Revista Boa Vontade, edição 206

664 views

Published on

A Revista Boa Vontade tem por objetivo levar informações por meio de matérias que abordam temas voltados à cultura, educação, política, saúde, meio ambiente, tecnologia, sempre aliados à Espiritualidade como ferramenta de esclarecimento, auxílio, entendimento e compreensão.

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
664
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revista Boa Vontade, edição 206

  1. 1. Há 55 anos, educando com Espiritualidade Ecumênica!
  2. 2. Índice Ao Leitor Em um mundo sequioso de Paz, reviver os ensinamentos do Mahatma Gandhi é essencial para promover um não à violência, em todas as suas terríveis modalidades. Este assunto e a Espiritualidade Ecumênica foram pauta do histórico encontro entre o Embaixador da Índia no Brasil, o Excelentíssimo senhor Amitava Tripathi, e o Diretor-Presidente da LBV, José de Paiva Netto, no Centro Educacional, Cultural e Comunitário da Instituição, na capital fluminense. Aliás, esses sentimentos pacifistas e de Fraternidade Universal permeiam da mesma forma as páginas do Especial: “Um teto para a Humanidade”, que apresenta a série de eventos realizados em Brasília para comemorar os 16 anos do Templo da Boa Vontade, conhecido também como a Pirâmide dos Espíritos Luminosos, o Templo da Paz. O equilíbrio proposto e o respeito às diferenças são pontos de partida, ainda, para matéria a respeito do surgimento da Organização das Nações Unidas (ONU), que, em outubro, comemora 60 anos de conquistas e desafios vencidos para a estabilização das relações internacionais. Confira em Campanha a maratona de fotos que envolveu artistas, esportistas, profissionais voluntários, personalidades da mídia e o Povo brasileiro para a promoção da Campanha da LBV Natal Permanente de Jesus — o Pão Nosso de cada dia!, no estúdio do renomado fotógrafo Chico Audi. Esta edição da revista BOA VONTADE apresenta também as novas medidas adotadas pelo governo brasileiro para conter a contaminação de aves com a gripe do frango, uma doença contagiosa que atinge animais e pode infectar Seres Humanos. Os destaques da matéria são os procedimentos preventivos e responsáveis de nossas autoridades públicas. Os editores BOA VONTADE ANO XXIII • Nº 206 • outubRO de 2005 BOA VONTADE é uma publicação mensal das IBVs, editada pela Editora Elevação. Diretor e Editor responsável Francisco de Assis Periotto MTE/DRTE/RJ 19.916 JP Coordenação Gerdeilson Botelho Revisão Adriane Schirmer Neuza Alves Walter Periotto Wanderly Albieri Baptista Reflexão Dia virá, sempre haverá um dia (...), em que o Ser Humano, integrado nas Leis Espirituais, não mais terá anelo pela vitória, a não ser a da Paz. (Paiva Netto) Colaboradores Alvino Barros, Cida Linares, Daniel Trevisan, Danielly Arruda, Débora Verdan, Elias Paulo, Leonardo Mattiuzzo, Maria Aparecida da Silva, Mário Augusto Brandão, Natália Lombardi, Paulo Azor, Pedro de Paiva, Profa Nádia Lauriti, Rita Silvestre e William Luz Arte Projeto Gráfico: Alziro Braga e João Periotto Capa: Alziro Braga Edição nº 206 4 Ao leitor 6 Cartas 9 Coluna do Garotinho 10 Literatura 12 Campanha 16 Especial 24 Samba e História 28 Internacional 33 Acontece no Mundo Revista Boa Vontade Produção 34 História 36 In memoriam 37 Melhor Idade 38 Saúde 42 Reportagem 52 Homenagem 56 Soldadinhos de Deus 58 Ação Jovem LBV 59 Atualidades 62 Pedagogia do Cidadão Ecumênico Endereço para correspondência: Av. Rudge, 938 — Bom Retiro CEP 01134-000 — São Paulo/SP Tel.: (11) 3358-6868 — Caixa Postal 13.833-9 — CEP 01216-970 Internet: www.boavontade.com E-mail: info@boavontade.com Impressão: PROL Editora Gráfica A revista BOA VONTADE não se responsabiliza por conceitos emitidos em seus artigos assinados. Fr
  3. 3. 9 16 Esporte Especial 59 Francisco de Assis Periotto MTE/DRTE/RJ 19.916 JP Atualidades 12 24 Campanha de Natal da LBV Samba e História 42 38 Reportagem Saúde 28 Internacional Portal BOA VONTADE: www.boavontade.com Revista Boa Vontade
  4. 4. Muito obrigado pela revista BOA VONTADE. Gostei do novo formato e da qualidade da impressão. Creio Sidney Rezende que a opção de fazer uma edição destacando as mulheres também foi muito feliz. Vocês poderiam repetir um modelo deste gênero a cada dois meses. Não deixe de me enviar os exemplares da revista. É sempre um prazer recebê-la. Sucesso. (Sidney Rezende, apresentador da TV Globo, do programa Conta Corrente, da GloboNews, âncora da Rádio CBN e professor da Faculdade de Comunicação da PUC/RJ, por e-mail). Temas relevantes Saúdo o trabalho feito pela LBV, na pessoa de seu Diretor-Presidente, o jornalista José de Paiva Netto. Agradeço pela revista BOA VONTADE, com temas importantes para a nossa época, matérias de grande cunho cultural, social, informativo e ecumênico. (Waldeth Brasiel, Deputada Estadual pelo Rio de Janeiro/RJ) Alto nível Parabenizo a LBV, seu Diretor-Presidente, Paiva Netto, e toda a equipe responsável pela edição da revista BOA VONTADE, uma publicação de alto nível jornalístico que divulga com a devida transparência as belas iniciativas da Legião da Boa Vontade em favor da Educação e da assistência às crianças e idosos necessitados. O sonho de Alziro Zarur (1914-1979) segue concretizado brilhantemente nas mãos de um grande empreendedor. Se todos em nosso país agissem como a LBV, não mais existiria tanta desigualdade no Brasil. (André Corrêa, Deputado Estadual pelo Rio de Janeiro) Notícias do Paraguai É uma enorme alegria poder ler os ensinamentos de Paiva Netto pelo diário ABC Color. Foi um momento de sabedoria para mim tomar conhecimento da matéria “É Urgente Reeducar!”. Sei que posso aprender muito com ele. Natal Permanente da LBV Líder da Legião da Boa Vontade dispara Campanha da Solidariedade Ecumênica Manifestações de apreço e carinho do Novo Mandamento de Jesus nos chegam todos os dias de ouvintes Lares de Boa Vontade, os jovens se e telespectadores da Super Rede manifestaram (foto abaixo) na Rede Boa Vontade de Comunicação, em Mundial de Televisão, na Super Rede especial destaque às palavras do Boa Vontade de Rádio e no Portal jornalista e radialista Paiva Netto, www.boavontade.com, para debater parabenizando-o e agradecendo pelo suas palavras. No ensejo, fizeram fortalecimento que leva a todos os ampla divulgação da Campanha Natal corações que acompanham a mídia Da esq. para a dir.: Marco Dada Boa Vontade. metto (Super Rede Boa Vontade Em recente acontecimento não foi de Rádio), Tereza Fraga Pereira diferente. Após análise de versículos (Departamento de Assistência Espiritual da Religião de Deus), contidos no capítulo 24 do livro do Celso de Oliveira (Rede Mundial Profeta Isaías, no Velho Testamento da Bíblia Sagrada, feito pelo diri- de Televisão), Suelí Periotto (Instituto de Educação da LBV), Raquel gente da LBV, em uma das Cruzadas Bertolin (Editora Elevação) e Luciano Duarte Pereira (Fundação José de Paiva Netto). Revista Boa Vontade Pedro Simon parabeniza Paiva Netto Prezado Senhor Paiva Netto, com o meu mais cordial abraço, acuso o recebimento e agradeço a distinção do convite para participar da Solenidade de Abertura das Pedro Simon comemorações dos 10 anos da Sala Egípcia do Templo da Boa Vontade. Assim, formulo votos do mais alto sucesso, pedindo a Deus que tais cerimônias se repitam indefinidamente e que Vossa Senhoria possa estar a dirigir a Legião da Boa Vontade, com o mesmo sucesso, ainda por muitos e muitos anos. Receba, nesta oportunidade, as expressões do meu mais elevado apreço e distinta consideração. (Pedro Simon, Senador). Arquivo rBV Sucesso para a rBV Que Jesus possa sempre iluminá-lo e guiá-lo em todos os seus passos. (Allison Bello, Assunção/Paraguai). Cacique da Paz Gostaria de parabenizar a revista BOA VONTADE pelas matérias Permanente de Jesus — o Pão Nosso de cada dia!, pela qual a Legião da Boa Vontade distribuirá mais de 350 toneladas de alimentos às famílias em situação de pobreza de nosso País. A revista BOA VONTADE trará, em sua próxima edição, ampla reportagem sobre essa campanha que visa assistir milhares de famílias em risco social por todo o território brasileiro neste fim do ano. Clayton Ferreira Arquivo pessoal Cartas
  5. 5. BOA VONTADE: L i com entusiasmo o exemplar 204 da revista BOA VONTADE. Com fino acabamento, ricamente ilustrada e com matérias relevantes, a publicação é, sem dúvida, o que de melhor há no gênero. Logo de início, nos salta aos olhos a reportagem “Um Cidadão chamado Solidariedade” (Editorial de Paiva Netto). Uma homenagem mais do que justa ao saudoso sociólogo Betinho (1935-1997) e a sua luta pela erradicação da fome no Brasil. Segundo o próprio Betinho, “quando uma pessoa chega a não ter o que comer é porque tudo o mais já lhe foi negado”. Essa frase que soa como um grito de alerta remete ao caráter humanitário da LBV (...). É óbvio que muito há que se falar das matérias em BOA VONTADE, mas algumas falam mais forte, como “Sonho de pai, realização dos filhos”, que conta a trajetória de sucesso da dupla Zezé Di Camargo e Luciano. Aliás, o próprio Zezé manifesta o seu carinho pela ação solidária da LBV: “Se existe um pedacinho do céu no Brasil, esse pedacinho é a LBV”, confessa com carinho. “Cidadania Ecumênica na Sala de Aula”, de autoria de Rodrigo Oliveira (ex-aluno do Instituto de Educação da LBV), é também outro texto que nos lava a Alma. Rodrigo passeia com maestria pelo mundo da Pedagogia e fala até com certa autoridade — ele mesmo um produto da tese — sobre a Pedagogia do Afeto (do dirigente da Legião da Boa Vontade) que ensina valores éticos e espirituais e tem como princípio a formação do Ser Humano. A coordenadora da 5ª série do Ensino Fundamental ao terceiro ano do Ensino Médio, Iramara Fluminhan, citada na reportagem, explica o sucesso da Pedagogia do Afeto, ao nos remeter ao Novo Mandamento: Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei. Aliás, muito bem lembrado. O Amor é a base de tudo para um mundo melhor. O fundador da LBV, saudoso Alziro Zarur, com toda a certeza deve estar muito feliz com a semente que plantou há 55 anos. Gostaria também de comentar sobre outra matéria que me seduz muito: o esporte, por razões óbvias. Na página 27, o título “Jovens conquistam medalha de ouro em torneio de caratê” chamou-me a atenção. Não bastasse toda preocupação com a formação dos jovens, a LBV proporciona aos seus alunos o direito de sonhar com um futuro de conquistas e medalhas por meio da prática esportiva em seu que visam ao esclarecimento à Luz do Novo Mandamento