Your SlideShare is downloading. ×
Análise social da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicilios (Pnad) de 2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Análise social da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicilios (Pnad) de 2012

6,283

Published on

A análise social da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2012 mostra que 3,5 milhões de brasileiros saíram da pobreza, enquanto um milhão de pessoas saíram da extrema pobreza em um …

A análise social da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2012 mostra que 3,5 milhões de brasileiros saíram da pobreza, enquanto um milhão de pessoas saíram da extrema pobreza em um ano. A Pnad 2012 também mostra os indicadores da educação, desigualdade, pobreza, acesso de bens e crescimento da renda per capita da população do país. Os dados do documento foram apresentados pelo presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada e ministro da secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), Marcelo Meri.

Published in: News & Politics
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
6,283
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
32
Actions
Shares
0
Downloads
27
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 01/10/2013 1 Pobreza e Desigualdade: Duas Décadas de Superação Primeiras Análises Ipea da PNAD 2012 Marcelo Neri Pedro Ferreira de Souza Fábio Vaz Crescimento Inclusivo?
  • 2. 01/10/2013 2 Taxa de Crescimento Real Per Capita de Médias de Rendas, Consumo e Salário Mínimo Indicador 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 PIB per capita 1,94 1,29 2,59 0,06 Consumo das famílias per capita 2,44 1,73 3,15 2,23 Renda per capita média 3,09 2,53 3,65 7,98 Renda per capita mediana 3,85 2,10 5,64 7,60 Salário mínimo 2,49 -0,22 5,26 7,89 Fonte: Ipea Processando microdados da Pnad/IBGE . Exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas e Consumo 1 2 3 4 5 6 9 107 8 Décimos de renda domiciliar per capita 91,71 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Rendapercapita(R$) 204,93 290,93 380,01 483,07 602,30 730,53 952,54 1.350,09 3.631,894.000 1.000 500 0 1.500 2.000 2.500 3.000 3.500 Renda domiciliar per capita (R$) em 2012 Décimos de Renda Per Capita - Brasil
  • 3. 01/10/2013 3 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Crescimento anual da renda 2011-2012(%) Variação Anual Média por Décimos de Renda Per Capita - Brasil 14,05% 10,60% 9,32% 8,95% 8,66% 8,10% 6,88% 7,34% 6,45% 8,34% 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Crescimento(%) Décimos da renda domiciliar per capita Variação Anual Média por Décimos de Renda Per Capita - Brasil 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 12,0 10,0 6,0 4,0 2,0 0,0 8,0 14,0 16,0 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 5,4 4,2 6,6 14,4 4,8 2,8 6,7 10,6 4,4 2,5 6,4 9,3 4,1 2,1 6,1 8,9 4,0 2,2 5,8 8,7 3,7 2,1 5,3 8,1 3,3 2,0 4,7 6,9 3,2 2,3 4,1 7,3 2,8 2,4 3,2 6,5 2,6 2,8 2,4 8,3 Crescimento anual da renda 1992-2012(%) – Sub-Períodos Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O crescimento da última PNAD supera em muito em cada décimo àquele observado nas duas últimas décadas
  • 4. 01/10/2013 4 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Renda domiciliar per capita (R$) em 2012 Vigésimos de Renda Per Capita - Brasil 49 134 185 225 269 312 355 405 455 511 578 626 687 774 885 1.020 1.208 1.493 2.085 5.178 0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Vigésimos de renda domiciliar per capita 1992/2002 X 2002/2012 3 201 2 4 5 6 7 8 9 10 1311 12 14 15 16 17 18 19 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Variação % da Renda Domiciliar Per Capita Por Vintis 20 15 10 5 0 5.5 5.3 5.0 4.6 4.5 4.3 4.2 4.1 4.0 3.9 3.8 3.6 3.3 3.4 3.3 3.1 2.9 2.7 2.6 2.6 20.1 12.0 11.0 10.0 9.6 9.1 9.0 8.9 9.0 8.4 8.4 7.8 7.0 6.7 7.5 7.2 6.9 6.1 5.7 9.4
  • 5. 01/10/2013 5 1992/2002 X 2002/2012 3 201 2 4 5 6 7 8 9 10 1311 12 14 15 16 17 18 19 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Variação % da Renda Domiciliar Per Capita Por Vintis 6 5 3 2 1 0 4 7 5.1 6.0 3.8 6.8 3.1 6.9 2.7 6.6 6.6 2.4 6.2 2.5 6.3 2.2 2.1 2.2 2.2 2.2 2.0 1.9 2.2 2.2 2.3 2.3 2.5 2.6 2.9 6.0 5.8 5.7 5.5 5.2 4.8 4.6 4.3 3.9 3.5 3.0 2.3 2.4 Desigualdades
  • 6. 01/10/2013 6 0,535% Desigualdade de Renda Per Capita Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD, PME e Censo / IBGE e Langoni 1973 0,581% 0,589% 0,607% 0,594% 0,552% 0,539% 0,526% 1960 1970 1979 1990 2001 2007 2009 2012 Ano Desigualdade(Gini) 0,5 0,48 0,52 0,54 0,56 0,58 6 62 Visão de Longo Prazo GINI X THEIL-L X 20+/20- 0,65 0,60 0,55 93 94 95 98 99 00 01 20121992 0,70 0,50 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 30 25 20 15 5 35 0 10 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Indicadores de desigualdade, 1992-2012 GINI,THEIL-L 20%+/20%-
  • 7. 01/10/2013 7 Desigualdade Indicadores de desigualdade de anos selecionados Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Indicador Valor Variação anual (%) 1992 2002 2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Gini 0,58 0,587 0,526 0,12 -1,09 -0,3 Theil-L 0,634 0,634 0,496 0,00 -2,42 -1,1 Razão 20+/20- 26 24,7 16,8 -0,51 -3,78 -3,4 Razão 10+/40- 5,3 5,5 3,8 0,37 -3,63 -1,40 A força do processo igualitário que se manifestou no período 2002-2012, depois de uma década de movimento errático no que diz respeito à evolução da desigualdade. Curvas de Lorenz 0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1 0,000 0,200 0,400 0,600 0,800 1,000 Fraçãoacumuladadarenda Fração acumudada da população 2012 2011 2002 1992
  • 8. 01/10/2013 8 Diferença entre as curvas de Lorenz -0,020 -0,010 0,000 0,010 0,020 0,030 0,040 0,050 0,060 0,070 0,000 0,200 0,400 0,600 0,800 1,000 Diferençanafraçãoacumudadadarenda Fração acumulada da população 2012 - 1992 2002 - 1992 2012 - 2002 2012 - 2011 RENDA 5%+ X RENDA 40%- 35 30 25 20 15 93 94 95 98 99 00 01 20121992 40 0 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 5 10 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Indicadores de desigualdade, RENDA (1992-2012) 5%+ 40%-
  • 9. 01/10/2013 9 Crescimento de renda em grupos de rendaDesigualdade Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Estrato Variação Anual (%) 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Décimos 1 4,2 6,6 14,1 2 2,9 6,7 10,6 3 2,5 6,4 9,3 4 2,1 6,2 9,0 5 2,2 5,8 8,7 6 2,1 5,4 8,1 7 2,0 4,7 6,9 8 2,3 4,1 7,3 9 2,4 3,2 6,5 10 2,8 2,4 8,3 Especiais 1% mais ricos 2,7 3,0 16,1 5% mais ricos 2,9 2,4 9,4 40% mais pobres 2,6 6,4 9,9 Os 5% mais pobres cresceram 20,1% em 2012 Extrema Pobreza, Pobreza & as Metas do Milênio
  • 10. 01/10/2013 10 Pobreza -5,78% -13,58% -21,37% -19,25% -18,23% -26,15% -28,18% -30,56% -32,93% -45,99% -42,49% -53,42% -61,41% -67,72% -71,06% -77,26% -77,43% -78,73% -80,02% -83,41% -95% -85% -75% -65% -55% -45% -35% -25% -15% -5% 5% 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 U$S 1,25 Dólares Dia PPPVariação Acumulada da Pobreza desde 1992 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Extrema Pobreza & as Metas do Milênio Pobreza 6,47% -13,75% -28,54% -40,24% -46,42% -57,90% -58,22% -60,62% -63,01% -69,29%-80% -70% -60% -50% -40% -30% -20% -10% 0% 10% 20% 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Variação Acumulada da Pobreza desde 2002 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Extrema Pobreza & as Metas do Milênio U$S 1,25 Dólares Dia PPP
  • 11. 01/10/2013 11 Evolução da pobreza: percentual de pobres - 5 10 15 20 25 30 35 40 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Percentualdapopulação Pobreza US$ 1,25 PPP Pobreza US$ 2,00 PPP Pobreza Extrema Pobreza Há diversas medidas de pobreza como as das metas do milênio influenciadas pela paridade do poder de compra (inflação americana inclusa) e linhas domésticas usamos as últimas aqui Parada de Pen 0,00 100,00 200,00 300,00 400,00 500,00 600,00 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 32 34 36 38 40 42 44 46 48 Rendadomiciliarpercapita Percentil 2011 2012 2002 1992 há dominância da curva de 2012 em relação a 2011, ou seja, para qualquer linha de pobreza fixa e qualquer medida que se utilize, a conclusão é que houve redução na pobreza nesse período. Tomando os anos de 1992, 2002, 2011 e 2012, todas as curvas posteriores dominam as anteriores, mostrando inequívoca redução da pobreza, medida sob qualquer critério
  • 12. 01/10/2013 12 Evolução da Pobreza e da Extrema Pobreza no tempo: percentual de pobres (%) - 5 10 15 20 25 30 35 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Percentualdapopulação Pobreza Extrema Pobreza A extrema pobreza cai de 4,2% para 3,6% em 2012, queda de 15,9%. Já a pobreza cai de 10,7% para 8,5%, queda de 19,8% . A meta do milênio da ONU prevê queda da pobreza a metade em 25 anos que corresponde a queda de 2,7% por ano. Ou seja. O Brasil está fazendo 25 anos das metas da ONU em menos de 5. Evolução da pobreza: pessoas 19,09 14,88 7,60 6,53 43,98 40,96 19,17 15,70 - 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Milhõesdepessoas Pobreza Extrema Pobreza Cerca de 3,5 milhões de pessoas sairam da pobreza em 2012
  • 13. 01/10/2013 13 Componente que Explica Proporção de Extremamente Pobres % da Queda Total Crescimento da renda 48,6% Queda da desigualdade 50,4% Total 100 Decomposições dinâmicas da Extrema Pobreza no Brasil, Entre 2011-2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O que explica + a Inclusão? Crescimento ou Equidade? Por que Caiu? Componente que Explica Proporção de Extremamente Pobres % da Queda Total Crescimento da renda 50,5% Queda da desigualdade 49,5% Total 100 Decomposições dinâmicas da Extrema Pobreza no Brasil, Entre 2002-2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O que explica + a Inclusão? Crescimento ou Equidade? O Caminho do Meio
  • 14. 01/10/2013 14 CRESCIMENTO X REDISTRIBUIÇÃO 93 94 95 98 99 00 01 20121992 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0 -2 -4 -6 -10 4 -12 -8 2 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 XXX Variação acumulada da incidência da pobreza extrema (p.p.) - Brasil, 1992/2012 Variaçãoacumuladadapobrezaextrema(p.p.) Determinantes das Variações da Desigualdade de Renda 2001 a 2010 BPC Bolsa Familia Trabalho Efeito Previdência Efeito Educação
  • 15. 01/10/2013 15 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD Qual fonte de renda explica o crescimento e a queda da desigualdade de 2002 a 2012? Fontes de Rendas Queda do Gini (Benefício Social) Aumento da Média de Renda (Custo Fiscal) Benefício Social por R$ Fiscal Gasto Contribuição relativa (%) Trabalho 54,9 76,41 Bolsa Familia 12,2 2,35 5,2 Previdência acima Piso 11,4 8,53 Previdência= Sal Mínimo 9,4 10,88 Outras Rendas 6,5 -0,1 Benefício de Prestação Continuada (BPC) 5,4 2 2,7 Δ Total 100 Decomposição das Mudanças de Renda Qual é a combinação de políticas mais efetiva em termos de Bem Estar Social? 1,07 Cada real adicional gasto com o Bolsa Familia impacta a desigualdade 369% e 86% mais que Na previdência social em geral e no BPC ,respectivamente. Efeitos Relativos sobre a Variação da Renda per Capita 1992/2012 (%) 2002/2012 (%) 2011/2012 (%) Trabalho 71 76 74 Efeito recebedores 23 24 11 Efeito médias 48 53 63 Previdência 23 19 14 Efeito recebedores 12 9 5 Efeito médias 12 11 9 BPC 2 2 2 Efeito recebedores 1 1 1 Efeito médias 1 1 1 PBF 2 2 1 Efeito recebedores 1 1 0 Efeito médias 1 1 1 Outras rendas 2 0 9 Efeito recebedores -2 -2 3 Efeito médias 4 2 7 Total 100 100 100 Efeito recebedores 35 33 5 Efeito médias 65 67 20 Fonte: Ipea a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012. Observação: exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas Evolução da Rendas segundo Fontes, valor e número de benefícios, 1992-2012
  • 16. 01/10/2013 16 Fontes Determinantes da Variação Relativa na Incidência da Pobreza Extrema 1992/2012 (%) 2002/2012 (%) 2011/2012 (%) Trabalho 47 55 -19 Previdência 15 21 128 BPC 7 6 55 Bolsa Família 17 12 8 Outras rendas 13 6 -72 Total 100 100 100 Pobreza Pobreza e Fontes de Renda Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Por que Caiu? 0,010 0,005 0,000 0,005 0,015 0,020 0,020 0,010 0,015 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Trabalho Previdência BPC Bolsa Família Outras rendas Pobreza Efeitos marginais relativos por fontes de renda - Brasil, 1992/2012
  • 17. 01/10/2013 17 Desigualdade Horizontal, Educação & Outras Dimensões MÉDIA E GINI Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Educação Média Índice de Gini 0,250 0,300 0,350 0,400 0,450 0,500 5 6 7 8 9 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Médiadeanosdeestudo ÍndicedeGinideanosdeestudo Média e índice de Gini dos anos de estudo da população ocupada remunerada Apesar da estagnação da taxa de analfabetismo, houve em 2012 melhoria da média e em particular desigualdade dos anos completos de estudo superior a de todos os anos da série.
