Your SlideShare is downloading. ×
MARKETING DE PESQUISA DA LITERATURA TÉCNICO-CIENTÍFICA NA WEB PARA USUÁRIOS DO STBD DO CAMPUS DE ILHA SOLTEIRA - UNESP
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

MARKETING DE PESQUISA DA LITERATURA TÉCNICO-CIENTÍFICA NA WEB PARA USUÁRIOS DO STBD DO CAMPUS DE ILHA SOLTEIRA - UNESP

920
views

Published on

A Seção de Referencia, Atendimento ao Usuário e Documentação- STRAUD é que interage o usuário com os serviços e produtos oferecidos pela Biblioteca. A STRAUD é o local em que acontece o objetivo maior …

A Seção de Referencia, Atendimento ao Usuário e Documentação- STRAUD é que interage o usuário com os serviços e produtos oferecidos pela Biblioteca. A STRAUD é o local em que acontece o objetivo maior da biblioteca: propiciar a informação necessária ao usuário. Para superar as expectativas se faz necessário que haja um marketing continuo e, para que se tenha êxito é imprescindível a utilização de informações com qualidade.


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
920
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA URUBUPUNGÁ - AECU FACULDADES INTEGRADAS URUBUPUNGÁ – FIU CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL COM ÊNFASE EM MARKETING E RECURSOS HUMANOS Sandra Maria Clemente de SouzaMARKETING DE PESQUISA DA LITERATURA TÉCNICO-CIENTÍFICA NA WEB PARA USUÁRIOS DO STBD DO CAMPUS DE ILHA SOLTEIRA - UNESP Pereira Barreto-SP 2009
  • 2. ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA URUBUPUNGÁ - AECU FACULDADES INTEGRADAS URUBUPUNGÁ – FIU CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL COM ÊNFASE EM MARKETING E RECURSOS HUMANOS Sandra Maria Clemente de SouzaMARKETING DE PESQUISA DA LITERATURA TÉCNICO-CIENTÍFICA NA WEB PARA USUÁRIOS DO STBD DO CAMPUS DE ILHA SOLTEIRA - UNESP Monografia apresentada às Faculdades Integradas Urubupungá-FIU, como exigência parcial para obtenção de título de Especialista em “Gestão Empresarial com Ênfase em Marketing e Recursos Humanos”, sob orientação da Profª Msc. Leiry Máira Coelho Pires de Carvalho. Co-orientadoras: Suely de Brito Clemente Soares - Cibertecária Alessandra Karyne C. de S. Neves - Bibliotecária Pereira Barreto-SP 2009
  • 3. SANDRA MARIA CLEMENTE DE SOUZA MARKETING DE PESQUISA DA LITERATURA TÉCNICO-CIENTÍFICA NA WEB PARA USUÁRIOS DO STBD DO CAMPUS DE ILHA SOLTEIRA - UNESP Monografia apresentada às Faculdades Integradas Urubupungá-FIU, como exigênciaparcial para obtenção de título de Especialista em Gestão Empresarial com Ênfase em Marketinge Recursos Humanos, sob orientação da Profª Msc. Leiry Máira Coelho Pires de Carvalho. Aprovada com conceito: _______(___________________) Pereira Barreto, _________de _______________________de 200____. _________________________ Examinador
  • 4. DEDICATÓRIA Aos Profissionais da Informação da minha Família e Familiares Suely UNESP/IB Aposentada em 2009 Cibertecária Sandra Ligiana Sulamita Selma UNESP/FE USP/ESALQ UNESP/Rubião UNESP/FE USP/Esalq UNESP /Rubião Alessandra GabrielAnhanguera Educacional UNOPAR Virtual Londrina Fabio Sulamita Valente UNESP/Dracena SESC/Maringá UNESP/Dracena Maringá "Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará" (Salmos 37:5). Cuide de seus pensamentos; eles se transformarão em palavras. Cuide de suas Priscila palavras; elas poderão se transformar em ações. Cuide de suas ações; elas poderão criar hábitos. Cuide de seus hábitos; eles mostrarão o seu caráter. Cuide de seu caráter; ele guiará você a seu destino.” AGRADECIMENTO
  • 5. A Deus, expressão maior de Amor, meu Criador... Salvador.... Orientador.... ELEque ocupa o Centro e Controle da minha vida Ao meu esposo José de Souza companheiro e incentivador, meus filhos SandroRoberto e Alessandra Karyne bênçãos de Deus, ao meu Genro João Luis e Nora TaisaCristina que chegaram para somar minha família e aos frutos benditos dessa árvoregenealógica minhas netas Maria Beatriz e Sophia. Aos meus pais José Clemente eMaria Ligia que não mediram esforços para minha educação formal. A minha mãe,minha anciã, a quem hoje dedico meus cuidados de filha pelo muitos desgastes queteve ao me criar...educar...ensinar..... As minhas colegas de trabalho Marta, Mariza, Neide pelo incentivo e colaboraçãopara que eu desenvolvesse esse trabalho. A Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho”-UNESP pelaconcessão da bolsa de complemento educacional. Assim como para nós, nossos filhos e netos são a nossa glória, porque temos prazer de estar com eles, nos alegramos em ver seu crescimento, são frutos do nosso amor é Deus para conosco, suas bênçãos são infinitas porque para ELE nós somos fruto de seu único e verdadeiro amor, somos a sua Glória. RESUMO
  • 6. A Seção de Referencia, Atendimento ao Usuário e Documentação- STRAUD é queinterage o usuário com os serviços e produtos oferecidos pela Biblioteca. A STRAUD éo local em que acontece o objetivo maior da biblioteca: propiciar a informaçãonecessária ao usuário. Para superar as expectativas se faz necessário que haja ummarketing continuo e, para que se tenha êxito é imprescindível a utilização deinformações com qualidade.Hoje com a velocidade do avanço tecnológico há necessidade também de umacontinua divulgação de tudo que está à disposição aos usuários para seu estudo,pesquisa e extensão. Além da capacitação na busca da informação, o usuário devetambém aprender a localizar, selecionar e utilizar as ferramentas mais adequada paraque tenham sucesso em suas busca, que é o entendimento de tecnologia e motores debusca e, pesquisas que constitui a ciência de biblioteca, no sentido de que agimosconforme o entendimento de como a informação é organizada.Enfatizando a pesquisa acadêmica na web, podemos afirmar que, por mais quesaibamos, sempre haverá alguma novidade a ser aprendida. As inovações nesta áreaacontecem sistematicamente e em curtos intervalos de tempo. Por isso, ousamosafirmar que, independentemente do nível de conhecimento sobre este tema, haverásempre a necessidade de capacitação continuada.Palavras–Chave – Pesquisa acadêmica, Base de Dados Cientificas.
