USP Network on Bioenergy Research
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

USP Network on Bioenergy Research

on

  • 567 views

Presentation of Antonio Roque Dechen for the "Workshop Virtual Sugarcane Biorefinery"...

Presentation of Antonio Roque Dechen for the "Workshop Virtual Sugarcane Biorefinery"

Apresentação de Antonio Roque Dechen realizada no "Workshop Virtual Sugarcane Biorefinery "

Date / Data : Aug 13 - 14th 2009/
13 e 14 de agosto de 2009
Place / Local: ABTLus, Campinas, Brazil
Event Website / Website do evento: http://www.bioetanol.org.br/workshop4

Statistics

Views

Total Views
567
Views on SlideShare
567
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    USP Network on Bioenergy Research USP Network on Bioenergy Research Presentation Transcript

    • USP Network on Bioenergy Research Antonio Roque Dechen General Co-ordinator ESALQ Igor Polikarpov Vice-Co-ordinator IFSC Campinas , 2009
    • INFRASTRUCTURE 7 Campi - 18 units (Faculties, Institutes and Ribeirão Preto Centers) São Carlos Pirassununga Piracicaba Lorena ICBR Main Campu EastICBR – International Center s Campus For Bioenergy Research 179 Researchers
    • Mission stimulate and articulate the research on bioenergy between the University and the private sector promote the advance of state of the art research on bioenergy in Brazil and establishing international collaborations through the ICBR tranfer of technology on bioenergy to low latitude countries in Latin America, Africa and Asia through the ICBR stimulate the formation of new scientists on bioenergy research in Brazil and from other countries through the ICBR
    • Objectives Development of scientific and technological research; Establishment of Environmental and economical zones; Logistics of the biofuel supply; Quality certification and standardization of biofuels, and electricity cogeneration.
    • Areas of Research Improvement of Biomass production for Bioenergy; Development of new process for biofuel production; Certification of quality for biofuels production; Innovation on biofuels use on engines (cars, jets, ships, etc); Development of research on Biorefinary and Alcoholchemistry; Studies on social, economic and environmental impacts on bioenergy production from biomass.
    • Sources of Funding Government of the State of São Paulo University of São Paulo FAPESP (Research Council of the State of São Paulo) Ministry of Science and Tecnology BNDES and FINEP Private Sector (National and International) International Partners (NSF, EU, JICA, UN, World Bank, etc)
    • Location of the ICBRICBR We are here
    • Core-facilities: Biomass – São Paulo Pirassununga Lorena USP-Lese Center for Systems Biology and Sintetic Biology Piracicaba São Carlos Ribeirão Preto
    • Core-facilities: Biomass - Piracicaba Biopolímeros BiorefinariaPós-graduação Fermentação Planta- Piloto Hidrólise e Fermentação Laboratório Processos Operacional e Certificação Planta-Piloto Biodiesel Biocombustíveis Biomassa Propriedade Sustentabilidade intelectual e regulamentação
    • Core-facilities: Biomass - Piracicaba PlantBreeding Functional Genomics BIOCEMA ProteomicsMetabolomics
    • Core-facilities: Processing Produção de coquetéis Processos Análise e enzimáticos industriais epré-tratamento avançados scale-up da biomassa Planta Piloto da Desenvolvimento de Processos Tecnológicos para Produção de Energias Renováveis Estudos Hidrólise, Fungos e enzimasambientais e fermentação e a partir da biomassauso racional Etanol a partir do caldo Bioetanol a partir destilação de energia da cana de açúcar de bagaço/biomassa Biodiesel, H2 e comp. químicos à partir de resíduos Alcoolquímica/Energia eólica, Produção de H2, fotovoltáica, Microalgas, ácidos e outroshidroelétrica, etc fotobioreatores e compostos biodiesel químicos Impactos sociais, Transferência de tecnologiaeconômicos e ambientais e setor produtivo póloTErRA
    • Core-facilities: Biorefinaries• ethanol and biomass residues as raw materials;• saccharification and fermentation processes;• Polymers, fibers, resines, pesticides etc
    • Core-facilities: Engines• Emissions• Dinamometry• Durability
    • Core-facilities: social and environmenal impacts and land use1. Public policies for land use and landscape change,2. Risk analysis of alternative land use,3. GHG4. Product and production chain sustainability5. Social and environmental certification for products6. nad processes;7. Market analyses (domestic and external);8. Impact evaluations.
