2
MANUAL DE PROCEDIMENTOS
1. INTRODUÇÃO
2. NORMAS BÁSICAS DE SELEÇÃO E AQUISIÇÃO DO FUNDO DOCUMENTAL
3. TRATAMENTO PATRIMO...
3
1. INTRODUÇÃO
Este documento expressa um conjunto de procedimentos técnicos de Biblioteconomia referentes ao
tratamento ...
4
2. NORMAS BÁSICAS DE SELEÇÃO E AQUISIÇÃO DO FUNDO
DOCUMENTAL
A seleção e aquisição do fundo documental terão sempre como...
5
3. TRATAMENTO PATRIMONIAL
Qualquer documento deve ser previamente analisado antes de se proceder ao seu tratamento
técni...
6
3.1.2. Carimbagem de publicações periódicas
Carimbo de posse Carimbo de Registo
O carimbo de posse coloca-se na
primeira...
7
3.2. REGISTO
O registo tem como objetivo a inventariação dos documentos que constituem o fundo
documental da biblioteca,...
8
Autor – registo por ordem invertida (quando o autor é individual) seguido de et al. (quando
é mais do que um autor indiv...
9
4. TRATAMENTO TÉCNICO - DOCUMENTAL
4.1. CATALOGAÇÃO
Conjunto de operações que servem para descrever formalmente os dados...
10
catalogador, nela deverá aparecer o nome do autor, o título, a edição e a impressão … No
entanto, para esclarecimento d...
11
Desporto
3 Ciências Sociais. Estatística.
Política. Economia. Comércio.
Direito. Administração Pública.
Forças Armadas....
12
Exemplo: Etiqueta a constar na obra: Os Maias de Eça de Queirós
821.134.3
QUE
MAI
4.4. INDEXAÇÃO
A indexação visa a rec...
13
5. PROCEDIMENTOS GERAIS DE POLÍTICA DOCUMENTAL
5.1. ARRUMAÇÃO DE MATERIAL LIVRO E NÃO LIVRO
A colocação do fundo docume...
14
5.3. DOAÇÕES
As doações efectuadas à Biblioteca Escolar devem ser alvo de análise inicial e cuidada
verificando-se a pe...
15
5.5. RESTAUROS E ABATE DOCUMENTAL
Anualmente, proceder-se-á a uma avaliação dos documentos existentes verificando-se o
...
16
ANEXO II
CLASSIFICAÇÃO DÉCIMAL UNIVERSAL
Notações para Jardins de Infância e Escolas do 1º e 2.º Ciclo
CLASSE 0: Genera...
17
CLASSE 5: Matemática. Ciências Naturais
502 O Meio Ambiente e a sua Protecção
51 Matemática
52 Astronomia. Astrofísica....
18
81’36 Gramática
82 Literatura
82-1 Poesia
82-2 Drama. Peças de Teatro
82 - 34 Contos
82 - 342 Fábulas
82 - 343 Contos d...
19
CLASSIFICAÇÃO DÉCIMAL UNIVERSAL
Notações para as Escolas do 3-º Ciclo e Secundárias
.
CLASSE 0: Generalidades. Ciência ...
20
CLASSE 2: Religião. Teologia
2-1 Teoria e Filosofia da Religião
22 - Religiões do Extremo Oriente
23 - Religiões da Índ...
21
336 Finanças. Banca. Moeda
338 Situação Económica. Política Económica. Gestão da Economia
338.48 Turismo
339 Comércio. ...
22
373.5 Ensino Secundário
376 Ensino e Treino de Grupos Especiais. Escolas Especiais
377 Ensino Técnico-Profissional
378 ...
23
537 Electricidade. Magnetismo. Electromagnetismo
539.1 Física Nuclear. Física Atómica. Física Molecular
54 Química. Ciê...
24
CLASSE 6: Ciências Aplicadas. Medicina. Tecnologia
6(031) Enciclopédias de Ciências Aplicadas
6(038) Dicionários de Ciê...
25
CLASSE 7: Arte. Recreação. Entretenimento. Desporto
7(031) Enciclopédias de Arte
3(038) Dicionários de Arte
7(091) Hist...
26
811.111’36 Gramática de Língua Inglesa
811.112 Alemão
811.112(038) Dicionário de Língua Alemã
811.112’36 Gramática de L...
27
82-9 Outros Géneros Literários, BD
82-93 Literatura Juvenil
CLASSE 9: Geografia. Biografia. História
902 Arqueologia
90...
28
94(315) História da China Antiga
94(32) História do Egipto Antigo
94(35) História do Médio Oriente Antigo
94(36) Histór...
29
Sugestões de Classificação
Documentos impressos:
A) As enciclopédias e os dicionários especializados devem ser classifi...
30
F) As obras de crítica literária deverão ser classificadas tendo em conta o autor que é
criticado.
Por ex.: Cadências T...
31
ANEXO III
Tabela de Classificação de Documentos Sonoros
(BDVP – Bibliotecas e Discotecas da Cidade de Paris)
0- Música ...
32
580 – Música Mecânica. Carrilhão. Órgão. Caixa de Música
590 – Sons Naturais. Ruídos. Efeitos Sonoros
6 – Registos não ...
33
ANEXO IV
Tabela de Classificação de Documentos Vídeo
(FIAF – Federação Internacional de Arquivo de Filmes)
73/75 Ficção...
34
76 Não Ficção
762 – Documentários. Atualidade. Jornalismo. Notícias
763 – Científico. Técnico. Industrial. Educacional
...
35
BIBLIOGRAFIA:
- Informação e documentação - Referências bibliográficas: documentos impressos. IPQ
(Instituto Português ...