de Jesus, a tantos que buscam uma boa leitura. São várias as reportagens que nos ensinam, fortalecem e emocionam, como a que tem o título “Cacique da Paz” (uma das últimas entrevistas concedidas pelo indigenista Orlando Villas Bôas — publicada na edição nº 200 e disponível no Portal Boa Vontade www.boavontade.com —, a exemplo do parágrafo “Aldeia das Estrelas”, onde são recebidos os índios que morrem. E lá existe uma sabedoria espiritual e esta é a que ilumina a Legião da Boa Vontade”. Senti uma vibração muito boa e fiquei feliz por pertencer a essa Instituição que luta por um Brasil melhor e por uma Humanidade mais feliz. É disso que nós precisamos: boas leituras para nos reeducar. (Janete Moreira da Silva, via e-mail) BOA VONTADE especial Mulher Agradeço ao jornalista Paiva Netto a revista BOA VONTADE especial Divulgação leitura imprescindível! Roberto Dinamite Centro Comunitário e Educacional. Fiquei emocionado ao ler que o programa LBV: Criança — Futuro no Presente! beneficia jovens. Lembrei-me da infância em situação de pobreza na Baixada (Fluminense) e do meu início na carreira esportiva que me proporcionou momentos inesquecíveis. Infelizmente não pude contar com os benefícios de uma LBV naquela época, mas folgo em saber que há centenas de jovens afortunados que já podem sonhar com um futuro melhor sob a orientação de profissionais altamente preparados e preocupados com essa parcela significativa da juventude. Ressalte-se também outras matérias não menos importantes como “Sociedade da Solidariedade Ecumênica”, “Estatuto do Idoso” e “Saúde na Terceira Idade” e a homenagem mais do que justa à Irmã Dulce, que semeou o Amor e a Bondade no coração dos homens. Parabéns a todos vocês editores, repórteres, redatores que fazem de BOA VONTADE uma leitura imprescindível. (Roberto Dinamite, Deputado Estadual pelo Rio de Janeiro) (grifos nossos) Mulher de setembro. Sua generosa providência foi a de ressaltar o valor das mulheres e a luta delas, em todas as épocas da Humanidade, para que a Fé, a Dignidade e o Amor vençam, na Terra e no Espaço, o ódio e a desunião. (Vera Carpes Quednau, Porto Alegre/RS) TBV e Portugal O meu maior desejo é visitar  o TBV (Templo da Boa Vontade), mas estou do outro lado do Atlântico. Porém, o meu pensamento voa para aí. Um grande e fraterno Abraço Legionário a todos os de Boa Vontade. (Isabel Santos, Porto/Portugal) Revista Boa Vontade
  6. 6. Felipe Freitas Coluna do Garotinho José Carlos Araújo é locutor esportivo da Rádio Globo do Rio de Janeiro/RJ O Um final previsível Campeonato Brasileiro vai chegando ao seu final sem grandes surpresas. Estão na frente, disputando o título e vagas nas mais importantes competições internacionais, exatamente aquelas equipes mais bem-preparadas, as que souberam manter uma boa base e conseguiram bons reforços. São os clubes que se planejaram e mereceram figurar entre os principais do Brasil, a exemplo do Corinthians, que firmou uma parceria milionária e se reforçou com jogadores de primeira linha. É preciso destacar, também, o brilhante trabalho desenvolvido no São Paulo, no Palmeiras, no Internacional, no Fluminense e no Goiás. Desde o início, ninguém duvidava que o título e as vagas para a Taça Libertadores da América seriam disputados por esses times que primaram pela regularidade e pela força do conjunto. Não tivemos um Campeonato de grande qualidade técnica, uma vez que a quase totalidade dos craques brasileiros atua no Exterior. Salvo um ou outro atleta diferenciado, como Tevez, Petkovic e Alex Dias, os demais se equivalem. O que pesou para um lado ou outro foi basicamente a força do conjunto e o planejamento sério, visíveis em alguns clubes, inexistentes em outros. Na outra ponta da tabela, apareceu a decepção dos torcedores, mas sem qualquer surpresa. Desde o início da competição, já se previa que, mais uma vez, clubes tradicionais, donos de um sem-número de títulos nacionais, como Flamengo, Vasco e Atlético Mineiro, estariam seriamente ameaçados de rebaixamento. Esses clubes contrataram muito e mal. Não houve um critério definido para se reforçar. Apostaram em jogadores de nível duvidoso e até mesmo em repatriar alguns que já tinham passado pelos clubes sem muito sucesso. O resultado não poderia ser outro: uma briga incessante contra o rebaixamento para a segunda divisão, derrotas constantes e até humilhantes. Mas, é preciso ressaltar, nada disso surpreendeu os que acompanham o futebol. Os clubes foram alertados pela imprensa, que era qualificada de pessimista. Agora, cada um vai colher aquilo que plantou. Quem se preparou para ser campeão e lutou por uma vaga nas competições internacionais chegou ao seu intento ou bem próximo disso. Os que não acreditaram nas previsões dos críticos fizeram-se de surdos diante das advertências e entraram no Campeonato com times de pouca qualidade técnica, vivem o futuro que desenharam: caindo para a segunda divisão ou escapando dela por milagre. Que tudo sirva de incentivo para uns e de lição para outros. E que todos se mostrem fortes para um 2006 emocionante. Revista Boa Vontade
  7. 7. Literatura Arquivo ABL Literatura Biografia traz história de um dos fundadores da ABL _____________ Simone Barreto N o dia 20 de outubro foi lançado, na Academia Brasileira de Letras (ABL), o livro Franklin Távora e o Seu Tempo, de autoria de Cláudio Aguiar, uma biografia do Patrono da cadeira no 14 da centenária ABL. A obra faz parte da Coleção Afrânio Peixoto, da Academia, e abrange pesquisas significativas da história brasileira nas últimas décadas do século XIX, como o Segundo Império, os movimentos revolucionários, a libertação dos escravos e a Proclamação da República. Este é o panorama traçado pelo biógrafo para descrever a época vivida por Franklin Távora (1842-1888), que come- 40 anos de Educação em Brasília Arquivo pessoal enviar um exemplar, mesSaído da gráfica há mo antes do lançamento poucos dias, o livro 40 oficial, para o dirigente da Anos de Educação em Legião da Boa Vontade, Brasília é um precioso com a seguinte dedicatóretrospecto dos primeiria: “Ao grande José de ros passos do ensino no Paiva Netto, Mahatma da Distrito Federal e dos Boa Vontade e Apóstolo seus principais mentodo Terceiro Milênio, oferes. O professor da rede reço 40 Anos de Educação pública e poeta Gustavo Gustavo Dourado em Brasília. Com apreço, Dourado, que participou do levantamento de dados e da amizade e admiração”. [L.S.M] revisão da obra, fez questão de 10 Revista Boa Vontade Caneca (oratório dramático). Há dez anos dirige o periódico Calibán, uma revista de cultura, publicada no Rio de Janeiro. No evento, os representantes da Legião da Boa Vontade cumprimentaram Cláudio, enviando o abraço fraterno do Diretor-Presidente da LBV. Ele retribuiu o carinho autografando um exemplar do livro com o seguinte recado: “Para o jornalista José de Paiva Netto, o retrato de um escritor que também foi jornalista e homem de ação. Com a amizade e o abraço de Cláudio Aguiar”. Crônica da vida brasileira Registrar em livro as quatro últimas décadas do jornalismo social, este é o objetivo do livro Paulo Cesar de Oliveira — PCO encontros, lançado recentemente em Belo Paulo Cesar de Oliveira Horizonte/MG. O título registra a jornada de trabalho deste colunista que conseguiu tirar do jornalismo diário uma crônica divertida e abrangente da vida brasileira, especialmente da mineira. Ao visitar os meandros da política e da economia, trouxe os bastidores dos grandes acontecimentos. Amigo da Legião da Boa Vontade e de seu dirigente, encaminhou a obra com estas belas palavras: “Ao caríssimo José de Paiva Netto, o maior líder brasileiro da assistência social, cujo trabalho é um exemplo para todos nós, com a admiração de Paulo Cesar”. Arquivo rBV Cláudio Aguiar autografa livros na ABL çou a vida pública lutando pela liberdade do ensino e pelo fim da escravidão. Távora ficou mais conhecido no movimento literário Romantismo, com seus temas regionalistas, nos quais descrevia os costumes, os ambientes, denunciava os problemas sociais, como a seca, o cangaço e a miséria, pondo em evidência a literatura do norte, tipicamente brasileira. Entre seus títulos mais conhecidos estão O Cabeleira (1876), Lourenço (1881) e O Matuto (1878), nos quais há o retrato do orgulho histórico em relação ao norte do País. Em 1883 funda, no Rio de Janeiro, com outros escritores, a Associação dos Homens de Letras, que a partir de 1897 passaria a ser chamada de Academia Brasileira de Letras, sob a liderança de Machado de Assis. A respeito do autor da biografia, Cláudio Aguiar, vale dizer que é ficcionista, dramaturgo, jornalista e pesquisador. É membro da Academia Pernambucana de Letras, publicou os premiados livros Caldeirão (romance) e Suplício de Frei
  8. 8. A história da Rádio Nacional — desde sua fundação em 1936, na sede do edifício “A Noite”, na praça Mauá —, seus programas de auditório e os grandes nomes da época de ouro do rádio no País agora podem ser conferidos no livro Rádio Nacional — O Brasil em sintonia, lançado em 27 de outubro na livraria Arteplex, no Botafogo, zona sul do Rio. A obra literária foi escrita pela jornalista e professora universitária Sonia Virginia Moreira, ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), e pelo radialista e mestre em Comunicação Arquivo pessoal Rádio Nacional O Brasil em sintonia A professora Sonia Virginia Moreira ao lado do radialista Luiz Carlos Saroldi e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Luiz Carlos Saroldi. O livro ainda traz diversas histórias radiofônicas. Em uma delas, no capítulo “Acossado pela TV, o Rádio busca saídas”, os autores narram a fundação da Rádio Eldorado, do Rio de Janeiro, que buscava radialistas experientes, entre eles o fundador da LBV, Alziro Zarur (1914-1979), para equilibrar a juventude da maioria de seus contratados. Os representantes da Legião da Boa Vontade, originária do programa radiofônico Hora da Boa Vontade (4 de março de 1949), apresen- tado por Alziro Zarur, participaram do lançamento e, na oportunidade, cumprimentaram os autores, em nome do radialista, jornalista e criador da Super Rede Boa Vontade de Comunicação, José de Paiva Netto. Eles retribuíram com simpatia, agradecendo a presença da Instituição, além de oferecerem um exemplar da obra com as seguintes dedicatórias: “Ao Diretor-Presidente da LBV, José de Paiva Netto, com nossos votos de constante sucesso. Saroldi” e “Ao Presidente Paiva Netto, com o respeito pelo trabalho, Sonia, Rio, out./2005”. [S.B.]
