Nota do Autor: Esta fanfiction se passa desde o começo da série, com ênfase,principalmente, nas três primeiras temporadas,...
Eu sou um ator, não um médico. Mas há uma pequena parte de mim que éDerek Christopher Shepherd. O quanto de mim é ele? Os ...
milhão de vezes”, digo para mim mesmo, quando eu olho para o espelhoretrovisor e puxo meu cabelo para trás do meu rosto.O ...
trabalhamos juntos em Now and Again e, posteriormente, nos tornamos bonsamigos. Peter é um daqueles surfistas adultos que ...
"Tenho de ficar com a minha roupa?” Eu pergunto quando eu me deito nasuperfície desconfortável. Eu olho para Ellen para ve...
"Oh, sinto muito”, digo quando me lembro que supostamente deveria estarabotoando as calças neste ponto. Eu apressadamente ...
Again, mas eu sabia que isto não era garantia de nada . O episódio-pilotopoderia não pegar, e cerca de um milhão de outras...
Ambos os homens olham para mim enquanto eu continuo a olhar para eles,tomando um gole de café. Apenas o que estava acontec...
alguma coisa sobre naquele lugar, e então ele se vira para me dizer commágoa simulada, "Você está sendo malvada.”"É melhor...
Quando Shonda, Peter, e o grupo preparavam a próxima cena, eu dei um olharfurtivo para Patrick. Ele ainda estava deitado d...
eu era mais velho e (espero) mais sábio. Eu queria que as coisascaminhassem bem. E que melhor maneira de se conhecer um ao...
"Você teve alguma dificuldade em encontrar o lugar?” Pergunto educadamenteenquanto olho para os dois.Sinto-me recompensado...
sua decisão. Recusei-me a comprar coisas vegetarianas, embora. Possocomprar no Whole Foods, mas eu não estou a fim de come...
Paddy olha como se ele estivesse prestes a rebentar em risadas, mas ele sesegura e lhe diz: "Não, esse é o Chris. Não Gri’...
os olhos, e refletir sobre as maravilhas do universo, afinal tinha uma do meulado.Mas nesta noite, a conversa está no menu...
Oh, como ela estava certa. Ficamos a falar sobre nossas impressões sobre oresto do elenco, o que nós pensávamos dos nossos...
da câmera. "Nós vamos repetir um monte de vezes a partir de ângulosdiferentes e ver o que acontece”.Primeiro, eles apontam...
“É meu professor e professor da minha professora. E é meu professor.” (Mer)“Sou sua irmã. Sou sua filha” (diz Derek sarcás...
sou uma pessoa pequena, é muito difícil você começar a empurrar alguémcomo Patrick. Mas ele só me leva e me permite fazê-l...
PATRICKSerá que eu sabia quando as coisas começaram a deslizar ladeira abaixo?Não, mas eu acho que eu poderia ter uma idéi...
"Você parece uma mulher, eu juro”. Ellen fala com o seu roteiro na mão e umacaneta em riste."O quê? Eu gosto de chocolate....
“Esquisito”.Eu dou uma evasiva com os ombros. "Mas isso ainda não responde a minhapergunta”."Que pergunta foi essa?"Por qu...
Ela faz uma pausa de um segundo para pensar nisso e franze o rosto nopensamento. Eu estou realmente interessado em ouvir o...
"Yep.” Eu respondo com um pequeno sorriso."Como posso ter punhos mínimos e ineficazes?” Ela pergunta, incrédula."Você é co...
pensando sobre aquela conversa no trailer. Eu não podia balançar no sentidode que eu não estava falando para Ellen. Foi pa...
ofendido quando souber sobre os dois acima mencionados, havia um pequenoexcesso de testosterona na minha vida agora.Eu buf...
enrolava, sprayava tintas e falava. Falava, falava, falava. Falou até meu ouvidopedir pelo amor de Deus.Estava a ponto de ...
próxima. Nós estávamos andando em linha reta pelo corredor, então eu não seicomo ele fez isso, mas vejo-me rindo de qualqu...
eu não a via tirar os olhos de cima de Patrick desde que ele entrou. Ou, maiscorretamente, de seu traseiro.Ela corre e peg...
estou enganada. E com certeza, assim que eu me sento, ele coloca a mão naminha bunda."Pare com isso”. Eu sussurro para ele...
para mim, " Ok, agora nada de banco. Você acha que pode saltar sobre suascostas?”Eu pisco de surpresa e olho para Paddy. E...
nos colocando em uma piscina de água fria congelando no meio de março,mas o fotógrafo parece tão animado que nós apenas nã...
Depois tivemos que nos secar e nos trocar para fazermos a última foto do dia:um pouco de pose em um divã ao lado da piscin...
Dempeo 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Dempeo 1

1,460

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,460
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
26
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Dempeo 1

  1. 1. Nota do Autor: Esta fanfiction se passa desde o começo da série, com ênfase,principalmente, nas três primeiras temporadas, até recentemente.O que estiver em itálico são falas dos personagens nos episódios. Espero quegostem, obrigado por lerem, e obrigado ao meu irmão por me mandar material.PATRICKEu sou Patrick Galen Dempsey, ator de cinema de Hollywood, casado com abela Jill e tenho uma linda filha, Tallulah. Ah, e preciso dizer mais uma coisa,estou encrencado, sabe por que? Porque eu estou apaixonado pela minha co-estrela do seriado Grey’s Anatomy, a doce, linda, maravilhosa, fantástica edeliciosa Ellen Kathleen Pompeo.Isto, eu disse. Eu tenho dito isso na minha mente um milhão de vezes, mas aomesmo tempo, nunca deixo entrar na minha consciência. Ou deixo? Que eusempre soube que a amava? Que eu sempre a amei? Eu realmente não tenhoidéia. Levei muito tempo até mesmo para identificar que o meu amor por Ellenera uma entidade separada do amor do meu personagem Derek para Meredith.Houve realmente um dia que eu pudesse identificar onde isto passou dasimples admiração à adoração? Quando eu tinha parado de vê-la como minhaamiga e colega de trabalho e comecei a amá-la como uma mulher? Apenasquanto dela que eu amo que é Ellen, e quanto eu amo que é Meredith? Aspessoas se surpreenderiam ao saber que a resposta não é simples.Será que ela sente o mesmo por mim? Você acreditaria em mim se eu lhedissesse, que havia alguns dias em que eu acreditava, com cada fibra do meuser, que isso era verdade? Que os nossos olhos se encontram durante afilmagem de uma cena e eu acho que isso era Ellen (Ellen!), olhando para mimcom todo o amor em seu coração.Mas, então, as câmeras vão cortar, a cena vai seguir em frente, e eu ficoimaginando. Imaginando apenas o que é que eu estou pensando. Eu amo aminha esposa. Eu quero amar! Ela acreditou em mim, quando ninguém maisacreditava e me deu a filha mais maravilhosa que um cara pode pedir. Eu voupara casa hoje após o trabalho, e ela vai estar lá. Eu vou ser eu, Patrick, e elaé minha esposa, Jill.Mas tenho outra vida. Você está muito consciente desta outra vida. Uma vidaque pode levar até 16 horas do meu dia. Você me vê todas as semanasinterpretando esta outra pessoa. Derek Shepherd: o neurocirurgião, o deus dosexo, o McDreamy. O homem que trouxe o xadrez e pulóvers para a moda. Ohomem com o cabelo perfeito. O homem que pode praticar adultério e todomundo achar sexy.Eu moro em uma mansão em Beverly Hills, e não em um trailer. Eu tenho umaesposa e filha, não com uma mulher ruiva que me traiu com meu melhor amigo.