Manual de Procedimentos Odivelas
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Manual de Procedimentos Odivelas

432 views
244 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
432
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Manual de Procedimentos Odivelas

  1. 1. 2 MANUAL DE PROCEDIMENTOS 1. INTRODUÇÃO 2. NORMAS BÁSICAS DE SELEÇÃO E AQUISIÇÃO DO FUNDO DOCUMENTAL 3. TRATAMENTO PATRIMONIAL 3.1. CARIMBOS E CARIMBAGEM 3.2. REGISTO 4. TRATAMENTO TÉCNICO-DOCUMENTAL 4.1. CATALOGAÇÃO 4.2. CLASSIFICAÇÃO 4.3. COTAÇÃO 4.4. INDEXAÇÃO 5. PROCEDIMENTOS GERAIS DE POLÍTICA DOCUMENTAL 5.1. ARRUMAÇÃO DE MATERIAL LIVRO E NÃO LIVRO 5.2. ARQUIVO 5.3. DOAÇÕES 5.4. DOSSIÊS TEMÁTICOS 5.4. RESTAUROS E ABATE DOCUMENTAL 5.5. DIFUSÃO DA INFORMAÇÃO ANEXOS ANEXO I – ESPECIFICAÇÕES DA ESTRUTURA COMPUTACIONAL Falta ANEXO II – CDU RESUMIDA ANEXO III - TABELA DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS SONOROS ANEXO IV - TABELA DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS VÍDEO BIBLIOGRAFIA
  2. 2. 3 1. INTRODUÇÃO Este documento expressa um conjunto de procedimentos técnicos de Biblioteconomia referentes ao tratamento do fundo documental da escola EB2/3 dos Pombais. Deste modo, assume-se como um guia fundamental das tarefas organizativas (registar, catalogar, classificar e indexar) de todos os materiais que constituem os recursos educativos da biblioteca escolar e que visam o tratamento, recuperação e comunicação da informação. À biblioteca escolar compete a gestão centralizada de todos os materiais que constituem os recursos educativos documentais da escola. A equipa da biblioteca deve possuir competências técnicas para proceder ao tratamento adequado dos recursos existentes de modo a torná-los facilmente acessíveis a todos os utilizadores. As questões referentes ao tratamento do fundo documental devem encontrar-se definidas de modo a garantir a continuidade de procedimentos e a sua fácil transmissão às sucessivas equipas. Sempre que se justifique, pela ocorrência de modificações no tratamento documental, deve proceder-se à revisão do presente documento, apresentando-o à apreciação do Conselho Pedagógico. A biblioteca escolar disponibiliza, em diversos tipos de suportes, o seguinte tipo de documentos: Monografias – publicação contendo texto e/ou ilustração, em suporte destinado à leitura visual, que apresenta unidade de conteúdo, constituida por um único volume ou a ser completada num número determinado de volumes. São exemplos: livro; separata; catálogo; atas. Publicações em série – Publicação editada em fascículos ou volumes sucessivos, ordenados geralmente numérica ou cronologicamente com duração não delimitada à partida e independentemente da sua periodicidade. Inclui: jornais, revistas, relatórios, boletins bibliográficos, boletins informativos. Material não livro – Material informativo, de carácter pedagógico ou lúdico, não incluído nos materiais anteriores e publicado em diferentes formatos. São exemplos: cd’s; dvd’s; documentos electónicos on-line; mapas; fotografias.... Por orientação técnica da RBE, deve ter-se presente as percentagens definidas a nível nacional, de modo a promover o equilíbrio entre as várias áreas temáticas e disciplinares e os vários suportes: - cerca de 75% do fundo de material impresso (livros, revistas e jornais) - de 25% do fundo de material não livro - cerca de 60% dos documentos devem corresponder a temas relacionados com o currículo escolar.
  3. 3. 4 2. NORMAS BÁSICAS DE SELEÇÃO E AQUISIÇÃO DO FUNDO DOCUMENTAL A seleção e aquisição do fundo documental terão sempre como princípio básico os interesses pedagógico-didáticos e lúdicos dos utilizadores, particularmente dos alunos e professores. As recomendações e propostas da RBE e PNL estarão também presentes na seleção e aquisição do fundo documental da BE. A equipa responsável pela BE deverá ter em conta os seguintes aspectos: 1. Avaliar com regularidade a coleção existente de forma a verificar se ela responde às necessidades dos utilizadores; 2. Inteirar-se regularmente, por diferentes meios, das novidades do mercado livreiro. 3. Solicitar, pelo menos uma vez por ano, sugestões de aquisição de material livro e material não livro, aos Departamentos Curriculares Conselhos de Docentes, aos docentes das Áreas Curriculares não Disciplinares do Ensino Básico. 4. Solicitar, ao longo do ano, aos alunos e a toda a comunidade escolar sugestões de aquisição de material livro e material não livro. Para este fim, a BE disponibiliza os meios que considera adequados, nomeadamente, a caixa/livro de sugestões. Para se levar a cabo uma política de seleção e aquisição de fundo documental é fundamental a existência de um orçamento anual. A verba correspondente a esse orçamento poderá partir dos lucros da papelaria, tendo como base o Despacho 13224/2003, 2ª série nº 154, de 7 de Julho, no seu artigo 8º alínea b).
  4. 4. 5 3. TRATAMENTO PATRIMONIAL Qualquer documento deve ser previamente analisado antes de se proceder ao seu tratamento técnico. Esta análise corresponde à verificação dos requisitos necessário à entrada como fundo documental: estado de conservação, atualidade, adequação ao público-alvo, publicação com carácter efémero, interesse … 3.1. CARIMBOS E CARIMBAGEM A colocação do carimbo, tem como principal objectivo, conferir ao documento o carácter de posse pela instituição. Existem dois tipos de carimbos de forma rectangular: Carimbo de posse – contém como informações o nome da escola e/ou o nome da biblioteca escolar. Carimbo de registo - contém a informação do carimbo de posse mais os espaços destinados (a lápis): - o número de registo e data de entrada (ano/mês/dia). - cota 3.1.1. Carimbagem do fundo documental livro (monografias) Carimbo de posse Carimbo de Registo O carimbo de posse coloca-se no final da obra na última folha impressa, na área de rodapé, ao centro. Coloca-se no início da obra, na página de rosto do livro, e, de preferência, no canto superior direito. No caso de não existir folha de rosto, ou as páginas não aceitarem carimbo, coloca-se o carimbo na contracapa, no canto superior direito. Escola EB2/3 dos Pombais Biblioteca Escolar José Fanha Agrupamento de Escolas D. Dinis Escola EB2/3 dos Pombais Biblioteca Escolar José Fanha N.º de Registo ……………… Data …./…../…. Cota …………………………..
  5. 5. 6 3.1.2. Carimbagem de publicações periódicas Carimbo de posse Carimbo de Registo O carimbo de posse coloca-se na primeira página junto ao título. No caso das revistas, coloca-se também, na segunda página junto ao sumário. Este carimbo só se coloca nas revistas de carácter científico/pedagógico ou cultural que justifica a sua permanência no fundo documental. A regra é a mesma das monografias. 3.1.3. Carimbagem de CD’s, DVD’s, VHS Carimbo de posse Carimbo de Registo O carimbo de posse não é utilizado neste tipo de documentos Nos VHS, CD’s e DVD’s o carimbo será colocado no interior da caixa do mesmo. No caso da tinta do carimbo não aderir ao material, será colocado sobre uma etiqueta branca. O número de registo do documento, se o material assim o exigir, deverá ser escrito a caneta de acetato. O número de registo deverá ainda ser colado na lombada da caixa de exposição do VHS do DVD, ou na tampa da caixa do CD. No caso de cartazes, fotos, postais… o carimbo deverá ser colocado no verso do documento. Nunca deve ser colocado o carimbo em local que prejudique o documento ou oculte informação. Nota: Os carimbos devem ser colocados de modo a não danificarem o documento, ou ocultarem informação.
