líder da LBV completaria 40 anos de relevantes serviços prestados à Legião da Boa Vontade (29/6/1996). Arquivo BV Jimmy Carter (ex-Presidente dos Estados Unidos) Na mesma época, a LBV recebeu da Secretária particular da sra. Margaret Thatcher, Amanda Ponsoby, amável carta na qual agradece o convite feito pela Instituição à então Primeira-Ministra da Inglaterra, para estar presente na memorável data. Arquivo BV Margaret Thatcher (ex-Primeira-Ministra da Inglaterra) “Estar no Templo da Boa Vontade é muito emocionante e importante também, já que vocês realizam um trabalho em favor do Povo. E creio que tudo está direcionado para conscientizar os jovens, para que eles sejam preparados. E com algo muito importante: a Espiritualidade.” Adolfo Pérez Esquivel (Escritor argentino e Prêmio Nobel da Paz, em 1980.) “Prezado sr. José de Paiva Netto, confio-lhe minhas preces por todos. Que as bênçãos de Deus estejam com vocês da Legião da Boa Vontade, e que muitas pessoas conheçam o Amor de Jesus através do Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica e do TBV e mantenham viva a Boa Nova de Seu Amor no mundo, amando uns aos outros como Ele nos amou. Que Deus os abençoe.” Madre Teresa de Calcutá (in memoriam), Prêmio Nobel da Paz, em 1979. BOA VONTADE | 59
  • 57. “Eu realmente gostei muito de ver, em primeiro lugar, a arquitetura do Templo da LBV, admirei-a muito, e estou naturalmente sintonizado com sua intenção ecumênica e em favor da Paz, em favor da unidade do gênero humano. Esses são valores que eu também tenho. (...) A vossa filosofia é a do entendimento entre todos, portanto sem dogmas, o que para mim é muito simpático.” Mário Soares (ex-Presidente de Portugal e ganhador da Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica do ParlaMundi da LBV, em 1996, na categoria hors-concours.) “Bom, José de Paiva Netto, sei qual é a sua luta porque também venho nisso há muito tempo, lutando pelo bem-estar do menor em nosso País, contra a delinqüência infantil, desde o filme ‘Trombadinha’. Sei que é uma luta muito grande. Que Deus lhe dê saúde! Que todo o pessoal da Legião da Boa Vontade possa, nesse esforço, conseguir benefícios espirituais e proporcionar um futuro viável às crianças atendidas pelas escolas da LBV em todo o Brasil.” Pelé (“Atleta do Século” e ganhador da Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica do ParlaMundi da LBV, em 1996, na categoria Esporte.) Arquivo BV “(...) Em meu nome, em nome de meus Irmãos do Comitê Executivo da Organização para Libertação da Palestina — OLP — e em nome de nosso povo palestino, quero agradecer seu amável convite para que eu presenciasse a inauguração do Templo da LBV. Congratulo-me com suas atividades desempenhadas em auxílio aos pobres e em defesa da Humanidade, da Justiça e dos oprimidos (...).” Yasser Arafat (in memoriam), Presidente da Autoridade Palestina e Prêmio Nobel da Paz, em 1994. 60 | BOA VONTADE “É maravilhoso falar a respeito do Templo da Boa Vontade e do Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica. Eles representam aquilo em que eu sempre acreditei, isto é, que as pessoas e todas as religiões têm o mesmo potencial para ajudar a Humanidade. Todas levam dentro de si a mensagem de compaixão, Amor e perdão espiritual. O que a Legião da Boa Vontade faz é maravilhoso. Eu apóio esse trabalho totalmente e espero que meu Espírito e Alma possam estar sempre com vocês.” Dalai-Lama Tenzin Gyatso (Líder religioso tibetano que ganhou o Prêmio Nobel da Paz, em 1989, e a Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica do ParlaMundi da LBV, em 1999, na categoria hors-concours.) “Julgo que o aspecto mais importante neste projeto do TBV, nesta arquitetura é o espírito de irmandade étnica, cultural, religiosa em que não há classes sociais, econômicas. Aqui está tudo representado, todos podem dialogar. Realmente, é superinteressante.” Arquivo BV Leila Marco J. A. Parmegiani Especial — Paiva Netto José Ramos Horta (Prêmio Nobel da Paz de 1996)
  • 58. Arquivo BV “Deve-se lutar em favor dos mais indefesos, que são as crianças, as futuras gerações. Este trabalho da LBV, de base, é o mais importante, porque o perigo é real. Não existe um mínimo de exagero, quando se diz que a espécie humana está em perigo: 21 mil toneladas de dióxido de carbono lançadas a cada ano!... Não há atmosfera que resista.” Fidel Castro (Líder de Cuba) Lucian Fagundes Durante visita ao Templo da Paz, o psiquiatra e escritor norte-americano Brian Weiss parou diante do mapa astral do líder da LBV e mostrou-se impressionado com o poder de realização e a alta Espiritualidade de Paiva Netto. Arqmando Kitamura Fernando Franco “É maravilhoso vir aqui no TBV porque eleva o Espírito e alivia a Alma. É disso que precisamos. Então, em um lugar lindo como esse, você não sofre preconceito, não se sente ansioso, nem com o estresse da vida diária. Você sente a paz no coração e essa energia é muito, muito forte.” Antes mesmo de embarcar para o Brasil — como registrou o jornal Correio Braziliense, do Distrito Federal, em maio de 1987 —, Desmond Tutu declarou a um diplomata do Itamaraty: “Ao chegar ao seu país, desejo encontrar-me com meus Irmãos de Fé e quero rever dois grandes amigos: Dom Hélder Câmara e o Presidente da Legião da Boa Vontade, José de Paiva Netto”. Em outra oportunidade, falando a representantes da LBV, afirmou: “Quero louvar o Presidente Mundial da Legião da Boa Vontade pelo seu artigo ‘Apartheid lá e Apartheids cá’ (publicado em 30 de março de 1986 no jornal Folha de S.Paulo), no qual ele procura conscientizar os povos de que há várias formas de racismo atuando em muitas partes do mundo, até mesmo no Brasil. (...) Gostaria de transmitir-lhe o meu muito obrigado pelo trabalho que realiza. Que Deus o abençoe e os prezados Legionários da Boa Vontade. Vocês se tornaram, ao longo de sua proveitosa atividade, estimados trabalhadores de Deus. Desejo que Ele estenda ainda mais o Seu Reino, para construir Sua Igreja e servir Seus filhos que estão no mundo. Que Deus o abençoe amplamente, hoje e sempre!”. Arcebispo Anglicano Desmond Tutu, Prêmio Nobel da Paz, em 1984. BOA VONTADE | 61
  • 59. Especial — Paiva Netto O grande desafio da Pedagogia de Deus A Paiva Netto, na revista Sociedade Solidária Altruística Ecumênica (7a Edição), editada em diversos idiomas e encaminhada à Organização das Nações Unidas (ONU): “(...) O Cidadão Ecumênico é o cidadão solidário, portanto não-egoísta. É aquele que não se deixa seduzir pelo fanatismo, porque entende que não faz sentido odiar em nome de Deus, que é Amor. Enfim, é o que sabe respeitar a sagrada criatura humana sem preconceitos e sectarismos. O que é ético não pode acovardar-se. Quando o território não é defendido pelos bons, os maus fazem ‘justa’ a vitória da injustiça. (...)” Na proposição desta revolucionária forma de ensino também conceitua: “A Educação, quando acertada, liberta. E, com a Espiritualidade Ecumênica, sublima”. Sobre um Daniel Trevisan Pedagogia do Cidadão Ecumênico (ou Pedagogia do Afeto, Pedagogia de Jesus, Pedagogia do Amor, Pedagogia de Deus) é uma vanguardeira metodologia de ensino, preconizada por Paiva Netto e aplicada com sucesso nos programas e projetos socioeducativos desenvolvidos pela Legião da Boa Vontade do Brasil e do Exterior, por meio de Lares para crianças, jovens e Terceira Idade; Centros Comunitários; Educacionais; Esportivos e Pólos Culturais. É fundamentada nos valores nascidos do Amor Universal, dispondo o indivíduo para viver a Cidadania Plena, firmada no exercício integral da Solidariedade Planetária, acima de crenças, descrenças, tradições, etnias e seja lá mais o que for. Como define 62 | BOA VONTADE dos agentes nesse processo ensinoaprendizagem, o Diretor-Presidente da Instituição afirma que “o Jovem é o futuro no presente. Confiemos nele! tal como fez São Francisco de Assis, que é Patrono da LBV, fundada pelo saudoso Alziro Zarur!”. Tal assertiva expressa a cultura do respeito e do cuidado para com as novas gerações, fomentada pela LBV desde sua fundação, há 56 anos. O autor da Pedagogia do Afeto assegura ainda: “(...) pugnamos por Educação e Cultura aliadas à ação iluminante da Espiritualidade Ecumênica. Por sinal, para que se faça — como diria o filósofo italiano Pietro Ubaldi (1886-1972), que declarou, mutatis mutandis, que ‘a LBV colocará o Brasil na vanguarda do mundo’ — a Grande Síntese entre as luzes do intelecto e o Sol do conhecimento espiritual, a Legião da Boa Vontade avança pioneiramente para trazer às salas de aula — ao consolidar a Pedagogia do Cidadão Ecumênico, ou do Cidadão Solidário, nas suas escolas de educação infantil, ensino fundamental e médio — a capacitação para o discernimento ético, visando não apenas à existência material, mas igualmente à Vida Eterna, porquanto aplicada, como relevante lição, aos desafios terrenos, com uma atitude portentosa na certeza por um futuro
  • 60. Diego Basso José Carlos Figueiredo melhor. (...) Assim como na geometria cartesiana, é preciso fazer com que a Educação material (eixo dos ‘xis’) encontre o saber proveniente das mais elevadas esferas da Sabedoria Divina, que é o Amor (eixo dos ‘ípsilons’). O pensador entende e utiliza a inteligência, o conhecimento técnico ou específico em prol dos Seres Humanos. Não obstante, há tanta gente diplomada construindo o mal neste Planeta! Por acaso é sábia a pessoa que prejudica o semelhante, que rouba a pátria? Arquivo BV “Em Educação, o esforço da LBV é notável. (...) Paiva Netto está trazendo uma metodologia inédita que precisa de professores especializados que não estão disponíveis na praça e, portanto, terão de ser preparados dentro de uma sistemática original e revolucionária do ponto de vista pedagógico.” Arnaldo Niskier (Imortal da Academia Brasileira de Letras e Secretário de Cultura do Estado do Rio de Janeiro). Não é! (...) É necessário, portanto, que alcancemos Sabedoria, por exemplo, com Jesus, que, sendo Mestre em Israel e, séculos depois, um dos mais respeitados profetas do Islã, lavou os pés de Seus Apóstolos, consoante a narrativa de João, no capítulo 13 do quarto Evangelho canônico. E aí estaremos no caminho adequado para conduzir o Espírito sob a claridade que não produz sombras: a de Deus, entendido como Amor, jamais aquele antropomorfizado, que tinha o solene repúdio de Albert Einstein (1879-1955). Ou, para os que não crêem Nele, a dos mais sublimes sentimentos que justificam a sobrevivência da raça humana, apesar de séculos e séculos de sandices de tantos que, lato sensu, a governaram, pois não são somente os que habitam os palácios que o fazem. (...) Na entrada do Instituto de Educação da LBV, fiz colocar esta afirmativa: Aqui se estuda. Formam-se Cérebro e Coração. Um carece do outro. “Emmanuel, no subtítulo ‘Crianças’, no seu livro Fonte Viva*1, psicografia de Francisco Cândido Xavier (1910-2002), inspirado no versículo 10 do Evangelho de Jesus, segundo Mateus, capítulo 18: ‘Vede, não desprezeis os pequeninos...’, escreveu: “‘Crianças “‘Quando Jesus nos recomendou não desprezar os pequeninos, esperava de nós não somente medidas providenciais alusivas ao pão e à vestimenta. “‘Não basta alimentar minúsculas bocas famintas ou agasalhar corpinhos enregelados. É imprescindível o abrigo moral que assegure ao espírito renascente o clima de trabalho necessário à sua sublimação. “‘Muitos pais garantem o conforto material dos filhinhos, mas lhes relegam a alma a lamentável abandono. “‘(...) “‘Não desprezes, pois, a criança, entregando-a aos impulsos da natureza animalizada. “‘(...) “‘O prato de refeição é importante no desenvolvimento da criatura, todavia, não podemos esquecer ‘que nem só de pão vive o Homem’. “‘Lembremo-nos da nutrição dos meninos, através de nossas atitudes e exemplos, avisos e correções, em tempo oportuno, de vez que desamparar moralmente a criança, nas tarefas de hoje, será condená-la ao menosprezo de si própria, nos serviços de que se responsabilizará amanhã’.” BOA VONTADE | 63