  • 7. ABSTRACTThe Reference Section, Customer and User Documentation-STRAUD is that the Userinteracts with the services and products offered by the Library.The STRAUD is where that happens the greater goal of the library: providing thenecessary information to the User. To exceed the expectations it is necessary that thereis a continuous and marketing, in order to have success is essential to use qualityinformation.Today with the speed of technological advancement is also a need continues disclosureof all that is available to users for their study, research and extension. In addition totraining in search of information, the User must also learn to locate, select and use themost appropriate tools to be successful in their search, which is the understanding oftechnology and search engines and research that is science library in the sense that weact as the understanding of how information is organized.Emphasizing academic research on the web, we can say that as we know, there isalways something new to be learned. Innovations in this area occur systematically andin a short period of time. Therefore, we dare say that, regardless of the level ofknowledge on this subject, there will always be a need for ongoing training.Keywords – Academic research; Scientific Database
  • 8. LISTA DE FIGURASFIGURA 1 Perfil de busca..................................................................................19FIGURA 2 Estatégia de busca............................................................................21FIGURA 3 Como pesquisar................................................................................22FIGURA 4 Exemplo do uso de operadores e truncagens..................................23FIGURA 5 Straud 2002 – Operadores booleanos..............................................23FIGURA 6 Busca avançada no google acadêmico............................................24FIGURA 7 Web of science..................................................................................27FIGURA 8 Scirus................................................................................................28FIGURA 9 Periódicos e bases de dados - Unesp..............................................30FIGURA 10 Foto Unesp FE................................................................................34FIGURA 11 Planta da biblioteca Unesp FE........................................................36
  • 9. SUMÁRIOINTRODUÇÃO..............................................................................................................11CAPITULO I - ESTRUTURA DO TRABALHO.........................................................12CAPITULO II - OBJETIVOS........................................................................................132.1 Objetivo Geral.........................................................................................................132.2 Objetivos Específicos............................................................................................13CAPITULO III - REFERENCIALTEÓRICO...............................................................163.1 Internet Ferramenta Indispensável na Busca....................................................163.2 Considerações Gerais Acerca da Web...............................................................163.3 Análise da Principal Referencia Bibliográfica....................................................183.3.1 Perfil de Interesse...............................................................................................183.3.2 Recuperação do Documento em Bases de Dados.......................................203.3.3 Ferramentas de Busca.......................................................................................223.4 Base de Dados.......................................................................................................253.4.1 Buscadores..........................................................................................................263.4.2 Metabuscadores..................................................................................................263.4.3 Bases de Dados Referenciais e Bases de Dados de Fontes......................293.4.4 Periódicos e Bases de Dados Rede Unesp...................................................30
  • 10. CAPITULO IV - BREVE HISTÓRICO.......................................................................324.1 Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho................................324.2 Coordenadoria da Rede de Bibliotecas da Unesp............................................324.2.1 Atribuições da Rede de Biblioteca da Unesp ................................................334.3 Serviço Técnico de Bibliotec e Documentação da FE.....................................36CAPITULO V - METODOLOGIA...............................................................................38CONCLUSÃO................................................................................................................39REFERENCIAS ............................................................................................................41ANEXOS.........................................................................................................................43ANEXOS 1 Semana Nacional do Livro e da Biblioteca..........................................44ANEXOS 2 Roteiro Básico para pesquisa................................................................46ANEXOS 3 Folder Pesquisa Academica na Web...................................................48ANEXOS 4 Artigo de Jornal Biblioteca Híbrida........................................................51ANEXOS 5 Formulários de Coleta de Opinião........................................................55
  • 11. 11INTRODUÇÃO O Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação/STBD da unidade deinformação UNESP/FE possui uma moderna infra-estrutura que visa a melhoria eeficácia do atendimento dos serviços prestados e/ou executados pelos seus clientesinternos e externos. No entanto, a constante somatória de novas bases de dados “on-line” referenciais e textuais, com suas variadas formas e estratégias nos buscadoresque exigem novas modalidades de treinamento dos usuários e dos bibliotecários, paraque os mesmos possam obter satisfação em seus estudos e pesquisas. Como a visão de uma Bibliotecária de Referência, Atendimento ao Usuário eDocumentação da Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, UNESP/FE,se vê a necessidade do Marketing/Disseminação da informação, para que hajaaproveitamento de todos os recursos disponíveis nas Bases de dados acessíveis pelaUniversidade/Consórcio - CRUESP como nas Bases Gratuitas. A hipótese da pesquisa desse trabalho baseia-se na percepção dasnecessidades informacionais demandadas por estudos e pesquisas dos usuários doServiço de Biblioteca e Documentação no Campus de Ilha Solteira pela experiênciaadquirida no atendimento dando orientação nos Levantamentos Bibliográficos nasBases de Dados/Web aos usuários, em seus trabalhos acadêmicos, considerando oaumento constante de novas informações na busca e pesquisa.
  • 12. 12CAPITULO I - Estrutura do Trabalho A primeira parte do trabalho apresenta, o conceito do estudo, os objetivos aserem alcançados e a contribuição da pesquisa para o desenvolvimento do Marketingde pesquisa da literatura técnico-científica na web para usuários do Serviço Técnico deBiblioteca e Documentação - STBD do campus de Ilha Solteira – UNESP. A segunda parte trata do referencial teórico e tem o propósito de compor umquadro de referências conceituais para análise, comparações e interpretações dos"campos" estudados. O trabalho tem como prioridade o ponto de referencia em seu desenvolvimento oCurso virtual oferecido pela FEBAB, sob a responsabilidade da Professora CibertecáriaSuely Clemente Soares (SOARES, 2009). O referencial teórico finaliza com os conceitos de bases de dados "on-line"referenciais e textuais, objeto do estudo realizado.
  • 13. 13CAPITULO II - OBJETIVOS2.1 Objetivo geral Disseminar o potencial disponível de literatura acadêmica na web para usuáriosda Biblioteca UNESP/FE através de entrevista e distribuição de folder.2.2 Objetivos específicos a) identificar o grau de conhecimento “atual” das bases de dados na web que a biblioteca disponibiliza junto ao seus usuários: Segundo Souza (2000) em seu Trabalho de Conclusão de Curso na UniversidadeEstadual de Londrina/UEL, chegou a seguinte conclusão do uso das Bases de Dadosna UNESP/FE no ano de 2000: Os resultados obtidos permitem destacar as seguintes conclusões: a) o conhecimento por parte dos sujeitos sobres as bases de dados que a unidade de informação FEIS/UNESP disponibiliza está entre razoável e suficiente; b) identificou-se o predomínio de conhecimento sobre as bases de dados "on-line" textuais de caráter geral; c) a não utilização das bases de dados "on-line" especializadas deve-se ao desconhecimento pelos usuários de sua existência; ao tipo de treinamento oferecido pela FEIS/UNESP, onde percebeu-se que o "vício" leva bibliotecário e os auxiliares do STRAUD a demonstrarem aos clientes externos sempre a base mais antiga, implantada na FEIS/UNESP; d) dificuldades como a existência de várias interfaces de busca para o acesso às bases de dados, tempo de busca, campos disponíveis para recuperação e a não-familiarização com o vocabulário especializado da área; e e) cultura de usar a informação em papel. Para melhor eficiência e eficácia do Programa de Qualidade da FEIS/UNESP, sugere-se níveis diferenciados de orientação, de acordo com a necessidade de
  • 14. 14 informação de cada usuário e avaliação constante após os treinamentos. Além da capacitação na busca da informação, o usuário deve também aprender a localizar, selecionar e utilizar a ferramenta mais adequada para que tenha sucesso em sua busca. Recomenda-se um treinamento nas bases de dados "on-line" da unidade de informação da FEIS/UNESP para os profissionais bibliotecário e/ou auxiliares da Seção Técnica de Referência Atendimento ao Usuário e Documentação”. b) verificar se os treinamentos e a disseminação disponibilizado pelo STBD nas bases de dados/web nos últimos anos (2000-2009) tem interferido positivamente nas buscas e pesquisas, levando o usuário a extrair o máximo possível desses recursos.Segundo Soares (2009) pesquisar literatura técnico-científica na web é uma prática que está sendo paulatinamente incorporada à nossa cultura. Efetuar pesquisas acadêmicas na web, tal como fazemos hoje, é uma possibilidade que chegou até nós, brasileiros, há pouco mais de uma década. Este aprendizado não fez parte, portanto, da vida escolar da geração adulta de hoje, que necessita, sem dúvida alguma, deste conhecimento. Saber COMO e ONDE recuperar todo tipo de literatura acadêmica na web é imprescindível, atualmente, tanto para graduandos, pós-graduandos, pesquisadores como para bibliotecários. Fomos condicionados, nós que somos ocidentais, durante toda nossa vida, à leitura linear, ou seja, a lermos (e escrevermos) da esquerda para a direita, de cima para baixo e linha por linha. Os textos lineares sempre têm começo, meio e fim. Na web, a leitura é hipertextual e tem sido acrescida, cada vez mais, de recursos hipermídia. Há mudanças radicais, portanto, nos processos de escrita e leitura para a web . c) disseminar o potencial disponível de literatura acadêmica na web para usuários da Biblioteca UNESP/FE através de entrevista e distribuição de folder aos entrevistados e, d) levantar, junto aos usuários, sugestões para melhoria do serviço de acesso às bases de dados "on-line”.