  2. 2. Eu sou um ator, não um médico. Mas há uma pequena parte de mim que éDerek Christopher Shepherd. O quanto de mim é ele? Os maneirismos, olúdico, o charme, são todas as coisas que só vêm a mim naturalmente. Eu nãoposso perder o controle. A vaidade, o ego, o egoísmo? Eu posso até usá-los aolongo do tempo.Apenas quem sou eu então? Patrick ou Derek? Onde está a linha que nossepara? Quem é o homem apaixonado por sua esposa e filha? Quem é ohomem apaixonado por uma interna corajosa? Quem é o homem apaixonadopela bela Ellen? Quanto disto é real e quanto é fictício?Será que você se surpreenderia ao saber que às vezes eu realmente me sintocom Meredith, em sua casa tomando o café da manhã? Que o meu coraçãoquebrou junto com o de Derek, quando Addison apareceu para me separardela? Eu quero dizer Meredith. Veja, estou confundindo novamente. Quando eupasso tanto tempo como Derek, é inevitável que suas emoções entrem naminha vida.Ao mesmo tempo eu era apenas Patrick: Um ator com uma mulher, umemprego e uma família. Alguns dias, Patrick é apenas uma memória distante.Quando coloco meu uniforme ou eu deito a minha cabeça na cama deMeredith, eu sou Derek: um neurocirurgião apaixonado por Meredith e casadocom uma mulher chamada Addison. Como cheguei aqui? Como eu não sei oque é real, ou o que é fantasia?Bem, eu estou aqui para dizer-lhe isto. Para você ver o começo. Veja se vocêpode dizer o que aconteceu. Talvez você possa me dar algumas respostas.Estou me iludindo? Eu passei algum limite? Eu sou um trapaceiro emocional?Ou eu sou apenas muito bom no meu trabalho? Você decide. Esta é a minhahistória.Eu me lembro da última vez que eu fui totalmente Patrick. Eu havia levado meuCadillac prateado para o estacionamento da Prospect Studios, pela segundavez em uma semana. Eu amo o meu carro. Não tenho nada a reclamar. Osestúdios eram caixas tradicionais, mas onde eu estava indo realmente pareciauma pequena casa em miniatura.A primeira vez que eu vim aqui, eu pensei que nunca iria ver este lugarnovamente. A criadora da série, Shonda, pareceu me odiar, mas Peter, PeterNorton, é um bom amigo e deve ter dito boas coisas sobre mim. Porque aquiestou novamente.Eu até tenho um convite promissor para um outro drama médico (House), maso personagem é um grande resmungão e eu não sou muito parcial. Eu sei quepoderia fazê-lo, mas há algo sobre o personagem para o qual estou fazendotestes hoje, ou a história, que me intriga. É também um drama médico, mas háalgo diferente. Para começar, a primeira cena me tem, ou Derek Shepherd, istoé, de rosto para baixo e completamente nu, no chão de uma certa sala. Ha!O dia começa com um pouco esquisito: "Certo Patrick, você já fez isso um
  3. 3. milhão de vezes”, digo para mim mesmo, quando eu olho para o espelhoretrovisor e puxo meu cabelo para trás do meu rosto.O ato de olhar para o espelho, puxa todas as rugas para minha testa,lembrando-me de que estava com quase 40 anos. Quem iria querer lançar-mecomo um quente médico neurocirurgião? Meu nariz é torto, tenho rugas aoredor de meus olhos, e posso até ver uns fios prateados em meus cabelos.Ok, é hora de levantar minha bunda para fora do carro velho. O homem noespelho me diz isto, antes de se virar para as coisas que estão no banco dopassageiro e pegá-las.Eu preciso do script e do meu boné da sorte. Meu cabelo ficou um pouco longorecentemente. Eu deveria ter pedido a Jill para cortá-lo um pouco. Por que nãopensei antes nisso? É que esta semana inteira foi louca em todos os sentidos.Tallulah não é exatamente tão fácil de lidar com três anos de idade. Fazerfilmes é maravilhoso, mas desde que T nasceu, eu anseio em ter uma vidafinanceira mais estável. Se eu conseguisse este papel do médico, eu iria gostarmuito.Eu saio para fora do carro velho e faço pequenos ajustes em minha aparência.Estou de jeans e um pulôver sobre uma camisa de colarinho. Jill parece pensarque isto é o que os médicos usam no seu tempo livre. Eu quero me parecercom Derek Shepherd. Derek Shepherd não pode aparecer com um boné debeisebol. Exatamente o que, o Doutor vai fazer com seu cabelo?Eu tive um momento difícil tentando descobrir o que este homem é. Eu não souum médico, sou um ator. Ele aparentemente não tem nenhum escrúpulo empegar mulheres em bares. Que ele tenha seguido essa mulher até a casa delae agora encontra-se nu, no chão da sua sala. Adorável. Quantos anos temesse cara? Eu não faço uma coisa assim, desde que eu tinha 20 anos. Essecara está tendo uma crise de meia-idade ou algo assim? Ah sim, e ele pareceter o ego grande. Um ego enorme, se definitivamente se acreditar em algumasdas declarações que ele faz.Hoje é dia de conhecer a atriz. Como é seu nome mesmo? Ellen. Sim, EllenPompeo. O que ela já fez? Algo com Leonardo Dicaprio? Eu acho que nãoimporta, porque se eu não der certo com ela, eu não vou vê-la mais.E então eu ouvi. Uma risadinha. Não apenas qualquer risadinha. Umaharmonia de som de alta-frequência que sai quente e contagiante. Eu paromomentaneamente no corredor e em seguida, sinto-me estúpido.Provavelmente é só a minha imaginação. Mas, quando eu estava perto, euouço a risadinha novamente. Vinha desta criatura pequena: uma mulherminúscula, magrinha, que tinha uma luz fluindo ao longo de seu cabelo louro-castanho. Ela olha de volta para mim e Peter e Shonda estão bem diante demim, então eu relutantemente tiro meus olhos de cima dela e me viro paracumprimentá-los."Peter”, eu digo com um sorriso sincero e um aperto de mão. Peter e eu
  4. 4. trabalhamos juntos em Now and Again e, posteriormente, nos tornamos bonsamigos. Peter é um daqueles surfistas adultos que nunca deixou de ter ocabelo desalinhado. Ele é muito bom em seu trabalho, mas quando você vêseu cabelo loiro desgrenhado, você pensa imediatamente que ele devia sermuito mais feliz em uma praia em algum lugar. Nós dois tivemos fama emidades mais jovens e ambos sabíamos que era passageira. Nós nosentendemos um ao outro. Ele é a razão pela qual eu estava aqui.Eu dou às mulheres o meu sorriso mais encantador. Posso estar ficando velho,mas ainda tenho meu charme. Betsy é uma mulher mais velha com o cabelofino um pouco ondulado. Mas ela fica parecendo uma menina quando euaperto sua mão. E isso que eu vejo é um rubor? Isto pode não ser tão difícilquanto eu pensava que ia ser.Shonda, agora Shonda é um mistério. Ela é uma mulher madura também, masonde Betsy é quente e convidativa, Shonda é apenas um resfriado. Mas o queé interessante é que em uma empresa onde as mulheres têm estado apenasnas fileiras dos produtores de Hollywood, ela é uma mulher afro-americana.Tem que haver uma história aí. Ela mantém distância de mim. Novamente. Elafez isso da última vez também. Será que ela não vai com minha cara? Seráque ela não gosta de homens?"E esta é a Ellen”, Peter diz segurando a mão da mulher-duende.Tudo bem, aqui vai, eu acho, quando eu virar a minha cabeça para encontrarmeu destino. Todo o trabalho baseia-se em quanta química eu devo ter comessa mulher. O tempo parece abrandar os poucos segundos que levam paraeu mover minha cabeça em sua direção. E quando minha cabeça gira, algumacoisa clica no lugar. O riso da minha memória passa a ter a luminosidade dosseus olhos. Atraem-me com sua doçura e sua vulnerabilidade. Algo sobre estamulher diz-me para não duvidar de sua força. E pela primeira vez, em todosesses dias, talvez em todas essas semanas, eu relaxo. Eu posso fazer isso.Eu dou o meu sorriso mais charmoso, e em breve serei apelidado deMcDreamy. Ela sorriu, segurou a minha mão e disse: “Olá Patrick. É um prazerte conhecer.” Nós compartilhamos um sorriso pequeno em segredo, quando elavolta o meu aperto de mão.Eu vejo com o canto do meu olho Betsy e Shonda dando uma olhada. O queisso significa? Eu segurei a mão dela mais do que o necessário, e Peter temque quebrar nossa conexão com uma tosse envergonhada. “Nós temos ummonte de gente para ver hoje, então por que não começamos logo com oteste?” Disse ele."Oh, claro”. Eu digo, um pouco envergonhado. Eu seriamente poderia terapenas segurado a mão dela por um tempo demasiado longo?"Então, porque vocês não ficam em suas posições?” Peter diz indicando com acabeça o sofá e o conjunto de cadeiras no fim do quarto. Peter, Betsy, Shondasentaram-se nas cadeiras, Ellen está no sofá, e eu estou deitado no chão.
  5. 5. "Tenho de ficar com a minha roupa?” Eu pergunto quando eu me deito nasuperfície desconfortável. Eu olho para Ellen para ver se ela valorizou o meuesforço cômico. Sinto-me recompensado por outra risadinha minúscula. Isso émuito fácil. Eu suprimo o meu sorriso e empurro o meu rosto em minhas mãosque estão caídas no tapete.Eu estou ainda rindo silenciosamente quando Peter grita, "Ação”.Eu ouço Ellen levantar-se do sofá e sair ao redor de mim. A suposição era a deque eu acabei de passar uma noite inteira fazendo amor com ela, então eurolo gemendo e lhe entrego o sutiã, “Isso é ...” eu começo dizendo.Eu olho nos olhos dela e estou surpreso ao ver que ela não é mais a mulher darisada divertida de um minuto atrás. Ela está com um olhar de aborrecimento econstrangimento. Interessante. Ela diz em uma voz grave que poderia estarvindo de uma mulher velha que já fumou muitos cigarros, "Humilhante emtantos níveis. Você tem que ir embora”.De repente eu me sinto um pouco fora de equilíbrio. Estamos supondo queacabamos de passar a noite fazendo amor, então porque é que ela está sendotão defensiva? Eu li o script, então eu sei o que esperar.“Por que não volta aqui e a gente continua de onde paramos?”“Não, sério. Você precisa ir. Estou atrasada. Ninguém quer estar atrasada noprimeiro dia de trabalho, portanto...” Ela exige bruscamente. Fico inquieto.Tenho praticado isso muitas vezes mas nunca me senti assim. Eu poderiamuito bem estar com Meredith, na sua casa em Seattle e não em algumestúdio de Hollywood desconfortável até onde as minhas emoções estão emcausa. Isso é divertido."Então, você mora mesmo aqui’”. Eu digo quando eu olho à minha volta e tentofingir que estou vestindo apenas uma cueca samba-canção. Eu finjo que estounu agora, mas isso não é uma coisa difícil de fazer.Essa mulher é dura. Mas, então, milagrosamente, ela amolece e dissimula:"Não”.“Ah”. Digo.Sim!” seguido por um “meio que”."Ah”.Eu respondo novamente. Que diálogo amável que tenho aqui. “É legal.Um pouco empoeirado, estranho, mas legal”. Ainda estou envergonhado dedizer, "Como é que você maio que vive aqui?”"Eu me mudei há duas semanas de Boston. Era a casa da minha mãe. Vouvendê-la”. Diz-me com um pouco de sotaque de Boston. Ela é realmente deBoston ou será que ela está fingindo isto também?