  • 18. 01/10/2013 18 1992 2002 2012 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 1 100 Médiadeanosdeestudo Centésimos da renda do trabalho Educação Médias de anos de estudo por centésimos da renda do trabalho Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Notas: * = telefone (fixo ou celular), TV a cores, fogão duas bocas ou +, geladeira, rádio e máquina de lavar. ** = eletricidade, coleta de lixo, esgotamento sanitário (rede ou fossa ligada à rede), água (rede). Fonte: Ipea Processando microdados da Pnad/IBGE . Exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas, Consumo, Bens e Serviços Básicos O crescimento de cobertura de bens em 2012 supera ao das duas últimas décadas Taxa de Crescimento Per Capita de Médias de Rendas, Consumo, Bens e Serviços Básicos Indicador 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Pop. com conjunto básico de bens (p.p.)* 1,8 1,7 1,8 2,2 Pop. com conjunto básico de serviços (p.p.)** 0,9 1,1 0,8 1,0
  • 19. 01/10/2013 19 Cobertura de Bens e Serviços Básicos Os bens nas casas cresceram + que os serviços públicos 11 28 44 47 41 51 58 59 0 10 20 30 40 50 60 70 1992 1993 1994* 1995 1996 1997 1998 1999 2000* 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010* 2011 2012 Pop. com conjunto básico de bens (%) Pop. com conjunto básico de serviços (%) Escolaridade do chefe X Cor/raça do chefe X Urbano vs rural X Regiões 40 35 20 15 5 93 94 95 98 99 00 01 20121992 45 0 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 10 30 25 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Contribuição relativa para a desigualdade medida pelo GE(0) dos componentes "entre grupos" - Brasil, 1992/2012 Componente"entregrupos"doGE(0)
  • 20. 01/10/2013 20 1992 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 1992 e 2012 3,1 3,6 3,9 3,9 4,0 4,0 Primário incompleto Município pequeno Nordeste Negro Área rural Sem escolaridade 2002 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 2002 e 2012 4,7 5,0 5,0 5,2 6,0 6,6 Município pequeno Primário incompleto Nordeste Negro Área rural Sem escolaridade
  • 21. 01/10/2013 21 2011 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 2011 e 2012 5,9 8,3 9,3 9,4 10,1 11,1 Negro Município pequeno Área rural Primário incompleto Sem escolaridade Nordeste E 2013?: Crescimento e Desigualdade na PME & Outras Fontes
  • 22. 01/10/2013 22 2013:Desigualdade Horizontal *Renda Individual do Trabalho População de 15 a 65 Anos Fonte: SAE/Ipea a partir dos microdados da PME/IBGE. 3,76% 4,97% 4,78% 8,72% 5,32% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00% 7,00% 8,00% 9,00% 10,00% Total Mulher Pretos/Pardos Periferia Mais de 6 pessoas no dom. Menos 1 ano de estudo Grupos Tradicionalmente Excluidos tem em 2013 crescimento de Renda individuais do trabalho Superior ao da Média . Mediana X Média* (Março de 2002 = 100) Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Quanto Cresceu? Cresceram 8,4% e 19,5% desde Agosto de 2010 160 140 120 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 180 80 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 100
  • 23. 01/10/2013 23 Mês contra mêsRenda per Capita do Trabalho Jan/13 Média 05% 3,43% -0,54% 0,88% 0,82% 1,83% 3,13% 2,38% Mediana Fev/13 Mar/13 Abr/13 Mai/13 Jun/13 Jul/13 Ago/13 06% 4,65% 2,64% 4,35% 2,28% 4,32% 6,80% 4,62% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos Variação dos 12 mesesRenda per Capita do Trabalho Fev a Jan/13 Média 05% 5,09% 4,43% 3,96% 3,49% 3,20% 3,32% 3,31% Mediana Mar a Fev/13 Abr a Mar/13 Mai a Abr/13 Jun a Mai/13 Jul a Jun/13 Ago a Jul/13 Set a Ago/13 07% 6,61% 6,19% 6,13% 5,65% 5,67% 5,77% 5,63% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos
  • 24. 01/10/2013 24 12 mesesA Desigualdade Trabalhista Retoma Queda Acelerada Jan/13 THEIL-T 00% 1,77% -0,46% -0,55% 1,90% -1,90% -4,14% -5,00% GINI Fev/13 Mar/13 Abr/13 Mai/13 Jun/13 Jul/13 Ago/13 00% 0,68% -0,34% -0,24% 0,21% -1,05% -1,80% -1,51% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos GINI 0,62 0,60 0,58 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 0,64 0,54 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0,56 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 A Desigualdade Continua em Queda? Indicador de desigualdade, Março de 1992 a Julho de 2012 ,6371400 ,5466700 ,5571800
  • 25. 01/10/2013 25 Theil-T 0,84 0,74 0,69 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 0,89 0,54 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0,59 0,79 0,64 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 A Desigualdade Continua em Queda? Indicador de desigualdade, Março de 1992 a Julho de 2012 ,867400 ,7539100 ,6156300 ,5842300 13,1% 4,06% Outras Rendas Fonte: Registros Administrativos MDS e MPS As fontes de renda domiciliar per capita cresceram: Renda do Bolsa Família Agosto Renda per capita de Previdência Julho Entre 2012 e 2013
  • 26. 01/10/2013 26 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Resultado Categoria Ano MODELO SEM INTERACAO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 2010 2002 2013 -9,73% -8,03% -3,55% 1,27% 6,18% 10,00% 12,43% 19,67% 23,48% 29,10% 31,21% 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Resultado Categoria Ano MODELO COM INTERACAO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 2010 2002 2013 7,65% -7,64% -1,56% 5,61% 12,47% 18,06% 21,40% 28,42% 35,85% 43,67% 48,50%
  • 27. 01/10/2013 27 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Evolução da Renda Per Capita MODELO COM INTERACAO Dummy Interativa Ano 11 Anos ou + de Estudo 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 20102002 2013 -4,47% -3,34% -6,51% -10,24% -13,52% -16,72% -19,24% -19,75% -25,03% -28,67% -32,44% Para entender as tendências recentes PNAD 2012 Marcelo Neri
  • 28. 01/10/2013 1 Pobreza e Desigualdade: Duas Décadas de Superação Primeiras Análises Ipea da PNAD 2012 Marcelo Neri Pedro Ferreira de Souza Fábio Vaz Crescimento Inclusivo?
  • 29. 01/10/2013 2 Taxa de Crescimento Real Per Capita de Médias de Rendas, Consumo e Salário Mínimo Indicador 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 PIB per capita 1,94 1,29 2,59 0,06 Consumo das famílias per capita 2,44 1,73 3,15 2,23 Renda per capita média 3,09 2,53 3,65 7,98 Renda per capita mediana 3,85 2,10 5,64 7,60 Salário mínimo 2,49 -0,22 5,26 7,89 Fonte: Ipea Processando microdados da Pnad/IBGE . Exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas e Consumo 1 2 3 4 5 6 9 107 8 Décimos de renda domiciliar per capita 91,71 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Rendapercapita(R$) 204,93 290,93 380,01 483,07 602,30 730,53 952,54 1.350,09 3.631,894.000 1.000 500 0 1.500 2.000 2.500 3.000 3.500 Renda domiciliar per capita (R$) em 2012 Décimos de Renda Per Capita - Brasil
  • 30. 01/10/2013 3 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Crescimento anual da renda 2011-2012(%) Variação Anual Média por Décimos de Renda Per Capita - Brasil 14,05% 10,60% 9,32% 8,95% 8,66% 8,10% 6,88% 7,34% 6,45% 8,34% 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Crescimento(%) Décimos da renda domiciliar per capita Variação Anual Média por Décimos de Renda Per Capita - Brasil 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 12,0 10,0 6,0 4,0 2,0 0,0 8,0 14,0 16,0 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 5,4 4,2 6,6 14,4 4,8 2,8 6,7 10,6 4,4 2,5 6,4 9,3 4,1 2,1 6,1 8,9 4,0 2,2 5,8 8,7 3,7 2,1 5,3 8,1 3,3 2,0 4,7 6,9 3,2 2,3 4,1 7,3 2,8 2,4 3,2 6,5 2,6 2,8 2,4 8,3 Crescimento anual da renda 1992-2012(%) – Sub-Períodos Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O crescimento da última PNAD supera em muito em cada décimo àquele observado nas duas últimas décadas
  • 31. 01/10/2013 4 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Renda domiciliar per capita (R$) em 2012 Vigésimos de Renda Per Capita - Brasil 49 134 185 225 269 312 355 405 455 511 578 626 687 774 885 1.020 1.208 1.493 2.085 5.178 0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Vigésimos de renda domiciliar per capita 1992/2002 X 2002/2012 3 201 2 4 5 6 7 8 9 10 1311 12 14 15 16 17 18 19 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Variação % da Renda Domiciliar Per Capita Por Vintis 20 15 10 5 0 5.5 5.3 5.0 4.6 4.5 4.3 4.2 4.1 4.0 3.9 3.8 3.6 3.3 3.4 3.3 3.1 2.9 2.7 2.6 2.6 20.1 12.0 11.0 10.0 9.6 9.1 9.0 8.9 9.0 8.4 8.4 7.8 7.0 6.7 7.5 7.2 6.9 6.1 5.7 9.4
  • 32. 01/10/2013 5 1992/2002 X 2002/2012 3 201 2 4 5 6 7 8 9 10 1311 12 14 15 16 17 18 19 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Variação % da Renda Domiciliar Per Capita Por Vintis 6 5 3 2 1 0 4 7 5.1 6.0 3.8 6.8 3.1 6.9 2.7 6.6 6.6 2.4 6.2 2.5 6.3 2.2 2.1 2.2 2.2 2.2 2.0 1.9 2.2 2.2 2.3 2.3 2.5 2.6 2.9 6.0 5.8 5.7 5.5 5.2 4.8 4.6 4.3 3.9 3.5 3.0 2.3 2.4 Desigualdades
  • 33. 01/10/2013 6 0,535% Desigualdade de Renda Per Capita Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD, PME e Censo / IBGE e Langoni 1973 0,581% 0,589% 0,607% 0,594% 0,552% 0,539% 0,526% 1960 1970 1979 1990 2001 2007 2009 2012 Ano Desigualdade(Gini) 0,5 0,48 0,52 0,54 0,56 0,58 6 62 Visão de Longo Prazo GINI X THEIL-L X 20+/20- 0,65 0,60 0,55 93 94 95 98 99 00 01 20121992 0,70 0,50 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 30 25 20 15 5 35 0 10 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Indicadores de desigualdade, 1992-2012 GINI,THEIL-L 20%+/20%-
  • 34. 01/10/2013 7 Desigualdade Indicadores de desigualdade de anos selecionados Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Indicador Valor Variação anual (%) 1992 2002 2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Gini 0,58 0,587 0,526 0,12 -1,09 -0,3 Theil-L 0,634 0,634 0,496 0,00 -2,42 -1,1 Razão 20+/20- 26 24,7 16,8 -0,51 -3,78 -3,4 Razão 10+/40- 5,3 5,5 3,8 0,37 -3,63 -1,40 A força do processo igualitário que se manifestou no período 2002-2012, depois de uma década de movimento errático no que diz respeito à evolução da desigualdade. Curvas de Lorenz 0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1 0,000 0,200 0,400 0,600 0,800 1,000 Fraçãoacumuladadarenda Fração acumudada da população 2012 2011 2002 1992
  • 35. 01/10/2013 8 Diferença entre as curvas de Lorenz -0,020 -0,010 0,000 0,010 0,020 0,030 0,040 0,050 0,060 0,070 0,000 0,200 0,400 0,600 0,800 1,000 Diferençanafraçãoacumudadadarenda Fração acumulada da população 2012 - 1992 2002 - 1992 2012 - 2002 2012 - 2011 RENDA 5%+ X RENDA 40%- 35 30 25 20 15 93 94 95 98 99 00 01 20121992 40 0 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 5 10 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Indicadores de desigualdade, RENDA (1992-2012) 5%+ 40%-
  • 36. 01/10/2013 9 Crescimento de renda em grupos de rendaDesigualdade Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Estrato Variação Anual (%) 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Décimos 1 4,2 6,6 14,1 2 2,9 6,7 10,6 3 2,5 6,4 9,3 4 2,1 6,2 9,0 5 2,2 5,8 8,7 6 2,1 5,4 8,1 7 2,0 4,7 6,9 8 2,3 4,1 7,3 9 2,4 3,2 6,5 10 2,8 2,4 8,3 Especiais 1% mais ricos 2,7 3,0 16,1 5% mais ricos 2,9 2,4 9,4 40% mais pobres 2,6 6,4 9,9 Os 5% mais pobres cresceram 20,1% em 2012 Extrema Pobreza, Pobreza & as Metas do Milênio
  • 37. 01/10/2013 10 Pobreza -5,78% -13,58% -21,37% -19,25% -18,23% -26,15% -28,18% -30,56% -32,93% -45,99% -42,49% -53,42% -61,41% -67,72% -71,06% -77,26% -77,43% -78,73% -80,02% -83,41% -95% -85% -75% -65% -55% -45% -35% -25% -15% -5% 5% 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 U$S 1,25 Dólares Dia PPPVariação Acumulada da Pobreza desde 1992 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Extrema Pobreza & as Metas do Milênio Pobreza 6,47% -13,75% -28,54% -40,24% -46,42% -57,90% -58,22% -60,62% -63,01% -69,29%-80% -70% -60% -50% -40% -30% -20% -10% 0% 10% 20% 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Variação Acumulada da Pobreza desde 2002 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Extrema Pobreza & as Metas do Milênio U$S 1,25 Dólares Dia PPP