  9. 9. Helen Ganzarolli Fernando Scherer, o “Xuxa”. Olga Bongiovanni Chico Audi Amigos de Campanha Boa Vontade ___________ Leila Marco Chico Audi clica famosos que apóiam Campanha de Natal da LBV U Fotos: Chico Audi ma grande corrente de Solidariedade está sendo formada por meio do projeto Amigos de Boa Vontade. O conceito dessa iniciativa que reúne artistas, esportistas, profissionais voluntários e personalidades da mídia é o de — sensibilizando as pessoas a apoiar as diversas ações socioeducacionais realizadas pela Legião da Boa Vontade em todo o País — despertar nelas o espírito solidário e torná-las agentes das grandes Maurício Manieri Roberto Camasmie tudo pautado pela Espiritualidade Ecumênica. A iniciativa da Legião da Boa Vontade foi valorosamente abraçada pelo fotógrafo Chico Audi, padrinho do projeto Amigos de Boa Vontade, que reuniu dezenas de famosos neste 25 de outubro para uma sessão de fotos e a gravação de um videoteipe institucional, em seu estúdio na capital paulista. Foi o pontapé inicial desta ação que pretende, ao lado do trabalho socioeducacional feito durante todo o ano pela Obra, distribuir cestas de Patrícia, do Rouge. Daniel Trevisan Daniel Trevisan Tânia Mara transformações para a construção de uma sociedade humana, justa e igualitária. Quando somada a outros pequenos gestos, a ação individual e aparentemente simbólica torna-se gigante. Graças aos muitos “elos” que compõem esse grande coração chamado LBV, nestes 55 anos foi possível dar a milhares de crianças, jovens, adultos e idosos educação, amparo, consolo, cura; renovar esperanças; resgatar a Fé; promover a bondade, 12 Revista Boa Vontade
  10. 10. Lucimara Parisi alimentos para famílias em situação de risco social. “É um prazer muito grande poder contribuir novamente com a LBV. Na última vez arrecadamos mais de 350 toneladas de alimentos. Para o resto da minha vida vou ajudar a Instituição”, disse o fotógrafo na oportunidade. Maratona Para captar a imagem de tantos amigos, foi preciso uma pequena maratona que envolveu Chico e sua equipe desde as primeiras horas daquele dia até noite adentro. Mas o tremendo esforço era recompensado: cada pessoa que chegava, com entusiasmo, ia descrevendo a satisfação em poder tomar parte de uma empreitada desta natureza. Assim aconteceu com Lucimara Parisi, diretora de produção do programa Domingão do Faustão, que afirmou ser uma “alegria incalculável” integrar aquele time. “Tenho uma admiração muito grande pela LBV e por Paiva Netto, estão sempre no coração. Poder participar dessa Solidariedade entre amigos é gratifi- Rappin’ Hood cante. Qualquer palavra seria muito pouco para Paiva Netto. Obrigada por fazer este movimento”, concluiu. Com o mesmo bom orgulho, falou a modelo Helen Ganzarolli: “É uma grande satisfação estar aqui, podendo colaborar, pela primeira vez, com essa Campanha Amigos de Boa Vontade, sendo agora mais uma voluntária de coração. Dedicarei todo o tempo que for possível para ajudar essas crianças maravilhosas (...). No que puder, estarei com vocês”. A empresária Lilian Gonçalves fez coro: “É uma honra estar neste movimento. Eu adoro o trabalho de Paiva Netto, da LBV, sou uma fã incondicional. Quando a LBV ligar para você, diga um sim bem grande. Eu falo sempre sim!”. Outros dois empresários que se uniram na empreitada são Marcelo e Ramom Fogeiro Asensio. “Precisamos da união de todos para que se possa ajudar as pessoas que mais precisam, fazendo um Natal Permanente”, incentiva Marcelo. E completa Ramom: “Mais uma vez estamos aqui juntos, presentes, participando Viviane Romanelli dessa ação bonita que a LBV faz. A nossa empresa Eurodata (cursos de informática) fez uma campanha de arrecadação de brinquedos e, agora, vamos ajudar na arrecadação de alimentos”. Afinados e fraternos Entre os músicos que apóiam a causa está o cantor, compositor e tecladista Frank Aguiar. Natural do Piauí, vindo de família humilde, valoriza acontecimentos com fins tão nobres. “É muito bom estar nesta Campanha, desejo grande sucesso a ela. Parabéns, Chico, parabéns, LBV e todos que fazem parte dessa família. Nós nos sentimos honrados em dar a nossa contribuição por intermédio da imagem, da voz, da energia positiva para um projeto que vale a pena incentivar. Trouxe até meu filhinho”. As integrantes do Rouge — Patrícia, Karen e Aline — eram das mais animadas. Patrícia conta que “não pensou duas vezes” quando recebeu o convite: “Falei para as meninas: a gente tem de participar, de estar junto. E para mim é um prazer enorme”. Marisa Carnicelli Daniel Trevisan Karen e Aline, do Rouge. Daniel Trevisan Frank Aguiar Revista Boa Vontade 13
  11. 11. Campanha Fotos: Daniel Trevisan Beto Junqueyra Lilian Gonçalves Karen pediu uma atenção especial a todos. “Não custa nada fazer uma visita à LBV. Porque tem unidades da Instituição em todo o lugar do Brasil. Visitar e conhecer, porque é uma ação muito bonita”. Por fim, Aline registrou a alegria do grupo: “Estamos muito felizes. Espero que as pessoas sintam no coração, se sensibilizem”. Rappin’ Hood, um dos mais respeitados e conhecidos rappers do momento, tem tornado o hip hop famoso no Brasil, com letras de valor ético, de luta contra os preconceitos. Ele é também antigo admirador da Instituição por causa de uma influência muito especial em sua vida. “Na verdade, sempre observei a obra desenvolvida pela LBV. Minha avozinha fazendo oração (ao lado do rádio) na voz de Alziro Zarur (1914-1979) e várias vezes rezei com ela. Admiro o que faz a Legião da Boa Vontade. É uma oportunidade importante poder colaborar para que o Natal de todos seja melhor. Para a criançada, quero dizer que podem o que quiserem de bom para suas vidas, acreditem em seus sonhos, em Deus, e tudo lhes será acrescentado.” Para o cantor Maurício Manieri, é relevante um movimento deste: “Estou muito contente de poder falar da Campanha da Legião da Boa Vontade. O Brasil precisa de pessoas que pensem dessa forma (...), só assim teremos um país melhor. É bom estar observando um pouco mais o trabalho bonito que a LBV Omar Caldas faz, prestando um grande serviço à sociedade”. A cantora Tânia Mara completa pelos colegas de profissão: “Eu venho com a maior Boa Vontade. Já participei de outras campanhas da LBV e toda vez que precisarem de mim estarei à disposição”. O Esporte ajudando a quebrar um recorde no Bem O nadador Fernando Scherer, conhecido como Xuxa, festejado pelos recordes e pela presença vencedora em Olimpíadas, deseja novamente quebrar marcas. Desta vez, quer suplantar as 350 toneladas de gêneros alimentícios arrecadados no último ano: “Cada um, se fizer um pouquinho, consegue ajudar o País inteiro. O objetivo nosso não é só nadar, é representar o Brasil lá fora e também utilizar a nossa imagem para conseguir coisas boas para quem se encontra em situação de risco social. Nesse caso, ajudar a LBV a ter mais alimentos para as famílias (...). Tomara que (a Campanha) se supere e alimente mais pessoas”. Os jogadores da Portuguesa Rodrigo, Márcio, Celsinho e Thiago Oliveira compartilham da mesma meta de Xuxa. Para Rodrigo, a Campanha “é importantíssima”, e confirma: “Se cada um de nós fizer um pouco, ajudará muita gente”. Márcio afirma ser “um prazer imenso” estar nesta corrente. “Chamar a atenção para que outros colaborem mais e (...) façam um Natal cheio de Os jogadores de futebol da Portuguesa, da esq. para a dir.: Celsinho, Márcio Saraiva, Thiago Oliveira e Rodrigo Pontes. 14 Revista Boa Vontade Odair Del Pozzo Amigos de Boa Vontade”. Thiago Oliveira adorou contribuir com a Instituição: “É uma felicidade. Pedimos que ajudem as crianças que necessitam neste Natal. Torcemos para que as pessoas liguem e digam sim à LBV!”. Celsinho completou por todos os atletas, pedindo o empenho do Povo: “Temos de ter a consciência de que muita gente necessita dessa iniciativa maravilhosa. Aqui vai o apelo, não só do Celsinho, mas do Rodrigo, do Márcio, para que todos possam fazer parte da LBV”. Além dos desportistas já destacados, três pilotos de kart, Renan Gama, Sérgio Jimenez e Gabriel Tojal, amigos e divulgadores da Obra, mantêm em seus carros de corrida o slogan LBV — Campanha Esporte é Vida, não violência!. Renan Gama diz ser “um amigo e colaborador da LBV sempre, pela gratidão com Deus e o compromisso que tenho de ajudar as pessoas”. “O trabalho é muito bonito e no que eu puder vou contribuir. Que a LBV possa crescer mais e mais, para dar um jeito no Brasil”, acrescentou Sérgio Jimenez. Gabriel Tojal colocou-se da mesma forma à disposição: “É sempre bom ajudar, ainda mais a LBV. Estarei presente quando me chamarem (...). Inclusive agora, nesta nova etapa do (campeonato) Paulista, andaremos com o dístico da Legião da Boa Vontade no kart e em mais campeonatos que ainda houver neste e no ano que vem”. Os médicos voluntários Dr. José Luiz Amuratti, Dra. Juliana Rimcha e Dr. José Garris Del Valle.
  12. 12. Rogério Vieira Marcelo e Ramom Fogeiro Asensio O apoio dos profissionais da mídia A apresentadora de TV Olga Bongiovanni várias vezes integrou esta equipe de benfeitores e conta que apoiar a Campanha da Obra se tornou uma tradição. “Todo ano a gente já espera por essa data, sabe que mais ou menos por outubro, novembro, se faz as fotos e grava, nos reunimos, nos revemos. O estúdio do Chico Audi tornou-se este ponto de encontro da LBV. E é o mínimo que se pode fazer em prol dessas famílias, das crianças”. O incentivo chega dos antigos e dos novos amigos, a exemplo dos jornalistas Odair Del Pozzo e Rogério Vieira. “Saber que você está colaborando é legal e ainda com foto do Chico Audi é irrecusável, uma iniciativa bonita, num País generoso”, diz Del Pozzo. Rogério traduziu pelos profissionais da mídia um sentimento que se faz cada vez mais presente: “A gente não pode ficar esperando, temos de fazer algo pelas pessoas, ter a atitude de estender a mão ao próximo”. Viviane Romanelli, apresentadora de TV, falou também do gigantismo do Brasil e dos problemas que a nação tem de enfrentar, relembrando a importância dos programas da LBV que beneficiam o nosso Povo nos 365 dias do ano. “A fome não tem hora marcada, dia, acho que ela só tem local. Que infelizmente é na população mais carente. (...) Contem comigo”. Marisa Carnicelli, apresentadora de televisão, garante ainda: “Quando a Legião da Boa Vontade bater à sua porta, pedindo ajuda, diga sim. Seu coração vai se encher de alegria”. O artista plástico Roberto Camasmie recordou sua recente visita à Escola da Instituição, na capital pau- Da esq. para a dir.: Gabriel Tojal, Sérgio Jimenez e Renan Gama, pilotos de kart. lista: “Naquela manhã que estive na LBV, escutei o Coral cantar Crianças a lápis de cor (...) foi uma recepção de primeiro mundo. Vocês têm de colaborar conosco, a LBV é uma entidade séria”. Alguns já estão criando outras maneiras para incentivar a Campanha, como o Diretor de Marketing da GGP, Beto Junqueyra: “Admiro muito o trabalho do Paiva Netto e da LBV. Estou com um projeto de livro infantil para ajudar as crianças da Instituição. A nossa ajuda tem efeito multiplicador muito grande, porque contagia”. Com igual carinho falou o publicitário Omar Caldas: “Com a Campanha estamos pedindo contribuições para que esse trabalho seja ampliado ainda mais”. Médicos em ação Por fim, vale trazer o depoimento de três amigos da área médica que, ao lado do serviço voluntário no Centro Educacional e Comunitário na capital paulista, estão empenhados também nesta frente de trabalho: “O respeito às diversidades, à defesa do meio ambiente, à preservação dos bens culturais e, principalmente, ao desenvolvimento dos valores da solidariedade e da cidadania são a motivação pessoal e social da nossa ação voluntária que é ancorada nos princípios do bem.” José Garris Del Valle, dentista. “Sou voluntária da LBV há anos, adoro ir lá e fico muito contente em poder ajudar na saúde bucal das crianças. O que puder fazer para ajudar o próximo farei, é muito bom.” Juliana Rimcha, dentista. “O entusiasmo que vejo em torno dessa Campanha da LBV, de tudo o que está acontecendo, 350 toneladas é pouco, vamos conseguir umas 700.” José Luiz Amuratti, gastroenterologista. As doações para a Campanha podem ser entregues nos postos de arrecadação da Legião da Boa Vontade, em todo o Brasil. Veja relação de endereços no site www.lbv.org.br. Balanço social Projeção 4.448.578 3.503.908 O gráfico ao lado mostra o expressivo número de atendimentos socioeducacionais realizados pela Legião da Boa Vontade nos últimos anos e a desafiante meta projetada para 2005. 2.609.145 2002 2.855.614 2003 2004 2005 A LBV foi a primeira Instituição filantrópica no País a ter seu balanço geral auditado por Auditores Externos Independentes (Walter Heuer), e publicado na imprensa, por iniciativa de Paiva Netto, muito antes de a legislação, que exige essa medida, entrar em vigor.