  6. 6. 7 3.2. REGISTO O registo tem como objetivo a inventariação dos documentos que constituem o fundo documental da biblioteca, através da atribuição do número de registo ou número de entrada. Antes de se submeter o documento a este procedimento, deve ser analisado a fim de se verificar se é necessário o seu registo, ou se é uma publicação efémera e sem interesse para a qual será suficiente o carimbo de posse. Todos os documentos do fundo documental são objecto de registo sequencial, em livros distintos de acordo com o seu tipo de suporte. A cada documento corresponde um número de registo próprio. O número de registo é sequencial e irrepetível. Deste modo: - vários exemplares da mesma obra têm números de registo diferentes; - no caso de uma obra publicada em vários volumes, cada um terá um número de registo diferente; - o material acompanhante do livro no mesmo formato ou diferente (livro, cd, cdrom, dvd) deve ser registado no livro correspondente a esse tipo de suporte. No campo de observações, do registo de monografias, deve referenciar-se a existência desse material, expressando o seu número de registo, o mesmo procedimento se deve adoptar no livro de registo do outro documento. Na monografia deve utilizar-se uma etiqueta branca, a indicar o número de registo do material acompanhante e vice-versa; - as publicações periódicas de teor científico/pedagógico ou artístico que permaneçam no fundo documental, devem ser registadas como o fundo documental livro; - o material não livro deve ser registado nos respetivos livros de registo e o número de registo expresso no respetivo material deve iniciar-se com a sigla a que diz respeito ( Exemplos: cd; cdrom; dvd …); - as revistas de carácter efémero serão registadas em folhas de registo próprio. A cada folha corresponderá o título da publicação periódica. Estrutura do Livro de Registo O livro de registo, cujas folhas são numeradas, em formato impresso ou digital, é diferenciado de acordo com o documento. O livro de registo das monografias contém os seguintes elementos, por folha:  Número de registo; Data de Entrada; Autor; Título; Edição (Ano/Editor/Local); ISBN; Modo de Aquisição; Observações. Número de registo – número atribuído sequencialmente; Data de Entrada – data de preenchimento do registo;
  7. 7. 8 Autor – registo por ordem invertida (quando o autor é individual) seguido de et al. (quando é mais do que um autor individual) ou a instituição (quando o autor é colectivo); Título - titulo principal; se for uma obra com mais de um volume, indicar o n.º; Edição – indicar o ano, a editora e o local de edição da obra; Modo de Aquisição – o não preenchimento deste campo, indica que a obra foi adquirida; só será preenchido em caso de oferta; Observações - destina-se a indicar ocorrências relevantes em relação ao documento, nomeadamente: Abatido – exclusão do documento do fundo documental por… (indicar o motivo) e a data; Extraviado – desaparecimento do documento; deve indicar-se a data; Documento requisitado para a sala de aula por um período alargado – local onde se encontra e data; Reservado – quando é um documento de valor como livros autografados, edições de luxo…. O livro de registo das monografias contém os seguintes elementos, por folha: Nº de registo Data de entrada Autor Título Local de Edição/Ano Editor ISBN Modo de aquisição Cota Observações Estrutura do registo de periódicos (não consideradas no registo de monografias) Este tipo de periódicos regista-se num dossier de folhas próprias ou informaticamente, cada revista numa folha, a que corresponde a seguinte estrutura de cabeçalho: Título da revista: Editor: Data de assinatura: Periodicidade: No corpo da folha são referidas, em tabela, as seguintes informações:  Data de entrada / Publicação ( Data / Volume / Número) Publicação Data de entrada _ /_ /_ Data N.º da Publicação Nº Exemplares
  8. 8. 9 4. TRATAMENTO TÉCNICO - DOCUMENTAL 4.1. CATALOGAÇÃO Conjunto de operações que servem para descrever formalmente os dados bibliográficos contidos no documento, com vista à criação e actualização de catálogos que permitem a identificação e recuperação do documento pelo utilizador, seja por autor, título, editor, ano da publicação, entre outros elementos identificativos. O correto tratamento documental liga-se a princípios gerais básicos como a uniformidade, a simplificação e a analogia (RPC, 2000, p. 1). A descrição faz-se a partir da ISBD (International Standard Bibliographic Description – Descrição Bibliográfica Internacional Normalizada), Regras Portuguesas de Catalogação ou RPC, e o manual de UNIMARC. São estas regras que definem quais as caraterísticas, ou elementos do documento, que devem ser incluídos na descrição e em que ordem, permitindo organizar adequadamente a documentação, ultrapassando as barreiras de língua e alfabeto, fazendo com que a descrição de um documento em Portugal, ou noutro país, seja idêntica. A catalogação é feita directamente no software de gestão de biblioteca, especificamente o programa BIBLIOBASE através de folhas de recolha diferenciadas, consoante o tipo de suporte documental. As folhas de recolha são previamente configuradas (para que não fiquem demasiado extensas) segundo cada tipo de material, para isso seleccionaram-se, do modelo UNIMARC completo, os campos e sub campos de preenchimento obrigatório ou mais utilizados (ver anexos). A disponibilização do catálogo num posto específico, deve permitir aos utilizadores uma pesquisa livre. Esse catálogo online deve ser disponibilizado no site do Agrupamento/ Escola, na página da BE. Mais tarde, prevê-se a inserção do nosso catálogo no site da Rede de Bibliotecas Escolares. A equipa da biblioteca deverá estar atenta ao surgimento de novas versões de atualização para esta base de dados e aos diferentes módulos que vão sendo disponibilizados e possam melhorar a eficácia na catalogação e pesquisa da informação pelo utilizador. Na equipa da BE da escola devem existir no mínimo dois elementos responsáveis pela catalogação dos documentos, que deverão, sempre que possível, possibilitar formação básica a outros elementos da equipa ou a outros professores que poderão futuramente vir a fazer parte da equipa. MONOGRAFIAS: PRINCÍPIOS E ESPECIFICAÇÕES Iniciando o trabalho de catalogação, o primeiro passo é o exame das partes impressas do livro dando prioridade à página de rosto, que constitui o elemento mais precioso para o
  9. 9. 10 catalogador, nela deverá aparecer o nome do autor, o título, a edição e a impressão … No entanto, para esclarecimento de dúvidas, e no caso do livro não ter página de rosto, utiliza-se a informação contida noutro local do livro. Na catalogação do documento teremos em atenção o Cabeçalho (ponto de acesso constituído por nome, palavra, expressão que introduz uma entrada bibliográfica para arrumação do catálogo) e o Corpo de Entrada (conjunto de elementos descritivos e informativos do documento). AUTOMATIZAÇÃO DO CATÁLOGO O software de gestão de biblioteca, BIBLIOBASE, em formato UNIMARC, observa as normas de descrição bibliográfica das Regras Portuguesas de Catalogação, transpondo-as a campos que correspondem exactamente às zonas das ISBDs/RPCs 4.2. CLASSIFICAÇÃO A classificação é a operação de descrição do conteúdo, o mais exactamente possível, de um documento, para determinação do seu assunto principal e de um ou outro assunto secundário. Pretende-se agrupá-lo junto de outros documentos que tratam o mesmo assunto. Corresponde-lhe um código numérico de um sistema de classificação, que facilita a sua arrumação intelectual e física. Para se proceder à classificação correta de uma monografia deve-se ter em atenção várias partes do documento, como: título, resumo, índice do conteúdo, introdução, conclusões, diagramas, ilustrações e tabelas. Existem várias linguagens de classificação. A BE utiliza a linguagem de Classificação Decimal Universal (CDU): Tabela de Autoridade (3ºed.abrev.Lisboa: Biblioteca Nacional, 2005). Esta tabela de classificação divide o saber em dez classes (0 a 9). Por sua vez as classes principais dividem-se em dez subclasses. Segue-se um princípio de classificação hierárquica: . TABELA DE CLASSIFICAÇÃO TEMÁTICA PRINCIPAL DA CDU 0 Generalidades. Ciência e Conhecimento. Organização. Informação. Documentação. Biblioteconomia. Instituições. Publicações. 5 Matemática e Ciências Naturais 1 Filosofia. Psicologia 6 Ciências Aplicadas. Medicina. Tecnologia 2 Religião. Teologia 7 Arte. Recreação. Entretenimento.