  • 38. 01/10/2013 11 Evolução da pobreza: percentual de pobres - 5 10 15 20 25 30 35 40 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Percentualdapopulação Pobreza US$ 1,25 PPP Pobreza US$ 2,00 PPP Pobreza Extrema Pobreza Há diversas medidas de pobreza como as das metas do milênio influenciadas pela paridade do poder de compra (inflação americana inclusa) e linhas domésticas usamos as últimas aqui Parada de Pen 0,00 100,00 200,00 300,00 400,00 500,00 600,00 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 32 34 36 38 40 42 44 46 48 Rendadomiciliarpercapita Percentil 2011 2012 2002 1992 há dominância da curva de 2012 em relação a 2011, ou seja, para qualquer linha de pobreza fixa e qualquer medida que se utilize, a conclusão é que houve redução na pobreza nesse período. Tomando os anos de 1992, 2002, 2011 e 2012, todas as curvas posteriores dominam as anteriores, mostrando inequívoca redução da pobreza, medida sob qualquer critério
  • 39. 01/10/2013 12 Evolução da Pobreza e da Extrema Pobreza no tempo: percentual de pobres (%) - 5 10 15 20 25 30 35 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Percentualdapopulação Pobreza Extrema Pobreza A extrema pobreza cai de 4,2% para 3,6% em 2012, queda de 15,9%. Já a pobreza cai de 10,7% para 8,5%, queda de 19,8% . A meta do milênio da ONU prevê queda da pobreza a metade em 25 anos que corresponde a queda de 2,7% por ano. Ou seja. O Brasil está fazendo 25 anos das metas da ONU em menos de 5. Evolução da pobreza: pessoas 19,09 14,88 7,60 6,53 43,98 40,96 19,17 15,70 - 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Milhõesdepessoas Pobreza Extrema Pobreza Cerca de 3,5 milhões de pessoas sairam da pobreza em 2012
  • 40. 01/10/2013 13 Componente que Explica Proporção de Extremamente Pobres % da Queda Total Crescimento da renda 48,6% Queda da desigualdade 50,4% Total 100 Decomposições dinâmicas da Extrema Pobreza no Brasil, Entre 2011-2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O que explica + a Inclusão? Crescimento ou Equidade? Por que Caiu? Componente que Explica Proporção de Extremamente Pobres % da Queda Total Crescimento da renda 50,5% Queda da desigualdade 49,5% Total 100 Decomposições dinâmicas da Extrema Pobreza no Brasil, Entre 2002-2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O que explica + a Inclusão? Crescimento ou Equidade? O Caminho do Meio
  • 41. 01/10/2013 14 CRESCIMENTO X REDISTRIBUIÇÃO 93 94 95 98 99 00 01 20121992 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0 -2 -4 -6 -10 4 -12 -8 2 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 XXX Variação acumulada da incidência da pobreza extrema (p.p.) - Brasil, 1992/2012 Variaçãoacumuladadapobrezaextrema(p.p.) Determinantes das Variações da Desigualdade de Renda 2001 a 2010 BPC Bolsa Familia Trabalho Efeito Previdência Efeito Educação
  • 42. 01/10/2013 15 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD Qual fonte de renda explica o crescimento e a queda da desigualdade de 2002 a 2012? Fontes de Rendas Queda do Gini (Benefício Social) Aumento da Média de Renda (Custo Fiscal) Benefício Social por R$ Fiscal Gasto Contribuição relativa (%) Trabalho 54,9 76,41 Bolsa Familia 12,2 2,35 5,2 Previdência acima Piso 11,4 8,53 Previdência= Sal Mínimo 9,4 10,88 Outras Rendas 6,5 -0,1 Benefício de Prestação Continuada (BPC) 5,4 2 2,7 Δ Total 100 Decomposição das Mudanças de Renda Qual é a combinação de políticas mais efetiva em termos de Bem Estar Social? 1,07 Cada real adicional gasto com o Bolsa Familia impacta a desigualdade 369% e 86% mais que Na previdência social em geral e no BPC ,respectivamente. Efeitos Relativos sobre a Variação da Renda per Capita 1992/2012 (%) 2002/2012 (%) 2011/2012 (%) Trabalho 71 76 74 Efeito recebedores 23 24 11 Efeito médias 48 53 63 Previdência 23 19 14 Efeito recebedores 12 9 5 Efeito médias 12 11 9 BPC 2 2 2 Efeito recebedores 1 1 1 Efeito médias 1 1 1 PBF 2 2 1 Efeito recebedores 1 1 0 Efeito médias 1 1 1 Outras rendas 2 0 9 Efeito recebedores -2 -2 3 Efeito médias 4 2 7 Total 100 100 100 Efeito recebedores 35 33 5 Efeito médias 65 67 20 Fonte: Ipea a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012. Observação: exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas Evolução da Rendas segundo Fontes, valor e número de benefícios, 1992-2012
  • 43. 01/10/2013 16 Fontes Determinantes da Variação Relativa na Incidência da Pobreza Extrema 1992/2012 (%) 2002/2012 (%) 2011/2012 (%) Trabalho 47 55 -19 Previdência 15 21 128 BPC 7 6 55 Bolsa Família 17 12 8 Outras rendas 13 6 -72 Total 100 100 100 Pobreza Pobreza e Fontes de Renda Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Por que Caiu? 0,010 0,005 0,000 0,005 0,015 0,020 0,020 0,010 0,015 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Trabalho Previdência BPC Bolsa Família Outras rendas Pobreza Efeitos marginais relativos por fontes de renda - Brasil, 1992/2012
  • 44. 01/10/2013 17 Desigualdade Horizontal, Educação & Outras Dimensões MÉDIA E GINI Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Educação Média Índice de Gini 0,250 0,300 0,350 0,400 0,450 0,500 5 6 7 8 9 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Médiadeanosdeestudo ÍndicedeGinideanosdeestudo Média e índice de Gini dos anos de estudo da população ocupada remunerada Apesar da estagnação da taxa de analfabetismo, houve em 2012 melhoria da média e em particular desigualdade dos anos completos de estudo superior a de todos os anos da série.
  • 45. 01/10/2013 18 1992 2002 2012 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 1 100 Médiadeanosdeestudo Centésimos da renda do trabalho Educação Médias de anos de estudo por centésimos da renda do trabalho Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Notas: * = telefone (fixo ou celular), TV a cores, fogão duas bocas ou +, geladeira, rádio e máquina de lavar. ** = eletricidade, coleta de lixo, esgotamento sanitário (rede ou fossa ligada à rede), água (rede). Fonte: Ipea Processando microdados da Pnad/IBGE . Exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas, Consumo, Bens e Serviços Básicos O crescimento de cobertura de bens em 2012 supera ao das duas últimas décadas Taxa de Crescimento Per Capita de Médias de Rendas, Consumo, Bens e Serviços Básicos Indicador 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Pop. com conjunto básico de bens (p.p.)* 1,8 1,7 1,8 2,2 Pop. com conjunto básico de serviços (p.p.)** 0,9 1,1 0,8 1,0
  • 46. 01/10/2013 19 Cobertura de Bens e Serviços Básicos Os bens nas casas cresceram + que os serviços públicos 11 28 44 47 41 51 58 59 0 10 20 30 40 50 60 70 1992 1993 1994* 1995 1996 1997 1998 1999 2000* 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010* 2011 2012 Pop. com conjunto básico de bens (%) Pop. com conjunto básico de serviços (%) Escolaridade do chefe X Cor/raça do chefe X Urbano vs rural X Regiões 40 35 20 15 5 93 94 95 98 99 00 01 20121992 45 0 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 10 30 25 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Contribuição relativa para a desigualdade medida pelo GE(0) dos componentes "entre grupos" - Brasil, 1992/2012 Componente"entregrupos"doGE(0)
  • 47. 01/10/2013 20 1992 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 1992 e 2012 3,1 3,6 3,9 3,9 4,0 4,0 Primário incompleto Município pequeno Nordeste Negro Área rural Sem escolaridade 2002 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 2002 e 2012 4,7 5,0 5,0 5,2 6,0 6,6 Município pequeno Primário incompleto Nordeste Negro Área rural Sem escolaridade
  • 48. 01/10/2013 21 2011 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 2011 e 2012 5,9 8,3 9,3 9,4 10,1 11,1 Negro Município pequeno Área rural Primário incompleto Sem escolaridade Nordeste E 2013?: Crescimento e Desigualdade na PME & Outras Fontes
  • 49. 01/10/2013 22 2013:Desigualdade Horizontal *Renda Individual do Trabalho População de 15 a 65 Anos Fonte: SAE/Ipea a partir dos microdados da PME/IBGE. 3,76% 4,97% 4,78% 8,72% 5,32% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00% 7,00% 8,00% 9,00% 10,00% Total Mulher Pretos/Pardos Periferia Mais de 6 pessoas no dom. Menos 1 ano de estudo Grupos Tradicionalmente Excluidos tem em 2013 crescimento de Renda individuais do trabalho Superior ao da Média . Mediana X Média* (Março de 2002 = 100) Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Quanto Cresceu? Cresceram 8,4% e 19,5% desde Agosto de 2010 160 140 120 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 180 80 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 100
  • 50. 01/10/2013 23 Mês contra mêsRenda per Capita do Trabalho Jan/13 Média 05% 3,43% -0,54% 0,88% 0,82% 1,83% 3,13% 2,38% Mediana Fev/13 Mar/13 Abr/13 Mai/13 Jun/13 Jul/13 Ago/13 06% 4,65% 2,64% 4,35% 2,28% 4,32% 6,80% 4,62% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos Variação dos 12 mesesRenda per Capita do Trabalho Fev a Jan/13 Média 05% 5,09% 4,43% 3,96% 3,49% 3,20% 3,32% 3,31% Mediana Mar a Fev/13 Abr a Mar/13 Mai a Abr/13 Jun a Mai/13 Jul a Jun/13 Ago a Jul/13 Set a Ago/13 07% 6,61% 6,19% 6,13% 5,65% 5,67% 5,77% 5,63% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos
  • 51. 01/10/2013 24 12 mesesA Desigualdade Trabalhista Retoma Queda Acelerada Jan/13 THEIL-T 00% 1,77% -0,46% -0,55% 1,90% -1,90% -4,14% -5,00% GINI Fev/13 Mar/13 Abr/13 Mai/13 Jun/13 Jul/13 Ago/13 00% 0,68% -0,34% -0,24% 0,21% -1,05% -1,80% -1,51% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos GINI 0,62 0,60 0,58 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 0,64 0,54 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0,56 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 A Desigualdade Continua em Queda? Indicador de desigualdade, Março de 1992 a Julho de 2012 ,6371400 ,5466700 ,5571800
  • 52. 01/10/2013 25 Theil-T 0,84 0,74 0,69 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 0,89 0,54 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0,59 0,79 0,64 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 A Desigualdade Continua em Queda? Indicador de desigualdade, Março de 1992 a Julho de 2012 ,867400 ,7539100 ,6156300 ,5842300 13,1% 4,06% Outras Rendas Fonte: Registros Administrativos MDS e MPS As fontes de renda domiciliar per capita cresceram: Renda do Bolsa Família Agosto Renda per capita de Previdência Julho Entre 2012 e 2013
  • 53. 01/10/2013 26 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Resultado Categoria Ano MODELO SEM INTERACAO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 2010 2002 2013 -9,73% -8,03% -3,55% 1,27% 6,18% 10,00% 12,43% 19,67% 23,48% 29,10% 31,21% 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Resultado Categoria Ano MODELO COM INTERACAO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 2010 2002 2013 7,65% -7,64% -1,56% 5,61% 12,47% 18,06% 21,40% 28,42% 35,85% 43,67% 48,50%
  • 54. 01/10/2013 27 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Evolução da Renda Per Capita MODELO COM INTERACAO Dummy Interativa Ano 11 Anos ou + de Estudo 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 20102002 2013 -4,47% -3,34% -6,51% -10,24% -13,52% -16,72% -19,24% -19,75% -25,03% -28,67% -32,44% Para entender as tendências recentes PNAD 2012 Marcelo Neri
  • 55. 01/10/2013 1 Pobreza e Desigualdade: Duas Décadas de Superação Primeiras Análises Ipea da PNAD 2012 Marcelo Neri Pedro Ferreira de Souza Fábio Vaz Crescimento Inclusivo?