  13. 13. Especial Gandhi e seu legado de Amor e Paz __________ Leila Marco Fotos: Richam Samir Em um encontro histórico no Rio de Janeiro o Embaixador da Índia e o DiretorPresidente da Legião da Boa Vontade conversam sobre Educação, Cultura e Espiritualidade Ecumênica. 16 Revista Boa Vontade B alões coloridos soltos no ar, música e saudações de boasvindas. Sob esse clima de festa e alegria é que ocorreu, no último 6 de outubro, o encontro do Embaixador da Índia, Amitava Tripathi, e o Diretor-Presidente da Legião da Boa Vontade, José de Paiva Netto, no Centro Educacional, Cultural e Comunitário da Instituição, na capital fluminense, situado na Avenida Dom Hélder Câmara, 3.059, Del Castilho, Zona Norte do Rio. O Embaixador de imediato expressou seu contentamento pela gentil acolhida: “Maravilhoso. Estou muito feliz por estar aqui”. Na conversa travada entre os dois, o amor ao Brasil e ao país do visitante, a fantástica cultura e o milenar Povo indiano logo surgiram. O dirigente da LBV rememorou que, desde cedo, foi levado por influência paterna a se interessar pelo assunto: “Ainda pequenino, tive meu interesse também despertado para a Índia e sua gente. Meu pai, Bruno Simões de Paiva (1911-2000), era um estudioso da vida de Mohandas Karamchand Gandhi (1869-1948); do poeta e pensador hindu Rabindranath Tagore (1861-1941) e outras vívidas Paiva Netto recebe o Embaixador da Índia no Brasil, Amitava Tripathi, no Centro Educacional, Cultural e Comunitário da LBV, na capital fluminense. personalidades do seu imenso país. Em 1961, escrevi sobre Gandhi e ganhei uma tocante recordação da Embaixada indiana. Estava com 19 anos. Recebi-a das mãos do Embaixador naquele tempo. Foi comigo um colega do Colégio Pedro II, Dálsio Cavalcanti Pinto, que falava um excelente inglês”. Dando corpo àquelas lembranças, Paiva Netto trouxe o quadro com o qual foi agraciado pelo então Embaixador, senhor M.K. Kripalani, época distante em sua vida, e, ao mesmo tempo, tão presente pela força de uma
  14. 14. “Quando o Homem chega à plenitude do Amor, neutraliza o ódio de milhões.” Gandhi Revista Boa Vontade 17
  15. 15. Especial Coral Ecumênico Infantil LBV recepciona o senhor Tripathi e Paiva Netto na entrada da Escola da Legião da Boa Vontade. Era o início do memorável encontro. “Estou deslumbrado em estar neste lugar. É a primeira vez que visito um Centro Educacional da LBV, já estive no Templo da Boa Vontade, em Brasília, em várias oportunidades. Fico impressionado com o Amor e o carinho que a Instituição compartilha com as muito adoráveis criancinhas do Rio. Estou feliz de saber que Jesus cuida delas.” Amitava Tripathi, Embaixador da Índia. 18 Revista Boa Vontade vê, Dr. Amitava, o nosso relacionamento é antigo. Trata-se de amizade com um surpreendente Povo que deveras tem influenciado o mundo ocidental. Basta lembrar o Buda. Há um pensamento que diz: ‘A Luz vem do Oriente’. A Ásia e a África são o grande útero das religiões. Recordome também de Ramakrishna (18341886), Swami Vivekananda (18631902). Li obras sobre eles e deles quando bem jovem. Assim como a respeito das XIV Lições de Filosofia Yogue, de Ramacharaca*1”. Arquivo rBV cultura fascinadora. “Num documento que recebi da Embaixada, encontra-se a assinatura do Adido de Imprensa, Dr. S.K.Das, que me chamou a atenção pelo perfeito formato triangular. Na parte posterior da estampa, aparecem várias anotações feitas por mim. Como 1 2 3 Na fotografia acima, aspecto da fachada do Centro Educacional, Cultural e Comunitário da LBV, na capital fluminense (1). Nas fotos menores, o senhor Tripathi visita os ambientes internos da escola (2 e 3). Na foto ao lado (4), Raquel Bertolin (E), da LBV, o Administrador Estadual de Del Castilho/Suburbana, Pedro Paulo Torres (C), que, na ocasião, representou a Governadora do Estado do Rio, Rosinha Garotinho, e o Embaixador Tripathi. 4
  16. 16. Mahatma M ohandas Karamchand Gandhi é o nome verdadeiro do líder pacifista indiano. O Mahatma, que significa “grande alma”, ficou conhecido por sua liderança pacifista e é, com certeza, a personalidade principal da independência da Índia. Em 1891, formou-se em Direito na Inglaterra e depois voltou à Índia, onde exerceu a profissão. Dois anos depois, iniciou um movimento na África do Sul — àquela altura colônia britânica —, no qual objetivava lutar contra o racismo e pelos direitos dos hindus. Em 1914, voltou a seu país e difundiu seu movimento, cujo método principal era a resistência passiva, pregando a não-violência como forma de luta. Em 1922, foi detido após organizar uma greve contra o aumento de impostos, sendo condenado a seis anos de prisão. Porém, foi libertado em 1924. Em 1930, liderou a marcha para o mar, uma caminhada de 320 quilômetros para protestar contra os preços dos impostos britânicos e a proibição aos indianos de fabricar sal. Por isso, sua iniciativa tornou-se famosa sob o nome de “a Marcha do Sal”. Em 1931, reivindicou a liberdade de seu país na II Conferência da Mesa-Redonda, em Londres. De volta à Índia, em dezembro do mesmo ano, depois de reiniciar sua campanha de libertação, foi novamente preso. Finalmente, em 1947, foi proclamada a independência da Índia. Gandhi trabalhou também para evitar a luta entre muçulmanos e hindus, que estabeleceram um Estado separado, o Paquistão, dividido em duas frações, uma das quais, anos depois, se tornou Bangladesh. Dito isso, enumerou algumas das palavras grafadas de próprio punho no verso daquela relíquia: “Isso me dá grande emoção. Está tudo quase apagado, é de 22 de fevereiro de 1961. Anotei aqui diversos pensamentos do Mahatma (...). Gandhi deu, em vida, lição de Solidariedade Ecumênica aos Homens de Boa Vontade. Tornou-se o líder do movimento para a libertação de sua pátria do poderio da Inglaterra pela força militante do Amor, pela corajosa Fraternidade, pelo acendrado senso de Justiça. Religioso sincero e político hábil! Levantou-se também contra o racismo, encetando vigorosa atividade pelo fim dessa abominação. Por exemplo, quando, como advogado, vivendo na África do Sul, enfrentou o General Jan Christian Smuts (1870-1950), PrimeiroMinistro Sul-Africano, que depois veio a tornar-se seu admirador. Gandhi foi, sem dúvida, uma das maiores figuras dos séculos XIX e XX”. Ainda sobre o quadro, o Líder da LBV lê, por sugestão do Legionário Alvino Alves de Barros, para o senhor Tripathi trechos da carta que redigiu, nos idos de 1960, ao Embaixador indiano: “Já perdi a conta de quantos livros, revistas e páginas li sobre a inconfundível personalidade dele (...). “Chamo-me José Simões de Paiva Netto, tenho 19 anos, no dia dois de março completarei 20. Curso o terceiro ano Científico no Colégio Pedro II e serei médico, se for esta a vontade de Deus. Se me atrevo a escrever-lhe é porque a minha professora de História Geral, Dona Hermínia, encoraja-nos, seus alunos, a fazê-lo, pois afirma ser Vossa Excelência pessoa assaz interessada no intercâmbio de informações e idéias sobre a grande e milenar Índia, tão cantada por Rabindranath Tagore. “Mas, voltando ao Mahatma, à medida que aumenta nosso conhecimento da sua vida e sua obra, cresce-nos o espanto. “Personalidade granítica. Coração intensamente fraterno, ligado a um cérebro portentoso. Foi realmente um Homem Crístico sem ser um cristão formal. Honra-nos, Seres Humanos, fazer parte do mundo em que ele habitou. Sua existência é uma mensagem de Amor a um planeta onde ainda campeia o ódio. “Há uma página sua, entre as muitas que escreveu, ‘O Amor’, na qual diz: ‘A não-violência completa é a ausência completa de malquerer a tudo “Muita Paz, “Como admirador que sou de sua grande Pátria, tenho profunda veneração pelo maior de todos os seus filhos, o Mahatma Gandhi. Acusado pela divisão territorial da Índia, atraiu o ódio dos nacionalistas hindus. Um deles o assassina a tiros no ano seguinte, quando Gandhi tinha 78 anos. Na época, foi cremado, e mais de um milhão de indianos compareceram ao seu funeral. Parte de suas cinzas foi jogada nas águas sagradas do rio Jumna. Passados 49 anos de sua morte, outra parte de suas cinzas foi lançada, numa cerimônia especial, no rio Ganges, na cidade de Allahabad, local sagrado para os hinduístas. (Reflexões da Alma, de Paiva Netto, página 139). Recordações: Paiva Netto mostra ao senhor Amitava quadro de Gandhi que ganhou, em 1961, do então Embaixador da Índia, senhor M.K. Kripalani, quando estava com 19 anos e já revelava sua admiração pelo país asiático. o que vive. A não-violência sob forma ativa é a Boa Vontade para com tudo o que vive: é a perfeição do Amor’. “O pensamento do Mahatma assemelha-se aos ideais fraternistas de um movimento que se espalha por todo o Brasil — a Legião da Boa Vontade, dirigida por seu fundador, Alziro Zarur*², que prega a União de todos pelo Bem de todos, numa batalha titânica contra o materialismo avassalador. (...) “Deus que está presente faça-o cada vez mais feliz e torne sua histórica Índia cada dia mais próspera e magnânima e o seu Povo usufruindo dessa prosperidade. Salve Mohandas Karamchand Gandhi. “Viva Jesus!” Revista Boa Vontade 19
  17. 17. Especial 1 2 Após a leitura da missiva, indagado por um dos presentes, comenta sobre os motivos que acabaram modificando sua meta inicial de vida, a Medicina. “A especialidade seria operador e ginecologista. Contudo, me integrei na Legião da Boa Vontade e pelas mãos de Alziro Zarur fui levado para o caminho do jornalismo e do rádio. Em 1956, com 15 anos, já estava na LBV e na Rádio Mundial, contribuindo com minha modesta cota de Boa Vontade no extraordinário labor de Zarur. Imaginem o que ocorreu na minha casa quando numa certa manhã revelei aos meus pais: — Sinto muito, mas não serei médico. Apaixonei-me pelos nobres objetivos da Legião da Boa Vontade. Minha querida e tão saudosa mãe desmaiou, literalmente. As mães são as donas amorosas dos filhos (risos). Tudo mudou em minha existência, porém não me arrependo. Eles mesmos, mais tarde, deram-me o maior apoio e incentivo, o que foi muito importante para mim”, concluiu. Lembranças do Brasil e da Índia 3 4 Nos livros que o senhor Tripathi autografou a Paiva Netto foram deixadas duas belas mensagens: “Concedido a um grande estudioso, humanista e espiritualista” e “Concedido a um, verdadeiramente, grande filho da Humanidade”. 20 Revista Boa Vontade Troca de lembranças. Na foto 1, o Embaixador da Índia presenteia o dirigente da LBV com quadro feito em computação gráfica por ele, inspirado no Templo da Boa Vontade. Na segunda fotografia, aparecem, da esq. para a dir.: O Líder da LBV, o Sr. Tripathi e Pedro Paulo Torres, representando a Governadora do Rio, Rosinha Garotinho. Nas imagens 3 e 4, Paiva Netto retribui a gentileza entregando ao Chanceler uma estampa da Mãe de Jesus, o CD Ave, Maria! (coletânea clássica da Gravadora Som Puro) e o livro As Profecias sem mistério (em inglês), de autoria dele. Amantes da História, falaram ainda dos laços que unem Portugal e Índia. O Chanceler presenteou o dirigente da Instituição com dois livros: India Portugal — Cultural Interactions (Índia Portugal — Interações Culturais) e o Rajasthan — Colours of a Desert Land (Rajasthan — Cores do Deserto; tradução livre), do Dr. Surendra Sahai (não disponíveis no Brasil). Nas obras, deixou, respectivamente, duas belas dedicatórias para Paiva Netto: “Concedido a um grande estudioso, humanista e espiritualista” e “Concedido a um, verdadeiramente, grande filho da Humanidade”. Outra lembrança ofertada pelo Embaixador foi um quadro feito em computação gráfica por ele mesmo, inspirado no Templo da Boa Vontade, erguido em Brasília/DF e que neste 21 de outubro completou 16 anos de existência*3.