  6. 6. "Oh, sinto muito”, digo quando me lembro que supostamente deveria estarabotoando as calças neste ponto. Eu apressadamente tento resolver isso, masminha cabeça atira-se involuntariamente para trás, quando ela pergunta: "Porquê?’"Você disse era”, eu respondo. Ok, esse cara realmente é um idiota. O que elavê nele mesmo?"Oh, minha mãe não está morta. Ela está...”. Ela engasgou de surpresa, masdepois muda o rumo da conversa dizendo "Sabe de uma coisa? Não temosque fazer aquela coisa”."Podemos fazer qualquer coisa que você quiser”."Não, aquela coisa: trocar detalhes, fingir que nos importamos”.Eu não consigo esconder o sorriso estupidamente enorme que faz caminhopelo meu rosto com a audácia dessa mulher quando ela desfia, "Olha, eu vousubir e tomar um banho. Ok? E quando eu descer novamente, você não estaráaqui, portanto... Adeus”.E ela começa a me dar a mão e não tem idéia do que dizer em seguida. Oh,espere, é a minha fala a seguinte."Derek.” Eu digo quando eu seguro a sua mão. E nesse momento, EU SOUDerek. Estou em união com esta menina pela primeira vez. Nós tivemos umanoite maravilhosa de sexo juntos e ainda não sabemos nossos nomes."Certo. Meredith.” Ela diz com uma postura cool na minha frente. Ela fingeestar envergonhada.Eu me puxo para a frente através de nossas mãos ligadas e ela se esquiva."Prazer em conhecê-la”, eu digo e ela puxa sua mão fora da minha. “Tchau,Derek.” Eu fico carente de repente, com a ausência de sua mão na minha.Sinto-me incerto do que eu deveria fazer. Devo segui-la para cima ou apenassair de sua casa como ela pediu?E então alguém começou a bater palmas. Eu me viro de repente lembrandoque temos um público-alvo. E que estou em um estúdio, interpretando. O queaconteceu lá? Eu tento esconder o fato de que estou nervoso. Eu sou um ator.Eu já tive muita prática com esses tipos de situações. Então eu paro de atuar.Meu rosto é o de um profissional consumado. Eu sou Patrick de novo.Fui para casa naquela noite, sabendo que eu tinha conseguido. Estava nestenegócio há muito tempo e às vezes você só sabe disso. E com certeza, doisdias depois, recebi o telefonema. Eu ia ser Derek Shepherd. Jill e eucomemoramos com uma noite fora na cidade. Lembro-me de um entusiasmomoderado sobre a possibilidade de uma renda constante.Eu tinha ido muito bem no início da minha carreira e, mais recentemente tivealgum sucesso leve em Sweet Home Alabama e um Emmy em Once and
  7. 7. Again, mas eu sabia que isto não era garantia de nada . O episódio-pilotopoderia não pegar, e cerca de um milhão de outras coisas poderiam derrubar oprojeto antes que ele mesmo começasse. Mas ainda assim, eu estavaanimado.Será que sabia que nesse momento, minha vida estava prestes a mudar? Eupoderia ter previsto o sucesso do show? Posso olhar para trás e saber, emque momento, honestamente, o rumo que minha vida iria tomar? Se solicitadoa testemunhar em um tribunal, eu diria que não. Mas, no fundo, no fundo domeu coração, eu sabia. Havia apenas uma coisa especial sobre este projeto.Seria a escrita? Seria porque eu sabia que Peter iria fazer um grande trabalho?Ou era a ligação imediata que senti olhando para aqueles luminosos olhosverdes? Eu não sabia.ELLEN:Ok, eu sou a Ellen Kathleen Pompeo e eu tenho o melhor emprego do mundo.Vejam bem: primeiro dia de trabalho e já tem um homem nu no chão da minhasala. Bem, não existe chão da minha sala. Tecnicamente, é uma casa alugadana seção ‘Hill União de Seattle’, e que supõe-se ser a casa de Meredith, maseu gosto de pensar na personagem. Shonda disse-me que ela quer esta cena para começar tentando mostrar quetipo de mulher Meredith realmente é. Não é uma heroína doce, mas alguémque se embriaga, pega um cara em um bar, e faz sexo com ele no dia anterior,que ela deveria começar a trabalhar. Eu sabia que era suposto também quePatrick deveria estar semi-nu e fingindo que tinha acabado de passar a noite nochão da minha sala, mas eu realmente não estava preparada para o que eletinha por baixo do robe azul escuro. Ou, para ser exata, o que ele não tinha porbaixo do robe.A empresa de produção tinha alugado esta casa no centro de Seattle e, emseguida, encheu-a com móveis de segunda mão que eu tinha certeza de queseriam jogados fora no dia seguinte.Então lá estava eu, sentada em um sofá verde infame, lendo uma revista deentretenimento e bebendo um “latte mocha”, esperando a cena muito curiosa.O time começa a levantar-se e preparar-se para filmar a cena, quando Patricke Peter vem vindo discutindo sobre algo."Você tem certeza sobre isso?” Eu ouço Patrick dizer a Peter, num tom baixoque faz com que minhas orelhas se levantem."Esse é um seriado para as mulheres. Nós temos que pensar nisto”, Peter dizcerrando um pouco o punho, enquanto caminhava até o set-up da cena.E então, em um tom ainda mais baixo que eu tinha que me esforçar para ouvir,ele disse, "Quando você disse que ele estava nu, eu pensei que você quisdizer que o estúdio estava nu, não nós dois nus”.
  8. 8. Ambos os homens olham para mim enquanto eu continuo a olhar para eles,tomando um gole de café. Apenas o que estava acontecendo aqui? Peterpigarreia. Patrick continua a olhar fixamente. Eu olho para trás. E jogo umasobrancelha levantada para os dois."E de todo modo, este é o Derek fazendo isso de qualquer maneira, não você”,Peter diz com um tapinha viril no ombro de Patrick.Algo muda na expressão de Patrick, e ele se levanta um pouco mais reto. Eupodia jurar que conseguia ouvir as rodas girando em seu cérebro. Ele olha parao pequeno trecho de chão que ele deveria ficar deitado, tem um outro olharpara mim, e então sorri enormemente. O largo sorriso no rosto que eu juro queé semelhante ao gato ter comido o canário. Ou neste caso, ele sabe que ocanário estará lá dentro em pouco para ser o seu jantar."Ladies primeiro”, Ele me diz com um sorriso pouco conspiratório. Minhasobrancelha direita se une à sobrancelha esquerda elevada na minha testa."Certo”, digo de forma desafiadora. Não tenho nenhum problema pegando omanto. Será que ele acha que eu não posso fazer isso? Eu sou umaprofissional.Eu me levanto, entrego o café e a revista para um dos assistentes, e removomeu manto. Mas isto realmente não importa, porque a roupa de banho cor decreme cobre praticamente tudo. Deito-me no sofá de barriga para baixo e olhopara cima para ver se ele me seguiu.Ele está olhando para mim e se vira para Peter com um olhar afiado que dizalgo não-verbal que eu não compreendo. Ele olha traído. Peter só balança acabeça e ri. Minha curiosidade é poderosamente estimulada, se assim possodizer.“Me dá o cobertor”, Ele diz e estende a mão.Peter dá um sorriso para ele e um membro do time joga o cobertor roxo, querealmente parece mais um lance, para ele. Ele o pega com uma mão e emseguida, o envolve em torno de si sob o manto, amarra na cintura, e entãocomeça a remover o manto e jogá-lo sobre a pessoa de costume com um brilhonos olhos ainda mais atroz. Ele deita-se sobre as duas almofadas que foramcolocadas ao seu redor para quebrar a sua queda, mete as mãos sob umasuperior e o time entra em ação.Quando eu olho para baixo, ele está olhando para mim com uma expressãomuito divertida. Tenho que devolver o favor. "Então eu acho que deveria terbronzeado minha bunda antes de eu filmar”. Ele diz divertido.Eu começo a rir. "Você ainda pode passar maquiagem sobre ela”, digo entreuma onda de risos.Ele olha para a maquiadora, que provavelmente ficaria muito feliz esfregando
  9. 9. alguma coisa sobre naquele lugar, e então ele se vira para me dizer commágoa simulada, "Você está sendo malvada.”"É melhor ser bom comigo. Eu estou realmente no comando. Sou eu que puxoa sua coberta.” Eu, na verdade não tenho nenhum poder real, mas é tãodivertido mexer com um homem deitado praticamente nu no chão na suafrente. Especialmente um que manda um brilho para cima de você com essespotentes olhos azuis.Seu rosto desanuvia como se ele quisesse rir, mas depois se transformam emuma careta brincalhona, projeta o lábio inferior para fora, e diz: “Vamos lá, vocêtem que ser boa para o homem que está no chão frio em um cobertor umpouco frágil.”“Você não vai ficar com o cobertor por muito tempo”. Eu gracejo e em seguidadamos risadas. Nenhum de nós realmente pensou sobre o fato de que os dois,quase desconhecidos, estão quase nus em uma casa com um monte de outraspessoas olhando. Com câmeras.Ele ri junto comigo, e a maquiadora chega para corrigir meu cabelo. Eu não seicomo meu cabelo deveria ficar depois do sexo, de ter bebido a noite toda, eterminar em um sofá, mas isto é a televisão, por isso nunca se sabe. Peter eRob (o cinegrafista) finalmente vêm para começar a filmar a parte de abertura. E então chegamos à parte divertida. “Sim, muito bem Ellen, basta pegar ocobertor e retirá-lo lentamente.” Peter diz, enquanto Rob Corn direciona acâmera sobre Patrick, que, muito em breve, terá sua bunda ainda maisexposta.Patrick vira-se para o lado para fingir que ainda está dormindo, e eu tentoremover o cobertor um par de vezes. É um pouco complicado remover algoassim sem expô-lo demais ou a mim mesma.Mas, então, Shonda e Peter param de filmar e começam uma conferênciaentre si. Eu posso ouvi-los cochichando sobre a iluminação, o realismo e todotipo de porcaria. Mas Patrick continua a me distrair, tentando mover o cobertorsozinho flexionando a bunda. Eu sufocava meus risos, pressionando o meurosto nas almofadas do sofá.Isso é quando Peter decide se aproximar de mim e pergunta nervosamente,“Você tem algum problema em ficar nua?”"Problema nenhum”, eu digo. "Eu já tive que fazer cenas nua antes.” Nemsequer olhei para Patrick apesar de saber que ele estava sorrindo.Todo mundo vira as costas (exceto Patrick que não pode se mover sem seexpor ainda mais), eu tiro a roupa, e me deito no sofá, nua, como no dia emque eu nasci. Na verdade, eu realmente me sinto como se estivesse acordandonua. Além disso, que outra atriz, em seu primeiro dia de filmagem, começavoando para Seattle e ficava nua com o seu charmoso e bonito co-estreladurante todo o dia? Eu tenho um namorado, mas eu sou uma mulher.