  • 56. 01/10/2013 2 Taxa de Crescimento Real Per Capita de Médias de Rendas, Consumo e Salário Mínimo Indicador 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 PIB per capita 1,94 1,29 2,59 0,06 Consumo das famílias per capita 2,44 1,73 3,15 2,23 Renda per capita média 3,09 2,53 3,65 7,98 Renda per capita mediana 3,85 2,10 5,64 7,60 Salário mínimo 2,49 -0,22 5,26 7,89 Fonte: Ipea Processando microdados da Pnad/IBGE . Exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas e Consumo 1 2 3 4 5 6 9 107 8 Décimos de renda domiciliar per capita 91,71 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Rendapercapita(R$) 204,93 290,93 380,01 483,07 602,30 730,53 952,54 1.350,09 3.631,894.000 1.000 500 0 1.500 2.000 2.500 3.000 3.500 Renda domiciliar per capita (R$) em 2012 Décimos de Renda Per Capita - Brasil
  • 57. 01/10/2013 3 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Crescimento anual da renda 2011-2012(%) Variação Anual Média por Décimos de Renda Per Capita - Brasil 14,05% 10,60% 9,32% 8,95% 8,66% 8,10% 6,88% 7,34% 6,45% 8,34% 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Crescimento(%) Décimos da renda domiciliar per capita Variação Anual Média por Décimos de Renda Per Capita - Brasil 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 12,0 10,0 6,0 4,0 2,0 0,0 8,0 14,0 16,0 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 5,4 4,2 6,6 14,4 4,8 2,8 6,7 10,6 4,4 2,5 6,4 9,3 4,1 2,1 6,1 8,9 4,0 2,2 5,8 8,7 3,7 2,1 5,3 8,1 3,3 2,0 4,7 6,9 3,2 2,3 4,1 7,3 2,8 2,4 3,2 6,5 2,6 2,8 2,4 8,3 Crescimento anual da renda 1992-2012(%) – Sub-Períodos Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O crescimento da última PNAD supera em muito em cada décimo àquele observado nas duas últimas décadas
  • 58. 01/10/2013 4 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Renda domiciliar per capita (R$) em 2012 Vigésimos de Renda Per Capita - Brasil 49 134 185 225 269 312 355 405 455 511 578 626 687 774 885 1.020 1.208 1.493 2.085 5.178 0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Vigésimos de renda domiciliar per capita 1992/2002 X 2002/2012 3 201 2 4 5 6 7 8 9 10 1311 12 14 15 16 17 18 19 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Variação % da Renda Domiciliar Per Capita Por Vintis 20 15 10 5 0 5.5 5.3 5.0 4.6 4.5 4.3 4.2 4.1 4.0 3.9 3.8 3.6 3.3 3.4 3.3 3.1 2.9 2.7 2.6 2.6 20.1 12.0 11.0 10.0 9.6 9.1 9.0 8.9 9.0 8.4 8.4 7.8 7.0 6.7 7.5 7.2 6.9 6.1 5.7 9.4
  • 59. 01/10/2013 5 1992/2002 X 2002/2012 3 201 2 4 5 6 7 8 9 10 1311 12 14 15 16 17 18 19 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Variação % da Renda Domiciliar Per Capita Por Vintis 6 5 3 2 1 0 4 7 5.1 6.0 3.8 6.8 3.1 6.9 2.7 6.6 6.6 2.4 6.2 2.5 6.3 2.2 2.1 2.2 2.2 2.2 2.0 1.9 2.2 2.2 2.3 2.3 2.5 2.6 2.9 6.0 5.8 5.7 5.5 5.2 4.8 4.6 4.3 3.9 3.5 3.0 2.3 2.4 Desigualdades
  • 60. 01/10/2013 6 0,535% Desigualdade de Renda Per Capita Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD, PME e Censo / IBGE e Langoni 1973 0,581% 0,589% 0,607% 0,594% 0,552% 0,539% 0,526% 1960 1970 1979 1990 2001 2007 2009 2012 Ano Desigualdade(Gini) 0,5 0,48 0,52 0,54 0,56 0,58 6 62 Visão de Longo Prazo GINI X THEIL-L X 20+/20- 0,65 0,60 0,55 93 94 95 98 99 00 01 20121992 0,70 0,50 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 30 25 20 15 5 35 0 10 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Indicadores de desigualdade, 1992-2012 GINI,THEIL-L 20%+/20%-
  • 61. 01/10/2013 7 Desigualdade Indicadores de desigualdade de anos selecionados Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Indicador Valor Variação anual (%) 1992 2002 2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Gini 0,58 0,587 0,526 0,12 -1,09 -0,3 Theil-L 0,634 0,634 0,496 0,00 -2,42 -1,1 Razão 20+/20- 26 24,7 16,8 -0,51 -3,78 -3,4 Razão 10+/40- 5,3 5,5 3,8 0,37 -3,63 -1,40 A força do processo igualitário que se manifestou no período 2002-2012, depois de uma década de movimento errático no que diz respeito à evolução da desigualdade. Curvas de Lorenz 0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1 0,000 0,200 0,400 0,600 0,800 1,000 Fraçãoacumuladadarenda Fração acumudada da população 2012 2011 2002 1992
  • 62. 01/10/2013 8 Diferença entre as curvas de Lorenz -0,020 -0,010 0,000 0,010 0,020 0,030 0,040 0,050 0,060 0,070 0,000 0,200 0,400 0,600 0,800 1,000 Diferençanafraçãoacumudadadarenda Fração acumulada da população 2012 - 1992 2002 - 1992 2012 - 2002 2012 - 2011 RENDA 5%+ X RENDA 40%- 35 30 25 20 15 93 94 95 98 99 00 01 20121992 40 0 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 5 10 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Indicadores de desigualdade, RENDA (1992-2012) 5%+ 40%-
  • 63. 01/10/2013 9 Crescimento de renda em grupos de rendaDesigualdade Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Estrato Variação Anual (%) 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Décimos 1 4,2 6,6 14,1 2 2,9 6,7 10,6 3 2,5 6,4 9,3 4 2,1 6,2 9,0 5 2,2 5,8 8,7 6 2,1 5,4 8,1 7 2,0 4,7 6,9 8 2,3 4,1 7,3 9 2,4 3,2 6,5 10 2,8 2,4 8,3 Especiais 1% mais ricos 2,7 3,0 16,1 5% mais ricos 2,9 2,4 9,4 40% mais pobres 2,6 6,4 9,9 Os 5% mais pobres cresceram 20,1% em 2012 Extrema Pobreza, Pobreza & as Metas do Milênio
  • 64. 01/10/2013 10 Pobreza -5,78% -13,58% -21,37% -19,25% -18,23% -26,15% -28,18% -30,56% -32,93% -45,99% -42,49% -53,42% -61,41% -67,72% -71,06% -77,26% -77,43% -78,73% -80,02% -83,41% -95% -85% -75% -65% -55% -45% -35% -25% -15% -5% 5% 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 U$S 1,25 Dólares Dia PPPVariação Acumulada da Pobreza desde 1992 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Extrema Pobreza & as Metas do Milênio Pobreza 6,47% -13,75% -28,54% -40,24% -46,42% -57,90% -58,22% -60,62% -63,01% -69,29%-80% -70% -60% -50% -40% -30% -20% -10% 0% 10% 20% 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Variação Acumulada da Pobreza desde 2002 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Extrema Pobreza & as Metas do Milênio U$S 1,25 Dólares Dia PPP
  • 65. 01/10/2013 11 Evolução da pobreza: percentual de pobres - 5 10 15 20 25 30 35 40 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Percentualdapopulação Pobreza US$ 1,25 PPP Pobreza US$ 2,00 PPP Pobreza Extrema Pobreza Há diversas medidas de pobreza como as das metas do milênio influenciadas pela paridade do poder de compra (inflação americana inclusa) e linhas domésticas usamos as últimas aqui Parada de Pen 0,00 100,00 200,00 300,00 400,00 500,00 600,00 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 32 34 36 38 40 42 44 46 48 Rendadomiciliarpercapita Percentil 2011 2012 2002 1992 há dominância da curva de 2012 em relação a 2011, ou seja, para qualquer linha de pobreza fixa e qualquer medida que se utilize, a conclusão é que houve redução na pobreza nesse período. Tomando os anos de 1992, 2002, 2011 e 2012, todas as curvas posteriores dominam as anteriores, mostrando inequívoca redução da pobreza, medida sob qualquer critério
  • 66. 01/10/2013 12 Evolução da Pobreza e da Extrema Pobreza no tempo: percentual de pobres (%) - 5 10 15 20 25 30 35 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Percentualdapopulação Pobreza Extrema Pobreza A extrema pobreza cai de 4,2% para 3,6% em 2012, queda de 15,9%. Já a pobreza cai de 10,7% para 8,5%, queda de 19,8% . A meta do milênio da ONU prevê queda da pobreza a metade em 25 anos que corresponde a queda de 2,7% por ano. Ou seja. O Brasil está fazendo 25 anos das metas da ONU em menos de 5. Evolução da pobreza: pessoas 19,09 14,88 7,60 6,53 43,98 40,96 19,17 15,70 - 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Milhõesdepessoas Pobreza Extrema Pobreza Cerca de 3,5 milhões de pessoas sairam da pobreza em 2012
  • 67. 01/10/2013 13 Componente que Explica Proporção de Extremamente Pobres % da Queda Total Crescimento da renda 48,6% Queda da desigualdade 50,4% Total 100 Decomposições dinâmicas da Extrema Pobreza no Brasil, Entre 2011-2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O que explica + a Inclusão? Crescimento ou Equidade? Por que Caiu? Componente que Explica Proporção de Extremamente Pobres % da Queda Total Crescimento da renda 50,5% Queda da desigualdade 49,5% Total 100 Decomposições dinâmicas da Extrema Pobreza no Brasil, Entre 2002-2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O que explica + a Inclusão? Crescimento ou Equidade? O Caminho do Meio
  • 68. 01/10/2013 14 CRESCIMENTO X REDISTRIBUIÇÃO 93 94 95 98 99 00 01 20121992 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0 -2 -4 -6 -10 4 -12 -8 2 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 XXX Variação acumulada da incidência da pobreza extrema (p.p.) - Brasil, 1992/2012 Variaçãoacumuladadapobrezaextrema(p.p.) Determinantes das Variações da Desigualdade de Renda 2001 a 2010 BPC Bolsa Familia Trabalho Efeito Previdência Efeito Educação