  18. 18. Ao entregar a tela, o amigo da LBV descreveu detalhes de seu labor artístico: “A terra é a filha do sol. Para todas as ciências e religiões antigas, o sol é muito importante, como se vissem um deus. Em outras crenças, os santos têm uma auréola representando o astro solar, a essência, a quintessência do Templo da Boa Vontade. A Paz, a unidade em Deus para o TBV, em si, é bastante significativa por causa da sua forma piramidal (...). Ali está o espírito do Brasil, que é o céu azul, e eu gosto muito dessa obra de arte”. Por sinal, por determinação de Paiva Netto, a explicação O Embaixador da Índia é recebido pelos alunos da Escola da LBV com flores e muito carinho “As crianças conseguem levar esses valores defendidos pela LBV para dentro de casa. Isso causa um impacto na sociedade brasileira e mundial”. Amitava Tripathi, Embaixador da Índia. dada anteriormente e a fotografia do doutor Amitava serão colocadas ao lado do quadro, no Centro Comunitário e Educacional da LBV no Rio, em lugar de destaque. Em retribuição, o Diretor-Presidente da LBV entregou-lhe uma estampa da Mãe de Jesus, o CD Ave, Maria! (coletânea clássica da gravadora Som Puro), em que há melodias dele, a exemplo do oratório O Mistério de Deus Revelado: “Tenho de corresponder a tanta gentileza. Este CD traz composições minhas com a orquestração do maestro Vanderlei Alves Pereira, um músico de qualidade e de cabeça aberta, porque quebro muitas regras musicais (risos)”. Também autografou seu livro As Profecias sem mistério (no idioma inglês): “Ao Amigo e Irmão Embaixador Amitava Tripathi. Disse Alziro Zarur, saudoso Fundador-Presidente da LBV: ‘O Amor é todo o encanto da vida. A vida sem Amor não vale nada’. Assim vejo a Índia, com grande Amor Fraternal. Paiva Netto”. Educação com qualidade O Centro Comunitário da LBV conta com mais de 5.000 m² de área construída. Nesse espaço há 22 salas de aula, berçários, consultórios médico e odontológico, laboratórios de informática e refeitórios. O prédio possui ainda ampla quadra poliesportiva, biblioteca, auditório e brinquedoteca, que atendem não somente aos alunos, mas também a suas famílias. Conhecer de perto essa ação emocionou o Sr. Tripathi: “Estou deslumbrado em estar neste lugar. É a primeira vez que visito um Centro Educacional da LBV, já estive no Templo da Boa Vontade, em Brasília, em várias oportunidades. Fico impressionado com o Amor e o carinho que a Instituição compartilha com as muito adoráveis criancinhas do Rio. Estou feliz de saber que Jesus cuida delas”. Sua atenção igualmente se voltou para a Pedagogia do Cidadão Ecumênico, metodologia preconizada por Paiva Netto, aplicada com sucesso em todas as unidades educacionais da Obra. “A Espiritualidade é importante para todos, não só para crianças, mas para adultos também, porque proporciona uma direção para a vida. O mundo hoje está cheio de distrações. Podemos ser levados para caminhos não tão bons. Precisamos de um direcionamento para que possamos conduzir nossa vida propriamente. A Espiritualidade é fundamental para mostrar esta trilha, para que as crianças se tornem cidadãos plenos”. E concluiu reforçando que essa ação não serve apenas aos alunos: “As crianças conseguem levar esses valores defendidos pela LBV para dentro de casa. Isso causa um bom impacto na sociedade brasileira e mundial”. Compareceu, ainda, naquela data, representando a Governadora do Estado do Rio de Janeiro, Rosinha Garotinho, o Administrador Estadual de Del Castilho/Suburbana, Pedro Paulo Torres. ________________ *1 Ramacharaca — pseudônimo mais famoso de William Walker Atkinson (1862 -1932), que escreveu diversos livros sobre saúde, bem-estar e felicidade por meio do controle e da confiança; além de valorizar encontro com o princípio divino positivo e benevolente. *2 Alziro Zarur (1914-1979) – Jornalista, radialista, poeta e escritor. Militante brasileiro social e religioso. * 3 Leia reportagem completa nesta edição. Revista Boa Vontade 21
  19. 19. Especial O Amor por Brasília Daniel Trevisan e o respeito pelo Templo da LBV O senhor Tripathi durante palestra no “Congresso Temático: Ciência e Fé na construção da Paz”, que ocorreu em 21 de outubro no ParlaMundi da LBV. Reprodução de algumas obras de arte indianas expostas no Templo da LBV Reprodução RMTV Em breve, o Embaixador Amitava representará a Índia na Suíça e no Vaticano. Carina Palackapilly, escritora. Reprodução RMTV Reprodução RMTV Quem esteve na exposição Arte Contemporânea da Índia, no mês de julho deste ano na Galeria de Arte do TBV, pôde apreciar músicas típicas do país apresentadas pelos músicos Anand Jyothi (E), Clarice Prestes (C), André Luiz Oliveira (D). Também estiveram presentes no acontecimento: Lorenza Carrion, do Departamento Cultural da Embaixada da África do Sul. 22 Revista Boa Vontade Reprodução RMTV Reprodução RMTV Rubens Paiva, ilustrador. Ahimsa Soekartono, representante do Embaixador da República da Indonésia. A mitava Tripathi, que está prestes a assumir a Embaixada da Índia na Suíça, onde acumulará o cargo da Delegação de Autoridade no Vaticano, já se despede da capital do Brasil com saudade. Um de seus últimos compromissos foi palestrar no “Congresso Temático: Ciência e Fé na construção da Paz”, no dia 21 de outubro, no Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, da LBV, em Brasília/DF, sobre o tema “Se queres a Paz, prepara-te para a guerra?”. Ao falar no assunto, deixou seu recado aos peregrinos que, àquela altura, se preparavam para viajar à capital federal, para comemorar os 16 anos de existência do TBV: “A todos que vão ao Templo da Boa Vontade, espero que recebam o amor, a atenção e a Espiritualidade e os levem para o resto do mundo”. O Embaixador Tripathi, que tem 34 anos de carreira diplomática, fez a primeira visita ao Templo da Boa Vontade — a Pirâmide dos Espíritos Luminosos — em 2002. Logo procurou, como turista, conhecer a cidade em todos os aspectos culturais e políticos para estabelecer seus contatos profissionais. Para ele, esse monumento é diferente de tudo que já viu, tem um apelo humanitário e une idéias das mais diversas formas e crenças, não perdendo seus princípios, mas acolhendo outros ideais. Foi atraído de longe pela arquitetura mística do local. Após esse dia, seu interesse só aumentou por essa filosofia ecumênica sem restrições. O seu deslumbramento pelo ambiente o levou a fazer um quadro em homenagem ao que viu e sentiu dentro do Templo da Paz. “Eu não posso ir embora do Brasil sem antes entregar essa minha contribuição à pessoa que criou isso, o Presidente Paiva Netto. Alimento grande vontade de poder entregar-lhe pessoalmente”, disse o Embaixador. E esse desejo se concretizou no dia 6 de outubro. Uma viagem à Índia Em julho de 2005, a Embaixada promoveu a exposição Arte Contemporânea da Índia, na Galeria de Arte do TBV. O Diplomata achou o lugar ideal para uma mostra deste porte, por se tratar de ambiente ecumênico e, culturalmente, um dos melhores locais para exibição na capital federal. Foi grande sua alegria quando recebeu um exemplar da revista BOA VONTADE, edição 204, em que o evento teve destaque nas páginas 34 e 35. “Tenho um grande respeito pelo Deus que o TBV proclama. A mensagem ecumênica que une as pessoas é algo em que acredito. E tudo isso em conformidade com a própria civilização indiana. É um prazer estar aqui”, declarou à revista, ao ser questionado sobre o porquê da escolha do local.
  20. 20. O Templo da Boa Vontade (SGAS 915, Sul, Lotes 75/76, Brasília/DF – Brasil) é o monumento mais visitado da capital federal, segundo a Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur). O Templo da Paz, como também é conhecido, recebeu, em seus 16 anos de existência, mais de 15 milhões de peregrinos e turistas. Fernando Franco Arun Gandhi e a Paz no Templo da Boa Vontade Após evento promovido pela Unesco e pela Unipaz, no ParlaMundi da LBV, neto do líder pacifista indiano emociona-se em homenagem de Paiva Netto ao seu avô. N o ano de 2000, em Brasília/DF, ocorreu o Fórum Paz no Planeta, que reuniu personalidades e renomados conferencistas do Brasil e do Exterior, sugerindo soluções para os problemas decorrentes da violência. O evento, que contou com o apoio da Legião da Boa Vontade, foi promovido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e pela Universidade da Paz (Unipaz) que escolheram o Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica (ParlaMundi da LBV) para sediar o acontecimento em razão da ambiência de Paz que caracteriza o local. Arun Gandhi, neto do Mahatma Gandhi, foi um dos palestrantes desse encontro. Acompanhado de sua esposa, Sunanda, vivenciou uma forte emoção no monumento mais visitado do Distrito Federal. Na oportunidade, participou de uma singular homenagem do DiretorPresidente da LBV em memória ao líder indiano propagador da não-violência. A solenidade teve lugar no Salão Nobre do TBV, onde se encontra a imagem de seu avô no painel A Evolução da Hu- manidade, idealizado por Paiva Netto, no qual figuram grandes luminares da História. Referindo-se à iniciativa do dirigente da Instituição, declarou Arun: “Muito obrigado. É uma grande honra estar na LBV para esta maravilhosa cerimônia. É bom ver que o meu avô está representado no TBV. Porque, durante toda a sua vida, ele acreditou que o desentendimento entre religiões causou muita violência no mundo. Ele queria que as pessoas se unissem. Enquanto seguiam as suas próprias religiões, deveriam também respeitar todas as demais que existem no Planeta. E nos considerarmos uma grande família”. Conforme seu relato, o Mahatma incorporou em seu serviço de orações de todas as manhãs e noites preces de diferentes correntes religiosas: “Ele costumava fazer as orações do lado de fora da casa, debaixo de uma árvore, e nós crescemos com esse tipo de tradição, em que cantávamos hinos do Cristianismo, Islamismo, Budismo, Hinduísmo, Judaísmo... todos os dias. Tivemos a oportunidade de aprender e respeitar as diversas religiões. Estou muito feliz O neto de Gandhi, Arun Gandhi, que preside o Instituto Gandhi para a Não-Violência em Nova York, e sua esposa, Sunanda, participam de homenagem ao líder indiano, no Templo da Boa Vontade. Ao fundo, o painel A Evolução da Humanidade no qual se encontram, por providência de Paiva Netto, a imagem do Mahatma e de outros grandes luminares da História. “Estou muito feliz pelo Templo da Legião da Boa Vontade e seus voluntários, por estarem levando o Ecumenismo para o mundo. Tenho certeza de que meu avô ficaria muito orgulhoso disso também. Desejo todo o sucesso ao senhor Paiva Netto.” Arun Gandhi pelo Templo da Legião da Boa Vontade e seus voluntários, por estarem levando o Ecumenismo para o mundo. Tenho certeza de que meu avô ficaria muito orgulhoso disso também. Desejo todo o sucesso ao senhor Paiva Netto”. Revista Boa Vontade 23