  • 61. Especial — Paiva Netto 64 | BOA VONTADE na preparação dos jovens para a subsistência neste mundo material de tecnologia jamais vista e, paradoxalmente, na atualidade, tão instável para os que labutam pelo futuro próprio, devemos levar na mais alta consideração que os moços têm de ser com eficiência qualificados para o mercado atual de trabalho. “E, mais: de tal maneira que não persigam um caminho, ao término de que, a profissão para a qual se prepararam não mais exista ao fim do curso. É essencial, pois, que recebam formação para serem empreendedores, de modo que possam suplantar os fatos supervenientes que a qualquer instante desafiam a sociedade, assustando multidões. Não é sem motivo que um de nossos dísticos seja: Educação e Cultura, Alimentação, Saúde e Trabalho com Espiritualidade Ecumênica. (...)” O ex-jogador de futebol e Deputado Estadual Roberto Dinamite, em carta encaminhada à redação da revista BOA VONTADE, enalteceu a metodologia de ensino da LBV, que tomou conhecimento por meio da reportagem de capa da publicação de agosto de 2005. Ele comenta que lhe chamou a atenção “a Pedagogia do Afeto (do dirigente da LBV) que ensina valores éticos e espirituais e tem como princípio Pedagogia do Cidadão Ecumênico na análise “O que encontrei na LBV foram crianças satisfeitas e tranqüilas. Nas escolas americanas trabalhamos com informações racionais, fatos e detalhes. Lá, os professores voltam sua atenção apenas para as provas, a carreira profissional, e não para os sentimentos do coração. Eis a grande diferença da LBV.” Joan Beisel (Representante da Secretaria de Educação de Nova York, responsável por programas voltados para as escolas públicas dos Estados Unidos). Bloomfield College Cida Linares “Essa alternativa da LBV é importante com toda a sua proposta de ensino voltada para os carentes, em especial, para a educação infantil comunitária. (...) A preocupação da LBV é de qualidade, uma coisa extraordinariamente bem bolada. (...) Até porque toda a didática da educação infantil só pode ser criativa se passar pelo lúdico. A criança na Legião da Boa Vontade se expressa, fala, pensa e se realiza também brincando. A LBV faz uma oferta de qualidade para o pobre. Ela não faz para o pobre uma oferta pobre (grifo nosso). A Legião da Boa Vontade hoje é um patrimônio nacional, tem uma longa história.” Pedro Demo (Sociólogo e exPresidente da OMEP no Brasil — Organização Mundial para a Educação Pré-Escolar). Arquivo BV Num de seus outros improvisos, aos microfones da Super Rede Boa Vontade de Rádio, em 17 de junho de 1999, Paiva Netto advertiu: “(...) Fazemos todo o esforço para socorrer as crianças, instruí-las, conseqüentemente livrá-las do perigo da ignorância, de maneira que possam tornar-se adultas equilibradas, e o mesmo fazemos com as moças e com os rapazes. Por isso, esses que são responsáveis por eles têm de estar sob acompanhamento e em capacitação continuada, mas sem esquecer o grande diferencial dos nossos empreendimentos de Boa Vontade, que é o Cristo de Deus, visto de maneira assectária, libertária, acima de grilhões, de patrulhamentos humanos de qualquer natureza. A Boa Nova Dele — entendida em Espírito e Verdade, à luz do Seu Mandamento Novo — não alimenta intolerâncias. Suas lições são tão elevadas e a erudição, que elas promovem, tão extensa, que costumo afirmar que Jesus é uma conquista diária para os que têm sede de Saber, de Justiça, de Liberdade, Igualdade e Fraternidade*2”. O próprio tribuno e escritor Paiva Netto explica, em 1989, numa entrevista que concedeu ao jornalista e homem de TV polonês Roman Dobrzy´ nski. Perguntou-lhe o comunicólogo: “Como pode o senhor pregar o Ecumenismo Irrestrito, falando em Jesus?”. Respondeu-lhe Paiva Netto que uma das missões da LBV é exatamente dessectarizar essa grande Figura Altruística da Humanidade. Voltando à revista Sociedade Solidária Altruística Ecumênica, o líder da LBV igualmente afiança: “(...) O Espírito tem lugar preponderante no nosso labor. Entretanto, “Apesar de esses menores serem muito carentes, recebem da LBV um tratamento escolar admirável.” Linda Caldwell Epps (VicePresidente da Bloomfield College).
  • 62. a formação do Ser Humano e seu Espírito eterno. A coordenadora da 5ª série do Ensino Fundamental ao terceiro ano do Ensino Médio, Iramara Fluminhan, citada na reportagem, explica o sucesso da Pedagogia do Afeto, ao nos remeter ao Novo Mandamento: ‘Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei.’ Aliás, muito bem lembrado. O Amor é a base de tudo para um mundo melhor. (...) Fiquei emocionado ao ler que o programa LBV: Criança — Futuro no Presente! beneficia jovens. Lembrei-me da infância em situação de pobreza na Baixada (Fluminense) e do meu início na carreira esportiva que me propor- Diversos termos com um mesmo significado Pedagogia do Cidadão Ecumênico (PCE), Pedagogia de Jesus, Pedagogia do Amor, Pedagogia do Afeto, Pedagogia do Carinho, Pedagogia da Solidariedade... Todos estes termos remetem ao método revolucionário de ensino a que Paiva Netto tem se dedicado ao longo dos tempos, desenvolvendo a Pedagogia de Deus, antevista por Alziro Zarur, que propõe a educação e a reeducação do Ser Humano e seu Espírito eterno, firmadas em “Jesus, o Grande Educador dos Povos”, na definição do criador da LBV. cionou momentos inesquecíveis. Infelizmente não pude contar com os benefícios de uma LBV naquela época, mas folgo em saber que há centenas de jovens afortunados que já podem sonhar com um futuro melhor sob a orientação _______________ de profissionais altamente preparados e preocupados com essa parcela significativa da juventude. (...) Parabéns a todos vocês editores, repórteres, redatores que fazem da BOA VONTADE, uma leitura imprescindível”. *1 Fonte Viva — Ditado pelo Espírito Emmanuel; psicografado por Francisco Cândido Xavier: Federação Espírita Brasileira, 2003. *2 Liberdade, Igualdade e Fraternidade — Dístico da Revolução Francesa. “Eu comecei a entender o que vocês utilizam e toda parte prática da LBV com a Pedagogia Ecumênica. Está bem evidente que isso é a visão do futuro, este é o paradigma realmente de integrar, de respeitar e de poder conviver com as diferenças, com as possibilidades de enriquecimento mútuo, a partir dessas próprias diferenças.” Sérgio Benken (Professor e Mestre em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro — PUC/Rio). “Estou impressionada. Não tinha idéia da abrangência do trabalho da Legião da Boa Vontade, desde bebezinhos até a escola das crianças mais velhas. Já há aqui tremenda organização que foi colocada a serviço do Amor Fraterno, que é oferecido na Legião da Boa Vontade.” Laurie Lippen (Professora da Universidade da Califórnia, campus da cidade de Berkeley, especialista em Administração de Qualidade Total). “É bonito ver a filosofia da Legião da Boa Vontade, que trabalha a Cultura de Paz desde cedo com as crianças. Uma Educação como esta criará um futuro muito melhor para a Humanidade.” Leslie Wright (Representante do Conselho da Conferência das ONGs com Relações Consultivas para a ONU). Cida Linares Arquivo BV “O professor se sente muito sozinho quando seu desempenho está puramente nas suas funções. Ele precisa trocar experiências com outras pessoas e, daí, poder reciclar algumas coisas. E a LBV tem um grande valor nesse trabalho, porque facilita com que o professor não se sinta tão solitário. Além disto, dá um instrumento: ela dá a capacitação para o professor poder lidar com situações do cotidiano de um jeito muito melhor. A LBV é um gesto de amor; ensinar também é. O ensinar tem tudo a ver com a LBV.” Içami Tiba (Psiquiatra, escritor e psicoterapeuta). Walter Periotto Cida Linares de Educadores e Personalidades BOA VONTADE | 65
  • 63. Arquivo BV Simnoe Barreto Arquivo BV Especial — Paiva Netto Pelo brasil, casas legis premiam o líder da LBV E m 12 de setembro de 1981, Paiva Netto receb e a p rimeira hon­raria em agradecimento a sua lide à frente da Legião da Boa Vontade, com o Título de Cidadão Benemérito do Estado do Rio de Janeiro, sua terra natal. Começa assim a trajetória de reconhecimento a este homem que, nas últimas cinco décadas, tem servido ao 66 | BOA VONTADE ________________ Juliane Nascimento Povo, sobretudo aos menos favorecidos e àqueles que, geralmente, são esquecidos pela sociedade. Hoje a Galeria de Condecorações do Templo da Boa Vontade, em Brasília/DF, abriga centenas de homenagens já concedidas a este grande brasileiro. Apenas nos meses de maio e junho deste ano, dezenas de Casas do Poder Legislativo
  • 64. Arquivo BV lativas manifestaram-se, por meio de seus representantes, para felicitar o líder da LBV pelo seu Jubileu de Ouro. Aliás, mais do que reconhecer, esses parlamentares têm declarado seu apoio e sua vontade de unir esforços com as iniciativas da Instituição, as quais buscam sempre elevar a auto-estima e resgatar a dignidade de nossa população. Nes ta reportagem, confira a movimentação das Casas legislativas brasileiras para saudar Paiva Netto, representado, em cada uma dessas localidades, pelo advogado Pedro, o maestro José Eduardo e o jovem legionário Alziro Paulote de Paiva. “Dizem que homem não chora, mas o que posso fazer se Deus colocou um coração aqui dentro? Tenho 36 anos de idade, e quando nasci sob o teto de meu pai, ele já trabalhava neste caminho maravilhoso da Boa Vontade de Deus. Nunca houve mudança nessa trajetória, sempre carregou dentro de si essa certeza e perseverança. Tanto é que, nesta madrugada, ele falava: ‘A única coisa que posso dizer, Pedro, a você e aos seus irmãos, no dia de hoje, é que perseverem! Perseverança no Novo Mandamento de Jesus — ‘Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei’.” Dr. Pedro Paulote de Paiva BOA VONTADE | 67
  • 65. Daniel Trevisan Especial — Paiva Netto “Com certeza meu pai está presente de coração e de Alma nessa nobre homenagem. Afinal, não são 50 segundos, não são 50 minutos, não são 50 dias; são 50 anos de trabalho apaixonado na Legião da Boa Vontade. Ele trabalha nesses 50 anos a cada segundo, a cada minuto, não só pela vontade de trabalhar, mas pela incansável luta de melhorar a vida de todos nós.” Alziro Paulote de Paiva Cronologia (maio/junho de 2006) - 9 de maio: Moção honrosa concedida pela Câmara Municipal de Teófilo Otoni/MG. * O prêmio, concedido a pessoas e entidades que promovem a Solidariedade e incentivam o voluntariado, é também um reconhecimento a Herbert de Souza, este Cidadão que lutou bravamente contra a fome. O jornalista e escritor Paiva Netto o homenageou em seu artigo “Um Cidadão chamado Solidariedade”, publicado na revista BOA VONTADE Nº 204, no qual destaca o trabalho de Betinho, que também foi agraciado com a Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica, do ParlaMundi da LBV, em 1996. - 9 de junho: Título de Cidadão Benemérito — Câmara de Vereadores de Araraquara/SP. Clayton Ferreira João Miguel - 19 de maio: Diploma de Mérito Herbert de Souza “Betinho”*, entregue pela Câmara Municipal de Campinas/SP. | BOA VONTADE - 6 de junho: Placa honrosa é entregue pela Câmara de Vereadores de Vitória/ES. Luiz Anotnio - 10 de maio: Sessão solene especial na Câmara Municipal de Curitiba/PR. 68 Clayton Ferreira Clayton Ferreira Jani Assis - 2 de junho: Homenagem da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.