  • 69. 01/10/2013 15 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD Qual fonte de renda explica o crescimento e a queda da desigualdade de 2002 a 2012? Fontes de Rendas Queda do Gini (Benefício Social) Aumento da Média de Renda (Custo Fiscal) Benefício Social por R$ Fiscal Gasto Contribuição relativa (%) Trabalho 54,9 76,41 Bolsa Familia 12,2 2,35 5,2 Previdência acima Piso 11,4 8,53 Previdência= Sal Mínimo 9,4 10,88 Outras Rendas 6,5 -0,1 Benefício de Prestação Continuada (BPC) 5,4 2 2,7 Δ Total 100 Decomposição das Mudanças de Renda Qual é a combinação de políticas mais efetiva em termos de Bem Estar Social? 1,07 Cada real adicional gasto com o Bolsa Familia impacta a desigualdade 369% e 86% mais que Na previdência social em geral e no BPC ,respectivamente. Efeitos Relativos sobre a Variação da Renda per Capita 1992/2012 (%) 2002/2012 (%) 2011/2012 (%) Trabalho 71 76 74 Efeito recebedores 23 24 11 Efeito médias 48 53 63 Previdência 23 19 14 Efeito recebedores 12 9 5 Efeito médias 12 11 9 BPC 2 2 2 Efeito recebedores 1 1 1 Efeito médias 1 1 1 PBF 2 2 1 Efeito recebedores 1 1 0 Efeito médias 1 1 1 Outras rendas 2 0 9 Efeito recebedores -2 -2 3 Efeito médias 4 2 7 Total 100 100 100 Efeito recebedores 35 33 5 Efeito médias 65 67 20 Fonte: Ipea a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012. Observação: exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas Evolução da Rendas segundo Fontes, valor e número de benefícios, 1992-2012
  • 70. 01/10/2013 16 Fontes Determinantes da Variação Relativa na Incidência da Pobreza Extrema 1992/2012 (%) 2002/2012 (%) 2011/2012 (%) Trabalho 47 55 -19 Previdência 15 21 128 BPC 7 6 55 Bolsa Família 17 12 8 Outras rendas 13 6 -72 Total 100 100 100 Pobreza Pobreza e Fontes de Renda Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Por que Caiu? 0,010 0,005 0,000 0,005 0,015 0,020 0,020 0,010 0,015 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Trabalho Previdência BPC Bolsa Família Outras rendas Pobreza Efeitos marginais relativos por fontes de renda - Brasil, 1992/2012
  • 71. 01/10/2013 17 Desigualdade Horizontal, Educação & Outras Dimensões MÉDIA E GINI Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Educação Média Índice de Gini 0,250 0,300 0,350 0,400 0,450 0,500 5 6 7 8 9 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Médiadeanosdeestudo ÍndicedeGinideanosdeestudo Média e índice de Gini dos anos de estudo da população ocupada remunerada Apesar da estagnação da taxa de analfabetismo, houve em 2012 melhoria da média e em particular desigualdade dos anos completos de estudo superior a de todos os anos da série.
  • 72. 01/10/2013 18 1992 2002 2012 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 1 100 Médiadeanosdeestudo Centésimos da renda do trabalho Educação Médias de anos de estudo por centésimos da renda do trabalho Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Notas: * = telefone (fixo ou celular), TV a cores, fogão duas bocas ou +, geladeira, rádio e máquina de lavar. ** = eletricidade, coleta de lixo, esgotamento sanitário (rede ou fossa ligada à rede), água (rede). Fonte: Ipea Processando microdados da Pnad/IBGE . Exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas, Consumo, Bens e Serviços Básicos O crescimento de cobertura de bens em 2012 supera ao das duas últimas décadas Taxa de Crescimento Per Capita de Médias de Rendas, Consumo, Bens e Serviços Básicos Indicador 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Pop. com conjunto básico de bens (p.p.)* 1,8 1,7 1,8 2,2 Pop. com conjunto básico de serviços (p.p.)** 0,9 1,1 0,8 1,0
  • 73. 01/10/2013 19 Cobertura de Bens e Serviços Básicos Os bens nas casas cresceram + que os serviços públicos 11 28 44 47 41 51 58 59 0 10 20 30 40 50 60 70 1992 1993 1994* 1995 1996 1997 1998 1999 2000* 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010* 2011 2012 Pop. com conjunto básico de bens (%) Pop. com conjunto básico de serviços (%) Escolaridade do chefe X Cor/raça do chefe X Urbano vs rural X Regiões 40 35 20 15 5 93 94 95 98 99 00 01 20121992 45 0 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 10 30 25 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Contribuição relativa para a desigualdade medida pelo GE(0) dos componentes "entre grupos" - Brasil, 1992/2012 Componente"entregrupos"doGE(0)
  • 74. 01/10/2013 20 1992 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 1992 e 2012 3,1 3,6 3,9 3,9 4,0 4,0 Primário incompleto Município pequeno Nordeste Negro Área rural Sem escolaridade 2002 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 2002 e 2012 4,7 5,0 5,0 5,2 6,0 6,6 Município pequeno Primário incompleto Nordeste Negro Área rural Sem escolaridade
  • 75. 01/10/2013 21 2011 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 2011 e 2012 5,9 8,3 9,3 9,4 10,1 11,1 Negro Município pequeno Área rural Primário incompleto Sem escolaridade Nordeste E 2013?: Crescimento e Desigualdade na PME & Outras Fontes
  • 76. 01/10/2013 22 2013:Desigualdade Horizontal *Renda Individual do Trabalho População de 15 a 65 Anos Fonte: SAE/Ipea a partir dos microdados da PME/IBGE. 3,76% 4,97% 4,78% 8,72% 5,32% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00% 7,00% 8,00% 9,00% 10,00% Total Mulher Pretos/Pardos Periferia Mais de 6 pessoas no dom. Menos 1 ano de estudo Grupos Tradicionalmente Excluidos tem em 2013 crescimento de Renda individuais do trabalho Superior ao da Média . Mediana X Média* (Março de 2002 = 100) Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Quanto Cresceu? Cresceram 8,4% e 19,5% desde Agosto de 2010 160 140 120 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 180 80 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 100
  • 77. 01/10/2013 23 Mês contra mêsRenda per Capita do Trabalho Jan/13 Média 05% 3,43% -0,54% 0,88% 0,82% 1,83% 3,13% 2,38% Mediana Fev/13 Mar/13 Abr/13 Mai/13 Jun/13 Jul/13 Ago/13 06% 4,65% 2,64% 4,35% 2,28% 4,32% 6,80% 4,62% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos Variação dos 12 mesesRenda per Capita do Trabalho Fev a Jan/13 Média 05% 5,09% 4,43% 3,96% 3,49% 3,20% 3,32% 3,31% Mediana Mar a Fev/13 Abr a Mar/13 Mai a Abr/13 Jun a Mai/13 Jul a Jun/13 Ago a Jul/13 Set a Ago/13 07% 6,61% 6,19% 6,13% 5,65% 5,67% 5,77% 5,63% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos
  • 78. 01/10/2013 24 12 mesesA Desigualdade Trabalhista Retoma Queda Acelerada Jan/13 THEIL-T 00% 1,77% -0,46% -0,55% 1,90% -1,90% -4,14% -5,00% GINI Fev/13 Mar/13 Abr/13 Mai/13 Jun/13 Jul/13 Ago/13 00% 0,68% -0,34% -0,24% 0,21% -1,05% -1,80% -1,51% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos GINI 0,62 0,60 0,58 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 0,64 0,54 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0,56 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 A Desigualdade Continua em Queda? Indicador de desigualdade, Março de 1992 a Julho de 2012 ,6371400 ,5466700 ,5571800
  • 79. 01/10/2013 25 Theil-T 0,84 0,74 0,69 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 0,89 0,54 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0,59 0,79 0,64 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 A Desigualdade Continua em Queda? Indicador de desigualdade, Março de 1992 a Julho de 2012 ,867400 ,7539100 ,6156300 ,5842300 13,1% 4,06% Outras Rendas Fonte: Registros Administrativos MDS e MPS As fontes de renda domiciliar per capita cresceram: Renda do Bolsa Família Agosto Renda per capita de Previdência Julho Entre 2012 e 2013
  • 80. 01/10/2013 26 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Resultado Categoria Ano MODELO SEM INTERACAO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 2010 2002 2013 -9,73% -8,03% -3,55% 1,27% 6,18% 10,00% 12,43% 19,67% 23,48% 29,10% 31,21% 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Resultado Categoria Ano MODELO COM INTERACAO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 2010 2002 2013 7,65% -7,64% -1,56% 5,61% 12,47% 18,06% 21,40% 28,42% 35,85% 43,67% 48,50%
  • 81. 01/10/2013 27 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Evolução da Renda Per Capita MODELO COM INTERACAO Dummy Interativa Ano 11 Anos ou + de Estudo 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 20102002 2013 -4,47% -3,34% -6,51% -10,24% -13,52% -16,72% -19,24% -19,75% -25,03% -28,67% -32,44% Para entender as tendências recentes PNAD 2012 Marcelo Neri
  • 82. 01/10/2013 1 Pobreza e Desigualdade: Duas Décadas de Superação Primeiras Análises Ipea da PNAD 2012 Marcelo Neri Pedro Ferreira de Souza Fábio Vaz Crescimento Inclusivo?