  21. 21. Samba e História Música Popular Brasileira A força das raízes negras e indígenas em sua evolução Jorge Alexandre O radialista Hilton Abi-Rihan (E), ao lado do jornalista e escritor Artur da Távola, durante gravação do programa Samba e História, nos estúdios da Super Rádio Brasil (AM 940 kHz), do Rio de Janeiro. Na Super RBV, o ouvinte pode acompanhar essas entrevistas aos domingos, às 5 da manhã, 14 e 20 horas. Pela Rede Mundial de Televisão (RMTV) é exibido aos sábados, às 23 horas. No domingo, o telespectador tem duas opções de horário: às 15 ou 23 horas. D Arquivo BV eputado Federal, Senador, jornalista, escritor e radialista. Estes são alguns dos atributos de Paulo Alberto Moretzsohn Monteiro de Barros, nome de nascimento, mais conhecido por Artur da Távola. Profundo conhecedor da música popular brasileira, ele foi o entrevistado do programa Samba e História em outubro, ocasião em que rememorou fatos da nossa raiz cultural, defendendo a homenagem aos bambas da música, e ressaltou a amizade de longa data que tem com a Legião da Boa Vontade e seu Diretor-Presidente, José de Paiva Netto. “Acompanho a Instituição desde os tempos do Alziro Zarur e depois, já nos 50 anos do Irmão Paiva, vejo a luta dessa Obra que é uma das maiores do mundo, mais interessantes, que já passou por tempestades, tormentas, mas segue no seu caminho deliberado por forças até superiores a nós”, assevera o entrevistado, integrante da Associação Brasileira de Imprensa (ABI). Quanto ao gosto pela área musical, ele conta que surgiu naturalmente em família e teve o privilégio de nascer em 1936, na década considerada a mais brilhante da nossa canção. Por sinal, é sobre seu interesse pela nossa cultura a pauta da entrevista, como pode ser conferido a seguir. Hilton Abi-Rihan — Qual o significado da música na sua vida? a Pixinguinh 24 Revista Boa Vontade Artur da Távola — Sou muito ligado em música, não posso ficar mais de dois dias sem ouvir uma boa composição, porque sinto falta. (...) Sou uma pessoa eclética, não sei se isso é uma virtude, mas sou assim. Todas as canções manifestam a sensibilidade de quem as compõe e canta. Abi-Rihan — Na época em que foi titular da Secretaria da Cultura, mudou o nome dela para Secretaria das Culturas. Por que fez isso? Artur — É um equívoco que em um país com a diversidade do Brasil a cultura seja tratada como algo único, superior, das classes dominantes, erudita. Temos culturas, subculturas, estamos cheios de formas culturais das mais ricas, variadas, por todo o território. Portanto, o Ministério não é da Cultura, daquela coisa aparentemente superior, elitista; e, sim, das Culturas. Até porque em nossa Pátria as principais conquistas nesta área não foram feitas pelas elites e, sim, pelo Povo. Agora, saindo da esfera brasileira e observando a realidade do Rio de Janeiro, vejo um acúmulo de culturas espetacular. Por isso fiz a mudança. O nosso país é tão interessante que ele absorve a cultura do outro e “engole”. Assim fez com a música norte-americana, centro-americana e latina. O Brasil não se subordina, ele até faz isso em outras áreas, como a econômica, mas não faz isso na área cultural. É tão forte a herança negra, do índio e portuguesa; elas encontram caminhos próprios, vão engolindo as culturas que nos impõem. O jazz vira jazz-samba, o funk brasileiro é
  22. 22. Arquivo rB V Jorge Alexandre A festa das crianças atendidas pelo Centro Educacional, Cultural e Comunitário, no Rio, e que compõem o Coral Ecumênico Infantil LBV, ao se encontrarem com Artur da Távola. diferente, o rap nosso ultimamente anda com muitas palavras norte-americanas, mas daqui a pouco vai arranjar outras. Abi-Rihan — Como surgiu essa parceria com a música? Artur — O contato com a música vem desde a mais remota memória que tenho. Meu pai morreu muito cedo, eu tinha 11 anos de idade quando ele faleceu: era um mineiro quieto, tinha a mania de chegar em casa, botar o pijama, antigamente se fazia isso. Até me lembro de pessoas que saíam assim na rua, isso no bairro carioca de Ipanema em 1940. Ele era todo cuidadoso, abotoava o pijama até em cima para ficar bem sério. Sentava-se ao lado de um velho rádio, que ainda tenho, ouvia as notícias da guerra que impressionaram muito a minha infância, embora sabendo que era longe do Brasil; nós chegamos nessa época a passar por blecaute e racionamentos na cidade do Rio de Janeiro, porque os submarinos alemães passavam por aqui (...). Acabado o noticiário da guerra, sintonizava em uma estação com música. Eu ficava brincando ali perto dele, até a hora de dormir, porque a minha casa não era grande. Aquilo ficou no meu espírito, sempre apreciei música. Minha mãe também gostava de cantar algumas canções antigas, tristes; ela era árabe, filha de sírios, mas veio da Síria no ventre da mãe dela, minha avó. Foi concebida lá e nascida aqui, possuía toda aquela carga da luta do imigrante, suas canções permaneceram na minha memória de modo muito intenso, porque tinha uma Na image m, de 21/8 /1982, apa para os Le rece o jorn gionários alista Artu da Boa Vo esquerda r ntade no está o dirig Núcleo da da Távola discursan ente da In ambos fora d LBV, em N stituição, m ilópolis/RJ. o José de Pa da foto est condecorados com À iva Netto. o título de á o Soldad Naquela d inho de D Cidadão N anos, na o ata, eus José E casião. duardo Pa ilopolitano. Ao cen tro ulote de P aiva, com 10 relação de amor muito grande comigo. Eu fui um filho muito bem-tratado, querido, amado pelos meus pais. (...) O meu pai ouvia música clássica à noite, minha mãe e ele trabalhavam fora já nos anos de 1940, século passado. Tinha uma empregada muito carioca chamada Dóris que cuidava de mim, ela passava as tardes, escondida dos patrões, com o rádio ligado nos programas de auditório das Rádios Nacional, Tupi, e eu, garoto, ficava ali a ouvir o Trem da Alegria, entre outros. Todos aqueles programas constituíram também um pano de fundo da minha infância e, conseqüentemente, os cantores e as músicas que naquela época faziam sucesso. Dizem que 1930 foi a grande década da Música Popular Brasileira. Eu fui criança na década de quarenta, porque nasci em 1936, e ela ainda era brilhante (...), faziam-se carnavais formidáveis, com músicas lindas, e aquilo foi permanecendo no meu espírito. Abi-Rihan — Por que propôs a criação do Dia Nacional do Choro? Artur — É a data de nascimento do Pixinguinha, 23 de abril. Achei que seria justo homenagear o Choro neste dia. Como parlamentar da área da Cultura, eu tinha o dever de levar aquela iniciativa adiante. Agora, nunca imaginei que a data, criada apenas para recordar um ritmo importante do Brasil, viesse a ser realmente comemorada como agora. Abi-Rihan — Há uma história que você sempre conta, que ocorreu ao receber um título de Cidadão Nilopolitano, honraria esta com a qual o Líder da LBV também foi agraciado, por proposição do Presidente da Câmara dos Vereadores, o vereador Vadinho, em 1982. Artur — Eu acompanho a Legião da Boa Vontade, como digo, desde o tempo do saudoso Alziro Zarur. Aprecio muito a idéia que o Paiva Netto desenvolve de Cidadania Solidária com Espiritualidade Ecumênica, até porque, por dentro eu sou assim. (...) Então, estava lá na Câmara e um Deputado Federal da época me Revista Boa Vontade 25
  23. 23. disse assim: “É o seguinte: quando você estiver falando e o auditório demonstrar desinteresse ou não estiver prestando tanto atenção, você cita as palavras do Irmão Paiva”. E eu guardei aquilo. Até que uma certa hora estava lá falando demais e notei que as pessoas começaram a ficar um pouco dispersas. Aí não tive dúvidas, afirmei: “Porque como diz o Irmão Paiva...”, e o público todo me aplaudiu. Peço desculpas... mas, para mim, aquele foi um claro sinal da empatia que ele tem com o Povo. Abi-Rihan — A chave então era você citar o Irmão Paiva e o pessoal aplaudia. Artur — Só dava o Irmão Paiva lá... Abi-Rihan — Porque é o prestígio, a simpatia, a empatia do Irmão Paiva. Artur — É verdade, é verdade. E eu acho que inclusive é modéstia. Aprecio muito quando ele fala, pois o faz discretamente, sem empáfia, com muita interioridade. Abi-Rhian — Como foi a préhistória do samba? Artur — Você sabe que toda forma musical é extremamente discutida pelos estudiosos, porque é uma evolução natural, misturada com uma fusão, com o aperfeiçoamento que os músicos acrescentam ao longo do tempo, com as mudanças no gosto do público. Há pouco tempo saiu um livro chamado A Pré-História do Samba (de Bernardo Alves), justamente esse nome que você mencionou, com 26 Revista Boa Vontade Arquivo Rádio Nacional (Arquivo Rádio Nacional do Rio de Janeiro) Auditório da Rádio Nacional — Programa de Paulo Gracindo César de Alencar, Dircinha Batista e Linda Batista (ao microfone) “Todas as canções manifestam a sensibilidade de quem as compõe e canta.” Artur da Távola a tese muito discutida de que o samba não seria de origem negra, mas brasilíndia, como ele chama. Porque se encontraram evidências de um ritmo parecido com o samba em longínquas datas entre os índios brasileiros. Tenho dificuldade de aceitar essa idéia, mas são pessoas sérias, estudiosas. Eles acham que quem estudou até agora antropologicamente a música brasileira, como Edson Carneiro, Gilberto Amado e outros, defendeu demasiadamente a influência africana em relação à do índio. Então essa obra diz que o samba nasceu no Nordeste, de influência afro-índia. (...) Eu não me considero autoridade no assunto para dizer com acerto como o samba nasceu no Brasil. Agora, há alguns dados que são insofismáveis. Por exemplo, a afinidade entre a nossa música e a cubana na sua concepção rítmica. Porque as mesmas tribos africanas que de maneira violenta, covarde, foram arrancadas do seu hábitat na África e transportadas nos porões dos navios negreiros para as Américas, morrendo e sofrendo, depois padeceram na escravidão, essas mesmas tribos que foram para Cuba estiveram na Bahia, portanto, tem-se uma afinidade muito grande entre o tipo de samba-de-roda que a Bahia faz e o ritmo caribenho, aliás em toda a América Central. (...) Os nossos índios tinham formas culturais próprias (...), é uma civilização milenar. Abi-Rihan — Na ocasião dos festejos de 50 anos de existência da Legião da Boa Vontade, você proferiu um emocionante discurso no Senado Federal. Por que escolheu a tribuna para homenagear a Instituição? Achei que a tribuna do Senado era um lugar ideal para falar sobre a LBV que nasceu no Rio de Janeiro e hoje está no mundo todo. E ao mesmo tempo é uma Instituição que prossegue crescendo e formando pessoas. Abi-Rihan — Algum planejamento para lançar livros em breve... Artur — Agora vou voltar, estou com um livro de crônicas pronto, espero que saia antes do Natal. Estou escrevendo um sobre música, que deve sair em meados do ano que vem.
