9º balanço do PAC - Quadro Macroeconômico
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

9º balanço do PAC - Quadro Macroeconômico

on

  • 10,438 views

Apresentação feita pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante balanço de 3 anos da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), realizado em 18/02/2014.

Apresentação feita pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante balanço de 3 anos da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), realizado em 18/02/2014.

Statistics

Views

Total Views
10,438
Views on SlideShare
1,623
Embed Views
8,815

Actions

Likes
2
Downloads
26
Comments
0

21 Embeds 8,815

http://www.conversaafiada.com.br 6349
http://blog.planalto.gov.br 2238
http://feedly.com 84
http://clipping.cut.org.br 61
https://twitter.com 13
http://www.pt-pr.org.br 12
http://webteste.predialnet.com.br 9
http://amggoes.blogspot.com.br 8
http://digg.com 7
http://www.amggoes.blogspot.com.br 7
http://feeds.feedburner.com 5
http://www.feedspot.com 5
http://reader.aol.com 4
http://www.google.com.br 4
http://newsblur.com 2
https://www.google.com.br 2
http://valdecybeserra.blogspot.com.br 1
http://pt-pr.org.br 1
http://inoreader.com 1
http://www.newsblur.com 1
http://oblogdoabelha.blogspot.com.br 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-ShareAlike LicenseCC Attribution-ShareAlike License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