  10. 10. 11 Desporto 3 Ciências Sociais. Estatística. Política. Economia. Comércio. Direito. Administração Pública. Forças Armadas. Assistência social. Seguros. Educação. Etnologia 8 Língua. Linguística. Literatura 4 Vazia 9 Geografia. Biografia. História 4.3. COTAÇÃO A cotação é a fase do tratamento documental em que a cada documento é atribuído um código (cota) que permite a sua arrumação nas estantes e a posterior recuperação por parte do utilizador. A cota inscreve-se numa etiqueta, cuja tira de cor corresponde à respectiva classe, que se cola no documento a cerca de 1,5 cm do fim da lombada da monografia e da capa dos cd/dvd/cdrom… A cota atribuída a cada documento é uma notação alfanumérica que inclui:  Notação CDU (sigla da classe ou subclasse);  As três primeiras letras do apelido do 1.º autor;  As três primeiras letras do título do livro. Nota: - Quando o apelido do autor é uma palavra composta (Ex: Bessa-Luís) utiliza-se o primeiro nome (Ex:: BES); Não se considera no título do livro as designações: A, O, As, Os, Uns, .. Todas as etiquetas apresentam um registo de cor que facilita a sua identificação por parte do utilizador. São as seguintes as cores das barras das etiquetas: Classe Cor da etiqueta 0 – Generalidades. Ciência e Conhecimento. Organização. Informação. Documentação. Biblioteconomia. Instituições. 1 – Filosofia. Psicologia 2 – Religião. Teologia 3 – Ciências Sociais. Estatística. Política. Economia. Comércio. Direito. Administração Pública. Forças Armadas. Assistência Social. Seguros. Educação. Etnologia 5 – Matemática e Ciências Naturais 6 – Ciências Aplicadas. Medicina. Tecnologia 7 – Arte. Recreação. Entretenimento. Desporto 8 – Língua. Linguística. Literatura 9 – Geografia. Biografia. História
  11. 11. 12 Exemplo: Etiqueta a constar na obra: Os Maias de Eça de Queirós 821.134.3 QUE MAI 4.4. INDEXAÇÃO A indexação visa a recuperação de um documento. Com a Indexação pretende-se descrever e caraterizar um documento através de conceitos contidos nesse documento. A Indexação implica uma análise do conteúdo informativo (assunto) do documento. Através deste trabalho os utilizadores poderão recuperar o maior número possível de documentos que possam responder às suas necessidades. Existem vários sistemas de indexação: por assunto (encabeçamento por assuntos), por palavra-chave (linguagem livre através da escolha de termos considerados relevantes) e por descritores (utiliza-se um Thesaurus, lista de descritores, de onde se retira o termo considerado adequado). Para a realização da tarefa de indexação é fundamental ter em atenção vários aspetos organizativos que passam pela noção correta do conteúdo do documento, pela identificação de conceitos e sua seleção e sua transformação em linguagem documental. Utilizam-se como documentos normativos a NP 3715, a Lista de Cabeçalhos de Assuntos para Bibliotecas (1999) de Martine Blanc-Montmayer e Francoise Danset (Lisboa: Caminho, 1999) e Notações da tabela CDU (2005).
  12. 12. 13 5. PROCEDIMENTOS GERAIS DE POLÍTICA DOCUMENTAL 5.1. ARRUMAÇÃO DE MATERIAL LIVRO E NÃO LIVRO A colocação do fundo documental nas estantes e prateleiras seguirá a ordenação da esquerda para a direita e de cima para baixo. A cota colocada na lombada dos livros vai possibilitar a sua arrumação nas estantes, devidamente sinalizadas, por Classe CDU. A disposição por assunto, permite dispor o material nas prateleiras por ordem numérica crescente de cota e dentro desta, por ordem alfabética do apelido do autor e, neste, por ordem alfabética de título.. No caso de não haver informação de autor, arrumam-se por ordem alfabética do título. Quando retirado da estante, um documento só deverá ser arrumado pela equipa técnica da BE. ARRUMAÇÃO DE MATERIAL NÃO LIVRO Os documentos audiovisuais encontram-se arrumados em armários fechados ou pastas de arquivo, para não serem manuseados diretamente pelo utilizador.  Apenas as caixas vazias se encontram expostas, em expositores identificados por temas, caso não haja caixas suficientes podem organizar-se dossiês com a fotocópia das capas devidamente cotados para que o utilizador possa escolher o que pretende;  As videocassetes, cdroms e os cd´s, para além de divididos por temas, são arrumadas por ordem alfabética das três primeiras letras do título. MATERIAL ACOMPANHANTE O material acompanhante tendo um registo próprio terá também uma notação diferente. O material acompanhante será colocado, de acordo com o seu suporte, na zona correspondente. 5.2. ARQUIVO A Biblioteca Escolar possui um arquivo que permite a arrumação de material que se considera que não é necessário no espaço da BE, como:  Documentos que já não são utilizados pelos alunos e professores,  Documentos que se encontram repetidos, e que ocupam espaço que é necessário para outras publicações;  Material livro e não livro que devido ao seu estado de degradação aguarda restauro ou o seu abate;  Periódicos que não são consultados e aguardam tratamento documental.
