HISTÓRIA: Inconfidência Mineira
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

HISTÓRIA: Inconfidência Mineira

on

  • 2,925 views

.

.

Statistics

Views

Total Views
2,925
Views on SlideShare
2,923
Embed Views
2

Actions

Likes
0
Downloads
77
Comments
0

2 Embeds 2

http://itssjsblog.blogspot.com 1
http://itssjsblog.blogspot.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

HISTÓRIA: Inconfidência Mineira Presentation Transcript

  • 1. Inconfidência Mineira
  • 2. A colônia e o Iluminismo•Na segunda metade do século XVIII,novas ideiascomeçaram a se difundir pela América Portuguesa.•Vindas da Europa,elas faziam parte do movimentoconhecido como Iluminismo.•Entre os responsáveis pela essa difusão estavam jovens daelite econômica de cidades como Salvador,VilaRica,Recife,Rio de Janeiro que haviam sido enviados porseus pais para estudarem em universidades europeias.•Livros ilumistas,como O contrato social,de Jean-JacquesRousseau,embora proibidos,circulavam pela colôniaportuguesa.
  • 3. •A partir da segunda metade do século XVIII,adeptos dasideias iluministas tomaram parte de diversos movimentoscontra o colonialismo português:A InconfidênciaMineira(1789),A conjuração do Rio de Janeiro(1794),AConjuração Baiana(1798).•Os de maior repercussão foram a Inconfidência Mineira eConjuração Baiana,Nenhum dos dois movimentos tinhacomo projeto constituir uma nação brasileira.Pretendiamformar repúblicas regionais ou locais.
  • 4. •A inconfidência Mineira(1789)•Marquês de Pombal,durante 27 anos esteve a frente dopoder.Promoveria diversas mudançasadministrativas,muitas das quais afetaram diretamente acolônia portuguesa.•Algumas das medidas adotadas tinham objetivos reformara fiscalização e a tributação sobre o ouro encontrado emterritório da colônia.•Quinto,Capitação,Impostos....•A nova modalidade de cobrança era criticada pelosmineiros.Muitos viam nela um claro exemplo de como ametrópole portuguesa explorava a colônia por meio detributos abusivos e leis arbitrárias.
  • 5. Tempos de derrama(caso a arrecadação do quinto não atingisse omontante estabelecido,toda a população deveria arcar com a diferença).•Segundo os cálculos o governo de Portugal,em 1788Minas Gerais devia ao reino 538 arrobas(cerca de 8toneladas de ouro).•Em 1788,a Coroa Portuguesa destituiu o governador dacapitania,e nomeou para seu lugar o Visconde deBarbacena.•Investigação do Tesouro da Capitania e impor aderrama.•Com isso,o descontentamento da elite mineira atingiuseu ponto culminante.
  • 6. Os inconfidentes•Os conspiradores,ou inconfidentes,eram quase todoshomens ricos.•Entre os ricos proprietários encontravam-se também ospoetas Cláudio Manoel da Costa,Tomás Antônio Gonzagae Alvarenga Peixoto,três dos principais nomes doArcadismo.•Além da independência,os conspiradores defendiam aconstrução de uma Universidade em Vila Rica,a criação euma casa de moeda,e o desenvolvimentoindustrial.Quanto a escravidão,não havia consenso entreeles.
  • 7. A devassa•No início de março,o governador intimou algunsdevedores a quitarem seus débitos com o governo.•Para obter o perdão de sua divida,um deles JoaquimSilvério dos Reis,denunciou a conspiração e revelou aBarbacena o nome dos inconfidentes.•O governador ordenou a prisão de todos os envolvidos ecomunicou o fato ao vice-rei.Dois processojudiciais,conhecidos como devassa,foram instaurados.•A maioria dos inconfidentes foi enviada para o Rio deJaneiro.Ali permaneceram detidos por dois anos.O poetaCláudio Manoel da Costa morreu na prisão.•Tiradentes assumiu sozinho a iniciativa da rebelião.
  • 8. •A sentença imposta foi divulgada em abril de1792.Alguns foram condenados por desterro na áfrica.Aúnica pena mantida foi a de Joaquim José da SilvaXavier.•Morto por enforcamento no dia 21 de abril de 1792,foidepois esquartejado e decapitado.
  • 9. A corda com os nós afrouxados sinaliza atos de enforcamento A imagem do crucifixo reforça a analogia entre Tiradentes e Jesus Cristo,sugerindo uma semelhança do drama vivido por ambos.O sangue aparece comparcimônia(economia),em lugaresestratégicos, sem manchar a pele deTiradentes, como é de se imaginar queaconteça com uma pessoa esquartejada.