  • 66. Liliane Cardoso “Aos 15 anos de idade, quando iniciou os trabalhos na Legião da Boa Vontade, José de Paiva Netto, muito jovem, viu a LBV, ouviu Alziro Zarur, e tomou a sua decisão: ‘É isso que eu quero! Quero trabalhar pelo meu País’, e segue isso até hoje, há 50 anos ininterruptos. ” Maestro José Eduardo Paulote de Paiva Liliane Cardoso - 30 de junho: O título de Cidadão Sul-Mato-Grossense é a homenagem da Assembléia Legislativa do Estado do Mato Grosso do Sul ao dirigente da LBV. - 29 de junho: A Câmara Municipal de Teresina/PI premia Paiva Netto com o Título de Cidadão Teresinense. Arquivo BV - 14 de junho: Título de Cidadão Benemérito — Câmara Municipal de Montes Claros/ MG. Mônica Mendes Arquivo BV - 29 de junho: A Câmara de Vereadores de Gravataí/RS parabeniza o Diretor-Presidente da LBV durante emocionante sessão solene. - 23 de junho: O líder da Legião da Boa Vontade é condecorado com o Título de Cidadão Honorário, premiação da Câmara Municipal de Glorinha/RS. Arquivo BV Arquivo BV - 19 de maio: Brasão da cidade, maior honraria local, entregue pela Câmara Municipal de Pelotas/RS BOA VONTADE | 69
  • 67. PhotoDisc Especial — Paiva Netto Pela defesa da Vida no Planeta ____________ Angélica Beck A v i s ã o de futuro e o zelo para com o meio ambiente levaram Paiva Netto a promover ações em prol do nosso Planeta, desde a década de 1960, época em que estava à frente do movimento jovem da Legião da Boa Vontade. Foi responsável também por conceituar importante lema, no qual assevera: “A destruição da Natureza é a extinção da Raça Humana”, que mais tarde consolidou-se como pioneira campanha da LBV. Essa assertiva foi também título de histórica página que o escritor 70 | BOA VONTADE publicou em importantes jornais de circulação no Brasil e Exterior. Outro artigo de autoria do jornalista intitula-se “Cuidado, estamos respirando a morte”. Na década de 1980, alavancou duas grandes iniciativas que vieram corroborar a causa verde. Realizadas em âmbito nacional e internacional, as campanhas tiveram ampla adesão pública e da mídia digital e impressa. Passeatas e panfletagens promovidas pela Obra também são meios para fomentar a idéia de se cuidar do meio ambiente. A Educação Ambiental das futuras gerações é outro investimento importante de Paiva Netto em favor da Natureza. Nos centros educacionais da L e g i ã o d a B o a Vo n t a d e , meninos e meninas têm sido conscientizados da importância da preservação e estimulados a serem protagonistas de um desenvolvimento sustentável, porém solidário e altruístico. Por ocasião dos festejos de seu Jubileu de Ouro na LBV, Paiva Netto tem recebido diversas homenagens pelo intenso trabalho de educação e defesa da vida. Além do reconhecimento das casas legislativas brasileiras, a Associação Brasileira de Ecologia e de Prevenção à Poluição de Águas e do Ar (Abeppolar) o premiou com o “Diploma de Gratidão”, outorgado pelo mérito de dedicação à causa ambiental. A entrega ocorreu no dia 30 de maio e, na oportunidade, foi celebrado o 40o aniversário da Associação, que festejou a data premiando os principais artífices do ambientalismo no País desde 1966. Randolpho Marques Lobato, Presidente Nacional da Abeppolar, Vice-Presidente Mundial da International Union of Air pollution Prevention and Environmental Protection Associations — Iuappa e membro da International Academy of Science H&E, justificou a escolha do líder da LBV para receber a honraria. “Todos aqui foram premiados por mérito. Sou capaz de citar os méritos de um por um. Neste particular, posso lembrar o nome do saudoso João
  • 68. Jorge Saad e também de Paiva Netto, outro grande comunicador. Meus respeitos ao seu pai (referindo-se ao Jovem Legionário Alziro Paulote de Paiva, que o representou na ocasião), que Deus o tenha sempre assim com muita saúde para que a Legião da Boa Vontade cresça ainda mais”, desejou o proponente da láurea. Jardim Botânico Paiva Netto Outro histórico fato que engrossou a lista de homenagens ao líder da LBV partiu da criançada atendida pela Instituição em Glorinha/RS. Em 29 de junho, data em que comemorou o cinqüentenário de trabalho, foi inaugurado o Jardim Botânico José de Paiva Netto. A reserva teve início com 50 mudas de diversas árvores, entre elas, pau-brasil, carvalho, guabiroba, figueira e frutíferas silvestres e está instalada no Lar e Parque Alziro Zarur, da Legião da Boa Vontade. Esta unidade foi denominada pelo povo gaúcho de Templo da Natureza e da Criança, em reconhecimento ao trabalho de promoção da infância e à ampla área verde dedicada à preservação da fauna e flora. Arquivo BV Representando o dirigente da LBV, Alziro Paulote de Paiva recebe das mãos do Presidente da Abeppolar, sr. Randolpho Lobato, o Diploma de Gratidão. Lucian Fagundes Lucian Fagundes Paiva Netto discursa na inauguração do Jardim Botânico, criado por iniciativa dos guris atendidos pela LBV em Glórinha/RS, ladeado por personalidades, autoridades e Povo. O evento foi prestigiado por diversas autoridades gaúchas. Frei Rovílio Costa, grande amigo do homenageado, relembrou a simetria entre o 29 de junho e as ações do dirigente da Instituição em benefício dos que vivem em situação de risco social. Enfatizou que é de suma importância cuidar da Natureza e, principalmente, de meninos e meninas, pois “as crianças e as árvores são um patrimônio da Humanidade”, destacando, neste contexto, a atuação do líder da LBV. O religioso também destacou: “Bom, José de Paiva Netto, eu faço questão de dizer três idéias a seu respeito: já numa oportunidade o comparei a Pedro e Paulo. Pedro Apóstolo como aquele que dá a estrutura; e São Paulo como aquele que expande as idéias. Pedro assume o Cristianismo e Paulo o comunica. Só que antes de Pedro e Paulo, você é José; José é o pai adotivo de Jesus, portanto adotivo do Filho de Deus, da Religião de Deus. Então, o adotivo é o efetivo porque o adotivo é quem não tem o pai BOA VONTADE | 71
  • 69. Lucian Fagundes Lucian Fagundes Especial — Paiva Netto “Comemoro o aniversário de Paiva Netto nesta belíssima Obra, que realiza tanto bem através da Legião da Boa Vontade. Essa data é comemorada aqui no Sul com os gaúchos. Estamos muito felizes com a oportunidade de estar do lado deste homem que realiza um trabalho fantástico e engrandece a todos gaúchos e brasileiros e a toda a Humanidade.” Luís Ernandes Silva, Professor da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), de Gravataí/RS. 72 | BOA VONTADE bibliotecas dos campi da universidade, onde estudam 5.700 estudantes, as obras literárias do escritor. Os alunos já têm acesso às edições da revista BOA VONTADE. O professor Luís Ernandes Silva, coordenador do Curso de Administração da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), de Gravataí/RS, propôs ao líder da LBV inserir no acervo das Lucian Fagundes real. Neste momento, você é o adotivo porque é o efetivo pai de tantas crianças”. No término de seu pronunciamento, ressaltou as ações do homenageado em favor do respeito e da Paz entre os Povos, justificando que “Paiva Netto aposta no Ecumenismo de uma forma holística”. E, completou: “Paiva Netto é o Papa do Ecumenismo”. Lucian Fagundes Paiva Netto, num momento descontraído, toma chimarrão, tradicional bebida da região sul do Brasil. Frei Rovílio Costa comenta a campanha de preservação do Planeta Terra, idealizada por Paiva Netto, sob o dístico “A destruição da Natureza é a extinção da Raça Humana”. Disse o frei, que é editor e patrono da tradicional Feira do Livro de Porto Alegre: “(...) se nós não cuidarmos da Natureza, que é a nossa maior amiga, da qual tiramos nossa própria vida, ela vai ser a nossa morte. Parabéns, por ser da Natureza e com a Natureza”. No término de seu pronunciamento, ressaltou: “Paiva Netto aposta no Ecumenismo de uma forma holística”. E completou: “Paiva Netto é o Papa do Ecumenismo”. Na foto, o professor David Cafruni Ferreira, coordenador do Projeto Esfera Azul, marcou presença no evento.
  • 70. Literatura Literatura O Evangelho segundo o Espiritismo Pery Ribeiro O cantor e compositor Pery Ribeiro lançou, recentemente, no Rio de Janeiro/RJ, o livro Minhas Duas Estrelas — Uma vida com meus pais, Dalva de Oliveira e Herivelto Martins. Em parceria com sua esposa, Ana Duarte, atriz de cinema, publicitária e decoradora, Pery apresenta a história da vida e obra de Herivelto e Dalva. Representantes da Legião da Boa Vontade prestigiaram a noite de autógrafos e, no ensejo, levaram o abraço fraterno do líder da Instituição ao autor. “Gostaria muito de ver o Paiva Netto, gosto muito dele e da LBV. Vou sempre ao Templo da Boa Vontade para me energizar. Aquele lugar é maravilhoso, estive lá há pouco tempo. Mande o meu abraço carinhoso a ele. Muito obrigado pela presença”, comentou. Pery dedicou um exemplar de seu livro ao Diretor-Presidente da Pery Ribeiro recebe o abraço do ator Marcius Melhem LBV com a mensagem: “Ao grande Paiva Netto, o respeito e carinho de quem acompanha teu trabalho e gostaria muito de estar mais perto! Pery Ribeiro”. Surpresa e alegria na redação O Diretor de Redação, Marcos de Oliveira, do jornal Monitor Mercantil, do Rio de Janeiro/RJ, por ocasião da passagem de seu aniversário, recebeu no dia 8 de junho a visita surpresa de um grupo de crianças atendidas pelo Centro Educacional da LBV do Rio de Janeiro. Ele retribuiu o carinho, levando os alunos para conhece- rem, passo a passo, a produção de um jornal. “Fiquei muito emocionado. Recebi as crianças da LBV, os trabalhinhos que elas fizeram, é muito gratificante! É uma surpresa positiva. (...) Eu tive oportunidade de conhecer o trabalho da LBV duas vezes, e é por isso que o jornal sempre apóia as iniciativas da Organização”, agradeceu. Rafael Guedes As duas estrelas de Isaías Nascimento Netto pelos 50 anos de trabalho dedicados à Instituição, desejando que ele venha a completar ainda mais 100 à frente da Obra. Também houve o lançamento de edição comemorativa do livro O Evangelho segundo o Espiritismo, de Allan Kardec (1804-1869). Divaldo Franco e a Presidente da FERGS, Gladis Pedersen, autografaram a obra literária ao Diretor-Presidente da LBV: “Ao caro amigo Paiva Netto, com afeto e gratidão, Divaldo Franco”. “Ao querido Irmão Paiva Netto com votos de Paz. Gladis Pedersen de Oliveira”. Simone Barreto Isaías Nascimento Em 2006, a Federação Espírita do Rio Grande do Sul (FERGS) completa 85 anos de trabalho na capital gaúcha. Para comemorar a data, um evento ocorreu no ginásio do Gigantinho, em Porto Alegre/RS, e os presentes puderam conhecer um pouco do histórico da Federação. O educador, escritor e conferencista Divaldo Franco foi uma das personalidades presentes ao acontecimento. Na ocasião, ele recebeu as felicitações de representantes da LBV e parabenizou o jornalista e escritor Paiva BOA VONTADE | 73
  • 71. Sala Egípcia do TBV é fonte de estudos Escolas do Distrito Federal estão formando grupos para visitar a Sala Egípcia, do Templo da Boa Vontade. Recentemente, os alunos do Instituto Natural do Desenvolvimento Infantil (INDI) vieram ao TBV com a finalidade de assi- Armando Kitamura Carolina Dutra Ecumenismo milar mais facilmente o conteúdo histórico. O professor de História Rodrigo Rodrigues quase já incorporou o ambiente do Templo da Paz na rota das aulas, e explica: “É o terceiro ano que eu venho com os alunos do colégio INDI para visitarem a Sala Egípcia. O TBV é um espaço de meditação, de energia, muito importante. Traz um espírito de Paz para o interior de cada Ser Humano de todas as crenças, independentemente de suas origens”. João Preda Monges do Sul da Califórnia na Pirâmide da Paz 74 | BOA VONTADE Os Monges do Templo Atma Jyoti Ashram, do sul da Califórnia (EUA), Saryanawoa e Tarakananoa, surpreenderam-se ao conhecer o Templo da Boa Vontade. Ao caminharem pela Nave, exaltaram a energia na Espiral. “Foi uma surpresa, é algo extremamente impressio- nante. Eu senti essa força, uma energia de cura, de purificação. É como se estivesse voltando para o meu interior. Nós podemos sentir a unidade de todas as pessoas presentes na Nave do Templo da Boa Vontade. A Paz é constante no ambiente”, destacou Saryanawoa.