  13. 13. 14 5.3. DOAÇÕES As doações efectuadas à Biblioteca Escolar devem ser alvo de análise inicial e cuidada verificando-se a pertinência da sua entrada na coleção. Só depois se procederá aos trabalhos normais de tratamento patrimonial e documental. 5.4. DOSSIÊS TEMÁTICOS Dado que não é possível armazenar todas as revistas e jornais que passam pela BE, a constituição de pastas de recortes de jornais e revistas é uma boa forma de aproveitar a informação, que dificilmente será rentabilizada de outra forma. Os dossiês temáticos a disponibilizar aos utilizadores na biblioteca poderão conter: artigos que vão saindo na imprensa; fotocópias de parte de um documento considerado importante para uma dada temática; recompilação de materiais complementares (ex.: folhetos, desdobráveis...) e trabalhos dos alunos. O tratamento da informação que se vai recolhendo faz-se mediante a seleção de assuntos pertinentes para o currículo, para a cultura geral, ou para o interesse dos utilizadores. Adoptar-se- ão os seguintes procedimentos:  Delimitar os assuntos a serem tratados e criar os respectivos dossiês temáticos;  Selecionar os artigos que vão surgindo em jornais e revistas (atenção à diversidade de opiniões);  Recortar, aproveitar as folhas do jornal ou revista que vão ser abatidas e fotocopiar, quando sejam para conservar;  Identificar a fonte, nome do jornal / revista / entidade / disciplina / projecto …, e a data da publicação;  Dentro de cada dossiê, organizar os artigos cronologicamente, do mais antigo para o mais recente;  Organizar ou atualizar um índice de que constará o número sequencial do documento, o título, o autor e a proveniência. Ex. de Etiquetas a serem colocadas nos documentos: Retrato de Mulher (2p.) Jornal de Letras, Artes e Ideias Ano XVII, nº 696, 18 de Junho a 1 de Julho de 1997 Mulheres Afegãs: o Terrorismo da “Burka” (6p.) Revista Visão, Nº 448, 4 a 10 de Outubro de 2001
  14. 14. 15 5.5. RESTAUROS E ABATE DOCUMENTAL Anualmente, proceder-se-á a uma avaliação dos documentos existentes verificando-se o seu estado físico e a pertinência da continuação da sua inclusão na coleção. O material que se verifique estar demasiado danificado e que não seja viável o seu restauro será abatido e encaminhado para reciclagem. Os manuais escolares existentes na BE serão anualmente alvo de análise preferencial por professores das várias áreas disciplinares e verificada a sua pertinência neste espaço. Estes não fazem parte da coleção da BE, não estando inseridos na base de dados, encontram-se unicamente registados em livro próprio e carimbados. Alguns poderão ser guardados no arquivo pensando-se na sua utilização para desenvolvimento de dossiers temáticos e outros serão enviados para a reciclagem. 5.6. DIFUSÃO DA INFORMAÇÃO Procede-se à difusão da informação existente na Biblioteca Escolar usando várias estratégias:  Exposição das últimas aquisições – estante de novidades;  Exposições temáticas (dias comemorativos; divulgação de escritores…)  Entrega aos Departamentos Curriculares de listagens das novas aquisições;  Elaboração de listas bibliográficas temáticas adaptadas ao trabalho curricular das várias disciplinas ou áreas do saber. Acesso na BE e também distribuição aos Departamentos Curriculares;  Produção de materiais pedagógicos virados para as Literacias da Informação (fichas informativas, guiões diversos) com acesso livre aos alunos e professores. Informação dos Departamentos Curriculares sobre estes recursos.  Publicitação regular na Página Internet do Agrupamento e/ou Blog ou ainda nas sessões de Conselho Pedagógico, para que os coordenadores de Departamento as transmitam aos restantes professores das novas aquisições, de listas bibliográficas temáticas contento o material existente e a disponibilização de material pedagógico para desenvolvimento das Literacias da Informação.
  15. 15. 16 ANEXO II CLASSIFICAÇÃO DÉCIMAL UNIVERSAL Notações para Jardins de Infância e Escolas do 1º e 2.º Ciclo CLASSE 0: Generalidades. Ciência e Conhecimento. Organização. Informação. Documentação. Biblioteconomia. Instituições. Publicações. 001 Ciência e Conhecimento em Geral. Organização do Trabalho Intelectual 004 Ciência e Tecnologia Informáticas. Computação 02 Biblioteconomia. Bibliotecas 030 Obras Gerais de Referência. Enciclopédias, Dicionários. etc. 087.5 Publicações para crianças e jovens* CLASSE 1: Filosofia. Psicologia 101 Natureza e Âmbito da Filosofia 159.9 Psicologia 17 Filosofia Moral. Ética. Filosofia Prática CLASSE 2: Religião. Teologia 2-1 Teoria e Filosofia da Religião CLASSE 3: Ciências Sociais. Estatística. Política. Economia. Comércio. Direito. Administração Pública. Forças Armadas. Assistência social. Seguros. Educação. Etnologia 31 Estatística. Demografia. 316 Sociologia 32 Politica 33 Economia. Trabalho. UE 34 Direito 37 Educação. Ensino. Pedagogia 39 Etnologia. Etnografia. Usos e Costumes. Tradições. Modo de Vida.Folclore. 398.6 Enigmas. Adivinhas
  16. 16. 17 CLASSE 5: Matemática. Ciências Naturais 502 O Meio Ambiente e a sua Protecção 51 Matemática 52 Astronomia. Astrofísica. Investigação Espacial 524 O Universo 53/54 Física e Química. Mineralogia 57 Ciências Biológicas. Biodiversidade 574 Ecologia em geral 58 Botânica 59 Zoologia CLASSE 6: Ciências Aplicadas. Medicina. Tecnologia 611 Corpo Humano 613 Higiene Pessoal 616 Pediatria. Doenças da Infância em Geral 618.2 Gravidez 62 Engenharia. Tecnologia em Geral 63 Agricultura 65 Meios de Comunicação 66/67 Industrias e Ofícios Diversos 688 Artigos de Fantasia. Brinquedos. Artigos Decorativos CLASSE 7: Arte. Recreação. Entretenimento. Desporto 7 Arte. Artistas 74 Desenho. Design 745 Trabalhos Manuais. Artesanato 75 Pintura 78 Música 79Divertimentos. Espetáculos. Jogos. Desporto CLASSE 8: Língua. Linguística. Literatura 81 Línguas
  17. 17. 18 81’36 Gramática 82 Literatura 82-1 Poesia 82-2 Drama. Peças de Teatro 82 - 34 Contos 82 - 342 Fábulas 82 - 343 Contos de Fadas, Lendas e Mitos 82 – 36 Trava-línguas, Lengalengas Anedotas CLASSE 9: Geografia. Biografia. História 91 Geografia. Atlas 929 A/Z Biografias 94 História 94(469) História de Portugal Fundo Local 3 (469.411) Ciências Sociais 37 (469.411) Educação 398 (469.411) Tradição Popular. Folclore 502 (469.411) Ciências Naturais. Meio Ambiente 7 (469.411) Arte 908 (469.411) Monografia da Região 91(469.411) Geografia 929(469.411) Biografias 94(469.411) História Local