  • 15. 15 A evolução e/ou revolução tecnológica tem exigido do ser humano, nos últimosanos, uma constante busca pelo conhecimento, que tem fortalecido o capital humanocomo principal ativo econômico e constituindo a sociedade do conhecimento, que temcomo base o indivíduo autônomo, pensante, reflexivo e pró-ativo. Com todo esseconhecimento tecnológico observou-se através de levantamento junto aos usuários daUNESP/FE o baixo conhecimento da existência das Bases de Pesquisa Cientifica naWeb, e com sugestões dos próprios usuários, chegando a conclusão da grandenecessidade e constante disseminação da informação dos recursos oferecidos atravésda Biblioteca. Aproveitando o evento em Outubro quando se comemora a SemanaNacional do Livro e da Biblioteca (instituída pelo Decreto n. 84.631 de 09 de abril de1980, com início em 23 de outubro e término em 29 do mesmo mês, sendo a últimadata consagrada ao Dia Nacional do Livro, pela Lei 5.191de 18 de dezembro de 1980)(anexo 1). Foi realizado o marketing/disseminação da Pesquisa Acadêmica na web: naabertura do livro de presença a dando ênfase a Biblioteca hibrida(anexo 2); colocado adisposição Folder sobre Pesquisa Acadêmica na web; Treinamento nas Bases deDados; Cartaz indicando um site com Roteiro Básico para Pesquisa (anexo 3);divulgação de um artigo no Jornal Regional (Anexos 4).
  • 16. 16CAPITULO III - REFERENCIAL TEÓRICO3.1 Internet Ferramenta Indispensável na Busca A Internet, recurso revolucionário no mundo globalizado de hoje, é umaferramenta indispensável na busca da informação destinada à pesquisa, seja para finsacadêmicos, científicos, práticos, individuais, comerciais, políticos ou outros. Aonipresença da informação, viabilizada tanto pela mídia convencional como pelainternet, constitui, como se sabe, uma das grandes características do mundoglobalizado atualmente. O mundo tornou-se pequeno, na medida em que fatosocorridos em qualquer ponto do planeta são imediatamente registrados e transmitidospor todos os meios. No caso da Internet, essa infovia que rompeu limite e que, além domais, interage com as pessoas via consulta, (perguntas, grupos de discussão, bate-papo) novos paradigmas foram introduzidos dentro do paradigma maior da informação:1) ubiquidade (numa só tarde pode-se estar no Piaui e no Havaí pela rede; 2)sincronicidade (noticias e diálogos em tempo real). Na atualidade não há praticamentenenhum tipo de pesquisa que prescinda da internet, seja para simples obtenção dedados pontuais, seja no estagio inicial do levantamento bibliográfica, da exploração doassunto em pauta, da troca de ideais com grupos a fins e assim por diante.(BAPTISTA, 2007).3.2 Considerações gerais acerca da web Segundo Moura (2007) a primeira vez que se faz, ou tenta fazer, uma pesquisana web é, quase sempre, uma experiência frustrante. O neófito já ouviu falar por aí quena Internet existe de tudo, inclusive informações valiosas sobre o tema que lhe despertaa vontade de navegar pela rede. Aí o nosso neófito se prepara em frente ao monitor, faz
  • 17. 17a conexão, vê o Netscape ou o Internet Explorer ali na telinha do computador e aprimeira indagação que vem a mente é: E agora? Como começar? E o resulta énaufragar em uma ilha de dados, na verdade, nem sabe como procurar. E a razãodessa frustração é muito simples. A web é a entidade mais desorganizada e caótica doplaneta. As normas e leis que vigem na web se resumem a padrões de linguagem, deprotocolos de comunicação, de registro de domínios. Coisas meramente técnicas. Parase encontrar a informação que deseja se faz necessário que além da página queaborda o assunto deve ter também um tratamento técnico de catalogação por umaentidade chamada sistema de busca. Ou então que o autor da página tenhadisponibilizado o endereço da URL - Uniform Resource Locator. Todo esse cenário de dados/informação em uma rede informatizada pode sercomprada a uma procura de alguma coisa numa imensa livraria totalmentedesorganizada, caótica e sem vendedores a quem pedir alguma informação. A web éuma imensa base de dados, uma formidável coleção de textos, livros, artigos, revistas,jornais, e-zines, catálogos de produtos e de serviços, músicas, sons, imagens,fotografias, programas de computador, vídeos, filmes, peças publicitárias. Tudo issoestá ao alcance, desde que se saiba como encontrar o que realmente interessautilizando os sistemas de busca. Para começar a entender o que é um sistema de busca, é necessário deixarclaro as diferenças entre Busca e Pesquisa em rede, pois a informática casou-se com acomunicação para criar esse conceito. • Busca (search), é o entendimento de tecnologia e motores de busca. • Pesquisa (research), constitui a ciência de biblioteca, no sentido de que agimos conforme o entendimento de como a informação é organizada (NOVAK, 2006 apud BAPTSTA, 2007). Seguindo esse raciocínio, essa pesquisa mostrará quais são os caminhos para umapesquisa acadêmica sem naufragar.
  • 18. 183.3 Análise da Principal Referência Bibliográfica O trabalho, aborda a Pesquisas Acadêmicas na Web -PAW que segundoSoares(2009). Pela influência que a web exerceu no processo de leitura e apesar detodas as facilidades das ferramentas de busca que possui, se não tiver umconhecimento razoável sobre “o quê”, "como" e "onde" pesquisar, pode-se naufragar,ao invés de navegar, na web. Em se tratando de "pesquisa acadêmica na web", aindahá outros três fatores complicadores, além das mudanças no processo de leitura: • a elaboração de um perfil de interesse do pesquisador, isto é, ter por escrito a estratégia de busca com todas as palavras-chave e seus cruzamentos, em pelo menos duas línguas; • a maneira de se "perguntar" aos sistemas de busca, para que as respostas, os resultados, sejam mais precisos; • a grande diversidade de fontes, de acesso gratuito ou não, que estão disponíveis em diferentes interfaces de busca, em constantes mudanças, e que recuperam produtos em diferentes formatos”.3.3.1 Perfil de Interesse Pode-se chamar de PERFIL DE INTERESSE a somatória de alguns elementosque poderão ajudar a ter sempre bem claro, O QUÊ realmente precisa pesquisar, antesde começar qualquer pesquisa na web. É importante elaborar um roteiro de pesquisa,um guia, para que ela seja a melhor possível, feita em menor tempo e com os melhoresresultados, como mostra a figura abaixo. Definido o perfil de interesse, deve-se buscar o dado e/ou informação desejada,para obter o conhecimento através do documento recuperado.
  • 19. 19 Figura 1: Perfil de Busca ( SOARES, 2009) O formato do documento que precisa recuperar, em cada etapa de umapesquisa, depende do interesse da pesquisa em questão, ou seja, se o pesquisar estáprecisando de um dado ou de uma informação. Se faz necessário saber identificarqual(is) o(s) tipo(s) de documento(s) que contém a(s) informação(ções) desejada(s). Para tanto é necessário diferenciar um dado e uma informação: • DADO: de maneira bem simples, poderíamos conceituar "dado" como uma informação que está solta, única, isolada, bruta, não trabalhada, sem nenhum valor agregado a ela. • INFORMAÇÃO: poderíamos definir "informação" como o produto resultante da análise de uma somatória de dados, elaborada para determinada(s) finalidade(s), isto é, a informação normalmente é acrescida de um valor agregado. A informação é, portanto, a formatação de diversos dados para um determinado fim. Tão importante quanto saber O QUÊ precisa pesquisar é saber COMO, qual é amelhor maneira de se fazer isso! Para isso usa-se uma ferramenta chamada estratégiade busca.