  • 83. 01/10/2013 2 Taxa de Crescimento Real Per Capita de Médias de Rendas, Consumo e Salário Mínimo Indicador 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 PIB per capita 1,94 1,29 2,59 0,06 Consumo das famílias per capita 2,44 1,73 3,15 2,23 Renda per capita média 3,09 2,53 3,65 7,98 Renda per capita mediana 3,85 2,10 5,64 7,60 Salário mínimo 2,49 -0,22 5,26 7,89 Fonte: Ipea Processando microdados da Pnad/IBGE . Exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas e Consumo 1 2 3 4 5 6 9 107 8 Décimos de renda domiciliar per capita 91,71 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Rendapercapita(R$) 204,93 290,93 380,01 483,07 602,30 730,53 952,54 1.350,09 3.631,894.000 1.000 500 0 1.500 2.000 2.500 3.000 3.500 Renda domiciliar per capita (R$) em 2012 Décimos de Renda Per Capita - Brasil
  • 84. 01/10/2013 3 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Crescimento anual da renda 2011-2012(%) Variação Anual Média por Décimos de Renda Per Capita - Brasil 14,05% 10,60% 9,32% 8,95% 8,66% 8,10% 6,88% 7,34% 6,45% 8,34% 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Crescimento(%) Décimos da renda domiciliar per capita Variação Anual Média por Décimos de Renda Per Capita - Brasil 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 12,0 10,0 6,0 4,0 2,0 0,0 8,0 14,0 16,0 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 5,4 4,2 6,6 14,4 4,8 2,8 6,7 10,6 4,4 2,5 6,4 9,3 4,1 2,1 6,1 8,9 4,0 2,2 5,8 8,7 3,7 2,1 5,3 8,1 3,3 2,0 4,7 6,9 3,2 2,3 4,1 7,3 2,8 2,4 3,2 6,5 2,6 2,8 2,4 8,3 Crescimento anual da renda 1992-2012(%) – Sub-Períodos Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O crescimento da última PNAD supera em muito em cada décimo àquele observado nas duas últimas décadas
  • 85. 01/10/2013 4 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Renda domiciliar per capita (R$) em 2012 Vigésimos de Renda Per Capita - Brasil 49 134 185 225 269 312 355 405 455 511 578 626 687 774 885 1.020 1.208 1.493 2.085 5.178 0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Vigésimos de renda domiciliar per capita 1992/2002 X 2002/2012 3 201 2 4 5 6 7 8 9 10 1311 12 14 15 16 17 18 19 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Variação % da Renda Domiciliar Per Capita Por Vintis 20 15 10 5 0 5.5 5.3 5.0 4.6 4.5 4.3 4.2 4.1 4.0 3.9 3.8 3.6 3.3 3.4 3.3 3.1 2.9 2.7 2.6 2.6 20.1 12.0 11.0 10.0 9.6 9.1 9.0 8.9 9.0 8.4 8.4 7.8 7.0 6.7 7.5 7.2 6.9 6.1 5.7 9.4
  • 86. 01/10/2013 5 1992/2002 X 2002/2012 3 201 2 4 5 6 7 8 9 10 1311 12 14 15 16 17 18 19 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Variação % da Renda Domiciliar Per Capita Por Vintis 6 5 3 2 1 0 4 7 5.1 6.0 3.8 6.8 3.1 6.9 2.7 6.6 6.6 2.4 6.2 2.5 6.3 2.2 2.1 2.2 2.2 2.2 2.0 1.9 2.2 2.2 2.3 2.3 2.5 2.6 2.9 6.0 5.8 5.7 5.5 5.2 4.8 4.6 4.3 3.9 3.5 3.0 2.3 2.4 Desigualdades
  • 87. 01/10/2013 6 0,535% Desigualdade de Renda Per Capita Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD, PME e Censo / IBGE e Langoni 1973 0,581% 0,589% 0,607% 0,594% 0,552% 0,539% 0,526% 1960 1970 1979 1990 2001 2007 2009 2012 Ano Desigualdade(Gini) 0,5 0,48 0,52 0,54 0,56 0,58 6 62 Visão de Longo Prazo GINI X THEIL-L X 20+/20- 0,65 0,60 0,55 93 94 95 98 99 00 01 20121992 0,70 0,50 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 30 25 20 15 5 35 0 10 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Indicadores de desigualdade, 1992-2012 GINI,THEIL-L 20%+/20%-
  • 88. 01/10/2013 7 Desigualdade Indicadores de desigualdade de anos selecionados Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Indicador Valor Variação anual (%) 1992 2002 2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Gini 0,58 0,587 0,526 0,12 -1,09 -0,3 Theil-L 0,634 0,634 0,496 0,00 -2,42 -1,1 Razão 20+/20- 26 24,7 16,8 -0,51 -3,78 -3,4 Razão 10+/40- 5,3 5,5 3,8 0,37 -3,63 -1,40 A força do processo igualitário que se manifestou no período 2002-2012, depois de uma década de movimento errático no que diz respeito à evolução da desigualdade. Curvas de Lorenz 0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1 0,000 0,200 0,400 0,600 0,800 1,000 Fraçãoacumuladadarenda Fração acumudada da população 2012 2011 2002 1992
  • 89. 01/10/2013 8 Diferença entre as curvas de Lorenz -0,020 -0,010 0,000 0,010 0,020 0,030 0,040 0,050 0,060 0,070 0,000 0,200 0,400 0,600 0,800 1,000 Diferençanafraçãoacumudadadarenda Fração acumulada da população 2012 - 1992 2002 - 1992 2012 - 2002 2012 - 2011 RENDA 5%+ X RENDA 40%- 35 30 25 20 15 93 94 95 98 99 00 01 20121992 40 0 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 5 10 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Indicadores de desigualdade, RENDA (1992-2012) 5%+ 40%-
  • 90. 01/10/2013 9 Crescimento de renda em grupos de rendaDesigualdade Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Estrato Variação Anual (%) 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Décimos 1 4,2 6,6 14,1 2 2,9 6,7 10,6 3 2,5 6,4 9,3 4 2,1 6,2 9,0 5 2,2 5,8 8,7 6 2,1 5,4 8,1 7 2,0 4,7 6,9 8 2,3 4,1 7,3 9 2,4 3,2 6,5 10 2,8 2,4 8,3 Especiais 1% mais ricos 2,7 3,0 16,1 5% mais ricos 2,9 2,4 9,4 40% mais pobres 2,6 6,4 9,9 Os 5% mais pobres cresceram 20,1% em 2012 Extrema Pobreza, Pobreza & as Metas do Milênio
  • 91. 01/10/2013 10 Pobreza -5,78% -13,58% -21,37% -19,25% -18,23% -26,15% -28,18% -30,56% -32,93% -45,99% -42,49% -53,42% -61,41% -67,72% -71,06% -77,26% -77,43% -78,73% -80,02% -83,41% -95% -85% -75% -65% -55% -45% -35% -25% -15% -5% 5% 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 U$S 1,25 Dólares Dia PPPVariação Acumulada da Pobreza desde 1992 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Extrema Pobreza & as Metas do Milênio Pobreza 6,47% -13,75% -28,54% -40,24% -46,42% -57,90% -58,22% -60,62% -63,01% -69,29%-80% -70% -60% -50% -40% -30% -20% -10% 0% 10% 20% 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Variação Acumulada da Pobreza desde 2002 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Extrema Pobreza & as Metas do Milênio U$S 1,25 Dólares Dia PPP
  • 92. 01/10/2013 11 Evolução da pobreza: percentual de pobres - 5 10 15 20 25 30 35 40 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Percentualdapopulação Pobreza US$ 1,25 PPP Pobreza US$ 2,00 PPP Pobreza Extrema Pobreza Há diversas medidas de pobreza como as das metas do milênio influenciadas pela paridade do poder de compra (inflação americana inclusa) e linhas domésticas usamos as últimas aqui Parada de Pen 0,00 100,00 200,00 300,00 400,00 500,00 600,00 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 32 34 36 38 40 42 44 46 48 Rendadomiciliarpercapita Percentil 2011 2012 2002 1992 há dominância da curva de 2012 em relação a 2011, ou seja, para qualquer linha de pobreza fixa e qualquer medida que se utilize, a conclusão é que houve redução na pobreza nesse período. Tomando os anos de 1992, 2002, 2011 e 2012, todas as curvas posteriores dominam as anteriores, mostrando inequívoca redução da pobreza, medida sob qualquer critério
  • 93. 01/10/2013 12 Evolução da Pobreza e da Extrema Pobreza no tempo: percentual de pobres (%) - 5 10 15 20 25 30 35 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Percentualdapopulação Pobreza Extrema Pobreza A extrema pobreza cai de 4,2% para 3,6% em 2012, queda de 15,9%. Já a pobreza cai de 10,7% para 8,5%, queda de 19,8% . A meta do milênio da ONU prevê queda da pobreza a metade em 25 anos que corresponde a queda de 2,7% por ano. Ou seja. O Brasil está fazendo 25 anos das metas da ONU em menos de 5. Evolução da pobreza: pessoas 19,09 14,88 7,60 6,53 43,98 40,96 19,17 15,70 - 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Milhõesdepessoas Pobreza Extrema Pobreza Cerca de 3,5 milhões de pessoas sairam da pobreza em 2012
  • 94. 01/10/2013 13 Componente que Explica Proporção de Extremamente Pobres % da Queda Total Crescimento da renda 48,6% Queda da desigualdade 50,4% Total 100 Decomposições dinâmicas da Extrema Pobreza no Brasil, Entre 2011-2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O que explica + a Inclusão? Crescimento ou Equidade? Por que Caiu? Componente que Explica Proporção de Extremamente Pobres % da Queda Total Crescimento da renda 50,5% Queda da desigualdade 49,5% Total 100 Decomposições dinâmicas da Extrema Pobreza no Brasil, Entre 2002-2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O que explica + a Inclusão? Crescimento ou Equidade? O Caminho do Meio
  • 95. 01/10/2013 14 CRESCIMENTO X REDISTRIBUIÇÃO 93 94 95 98 99 00 01 20121992 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0 -2 -4 -6 -10 4 -12 -8 2 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 XXX Variação acumulada da incidência da pobreza extrema (p.p.) - Brasil, 1992/2012 Variaçãoacumuladadapobrezaextrema(p.p.) Determinantes das Variações da Desigualdade de Renda 2001 a 2010 BPC Bolsa Familia Trabalho Efeito Previdência Efeito Educação
  • 96. 01/10/2013 15 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD Qual fonte de renda explica o crescimento e a queda da desigualdade de 2002 a 2012? Fontes de Rendas Queda do Gini (Benefício Social) Aumento da Média de Renda (Custo Fiscal) Benefício Social por R$ Fiscal Gasto Contribuição relativa (%) Trabalho 54,9 76,41 Bolsa Familia 12,2 2,35 5,2 Previdência acima Piso 11,4 8,53 Previdência= Sal Mínimo 9,4 10,88 Outras Rendas 6,5 -0,1 Benefício de Prestação Continuada (BPC) 5,4 2 2,7 Δ Total 100 Decomposição das Mudanças de Renda Qual é a combinação de políticas mais efetiva em termos de Bem Estar Social? 1,07 Cada real adicional gasto com o Bolsa Familia impacta a desigualdade 369% e 86% mais que Na previdência social em geral e no BPC ,respectivamente. Efeitos Relativos sobre a Variação da Renda per Capita 1992/2012 (%) 2002/2012 (%) 2011/2012 (%) Trabalho 71 76 74 Efeito recebedores 23 24 11 Efeito médias 48 53 63 Previdência 23 19 14 Efeito recebedores 12 9 5 Efeito médias 12 11 9 BPC 2 2 2 Efeito recebedores 1 1 1 Efeito médias 1 1 1 PBF 2 2 1 Efeito recebedores 1 1 0 Efeito médias 1 1 1 Outras rendas 2 0 9 Efeito recebedores -2 -2 3 Efeito médias 4 2 7 Total 100 100 100 Efeito recebedores 35 33 5 Efeito médias 65 67 20 Fonte: Ipea a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012. Observação: exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas Evolução da Rendas segundo Fontes, valor e número de benefícios, 1992-2012
  • 97. 01/10/2013 16 Fontes Determinantes da Variação Relativa na Incidência da Pobreza Extrema 1992/2012 (%) 2002/2012 (%) 2011/2012 (%) Trabalho 47 55 -19 Previdência 15 21 128 BPC 7 6 55 Bolsa Família 17 12 8 Outras rendas 13 6 -72 Total 100 100 100 Pobreza Pobreza e Fontes de Renda Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Por que Caiu? 0,010 0,005 0,000 0,005 0,015 0,020 0,020 0,010 0,015 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Trabalho Previdência BPC Bolsa Família Outras rendas Pobreza Efeitos marginais relativos por fontes de renda - Brasil, 1992/2012
  • 98. 01/10/2013 17 Desigualdade Horizontal, Educação & Outras Dimensões MÉDIA E GINI Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Educação Média Índice de Gini 0,250 0,300 0,350 0,400 0,450 0,500 5 6 7 8 9 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Médiadeanosdeestudo ÍndicedeGinideanosdeestudo Média e índice de Gini dos anos de estudo da população ocupada remunerada Apesar da estagnação da taxa de analfabetismo, houve em 2012 melhoria da média e em particular desigualdade dos anos completos de estudo superior a de todos os anos da série.
