• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Inclusão  sol e lucy
 

Inclusão sol e lucy

on

  • 853 views

 

Statistics

Views

Total Views
853
Views on SlideShare
853
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
17
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Inclusão  sol e lucy Inclusão sol e lucy Presentation Transcript

    • Inclusão EscolarCAEE- Herbert José de Souza “BETINHO” Palestrantes : Luce-Jaine Solidônia
    •  A inclusão é uma inovação, cujo sentido tem sido muito distorcido e um movimento muito polemizado pelos mais diferentes segmentos educacionais e sociais. No entanto, inserir alunos com déficits de toda ordem, permanentes ou temporários, mais graves ou menos severos no ensino regular nada mais é do que garantir o direito de todos à educação - e assim diz a Constituição ! Inovar não tem necessariamente o sentido do inusitado. As grandes inovações estão, muitas vezes na concretização do óbvio, do simples, do que é possível fazer, mas que precisa ser desvelado, para que possa ser compreendido por todos e aceito sem outras resistências, senão aquelas que dão brilho e vigor ao debate das novidades.
    • UMA EDUCAÇÃO PARATODOS O princípio democrático da educação paratodos só se evidencia nos sistemas educacionaisque se especializam em todos os alunos, nãoapenas em alguns deles, os alunos comdeficiência. A inclusão, como conseqüência deum ensino de qualidade para todos os alunosprovoca e exige da escola brasileira novosposicionamentos e é um motivo a mais para que oensino se modernize e para que os professoresaperfeiçoem as suas práticas. É uma inovaçãoque implica num esforço de atualização ereestruturação das condições atuais da maioriade nossas escolas de nível básico.
    • O motivo que sustenta a luta pela inclusãocomo uma nova perspectiva para as pessoas comdeficiência é, sem dúvida, a qualidade de ensinonas escolas públicas e privadas, de modo que setornem aptas para responder às necessidades decada um de seus alunos, de acordo com suasespecificidades, sem cair nas teias da educaçãoespecial e suas modalidades de exclusão.
    • O sucesso da inclusão de alunos com deficiência na escola regular decorre, portanto, das possibilidades de se conseguir progressos significativos desses alunos na escolaridade, por meio da adequação das práticas pedagógicas à diversidade dos aprendizes. E só se consegue atingir esse sucesso, quando a escola regular assume que as dificuldades de alguns alunos, não são apenas deles, mas resultam em grande parte do modo como o ensino é ministrado, a aprendizagem é concebida e avaliada. Pois não apenas as deficientes são excluídas, mas também as que são pobres, as que não vão às aulas porque trabalham, as que pertencem a grupos discriminados, as que de tanto repetir desistiram de estudar. 
    •  A inclusão escolar visa reverter o percurso de exclusão de qualquer natureza e ampliar as possibilidades de inserção de crianças, jovens e adultos em escolas regulares. O movimento mundial por uma educação para todos vem se fortalecendo, sobretudo, a partir das últimas décadas. 
    •  A inclusão é um movimento mundial de luta das pessoas com deficiências e seus familiares na busca dos seus direitos e lugar na sociedade. Mas o que é de fato a inclusão? O que leva as pessoas a terem entendimentos e significados tão diferentes? Cabe aqui tecer algumas reflexões, pois dessa forma estaremos contribuindo para uma prática menos segregacionista e menos preconceituosa. O adjetivo ”inclusivo" é usado quando se busca qualidade para todas as pessoas com ou sem deficiência.
    • O termo inclusão já trás implícito a idéia deexclusão, pois só é possível incluir alguém que já foiexcluído. A inclusão está respaldada na dialéticainclusão/ exclusão, com a luta das minorias na defesados seus direitos.Para falar sobre inclusão escolar é preciso repensar osentido que se está atribuindo à educação, além deatualizar nossas concepções e resignificar o processo deconstrução de todo o indivíduo, compreendendo acomplexidade e amplitude que envolve essa temática.
    • A idéia de uma sociedade inclusiva sefundamenta numa filosofia que reconhece e valorizaa diversidade, como característica inerente àconstituição de qualquer sociedade. Partindo desseprincipio e tendo como horizonte o cenário ético dosDireitos Humanos, sinaliza a necessidade de segarantir o acesso e a participação de todos, a todasas oportunidades, independentemente daspeculiaridades de cada individuo.
    • O paradigma da inclusão vem ao longo dosanos, buscando a não exclusão escolar e propondoações que garantam o acesso e permanência doaluno com deficiência no ensino regular. No entanto,o paradigma da segregação é forte e enraizado nasescolas e com todas as dificuldades e desafios aenfrentar, acabam por reforçar o desejo de mantê-los em espaços especializados.
    • O Que deve ser feito para que a inclusãoaconteça ? Mas temos que pensar que para que ainclusão se efetue, não basta estar garantido nalegislação, mas demanda modificações profundas eimportantes no sistema de ensino. Essas mudançasdeverão levar em conta o contexto sócio.­econômico, além de serem gradativos, planejadas econtínuas para garantir uma educação de ótimaqualidade 