  • 20. 20 • Estratégia de busca, ou seja, o que deve digitar na caixa de busca em um site? Para que a estratégia de busca seja a melhor possível, precisa-se aprender também como usar corretamente os recursos de operadores booleanos e truncagem. Há situações, porém, em que não usa nenhum destes dois recursos, porque alguns sites têm ferramentas próprias de busca, e por vezes, completamente diferentes umas das outras. A melhor definição para a ferramenta estratégia de busca é navegar semnaufragar.3.3.2 Recuperação do Documento em Bases de dados A pesquisa em bases de dados eletrônicas, especialmente nas que estãodisponíveis on-line, facilitam em muito a pesquisa acadêmica. No entanto, as diferentes interfaces de busca utilizadas por estas bases dedados e as constantes mudanças que todas elas, sem exceção,implementam, exigem do usuário um planejamento adequado da estratégia de buscaque adotará. No âmbito da recuperação da informação, a estratégia de busca pode serdefinida como uma técnica ou conjunto de regras para tornar possível o encontro entreuma pergunta formulada e a informação armazenada em uma base de dados. Istosignifica que, a partir de um arquivo, um conjunto de itens que constituem a resposta deuma determinada pergunta será selecionado. A estratégia de busca é a pergunta quese formula, com a somatória de suas palavras-chave, previamente definidas, arranjadasem determinada ordem.
  • 21. 21 Depois, à medida que avança na recuperação dos resultados deverá prosseguira pesquisa adequando a estratégia de busca, incluindo novas palavras e/ou novascombinações para as quais não havia atinado preliminarmente, como pode ser visto nafigura 2. Figura 2 Estratégia de busca (SOARES, 2009) Algumas bases de dados para uma estratégia de busca com eficiência exigem autilização de ferramentas como operadores booleanos e truncagem, figura 3.
  • 22. 223.3.3 Ferramenta de busca Figura 3 Como pesquisar (SOARES, 2009) Mas é imprescindível o uso correto dos operadores booleanos e truncagem naspesquisas informatizadas para que se obtenha um resultado o mais próximo possíveldo esperado. Em cada site de pesquisa deverá haver um link de AJUDA, ondenormalmente estão descritas as instruções para uso dos operadores específicosdaquele site. Há diferenças na grafia dos sinais e/ou palavras que representam cadaum dos operadores, mas o CONCEITO é sempre o mesmo. Quanto ao uso de aspas duplas, que equivale a busca exata destas mesmaspalavras nesta mesma ordem - (Parêntesis) não equivale a "aspas duplas".Dependendo do sistema adotado pelo buscador ou da caixa de busca onde seráexecutada, deve-se colocar palavras-chave compostas por 2 ou mais palavras entre"aspas duplas" para que o sistema não recupere as palavras individualmente, o quedaria outro sentido ao resultado, completamente diferente do que de fato queriapesquisar. Para simplificar segue um exemplo com o termo EDUCAÇÃO FÍSICA: ”Educação física" recupera resultados diferentes de (educação física)ou simplesmente educação física, sem parêntesis. Perguntar desta forma poderásomar com o operador AND educação com física (que não tem nada a ver com
  • 23. 23"educação física") daquela forma o sistema poderia entender que deve recuperarensino de física, ou seja, educação AND física é totalmente diferente de "educaçãofísica". Por isso é importante que se leia sempre as instruções de uso de quais sinais e/ou quais palavras o sistema adota. Poderá haver variação, até mesmo para aexplicação acima, caso o sistema adote algum outro método de busca. Portanto sempredeve buscar o íone AJUDA ou HELP de todas as bases.Uso dos operadores e truncagem, exemplos figura 4 abaixo: Figura 4 Exemplo do uso de operadores e truncagens (Soares, 2009)Figura 5 Straud 2002 "operadores booleanos”
  • 24. 24 Por outro lado tem-se também sites em que o sistema de busca não usaoperadores booleanos porque: o programa utilizado já insere automaticamente, entre aspalavras digitadas, um AND, restringindo resultados, ou a interface de busca utiliza umacaixa para cada opção (uma para AND outra para OR e outra para AND NOT ) ou aindaem uma mesma caixa de busca, a interface apresenta todas as opções, para que opesquisador assinale uma delas. O melhor exemplo de buscador que usa sistema debusca sem operadores é o Google acadêmico. Observe as caixas de busca disponíveisna PESQUISA AVANÇADA. Figura 6 Busca avançada no Google Acadêmico. Tão importante quanto saber O QUÊ precisa pesquisar e COMO deve procederem cada sistema de busca, é saber ONDE, em que tipo de site poderá encontrar o queprecisa.
  • 25. 25 Esse ONDE poderá começar, de fato, não na web, mas em uma bibliotecapresencial, física, que não é mais, na maioria das vezes, uma biblioteca tradicional. AsBibliotecas universitárias, de centros de pesquisa e outras instituições estão evoluidopara bibliotecas híbridas, pois disponibilizam, ao mesmo tempo, acervose serviços tanto presenciais como virtuais.3.4 Bases de Dados Para estudarmos o tópico ONDE PESQUISAR precisamos ter bem claro o queé uma BASE DE DADOS. Base de dados é um repositório, é um arquivo deinformações formatado, gerenciado por um sistema que nos permite encontrar, empoucos segundos, dentre "n" [inúmeras possibilidades], aquelas que mais seaproximam como resposta à pergunta que foi realizada na caixa de busca do sistemaadotado. As bases de dados podem ser construídas, alimentadas, por humanos ou porrobôs. Como saber a forma de alimentação que cada base de dados adota? Todas asbases de dados fornecem informações sobre como são alimentadas. Observe comatenção as telas dos sites, procure e leia o link de orientação sobre como a base éconstruída, alimentada.Exemplos: • o catálogo de uma biblioteca é alimentado por humanos, isto é, quando um livro chega, a bibliotecária cadastra e/ou importa seus metadados no sistema adotado para gerenciamento do seu acervo. • G o o g l e é alimentado por programas robôs que ficam procurando novos sites na web fazendo a coleta sistemática dos mesmos na sua base de dados. No entanto, também há ferramentas disponíveis no G o o g l e para cadastramento e/ou filtragem de sites por humanos. G o o g l e tem nos
  • 26. 26 surpreendido por lançar periodicamente novas ferramentas e melhorar as que já temos utilizado cotidianamente.3.4.1 Buscadores São os sites de busca que geram uma base de dados de homepages e nestabase de dados realizam a pesquisa. Os buscadores nos mostram, portanto, osresultados obtidos dos registros metadados que já tem armazenados. A base de dadosdos buscadores, em geral, é atualizada sistematicamente por robôs ou humanos. Osbuscadores que são alimentados por humanos chamam-se diretórios - índices -catálogos e oferecem um resultado mais confiável porque os dados armazenados nabase de dados já foram indexados de acordo com os sistemas de classificação deassuntos adotados. Há programas já desenvolvidos, e muitos em desenvolvimento,para que esta indexação, esta classificação seja feita de forma automática, e não porhumanos. Os exemplos citados acima, do catálogo de uma biblioteca e G o o g l e,servem como exemplos de buscador e de catálogo.3.4.2 Metabuscadores São os sites de busca que não geram uma base de dados própria. Osmetabuscadores realizam a pesquisa disparando simultaneamente a mesma perguntapara múltiplos buscadores. Estes buscadores permitem, abrem portas, para que osprogramas robôs metabuscadores acessem suas bases de dados e mostrem para osusuários os resultados junto com os de outros buscadores. Para que este sistemafuncione, o buscador tem que ter um dispositivo que compatibilize o seu programa, asua base de dados, com o programa utilizado pelo metabuscador. Um deles é oprotocolo Z39.50. Desta forma, o resultado que o usuário tem na tela é uma lista deresultados, de sites, de registros, onde poderá encontrar o que pesquisa, bastando
  • 27. 27clicar no link de cada um deles para acessar a informação que contém. Os metabuscadores, por não armazenarem registros em bases de dadospróprias e fornecerem links diretos às fontes de informação, apresentam resultadosmais atualizados e em maior número, por ser a soma de busca simultânea em váriosbuscadores. E quando deve-se usar um ou o outro? Em qualquer pesquisa ambos são igualmente úteis, mas para dadosatualizadíssimos, prefira efetuar a pesquisa utilizando um metabuscador porque osresultados mais recentes serão recuperados, o que poderá não acontecer se utilizar umbuscador. Para exemplificar, um artigo recente recuperado em uma base de dadosacadêmica qualquer, Web of Science, por exemplo, e ainda não está sendo recuperadapelo Google Acadêmico. Segue a figura abaixo. a) Web of Science Metabuscador Figura 7: Web of Science (2009)
  • 28. 28 b) Scirus Metabuscador O Scirus é um metabuscador acadêmico de livre acesso da Elsevier. Sciruspossibilita pesquisa em artigos de periódicos revisados pelos pares (peer-reviewed),livros, patentes, teses, dissertações e sites acadêmicos, como pode ser acessado emuniversidades e de pesquisadores. Scirus é mais antigo do que google acadêmico.Figura 8 Scirus (2009) As bases de dados estão sendo conceituadas e desenvolvidas há mais de 50anos. A evolução histórica das bases de dados é algo realmente impressionante,especialmente nesta última década. A marca da evolução neste período foi a rapidez,pois acompanhou a evolução das tecnologias de informação e comunicação. Nunca asbases de dados, e a própria pesquisa acadêmica, evoluíram tanto em tão pouco tempo.