  18. 18. 19 CLASSIFICAÇÃO DÉCIMAL UNIVERSAL Notações para as Escolas do 3-º Ciclo e Secundárias . CLASSE 0: Generalidades. Ciência e Conhecimento. Organização. Informação. Documentação. Biblioteconomia. Instituições. Publicações 001 Ciência e Conhecimento em Geral. Organização do Trabalho Intelectual 004 Ciência e Tecnologia Informáticas. Computação 004.3 Equipamento Informático 004.4 Software 004.7 Comunicação de Computadores. Redes de Computadores. Internet 02 Biblioteconomia. Bibliotecas 027.8 Bibliotecas Escolares 028 Leitura. Orientação dos Leitores 030 Obras Gerais de Referência. Enciclopédias, Dicionários, etc. 050 Publicações Periódicas. Periódicos. Anuários 070 Jornais. Jornalismo. Imprensa CLASSE 1: Filosofia. Psicologia 1(031) Enciclopédia de Filosofia 1(038) Dicionário de Filosofia 1(091) História da Filosofia 1 A/Z Filósofos 11 Metafísica 13 Filosofia da Mente e do Espírito 14 Sistemas Filosóficos 159.9 Psicologia 16 Lógica. Metodologia 165 Teoria do Conhecimento. Epistemologia 17 Filosofia Moral. Ética
  19. 19. 20 CLASSE 2: Religião. Teologia 2-1 Teoria e Filosofia da Religião 22 - Religiões do Extremo Oriente 23 - Religiões da Índia 24 - Budismo 25 - Religiões do Mundo Antigo 26 - Judaísmo 27 - Religião Cristã. História Geral da Igreja Cristã. 28 – Islamismo 29 – Movimentos Espirituais Modernos CLASSE 3: Ciências Sociais. Estatística. Política. Economia. Comércio. Direito. Administração Pública. Forças Armadas. Assistência social. Seguros. Educação. Etnologia 3(031) Enciclopédia de Ciências Sociais 3(038) Dicionário de Ciências Sociais 3(091) História de Ciências Sociais 30 Teorias, Metodologias e Métodos nas Ciências Sociais 31 Estatística. Demografia. Sociologia 314 Demografia. Estudos da População 314.7 Migração 316 Sociologia 32 Política 321 Formas de Organização Política 323 Racismo 324 Eleições. Campanhas Eleitorais. Resultados Eleitorais 325 Colonização 326 Escravatura 327 Política Externa. Política Internacional. Relações Internacionais 328 Parlamentos. Governos 329 Partidos e Movimentos Políticos 33 Economia. Ciência Económica 330.1 Noções Fundamentais de Teoria Económica 331 Trabalho. Emprego- Economia do Trabalho. Organização do Trabalho
  20. 20. 21 336 Finanças. Banca. Moeda 338 Situação Económica. Política Económica. Gestão da Economia 338.48 Turismo 339 Comércio. Relações Económicas Internacionais. Economia Mundial 339.92 Cooperação Económica internacional. OCDE, EU (Act. Económicas). 34 Direito. Jurisprudência 342 Direito Público. Direito Constitucional. Direito Administrativo 342.4 Constituição 342.7 Direitos e Liberdades Fundamentais 35 Administração Pública 36 Assistência. Previdência Social. Seguros 366 Consumo 37 Educação. Ensino. Pedagogia 37.01Tipos Fundamentais e Princípios da Educação 37.013 Pedagogia Geral 37.017 Educação para a Cidadania 37.02 Questões gerais da Didáctica e do Método 37.03 Desenvolvimento da Inteligência. Formação da Personalidade 37.04 Educação em relação ao educando. Orientação Escolar e Profissional 37.06 Problemas Sociais. Relações Escola-Família 371 Organização do Ensino. Sistemas Educativos 371.1 Gestão das Escolas. Pessoal Docente 371.13 Formação de Professores 371.214 Currículos 371.26 Avaliação de Alunos 371.3 Métodos de Ensino 371.33 Leitura 371.5 Ordem e Disciplina Escolar 373 Tipos de Escolas 373.2 Ensino Pré-escolar 373.3 Ensino Primário 373.4 Ensino de 2.º e 3.º ciclo
  21. 21. 22 373.5 Ensino Secundário 376 Ensino e Treino de Grupos Especiais. Escolas Especiais 377 Ensino Técnico-Profissional 378 Ensino Superior. Universidades 39 Etnologia. Etnografia. Usos e Costumes. Tradições. Modo de Vida. Folclore. 398Folclore. Tradições. Sabedoria Popular CLASSE 5: Matemática e Ciências Naturais 5(031) Enciclopédias de Ciências Puras 5(038) Dicionários de Ciências Puras 5(091) História das Ciências Puras 50 Questões Gerais sobre Ciências Puras 502 Natureza. Estudo e Conservação da Natureza. Proteção da Natureza e da Vida Selvagem. 504 Ciências do Meio Ambiente. Educação Ambiental 504.5 Poluição Efeitos Negativos da Atividade do Homem 51 Matemática. Geometria 511 Aritmética 512 Álgebra 514 Geometria 517 Análise Matemática 519.2 Probabilidades. Estatística Matemática 52 Astronomia. Geodesia. Astrofísica. Pesquisa espacial. 523 Sistema Solar 524 Estrelas. Sistema Estelar. Universo 524.8 O Universo 53 Física 531/533 Mecânica 534 Acústica. Vibrações 535 Ótica 536 Calor. Termodinâmica
  22. 22. 23 537 Electricidade. Magnetismo. Electromagnetismo 539.1 Física Nuclear. Física Atómica. Física Molecular 54 Química. Ciências Mineralógicas. 543 Química Analítica 544.6 Electroquímica 546 Química Inorgânica 548 Cristalografia 549 Mineralogia 55 Geologia. Meteorologia. Hidrologia 550.34 Sismologia 551 Geodinâmica. Geomorfologia. Oceanografia… 551.46 Oceanografia 551.5 Metereologia. Climatologia 552 Rochas. Minerais 556 Hidrologia 56 Paleontologia. Fósseis 57 Ciências Biológicas no Geral 572 Antropologia 573 Biologia Geral e Teórica 574 Ecologia em Geral 575 Genética. Hereditariedade 575.8 Evolução. Origem das Espécies 576 Citologia 577 Bioquímica. Biologia Molecular 58 Botânica 581 Botânica Geral 582 Botânica Sistemática 59 Zoologia 591 Zoologia Geral 592 Invertebrados 594 Moluscos. Marisco 595 Articulados 597/599 Vertebrados 599.89 Hominídeos. O Homem
  23. 23. 24 CLASSE 6: Ciências Aplicadas. Medicina. Tecnologia 6(031) Enciclopédias de Ciências Aplicadas 6(038) Dicionários de Ciências Aplicadas 6(091) História das Ciências Aplicadas 60 Questões Gerais sobre Ciências Aplicadas (ex: Invenções) 61 Medicina. Ciências Médicas. Saúde 611 Anatomia 612 Fisiologia 612.3 Alimentação 613 Higiene em Geral. Saúde e Higiene Pessoal 613.8 Higiene Mental e Moral. Droga, Tabaco, Álcool 613.88 Educação e Vida Sexual. Planeamento Familiar 614 Saúde Pública. Prevenção de Acidentes (Segurança) 614.4 Prevenção das Doenças Infecto-Contagiosas 615 Farmacologia. Terapêutica 616 Patologias 616.98 SIDA 62 Engenharia. Tecnologia em Geral 621.3 Eletrotecnia 621.38Eletrónica 621.39 Comunicação. Imagem. Som 63 Agricultura. Silvicultura. Exploração Agrícola 64 Ciência Doméstica. Economia Doméstica 65 Organização e Administração da Indústria, do Comércio, e dos Transportes 656 Transportes 657 Contabilidade 658 Gestão de Empresas 658.8 Marketing 659 Publicidade. Propaganda. Informação. Relações Públicas. 66/67 Tecnologia Química. Indústrias Químicas. Indústrias e Ofícios Diversos.