  • 72. Entretenimento Pequenos Sérgio Serrano Arquivo BV O incentivo ao Esporte, praticado de maneira sadia, é uma das bandeiras da Legião da Boa Vontade. Por esse motivo, ela investe e acredita no time de futsal formado por meninos em situação de risco de Bauru, no interior paulista. Nesta modalidade, a equipe da LBV vem se consolidando como uma das principais da região e, recentemente, assegurou a segunda colocação da Copa Semel, categoria sub18, promovida pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer. O fato foi noticiado pelo Jornal da Cidade, nas versões on-line e impressa. Aproveitamos o registro para agradecer a publicação, parabenizar os pequenos cam­ peões e o professor voluntário de Educação Física Douglas Olívio, que treina a vitoriosa equipe. Equipe de futsal da LBV em Bauru/SP Equilíbrio de corpo e mente Os alunos do Instituto de Educação da LBV de São Paulo/SP, com idade entre 3 e 14 anos, participam, semanalmente, das aulas de caratê. Essa arte marcial japonesa se pratica além do dojo (nome que é dado à escola de treinamento desse desporto). Segundo o professor Paulo Tadeu de Souza, o caratê se aplica no dia-a-dia e busca a perfeição da mente e do corpo; desenvolve o autocontrole e contribui para a harmonização do meio onde se vive. “Finalmente, alguém de Boa Vontade por aqui.” Mano Menezes, treinador do Grêmio, ao ser entrevistado por um dos repórteres da Super Rede Boa Vontade, de Porto Alegre, AM 1300, durante coletiva. A frase bemhumorada foi destaque na mídia gaúcha, a exemplo do jornal Zero Hora. Arquivo Grêmio Futebol Clube campeões Invictos e com título inédito Foto: Jorge Henrique É assim que os jogadores da Seleção Brasileira masculina de handebol chegaram à final e faturaram o primeiro lugar do Campeonato Pan-Americano na modalidade. Em um jogo disputado com a equipe da Argentina, o time comandado pelo técnico Jordi Ribera carimbou o passaporte para o Mundial da Alemanha, em 2007, ao vencer por 28 a 23, no Ginásio Constâncio Vieira, em Aracaju/SE. BOA VONTADE | 75
  • 73. Samba e História Watusi: uma estrela brasileira na Europa O Brasil a conhece bem, mas, certamente, a Europa a conhece muito mais. Pudera. O nome da cantora Watusi — nossa convidada para esta edição do Samba e História — ficou muito tempo estampado em néon na fachada do Moulin Rouge, famoso endereço de espetáculos de Paris (França). Na década de 1970, ela foi uma das principais estrelas da Casa e chamava a atenção do público não só por sua desenvoltura, mas, principalmente, pela voz. A carreira da renomada cantora sempre foi enraizada nos exemplos que via desde cedo em seu lar. “Levei comigo a educação que a minha mãe, Dona Emôgenia, sempre ensinou. Porque princípios, para mim, são princípios, e não podem ser mudados”, afirma na entrevista que concedeu no estúdio da Super Rede Boa Vontade de Rádio (Super RBV, AM 940, no Rio de Janeiro/RJ). Watusi começou a se destacar em 1968, quando interpretava nos palcos a canção Pata Pata, da consagrada cantora Miriam Makeba. “Tudo quanto era programa de televisão eu cantava essa música. Criei até um estilo próprio de dançá-la.” Dois anos mais tarde, já era presença confirmada nos principais programas televisivos. A artista conheceu 76 | BOA VONTADE pessoalmente Miriam Makeba em um show no Canecão, no Rio de Janeiro/RJ. “Esse dia foi muito legal. Ela me deu um vestido, que era dela, de presente”, recorda. Ela conta que aproveita todas as ocasiões que a vida lhe oferece. Estando em São Paulo, na companhia dos amigos Abelardo Figueiredo e Nédia Montel, custou a acreditar na oportunidade que lhe surgiu. “Um jornalista me convidou para fazer um pôster. Eu perguntei: ‘é aquele que tem Brigitte Bardot, Alain Delon, Marlon Brando?’ E ele respondeu: ‘É isso mesmo’. Então, disse que não teria dinheiro para pagar, ao que ele me disse: ‘Eu que teria que te pagar. Quinze dias O radialista e jornalista Hilton Abi-Rihan apresenta o programa Samba e História, que entrevista grandes nomes da cultura nacional. Na Super Rede Boa Vontade de Rádio (Super RBV) você pode acompanhar essas entrevistas aos domingos, às 5, 14 e 20 horas. Pela Boa Vontade TV, o telespectador pode assisti-las aos sábados, às 23 horas. Outra opção para acompanhar o programa é aos domingos, às 15 ou 23 horas. Pela Rede Mundial de Televisão, confira o bate-papo aos domingos, às 12 horas. Na foto, Watusi ao lado do apresentador Abi-Rihan. depois, as fotografias estavam em todas as revistas, jornais e livrarias do País”. A repercussão do pôster foi grande e tornou-se o passaporte para o sucesso. No mesmo ano, Watusi assinou contrato com a Brasiliana e realizou o sonho de cantar na Europa. “Eu sempre disse para mamãe que faria sucesso no Exterior, em um lugar que tivesse muitas flores”. Por coincidência do destino ou mesmo pela certeza de suas palavras, a cantora chegou a Hamburgo em 19 de abril, na época da primavera na Alemanha. O contrato com a Brasiliana, que durou cinco anos, rendeu muitas viagens e um vasto círculo social a Watusi. “Tive a Fotos: Lícia Curvelo
  • 74. PhotoDisc PhotoDisc oportunidade de conhecer o filho da Josefine Baker. Ele me disse que eu era a única pessoa que poderia um dia substituir a mãe dele, que cantava em Berlim.” Carreira internacional Watusi recebe flores e o carinho da garotada atendida pela LBV Lícia Curvello Novos caminhos foram abertos à carreira internacional dela, quando foi convidada para ser estrela do Teatro Vitória, em Barcelona, com o espetáculo “Aqui em Nova York”. Foi um grande sucesso de público e mídia. Assim que saiu da Brasiliana, Watusi logo fez parte do elenco de estrelas do Moulin Rouge. Na época, o teatro estava com um espetáculo em que havia um quadro sobre o Brasil e a di- reção precisava de uma cantora daqui. Determinada como sempre, Watusi passou no teste entre 150 brasileiros, mas recusou a proposta inicial. “Bati o pé e disse que só me apresentaria como estrela. Todo mundo na platéia comentava: ‘Ela é louca’, mas eu estava decidida”. Acreditar em si foi, de fato, decisivo na carreira da cantora. Tempos depois, quando o Moulin Rouge mudava de dono, o primeiro proprietário da casa, ao arrumar as gavetas, encontrou a foto e o currículo de Watusi. Fez questão de mostrá-los ao novo dono e sugeriu que ele fosse a Barcelona conhecer a cantora. Na época, os donos da casa de espetáculos nunca iam ao encontro de um artista. Com Watusi foi diferente. Durante a apresentação na Espanha, o novo dono do teatro, Jack Clerico, e um coreógrafo foram conferir o desempenho dela e encantaram-se. Na mesma noite, já estava marcada para ser a estrela do Moulin Rouge. “Eu estava tão feliz, tão feliz, que só conseguia dizer: Yes! Yes!.” De volta às raízes Apesar do expressivo sucesso no Exterior, Watusi é uma brasileira que ama o País em que nasceu e sempre cogitou voltar. E o sonho dela era o de retornar como uma estrela, uma grande artista que venceu desafios por ser mulher, brasileira e negra. “Essas são dificuldades que consegui vencer e o Brasil precisava ver isso”. Após alguns anos em cartaz, o espetáculo “Aqui em Nova York” sai de cena, mas Watusi não. Foi nessa época que ela voltou ao Brasil e um tempo depois, a convite do produtor Abelardo Figueiredo, em São Paulo/SP, volta aos palcos com “Simplesmente Watusi”, dando continuidade a um repertório de sucesso com os espetáculos “Golden Rio”, em que fez par com Grande Otelo (1915-1994), e “Golden Brasil” que durou sete anos. Atualmente, está com o projeto Watusi leaving Africa e aguarda patrocínio para financiar o trabalho. Durante a calorosa e animada conversa, a artista parabenizou a Instituição pelo trabalho social que realiza, o qual pôde conhecer pessoalmente na cidade do Rio de Janeiro.“Fiquei emocionada porque a LBV é tão bonita! É bonita por dentro e por fora. Tive a impressão de que aquelas crianças nunca vão querer sair dali.” BOA VONTADE | 77
  • 75. Comunicação O Festa na reabertura da ABI-SP Fonte: www.abi.org.br Cacalo Kfouri Aspecto do significativo evento que traz a Representação da ABI para a capital bandeirante 78 | BOA VONTADE Presidente da Associação Brasileira de Imprensa, jornalista Maurício Azêdo, deu posse ao Conselho Consultivo da Representação da ABI em São Paulo, durante solenidade realizada no Theatro São Pedro, na noite de 20 de junho, com a presença de mais de 300 pessoas. O Conselho tem como Presidente de Honra o Arcebispo Emérito de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns, e a Representação é dirigida pelo Vice-Presidente da ABI, Audálio Dantas, ex-Presidente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo e da Federação Nacional dos Jornalistas. A cerimônia foi conduzida por Paulo Markun, apresentador do programa Roda Viva, da TV Cultura. A mesa, além de Maurício Azêdo e Audálio Dantas, contou com a presença de Paulo Skaf, Presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo; Marcus Sinval, Secretário Municipal de Comunicação; Hubert Alquéres, Presidente da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo; Domingos Meirelles, Diretor Administrativo-Financeiro da ABI; e José Augusto Camargo (Guto), Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo. A abertura contou com a execução do Hino Nacional pelo pianista Arthur Moreira Lima. Em seguida, Audálio Dantas agradeceu a presença de muitos companheiros de imprensa, grande parte dos quais associados à ABI em 1975. O jornalista comentou que, ao aceitar o convite para o cargo de Vice-Presiden-