  10. 10. Quando Shonda, Peter, e o grupo preparavam a próxima cena, eu dei um olharfurtivo para Patrick. Ele ainda estava deitado de barriga para baixo, em todasua glória, com a cabeça apoiada sobre o travesseiro. Ele sorriu para mim,deixando os cantos dos olhos relaxados em expressão gentil. Eu sorri de volta.Eu estava indo chutá-lo para fora da minha casa. O que era divertido. E entãoeu acho que se esse episódio piloto pegasse, que outras cenas nóspoderíamos fazer juntos? Eu não podia esperar para descobrir.PATRICKAcho que tive um pouco de noção do problema que estava prestes a chegarpara mim, no dia em que convidei todo o elenco para um churrasco, em minhacasa. Tínhamos trabalhado duro, o piloto tinha pegado, e agora era a hora decomemorar. Eu tinha um emprego estável para os próximos dois anos. A vidaera boa.E eu queria compartilhar esta vitória com os meus companheiros de elenco.Alguns tinham feito alguns filmes sem muita expressão como Ellen, Sandra, eJames, e alguns tinham seguidores, como Katie, mas no esquema das coisas,eram todos muitos baixos no radar de Hollywood. E se nós estávamos indotrabalhar juntos, era bom estar em boas condições. Nos meus primeiros filmes,eu tinha deixado a fama chegar à minha cabeça e foi uma merda. Mas agora
  11. 11. eu era mais velho e (espero) mais sábio. Eu queria que as coisascaminhassem bem. E que melhor maneira de se conhecer um ao outro?As pessoas estavam circulando no quintal, elenco e equipe igualmente,comendo alguns vegetais e frutas que eu tinha comprado no Whole Foods. Eutinha perguntado se as pessoas não iriam trazer nada, mas é claro que elesaparecem com um pouco de vinho ou com sua cerveja favorita. A festa já tinhacomeçado há uma hora. A churrasqueira estava quente o suficiente paracolocar a carne, assim eu estava na cozinha pegando as carnes e salsichas dedentro da geladeira, quando ouvi a campainha tocar.Eu estava surpreso, querendo saber quem poderia ser. Eu deixo cair atravessa sobre o balcão, limpo as mãos, e dirijo-me à frente da casa. Pelo vidroda grande porta de entrada dá para ver que finalmente Ellen chegou. Elaparece realmente bonita em seus jeans e um top preto com babados, e seucabelo está livre e solto sobre os ombros. Eu estava começando a pensar queela não viria. Eu admito que o pensamento fez-me um pouco mal-humorado.Todos aqui tinham vidas ocupadas, e nós estávamos a ponto de nos ver muitouns aos outros, por isso não devia significar nada. Isto era o que eu estavadizendo a mim mesmo de qualquer maneira, mas ainda assim o meu coraçãobateu um pouco mais rápido quando eu a viu pé em frente na minha porta deentrada.Pelo vidro, ela me vê chegar e sorri. Eu estava confortável, com uma camisaverde que Jill fez-me vestir e meu mais confortável jeans azul escuro. Então eusei que estava bem, mas, ainda assim, era bom ver a valorização feminina emseus olhos. Quando você passa um dia inteiro, completamente nu ou quase nuna companhia de alguém, isto os deixa bastante à vontade bem rápido. Ou nonosso caso, desde o momento em que nos conhecemos. Isto me divertia, irtrabalhar todos os dias, sabendo que Ellen estava lá. E agora ela estava emminha casa!Eu decido me divertir um pouco com ela. Eu dou-lhe um olhar malicioso atravésdo vidro, escancaro a porta, e anuncio regiamente, "Você está atrasada!”Ela ri um pouco, e é só quando eu abro a porta completamente, que eu vejo umhomem de pé ao lado dela. Oh, este deve ser seu namorado. Hmm.. Eu douuma olhada rápida entre os dois e tento não mostrar minha reação. Hmm...Como eu posso dizer isto diplomaticamente? Que a beleza está nos olhos dequem vê? É o tipo de pergunta que me faço quando vejo outro homem de péao lado dela. Claro, ela tinha mencionado o namorado, mas eu estavaperdendo meu tempo fazendo de conta que eu era seu chefe glamouroso, nãopensando sobre sua vida pessoal. Uma pequena parte de mim queria bater aporta na cara dele para que eu pudesse ter Ellen só para mim, mas resolvodeixar a minha mão em seu lugar."Patrick”. Eu digo e nós apertamos as mãos."Chris”. Ele diz e eu não consigo desviar meus olhos quando percebi o quãoalto as sobrancelhas dele ficavam na testa.
  12. 12. "Você teve alguma dificuldade em encontrar o lugar?” Pergunto educadamenteenquanto olho para os dois.Sinto-me recompensado com um rubor ardente no rosto de Ellen. Eu sorriocom a reação repentina, mas quem explica é Chris, "Não, na verdade, nósmoramos no mesmo quarteirão.”“O quê?” Eu digo em completa surpresa. "Vocês moram aqui perto?”"Sim”. Ellen diz com uma risadinha. "Nós quase não acreditamos quando vimoso convite.”Eu tardiamente percebi que eles ainda estavam de pé na minha porta da frente,assim eu dei um passo para trás para eles poderem entrar enquanto Ellenainda está falando."Isso é muito doido”. Eu digo enquanto eu pego a garrafa de vinho que eleshaviam trazido das mãos de Chris. Um homem de vinho. Eu poderia teradivinhado isso. Eu os conduzi até a cozinha, onde os hambúrgueres ecachorros quentes ainda estavam à espera no balcão e comentei, "E mesmoassim você ainda conseguiu chegar tarde!”Ambos riram e eu peguei um olhar entre os dois. E de repente eu soube porqueeles estavam atrasados. E eu fiquei doente. Isto não está certo, por que eudeveria sentir-me doente? Eles são um casal. Será que, realmente, Ellen oacha atraente? Pare de ser maldoso Patrick, ele é seu namorado. Seja gentil.Eu pego a bandeja e ofereço a eles com o meu melhor sorriso, ignorando ossorrisos dele."Oh querida, eu te disse que eu deveria ter trazido os hamburgersvegetarianos”, Chris repreende Ellen.Ellen me olha de um modo exasperado que diz: “Lá vamos nós de novo”. Euabro a geladeira e pego uma embalagem de hambúrgueres vegetarianos."Ah, obrigado por me lembrar. Eu quase esqueci”. Digo com uma mentira.Eu não tinha esquecido, mas eu não iria tirá-los da geladeira, a menos que eurealmente tivesse que fazer. Jill tinha insistido que não iríamos precisar deles,mas eu sabia das coisas de Hollywood e seus hambúrgueres. A exposiçãonúmero um estava na minha frente. Gostaria de saber há quanto tempo elesestavam namorando.ELLEN:Será que Paddy fez cara feia por cauda dos hambúrgueres? Não devia ser porcausa disso. Quando Chris decidiu que ele não iria comer mais carnevermelha, duas semanas atrás, eu apenas revirei os olhos. Mas ele manteve
  13. 13. sua decisão. Recusei-me a comprar coisas vegetarianas, embora. Possocomprar no Whole Foods, mas eu não estou a fim de comer algo que se pareçacom a coisa que você realmente quer comer. Como um verdadeiro suculentohambúrguer com queijo derretido em cima e gordura escorrendo pelos lados.Este é o verdadeiro motivo por que eu vim a este churrasco. Chris queria fazerpolenta. Que merda é polenta? Bem, eu também queria ver a casa em quePaddy morava. Era uma coincidência enorme nós vivermos no mesmoquarteirão. Talvez devêssemos o convidar e a sua esposa, qual é mesmo seunome? Oh sim, Jill. Talvez devêssemos convidá-los para jantar.Paddy nos leva para fora das portas de correr de vidro que levam para fora dacozinha e que leva para o pátio. Ele tem um agradável jardim. Nadaextravagante para os padrões de Hollywood. Existe uma piscina. Muitos doelenco e da equipe já estavam de pé ou sentados em pequenos grupos, emvários lugares ao redor da piscina e do quintal. James, Peter, e Justin estãoconversando em um canto na área da piscina, onde o churrasco está sendofeito. Katie e TR parecem estar avançando sobre uma grande pilha desalsichas. Onde está Sandra? Oh, lá está ela, no lado oposto da piscina.Diversas plantas compõem o resto do quintal com poucas luzes brancaspenduradas por todo o lugar. O sol ainda não tinha começado a descer ainda,mas não iria demorar.Assim que Patrick entra no quintal, uma menininha chega a seus pés e grita:"Papai!"Ele imediatamente vira-se, levanta uma menina em seus braços e a beija natesta.”Você tem que esperar até o Papai colocar as coisas na mesa, ok?" Ele dizpara a menina, que devia ser sua filha, com uma risada. Ela parece ser muitoafetuosa.É estranho vê-lo aqui no quintal de sua casa com a filha em suas mãos. Éestranho vê-lo vestindo outra coisa que não o seu jaleco. Pare com isso Ellen,isso é mau! Uma vez que você viu alguém nu, porém, era meio difícil deesquecer. Ele parece muito diferente agora, no entanto. Ele não tem toneladasde produto em seus cabelos. Eu juro que o homem gasta mais tempo nocabeleireiro e na maquiagem do que eu. Ele parece muito mais relaxado.Ela dá um abraço em seu pai e depois se vira para olhar para nós. Meucoração se derrete imediatamente. Ela é tão fofa. Seus olhos azuis e cabeloscastanhos são definitivamente de Patrick. Mas seu rosto é um pouco diferentee mais redondo. Isso deve ser de sua mãe.Paddy olha para nós e nos apresenta. "T, estes são a Ellen e o Chris. Papaitrabalha com Ellen. Lembra-se do que eu disse sobre o trabalho do papai?"A menina pensa nisso por um segundo e então pergunta: "Doutor?", Masdepois a sua atenção é desviada imediatamente e dá uma boa olhada no Chris.Seus olhos se amplima e ela grita, "Gri!" e se encolhe um pouco nos braços dePaddy.