  • 29. 293.4.3 Bases de Dados Referenciais e Bases de Dados de Fontes Segundo Murilo Bastos Cunha (1994) e Jennifer Rowley (1994), reconhecidasautoridades no assunto biblioteca eletrônica, citados por Albrecht e Ohira (2000) asbases de dados referenciais são as que remetem à fontes primárias e as bases dedados de fontes são as que contém os dados originais, os textos completos. Baseamo-nos então neste conceito: • remetem? são referenciais! contém? são de fontes. • Alguns diretórios e/ou sites com listas de bases de dados por assunto e/ou por tipo de documento: a) Portal Periódicos CAPES Estão incluídas aqui bases de dados assinadas pela CAPES e outras de acessogratuito na Internet. Procure no Portal CAPES os links para as fontes de informação deacesso aberto. Este portal é composto por sites selecionados, de nível acadêmico,mantidos por importantes instituições científicas e profissionais e por organismosgovernamentais e internacionais. b) Lista por área do conhecimento - UNESP - Tutoriais em vídeo c) Lista por área do conhecimento - USP [clique em Biblioteca Virtual depois em Bases de Dados] - Tutoriais - diversas bases [Veja especialmente Web of Science] d) LIS - Localizador de Informação em Saúde - BIREME e) Lista de bases de dados - Agrárias - ESALQ-USP f) Bases de dados da pesquisa agropecuária - EMBRAPA
  • 30. 30 g) Lista de bases de dados - INPE h) Selected Web Portals for Scientists i) Directorio de Bases de Datos Internacionales j) REBAE Rede de Bibliotecas da área de Engenharia e Arquiteturahttp://www.rebae.cnptia.embrapa.br/ k) Rebae: Elabora acordos de cooperação e adota normas comuns, visando melhorar a qualidade do atendimento aos usuários da área de Engenharia e implementar o uso de novas tecnologias, facilitando o acesso à informação e ao documento, no Brasil e exterior.3.4.4 Periódicos e Bases de Dados Rede Unesp Figura 9: Periódicos e bases de dados - Unesp
  • 31. 31Fonte (CGB/UNESP, 2009)
  • 32. 32CAPITULO IV - BREVE HISTÓRICO4.1 Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho" A UNESP, criada em 1976, resultou da incorporação dos Institutos Isolados deEnsino Superior do Estado de São Paulo, então unidades universitárias situadas emdiferentes pontos do interior paulista. Abrangendo diversas áreas do conhecimento, taisunidades haviam sido criadas, em sua maior parte, em fins dos anos 50 e inícios dosanos 60. A sede da Universidade estaria provisoriamente em Ilha Solteira, onde foi criadauma Faculdade de Engenharia, no local das antigas dependências da CESP. Deconformidade com seu Estatuto, aprovado em 1977, a UNESP era constituída por 14campi e sua sede ficaria em São Paulo, de acordo com as disposições transitórias,enquanto não houvesse em Ilha Solteira as condições necessárias para ofuncionamento da Reitoria. Durante toda a década de 1990 a UNESP ampliou seu raio de atuação,sobretudo na forma de aumento da oferta de vagas. Mas em 2003, atendendo anumerosas solicitações e de acordo com a política do governo estadual de promovermaior incremento do ensino superior público, a UNESP se expande em várias direçõescom a criação das então chamadas Unidades Diferenciadas, atualmente denominadasCampi Experimentais. (HISTÓRICO, 2009)4.2 Coordenadoria da Rede de Bibliotecas da UNESP A Rede de Bibliotecas é constituída pela Coordenadoria Geral de Bibliotecas(CGB), com escritório em São Paulo e Marília e 32 Bibliotecas das Unidades
  • 33. 33Universitária e Experimentais da Unesp, distribuídas em 23 cidades do Estado de SãoPaulo. A missão da Biblioteca é disponibilizar a informação, apoiando as atividades deensino, pesquisa e extensão, contribuindo para a melhoria das atividades acadêmicas,científicas, culturais, artísticas e administrativas da comunidade unespiana.4.2.1 Atribuições da Rede de Bibliotecas da Unesp: • Atender precipuamente aos objetivos das unidades de ensino e pesquisa a que pertençam; • Desenvolver e manter a coleção informacional que atendam às necessidades dos usuários, nas respectivas especialidades; • Disseminar a informação de forma a contribuir para a construção de conhecimento acadêmico, cientifico, cultural, artístico e administrativo no âmbito da unesp; • Capacitar os usuários, de forma a propiciar a competência informacional necessária para o acesso, uso e apropriação da informação; • Atuar cooperativamente entre as unidades que compõem a Rede de Bibliotecas, bem como com outras Bibliotecas e instituições no âmbito do estado e do pais. O acervo da Rede de Biblioteca da Unesp é composto, atualmente, por 829.648livros, 30.779 títulos de periódicos, com aproximadamente 1.537. 718 fascículos, 8.260vídeos, 9.620 partitura, 6.306 Cds musicais, 52.573 teses e dissertações e 47.982materiais diversos, totalizando registros 2.492.097 informacionais gerenciado pelasBibliotecas da Rede. (PLANO,2009).