  • 76. te, uma das primeiras propostas em discussão foi que a entidade deveria voltar a ter uma representação em São Paulo. Lembrando a histórica luta da ABI em prol da liberdade de imprensa, Audálio salientou que a entidade reúne jornalistas, mas está atenta a todos os problemas da sociedade: “Agora que vivemos sob um regime democrático, devemos nos voltar para conquistas inerentes aos direitos humanos e melhoria da qualidade de vida dos brasileiros”. Formalizando a Representação paulista, com a posse de seus integrantes, o Presidente da ABI, Maurício Azêdo, destacou em seu discurso que a Associação “recebe desta Representação um sopro de vitalidade”. Em nome dos Conselheiros empossados, o professor José Marques de Melo, titular da Cátedra Unesco/ Umesp de Comunicação, disse que uma das propostas que serão consideradas pela ABI-SP em sua linha de ação deverá ser a de repensar o ensino do jornalismo em São Paulo e no Brasil. O Conselho Consultivo da Representação da Casa da Imprensa em São Paulo é constituído por profissionais que representam os diversos setores do jornalismo do Estado, além de representantes das uni­versidades e de estudantes de Comunicação. Dom Paulo Evaristo Arns, seu Presidente de Honra, gravou mensagem no vídeo resumindo a história da Organização, e diz: “Considero a volta da ABI a São Paulo um ato de justiça. Nós vamos participar de toda a demanda de comunicação do País, por meio desta Representação”. A festa foi encerrada com apresentações musicais do jornalista Luís Nassif com o grupo Choro Rasgado, do pianista Arthur Moreira Lima e do cantor e compositor Renato Teixeira. Durante seu pronunciamento, o Presidente da ABI, Maurício Azêdo, exaltou as atividades do órgão e parabenizou os integrantes. “É com grande alegria e justificada emoção que a Associação Brasileira de Imprensa participa deste ato de restabelecimento da sua Representação em São Paulo, porque ele proporciona à nossa Casa o reencontro com um dos maiores momentos da história da ABI, do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Clayton Ferreira Cacalo Kfouri Na mesa da cerimônia, da esquerda para a direita: José Augusto Camargo (Guto), Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo; Hubert Alquéres, Presidente da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo; Paulo Skaf, Presidente da Fiesp; Maurício Azêdo, Presidente da ABI; o VicePresidente da Casa do Jornalista, Audálio Dantas; Marcus Sinval, Secretário Municipal de Comunicação; e Domingos Meirelles, Diretor Administrativo-Financeiro da ABI. BOA VONTADE | 79
  • 77. Simone Barreto Comunicação Maurício Azêdo com a revista BOA VONTADE, Paulo Skaf (C) e Audálio Dantas (D). “Eu mando um abraço cordial para os companheiros da Legião da Boa Vontade que têm prestado uma colaboração muito importante à ABI do Rio de Janeiro e entre os sócios eminentes que nós temos, figura o Doutor José de Paiva Netto. Aproveito para mandar o meu abraço cordial e fraternal ao companheiro Paiva Netto.” Maurício Azêdo, Presidente da Associação Brasileira de Imprensa. de Prudente de Moraes, neto e de Barbosa Lima Sobrinho recebe desta Representação um sopro de vitalidade. Com esse estímulo, a ABI continuará porfiando naquilo que marca a sua existência quase centenária: a Paulo e da comunidade jornalística de todo o País. (...) Ao saudar os companheiros de São Paulo, as instituições e autoridades desta terra generosa, a Diretoria da ABI sente-se confortada em verificar que a nossa Casa, a Casa luta pela liberdade e por aquilo que constituía um sonho do eminente paulista, o escritor, poeta, jornalista e homem múltiplo Mário de Andrade (1893-1945): o amilhoramento político e social do Povo brasileiro”. Responsabilidade social Campanha de inverno da Eurodata beneficia milhares de famílias atendidas pela LBV 80 | BOA VONTADE des ações sociais em todas as suas unidades. Ao finalizar a primeira, inicia, em agosto, a segunda edição da campanha dos brinquedos para o mês de outubro; e uma especial, no fim do ano, com a finalidade de contribuir para a Campanha da LBV Natal Permanente de Jesus — O Pão Nosso de cada dia!, que beneficia, anualmente, milhares de pessoas com cestas de alimentos não-perecíveis. A parceria bem-sucedida da Eurodata com a LBV começou Clayton Ferreira Aqueça um coração, este é o slogan da iniciativa promovida pela Eurodata Educação Profissional Especializada em suas unidades, que arrecadou 50 mil peças, entre agasalhos, moletons, meias, luvas e cobertores. A Legião da Boa Vontade — que tem sido beneficiada com campanhas da empresa desde o ano passado, quando esta doou mais de 15 mil brinquedos às crianças atendidas pela Instituição — recebeu boa parte dessas doações e, imediatamente, as distribuiu em seus Centros Comunitários e Educacionais nas cidades de São Paulo, Santos, São José dos Campos, Piracicaba, São José do Rio Preto, Campinas, Americana, Araraquara e Rio de Janeiro beneficiando as famílias amparadas nos seus diversos programas socioeducacionais. Vale destacar que a Eurodata programou, para 2006, três gran- _______________________ Anderson Cardoso da Silva quando os empresários Ramon e Marcelo Fogeiro Asensio, Presidentes da escola, conheceram o trabalho desenvolvido pela Instituição na capital paulista. Eles ainda se engajaram, em 2005, ao lado de dezenas de artistas, esportistas e personalidades, no projeto Amigos de Boa Vontade, participando de sessão de fotos com o renomado fotógrafo Chico Audi, o que só veio fortalecer os laços de amizade e cooperação entre as duas organizações.
  • 78. Arquivo BV Arquivo BV Comunicação Por ocasião do seu centenário (1997), o Dr. Barbosa Lima Sobrinho foi cumprimentado pelo escritor Paiva Netto. O Presidente da ABI estava acompanhado pela escritora Nélida Piñon, na época à frente da Academia Brasileira de Letras (ABL). Festa na imprensa brasileira O cinqüentenário da revista BOA VONTADE é notícia no ABI On-line A página eletrônica da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) publicou matéria, com destaque na capa, exaltando os 50 anos da BOA VONTADE, a revista da Espiritualidade Ecumênica. O texto assinado pelo jornalista José Reinaldo Marques adianta que o novo número “traz uma retrospectiva dos seus 50 anos de fundação que coincidem com o mesmo período de tempo que o Presidente da LBV, jornalista José de Paiva Netto, passou a fazer parte da instituição (...)”. Em entrevista ao repórter da ABI, o jornalista e editor-responsável da BOA VONTADE, Francisco de Assis Periotto, antecipou algumas novidades do novo projeto gráfico. “Essa é a terceira reformulação gráfica implementada em BOA VONTADE, que já foi Jornal da LBV e Revista da LBV: ‘Retornamos ao título original — diz Francisco Periotto — e mantivemos o padrão editorial de quando ela foi lançada, bem como os temas de relevância do prisma do Ecumenismo Irrestrito. Isso, juntamente com assuntos relacionados à arte, cultura, educação, saúde e meio ambiente’”. O laço de antiga parceria entre a LBV e ABI também foi evidenciado na matéria. “A nova edição vai recapitular importantes fases da história da LBV, como a primeira reunião da entidade, que ocorreu na sede da ABI (...). Herbert Moses, então Presidente da Casa do Jornalista, ficou surpreso Paiva Netto conversa com o ilustre jornalista Fernando Segismundo, que está acompanhado por sua esposa, Gioconda. com o número de pessoas que passou a freqüentar as reuniões e emitiu o seguinte comentário: ‘Zarur fez um verdadeiro milagre, juntando tantos inimigos cordiais na LBV’”. O jornalista pontuou a reportagem escrevendo: “(...) BOA VONTADE atende às necessidades de propagação dos ideais da LBV, buscando falar de valores, personalidades e organizações de destaque no cenário nacional: ‘Noticiamos tudo de relevante de organizações como a ABI e a Academia Brasileira de Letras e de personalidades que atuam no campo da pesquisa, mas o carrochefe da revista são os editoriais do Presidente Paiva Netto sobre os acontecimentos de interesse e relevância para a sociedade de maneira geral’”, diz Periotto. Arquivo BV Primeira reunião ecumênica da LBV, em 1950, foi no Salão do Conselho da ABI. Em 7 de janeiro de 1950, Alziro Zarur comanda a primeira reunião ecumênica da Legião da Boa Vontade, a Cruzada de Religiões Irmanadas, pela qual pioneiramente preconizava o inter-relacionamento religioso. Ela foi realizada no Salão do Conselho da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio de Janeiro/RJ, da qual Leopoldo Machado foi um dos oradores. Na foto superior, ao lado direito de Zarur, que aparece em pé, Teles da Cruz (Catolicismo), à esquerda Murilo Botelho (Esoterismo) e Ascânio Farias (Positivismo). BOA VONTADE | 81
  • 79. Meio Ambiente Água, um recurso abundante, Arquivo pessoal porém finito Dr. Eng. Marco Antonio Palermo, Associação Brasileira de Recursos Hídricos. A o iniciarmos um novo milênio, a Humanidade vivencia ansiedade similar à experimentada por nossos antepassados mil anos atrás, na entrada para o segundo milênio. Naquele tempo, previsões catastróficas davam conta de que o fim estava próximo, causando temor na população, que imaginava que o mundo acabaria em fogo ou pelo efeito da água. As previsões terríveis de então atemorizavam um continente europeu onde a superstição era igual à ignorância científica, impedindo que a população pensasse de outra 82 | BOA VONTADE forma. Atualmente, a Humanidade detém importante e volumoso conhecimento científico e tecnológico. O Homem chegou à Lua, sondas interestelares foram enviadas ao espaço sideral, o desenvolvimento da engenharia genética promoveu possibilidades na área biológica além do que poderíamos imaginar. O mesmo se pode dizer com relação aos recursos de comunicação, nos quais a internet promoveu em poucos anos uma verdadeira revolução global. Entretanto, apesar de todo este conhecimento científico acumulado, vive-se hoje uma situação parecida àquela que a Humanidade experimentou no início do segundo milênio. A única diferença é que hoje os temores são sociais, políticos e ambientais. Os cientistas especulam a respeito da redução da camada de ozônio, cujas conseqüências deveriam trazer danos ambientais de grande magnitude. Existe um grande interesse da população a respeito da intensificação do efeito estufa com conseqüências devastadoras no cli- ma, aumento do nível médio do mar, derretimento da calota polar etc. Nesse conjunto de preocupações globais, a população torna-se cada dia mais sensível aos problemas relacionados à água, cuja origem está ligada aos seguintes fatores: • a população mundial cresceu de um fator 6 desde a revolução industrial, triplicou desde o início do século XX e deverá estar dobrando de novo dentro de 50 anos; • nos próximos 25 anos, 95% da população dos países subdesenvolvidos e em desenvolvimento estará em áreas urbanas; • a população urbana mundial irá dobrar em tamanho, atingindo 4 bilhões de pessoas; • o número de grandes cidades com mais de 1 milhão de pessoas irá mais do que triplicar, atingindo a marca de 500 grandes cidades; • em 2025, uma em cada cinco pessoas estará vivendo em uma grande cidade. Atualmente a proporção é de uma em cada nove pessoas.