  • 99. 01/10/2013 18 1992 2002 2012 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 1 100 Médiadeanosdeestudo Centésimos da renda do trabalho Educação Médias de anos de estudo por centésimos da renda do trabalho Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Notas: * = telefone (fixo ou celular), TV a cores, fogão duas bocas ou +, geladeira, rádio e máquina de lavar. ** = eletricidade, coleta de lixo, esgotamento sanitário (rede ou fossa ligada à rede), água (rede). Fonte: Ipea Processando microdados da Pnad/IBGE . Exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas, Consumo, Bens e Serviços Básicos O crescimento de cobertura de bens em 2012 supera ao das duas últimas décadas Taxa de Crescimento Per Capita de Médias de Rendas, Consumo, Bens e Serviços Básicos Indicador 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Pop. com conjunto básico de bens (p.p.)* 1,8 1,7 1,8 2,2 Pop. com conjunto básico de serviços (p.p.)** 0,9 1,1 0,8 1,0
  • 100. 01/10/2013 19 Cobertura de Bens e Serviços Básicos Os bens nas casas cresceram + que os serviços públicos 11 28 44 47 41 51 58 59 0 10 20 30 40 50 60 70 1992 1993 1994* 1995 1996 1997 1998 1999 2000* 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010* 2011 2012 Pop. com conjunto básico de bens (%) Pop. com conjunto básico de serviços (%) Escolaridade do chefe X Cor/raça do chefe X Urbano vs rural X Regiões 40 35 20 15 5 93 94 95 98 99 00 01 20121992 45 0 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 10 30 25 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Contribuição relativa para a desigualdade medida pelo GE(0) dos componentes "entre grupos" - Brasil, 1992/2012 Componente"entregrupos"doGE(0)
  • 101. 01/10/2013 20 1992 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 1992 e 2012 3,1 3,6 3,9 3,9 4,0 4,0 Primário incompleto Município pequeno Nordeste Negro Área rural Sem escolaridade 2002 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 2002 e 2012 4,7 5,0 5,0 5,2 6,0 6,6 Município pequeno Primário incompleto Nordeste Negro Área rural Sem escolaridade
  • 102. 01/10/2013 21 2011 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 2011 e 2012 5,9 8,3 9,3 9,4 10,1 11,1 Negro Município pequeno Área rural Primário incompleto Sem escolaridade Nordeste E 2013?: Crescimento e Desigualdade na PME & Outras Fontes
  • 103. 01/10/2013 22 2013:Desigualdade Horizontal *Renda Individual do Trabalho População de 15 a 65 Anos Fonte: SAE/Ipea a partir dos microdados da PME/IBGE. 3,76% 4,97% 4,78% 8,72% 5,32% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00% 7,00% 8,00% 9,00% 10,00% Total Mulher Pretos/Pardos Periferia Mais de 6 pessoas no dom. Menos 1 ano de estudo Grupos Tradicionalmente Excluidos tem em 2013 crescimento de Renda individuais do trabalho Superior ao da Média . Mediana X Média* (Março de 2002 = 100) Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Quanto Cresceu? Cresceram 8,4% e 19,5% desde Agosto de 2010 160 140 120 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 180 80 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 100
  • 104. 01/10/2013 23 Mês contra mêsRenda per Capita do Trabalho Jan/13 Média 05% 3,43% -0,54% 0,88% 0,82% 1,83% 3,13% 2,38% Mediana Fev/13 Mar/13 Abr/13 Mai/13 Jun/13 Jul/13 Ago/13 06% 4,65% 2,64% 4,35% 2,28% 4,32% 6,80% 4,62% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos Variação dos 12 mesesRenda per Capita do Trabalho Fev a Jan/13 Média 05% 5,09% 4,43% 3,96% 3,49% 3,20% 3,32% 3,31% Mediana Mar a Fev/13 Abr a Mar/13 Mai a Abr/13 Jun a Mai/13 Jul a Jun/13 Ago a Jul/13 Set a Ago/13 07% 6,61% 6,19% 6,13% 5,65% 5,67% 5,77% 5,63% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos
  • 105. 01/10/2013 24 12 mesesA Desigualdade Trabalhista Retoma Queda Acelerada Jan/13 THEIL-T 00% 1,77% -0,46% -0,55% 1,90% -1,90% -4,14% -5,00% GINI Fev/13 Mar/13 Abr/13 Mai/13 Jun/13 Jul/13 Ago/13 00% 0,68% -0,34% -0,24% 0,21% -1,05% -1,80% -1,51% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos GINI 0,62 0,60 0,58 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 0,64 0,54 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0,56 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 A Desigualdade Continua em Queda? Indicador de desigualdade, Março de 1992 a Julho de 2012 ,6371400 ,5466700 ,5571800
  • 106. 01/10/2013 25 Theil-T 0,84 0,74 0,69 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 0,89 0,54 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0,59 0,79 0,64 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 A Desigualdade Continua em Queda? Indicador de desigualdade, Março de 1992 a Julho de 2012 ,867400 ,7539100 ,6156300 ,5842300 13,1% 4,06% Outras Rendas Fonte: Registros Administrativos MDS e MPS As fontes de renda domiciliar per capita cresceram: Renda do Bolsa Família Agosto Renda per capita de Previdência Julho Entre 2012 e 2013
  • 107. 01/10/2013 26 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Resultado Categoria Ano MODELO SEM INTERACAO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 2010 2002 2013 -9,73% -8,03% -3,55% 1,27% 6,18% 10,00% 12,43% 19,67% 23,48% 29,10% 31,21% 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Resultado Categoria Ano MODELO COM INTERACAO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 2010 2002 2013 7,65% -7,64% -1,56% 5,61% 12,47% 18,06% 21,40% 28,42% 35,85% 43,67% 48,50%
  • 108. 01/10/2013 27 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Evolução da Renda Per Capita MODELO COM INTERACAO Dummy Interativa Ano 11 Anos ou + de Estudo 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 20102002 2013 -4,47% -3,34% -6,51% -10,24% -13,52% -16,72% -19,24% -19,75% -25,03% -28,67% -32,44% Para entender as tendências recentes PNAD 2012 Marcelo Neri
  • 109. 01/10/2013 1 Pobreza e Desigualdade: Duas Décadas de Superação Primeiras Análises Ipea da PNAD 2012 Marcelo Neri Pedro Ferreira de Souza Fábio Vaz Crescimento Inclusivo?
  • 110. 01/10/2013 2 Taxa de Crescimento Real Per Capita de Médias de Rendas, Consumo e Salário Mínimo Indicador 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 PIB per capita 1,94 1,29 2,59 0,06 Consumo das famílias per capita 2,44 1,73 3,15 2,23 Renda per capita média 3,09 2,53 3,65 7,98 Renda per capita mediana 3,85 2,10 5,64 7,60 Salário mínimo 2,49 -0,22 5,26 7,89 Fonte: Ipea Processando microdados da Pnad/IBGE . Exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas e Consumo 1 2 3 4 5 6 9 107 8 Décimos de renda domiciliar per capita 91,71 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Rendapercapita(R$) 204,93 290,93 380,01 483,07 602,30 730,53 952,54 1.350,09 3.631,894.000 1.000 500 0 1.500 2.000 2.500 3.000 3.500 Renda domiciliar per capita (R$) em 2012 Décimos de Renda Per Capita - Brasil
  • 111. 01/10/2013 3 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Crescimento anual da renda 2011-2012(%) Variação Anual Média por Décimos de Renda Per Capita - Brasil 14,05% 10,60% 9,32% 8,95% 8,66% 8,10% 6,88% 7,34% 6,45% 8,34% 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Crescimento(%) Décimos da renda domiciliar per capita Variação Anual Média por Décimos de Renda Per Capita - Brasil 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 12,0 10,0 6,0 4,0 2,0 0,0 8,0 14,0 16,0 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 5,4 4,2 6,6 14,4 4,8 2,8 6,7 10,6 4,4 2,5 6,4 9,3 4,1 2,1 6,1 8,9 4,0 2,2 5,8 8,7 3,7 2,1 5,3 8,1 3,3 2,0 4,7 6,9 3,2 2,3 4,1 7,3 2,8 2,4 3,2 6,5 2,6 2,8 2,4 8,3 Crescimento anual da renda 1992-2012(%) – Sub-Períodos Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O crescimento da última PNAD supera em muito em cada décimo àquele observado nas duas últimas décadas
  • 112. 01/10/2013 4 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Renda domiciliar per capita (R$) em 2012 Vigésimos de Renda Per Capita - Brasil 49 134 185 225 269 312 355 405 455 511 578 626 687 774 885 1.020 1.208 1.493 2.085 5.178 0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Vigésimos de renda domiciliar per capita 1992/2002 X 2002/2012 3 201 2 4 5 6 7 8 9 10 1311 12 14 15 16 17 18 19 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Variação % da Renda Domiciliar Per Capita Por Vintis 20 15 10 5 0 5.5 5.3 5.0 4.6 4.5 4.3 4.2 4.1 4.0 3.9 3.8 3.6 3.3 3.4 3.3 3.1 2.9 2.7 2.6 2.6 20.1 12.0 11.0 10.0 9.6 9.1 9.0 8.9 9.0 8.4 8.4 7.8 7.0 6.7 7.5 7.2 6.9 6.1 5.7 9.4
  • 113. 01/10/2013 5 1992/2002 X 2002/2012 3 201 2 4 5 6 7 8 9 10 1311 12 14 15 16 17 18 19 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Variação % da Renda Domiciliar Per Capita Por Vintis 6 5 3 2 1 0 4 7 5.1 6.0 3.8 6.8 3.1 6.9 2.7 6.6 6.6 2.4 6.2 2.5 6.3 2.2 2.1 2.2 2.2 2.2 2.0 1.9 2.2 2.2 2.3 2.3 2.5 2.6 2.9 6.0 5.8 5.7 5.5 5.2 4.8 4.6 4.3 3.9 3.5 3.0 2.3 2.4 Desigualdades
  • 114. 01/10/2013 6 0,535% Desigualdade de Renda Per Capita Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD, PME e Censo / IBGE e Langoni 1973 0,581% 0,589% 0,607% 0,594% 0,552% 0,539% 0,526% 1960 1970 1979 1990 2001 2007 2009 2012 Ano Desigualdade(Gini) 0,5 0,48 0,52 0,54 0,56 0,58 6 62 Visão de Longo Prazo GINI X THEIL-L X 20+/20- 0,65 0,60 0,55 93 94 95 98 99 00 01 20121992 0,70 0,50 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 30 25 20 15 5 35 0 10 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Indicadores de desigualdade, 1992-2012 GINI,THEIL-L 20%+/20%-
  • 115. 01/10/2013 7 Desigualdade Indicadores de desigualdade de anos selecionados Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Indicador Valor Variação anual (%) 1992 2002 2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Gini 0,58 0,587 0,526 0,12 -1,09 -0,3 Theil-L 0,634 0,634 0,496 0,00 -2,42 -1,1 Razão 20+/20- 26 24,7 16,8 -0,51 -3,78 -3,4 Razão 10+/40- 5,3 5,5 3,8 0,37 -3,63 -1,40 A força do processo igualitário que se manifestou no período 2002-2012, depois de uma década de movimento errático no que diz respeito à evolução da desigualdade. Curvas de Lorenz 0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1 0,000 0,200 0,400 0,600 0,800 1,000 Fraçãoacumuladadarenda Fração acumudada da população 2012 2011 2002 1992
  • 116. 01/10/2013 8 Diferença entre as curvas de Lorenz -0,020 -0,010 0,000 0,010 0,020 0,030 0,040 0,050 0,060 0,070 0,000 0,200 0,400 0,600 0,800 1,000 Diferençanafraçãoacumudadadarenda Fração acumulada da população 2012 - 1992 2002 - 1992 2012 - 2002 2012 - 2011 RENDA 5%+ X RENDA 40%- 35 30 25 20 15 93 94 95 98 99 00 01 20121992 40 0 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 5 10 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Indicadores de desigualdade, RENDA (1992-2012) 5%+ 40%-
  • 117. 01/10/2013 9 Crescimento de renda em grupos de rendaDesigualdade Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Estrato Variação Anual (%) 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Décimos 1 4,2 6,6 14,1 2 2,9 6,7 10,6 3 2,5 6,4 9,3 4 2,1 6,2 9,0 5 2,2 5,8 8,7 6 2,1 5,4 8,1 7 2,0 4,7 6,9 8 2,3 4,1 7,3 9 2,4 3,2 6,5 10 2,8 2,4 8,3 Especiais 1% mais ricos 2,7 3,0 16,1 5% mais ricos 2,9 2,4 9,4 40% mais pobres 2,6 6,4 9,9 Os 5% mais pobres cresceram 20,1% em 2012 Extrema Pobreza, Pobreza & as Metas do Milênio
  • 118. 01/10/2013 10 Pobreza -5,78% -13,58% -21,37% -19,25% -18,23% -26,15% -28,18% -30,56% -32,93% -45,99% -42,49% -53,42% -61,41% -67,72% -71,06% -77,26% -77,43% -78,73% -80,02% -83,41% -95% -85% -75% -65% -55% -45% -35% -25% -15% -5% 5% 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 U$S 1,25 Dólares Dia PPPVariação Acumulada da Pobreza desde 1992 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Extrema Pobreza & as Metas do Milênio Pobreza 6,47% -13,75% -28,54% -40,24% -46,42% -57,90% -58,22% -60,62% -63,01% -69,29%-80% -70% -60% -50% -40% -30% -20% -10% 0% 10% 20% 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Variação Acumulada da Pobreza desde 2002 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Extrema Pobreza & as Metas do Milênio U$S 1,25 Dólares Dia PPP