  • 34. 34 Faculdade de Ilha Solteira Figura 10 Foto Unesp FE (UNESP, 2009) Criada em 1976, a Faculdade de Engenharia do Campus de Ilha Solteira é umadas unidades que integram a Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"(UNESP), tendo iniciadas suas atividades acadêmicas em 11 de abril de 1977.Além de oferecer ensino público gratuito e de qualidade, a Unesp tem se consagradocomo um polo de desenvolvimento regional, destacando-se pela excelência de suasatividades de pesquisas científicas e tecnológicas e pela prestação de serviços técnicosà comunidade. Dispõe ainda, de ampla e moderna Biblioteca totalmente informatizada eclimatizada, de Laboratórios Didáticos de Computação - LDC e Serviços Técnicos deInformática que integram serviços computacionais da rede local do Campus com aInternet. O Campus de Ilha Solteira vem desenvolvendo pesquisas nas áreas de ciênciasexatas e biológicas, possuindo vários projetos financiados pelas instituições defomento. O desenvolvimento das atividades de pesquisa contribuiu, em grande escala,para a fixação de pessoal qualificado na Unidade e, com esta fixação, tem ocorrido realcrescimento e fortalecimento da pesquisa na Unidade. Atualmente, o Campus de Ilha Solteira oferece oito cursos de graduação:Agronomia, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica e Zootecnia
  • 35. 35(diurnos) de Ciências Biológicas, Física e Matemática (licenciatura noturnos), os quaistem recebido posição de destaque nos mais diversos levantamentos realizados com afinalidade de identificar e divulgar os melhores cursos de graduação no país. Comintuito de utilizar recursos já disponíveis e possibilitar que um maior número deestudantes tenha acesso ao ensino público e de qualidade, são realizados, desde o ano2001, dois concursos vestibulares para o ingresso de estudantes. O que tem trazido umaumento considerável de alunos. Os cursos de pós-graduação oferecidos são: Agronomia (Mestrado e Doutoradona de área de concentração: Sistemas de Produção), Ciências dos Materiais (área deconcentração: Física da Matéria Condensada), Engenharia Civil (área de concentração:Estruturas e Engenharia de Recursos Hídricos), Engenharia Elétrica (Mestrado eDoutorado na área de concentração: Automação), Engenharia Mecânica (área deconcentração: Ciências Térmicas, Materiais e Processos de Fabricação e Mecânica dosSólidos). Todos os cursos são recomendados pela CAPES. O rápido crescimento qualitativo do corpo docente com dedicação integral àdocência e pesquisa e o crescimento quantitativo resultante da instalação efortalecimento dos cursos de pós-graduação, são fatores que tem determinado aelevação de demanda qualitativa e quantitativa no que se refere a serviços voltados àpesquisa. Ressalte-se também a elevação no número de Projetos de Iniciação Científica daUnidade, apoiados pelas agências de fomento o que demonstra que o fortalecimento dapesquisa tem contribuído não só para os docentes e alunos dos cursos de pós-graduação mas também para os alunos dos cursos de graduação.(UNESP, 2009)
  • 36. 364.3 Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação da FE.Figura 11 Planta da biblioteca UNESP FE (UNESP, 2009) Foi criado em 1977 como Seção de Biblioteca e Documentação e reestruturado apartir de 1993 como Serviço de Biblioteca e Documentação- STBD, com duas Seções:Seção de Aquisição e Tratamento da Informação- STATI e Seção de Referencia eAtendimento ao Usuário e Documentação- STRAUD. O STBD tem participadoativamente do desenvolvimento da Unidade, proporcionando suporte informacional àsatividades de ensino, extensão e, principalmente, pesquisa (UNESP, 2009).
  • 37. 37 Além da comunidade interna e das bibliotecas com as quais trabalha em rede ouconsórcio, a Biblioteca da FEIS atende vários usuários de outras instituições de ensinoe pesquisa da região, funcionando como um polo de informação, tendo em vista que,num raio de cerca de 200 km, não há outra biblioteca que possua o acervo e osrecursos disponíveis na mesma. Com o total de 14 funcionários divididos. • Seção Técnica de Aquisição e Tratamento da Informação- STATI: cuida da preparação dos materiais bibliográficos e da montagem dos bancos de dados; • Seção Técnica de Referência, Atendimento ao Usuário e Documentação- STRAUD: disponibiliza e acompanha/orienta o acesso à informação. A Biblioteca atende os usuários num período diário de 14 (quatorze) horas. Com o desenvolvimento de vários projetos integrantes do PROGRAMA DEQUALIDADE DA REDE DE BIBLIOTECAS DA UNESP (que propiciaram a melhoria daqualidade de acervos, serviços/produtos, treinamento de recursos humanos eadequação de infra-estrutura física) tiveram como conseqüência um aumento crescentena demanda por informação. A crescente demanda vem impelindo a Biblioteca à prestação de serviços deforma ágil, deixando, cada vez mais, de ser mero armazenador de livros para assumiruma configuração dinâmica e atuante, de vital importância para as atividadesdesenvolvidas na Universidade e para que a mesma cumpra seus objetivos. Para amanutenção e fortalecimento desta nova configuração, na qual as bibliotecas deixaramde trabalhar somente com “acervo” para trabalhar com “informação”, tem sidofundamentais as concessões da FAPESP, em projetos de infra-estrutura aprovadospara a Biblioteca, levando à resolução de vários problemas e à possibilidade deorganizar e disponibilizar acervos e informações de forma sempre mais adequada pararápido e fácil acesso pelo pesquisador.
  • 38. 38 .CAPITULO V - METODOLOGIA A pesquisa será desenvolvida sobre literatura técnico-científica na web parausuários do Serviço de Biblioteca e Documentação da Universidade Estadual Paulista“Júlio de Mesquita Filho”, UNESP, Campus de Ilha Solteira, tendo como foco autilização das Bases de Dados. Ela será qualitativa, pois analisará o conhecimento dosusuários nas Buscas e Pesquisas nas Bases de Dados do Consórcio/CRUESP. O trabalho divide-se em 2 atividades principais: • Revisão bibliográfica: a revisão bibliográfica está sendo realizada, principalmente, para melhor conhecer o sistema de busca e pesquisa em base dados e, como referencial Teórico maior está embasado no Curso à Distancia realizado de Maio à Junho de 2009 “ Pesquisa Acadêmica na WEB” ministrado pela Profa. Suely de Brito Clemente Soares, Mestre em Educação, Ciência e Tecnologiapela pela UNICAMP. Foi feito um levantamento bibliográfico nas principais revistas de Biblioteconomia e Ciência da Informação. Além disso, a revisão de literatura continuará a ser realizada até o término do trabalho e outros periódicos e sites serão pesquisados. • Análise da utilização das Bases: será utilizado formulário para análise da utilização das bases e o preenchimento será realizado através de entrevistas com os usuários. Por este questionário, deverão ser pontuados tanto o conhecimento como utilização das mesmas. Segue no anexos 5.
  • 39. 39CONCLUSÃO A evolução e/ou revolução tecnológica tem exigido do ser humano, nos últimosanos, uma constante busca pelo conhecimento, fortalecendo o capital humano comoprincipal ativo econômico e constituindo a sociedade do conhecimento, que tem comobase o indivíduo autônomo, pensante, reflexivo e pró-ativo. A biblioteca presencial hoje em dia já não resolve todos os problemas depesquisa. A biblioteca virtual, apesar de toda sua evolução, também não conseguiusubstituir completamente a presencial. O pesquisador precisa de ambas paradesenvolver suas pesquisas. Elas são complementares entre si. Complementares, nãoexcludentes. Por isso hoje temos bibliotecas híbridas, que são as bibliotecaspresenciais que prestam inúmeros serviços virtuais. Hoje temos, bibliotecas,bibliotecários e pesquisadores híbridos. O catálogo poderá ser on-line, mas o usuário terá que se deslocar até àbiblioteca presencial para consultar e/ou emprestar as publicações catalogadas. Casoalgumas publicações já estejam disponíveis em texto completo na web, os catálogostêm, em geral, nos seus metadados, os links que direcionam o leitor para os textoscompletos das obras - isto é, redireciona o leitor para uma biblioteca digital.
  • 40. 40 Chega-se a conclusão que além da orientação (formal e informal) normalmenteprestada aos usuários quanto aos recursos existentes e forma de utilizá-los e ostreinamentos para normalização técnica dos documentos (trabalhos, dissertações, tese,etc.) a Biblioteca deverá estruturar treinamentos para que os usuários estejam aptos aexplorar todos os recursos informacionais que estão sendo disponibilizados,principalmente, on-line. A implementação destes treinamentos visa fortalecer a divulgação das fontes deinformação já disponíveis e reforçar sempre que novas fontes forem adicionadas às jáexistentes. Os treinamentos serão propostos pela Biblioteca, de forma sistemática e,cada um deles será estruturado para atender aos interesses e necessidades de cadagrupo de pesquisadores. Com isto, o que se pretende é que haja uma intensadivulgação dos recursos informacionais disponibilizados, para que os pesquisadorestenham conhecimento de tudo que esta à disposição e possam utilizar ao máximo estesrecursos, que possibilitarão a contínua evolução da comunidade científica.