  • 80. Fotos: Coleções GéoGs A.S Kutner e MAP Na foto histórica, a travessia da comitiva do Imperador Dom Pedro II, na ponte Grande, sobre o Rio Tietê, próximo da atual ponte das Bandeiras. Após 2020, todo o crescimento populacional no mundo em desenvolvimento irá ocorrer nas áreas urbanas, enquanto que a população rural continuará a diminuir. Em meados do século XXI, em muitos países não existirão mais áreas rurais. A pobreza será transferida para as áreas urbanas, como já observamos nas grandes cidades do mundo. Durante os anos 1990, o processo de globalização se intensificou em várias frentes. Tudo indica que a globalização continuará a se expandir nas próximas décadas. Ela está afetando o uso e a prática de gerenciamento da água de diferentes formas, tanto nos países em desenvolvimento como nos desenvolvidos. O aumento dos negócios relacionados à produção de alimentos, a globalização do mercado de investimentos e a revolução na área de computação e informação irão alterar os padrões de produção e consumo de água em todos os países. No século XX houve um aumento da atividade econômica em Competições esportivas ocorriam nas águas do Tietê 20 vezes e o uso de combustíveis fósseis aumentou 30 vezes. Ainda assim temos: • 1,0 bilhão de pessoas vivendo com menos de 2 reais por dia; • 1,4 bilhão de pessoas sem acesso à água potável; • 2,9 bilhões de pessoas vivendo sem redes coletoras de esgotos. Em que pese a diminuição do número de pessoas sem acesso à água potável, a situação no que diz respeito ao saneamento não é alentadora, pois o número de pessoas sem acesso aos serviços de coleta e tratamento de esgotos tem aumentado, principalmente na América Latina, África e Ásia. O resultado dessa situação é a mortalidade infantil entre 2 a 3 milhões de crianças por ano, vítimas de doenças de veiculação hídrica. E como o Brasil se situa no contexto mundial? No que concerne à cobertura de serviços de água potável nas cidades, temos uma posição boa: 92%. Entretanto, a coleta de esgotos ainda apresenta baixa cobertura: 50%, sendo que apenas 25% dos esgotos coletados recebem algum tipo de tratamento. A conseqüência prática desses índices é a má qualidade das águas dos rios urbanos e problemas de saúde pública. Apesar dos avanços nas áreas legal e institucional, o Brasil tem ainda um longo caminho a percorrer no sentido de reduzir a poluição dos nossos rios, reduzir as perdas de água nos sistemas públicos de abastecimento, gerenciar mais adequadamente as grandes secas e as grandes cheias, aumentar a eficiência dos sistemas de irrigação, dentre outras providências. Isto significa procurar novas formas de controlar a poluição, enfocando medidas não-estruturais, novos arranjos para suprimento, conservação e reuso da água, melhores e mais eficientes esquemas de irrigação para produção de alimentos e principalmente novas formas de gerenciamento de recursos hídricos de forma integrada e sustentável. BOA VONTADE | 83
  • 81. Arte na Tela Com os olhos voltados futuro Tendo em vista o modelo europeu, foi implantada a Caixa Econômica e o Monte de Socorro. O tempo passou, a Caixa cresceu e abraçou outras áreas, como saneamento e cultura. A relação com a arte iniciou em 1968, época em que a pintora Djanira ilustrou bilhetes das grandes extrações da loteria federal. As obras tinham como tema o Natal, Independência, São João e Inconfidência Mineira e, mais tarde, o Carnaval. A arte dessa pintora tornou-se conhecida em todo País. “Você imagina quantos bilhetes impressos para cada extração?”, pergunta-nos, orgulhosa, Sônia Schuitek, gerente da Caixa Cultural em Brasília. Arquivo pessoal Marta Jabuonski, Curadora da Galeria de Arte do Templo da Boa Vontade. A carreira profissional de Gustavo Pacheco e Sônia Schuitek tem a ver com a trajetória da Caixa Cultural. Simpáticos e comunicativos, apresentam a história da Instituição com entusiasmo e, para isso, relembram 1865 (há 145 anos), quando Dom Pedro II (1825-1891) observava que no País não havia uma instituição bancária para as pessoas menos favorecidas, local onde pudessem guardar suas poupanças e até efetuar empréstimos sob penhor e com juros baixos. Em alguns casos, era possível a compra da própria liberdade, por meio da carta de alforria, como nos mostram documentos raros, expostos no Museu da Caixa. Arquivo pessoal Arquivo pessoal para o Gustavo Pacheco 84 | BOA VONTADE Sônia Schuitek
  • 82. Arquivo Caixa Cultural Essa experiência ganhou projeção e, no ano seguinte, formaram-se comissões para a escolha de artistas e temas. Entre os contemplados estavam Di Cavalcanti (1897-1976), Rebolo (1902-1980), Volpi (1894- 1988) e outros grandes nomes da arte moderna brasileira e que hoje compõem o acervo da instituição. Em 1987, a Caixa convidou 60 artistas para homenagear Brasília, que recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, por meio de uma exposição. Nessa mesma década, foi inaugurado o prédio da Caixa Cultural. Tudo começou quando um diretor percebeu que a Instituição tinha todas as condições para abrir e montar um museu, pois possuía objetos antigos, equipamentos, documentos raros e extrações de número zero. A idéia ganhou corpo e começou, em seguida, a seleção das peças em todo o Brasil, com maior concentração em São Paulo e Rio de Janeiro. E assim surgiram o Museu, a Pinacoteca e um Auditório. “Hoje a Caixa possui cinco galerias, um teatro e uma diversidade de ações que nos enchem de satisfação”, menciona Gustavo Pacheco. A última aquisição de obras de arte ocorreu em 1998 em homenagem aos 500 anos do Descobrimento do Brasil. Hoje, a bela coleção conta com inúmeras obras que podem ser vistas em mostras itinerantes. O acervo é também enriquecido com doações dos artistas que expõem nos Espaços Culturais. Além de promover a cultura e os artistas brasileiros, a Caixa realiza grandes mostras, como Rembrandt e a Arte da Gravura, Picasso, Albert BOA VONTADE | 85
  • 83. Eckhout, Dom Quixote, entre outras. Dessa forma, a Instituição cumpre com mais uma das funções sociais a que se propõe, que é possibilitar a igualdade de acesso a bens e valores, porque a arte abre horizontes.“Além de ser uma empresa que valoriza o patrimônio histórico e o resgate da memória de nosso País com respeito à diversidade das culturas”, declara o Diretor de Marketing Cultural, Gustavo Pacheco. Arquivo Caixa Cultural Arte na Tela Incentivo à cultura desde cedo Além do Rio e de São Paulo, a Caixa Cultural está presente também em Salvador e Curitiba e, no próximo ano, deve inaugurar centros em Porto Alegre e Fortaleza. Entusiasmada, Sônia Schuitek comenta as propostas culturais em território brasileiro. “Este ano estamos trabalhando com os segmentos de fotografia, teatro e dança, respeitando a diversidade regional. Em Brasília temos uma vocação para música e artes plásticas. Pro- 86 | BOA VONTADE curamos sempre equilibrar essas expectativas.” Sônia explanou acerca do programa Criança Arteira, que surgiu em Brasília e, hoje, evoluiu para o Gente Arteira. Ela explica que a iniciativa visa “unir o produto cultural de qualidade com a formação das crianças em todos os níveis, além da preocupação com a cidadania, aliada às condições de igualdade de acesso aos bens e valores culturais”. O projeto beneficia meninos e meninas de escolas públicas e particulares, oferecendo monitoria, transporte, oficinas e lanches. “Temos atendido 20 mil crianças anualmente. Cada ano, fazemos um projeto piloto diferente para analisarmos o que vamos acrescentar. Na verdade, a demanda é muito grande. Estamos pensando em ampliar os espaços físicos para atender a um maior número de escolas. Porque a educação não é só em sala de aula. Ela rompe paredes e está em todos os lugares, principalmente nas instituições públicas. As crianças precisam sair dos limites das escolas e conhecer o que é delas.” Por isso, ela defende que o espaço cultural “não pode ser elitizado, porque ele é de todo mundo e as pessoas precisam saber disso”. Neste contexto, ressalta que os pequeninos devem ter contato também com essa possibilidade. “Tem de começar na infância para que, quando adulto, possa valorizar aquilo que conheceu. Como vamos preservar o que não conhecemos?”, questiona.
  • 84. Arte na Tela Proteção, Preservação e Memória N as décadas de 1920 e 1930, as idéias desenvolvimentistas tomam conta do País. Busca-se a modernidade e o desenvolvimento urbano. É neste período, também, que ocorrem muitas demolições de áreas físicas nas cidades e até de monumentos. Intelectuais e artistas brasileiros da época observam que no Brasil não havia uma política de preservação do patrimônio e lançam campanha para a criação de um instituto com este objetivo. Na gestão de Getúlio Vargas, por meio do decreto-lei nº 25, de 30 de novembro de 1937, Rodrigo Melo Franco de Andrade trabalhou para a fundação de um órgão, hoje conhecido como Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), com o objetivo de preservar a diversidade cultural brasileira e seus ecossistemas. O Iphan é uma Autarquia Federal, vinculada ao Ministério da Cultura e vem, há mais de 60 anos, salvando do desaparecimento preciosos legados da história e da cultura nacional. Durante esse tempo, tombou mais de 20 mil edifícios, 12.517 sítios arqueológicos, 83 centros e conjuntos urbanos, 251 mil volumes bibliográficos e vasta documentação arquivista. Luiz Fernando de Almeida, Presidente do Iphan, conversando com a equipe da revista BOA VONTADE, comentou a importância do Programa Monumenta, uma das frentes que colaboram com a ação do Instituto. “A iniciativa é de desenvolvimento urbano baseado no patrimônio histórico, ou seja, onde ele existe há um potencial econômico maior, pois agrega valores para a vida das pessoas, e não é só um valor simbólico, é também econômico. Outro aspecto importante do programa é o compartilhamento da competência de preservação do patrimônio com os Estados e municípios.” O Programa Monumenta estabelece ainda que todas as cidades possuam um Fundo Municipal de Preservação e que todas as ações dali advindas retornem para o Fundo que vai investir em cultura e preservação da cidade. Destacou, também, a Lei do Mecenato, que é uma das políticas centrais do Ministério da Cultura, pela qual as empresas privadas podem fazer uma renúncia fiscal, com a aprovação do governo. “Pena que sejam poucas as que se utilizam desse mecanismo de isenção fiscal. Existe certo desconhecimento dessa possibilidade no Brasil.” Luiz Fernando de Almeida Para Luiz Fernando, a preservação e a segurança do nosso patrimônio vão além do trabalho do Iphan. “Eu acho que quanto mais os museus forem visitados, mais a comunidade vai tomar conhecimento do valor da cultura e da necessidade de protegermos o Patrimônio Histórico e Artístico. Nós temos uma história de dilapidação e um cadastro de mais de 1.200 peças roubadas e que podem estar circulando na casa de pessoas e no mercado de artes, e isso é muito triste.” O Presidente do Iphan ressaltou a importância dos museus como “pontas-de-lança no processo da transformação que a cultura pode fazer. Nós estamos num processo de recuperação e investimento nos museus estatais brasileiros”. E citou alguns como: o Museu da Inconfidência, em Ouro Preto; o do Diamante, em Diamantina; o do Ouro em Sabará; o Nacional de Belas Artes e o Museu Histórico Nacional no Rio de Janeiro. Para Luiz Fernando, “A cultura e a arte são fatores de agregação social. São a nossa idéia de País. E o conhecimento que nos une é o patrimônio cultural”. BOA VONTADE | 87
  • 85. Esperanto Um século de Esperanto no Brasil Congresso celebra centenário de fundação do primeiro clube do idioma no País Fotos: Cida Linares de Convenções. Durante o encontro foram homenageados alguns dos pioneiros do Movimento Esperantista Brasileiro. Entre as instituições presentes, des­taque para a Legião da Boa Vontade que, desde sua fundação, em 1950, tem apoiado a difusão do idioma no Brasil e no mundo. Lício de Almeida Castro, exPresidente da Liga Brasileira de Esperanto, participou do evento e, em entrevista, recordou-se da homenagem que a LBV concedeu ao idealizador do idioma. “Estava na Presidência da Associação Brasileira de Esperanto e recebi um honroso convite para a cerimônia de inauguração do quadro do nosso querido Zamenhof na Galeria de O jornalista polonês Roman Dobrzy´ski na história da LBV n Depois de quatro meses na China, ministrando aulas de Esperanto na Universidade de Pequim, o jornalista Roman Dobrzynski retornou à Polônia e, em meio ´ à correspondência, encontrou, com satisfação, a revista BOA VONTADE Ecumenismo, que conta a história do Templo da LBV, monumento mais visitado de Brasília/DF. A publicação registra a visita dele à capital brasileira e a entrevista com o dirigente da Instituição. Na oportunidade, perguntou a Paiva Netto: “Como pode a LBV pregar o Ecumenismo Irrestrito, falando em Jesus?”. Ao que ele pronta- 88 | BOA VONTADE mente respondeu: “Uma das missões da Legião da Boa Vontade é exatamente dessectarizá-Lo”. Essa declaração resultou na Proclamação do Cristo Estadista, capítulo do livro Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, e em um artigo de grande repercussão na imprensa mundial, com o título “Dessectarizar Jesus”. Dobrzy nski, ao ler o material, es´ creveu: “Recebi com prazer a revista BOA VONTADE. Sinto orgulho pelo fato de que, por meio de uma pergunta, eu tenha me inscrito na história da Legião da Boa Vontade. Aceite, por favor, meus Arte no Templo da Boa Vontade, em sua Galeria de personalidades ilustres do mundo inteiro”, afirma Castro, para quem a visita ao Conjunto Ecumênico da Legião da Boa Vontade (formado pelo Templo da Paz, ParlaMundi da Legião da Boa Vontade e sede administrativa), em Reprodução RMTV E m Campinas, no interior paulista, nos idos de 1906, nascia o Suda Stelaro (Cruzeiro do Sul), primeiro clube de Esperanto no País. Oficializado naquele berço progressista, o ideal de preconizar um idioma falado e entendido por muitos empolgou outros simpatizantes, o que levou à criação de novos centros e associações de ensino e prática da língua criada pelo médico polonês Lazaro Ludoviko Zamenhof (1859-1917). O centenário de fundação do clube foi o principal motivo que levou centenas de pessoas ao 41o Congresso Nacional de Esperanto, que ocorreu na cidade paulista, de 16 a 18 de julho, no BI Campinas Centro __________________ Maria Aparecida da Silva Imagem da entrevista concedida pelo Diretor-Presidente da LBV ao jornalista Roman Dobrzy´ nski, da TV Polonesa. cumprimentos de coração, dirigidos ao prezadíssimo Diretor-Presidente, José de Paiva Netto”.