  14. 14. Paddy olha como se ele estivesse prestes a rebentar em risadas, mas ele sesegura e lhe diz: "Não, esse é o Chris. Não Gri’. Chris."Ela olha para Chris desconfiada, mas depois decide aceitar as palavras do pai,porque ela relaxa. E logo quer descer do seu colo. Tão logo Paddy a coloca nochão, ela vai em direção a um grupo de outros garotos correndo pela grama.Ele olha para se certificar de que ela está bem e então se vira para eles, comum olhar divertido. É óbvio que ele ama muito sua filhinha."T”? Eu pergunto em confusão.Mas ele não responde. Uma alta e magra loira que deve ser sua esposa, vempor trás dele, coloca o braço em torno do ombro de Paddy, e diz: ‘Talullah’. Elecomeçou a chamá-la de ‘T’, depois de uma semana que ela chegou do hospitale o apelido pegou."Patrick nos apresenta novamente: "Jill, esta é a Ellen e o Chris. Minha esposa,Jill."Ela parece um pouco tímida, mas o sorriso dela é bastante acolhedor. Eu sintoum choque desagradável ao vê-lo ao lado de sua mulher, mas a sensaçãopassa, e me sinto feliz por ter vindo.”Ela deve ser uma mão cheia". Eu digo quando eu a vejo correr pelo quintalcom um casal de outras crianças. Ela nunca parece estar cansada!Patrick olha para ela e seus olhos se iluminam. "Você não tem idéia". Ele dizcom um aceno de cabeça. Falou como um verdadeiro pai.PATRICKA festa foi um sucesso. Muito mais pessoas haviam chegado e o quintalencheu-se consideravelmente rápido. Eu tinha visto Ellen circulando com onamorado dela, aquele que Talullah tinha pensado que era o Grinch (euconcordei com ela, mas não a ponto de dizer isso em voz alta), conversandocom todo mundo. Eu tinha dado as minhas voltas com Jill também, fazendo umesforço para conversar com todos da equipe e elenco também. O sol já tinhase posto a um tempo atrás, e eu tinha acabado de dizer boa noite para a T (Jillainda estava com ela, lendo sua história antes de dormir), quando eu vi Ellensentada sozinha ao redor da fogueira. Nós dois estivemos cercados depessoas durante toda a noite, mas a maioria parecia ter ido embora para casa.Esta poderia ser uma boa oportunidade para começar a conversar com elasozinho.Pego duas cervejas e me sento ao lado dela à luz do fogo. Esse era,honestamente, um dos meus lugares favoritos da casa. Jill tinha escolhido ascadeiras de Adirondack. Eu tive que admitir que ela eram muito confortáveis.Em noites como esta, com a promessa de estrelas (mesmo em uma noite clara,a poluição impedia de vê-las em Los Angeles), com o clima bom e o crepitar dofogo, fazia a gente desejar apenas recostar-se na cadeira mais próxima, fechar
  15. 15. os olhos, e refletir sobre as maravilhas do universo, afinal tinha uma do meulado.Mas nesta noite, a conversa está no menu. "Onde está Chris?" Perguntoapenas com uma leve curiosidade. Eu não tenho nada contra o cara, mas euprefiro ter Ellen só para mim."Ele foi para casa." Ela diz com um bocejo. "Ele não gosta muito desse tipo decoisa. Eu queria ficar e conhecer todos."Ela encolhe os ombros em um gesto desamparado, e, por isso, ofereço-lheuma das minhas cervejas."Obrigada." Ela diz enquanto ela torce a tampa. Ela toma um gole e eu nãoposso deixar de notar como seus olhos estão ainda mais verdes com a luz dofogo refletindo neles. Eu afundo em minha cadeira e ela pergunta: "Será que Tfoi para a cama?"Eu penso sobre T implorando para ficar por mais apenas 10 minutos, e sorrioquando eu digo, "Sim. Ela está lá em cima fazendo Jill ler sua história maisuma vez."Ficamos ambos em silêncio por um tempo, cada um embrulhado em seuspensamentos. O fogo crepita um pouco. A brisa leve embala as folhas e enviadança nas chamas. Estou ruminando sobre o quão boa a vida é para mimquando ela diz: "Foi muito bom que você tenha dado esta festa. "Eu encolho os ombros. "Parecia a coisa certa a fazer"."Você não precisava fazer. Pouca gente em Hollywood faria, você sabe."Ela está certa, mas eu não estou prestes a dizer isso. "Estou feliz por ter umemprego". Digo com sinceridade.Ela poderia dizer algo sobre a minha carreira, ou a recessão da minha carreira,mas ela não fala nada. Ela só segura a garrafa na mão e brinca: "Ah, vocêsabe que vai ser sempre Ronnie para mim.""Oh Deus. Às vezes eu desejo que eu nunca tivesse feito esse filme!" Eu digohonestamente e depois sorrio me depreciando."Não, não pense assim." Ela diz entre risos. "Todas aquelas meninas! A fama,o dinheiro". Ela mexe com suas mãos."Eu não gosto mais de pensar nisso." Eu digo com certeza absoluta.Ela não disse nada ainda. Após alguns segundos de silêncio, olho para elapara ver porque ela não está dizendo nada. Ela está olhando para mim com umolhar perspicaz. Mas quando eu pego seu olhar, ela se vira quase divertida."Eu não teria tanta certeza sobre isso." Ela diz como alguém que sabe algo queeu sei.
  16. 16. Oh, como ela estava certa. Ficamos a falar sobre nossas impressões sobre oresto do elenco, o que nós pensávamos dos nossos personagens, e outrostemas de interesse para nós, e tão cedo não veria esse olhar de novo.ELLENEu já falei sobre o quão grande é o meu trabalho, certo? Bem, hoje meutrabalho é beijar Patrick. Beijar Derek, quero dizer, mas os lábios são dePatrick. Há apenas algumas coisas que vocês precisam saber sobre isso. Euposso ser Meredith quando estou beijando ele, e ele pode ser Derek beijando-me de volta, mas os lábios são nossos lábios e as mãos são nossas mãos.Gostaria de saber se ele vai usar mesmo as mãos. Será que ele vai ser todocertinho e profissional, ou um pouco selvagem? Na maioria das vezes ele éapenas um grande bobão, mas de vez em quando eu vejo um brilho diabólicoem seus olhos.Ele parece legal, mas a aparência pode ser enganosa. Você nunca sabe comesse tipo de ator. Jake Gyllenhal foi muito firme e Leo [DiCaprio] muitomolhado, eu quero saber como vai ser com Patrick. Quão romântico pode serisso? Acho que estou prestes a descobrir. Eu só tenho que lembrar que eu souMeredith e ele é Derek. Por que não consigo tirar a imagem da luz do fogodançando em seu rosto para fora da minha cabeça? Pare com isso, Ellen. Vocêtem um trabalho para fazer e você vai fazê-lo. Pare de pensar sobre Patrick emseu churrasco. Você vai beijar Derek. Derek.Patrick fica em sua pequena marca na frente do elevador com seu jaleco ecalça azul escuro. O que eles têm feito no seu cabelo? Ele está todo estilizadoe parece que passaram creme. Eu gosto quando ele está todo cacheado e umpouco selvagem, mas acho que eles pensam diferente. Ele olha para mim comum olhar quente. Humm..Eu deveria caminhar até ele com a minha pequena pasta de arquivo, assim euespero um pouco virada para a esquerda. Ele termina de escrever algo noPalm Pilot, provavelmente algo para T ou Jill, mas depois puxa algo de dentrodo bolso do seu jaleco e dá um jato de spray em sua boca. Eu dou um risoabafado e ele atira-me um pequeno sorriso diabólico. Oh Paddy, sempre opalhaço."Não, não, não, fique com ele. Eu gosto disto.” Peter diz quando ele vemcaminhando até nós."O Spray?” Paddy pergunta sorrindo com perplexidade."Não, o Palm Pilot.” Peter diz com um riso bem-humorado. "Embora eu penseque Ellen pode apreciar o spray mais tarde.”Peter dá um pequeno sorriso e um tapinha nas minhas costas, mas que nãome impede de ver Patrick mandando uma piscadela para mim."Tudo bem, vocês sabem o que fazer.” Peter instrui quando ele vai para trás
  17. 17. da câmera. "Nós vamos repetir um monte de vezes a partir de ângulosdiferentes e ver o que acontece”.Primeiro, eles apontam a câmera para cima do elevador e filmam Paddybrincando com seu Palm Pilot. Alguns figurantes andam pelo andar e eu entrohesitante no elevador, com todas as minhas pastas de arquivos pequenos. Ok,então a última vez que o vi (Derek), nós tivemos aquele momento depois dacirurgia de Katie. Assim, ele é meu chefe, eu dormi com ele e, obviamente, elequer dormir comigo de novo, mas eu estou resistindo, porque ele é meu chefee tudo o que vem com ele. Ou é isso? Este personagem parece ter um fortecentro moral para alguém que escolhe os homens em bares. Acho que ela temmuito para viver."Seattle tem ferryboats”. Derek diz por trás de mim. Ok, quem escreveu estaslinhas? Oh espere, eu acho que só pensou em uma maneira de eu voltar paraele."Sim”. Eu respondo, flertando um pouco com ele.”Espere, espere.” Peter diz, enquanto ele interrompe as filmagens. "Patrick,mantenha o texto. Não olhe para ela”.Ah, então ia ser assim, Eu quero, Eu quero ouvir Patrick dizer por trás de mim,com seu sotaque do Maine. Ele estava olhando para mim? Ele poderia estarme dando orelhas de coelhinho, pelo que sei. Mas ele estava olhando paramim?Peter começa a filmar de novo, tentando um ângulo diferente. Nós continuamoscom o nosso diálogo flertando um pouco sobre ferry-boats e Seattle:“Seattletem barcas.” “Sim”.“Estou aqui há seis semanas. Não sabia que tinham barcas.”“Seattle é cercada de água por três lados. Por isso os ferryboats”.“ Agora terei que gostar daqui. Não estava planejando isso. Sou de Nova York.Fui geneticamente desenhado para não gostar de outro lugar”.Eu posso ouvir o clique de seu Palm Pilot fechando, e então temos querealmente entrar no elevador.Ok, aqui vamos nós. Tempo para engolir o ego. Patrick e eu estamos em pé noelevador comigo parcialmente atrás dele: “Não vou sair com você.”“Te convidei para sair comigo?” Depois, “Quer sair comigo?” (Der)“Não vou te namorar e definitivamente não vou dormir com você de novo. Vocêé o meu chefe”. (Mer)“O chefe da sua chefe.” (Der)