  • 41. 41REFERÊNCIASALBRECHT; OHIRA. Bases de dados: metodologia para seleção e coleta dedocumentos. Revista ACB, Santa Catarina, v.5, n.5, p.131-144, 2000. Disponível em:<http://revista.acbsc.org.br/index.php/racb/article/view/347/411>. Acesso em: 15jun.2009BAPTISTA, D.M. A utilização da internet como ferramenta indispensável na buscacontemporânea de informação: alguns aspectos relevantes. Informação & Informação,Londrina, v.12, n.1, p.1-10, 2007. Disponível em:<http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/1754>. Acesso em: 20maio 2009.COORDENADORIA GERAL DE BIBLIOTECAS. Documentos da rede: periódicos ebase de dados. São Paulo: CGB, 2009. <http://portal.biblioteca.unesp.br/portal/intranet/documentos.html>. Acesso em: 1 nov. 2009.HISTÓRICO da criação da Unesp. São Paulo: UNESP, 2009. Disponível em:< http://www.unesp.br/apresentacao/historico.php>. Acesso em: 11 ago. 2009.
  • 42. 42MOURA, G. A. C. Sistemas de busca na web: diretórios e mecanismos de busca. [S.l.:s.n.], 2001. Disponível em: <http://www.quatrocantos.com/tec_web/sist_busca/sb_sum.htm>.Acesso em: 15 mar. 2007.PLANO de desenvolvimento para a rede de bibliotecas da unesp (pdb) 2009-2012. SãoPaulo: CGB/UNESP, 2009. p.25. Disponível em: <http://unesp.br/cgb/mostra_arq_multi.php?arquivo=3>. Acesso em: 11 ago. 2009SOARES, S. B. C. Pesquisas acadêmicas na web. São Paulo: FEBAB, 2009.Disponível em: <http://www.cbcon.com.br/tecedu/servlet/Controller?cmd=abrirambienteeducacao&idCurso=24>. Acesso em: 25 abr. 2009.SOARES, S.B.C. (Org.) STRAUD 2002: tutoriais de acesso às bases de dados on-line,referências e outros recursos informacionais. São Paulo: Coordenadoria Geral deBibliotecas , UNESP, 2002. 1 CD-ROM. Apresentações em PowerPoint.SOUZA, A. K. C. Qualidade na rede de bibliotecas da Universidade EstadualPaulista: otimização do uso das bases de dados pelos usuários da biblioteca daFaculdade de Engenharia de Ilha Solteira. 2000. 75f. Trabalho de Conclusão de Curso(Graduação em Gerencia da Informação)-Faculdade de Biblioteconomia, UniversidadeEstadual de Londrina, Londrina, 2000.UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Faculdade de engenharia. Ilha Solteira:UNESP, 2009. Disponível Em: <http://www.feis.unesp.br/unidade/instituicao/apresentacao.php>.Acessado em: 23 out. 2009.UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Serviço técnico de biblioteca edocumentação. Ilha Solteira: UNESP, 2009. Disponível em:<http://www.feis.unesp.br/unidade/biblioteca/index.php>. Acessado em: 20 out. 2009.
  • 43. 43:
  • 44. 44
  • 45. 45 23 A 29 DE OUTUBRO .A Semana Nacional do Livro e da Biblioteca foi instituída pelo Decreto n. 84.631 de 09de abril de 1980, com início em 23 de outubro e término em 29 do mesmo mês, sendo a últimadata consagrada ao Dia Nacional do Livro, pela Lei 5.191de 18 de dezembro de 1980.A Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, instituída pelo Governo Federal, é um instrumentofomentador do Livro e da Leitura. A viabilização é de responsabilidade dos órgãos de classe deBiblioteconomia em parceria com órgãos públicos e privados como contribuição para ocrescimento de uma sociedade em estado de cidadania. Hoje: Bibliotecas Híbridas São Bibliotecas Presenciais que prestam inúmeros serviços Virtuais. Hoje temos Bibliotecas, Bibliotecários e Pesquisadores Híbridos
  • 46. 46
  • 47. 47 O QUÊ? ... pesquisar na web,ONDE? ... poderá estar a informação COMO? ... poderemos encontrá-la!
  • 48. 48 Roteiro básico para pesquisahttp://www.rc.unesp.br/biblioteca/arquivos/roteiro.swf
  • 49. 49
  • 50. 50
  • 51. 51
  • 52. 52
  • 53. 53 SEMANA NACIONAL DO LIVRO E DA BIBLIOTECA 23 A 29 DE OUTUBRO .A Semana Nacional do Livro e da Biblioteca foi instituída pelo Decreto n. 84.631 de 09de abril de 1980, com início em 23 de outubro e término em 29 do mesmo mês, sendo aúltima data consagrada ao Dia Nacional do Livro, pela Lei 5.191de 18 de dezembro de1980.A Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, instituída pelo Governo Federal, é uminstrumento fomentador do Livro e da Leitura. A viabilização é de responsabilidade dosórgãos de classe de biblioteconomia em parceria com órgãos públicos e privados comocontribuição para o crescimento de uma sociedade em estado de cidadania. Hoje: Bibliotecas Híbridas São Bibliotecas Presenciais que prestam inúmeros serviços Virtuais. Hoje temos Bibliotecas, Bibliotecários e Pesquisadores HíbridosA evolução e/ ou revolução tecnológica tem exigido do ser humano, nos últimos anos,uma constante busca pelo conhecimento, fortalecendo o capital humano como principalativo econômico e constituindo a sociedade do conhecimento, que tem como base oindivíduo autônomo, pensante, reflexivo e pró-ativo. Para isso ele precisa debibliotecas.No entanto somente a biblioteca presencial, hoje em dia, já não resolve todos osproblemas de pesquisa. A biblioteca virtual, apesar de toda sua evolução, também
  • 54. 54não substitui completamente a presencial. Nem mesmo a web, que também tem sidochamada de biblioteca, substitui a biblioteca presencial. O pesquisador precisa deambas para desenvolver suas pesquisas. Elas são complementares entre si.Complementares, não excludentes. Por isso hoje temos bibliotecas híbridas, que sãoas bibliotecas presenciais que prestam inúmeros serviços virtuais. Hoje temosbibliotecas, bibliotecários e pesquisadores híbridos.O catálogo da biblioteca presencial poderá estar on-line, mas o usuário terá que sedeslocar até ela para consultar e/ou emprestar as publicações, objetos físicos alicatalogados. No entanto, para as publicações que já estão disponíveis para leitura emtexto completo na web, os catálogos têm, em geral, nos seus metadados, os links quedirecionam o leitor para os textos completos das obras - isto é, redireciona o leitor parauma biblioteca digital. Por isso híbrida. Os acervos físicos e digitais são recuperadosem um mesmo catálogo que direcionam o leitor para um link na web ou para o acervofísico.Com o desenvolvimento do que pode ser chamado “era digital”, onde tudo édesenvolvido rapidamente e a busca para atualização é em tempo real, observa-se napresente geração de estudantes/pesquisadores que computadores e notebooks jáfazem parte do seu material de estudo. Com a corrida atrás da informação a bibliotecatem como visão apoiar a busca mais rápida (em tempo real) da mesma. Os usuáriosestão mudando sua visão de biblioteca. Hoje a biblioteca tem como funçãodisponibilizar espaços para eles se comunicarem virtualmente, fornecendo pontos derede ou conexão wi-fi, para que possam fazer suas pesquisas acadêmicas na web.Focando os esforços nesse objetivo as bibliotecas híbridas são Centros deInformação trabalhando com o desafio de se manterem atualizadas, tanto emhardware como em softwares, e com conexão banda larga à internet.Tendo como parâmetro a Biblioteca da Faculdade de Engenharia da UNESP, campusde Ilha Solteira, afirmamos que ela está focada nesse novo modelo. A Unesp-Fe secaracteriza como biblioteca presencial acadêmica e que tem como objetivo atenderseus usuários com excelência . Até ha alguns anos atrás eram comprados livros,periódicos e, a catalogação visava somente usuários internos. Os serviços foramevoluindo para atendimento aos usuários virtuais em qualquer lugar do mundo. Assim
  • 55. 55podemos dizer que hoje a Unesp-Fe é uma biblioteca hibrida, pois faz a junção debiblioteca convencional e biblioteca digital. Atualmente como biblioteca digital eladisponibiliza catálogo on-line, atendimento por e-mail, Bases de Dados, EmpréstimoEntre Biblioteca, COMUT, Catalogação Cooperativa, E-books, dissertações/tesesdigitalizadas, Periódicos Eletrônicos etc. Mas mantém serviços presenciais com oacervo físico disponibilizando obras impressas, dando todo suporte necessário atravésdo Serviço Técnico de Referência, Atendimento ao Usuário e Documentação-STRAUD.As Bibliotecas Híbridas são elos entre pessoas e a informação, estejam elas no tempoe no espaço que estiverem, em busca de um mesmo objetivo: o conhecimento.Sandra Maria Clemente de SouzaBibliotecário- CRB8 4740Supervisor Técnico de Seção/STRAUDUNESP/FEPós-Graduanda em Gestão Empresarial com Ênfase em Marketing e Recursos Humanos pelasFaculdades Integradas de Urubupungá-FIU.Jornal Regional de Santa Fé do Sul, 23 Outubro 2009.