  • 86. Representantes da Legião da Boa Vontade participam do evento no estande da instituição Fotos: Cida Linares Brasília/DF, “foi uma festa inesquecível”. Para Francisco Mattos, professor de línguas que já palestrou no TBV, “há uma intimidade muito grande entre a LBV e o Esperanto, pois ambos não são capitulados, não vivem em gente ou territórios, visam ao progresso total da Humanidade”. E completou: “O Esperanto pode levar ao mundo a mensagem da LBV, para que o mundo viva pela união total, tranqüilidade e progresso para todos”. Quem também aplaudiu a iniciativa da Instituição foi o jornalista e tradutor Emerson Werneck. Ele conta que tomou conhecimento da atuação da obra por meio de uma publicação versada para o Esperanto, o que logo lhe chamou a atenção. “Já visitei o Templo da Boa Vontade várias vezes e o trabalho da LBV é muito importante porque consegue congregar muitas filosofias de uma maneira harmônica, o que a gente precisa atualmente no mundo, esta convivência harmoniosa entre idéias diferentes. A LBV é muito ativa também neste campo”, assevera. A pedagoga Agnieska Machota, de Cracóvia, Polônia, conheceu as ações da Legião da Boa Vontade pela primeira vez no Congresso em Campinas e já manifestou seu apoio à causa. “Estou surpresa por saber que existe este tipo de Organização que também é esperantista. Trabalhos socioeducacionais como os da LBV dão muitas oportunidades a crianças e jovens, melhorando seu modo de pensar. Eles recebem da Instituição um aprendizado que as pessoas normalmente não teriam. As idéias da LBV têm de ser bem divulgadas.” Além de promover cursos, a LBV propaga o idioma de Zamenhof por meio de livros, revistas, folhetos, pelo Portal Boa Vontade (www.boavontade.com) e participa, ativamente, de encontros e congressos do Movimento Esperantista no País e Exterior. No evento em Campinas, por exemplo, a Instituição lançou outra publicação versada para o idioma. Trata-se da “Aprecio muito o trabalho da LBV, pois vai ao encontro de uma parte do Esperanto. Do ponto de vista mundial, o Esperanto é uma língua e nada mais. Porém, do nosso ponto de vista, o Esperanto é uma ideologia, e é por causa dela que a LBV nos apóia assim como outros também, não igual à LBV, mas apóiam. Paiva Netto está de parabéns e nós apreciamos muito o trabalho dele e dos que ajudam a Legião da Boa Vontade.” Dr. Geraldo Mattos, Presidente da Academia Internacional de Esperanto. edição especial da revista Sociedade Solidária Altruística Ecumênica, que apresenta uma amostra da ação social da Obra e o artigo “É urgente reeducar”, de autoria do seu DiretorPresidente, José de Paiva Netto. BOA VONTADE | 89
  • 87. Arquivo pessoal Ação Jovem LBV Breve estudo científico V Juliano Carvalho Bento, graduando em Física pela Unicamp, é militante da Juventude Ecumênica da Boa Vontade. “1 Revelação de Jesus, o Cristo, que Deus Lhe deu para mostrar aos Seus servos as coisas que em breve devem acontecer, e que Ele, enviando-as por intermédio do Seu Anjo, notificou ao Seu servo João, “2 o qual atestou a palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo, quanto a tudo o que viu. “3 Bem-Aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia deste Livro e guardam as coisas nele escritas, pois o tempo está próximo”. Web Gallery Art 90 ocê já pensou em analisar experimentalmente o Apocalipse de Jesus — já que a Ciência se encontra em nós mesmos e em nossos atos? Pois é, esta é uma proposta cabível pela riqueza do Livro das Profecias Finais. Nesta edição, escolhemos os três primeiros versículos do capítulo inicial para este estudo. Vamos a eles: | BOA VONTADE Para este exame, vamos obedecer a um rijo processo de pesquisa, teorização e comprovação de um modelo teórico sustentado nas provas experimentais ou observacionais dos fenômenos que circundam um fato que a Natureza fornece. Saber descobrir, no sentido de se retirar o véu, os processos e as sistematizações que o Universo nos fornece por meio de ferramentas como a matemática e a química, por exemplo, é tarefa que todo cientista busca. E de que maneira isso se processa? Passemos a palavra ao nobre físico alemão Albert Einstein (1879-1955): “O mecanismo do descobrimento não é lógico e intelectual — é uma iluminação subitânea, quase um êxtase. Em seguida, é certo, a inteligência analisa, a experiência confirma a intuição. Além disso, há uma conexão com a imaginação”. Nada mais pertinente do que afirmou o propositor da Teoria da Relatividade. Dados experimentais não fazem nada sozinhos. Necessita-se entendê-los, por um processo nada mais do que intuitivo. Nos versículos 1 e 2 do Apocalipse, podemos compreender, conforme nos ensina Paiva Netto, a “Hierarquização Divina entre o Céu e a Terra” como um processo natural, da mesma forma que ocorre nas cadeias da evolução na Natureza. Tudo possui uma ordem, como na Teoria da Seleção Natural (ou de Evolução) proposta
  • 88. do Apocalipse de Jesus pelo naturalista britânico Charles Darwin (1809-1882), na qual o ser mais complexo desse conjunto é o homo sapiens, cujo corpo necessitou de bilhões de anos de evolução, indo das mais simples cadeias de aminoácidos, evoluindo para poríferos, celenterados e assim por diante, até chegar a esta grande máquina viva chamada Ser Humano. E desta mesma maneira, a hierarquia do conhecimento se processa. A revelação ocorre por processos graduais de pesquisa e desenvolvimento de tecnologias que proporcionam isto. A ciência é atualizada com o passar do tempo. O átomo proposto por Demócrito (cerca de 460-370 a.C) é muito diferente do átomo proposto por Dalton (1766-1844) que, por sua vez, diverge da concepção de Niels Bohr (1885-1962), ou seja, conforme a observação se depura por processos experimentais, intuitivos e imaginativos, conseguimos descrever esta Natureza tal como realmente é ou que imaginamos que seja. Mas será que tudo já nos foi desvendado ou a revelação é cabível somente a uma análise fria e algébrica, de uma matemática abstrata? O que está além dos números, dos teoremas, dos postulados e das teorias? Aí reside a grande chave mental que especialistas buscam e que a Ciência sozinha não pode responder: um Poder Superior agindo por meio de Suas Leis eternas. Além dos olhos da carne Por fim, o terceiro versículo do primeiro capítulo do último livro da Bíblia Sagrada nos leva a refletir a respeito do ver e olhar. Algo que há três séculos era a forma mais segura de se concluir alguma coisa a respeito do que seja a realidade, no presente, tornou-se vago e, muitas vezes, nada confiável. Nossos olhos propiciam à nossa mente captar coisas incríveis de cuja realidade nós mesmos duvidamos. Observar traduz-se hoje em muitos outros métodos além das córneas, mesmo porque o próprio processo de pesquisa em Mecânica Quântica distorce a natureza dos dados experimentais, obscurecendo o que realmente acontece no cerne da matéria. Mediante isso, podemos inquirir então: Como se processa a visão? Segundo a atual Ciência, é o simples fato de um feixe de luz, composto por fótons (partículas que compõem a luz), incidir num material que, por sua vez, reflete o objeto, chegando aos nossos olhos por um processo pelo qual — a Ciência não sabe ao certo — nosso cérebro decodifica este feixe, transformando-o em imagem. Mas o que seriam as mãos ao tatear, o olfato ao cheirar e os ouvidos ao escutar senão formas outras de “ver” (tanto que o próprio Apóstolo João Evangelista afirma ser essa um dos modos de se compreender as Revelações Finais). Se o ar que nos circunda, e o qual sentimos na brisa do vento, já é de tal maneira inobservável por este sentido, como queremos que tudo se dê através dele? Assim Jesus, como o grande Cientista, disse a Tomé em Seu Evangelho, segundo João, capítulo 20 versículo 29: “Bem-aventurados os que não viram e creram”. Ora, Jesus nunca foi contra a Ciência que, por sinal, como Cristo Planetário foi o seu legítimo co-Criador na Terra. Ele, simplesmente, nos indicou que o caminho mais curto no processo da intuição é o de analisar os fatos além dos olhos da matéria. O vidente de Patmos viu, e para isto necessitou dos olhos da carne? Ele pode muito bem ter visto e não ter enxergado nada com a íris, mas com a mente, ou com os olhos da consciência espiritual que existe além do Ser, pois se a conservação da energia é uma Lei Física, a consciência deve se conservar post mortem e, portanto, nós sobrevivemos independentemente do corpo, máquina de que necessitamos para evoluir. Então, nada mais plausível do que ele ter enxergado tudo quanto vira naquilo que denominamos de “visão” ou uma forma pura de intuição pela vidência além da matéria palpável e tangível. BOA VONTADE | 91
  • 89. Jesus! Paiva Netto Na Terra, o Cristo é o Senhor! Estará comigo aonde eu for. Desço ao mar, subo aos Céus, Venço o ódio e os labéus. Canto à Luz, Grito forte: Jesus! Céus e Terra sempre existirão. E a Verdade e o Amor governarão. E Deus ditará nosso destino, então, Com a Fraternidade e a Glória Do Seu Coração. *Esta prece foi ditada por Paiva Netto ao Legionário Luciano Duarte Pereira, numa viagem de Porto a Lisboa, sábado, 26 de novembro de 1994, e recebeu o arranjo do maestro Vanderlei Alves Pereira, sendo hoje uma das mais belas composições interpretadas pelo Coral Ecumênico LBV. Arquivo pessoal BEM-VINDOS, SOLDADINHOS DE DEUS! 92 A socióloga e futura mamãe Sandra Albuquerque Fernández, que dará à luz dois bebês, encaminha foto ao Irmão Paiva tirada na Flórida, Estados Unidos da América. Na dedicatória, cumprimenta-o pelos 50 anos de trabalho na LBV. | BOA VONTADE Homenagem das crianças atendidas pelo Centro Comunitário e Educacional da LBV, em Piracicaba/SP, em comemoração ao Jubileu de Ouro do Irmão Paiva. Novidade O Bolo com Pudim Editorial preparou para todos os Soldadinhos de Deus uma coleção muito especial: Os Milagres de Jesus. Ela trará em seu primeiro volume A pesca milagrosa, que, além de uma história muito bela do Evangelho de Jesus, conta em suas páginas com um caderno de atividades. As mensagens contidas neste volume são voltadas para as crianças de todas as crenças e filosofias e têm por princípio levar de forma clara os ensinamentos do Cristo, o Divino Amigo.