  18. 18. “É meu professor e professor da minha professora. E é meu professor.” (Mer)“Sou sua irmã. Sou sua filha” (diz Derek sarcástico).“Isso é assédio sexual”. (Mer)“Estou subindo num elevador”. (Der)“Olha, estou traçando uma linha. A linha está traçada. Uma longa linha”. (Mer)“Então, essa linha, ela é imaginária ou quer que eu te arrume um lápis?” (Der)Nesse momento, Peter diz: “Agora Ellen faça o que você tem que fazer. Beije-o, pense que você está beijando o Chris ou quem quer que seja”. Peter dirige.Eu não consigo descrever completamente o olhar que ele me dá quando ele sevira. Você não pode ver na filmagem, mas eu nunca vou esquecer até o dia emque eu morrer. É um olhar que diz: eu te desafio a não me achar sexy. Umolhar que diz: não se atreva a pensar em Chris quando você me beija. Não éum olhar de Patrick, pelo menos nenhum que eu já tivesse visto ele dar antes.Este não é um olhar de um homem de família. Este é um olhar de um homemque sabe que ele é coisa quente. É o olhar sexy do neurocirurgião que ele vemaperfeiçoando toda a manhã. Este deve ser o olhar que Meredith deve ver nele.Algo em meu estômago vira. Peter grita “corta”.Patrick foi demais para a esquerda e cortou a câmera. Eles movem a câmerapara a esquerda e Patrick começa novamente. Mas ainda melhor. Meus olhos,naturalmente, encontram seus lábios para olhar em antecipação e as pastasque estou carregando caem no chão quando eu avanço. Eu não me lembromesmo do movimento. Eu o empurro contra a parede do elevador e começo ame rebentar de rir. Patrick ri comigo."Ai. Eu acho que você me machucou.” Ele diz brincando, enquanto ele esfregaa parte traseira de sua cabeça como se estivesse doendo."Eu não o empurrei com tanta força. Você parece um bebê”."Acho que tenho um caroço na minha cabeça”. Ele diz passando a mão nacabeça. Só para provar seu ponto, ele pega a minha mão e me faz sentir."Veja, bem aqui”.Mas o ato de pegar a minha mão, me puxa para mais perto dele. Eu ficomomentaneamente desconcertada e saio de perto dele com uma risadinha.Peter foi assistir a fita e toma esse momento para dizer (ainda olhando para afita): "Não, ela realmente não o empurrou com força. Você precisa fazer issomais forte.”Eu dou o meu melhor olhar “eu disse para você” para Patrick e nósrebentamos de tanto rir. Nós fazemos tudo de novo e dessa vez eu começo aempurrá-lo contra a parede com mais força ainda. Tenho que admitir que como
  19. 19. sou uma pessoa pequena, é muito difícil você começar a empurrar alguémcomo Patrick. Mas ele só me leva e me permite fazê-lo.Eu deveria ter sabido que ele estava apenas esperando por sua vez, noentanto. Porque assim que a câmera está definida nele, é sua hora de tomaralgum controle, ele surpreende-me por me jogar para a direita acima do chão.“Este movimento é legal, Patrick, mas você tem que lhe dar segurança”. Peterdiz por trás da câmera. Acho que minha surpresa deve ter aparecido nacâmera. Eu estava realmente apenas tentando me concentrar em beijá-loembora, assim a voz de Peter pareceu que tivesse vindo do outro lado de umtúnel. Agora, eu sou uma interna beijando seu patrão em um elevador. Todo oresto é um pouco confuso.Desta vez estou preparada para o que ele vai fazer, então eu agarro seucabelo quando ele me levanta no ar. Isto não me impede de sentir os lábiosmais macios ou a sensação de seu corpo esmagado no meu menosagradável. Ele se inclina para trás na parede e meu corpo o segue. Ele gira emtorno de mim e pressiona as costas contra a parede do elevador. Nós nosbeijamos e nos beijamos. Tomada após tomada. Até os meus lábios ficaremtão inchados que eles não precisam de mais batom para torná-losprofundamente vermelhos. A área em volta da minha boca está áspera debeijar a nuca de Paddy. Estou inteiramente esquecida que há câmeras lá.Mas, todas as coisas boas têm um fim."Tudo bem, tudo bem, eu acho que tenho o suficiente. Isso foi realmentegrande garotos”. Peter fala, me puxando para fora do meu dia de sonho queestava vivendo. "Agora a porta do elevador vai abrir e, Ellen, é preciso recolheros arquivos”.Nós nos puxamos para cima com uma sessão final do beijo, o meu braço emvolta de seu ombro e o outro relaxando contra seu peito, e Peter diz “ação”. Eudesvio o olhar como se estivesse olhando para o botão do elevador e meucorpo se sente um pouco carente. Isto é natural. Na hora que estamos nosbeijando, a gente se acostuma com nossos corpos ficarem ligados. Ou isto é oque digo a mim mesma. O primeiro impulso inicial tinha me abalado, masdepois rimos juntos, e fizemos isto mais e mais. Eu me senti confortada peloseu braço em minha volta. Nós filmamos o beijo umas duas vezes mais, e acada vez eu me separava ainda mais do interlúdio. Meu coração fica maislento, a sensação de formigamento nos meus lábios e na minha pele iaembora, de modo que até o momento da cena final, quando eu abaixo parapegar as pastas, eu sou eu novamente.Mas um pouco da urgência que Meredith sentia para sair rápido desse elevadorera minha. Eu tinha tipo de soltar-me daquele elevador. Toda vez que eu olhopara aquela cena, eu posso ver na minha cara e linguagem corporal. Nãoadmira que Meredith sentiu-se um pouco nervosa. Eu me senti nervosa. Patricktambém. Eu posso ver em seu rosto. Como ele manteve seus lhos fechados epermaneceu focado. Os pequenos sorrisos que ele dá quando eu o beijo devolta. A maneira como ele lambe os lábios, quando eles se separam. Mas eunão queria ver isto. Eu pensava que era só eu. Ah, como eu estava errada.
  20. 20. PATRICKSerá que eu sabia quando as coisas começaram a deslizar ladeira abaixo?Não, mas eu acho que eu poderia ter uma idéia. Uma conversa muito inócua einocente, nascida de Derek, meu próprio ego inflado, e uma desculpa para aminha própria insegurança. Se eu sei que as coisas estavam se tornando muitomais instáveis, eu poderia ter sido mais prudente.Lá estávamos nós, ambos pendurados em nosso trailer após a leitura para oterceiro episódio oficial da mostra, comendo uma tigela de amendoim M & M.Eu não sei como as pessoas ficam tão magras em Hollywood. Eu sempre tiveuma afinidade natural para ser um palito, e isto nunca me incomodou, mascomo todas as estrelas de Hollywood eu gosto de cuidar do meu corpo.Veja Ellen, por exemplo. Eu a vi comer um cheeseburger gigante com todas asguarnições no almoço e lá estávamos nós, relaxando sobre os dois assentosdo trailer com uma tijela entre nós, e ela estava me superando a cada punhadode M & Ms. Você sabe sobre o que estou falando? O espaço dentro do trailer émínimo. Nós dois ficávamos com as cabeças contra a parede exterior com osscripts em nossas mãos."Mmm, chocolate”. Eu digo de brincadeira quando eu pego um punhado deamendoim M & M da tijela que está em cima da mesa entre nós. Está meiovazia neste momento. “Crunch, crunch”.
  21. 21. "Você parece uma mulher, eu juro”. Ellen fala com o seu roteiro na mão e umacaneta em riste."O quê? Eu gosto de chocolate. Homens gostam de chocolate.” Eu digo umpouco defensivamente."Mhmm.” É só o que Ellen responde enquanto ela continua a destacar seutexto.Deixei-a quieta, só porque eu não me importava tanto assim. Eu tinha outrascoisas em minha mente."Então, eu realmente não ganhei Meredith.” Eu digo."Eu acho que este é o ponto”. Ellen respondeu.Eu bufo com a verdade desta afirmação."Não, eu não aguento isto. Por que praticamente Meredith me atacou em umelevador, passou o dia todo comigo, e depois vai embora? É como se nós(Derek e Meredith) nunca tivéssemos passado a noite juntos, nem nada. Eagora, ela fica beijando pacientes!”"O paciente a beijou”.Eu faço um som ininteligível para lhe dizer o que eu penso sobre isso."O quê?” Ela pergunta defensivamente."Isto não importa”. Eu digo com um encolher de ombros."Claro que importa. Esta é a grande diferença”.Não importa quem começou isto. O que importa é o que aconteceu depois.” Eudefendo.De repente, nós nos esquecemos que estávamos falando dos personagens."Oh, então não importa que fui eu que te beijei no elevador?”"Não, porque eu te beijei de volta. Foi mútuo.”"Mas eu não estou beijando o paciente.”"Mas eu não tenho como saber disso. Eu não tenho como saber o que veioantes. E isto não importa. O que importa é que o paciente beijou você. Eletocou em você. Fim da história. Isto é o que um cara pensa”.“Mesmo que eu não devolva o beijo?”“ Huh.”
  22. 22. “Esquisito”.Eu dou uma evasiva com os ombros. "Mas isso ainda não responde a minhapergunta”."Que pergunta foi essa?"Por que ela está gastando todo esse tempo com ele, se ela não quer ficar comele?”"Eles trabalham no mesmo hospital.”"Auuuugggghhhhh.” Digo como uma campainha soando quando a respostaestá errada. "Tente novamente.”Ellen pensa sobre isso por um segundo e então diz: "Eu acho que isto é o queela diz aqui. Ela gosta dele, mas ela não quer arruinar sua carreira. Acho queseu personagem é um pouco insensível.”"Meu personagem estava pronto para deixá-la sozinha até que ela o beijou noelevator.Ellen bufou para me deixar saber o que ela pensava sobre isso.Ficamos em silêncio por alguns minutos, folheando nossos roteiros distintos.Então ela pergunta-me muito desconfiada, "Posso lhe fazer uma pergunta?"Claro.” Digo sem olhar para cima."Quando você se sente mais Derek?”"O que você quer dizer?”"Como quando estávamos fazendo a cena do elevador, você disse que não erasexy, mas que Derek era”."Eu nunca disse que não era sexy”. Digo com um sorriso de menino."Responda a pergunta, por favor”."Certo”. Digo com um suspiro, mas secretamente envaidecido. Dr. Shepherd foibom para o meu ego. Eu penso sobre isso por um segundo e digo: “Eu apenastento pensar se eu fosse esse cara, o que eu faria. Quais são minhasmotivações? Como eu iria reagir a isto? Você já fez filmes, antes, você sabe.”"Eu já fiz filmes antes. E os filmes que você faz duram alguns meses e, emseguida, acaba. Você nunca o visita novamente.Nós poderíamos estar fazendo isso por apenas um par de meses.”Ela suspira. "Eu sei, mas isto é diferente, ok?” Diz ela com frustração. "Comoo quanto ele é você e o quanto você é Derek? Como faço para saber quandovocê esta sendo Patrick e como vou saber quando você é Derek?
  23. 23. Ela faz uma pausa de um segundo para pensar nisso e franze o rosto nopensamento. Eu estou realmente interessado em ouvir o que ela tem a dizer.Eu não posso ajudá-la, mas pergunto, " Sexy?”Ela me dá um olhar de morte. "Não seja convencido”."Uh”. Eu digo com mágoa simulada. "Isso dói. Isso realmente machuca”."Você é incorrigível”. Ellen revira os olhos e volta para seu script. Eusecretamente rio com alegria. "Não, eu não estou fazendo isso de propósito. Ele é esse neurocirurgião sexy.Ele gosta de abrir os cérebros das pessoas. Você tem que ter um ego enormepara fazer isto”. Eu tento explicar e levanto os braços para enfatizar."Então isto é uma coisa de Derek”."Por que você pergunta?”"Eu não sei". Eu estou apenas tentando descobrir como manter as coisasseparadas. Eu estou tentando definir Meredith. Como você disse, eu estoutentando descobrir quem ela é”."Eu acho que isto é coisa do uniforme”."Mmmph?”"Quando eu coloquei o uniforme e o jaleco, foi como se eu soubesse. Eu mesinto mais poderoso. Faz-me sentir como se eu pudesse ter sido umneurocirurgião em outra vida”."E o uniforme completou?”"Eu disse a você. Eu gosto de ferry boats.”Ellen era só risadas.Volto ao meu script com um pequeno sorriso secreto. Então eu chego ao fim.Eu bufo quando leio a última cena entre nos dois."O quê?” Ela pergunta com interesse."Eu acho que Meredith é você”. Eu digo enquanto penso sobre as linhas que li."Nós não estamos falando sobre a coisa sexy, não é?” Ela pergunta rabugenta.Será que ela acabou de dizer o que eu acho que ela disse? Eu escolho ignoraristo para a hora de minha exclamação original. "Não, a última cena entre NÓS”.Ela vira a página e lê, “seus punhos mínimos e ineficazes”.