    • Core-facilities: Impactos sócio-econômicos, ambientais, e uso da terra1. uso do solo sob o ponto de vista das políticas públicas, econômicas e sociais,2. análise de risco e retorno das alternativas de uso da terra3. gases de efeito estufa (GEE)4. sustentabilidade dos produtos e da cadeia produtiva5. certificação social e ambiental dos produtos e processos;6. análise do mercado interno e externo;7. avaliação de impactos e das inovações tecnológicas.
    • Cursos de graduação1. Nova área de concentração em Agroenergia para curso de Agronomia da ESALQ;2. Engenharia da Energia com ênfase em Desenvolvimento Sustentável – Campus São Carlos;3. Biotecnologia – Campus Ribeirão Preto;4. Tecnologia de Produtos e Equipamentos de Saúde – Campus Ribeirão Preto;5. Tecnologia para Fontes Renováveis de Energia – Campus Ribeirão Preto.
    • Cursos de pós-graduação1. curso de Pós-graduação integrado da USP que desenvolverá atividades no nível de Pós-graduação através de vários programas da USP;2. Engenharia de Energia com áreas de concentração em Biomassa e Bioenergia, Energias Renováveis, Tecnologia aplicada, Sustentabilidade.
    • Os dez maiores problemas para ahumanidade nos próximos 50 anos AGRICULTURA Energia Educação Água Democracia Alimentos População Meio ambiente Doenças Pobreza Terrorismo & guerra Fonte: Alan MacDiarmid, em São Carlos, SP, abril de 2005
    • ÁREA PLANTADA, PRODUÇÃO DE GRÃOS E CONSUMO DE FERTILIZANTES Produção de grãos (milhões t) 146 Consumo de Fertilizantes (milhões t) Área Plantada com Grãos (milhões ha) Produção 117,0 123,2 112,5 + 113% 100 22,8 21,0 22 81,1 78,4 82,468 19,1 Fertillizantes 16 14,7 + 140% 11,9 12,2 9 47,6 47,6 43,9 47 38,5 35 36,6 36,9 38 Área Plantada +32% 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008Fonte: IBGE/Anda DE PLANTAS NUTRIÇÃO MINERAL
    • PONTOS FORTES DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO1) Disponibilidade de terras2) Clima favorável3) Tecnologia para agricultura tropical4) Recursos humanos qualificados5) Capacidade de gestão6) Potencial de bioenergia7) Competitividade – custos de produção e qualidade
    • Ganhos ambientais • Seqüestro de carbono • Menor nível de emissão no consumo • Aquecimento global Renovabilidade • Ciclo curto de produção • Processo controlado pelo Homem Por que Aspectos econômicos • Novo componente de demandabiocombustíveis? • Impactos na balança comercial Aspectos sociais • Geração de postos de trabalho • Desconcentração da renda Aspectos políticos • Democracia
    • Produção e Importação de fertilizantes no Brasil (Participação da produção nacional e da importações na oferta total) Produção Importação Total NPK (%) Nitrogênio (%) 96% 1,0 1,0 0,8 533 0,8 68% 65% mil t 63% 0,6 533 0,6 1.578 5.789 mil t 1.451 mil t 35% mil t 37% mil t 0,4 32% 0,4 1.578 5.789 3.117 20 8461.451 0,2 mil 747 t mil t 0,2 mil t mil t mil tmil t mil t 4% 0,0 747 3.117 0,0 846 1983 mil t mil t 2006 1983 mil t 2006 100% Fósforo (%) 100% Potássio (%) 1,0 1,0 88% 1.045 727 0,8 mil t 0,8 mil t 3.036 59% mil t 0,6 0,6 1.045 1.847 41% 727 0,4 mil t mil t 0,4 mil t 1.303 424 3.036 0,2 mil t 0,2 mil t 12% t mil 0% 0% 0,0 0,0 1983 2006 1983 2006Fonte: MB Associados
    • Tecnologias• Os avanços da biotecnologia estão transformando os mercados e ampliando as oportunidades na agricultura e na bioindústria.• A nanotecnologia pode contribuir para o desenvolvimento de novas ferramentas para a biotecnologia. Rodrigues, 2007
    • No Século XX:• A segurança alimentar foi estratégica• Na Europa, Programa de Erradicação da Fome: 34% do PIB• Agricultura respondeu ao desafio Rodrigues, 2007
    • Brasil: uma potência agrícola SIM…..SE TIVERMOS • Legislação Adequada ? • Interação Público x Privado• Pesquisa focadas em Demanda Reais • Redes de Pesquisas • Recursos Financeiros • Mudanças de Postura
    • Brasil: uma potência agrícola SIM…..SE TIVERMOS AÇÕES EFETIVAS PARA O DESENVOLVIMENTOS DE PRODUTOS DE ALTO VALORAGREGADO, NAS COMODITES JÁ PRODUZIDAS COM EFICIÊNCIA
    • Brasil: uma potência agrícola SIM…..SE TIVERMOS • Legislação Adequada • Sustentabilidade AÇÕES EFETIVAS PARA O • Qualidade ? • Interação Público x Privado DESENVOLVIMENTOS DE• Pesquisa focadas em Demanda Reais PRODUTOS DE ALTO VALOR • Biodiversidade AGREGADO, de Pesquisas • Redes NAS COMODITES • Segurança alimentar JÁ PRODUZIDAS COM • Recursos Financeiros • Mudanças Climáticas EFICIÊNCIA • Mudanças de Postura (CARVALHO L. C., 2008)