  24. 24. 25 CLASSE 7: Arte. Recreação. Entretenimento. Desporto 7(031) Enciclopédias de Arte 3(038) Dicionários de Arte 7(091) História da Arte 7 A/Z Artistas 7.03 Períodos Artísticos 71 Urbanismo 72 Arquitetura 727.7 Museus 728.8 Castelos. Palácios 73 Artes Plásticas. Escultura. Numismática. Arte do Metal 73.02 Técnicas das Artes Plásticas 74 Desenho. Design. Artes Industriais 744 Desenho Técnico 745/749 Artes e Ofícios Industriais e Domésticos. Artes Aplicadas 75 Pintura 75(091) História da Pintura 76 Artes Gráficas. Gravura 77 Fotografia 78 Música 79 Divertimentos. Cinema. Teatro. Dança. Jogos de Mesa. Desporto 791 Cinema 792 Teatro. Representação Teatral 793 Divertimentos Sociais. Dança 794 Jogos de Mesa e Tabuleiro 796/799 Desporto. Ginástica CLASSE 8: Língua. Linguística. Literatura 80 Questões Gerais Relativas à Linguística 81 Linguística. Línguas 81’36 Gramática 811.111 Inglês (para os livros do ensino das línguas, …etc., escritos nessas mesmas línguas) 811.111(038) Dicionário de Língua Inglesa
  25. 25. 26 811.111’36 Gramática de Língua Inglesa 811.112 Alemão 811.112(038) Dicionário de Língua Alemã 811.112’36 Gramática de Língua Alemã 811.133.1 Francês 811.133.1(038) Dicionário de Língua Francesa 811.133.1’36 Gramática de Língua Francesa 811.134.2 Espanhol 811.134.2(038) Dicionário de Língua Espanhola 811.134,2’36 Gramática de Língua Espanhola 811.134.3 Português 811.134.3(038) Dicionário de Língua Portuguesa 811.134.3’35 Ortografia do Português 811.134.3’36 Gramática de Língua Portuguesa 82 Literatura 82(031) Enciclopédia de Literatura 82(038) Dicionário de Literatura 82(091) História da Literatura 82.0 Teoria. Estudo e Técnica da Literatura 82.02 Escolas Tendências e Movimentos Literários 82.09 Crítica Literária. Estudos Literários 82.09 (075) - textos pedagógicos sobre determinada obra 821.1Literatura de Línguas Individuais 821.111 Literatura Inglesa 821.112.2 Literatura Alemã 821.133.1 Literatura Francesa 821.134.2 Literatura Espanhola 821.134.3 Literatura Portuguesa 821.134.3 (038) Dicionário de Literatura Portuguesa 821.134.3(091) História de Literatura Portuguesa 821.134.3.02 Tendências Literárias em Portugal 821.134.3.09 Estudos de Literatura Portuguesa 821.134.3 A/Z.09 Estudos Literários sobre um Autor Português Ex.: 821.134.3 Queirós, Eça de.09 82-84 Máximas. Provérbios. Pensamentos…
  26. 26. 27 82-9 Outros Géneros Literários, BD 82-93 Literatura Juvenil CLASSE 9: Geografia. Biografia. História 902 Arqueologia 903 Pré-História 908 Monografias Regionais ou de Países 908(469.411) Livros sobre distrito de Lisboa 91 Geografia. Atlas 91(469) Geografia de Portugal 911 Geografia Geral (Física, Humana, Económica….) 912 Quadros. Gráficos. Mapas. Atlas e Globos 913 Geografia Regional. Geografia do Mundo 913(100) Geografia Universal 913(3) Geografia do Mundo Antigo 913(4) Geografia da Europa 913(469) Geografia de Portugal 929 A/Z Biografias Individuais 929.6 Heráldica 929.9 Bandeiras. Estandartes 93/94 História 930 Ciência da História. Historiografia 930.85 História da Civilização. História Cultural 94 História em Geral 94(100) História Mundial 94(100)”…/05” História Antiga em Geral. História dos Povos Antigos 94(100) “04/14”História da Idade Média 94(100) “15/19”História Moderna e Contemporânea 94(100)”1914/18” História da Primeira Guerra Mundial 94(100)”1939/45” História da Segunda Guerra Mundial 94(100)”20” História do Século XXI 94(3) História do Mundo Antigo
  27. 27. 28 94(315) História da China Antiga 94(32) História do Egipto Antigo 94(35) História do Médio Oriente Antigo 94(36) História dos Povos Europeus do Norte, Oeste e Leste 94(37) História de Roma (até 476 d.C.) 94(38) História da Grécia Antiga (até 323 d. C.) 94(4+7) História do Ocidente 94(4) História da Europa 94(4)”375/1492” História da Europa da Idade Média 94(4)”1492/1789” História da Europa da Idade Moderna 94(4)”1789/...” História da Europa da Idade Contemporânea até aos nossos dias 94(469) História de Portugal 94(469)”375/1492” História Medieval de Portugal 94(469)”14/16” História dos Descobrimentos Portugueses 94(469)”1492/1789” História Moderna de Portugal 94(469)”1789/...” História Contemporânea de Portugal, até aos nossos dias Fundo Local 3 (469.411) Ciências Sociais 37 (469.411) Educação 398 (469.411) Tradição Popular. Folclore 502 (469.411) Ciências Naturais. Meio Ambiente 7 (469.411) Arte 908 (469.411) Monografia da Região 91(469.411) Geografia 929(469.411) Biografias 94(469.411) História Local