  24. 24. "Yep.” Eu respondo com um pequeno sorriso."Como posso ter punhos mínimos e ineficazes?” Ela pergunta, incrédula."Você é como a minha menina da Nova Inglaterra. Você tem coragem”.Ela me olha especulativamente, estreitando os olhos, mas retorna a leitura,"Meu cabelo cheira bem?”Eu encolho os ombros. "Yep. Cheira flores”. Eu digo quando eu pego mais M &Ms. "E você é mandona. Veja, você!”"Eu não sou mandona”. Diz ela com um olhar ameaçador.Eu só rio. Um riso enorme que diz que eu não concordo com ela. Nem umpouquinho."Quem mandou Chris ir embora da minha casa no dia da festa?” Eu digo comalegria."Ele não estava social aquele dia. Eu poderia dizer que ele estava ficandoaborrecido”. Ela respondeu defensivamente."Quem manda eles tirarem o creme do meu cabelo?” Eu insisto e tento suprimiro enorme sorriso que aparece no meu rosto."Fica melhor encaracolado!” Ela insiste ainda mais na defensiva."Mandona”. Eu respondo com um sorriso satisfeito."Certo”. Diz ela com mau-humor e cruza os braços.Sinto-me mal fazendo-a ficar com raiva de mim, por isso proponho umareparação. "Isto não está funcionando.” Eu digo enquanto eu lanço meu roteirofechado sobre a mesa. "Ok, Meredith é mandona. Derek é egoísta. É isto quenós somos quando estamos na frente da câmera. O resto do tempo você édoce como açucar e eu sou humilde, ok?”Ela me olha com desconfiança divertida. Ambos sabemos que isto não éverdade, mas ninguém quer reivindicar suas características más."Olha, que tal a gente dar um passeio de bicicleta e ser Patrick e Ellen por todoo caminho?” Ofereço conciliatoriamente.Ela sorri e deixa cair o seu próprio roteiro e estamos fora do trailer. E quandovamos para o passeio de bicicleta, eu sou muito humilde em deixar que elafique com a melhor bicicleta e ela é muito não-mandona (exceto para insistirem que tomemos um determinado percurso em torno do estúdio). Mas oproblema era que, quando chegasse a próxima semana, quando eu fosse paraaquele vestiário, vestido com as minhas roupas de Derek, eu vou me pegar
  25. 25. pensando sobre aquela conversa no trailer. Eu não podia balançar no sentidode que eu não estava falando para Ellen. Foi para ela, não havia nenhumproblema em torno disso. Mas foi Meredith também. Mas eu tinha insistido que,na frente da câmera, eu ia ser Derek. Eu sou um idiota.ELLENOk, agora, eu vou ser honesta e admitir que eu sabia que eu meio que tinha umproblema. Não um, Oh meu Deus, meu co-star é totalmente quente e eu queromostrar o tipo de problema que eu tinha. Dê-me um pouco de crédito aqui. Eutinha um namorado na época. Eu ainda tenho um namorado, que eu amo muito(eu realmente amo), mas havia coisas sutis que comecei a notar sobre mim: (1)Eu realmente gostava de ir trabalhar. Acordava de manhã, saltava da cama,escovava os dentes, zumbia no chuveiro, e geralmente fazia meu caminho parafora da porta, todas as manhãs. Isso não era normal para mim. Normalmenteeu tinha de me arrastar, chutando e gritando na porta e fechava a cara paraalguém corajoso o suficiente para me atormentar antes do meu café da manhã.(2) Eu não acho que tinha alguma coisa a ver com o que eu estava fazendo notrabalho, mas sim quem eu estava indo ver quando eu chegava lá.Claro que eu tinha motivos para ser feliz: o episódio de estréia tinha obtidonúmeros bastantes surpreendentess para uma substituição de séries. Todo oprocesso e a equipe estavam em êxtase. Tínhamos conseguido algumasopiniões bastante positivas na imprensa. Eu até tinha começado a dormir estamanhã, porque eu tinha uma sessão de fotos para o TV Guide. A vida era boa.A vida era muito boa."Hey, querida, o que aconteceu, que você está com tanto bom-humor?” Chrisperguntou.Ele estava um doce ultimamente. Desde que o show começou, ele acordavatodas as manhãs antes de mim, me fazia o café, e fazia com que eu comessealguma coisa. Eu não saberia o que eu faria sem ele algumas vezes."Sessão de fotos”. Eu digo quando eu coloco um pedaço de torrada na boca epego a caneca de café."Só você?” Ele diz com curiosidade leve enquanto ele passa manteiga seupróprio pão."Não, com Patrick. Eu te disse sobre isso, lembra?” Eu digo um poucoexasperada. Eu sei que eu disse a ele sobre isso. "Oh.” Ele diz um pouco abatido quando ele coloca o pote de café de volta nolugar, um pouco mais forte do que o necessário.Obviamente, eu tive que dizer a ele sobre as coisas que vínhamos fazendo noset. Eu não queria que ele ligasse a televisão e falasse "Que diabos é isso,querida!” Posso dizer que isto incomoda um bocado. Entre Derek e Patrickficando irritados sobre a coisa de eu beijar o paciente Viper, e o meu namorado
  26. 26. ofendido quando souber sobre os dois acima mencionados, havia um pequenoexcesso de testosterona na minha vida agora.Eu bufei um pouco e dei um beijinho na bochecha dele. "Eu não sei quandovou estar de volta, mas é melhor você não estar fazendo essas coisas decomputador quando eu chegar”.“Eu estou tentando vender sapatos!” Ele diz exasperado. Ele havia me ditosobre esse esquema que tinha arrumado, mas eu ainda não tinha descoberto obastante ainda como ele podia vender sapatos, sem sair de casa. Mas eu nãotinha tempo para lidar com isso agora.***Chego ao endereço que estava escrito no pedaço de papel que eu tinhaanotado. Eu me pergunto por que escolheram este lugar. A frente não é muitoespecial. Parece uma casa de fazenda que é semelhante provavelmente com ametade das que foram construídas na Califórnia nos anos 1950 e 1960:concreto e vidro com as chamadas linhas modernas e de muita luz. Eureconheço o Cadillac vintage de Patrick na frente, de modo que este deve ser olugar. Eu salto para fora do carro e vou até a porta da frente. Que éprontamente aberta pela assistente de cabelos castanhos lisos enroscados emum clipe, com uns óculos de designer artístico e um telefone cirurgicamenteanexado ao seu ouvido."Você é a Ellen, certo?” Ela diz e depois quando eu aceno, prossegue ocaminho pedindo que eu a siga, enquanto fala ao telefone, "Não, é a atriz quelhe falei desse novo seriado. Uma da ABC de médicos que não sabem o queeles estão fazendo” (pausa enquanto ela escuta) “Yeah, a líder de audiência.Aquela que acorda no chão com seu chefe”. (Ouve). “Ah, sim, eu sei. Vocêrealmente acha que realmente era o seu traseiro? Acho que estava perfeitodemais para ser real. Talvez eles fizeram uma montagem ou algo assim?Eu ficaria feliz de dizer a ela que o negócio era real se ela se preocupasse emdar-me uma olhada, mas ela não deu, então eu não disse. Eu posso veratravés das grandes portas de vidro de correr ao longo da parte traseira dacasa, porque eles escolheram aquela casa: o quintal é bonito. Tinha umagrande piscina retangular que parecia absolutamente clara na manhã fria. Amelhor coisa é que não existia nenhuma casa por perto. Era um precipício, defrente para um vale e havia uma abundância de árvores e espaço em ambos oslados. A casa deixava o mundo do lado de fora, nas colinas de Hollywood.Perfeita para uma sessão de fotos.Ela levava-me através da sala de estar e de volta a um dos muitos quartos. Eunão via ver Patrick em nenhum lugar, somente o fotógrafo com um monte deseus assistentes montando coisas. Parecia haver um fundo branco gigantecriado em uma parede. Eles deviam estar fazendo uso de um cenário, muitoembora houvessem escolhido este lugar. Eu coloquei a minha bolsa em umamesa, quando a assistente passou-me para a esteticista e me preparei para olongo processo. Eu conversei com ela. Ela não parecia ser tão presa como aassistente e contou-me tudo sobre sua filha estar na faculdade e todos osproblemas que ela tinha com seu namorado. Eu não tinha dito uma palavra, ela
  27. 27. enrolava, sprayava tintas e falava. Falava, falava, falava. Falou até meu ouvidopedir pelo amor de Deus.Estava a ponto de gritar, quando apenas no processo de fechar minhaspálpebras, para ela aplicar a sombra dos olhos, ouço uma risadinha da porta evejo o garoto Patrick, "Você não está pronta ainda?” Eu espero a esteticistaterminar de aplicar a sombra do olho para abri-los e vejo um belo site: Patrickencostado à porta. Todos sabemos como o homem pode se apoiar, então eunão tinha nada a dizer sobre isso. Ele estava com uma camisa de mangaenrolada e um par de jeans confortáveis. Mas seu cabelo estava perfeitamentepenteado e ele estava me olhando com aquele brilho nos olhos que éclaramente um pecado contra a natureza."Ajude-me.” Digo com a boca em silêncio, enquanto eu indico com meus olhosa esteticista, mas depois ele pergunta, "Você conheceu a Rita, certo?”Ele me dá um sorriso e uma piscada e depois diz para ela, "Ah, sim, você já aconheceu.” E virando-se para a esteticista disse, “Acho que você a fez aindamais bonita do que nunca, se isto é mesmo possível.”A outra mulher praticamente desmaiou atrás de mim. "Eu ia adicionar maisalgum spray de cabelo e formar os cachos um pouco mais, mas se está bom...”Rita responde com um suspiro de menina pequena e me gira para Patrickpoder dar sua aprovação.Revirei os olhos para ele, mas ele ignorou-me dizendo,"Eu acho que ela estámaravilhosa desse jeito”.Eu sei que ele está apenas dizendo isto em seu benefício, mas meu interiorainda firmou-se um pouco em suas palavras e no olhar em seus olhos. Eu nãoiria deixá-lo ver isso embora. Eu pulei do banco, dei-lhe um sorriso, e disse aRita, "Obrigada”.Eu não me lembro o que ela respondeu, porque eu saí correndo antes que elapudesse embaraçar-me em mais alguma conversa."Oh, obrigada, eu não sei por quanto tempo mais eu poderia ter ficadoescutando isto.” Digo para Patrick com o coração cheio de gratidão."De nada. Eu só usei os meus poderes de persuasão”. Foi seu comentáriosarcástico. Ele deve estar no modo Derek hoje, porque ele não esta sendohumilde!"Você apenas tem que trabalhar isso, baby”. Ele me diz com um arquear desuas sobrancelhas.Ah, ele está começando.... "Eu ouvi a assistente falar ao telefone com a amigasobre se eles haviam maquiado seu traseiro ou não”. Eu faleipresunçosamente.Eu sou recompensada por ver ele correndo em linha reta pela parede mais