  • 56. 56
  • 57. 57FORMULÁRIO DE COLETA DE OPINIÃO SOBRE O USO DOS RECURSOS DEPESQUISAS EM BASES DE DADOS DISPONÍVEL PELA BIBLIOTECA DAFEIS/UNESP.1- Categoria de usuário desta Biblioteca Discentes Docentes Graduação Pós-graduação Agronomia Agronomia Agronomia Ciências Biológicas Ciências Biológicas Ciências dos Materiais Engenharia Engenharia Engenharia Civil Física-Quimica Física Engenharia Elétrica Matemática Matemática Engenharia Mecânica x Zootecnia Zootecnia2 - Seu conhecimento sobre as Bases de Dados informatizadas que a Bibliotecadisponibiliza é: nenhum razoável x suficiente excelente3. Seu aprendizado de uso das Bases de Dados deve-se a: treinamento pela Biblioteca da FEIS colegas x autodidatismo aprendizado na Biblioteca de não houve Aprendizado não sei usar4. A ajuda recebida pela Biblioteca nas dificuldades encontradas no uso das Bases deDados é: insatisfatório razoável x suficiente excelente
  • 58. 586. A diversidade das Bases de Dados oferecida na busca da informação é: insatisfatória razoável x suficiente excelenteScience Direct/ Elsevier / Periódico Capes. Obs.: Falta de conhecimento da existência das bases.28.05.2009FORMULÁRIO DE COLETA DE OPINIÃO SOBRE O USO DOS RECURSOS DEPESQUISAS EM BASES DE DADOS DISPONÍVEL PELA BIBLIOTECA DAFEIS/UNESP.1- Categoria de usuário desta Biblioteca Discentes Docentes Graduação Pós-graduação Agronomia Agronomia Agronomia Ciências Biológicas Ciências Biológicas x Ciências dos Materiais Engenharia Engenharia Engenharia Civil
  • 59. 59 Física-Quimica Física Engenharia Elétrica Matemática Matemática Engenharia Mecânica Zootecnia Zootecnia2 - Seu conhecimento sobre as Bases de Dados informatizadas que a Bibliotecadisponibiliza é: x nenhum razoável suficiente excelente3. Seu aprendizado de uso das Bases de Dados deve-se a: treinamento pela Biblioteca da FEIS colegas autodidatismo aprendizado na Biblioteca de não houve Aprendizado não sei usar4. A ajuda recebida pela Biblioteca nas dificuldades encontradas no uso das Bases deDados é: x insatisfatório razoável suficiente excelente6. A diversidade das Bases de Dados oferecida na busca da informação é: insatisfatória razoável suficiente x excelenteFalta de conhecimento total da existência da Base. Segundo ano de Biologia.Usuária ficou impressionada com o Recurso
  • 60. 6002.06.2009FORMULÁRIO DE COLETA DE OPINIÃO SOBRE O USO DOS RECURSOS DEPESQUISAS EM BASES DE DADOS DISPONÍVEL PELA BIBLIOTECA DAFEIS/UNESP.1- Categoria de usuário desta Biblioteca Discentes Docentes Graduação Pós-graduação Agronomia Agronomia Agronomia Ciências Biológicas Ciências Biológicas Ciências dos Materiais Engenharia Engenharia Engenharia Civil Física-Quimica Física Engenharia Elétrica x Matemática Matemática Engenharia Mecânica Zootecnia Zootecnia2 - Seu conhecimento sobre as Bases de Dados informatizadas que a Bibliotecadisponibiliza é: x nenhum razoável suficiente excelente
  • 61. 613. Seu aprendizado de uso das Bases de Dados deve-se a: treinamento pela Biblioteca da FEIS colegasx autodidatismo aprendizado na Biblioteca de não houve Aprendizado não sei usar4. A ajuda recebida pela Biblioteca nas dificuldades encontradas no uso das Bases deDados é:x insatisfatório razoável suficiente excelente6. A diversidade das Bases de Dados oferecida na busca da informação é: insatisfatória razoável suficientex excelenteFalta de conhecimento total da existência da Base. Usuária ficou impressionadocom o Recurso. Sugestão de palestra sobre os recursos nos departamentos.03.06.2009
  • 62. 62FORMULÁRIO DE COLETA DE OPINIÃO SOBRE O USO DOS RECURSOS DEPESQUISAS EM BASES DE DADOS DISPONÍVEL PELA BIBLIOTECA DAFEIS/UNESP.1- Categoria de usuário desta Biblioteca Discentes Docentes Graduação Pós-graduação Agronomia Agronomia Agronomia Ciências Biológicas Ciências Biológicas Ciências dos Materiais Engenharia Engenharia Engenharia Civil Física-Quimica Física Engenharia Elétrica x Matemática Matemática Engenharia Mecânica Zootecnia Zootecnia2 - Seu conhecimento sobre as Bases de Dados informatizadas que a Bibliotecadisponibiliza é: x nenhum razoável suficiente excelente3. Seu aprendizado de uso das Bases de Dados deve-se a: treinamento pela Biblioteca da FEIS colegas x autodidatismo aprendizado na Biblioteca de não houve Aprendizado não sei usar4. A ajuda recebida pela Biblioteca nas dificuldades encontradas no uso das Bases deDados é: x insatisfatório razoável suficiente excelente
  • 63. 636. A diversidade das Bases de Dados oferecida na busca da informação é: insatisfatória razoável suficiente x excelenteFalta de conhecimento total da existência da Base. Usuária ficou impressionadocom o Recurso. Sugestão de palestra sobre os recursos nos departamentos.Maior entrosamento da Biblioteca com a pós.03.06.2009FORMULÁRIO DE COLETA DE OPINIÃO SOBRE O USO DOS RECURSOS DEPESQUISAS EM BASES DE DADOS DISPONÍVEL PELA BIBLIOTECA DAFEIS/UNESP.1- Categoria de usuário desta Biblioteca Discentes Docentes Graduação Pós-graduação Agronomia Agronomia Agronomia
  • 64. 64 Ciências Biológicas Ciências Biológicas Ciências dos Materiais Engenharia Engenharia Engenharia Civil Física-Quimica Física x Engenharia Elétrica Matemática Matemática Engenharia Mecânica Zootecnia Zootecnia2 - Seu conhecimento sobre as Bases de Dados informatizadas que a Bibliotecadisponibiliza é: nenhum razoável x suficiente excelente3. Seu aprendizado de uso das Bases de Dados deve-se a: x treinamento pela Biblioteca da FEIS colegas autodidatismo aprendizado na Biblioteca de não houve Aprendizado não sei usar4. A ajuda recebida pela Biblioteca nas dificuldades encontradas no uso das Bases deDados é: insatisfatório x razoável suficiente excelente6. A diversidade das Bases de Dados oferecida na busca da informação é: insatisfatória razoável suficiente x excelente
  • 65. 65Seria interessante que houvesse palestras e folders que informem a existência, aimportância, a diversidade e como se utiliza as bases de dados. É um recursomuito rico em informações, porém, por conter grande número de dados, aprendera pesquisar poderia poupar tempo e buscar dados mais pertinentes com osobjetivos da pesquisa.16.06.09