  • 90. (1) Mikael Nogueira Peixoto, 3 anos, São Paulo/SP, (2) Pedro Paulo Ramalho Salles, 4 anos, Araruama/RJ, (3) Willian Douglas Farago Gomes, 11 anos; Amanda Larissa Gomes, 4 anos e Leonardo Farago Gomes, 8 anos, (4) os irmãos Lucas Augusto Teixeira, 11 anos, e Luan Ângelo Cintra Teixeira, 4 anos, felizes com o nascimento da Luna Agnes Cintra Teixeira, 4 meses, (5) Elisa Mariana Rodrigues Bortolin, 4 meses, São Paulo/SP (6) Nicolas Gabriel Nogueira, 6 meses, São Paulo/SP, (7) Maria Clara Sussai Paraíba, 1 ano, (8) Bruno Sérgio Perez da Silva, 1 ano, São Paulo/SP, (9) Guilherme de Souza Miranda dos Santos, 3 anos, São Paulo/SP e (10) LucasWinkler Baragão, 4 anos, São Paulo/SP. Vamos até as flores Resp.: 1. BOA VONTADE | 93
  • 91. Saúde Baixa umidade causa problemas respiratórios Estiagem é um dos principais fatores responsáveis pelo agravamento de quadros de doenças como asma e rinite alérgica A ______________________________________________ Fonte: Assessoria de Imprensa do Ministério da Saúde www.saude.gov.br baixa umidade do ar, comum no período da seca, representa um verdadeiro tormento para portadores de doenças respiratórias como a rinite alérgica e a asma. Espirros freqüentes, coceira na garganta e no nariz e coriza são alguns dos sintomas agravados pela combinação entre a baixa umidade, o calor e a poeira. Na época da seca também aumenta a incidência dos casos de diarréias viróticas, viroses e doenças de pele. Algumas precauções podem minimizar esses problemas. Tudo começa com a entrada do ar no corpo humano. Dentro das narinas, os pêlos têm como tarefa a umidificação e filtragem do ar. Como no período de estiagem o oxigênio entra mais seco pelo nariz para chegar ao pulmão, há um esforço maior do sistema respiratório, o que pode desencadear reações alérgicas. “Além disso, o ar seco, como fator irritante, leva a um processo inflamatório e, conseqüentemente, à produção excessiva de secreção”, informa Vera Lúcia Giancristóforo, técnica da Área de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde. Todo esse processo deixa o corpo humano mais vulnerável a várias doenças. 94 | BOA VONTADE Uma delas, que traz grandes incômodos, é a sinusite, que tem como causa o acúmulo das secreções nas vias respiratórias. Seus sintomas são: dores fortes na cabeça e nos olhos e obstrução nasal. Normalmente, pessoas alérgicas tendem a sofrer desse mal. “Mas isso não quer dizer que quem não tenha alergia não possa desenvolver sinusite”, observa Vera Lúcia. Rinite alérgica e asma São duas das doenças que mais afligem as pessoas e se manifestam com grande intensidade durante a fase da seca. Ambas necessitam de bastante atenção e cuidado. Rinite é um termo médico que se refere à inflamação da membrana do nariz, causada por reações alérgicas. Normalmente surge na infância ou na juventude. História familiar de alergia é um fator de risco importante para desenvolver rinite alérgica e asma. “Os processos alérgicos podem ser controlados, desde que não haja contato com substâncias que causam alergia e que o paciente use os medicamentos adequados”, recomenda Vera Lúcia. Nessas condições o paciente vive bem, mas, ao parar a prevenção ou a medicação, os sintomas voltam.
  • 92. PhotoDisc BOA VONTADE | 95
  • 93. Já a asma é uma doença crônica dos pulmões que se caracteriza por tosse, aperto e chiado no peito e falta de ar. Cerca de 70% das pessoas que sofrem da doença são portadoras de rinite. Também conhecida como bronquite asmática ou bronquite alérgica, a asma ataca os pulmões e causa inflamação crônica dos brônquios. As complicações da doença podem até levar o paciente à morte. Durante uma crise de asma, o peito do doente começa a chiar e fica cada vez mais difícil respirar. O fôlego fica curto e o peito pode se contrair quando o ar não chega aos pulmões na quantidade necessária para o corpo. O tratamento baseia-se no uso de medicamentos antiinflamatórios e em broncodilatadores inalatórios. É fundamental que a família do paciente saiba reconhecer sinais de gravidade da doença, para não retardar o início do tratamento. Cuidados aliviam efeitos de doenças Por pior que seja a estiagem, alguns cuidados podem ajudar a prevenir os efeitos de doenças respiratórias. A pessoa alérgica não deve ter em casa tapetes ou cortinas. Se a residência possuir persianas, elas precisam ser mantidas limpas. Os médicos também aconselham os alérgicos a manterem distância de bichinhos de pelúcia. Brinquedos laváveis são mais indicados para crianças com esse problema. Na hora da limpeza, é proibido varrer a casa. Deve-se preferir o uso de aspirador e do pano úmido. Ingerir muito líquido também ajuda. A pessoa com alergia tem de 96 | BOA VONTADE PhotoDisc Saúde manter distância do cigarro e deve ficar longe de pessoas fumando. Os portadores de doenças respiratórias precisam privilegiar ambientes arejados e tomar sol nos horários em que os raios estejam mais fracos — antes das 10 e depois das 16 horas. Por pior que seja a estiagem, alguns cuidados podem ajudar a prevenir os efeitos de doenças respiratórias. Por exemplo, a pessoa alérgica não deve ter em casa tapetes ou cortinas. Vera Lúcia Giancristóforo, do Ministério da Saúde, alerta para os cuidados com outras doenças mais comuns e que afligem as pessoas durante a seca. Inicialmente podem parecer problemas simples, mas merecem atenção. A gripe é uma das grandes vilãs durante a estiagem. Pessoas com problemas respiratórios crônicos tornam-se mais vulneráveis ao vírus influenza, causador da gripe. “Se não tratada adequadamente, a gripe pode provocar processos inflamatórios nas narinas, na garganta, na faringe e na laringe. Chegando ao pulmão, esse quadro ainda tem chances de evoluir para uma pneumonia”, alerta Vera. A vacina contra a gripe é eficaz no combate às doenças respiratórias nos casos em que esse problema pode trazer outras complicações. Ela é aplicada, gratuitamente, em idosos e em crianças portadoras de doenças crônicas como diabetes e insuficiência renal. Na temporada de seca, os cuidados com a pele são essenciais. Indica-se o uso do creme hidratante com a pele limpa, para evitar lesões, já que ela fica bem mais vulnerável nessa época. Proteger a cabeça com chapéu, usar roupas leves, calçados confortáveis constituem outras recomendações importantes. Os médicos recomendam moderação com os exercícios físicos, principalmente nas horas de sol mais forte, pois a seca reduz a capacidade do corpo para a prática de atividades.
  • 94. Proteja-se da catarata! Como surge a catarata? A catarata caracteriza-se pela opacificação da lente interna do olho, chamado cristalino, responsável por focar as imagens dos objetos na retina. Com isso, as imagens captadas pelo olho perdem sua nitidez e qualidade. Iniciando esse estágio, a catarata causa uma perda discreta da qualidade visual, alterando a percepção das cores, que não se apresentam bem. À noite a visão não é boa, na presença de focos de luz, como os dos faróis de automóveis. Com o progresso da catarata, a vista vai ficando turva e embaçada, prejudicando a leitura, também ao caminhar ou assistir à TV. E no caso extremo acontece a perda da visão. Há tratamento clínico para a doença? Não há tratamento clínico. A única coisa a fazer no avanço da doença é a cirurgia para a remoção do cristalino opaco dos olhos, colocando-se uma lente infra-ocular artificial. A cegueira pode ser reversível nos casos em que não há outras doenças associadas. Como é o processo cirúrgico? Facoemulsificação é o nome da cirurgia mais empregada hoje. Um aparelho emite ondas ultrassô- Daniel Trevisan E stima-se que no Brasil há 17 milhões de idosos, o que corresponde a quase 10% da nossa população. Para passar dos 60 anos e estar com a saúde em dia é fundamental a atenção com nosso bem-estar. Um dos pontos principais são os olhos. Afinal, podemos também ter qualidade de vida após os 70 anos. Por que não? Mas, para isso, os cuidados com a visão devem ser redobrados. Precisamos ir ao médico, sempre, para os exames necessários. E o dos olhos é fundamental. O uso de óculos ameniza muitos problemas. O oftalmologista pode impedir o avanço de uma das doenças que mais causam cegueira no País: a catarata, conforme alerta a Associação Latino-Americana de Cirurgiões de Córnea, Catarata e Cirurgias Refrativas (ALACCSA). Essa doença atinge 75% das pessoas com idade acima de 70 anos. É, hoje, uma das principais causas de cegueira no mundo. Ela afeta diretamente a qualidade de vida dos idosos. “Cerca de 350 mil pessoas aqui no Brasil ficam cegas todos os anos, por causa da doença”, revela a Sociedade Brasileira de Cataratas e Implantes Oculares. Fique atento a essas dicas do Instituto de Moléstias Oculares (IMO): Walter Periotto nicas, que pulverizam o cristalino com catarata. Depois disso, os fragmentos cristalinianos são aspirados pelo aparelho que é uma espécie de caneta, cuja extremidade foi introduzida dentro do olho. A catarata é removida e em seu lugar é implantada uma lente artificial, chamada intra-ocular, que substituirá o cristalino, permitindo que o olho receba as imagens focalizadas. A anestesia utilizada na cirurgia pode ser uma infiltração local ou gotas de colírio. Na maioria dos casos, a recuperação visual pode acontecer nas primeiras 24 horas e o resultado nota-se logo. Como vemos, há uma boa solução para esse problema que perturba muito o Ser Humano. Por que perder tempo? BOA VONTADE | 97
  • 95. Melhor Idade Vitalidade e bem-estar aos mineiros Uberlândia/MG Em Uberlândia/MG, Lar de Idosos da LBV comemora 45 anos de excelentes serviços à comunidade em risco pessoal e social _______________ Ledilaine Santana Fotos: Ledilaine Santana I naugurado em 28 de junho de 1961, o Lar Alziro Zarur, da Legião da Boa Vontade, em Uberlândia (Rua Padre Pio, 1.353, Martins) no Triângulo Mineiro, presta serviço especializado e garante atendimento diário a idosos em situação de risco pessoal e social. A estrutura física do Lar é composta de três alas (duas femininas e uma masculina), um banheiro para cada dois quartos — todos Aula de hidroginástica oferecida pela Academia de Natação Tina aos idosos atendidos pela LBV. 98 | BOA VONTADE eles com três camas — e uma praça interna com solário. Ainda fazem parte do Lar a lavanderia industrial e uma clínica de fisioterapia. Os vovôs e vovós são amparados psicológica e fisicamente, por uma equipe de funcionários qualificada, tendo garantidos seus direitos, deveres e a convivência social, em um ambiente agradável, tranqüilo e com condições adequadas às suas necessidades Clínica de fisioterapia — Além de atender os idosos do Lar, oferece consultas duas vezes por semana à comunidade local, em situação de carência. A fisioterapia na Terceira Idade atua em três áreas distintas e correlacionadas, que são: curativa, preventiva e paliativa. e à sua segurança. Também são oferecidas aulas de trabalhos manuais. Tudo isso contribui para promover a auto-estima e preservar a identidade, a dignidade e a independência dos atendidos. A admissão do idoso no Lar é realizada após uma avaliação na qual a assistente social, em visitas domiciliares, verifica aspectos econômicos, psicológicos e sociais, diagnosticando o histórico dele e de sua família.
  • 96. ´