  24. 24. Cida Linares A Espiritualidade Ecumênica da LBV O jornalista Artur da Távola discursa no ParlaMundi da LBV. Ao término do bate-papo, Artur da Távola aproveitou para dar os parabéns pela revista BOA VONTADE, a qual, na análise dele, “é muito bem-feita”. Destacou a reportagem sobre a vida de Carmen Miranda, publicada em Samba e História, na edição nº 205. “Eu comprei aquele número da revista. O mais impressionante nela é o caráter ecumênico da LBV, que é aberto e sem nenhum fechamento dogmático.” O jornalista comentou também o número especial da BOA VONTADE Ecumenismo, editada em homenagem aos 16 anos do Templo da Paz, monumento idealizado e construído por Paiva Netto e que, desde sua inauguração (21/10/1989), já recebeu mais de 15 milhões de peregrinos e turistas, o que o consagrou como local mais visitado de Brasília/DF. “Quando morei em Brasília estive na Pirâmide da LBV umas quatro vezes, fazendo a espiral que nos faz chegar ao centro (da nave); é interessante, possui fluidos, há coisas muito boas lá. Ficava impressionado com a presença de jovens muito bem-vestidas, cidadãos sempre de gravata, e a amabilidade deles. Até uma vez brinquei: ‘Eu acho que o céu é assim’. Porque só tinha pessoas educadas, conduzindo com delicadeza”, diz o radialista. O Professor Artur também menciona a arquitetura do Templo, que para ele é própria para a meditação. “O Templo da Boa Vontade faz parte hoje de Brasília de uma maneira muito intensa. Quantas e quantas pessoas se energizam no TBV graças ao formato, à entrada do sol, são formas de, sobretudo, dar autoconfiança às pessoas, auto-estima. Esse é um outro bem que a LBV faz: independente de tudo que a Instituição realiza pelas crianças, tudo que faz no mundo inteiro em creches, escolas, lares. Mas também a auto-estima dos seus membros, dos seus seguidores. (...) Por isso, repito o que já disse no começo: gosto da LBV quando ela se intitula, e não apenas se intitula, mas luta pela Espiritualidade Ecumênica”. Conselheiro da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica — honraria criada por Paiva Netto e que visa premiar aqueles que se dedicam à Solidariedade Ecumênica no mundo —, Artur recorda-se: “Já participei da eleição de figuras de destaque em vários anos e a LBV me deu a honra de ser um dos jurados”. Artur da Távola é ouvinte da Super Rede Boa Vontade de Rádio — emissora que está em 1º lugar no Ibope em audiência fidelizada. “É uma freqüência muito boa a Super Rádio Brasil 940 AM (Rio de Janeiro), som muito bom”. Ao término da entrevista, registrou: “Agradeço muito à LBV pela oportunidade de um programa que a gente pode falar, que dá tempo para isso. Que o corre-corre da televisão, do rádio contemporâneo, o sujeito fala 20 segundos e cortou. Mas aqui nos programas da Legião da Boa Vontade, não. A gente pode trocar idéias e ter uma conversa livre. Sou grato à LBV, ao Irmão Paiva, à Super Rede Boa Vontade de Rádio e à Rede Mundial de Televisão. E como sempre repito: Viva a Espiritualidade Ecumênica!”. Fabricamos e desenvolvemos Pastas, Fichários, Crachás, Brindes, Embalagens e outros em Plástico, sob encomenda. Fichários com abertura externa para encartes. Pasta prontuário reforçada para Hospitais. Sugestões indicadas para cursos e eventos. Crachá veicular, Mostruário de aviamentos, Bijuterias e diversos. Brindes Porta CDs, Risque-Rabisque, Porta Calendários e Documentos, Caixas, Estojos, Porta Cartões... sob encomenda personalizados. “Estimulamos sua Criatividade” (11) 3221-2012 (11) 3331-2303 Visite nosso site www.stellaplasticos.com.br
  25. 25. UN Photo/Michal Novotny UN Photo/Eskinder Debebe Internacional O espírito das O Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, conversa com lideranças de comunidades africanas. Nações Unidas ONU completa 60 anos celebrando conquistas, mas busca renovação e novos desafios. ________________ “O marco dos 60 anos lembra-nos que o mundo, hoje, é muito diferente daquele dos fundadores da ONU. As Nações Unidas devem refletir essa nova era e responder a seus desafios — inclusive, e principalmente, a consciência de que muitas pessoas ainda estão indefesas contra a fome, a doença e a degradação ambiental, mesmo tendo o mundo os meios para salvá-las. Uma ONU renovada deve ajudar a mudar essa situação e trabalhar com muitos parceiros para fazer progredir os nobres ideais dos fundadores.” As palavras do SecretárioGeral da ONU, Kofi Annan, sintetizam o espírito de renovação que marcou as comemorações dos 60 anos do Órgão. Criada em um período pós-guerra (veja o subtítulo Como tudo começou), a Organização das Nações Unidas nasceu prioritariamente para estabelecer um sistema de segurança coletivo que evitasse novos desastres globais e até mesmo uma iminente guerra nuclear. Dessa maneira, tem participado dos principais movimentos da segunda metade do século XX e início do XXI, evitando con- UN Photo O mundo em 1945 estava diante do cenário devastador do fim da Segunda Guerra Mundial. Os conflitos finais que levaram à derrota do Eixo pelas forças aliadas encerravam uma das mais sangrentas páginas da História da Humanidade. Era um momento de estabilizar as relações internacionais e firmar bases de Paz, que acabassem com a intolerância e com a ameaça de uma guerra nuclear. Esses foram os propósitos que fizeram surgir a Organização das Nações Unidas (ONU), que celebra neste mês de outubro 60 anos de atividades com espírito de renovação. 28 Revista Boa Vontade Danilo Parmegiani Fotos: UN/DPI flitos e promovendo o reconhecimento universal dos direitos humanos. Muito mais do que uma força de Paz, a ONU preocupou-se em ampliar sua atuação durante todos esses anos e tem essencialmente procurado estimular a cooperação internacional na área econômica, social, cultural e humanitária. Na atualidade, conta com 191 estados-membros e tem se esforçado para vencer desafios internos de reforma da Instituição, enquanto se empenha em âmbito mundial na mais ampla campanha de desenvolvimento sustentável já acordada internacionalmente. O desafio das metas do milênio Durante a última Assembléia Geral, em setembro de 2005, líderes mundiais reuniram-se para avaliar os cinco primeiros anos dos chamados Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. O ambicioso plano a ser alcançado até 2015 é um conjunto de oito metas que abrange ações desde o combate à pobreza, mortalidade, desigualdade de
  26. 26. UN Photo/Eskinder Debebe gêneros, HIV/aids e outras doenças até a universalização do ensino, promoção do desenvolvimento sustentável e parcerias globais. Embora alguns países tenham apresentado avanços significativos, um relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) mostrou dados alarmantes coletados em 177 países, constatando que a desigualdade social no mundo está em processo de crescimento. Por isso, uma das mais importantes atuações da ONU tem sido promover uma globalização inclusiva, mobilizando não apenas governos, mas também sociedade civil para um pacto de atuação cooperativa na qual todos tenham consciência de suas responsabilidades e reconheçam seu papel ativo nos desafios globais. Importantes parceiros têm contribuído com as Nações Unidas para o cumprimento de tão nobres objetivos, entre eles a Legião da Boa Vontade, que possui status consultivo geral em seu Conselho Econômico e Social (Ecosoc) e apresenta sua experiência em mais de meio século promovendo Solidariedade UN Photo/R Chalasani Mais de 170 Chefes de Estado e Governo reunidos na sede da ONU em Nova York para a High-level Plenary Meeting na Sexagésima Sessão da Assembléia Geral das Nações Unidas (2005 World Summit), de 14 a 16 de setembro de 2005, também comemorando o sexagésimo aniversário das Nações Unidas. Assembléia Geral da ONU com Espiritualidade Ecumênica, por meio de centenas de iniciativas humanitárias desenvolvidas no Brasil e em outros seis países (Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Portugal e Estados Unidos), além de correspondentes em diversas partes do Planeta. A exemplo desse trabalho da LBV, a contribuição brasileira nas Nações Unidas sempre foi pautada na vertente pacífica de nosso Povo, como lembra o escritor Paiva Netto no subtítulo “Oswaldo Aranha, a ONU e a Paz”, publicado na revista Sociedade da Solidariedade Ecumênica. “Em 1947, o diplomata brasileiro Oswaldo Aranha (1894-1960) presidiu a Assembléia Geral da ONU. Anteriormente ocupou, entre outros, os cargos de Embaixador do Brasil em Washington e de Ministro das Relações Exteriores. O biógrafo Francisco Talaia O’Donnell, em seu livro Oswaldo Aranha, relata: “— Discursando na ONU, ao tomar posse da presidência, em 16 de setembro de 1947, Oswaldo Aranha mais uma vez aproveitava a oportunidade para transmitir ao mundo a semente de seus ideais: “‘O mundo totalitário ruiu porque quis afrontar a liberdade da consciência humana. As conquistas espirituais não são passíveis de ser alteradas pela força’. “Pregando a Paz aos povos do mundo, que foi o incansável apostolado de sua vida, afirmava: ‘Aqui se ensina, se doutrina e sobremodo se crê e aprendem os povos a conhecerem-se e a confiarem-se uns nos outros e todos na necessidade de um destino comum e fraternal (...)’”. Revista Boa Vontade 29
  27. 27. UN Photo/MB Internacional 30 Revista Boa Vontade UN Photo UN Photo Aspectos do início da construção da Sede em Nova York/EUA. UN Photo UN Photo Primeira reunião do Conselho de Segurança da ONU, realizada em Paris, França, em 16/9/1948.
  28. 28. Como tudo começou... A expressão “Nações Unidas”, sugerida pelo Presidente dos EUA Franklin Roosevelt, foi usada primeiramente na “Declaração das Nações Unidas”, em 1º de janeiro de 1942, ainda durante a Segunda Guerra Mundial, quando representantes de 26 nações reafirmaram suas intenções de continuar lutando contra os países do Eixo (Alemanha, Japão e Itália). Várias organizações internacionais foram primeiramente estabelecidas entre os Estados em assuntos específicos, a exemplo da União Internacional de Telecomunicações (UIT) e União Postal Universal (UPU) ainda no século XIX. A Liga das Nações, concebida em circunstâncias similares durante a Primeira Guerra Mundial, foi estabelecida em 1919, sob o Tratado de Versalhes, com o fito de “promover cooperação internacional e alcançar a Paz e a segurança”. A Liga cessou suas atividades depois de ter falhado na prevenção da Segunda Guerra Mundial. Em 1945, representantes de 50 países, entre eles o Brasil, se encontraram em São Francisco, EUA, para uma conferência internacional que delineasse a Carta das Nações Unidas. A Carta foi assinada em 26 de junho de 1945 pelos representantes dessas nações, incluindo os cinco membros do Conselho de Segurança (China, a então União Soviética, Reino Unido, França e Estados Unidos). A Polônia, que não estava representada na conferência, assinou logo depois e se tornou um dos primeiros 51 estados-membros da ONU. Com a ratificação da Carta das Nações Unidas, em 24 de outubro de 1945, surgia oficialmente a Organização das Nações Unidas. Fonte: www.un.org na ONU Curiosidades Arquivo pessoal – Um dos arquitetos responsáveis pelo projeto da sede das Nações Unidas em Nova York foi o renomado arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer. – O Brasil é sempre o primeiro país a se pronunciar durante a Assembléia Oscar Niemeyer Geral da ONU, o mais importante encontro anual dos Chefes de Estado. – O diplomata brasileiro Oswaldo Aranha foi nomeado Presidente da Segunda Assembléia Geral das Nações Unidas, em 1947. Oswaldo Aranha – A Legião da Boa Vontade, LBV, foi a primeira organização brasileira reconhecida em caráter oficial na sede da ONU, em 1994. – Em abril de 2000, o Coral Ecumênico LBV apresentou-se na sede das Nações Unidas. UN Photo Eventos diversos celebram o aniversário da ONU O aniversário das Nações Unidas foi comemorado em várias das principais cidades do mundo. No Rio de Janeiro (Brasil), Genebra (Suíça) e em Nova York (EUA), por exemplo, ocorreram concertos de música clássica, com orquestras compostas por músicos de diversas nações. A idéia foi a de que as sinfônicas espelhem, em sua formação, a união dos povos. No Rio de Janeiro, a Organização valeu-se de uma paixão nacional. A 1ª Copa ONU de Futebol Feminino, cuja madrinha é a atriz Juliana Paes, e tem o patrocínio da LBV, reúne 16 times em um torneio que se realiza sempre aos sábados e domingos até 11 de dezembro. Nos Estados Unidos, organizações não-governamentais, entre elas a Legião da Boa Vontade, promoveram um importante encontro, conforme relata, a seguir, a representante da LBV nas Nações Unidas, Conceição Malaman. Revista Boa Vontade 31 Arquivo pessoal UN Photo Equipe de planejamento arquitetônico da Sede Permanente das Nações Unidas (componentes da equipe e consultores auxiliares), fotografada em 18 de abril de 1947, em frente ao projeto preliminar do edifício. No primeiro plano, da esq. para a dir.: Ssu-Cheng Liang, China; Oscar Niemeyer, Brasil; Nikolai Bassov, Rússia (URSS); e Ernest Cormier, Canadá. Na segunda fileira, da esq. para a dir.: Sven Markelius, Suécia; Charles Le Corbusier, França; os membros da equipe Bodiansky, engenheiro consultor da diretoria (França); Wallace K. Harrison, Projetista-chefe da equipe; G.A. Foilleux, Austrália; Max Abramowitz, EUA, Diretor de Planejamento, e os consultores Ernest Weismann (Iugoslávia), Antoniades (Grécia) e Matthew Nowicki (Polônia). Brasil
  29. 29. Internacional Apresentação do vídeo relembrando os valores que nortearam a criação da Organização das Nações Unidas na década de 1940. O documentário foi produzido pela LBV e pela Fundação José de Paiva Netto, em parceria com o Comitê de Espiritualidade, Valores e Interesses Globais de ONGs nas Nações Unidas. Comitê organizador do evento “O Espírito das Nações Unidas”: Conceição Malaman (LBV), Julia Welch (Brahma Kumaris), Diane Williams (Chefe do Comitê de Espiritualidade, Valores e Interesses Globais - CSVGC), Jackqueline Ripstein (Chefe do grupo de trabalho de Artes Sagradas Transcendentais do CSVGC), Monica Willard (representante da URI, United Religions Initiative), Margo Lazaro (representante da Organização Mayors for Peace and Global Family) e Carl Murrell (representante da Organização Baha’i). LBV co-organiza evento comemorativo na sede da ONU em Nova York _________________ Conceição Malaman Nova York — O Comitê de Espiritualidade, Valores e Interesses Globais, do qual faz parte a Legião da Boa Vontade, e integrantes do grupo de trabalhos Values Caucus organizaram evento no salão de conferência número três, na Sede das Exmo. Sr. Jan Nações Unidas em Nova Eliasson comoveu-se York, com o tema O Escom o vídeo sobre os pírito das Nações Unidas 60 anos da ONU. — Reflexões para o Futuro. No ambiente superlotado, estavam presentes representantes de ONGs com status consultivo no Ecosoc e afiliadas ao Departamento de Informações Públicas, jovens, adolescentes e crianças da escola internacional da ONU, como também o Coral da Organização. O início da cerimônia foi marcado com uma apresentação do “Hula Halau”, formado por jovens do Havaí. Logo após, Roberto Mucaro Borrero, representante da tribo Boriken Taino e também Presidente do Comitê de ONGs na década internacional da ONU para os Povos Indígenas Mundiais, fez a abertura pedindo um minuto de silêncio em um brado de Paz. A reunião contou ainda com a presença do subsecretário das Nações Unidas para Comunicação e Informações Públicas, Shashi Tharoor. Diane Williams, chefe do Comitê de Espiritualidade, Valores e Interesses Globais em NY, com Carl Murrell, Vice32 Revista Boa Vontade Fotos: Amado Vieira e Conceição Malaman. Presidente do Values Caucus, apresentaram um vídeo relembrando os valores que nortearam a criação da Organização na década de 1940. Este documentário histórico foi produzido em parceria com a LBV e a Fundação José de Paiva Netto. Em entrevista à Super Rede Boa Vontade de Radio e TV, Diane destacou: “Nós queremos agradecer muito à Legião da Boa Vontade. Tem sido incrível tê-los como um dos principais organizadores do evento. Desde o início do processo de planejamento, a LBV esteve conosco, 100%. Ficou um produto final muito bonito. Foi maravilhoso. Queremos, particularmente, agradecer ao Irmão Paiva Netto por disponibilizar tudo isso, ajudando para que a LBV estivesse presente nesse encontro da ONU. Estamos todos satisfeitos e empolgados. As pessoas saíram do acontecimento emocionadas e impressionadas com o espírito das Nações Unidas”. Ela ressaltou também que durante a apresentação do vídeo, o Presidente da 60ª Sessão das Nações Unidas e da Assembléia Geral, Exmo. Sr. Jan Eliasson, ficou comovido. “Eu vi o Presidente da Assembléia Geral visivelmente emocionado enquanto assistia ao início do vídeo, quando foi mostrado o momento em que a Carta das Nações Unidas foi estabelecida, há 60 anos, e agora ele está lá naquela mesma cadeira como Presidente da Assembléia Geral. Foi um momento para mim muito especial. O programa e o vídeo inspiraram aquele instante. Ficamos muito felizes com a participação da LBV e gostaríamos de lhes agradecer do fundo de nosso coração”. Representantes da Legião da Boa Vontade levaram aos presentes a revista Sociedade da Solidariedade EcumêShashi Tharoor nica, 7ª edição, com a mensagem de Paiva Netto “É urgente reeducar” (publicada em Inglês, Espanhol e Português). Palavras desse artigo também foram transcritas no livro de Reflexões que, durante o acontecimento, colheu a opinião dos parRoberto Mucaro ticipantes sobre como Borrero a ONU pode ajudar a melhorar a qualidade de vida dos povos e do Planeta. A contribuição da LBV será encaminhada ao Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, com a seguinte mensagem: “As Nações Unidas poderão melhorar a qualidade de vida do Planeta quando conseguirem fazer com que os chefes de estado, chefes ministeriais, se conscientizem — iluminados pelo Amor do Novo Mandamento de Jesus: Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei (Evangelho do Cristo, segundo João, 13: 34) — da importância do Espírito. Assim, a ONU desenvolverá, ainda mais, o seu papel de fazer com que os povos entendam que não somos apenas seres carnais, mas, acima de tudo, Espirituais, pois como afirma o Diretor-Presidente da Legião da Boa Vontade, José de Paiva Netto: ‘Cuida do Espírito, reforma o Ser Humano. E tudo se transformará’”.