  28. 28. próxima. Nós estávamos andando em linha reta pelo corredor, então eu não seicomo ele fez isso, mas vejo-me rindo de qualquer maneira.Ele roça meus ombros e franze as sobrancelhas para mim. "Só por que eutenho de escolher suas roupas hoje!”"Eu não tenho medo. Vá em frente.” Eu digo. Eu realmente não tenho medo.Se ele pegar algo atroz, eu apenas vou discutir com ele sobre isso de qualquermaneira.***A roupa que ele escolhe não é muito ruim. É muito garotinha para mim,pessoalmente, acho que se parece com uma toalhinha, mas eu a coloco dequalquer maneira. Eu saio de dentro da casa para vê-lo já na frente do fundobranco, em uns jeans novos, uma camisa marrom e uma jaqueta de veludocastanho escuro. Muito Derek."Ah, aí está ela. Venha aqui Bella”. O fotógrafo, obviamente italiano, ou comsotaque italiano, me chama para o set. Ele é um senhor mais velho comcabelos grisalhos e uma barriga saliente, mas está elegantemente vestido commocassins italianos, calça e uma camiseta preta. Chic europeu.Eu não digo nada sobre isso, mas olho divertida para Patrick. O brilho nosolhos dele me deixa saber que ele também está se divertindo com nosso novoamigo italiano.Caminho até ficar ao lado dele."Tudo bem, Bella, tente o banco primeiro. Ele irá apoiá-la como o homem forteque tem de proteger sua mulher”. O fotógrafo dirige.Eu me sento e posso sentir Patrick em pé na direção do meu traseiro esquerdo.Será que ele tem que estar tão perto?"Coloque os pés de frente para mim, mas um pouco para a esquerda. Você (ouseja, Patrick), ponha a mão em seu ombro direito. Sim, um pouco mais perto.Você é seu amigo. Você gosta dela. Sim, isto mesmo”. Ele dirige, e emseguida, a câmera se apaga. Clique, clique, clique, e meu sorriso éimortalizado no tempo.A primeira colocada da mão em meu ombro é um pouco desconcertante, maslogo em seguida, relaxo enquanto a câmera mantém um clique e me tornainutilizada por seu corpo estar tão perto do meu. A única outra vez que eleesteve tão perto de mim foi na cena do elevador, há algumas semanas. Masentão eu estava desempenhando um papel, e hoje eu era só eu. Eu não usavameu uniforme e o meu jaleco para me desviar do fato de que este homem quenão é meu namorado estava em pé perto de mim. Bem, acho que ele é meunamorado da TV."Angela, pegue outra cadeira” As ordens do fotógrafo para a assistente, quehavia me encontrado na porta. Seu telefone foi desligado de sua orelha, mas
  29. 29. eu não a via tirar os olhos de cima de Patrick desde que ele entrou. Ou, maiscorretamente, de seu traseiro.Ela corre e pega um outro banco para Patrick. "Coloque-o bem atrás dela.Precisamos deles para um close”. O fotógrafo dirige.Suas ordens são acatadas, e encontro-me muito, muito perto de Patrick. Tãoperto que minha coluna está descansando contra seu tronco."Eu espero que você saiba que eu passei bastante desodorante hoje, apenaspara você”. Ele disse enquanto a assistente nos coloca na posição desejada.Meus joelhos são cruzados na frente e meu corpo torcido para a esquerda parapermitir que o rosto de Patrick seja visto por cima do meu ombro direito. Eu douuma risada na sua tentativa manca de fazer uma piada, mas isto ainda édesconcertante, no ato de falar, sua voz sopra os meus cabelos esvoaçantespara a frente."Ok, eu quero que você ponha a mão em seu quadril”. As ordens do fotógrafopara Patrick.Eu posso sentir que ele hesita por um momento e, em seguida, sua mão estádescansando familiarmente do meu lado. A câmera dá cliques uma dúzia devezes e, em seguida, ele é condenado a mover sua mão até meu braço. O atode chegar à frente empurra o peito dele ainda mais nas minhas costas, e mesinto quase envolta em seus braços."Tudo bem agora. Bella, separe os joelhos e ragazzo grazioso (rapaz bonito),sente-se no banquinho e incline-se sobre o ombro esquerdo”.Patrick cumpre o seu papel, e eu só posso rir quando o queixo dele vemdescansar no meu ombro. Fico espantada, querendo saber porque é tão bomme inclinar para trás em seu peito forte ou saber que seu rosto está de ladopraticamente junto ao meu. Patrick leva vantagem, colocando a mão um poucomais alto, ao longo de minha coxa. Eu pulo do banquinho rindo para mudarpara a próxima pose, antes de ele ter mais idéias.***Quando eu volto, ele está vestido com um desgatado suéter bege que eu nãoachei muito lisonjeiro, e tinha agora apenas um banquinho. Eu estou com umvestido preto, com uma abertura na perna que mostra um pouco mais do queeu gostaria. Eu me pergunto por que escolhi esta. Acho que sarcasticamente."Você tem que sentar entre as minhas pernas”. Ele diz mexendo com uma dassobrancelhas."Tudo bem, mas não invente coisas engraçadas, Mister”. Eu o advirto.Ele olha para mim com seu melhor tão-inocente-que-dói olhar, mas eu não
  30. 30. estou enganada. E com certeza, assim que eu me sento, ele coloca a mão naminha bunda."Pare com isso”. Eu sussurro para ele.Mas ele está claramente se divertindo hoje, porque ele sussurra de volta,"Parar o quê?” e aperta a sua mão. Eu decido me inclinar para colocar umpouco de pressão em sua virilha, mas depois penso em uma idéia melhor.Eu digo para o fotógrafo, "Você sabe, eu acho que isso ficaria melhor se euestivesse em seu colo”.O fotógrafo salta de alegria com esta sugestão. Na verdade, a cada clique dacâmera, ele parece ficar ainda mais animado, e agora está praticamentepulando como um gafanhoto. Patrick ri quando eu faço a minha sugestão parao fotógrafo, mas ele não está mais rindo, quando eu me sentoestrategicamente no seu colo e coloco um braço em volta do seu pescoço."Você está me provocando, Você vai me pagar por isso”. Ele ameaçadiscretamente, quando nós dois olhamos para a frente e sorrimos para acâmera."O que você vai fazer? Me vestir de rosa?” Eu respondo, enquanto eumesquinhamente arqueio meu corpo para mais perto dele. Eu fico tão pertodele que meus peitos estão praticamente em cima do seu rosto. Suas mãosestão praticamente envolvidas em torno da minha bunda, porém, eu penso queisto está inteiramente justo.Eu estou apenas começando a gostar bastante disto, quando o fotógrafo diz
  31. 31. para mim, " Ok, agora nada de banco. Você acha que pode saltar sobre suascostas?”Eu pisco de surpresa e olho para Paddy. Ele olha para mim como que-o-infernoe eu me vejo fazendo algo que eu nunca pensei em fazer em um milhão deanos: tomo um impulso e pulo nas costas de Patrick. O fotógrafo começa a tiraralgumas fotos, antes de eu perceber que Patrick está avançando lentamentepara fora do set. Na direção da piscina.Você não faria isso!” Eu digo surpresa, mas ele só me respondeu com insultos,"Eu disse que você pagaria, não disse?” E passa a me balançar sobre a bordada piscina."Ahhhh! Patrick !!!!!!!!! Pare com isso!!” Eu grito, quando ele finge que vai nosjogar na água.Ele ri enquanto vai avançando cada vez mais perto da borda. Eu não tenhoidéia do que o fotógrafo e a sua assistente estão fazendo até que eles vêm aoredor em meu campo de visão e o fotógrafo diz animadamente, " Ah, sim! Osdois dentro da piscina!”Patrick pára chocado com a idéia de que essa pessoa louca está realmente
  32. 32. nos colocando em uma piscina de água fria congelando no meio de março,mas o fotógrafo parece tão animado que nós apenas não conseguimos dizernão. Patrick tira o suéter marrom e fica com um t-shirt azul, que eu acho que ésuposto para coincidir com o exterior (e com os seus olhos, noto) e eu fico novestido preto. Mas eu posso dizer isso agora? Essa piscina está fudida de tãogelada. Eles colocaram o banco dentro dela e eu me sentei nele por cerca decinco fotos e, em seguida, eu estava fora de lá.
  33. 33. Depois tivemos que nos secar e nos trocar para fazermos a última foto do dia:um pouco de pose em um divã ao lado da piscina. Patrick escolheu um lindovestido de leopardo, que eu mesma teria escolhido para mim. Isso me fezsentir como uma rainha. Eu desfilei em torno da plataforma atrás de mim com osentimento no topo do mundo. O dia tinha aquecido consideravelmente, o solbrilhava nas minhas costas, e eu estava tendo o melhor momento da minhavida. Mesmo na hora em que eles me colocaram deitada esparramada sobreas pernas dele, nós estávamos totalmente relaxados. Na minha memória, o diainteiro pode ser resumido em três palavras: sol, risadas, e sensação. Mas oque fez dele extra-especial foi Patrick. Veja, eu disse que você sabia, que eutinha um problema.

×