  28. 28. 29 Sugestões de Classificação Documentos impressos: A) As enciclopédias e os dicionários especializados devem ser classificados na respetiva área de conhecimento, com indicação do auxiliar de forma. Por ex.: Dicionário de Filosofia - 1 (038) Dicionário de História de Portugal – 94 (469) (038) Dicionário de Literatura Portuguesa – 821.134.3 (038) Logos - Enciclopédia de Filosofia – 1 (031) Enciclopédia do Desporto – 796 (031) B) As enciclopédias não especializadas deverão ser classificadas na classe zero, 030. Por ex.: Enciclopédica Luso-Brasileira – 030 C) As gramáticas devem ser classificadas na respetiva língua, com indicação do auxiliar de forma Por ex.: Gramática de Português – 811.134.3’36 Gramática de Inglês – 811.111’36 D) A literatura, caso se justifique pelo fundo da biblioteca, deverá ser classificada pela nacionalidade do autor, ou em casos especiais, pela nacionalidade adotada pelo autor, ou ainda, pela língua em que escreveu a maior parte das suas obras. Deverá usar-se também uma notação e indicar o género literário em que a obra se insere, caso o fundo documental o justifique. (cf. CDU) Por ex.: Levantado do chão de José Saramago – 821.134.3-3 Frei Luís de Sousa de Almeida Garrett – 821.134.3-2 Romeu e Julieta de William Shakespeare – 821.111-1 No caso da literatura juvenil, tanto nacional como estrangeira, deverá optar-se pela sua inclusão na 82-93 Literatura Juvenil. Para a banda desenhada usa-se a notação 82-9 BD E) As biografias deverão ser classificadas tendo em conta o biografado. Por ex.: Vida e obra de Vinicius de Moraes – 929 MORAES, Vinicius de
  29. 29. 30 F) As obras de crítica literária deverão ser classificadas tendo em conta o autor que é criticado. Por ex.: Cadências Tristes: (…) obra de Cesário Verde - 821.134.3 Verde.09 Sintra na obra de Eça de Queirós - 821.134.3 Queiros.09 G) Nas monografias (estudos da História, Geografia, Costumes, Cultura, Economia de um País, Região ou Localidade) deverá usar-se a classificação 908 seguida dos auxiliares de lugar. H) Na História deverá usar-se um auxiliar de tempo.
  30. 30. 31 ANEXO III Tabela de Classificação de Documentos Sonoros (BDVP – Bibliotecas e Discotecas da Cidade de Paris) 0- Música Tradicional Nacional 01 – Música Culta não Ocidental 02 – Música Ritual e Religiosa 04 – Nova Música de Inspiração Tradicional 05 – Cantos de Luta e de Trabalho, Patrióticos e Históricos 06 – Variedade e Música Instrumental Moderna 07 – Canção 08 – Outras Músicas Singulares de Origem Tradicional: Fado; Flamengo; etc. 1 – Jazz e Blues 2 – Rock e POP 3 – Música Clássica 330 – Música Vocal Profana 340 – Música Vocal Sacra 4 – Novas Linguagens Musicais e Música Contemporânea Posterior a 1945 5 – Música Funcional 510 – Música de Espectáculo 511 – Comédia Musical 512 – Circo 513 – Humor Musical 520 – Música de Cinema 530 – Música Militar. Hinos Nacionais 540 – Iniciação Musical 550 – Dança. Expressão Corporal 551 – Dança Folclórica 551 – Dança Rítmica 560 – Música de Festas Populares 570 – Música Ambiental. Música de Género
  31. 31. 32 580 – Música Mecânica. Carrilhão. Órgão. Caixa de Música 590 – Sons Naturais. Ruídos. Efeitos Sonoros 6 – Registos não Musicais 610 – Literatura 611 – Teatro 612 – Poesia 613 – Prosa. Novela 614 – Contos. Lendas. Mitos 620 – Entrevistas. Autobiografias 630 – Biografias 640 – História. Testemunhos. Discursos. Viagens. Exploração 650 – Documentos Temáticos. Generalidades 660 – Métodos de Aprendizagem de Idiomas 670 – Humor e Variedades Faladas 7 – Registos Sonoros para Crianças 710 – Canções e Músicas Infantis 720 – Textos 721 – Contos e Relatos Adaptados 722 – Música de Cinema. TV. Cómicos 723 – Prosa 724 – Poesia 725 – Teatro 730 – Iniciação Sonora Musical 740 – Documentários 750 – Música de Natal 8 – Ciências e Técnicas Musicais
  32. 32. 33 ANEXO IV Tabela de Classificação de Documentos Vídeo (FIAF – Federação Internacional de Arquivo de Filmes) 73/75 Ficção 732 – Comédias 733 – Dramas. Melodramas 734 – Policial, “Triller”, “Gangster”, Suspense, Espionagem, Ação 735 – Fantasias. Ficção Científica 736 – Western. Orientais 737 – Filmes de Guerra 738 – Aventura e Natureza 739 – Desporto e Jogos 740 – Espectacular. Épico 741 – Histórico. Dramas Sociais. Filmes de Época. 742 – Biográfico 743 – Filmes Religiosos 745 – Político. Ideológico 747 – Relações Humanas e Sociais 748 – Questões Morais. Dependências. Vícios 749 – Sexo. Erotismo 750 – Artes 751 – Filmes Musicais 752 – Literatura. Mundo Artístico 753 – Adaptações. Autores Específicos. Criadores 754 - Transportes 756 – Países. Estados. Cidades 759 – Entretenimento Ligeiro. Shows. Humor
  33. 33. 34 76 Não Ficção 762 – Documentários. Atualidade. Jornalismo. Notícias 763 – Científico. Técnico. Industrial. Educacional 765 – Manipulativo. Filmes Patrocinados 766 – Filmes de Interesse Geral. Hobbies 767 – Não Ficção por Assuntos  772 – Filmes Animados 773 – “Expanded Cinema”. Projetos Televisivos.
  34. 34. 35 BIBLIOGRAFIA: - Informação e documentação - Referências bibliográficas: documentos impressos. IPQ (Instituto Português de Qualidade). - Biblioteca da Universidade de Évora, Glossário de Termos Biblioteconómicos: http://www.bib.uevora.pt/glossario/ 2 de Abril 2010 - Manual de Procedimentos do Agrupamento de Escolas Ferreira de Castro, Escola Básica 2,3 Ferreira de Castro.

×