  • 119. 01/10/2013 11 Evolução da pobreza: percentual de pobres - 5 10 15 20 25 30 35 40 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Percentualdapopulação Pobreza US$ 1,25 PPP Pobreza US$ 2,00 PPP Pobreza Extrema Pobreza Há diversas medidas de pobreza como as das metas do milênio influenciadas pela paridade do poder de compra (inflação americana inclusa) e linhas domésticas usamos as últimas aqui Parada de Pen 0,00 100,00 200,00 300,00 400,00 500,00 600,00 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 32 34 36 38 40 42 44 46 48 Rendadomiciliarpercapita Percentil 2011 2012 2002 1992 há dominância da curva de 2012 em relação a 2011, ou seja, para qualquer linha de pobreza fixa e qualquer medida que se utilize, a conclusão é que houve redução na pobreza nesse período. Tomando os anos de 1992, 2002, 2011 e 2012, todas as curvas posteriores dominam as anteriores, mostrando inequívoca redução da pobreza, medida sob qualquer critério
  • 120. 01/10/2013 12 Evolução da Pobreza e da Extrema Pobreza no tempo: percentual de pobres (%) - 5 10 15 20 25 30 35 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Percentualdapopulação Pobreza Extrema Pobreza A extrema pobreza cai de 4,2% para 3,6% em 2012, queda de 15,9%. Já a pobreza cai de 10,7% para 8,5%, queda de 19,8% . A meta do milênio da ONU prevê queda da pobreza a metade em 25 anos que corresponde a queda de 2,7% por ano. Ou seja. O Brasil está fazendo 25 anos das metas da ONU em menos de 5. Evolução da pobreza: pessoas 19,09 14,88 7,60 6,53 43,98 40,96 19,17 15,70 - 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Milhõesdepessoas Pobreza Extrema Pobreza Cerca de 3,5 milhões de pessoas sairam da pobreza em 2012
  • 121. 01/10/2013 13 Componente que Explica Proporção de Extremamente Pobres % da Queda Total Crescimento da renda 48,6% Queda da desigualdade 50,4% Total 100 Decomposições dinâmicas da Extrema Pobreza no Brasil, Entre 2011-2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O que explica + a Inclusão? Crescimento ou Equidade? Por que Caiu? Componente que Explica Proporção de Extremamente Pobres % da Queda Total Crescimento da renda 50,5% Queda da desigualdade 49,5% Total 100 Decomposições dinâmicas da Extrema Pobreza no Brasil, Entre 2002-2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE O que explica + a Inclusão? Crescimento ou Equidade? O Caminho do Meio
  • 122. 01/10/2013 14 CRESCIMENTO X REDISTRIBUIÇÃO 93 94 95 98 99 00 01 20121992 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0 -2 -4 -6 -10 4 -12 -8 2 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 XXX Variação acumulada da incidência da pobreza extrema (p.p.) - Brasil, 1992/2012 Variaçãoacumuladadapobrezaextrema(p.p.) Determinantes das Variações da Desigualdade de Renda 2001 a 2010 BPC Bolsa Familia Trabalho Efeito Previdência Efeito Educação
  • 123. 01/10/2013 15 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD Qual fonte de renda explica o crescimento e a queda da desigualdade de 2002 a 2012? Fontes de Rendas Queda do Gini (Benefício Social) Aumento da Média de Renda (Custo Fiscal) Benefício Social por R$ Fiscal Gasto Contribuição relativa (%) Trabalho 54,9 76,41 Bolsa Familia 12,2 2,35 5,2 Previdência acima Piso 11,4 8,53 Previdência= Sal Mínimo 9,4 10,88 Outras Rendas 6,5 -0,1 Benefício de Prestação Continuada (BPC) 5,4 2 2,7 Δ Total 100 Decomposição das Mudanças de Renda Qual é a combinação de políticas mais efetiva em termos de Bem Estar Social? 1,07 Cada real adicional gasto com o Bolsa Familia impacta a desigualdade 369% e 86% mais que Na previdência social em geral e no BPC ,respectivamente. Efeitos Relativos sobre a Variação da Renda per Capita 1992/2012 (%) 2002/2012 (%) 2011/2012 (%) Trabalho 71 76 74 Efeito recebedores 23 24 11 Efeito médias 48 53 63 Previdência 23 19 14 Efeito recebedores 12 9 5 Efeito médias 12 11 9 BPC 2 2 2 Efeito recebedores 1 1 1 Efeito médias 1 1 1 PBF 2 2 1 Efeito recebedores 1 1 0 Efeito médias 1 1 1 Outras rendas 2 0 9 Efeito recebedores -2 -2 3 Efeito médias 4 2 7 Total 100 100 100 Efeito recebedores 35 33 5 Efeito médias 65 67 20 Fonte: Ipea a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012. Observação: exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas Evolução da Rendas segundo Fontes, valor e número de benefícios, 1992-2012
  • 124. 01/10/2013 16 Fontes Determinantes da Variação Relativa na Incidência da Pobreza Extrema 1992/2012 (%) 2002/2012 (%) 2011/2012 (%) Trabalho 47 55 -19 Previdência 15 21 128 BPC 7 6 55 Bolsa Família 17 12 8 Outras rendas 13 6 -72 Total 100 100 100 Pobreza Pobreza e Fontes de Renda Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Por que Caiu? 0,010 0,005 0,000 0,005 0,015 0,020 0,020 0,010 0,015 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Trabalho Previdência BPC Bolsa Família Outras rendas Pobreza Efeitos marginais relativos por fontes de renda - Brasil, 1992/2012
  • 125. 01/10/2013 17 Desigualdade Horizontal, Educação & Outras Dimensões MÉDIA E GINI Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Educação Média Índice de Gini 0,250 0,300 0,350 0,400 0,450 0,500 5 6 7 8 9 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Médiadeanosdeestudo ÍndicedeGinideanosdeestudo Média e índice de Gini dos anos de estudo da população ocupada remunerada Apesar da estagnação da taxa de analfabetismo, houve em 2012 melhoria da média e em particular desigualdade dos anos completos de estudo superior a de todos os anos da série.
  • 126. 01/10/2013 18 1992 2002 2012 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 1 100 Médiadeanosdeestudo Centésimos da renda do trabalho Educação Médias de anos de estudo por centésimos da renda do trabalho Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Notas: * = telefone (fixo ou celular), TV a cores, fogão duas bocas ou +, geladeira, rádio e máquina de lavar. ** = eletricidade, coleta de lixo, esgotamento sanitário (rede ou fossa ligada à rede), água (rede). Fonte: Ipea Processando microdados da Pnad/IBGE . Exclusive áreas rurais da região Norte (exceto Tocantins). Rendas, Consumo, Bens e Serviços Básicos O crescimento de cobertura de bens em 2012 supera ao das duas últimas décadas Taxa de Crescimento Per Capita de Médias de Rendas, Consumo, Bens e Serviços Básicos Indicador 1992/2012 1992/2002 2002/2012 2011/2012 Pop. com conjunto básico de bens (p.p.)* 1,8 1,7 1,8 2,2 Pop. com conjunto básico de serviços (p.p.)** 0,9 1,1 0,8 1,0
  • 127. 01/10/2013 19 Cobertura de Bens e Serviços Básicos Os bens nas casas cresceram + que os serviços públicos 11 28 44 47 41 51 58 59 0 10 20 30 40 50 60 70 1992 1993 1994* 1995 1996 1997 1998 1999 2000* 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010* 2011 2012 Pop. com conjunto básico de bens (%) Pop. com conjunto básico de serviços (%) Escolaridade do chefe X Cor/raça do chefe X Urbano vs rural X Regiões 40 35 20 15 5 93 94 95 98 99 00 01 20121992 45 0 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 10 30 25 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 Desigualdade Contribuição relativa para a desigualdade medida pelo GE(0) dos componentes "entre grupos" - Brasil, 1992/2012 Componente"entregrupos"doGE(0)
  • 128. 01/10/2013 20 1992 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 1992 e 2012 3,1 3,6 3,9 3,9 4,0 4,0 Primário incompleto Município pequeno Nordeste Negro Área rural Sem escolaridade 2002 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 2002 e 2012 4,7 5,0 5,0 5,2 6,0 6,6 Município pequeno Primário incompleto Nordeste Negro Área rural Sem escolaridade
  • 129. 01/10/2013 21 2011 X 2012 Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Variação de renda Crescimento anual da renda domiciliar per capita (R$ 2012) para grupos selecionados entre 2011 e 2012 5,9 8,3 9,3 9,4 10,1 11,1 Negro Município pequeno Área rural Primário incompleto Sem escolaridade Nordeste E 2013?: Crescimento e Desigualdade na PME & Outras Fontes
  • 130. 01/10/2013 22 2013:Desigualdade Horizontal *Renda Individual do Trabalho População de 15 a 65 Anos Fonte: SAE/Ipea a partir dos microdados da PME/IBGE. 3,76% 4,97% 4,78% 8,72% 5,32% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00% 7,00% 8,00% 9,00% 10,00% Total Mulher Pretos/Pardos Periferia Mais de 6 pessoas no dom. Menos 1 ano de estudo Grupos Tradicionalmente Excluidos tem em 2013 crescimento de Renda individuais do trabalho Superior ao da Média . Mediana X Média* (Março de 2002 = 100) Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE Quanto Cresceu? Cresceram 8,4% e 19,5% desde Agosto de 2010 160 140 120 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 180 80 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 100
  • 131. 01/10/2013 23 Mês contra mêsRenda per Capita do Trabalho Jan/13 Média 05% 3,43% -0,54% 0,88% 0,82% 1,83% 3,13% 2,38% Mediana Fev/13 Mar/13 Abr/13 Mai/13 Jun/13 Jul/13 Ago/13 06% 4,65% 2,64% 4,35% 2,28% 4,32% 6,80% 4,62% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos Variação dos 12 mesesRenda per Capita do Trabalho Fev a Jan/13 Média 05% 5,09% 4,43% 3,96% 3,49% 3,20% 3,32% 3,31% Mediana Mar a Fev/13 Abr a Mar/13 Mai a Abr/13 Jun a Mai/13 Jul a Jun/13 Ago a Jul/13 Set a Ago/13 07% 6,61% 6,19% 6,13% 5,65% 5,67% 5,77% 5,63% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos
  • 132. 01/10/2013 24 12 mesesA Desigualdade Trabalhista Retoma Queda Acelerada Jan/13 THEIL-T 00% 1,77% -0,46% -0,55% 1,90% -1,90% -4,14% -5,00% GINI Fev/13 Mar/13 Abr/13 Mai/13 Jun/13 Jul/13 Ago/13 00% 0,68% -0,34% -0,24% 0,21% -1,05% -1,80% -1,51% Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE *Renda Domiciliar Per Capita do Trabalho 15 a 65 Anos GINI 0,62 0,60 0,58 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 0,64 0,54 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0,56 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 A Desigualdade Continua em Queda? Indicador de desigualdade, Março de 1992 a Julho de 2012 ,6371400 ,5466700 ,5571800
  • 133. 01/10/2013 25 Theil-T 0,84 0,74 0,69 93 94 95 98 99 00 01 2012 (jul.) 1992 (Mar.) 0,89 0,54 96 97 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 0,59 0,79 0,64 Fonte: Ipea, a partir dos microdados das Pnads 1992, 2002, 2011 e 2012 A Desigualdade Continua em Queda? Indicador de desigualdade, Março de 1992 a Julho de 2012 ,867400 ,7539100 ,6156300 ,5842300 13,1% 4,06% Outras Rendas Fonte: Registros Administrativos MDS e MPS As fontes de renda domiciliar per capita cresceram: Renda do Bolsa Família Agosto Renda per capita de Previdência Julho Entre 2012 e 2013
  • 134. 01/10/2013 26 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Resultado Categoria Ano MODELO SEM INTERACAO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 2010 2002 2013 -9,73% -8,03% -3,55% 1,27% 6,18% 10,00% 12,43% 19,67% 23,48% 29,10% 31,21% 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Resultado Categoria Ano MODELO COM INTERACAO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 2010 2002 2013 7,65% -7,64% -1,56% 5,61% 12,47% 18,06% 21,40% 28,42% 35,85% 43,67% 48,50%
  • 135. 01/10/2013 27 0,0% Fonte: Ipea a partir dos microdados da PME 2002 a 2013 Agosto. Evolução da Renda Per Capita MODELO COM INTERACAO Dummy Interativa Ano 11 Anos ou + de Estudo 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2011 20122009 20102002 2013 -4,47% -3,34% -6,51% -10,24% -13,52% -16,72% -19,24% -19,75% -25,03% -28,67% -32,44% Para entender as tendências recentes PNAD 2012 Marcelo Neri

×