  30. 30. Acontece no Mundo Um local de As obras seguem a todo vapor e, em breve, o povo uruguaio receberá da LBV um moderno Centro Socioeducacional. Primeiro Mundo LBV do Uruguai amplia atendimentos em Centro Socioeducacional que será inaugurado no fim do ano Às margens do rio da Prata, no sudeste da América do Sul, e com território levemente ondulado, coberto por campos similares aos pampas das regiões de fronteira da Argentina e Brasil. Este é o Uruguai da bela capital Montevidéu, em que convivem cidadãos com um padrão de vida semelhante ao visto em países desenvolvidos e outra parcela sem as mesmas oportunidades. É este povo que receberá da Legião da Boa Vontade, em dezembro próximo, o Instituto de Educação José de Paiva Netto, um moderno Centro Socioeducacional que atenderá crianças, jovens, adultos e idosos, melhorando, em grande escala, a vida dos cidadãos que vivem nos bolsões de pobreza da capital uruguaia. O novo empreendimento ocupará uma área superior a 1.500 m² e deve, já nos primeiros dias, oferecer ensino de qualidade a meninos e meninas; aos adultos e idosos, a unidade da LBV do Uruguai os contemplará com programas socioeducativos e de capacitação Instituto de Educação da LBV do Uruguai Térreo: Amplo espaço para atender pessoas da Terceira Idade, cozinha, refeitório, brinquedoteca e ambulatórios médico e dentário. 1º andar: Instalações da Escola de Educação Inicial, com recepção, salas de aula e ambientes de apoio. 2º andar: Salão aberto para atividades esportivas, seminários e eventos. Projeto gráfico do prédio Calle Camino Castro, 462, Prado, Montevidéu, tel.: (00xx 5982) 308-6074. Fotos: Maciel Ferreira profissional. Só para se ter uma idéia, logo no térreo os vovôs e vovós poderão realizar atividades em um amplo espaço, instalado neste pavimento para facilitar a locomoção das pessoas da Terceira Idade. Ao visitar a constru- Raquel Revello ção do moderno Centro Socioeducacional é possível mensurar a extensão e a qualidade do atendimento que ali será prestado. Quem constatou isso foi a funcionária pública Raquel Revello que ressaltou o amplo trabalho que será feito com os menores, envolvendo a formação da Espiritualidade Ecumênica. Além da infra-estrutura, outro ponto que chamou sua atenção é que “neste novo projeto também vai ser feito um grandioso trabalho com adultos, incluindo os da Terceira Idade”. As obras do Instituto de Educação José de Paiva Netto seguem a todo vapor e não foram interrompidas nem mesmo durante a crise econômica, pela qual o Uruguai passou em 2002. Uma razão para isso é que, desde a divulgação do projeto inicial, a comunidade uruguaia tem contribuído com recursos financeiros para apoiar a empreitada. A mídia igualmente tem demonstrado ser forte parceira ao destacar os trabalhos da Legião da Boa Vontade do Uruguai. [R.O.] Revista Boa Vontade 33
  31. 31. História Eterna Arquivo rBV Amizade Homenagem de Paiva Netto ao saudoso Dr. João Jorge Saad, fundador do Grupo Bandeirantes. ______________ Alvino de Barros O dia 10 de outubro marca seis anos da passagem do saudoso Dr. João Jorge Saad ao Mundo Espiritual. Para conhecê-lo um pouco mais, nada melhor que trazer um resumo da sua vitoriosa atuação, publicado no Portal www.band.com.br: Um pioneiro das comunicações “João Jorge Saad, fundador do Grupo Bandeirantes de Comunicação, nasceu em Monte Azul Paulista, em 22 de julho de 1919 e faleceu em 10 de outubro de 1999, aos 80 anos. Descendente de imigrantes sírios, chegou à capital aos 5 anos, acompanhado de seus pais, Jorge João Saad e Raquel Amate Saad. Começou a trabalhar cedo no comércio do pai, na esquina da Rua 25 de Março com a Ladeira Porto Geral. Quando completou 21 anos, passou a percorrer o País como caixeiro-viajante. Nessa época, início da década de 1940, nem imaginava entrar para o mundo das comunicações. “No inverno de 1947, João Saad casou-se com Maria Helena de Barros 34 Revista Boa Vontade Na foto, o registro da fraterna e antiga amizade entre José de Paiva Netto e o saudoso Dr. João Jorge Saad. Saad e tiveram cinco filhos: João Carlos (Johnny), Ricardo, Maria Leonor, Márcia e Marisa. Em 1º de julho de 1948, João Saad assumiu a Rádio Bandeirantes, que pertencia a seu sogro, o Governador de São Paulo, Adhemar de Barros. Com a PRH-9, ele daria início ao que viria a se tornar o Grupo Bandeirantes de Comunicação. Quando lhe perguntavam como, sem ser do ramo, havia criado uma rede tão grande e avançada, João Saad respondia: ‘Ela estava lá, escondida. Não fiz nada demais. Apenas fui eliminando as arestas, o supérfluo, e ela foi aflorando, aparecendo’. A carreira empresarial de João Saad, no entanto, não ficou limitada ao ramo das comunicações. A cidade de São Paulo crescia e novos bairros começavam a surgir. Atento ao mercado imobiliário, ele passou a incorporar grandes áreas de terrenos. Nasceram assim, entre outros, os bairros Cidade Adhemar e Jardim Leonor, em homenagem aos pais de sua mulher. “Comércio, comunicações, investimentos nos setores imobiliário e agropecuário resultaram numa profunda ligação de João Saad com São Paulo. Apaixonado pela cidade, tornou-se cidadão paulistano e aceitou o desafio de presidir a Companhia Municipal de Transportes Urbanos, a CMTC. Reformulou o transporte da cidade, recuperou ônibus, criou linhas e reduziu o tempo dos percursos. “Enquanto isso, a Rádio Bandeirantes consolidava sua liderança absoluta. Quando já possuía uma cadeia de rádio, inaugurou a TV Bandeirantes, canal 13 de São Paulo, em 13/5/1967. Nos anos 1970 estaria montada a Rede Bandeirantes de Televisão. “‘Temos como norma rígida a permanente prestação de serviços à coletividade. Somos uma empresa totalmente brasileira, consciente da responsabilidade social e política que temos, preocupada em cumprir o compromisso de defender a livre iniciativa e as instituições, de promover o desenvolvimento econômico, de defender intransigentemente a democracia, de incentivar a educação, com suficiente coragem para atacar os que ousam ofender os interesses da coletividade.’ João Jorge Saad Fundador do Grupo Bandeirantes.”
  32. 32. Arquivo rBV Durante encontro no Instituto de Educação da Legião da Boa Vontade, na capital paulista, Paiva Netto e Johnny Saad ratificam parcerias e os laços de antiga amizade entre a LBV e a Band, em favor do Povo. Arquivo rBV sempre de mãos dadas em prol do Brasil Grande amigo da Legião da Boa Vontade e de seu Diretor-Presidente José de Paiva Netto, Dr. João Saad sempre apoiou as iniciativas da LBV. Com satisfação, esteve pessoalmente em muitos dos seus acontecimentos solenes. Em uma dessas oportunidades, destacou que “na LBV as crianças estão na Academia do Ensino, da Saúde, do Amor, para tornarem-se brasileiros, como meus filhos, como meus netos. O Brasil devia ter mais uns dez como o Paiva Netto, seria tão bom para todos! Estou muito envaidecido, muito emocionado de estar acompanhando de perto essas crianças todas”. É de se ressaltar uma ação social conjunta da LBV e da Band que alcan- J. A. Parmegiani Cida Linares Arquivo rBV LBV e Band Milhares de flagelados da seca foram socorridos graças à mobilização promovida pela LBV em parceria com a Rede Bandeirantes de Televisão, Campanha que ficou conhecida como SOS Nordeste, na década passada. Jorge Paulote çou enorme sucesso: a Campanha SOS Nordeste. Foram distribuídos mais de 4,1 milhões de quilos de alimentos às comunidades atingidas pela seca nos anos finais do Segundo Milênio. A mobilização ultrapassou as fronteiras do Brasil, despertando o sentimento de Solidariedade nos corações. O sr. Johnny Saad, Presidente do Grupo Bandeirantes de Rádio e TV, compartilha a mesma simpatia que seu pai demonstrava pela Legião da Boa Vontade: “Nós, da BanA imagem registra o momento da assinatura do contrato entre a LBV deirantes, estamos e a Band, em 27/5/1983, na cidade de São Paulo/SP. Atualmente, o Programa Paiva Netto vai ao ar no início da madrugada, de segunda a sexta-feira, após o A Noite é uma Criança do apresentador e amigo da Legião da Boa Vontade Otávio Mesquita. muito orgulhosos de ser aliados de vocês da LBV. Acompanhamos a luta do Paiva desde o tempo de Zarur, e sabemos deste trabalho sério, bonito, honrado, que cuida de criança, cuida de gente idosa, envolve todo o mundo, então, somos, em primeiro lugar, fãs do trabalho de vocês, admiradores e colaboradores. (...) Muito obrigado e fiquem com Deus”. Com imensa alegria, a LBV orgulha-se de estar na Rede Bandeirantes de Televisão há 22 anos. Atualmente, o Programa Paiva Netto vai ao ar no início da madrugada, de segunda a sexta-feira, após o A Noite é uma Criança do apresentador e amigo da Legião da Boa Vontade Otávio Mesquita. É uma parceria que começou no Rádio há várias décadas. Como a morte realmente não existe, dirigimos nosso pensamento ao nobre Dr. João Jorge Saad. Onde ele estiver, receba a carinhosa homenagem da Legião da Boa Vontade. Revista Boa Vontade 35

×