9º balanço do PAC - Quadro Macroeconômico Presentation Transcript

  • 1. 9º Balanço do PAC: Quadro Macroeconômico Ministro Guido Mantega Brasília, 18 de fevereiro de 2014 1
  • 2. Recuperação gradual e desequilibrada da economia mundial Crescimento do PIB em 2013*, em % a.a. * Projeções do FMI (atualização WEO de janeiro de 2014) Fonte: FMI Elaboração: Ministério da Fazenda 2
  • 3. 2014 será melhor? Projeção de crescimento do FMI Crescimento do PIB em 2014*, em % a.a. * Projeções do FMI (atualização WEO de janeiro de 2014) Fonte: FMI Elaboração: Ministério da Fazenda 3
  • 4. Economias mundiais se recuperam, mas ainda sob ambiente de incerteza • Estados Unidos começam a se recuperar. • Sinais contraditórios na China: PMI (Índice de Gerentes de Compras) caiu para 49,5 pontos em janeiro, de 50,5. Exportações subiram 10,6%, ante janeiro de 2013. • Área do Euro começa a dar sinais de recuperação. • Japão fecha 2013 com crescimento de 1,6%, mas crescendo abaixo das expectativas de mercado no 4º trimestre (0,3%). • A produção industrial da Rússia caiu 18,8% em janeiro, ante dezembro 4
  • 5. A turbulência da transição: retirada de estímulos nos EUA e volatilidade das economias emergentes Yield das Treasuries de 10 anos, em % ao ano Incertezas em torno da retirada dos estímulos do FED Instabilidade no mercado de capitais Turbulência cambial e financeira PIB, trimestre/trimestre anterior, em % Instabilidade nos mercados financeiros Queda de bolsas Fonte: Bloomberg Elaboração: Ministério da Fazenda 5
  • 6. O Brasil está preparado para a transição: Reservas Internacionais elevadas Em US$ bilhões * Janeiro 2014. ** Novembro 2013. *** Outubro 2013. **** Setembro 2013. Fonte: Bloomberg, FMI e Banco Central do Brasil Elaboração: Ministério da Fazenda 6
  • 7. Dívida Externa de Curto Prazo Dívida Externa de Curto Prazo sobre Dívida Externa Total, em %, no 3º trimestre de 2013 * Dados do 2º trimestre de 2013. Fonte: FMI Elaboração: Ministério da Fazenda 7
  • 8. Brasil entre os emergentes com sólidos fundamentos Saldo em transações correntes 2013, em % do PIB Fonte: FMI Elaboração: Ministério da Fazenda 8
  • 9. INVESTIMENTO DIRETO ESTRANGEIRO Brasil com fluxos elevados Investimento direto estrangeiro, em US$ bilhões PIB, trimestre/trimestre anterior, em % Fonte: UNCTAD Elaboração: Ministério da Fazenda 9
  • 10. Confiança no Brasil Participação do IED do Brasil no IED total, em % 6,0% 4,8% 5,0% 4,4% 4,0% 4,0% 3,4% 3,0% 2,5% 2,1% 1,7% 2,0% 1,3% 1,0% 0,0% 2006 * Dados preliminares 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013* Fonte: UNCTAD Elaboração: Ministério da Fazenda 10
  • 11. Apesar das turbulências, real manteve-se estável nos últimos 6 meses Moeda Rupia Indonésia Lira turca Rublo russo Rand sul-africano Dólar canadense Peso chileno Iene Coroa norueguesa Dólar de Taiwan Dólar australiano Peso mexicano Dólar de Hong Kong Coroa sueca Variação em 6 meses -11,10 -10,18 -6,40 -5,91 -5,71 -5,45 -4,78 -2,53 -1,05 -0,90 -0,88 -0,01 0,22 Real 0,75 Renminbi chinês Rúpia indiana Coroa dinamarquesa Euro Dólar neozelandês Franco suíço Won sul-coreano Zloty polonês Libra esterlina 0,91 1,46 2,94 2,99 3,01 3,85 4,69 5,51 6,62 Fonte: Bloomberg 11
  • 12. Brasil entre os emergentes: sólidos fundamentos Indicadores selecionados de países emergentes Saldo em Conta Corrente (% do PIB) Dívida externa bruta (% do PIB) Reservas internacionais (% do PIB) Dívida externa líquida (% do PIB) 1997 2007 2013* 1997 2007 2013* 1997 2007 2013* 1997 2007 2013* África do Sul -1,5 -7,0 -6,1 20,2 24,2 35,5 4,0 11,5 11,8 16,2 12,7 23,7 Brasil -3,5 0,1 -3,7 22,9 14,2 13,9 6,0 13,2 16,8 16,9 1,0 -2,9 Índia -1,3 -1,3 -4,4 22,4 16,5 21,7 6,7 22,3 16,1 15,7 -5,8 5,6 Indonésia -1,8 1,6 -3,4 63,2 34,2 29,6 8,1 13,2 11,3 55,1 21,0 18,3 Turquia -1,0 -5,8 -7,4 44,6 39,9 47,2 10,4 11,8 14,2 34,2 28,1 33,0 Chile -4,3 4,1 -4,6 32,3 34,0 43,9 21,9 9,7 15,4 10,4 24,3 28,5 Hungria -4,4 -7,3 2,2 52,5 128,2 123,0 18,1 17,7 34,4 34,4 110,5 88,6 Polônia -3,7 -6,2 -3,0 25,9 48,4 72,6 13,2 15,5 22,2 12,7 32,9 50,4 Média -2,7 -2,7 -3,8 35,5 42,5 48,4 11,1 14,4 17,8 24,5 28,1 30,6 Mediana -2,7 -3,6 -4,0 29,1 34,1 39,7 9,3 13,2 15,8 16,6 22,6 26,1 * Dados Preliminares Fonte: FMI, Banco Mundial e outras, em LCA Elaboração: Ministério da Fazenda 12
  • 13. Fundamentos sólidos: inflação sob controle IPCA, em % a.a. * Acumulado em 12 meses. Fonte: IBGE e Banco Central do Brasil Elaboração: Ministério da Fazenda 13
  • 14. Inflação de alimentos tem sido superior ao IPCA, mas tem desacelerado Variação % acumulada em 12 meses Fonte: IBGE e SPE/Ministério da Fazenda Elaboração: Ministério da Fazenda 14
  • 15. Inflação de alimentos tem sido superior ao IPCA, mas tem desacelerado Variação % acumulada em 12 meses Abril 2013 = 15,71% Fonte: IBGE Elaboração: Ministério da Fazenda 15
  • 16. Solidez fiscal: resultado primário Resultado primário do setor público consolidado*, em % do PIB * Para valores anteriores a 2002, a série histórica do Setor Público Consolidado inclui Petrobras e Eletrobras. Fonte: Banco Central do Brasil Elaboração: Ministério da Fazenda 16
  • 17. Dívidas bruta e líquida caíram em 2013 Dívida Líquida do Setor Público e Dívida Bruta do Governo Geral, em % do PIB * Dezembro de 2013. Fonte: Banco Central do Brasil Elaboração: Ministério da Fazenda 17
  • 18. Recuperação do investimento Formação Bruta de Capital Fixo (FBKF), variação em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, em % 8,6 7,5 3,0 -2,4 -4,4 -3,8 -5,3 Fonte: IBGE Elaboração: Ministério da Fazenda 18
  • 19. Grande Programa de Concessões em Infraestrutura Em R$ bilhões Fonte: EPL, EPE e MME Elaboração: Ministério da Fazenda 19
  • 20. Investimento do setor público: PAC e MCMV Em % do PIB 4,7 4,2 3,7 2,6 2,6 3,0 2,6 2,9 PIB, trimestre/trimestre anterior, em % 4,4 4,1 4,4 União Estados e Municípios (Rec. Próprios) Estados e Municípios (Transf. União) Estatais Federais * Dados preliminares Fonte : Ministério da Fazenda Elaboração: Ministério da Fazenda 20
  • 21. 9º Balanço do PAC: Quadro Macroeconômico Brasília, 18 de fevereiro de 2014 21