    • Portanto a inclusão depende de mudança devalores da sociedade e a vivência de um novoparadigma que não se faz com simples recomendaçõestécnicas, como se fossem receitas de bolo, mas comreflexões dos professores, direções, pais, alunos ecomunidade. Contudo essa questão não é tão simples,pois, devemos levar em conta as diferenças. Comocolocar no mesmo espaço demandas tão diferentes eespecíficas se muitas vezes, nem a escola especialconsegue dar conta desse atendimento de formaadequada, já que lá também temos demandasdiferentes?
    •  Kunc (1992), fala sobre inclusão: "o principio fundamental da educação inclusiva é a valorização da diversidade e da comunidade humana. Quando a educação inclusiva é totalmente abraçada, nós abandonamos a idéia de que as crianças devem se tornar normais para contribuir para o mundo".
    • Temos que diferenciar a integração da inclusão,na qual na primeira, tudo depende do aluno e ele é quetem que se adaptar buscando alternativas para seintegrar, ao passo que na inclusão, o social deverámodificar-se e preparar-se para receber o aluno comdeficiência.A inclusão também passa por mudanças na constituiçãopsíquica do homem, para o entendimento do que é adiversidade humana. Também é necessário considerar aforma como nossa sociedade está organizada, onde oacesso aos serviços é sempre dificultado pelos maisvariados motivos.
    • Jamais haverá inclusão se a sociedade se sentirno direito de escolher quais os deficientes poderão serincluídos. É preciso que as pessoas falem por simesmas, pois sabem do que precisam, de suasexpectativas e dificuldades como qualquer cidadão. Masnão basta ouvi-los, é necessário propor e desenvolverações que venham modificar e orientar as formas de sepensar na própria inclusão.
    • Como se baseia a pedagogia da inclusão? A pedagogia de inclusão baseia-se em dois importantes argumentos. Primeiramente, inclusão mostrou-se ser beneficial para a educação de todos os alunos independente de suas habilidades ou dificuldades. Pesquisas realizadas nos Estados Unidos, revelaram que crianças em demanda por serviços especiais de atendimento apresentaram um progresso acadêmico e social maior que outras crianças com as mesmas necessidades de serviços especiais mas educadas em salas de aula segregadas (Snell, 1996; Downing, 1996; Hunt, et.al., 1994). Isso pode justificar-se pela diversidade de pessoas e metodologias educacionais existentes em sala de aula regulares, pela interação social com crianças sem diagnóstico de necessidade especial, pela possibilidade de construir ativamente conhecimentos, e pela aceitação social e o conseqüente aumento da auto-estima das crianças identificadas com "necessidades especiais".
    • O Que as Pesquisas Tem a Dizer sobre aInclusão de Alunos com "NecessidadesEspeciais" nas Salas de Aula Regulares . O resultados destas entrevistas apontaram para ofato de que os alunos, antes educados em segregadas-especiaissalas de aulas, desenvolveram mais amizades na sala de aularegular e construíram um círculo de amigos que os ajudavam eajudavam aos professores também na inclusão de todos os alunosnas atividades da sala de aula. Downing, Eichinger e Williams(1996) entrevistaram nove professores de educação regular e noveprofessores de educação especial sobre a percepção deles dosbenefícios de inclusão para todos os alunos. Os professores nesteestudo afirmaram que o ambiente rico em situações deaprendizagem característico das salas de aula regularespossibilitaram os alunos com profundo retardamento mental aconstruírem comportamentos socialmente apropriados, a fazeremamizades com as crianças normalmente educadas em classesregulares e a desenvolverem habilidades de participação ativa ematividades escolares.
    • Na Perspectiva do Aluno:   York et al. (1992) entrevistaram alunos dequarta e quinta séries que tinham colegas com"necessidades especiais" nas suas salas de aula.Esses alunos afirmaram que em um ano os alunoscom "necessidades especiais" tinham se tornadomais sociais, mais comunicativos e tinham reduzidosignificantemente os comportamentos consideradosinapropriados para a cooperativa participação nasala de aula regular, como por exemplo balançar ocorpo ou as mão ou fazer sons e ruídos
    • Na Perspectiva dos Pais:   Davern (1994) entrevistou vinte e um pais de alunos com profunda e leve deficiência que estavam sendo educados em classes regulares. Estes pais reportaram que os benefícios da inclusão dos seus filhos eram visíveis na comunicação e sociabilidade ques eles passaram a demonstrar. Os pais neste estudo também disseram que se sentiram muito mais encorajados pela escola à participar da educação de seus filhos quando estes foram incluídos em salas de aulas regulares. Em um outro estudo desenvolvido por Ryndack e seus colegas (1995) entrevistas com treze pais de alunos com profunda física- motora e mental deficiências educados em classes regulares, indicaram que estes alunos desenvolveram habilidades sociais, acadêmicas e comunicativas, como também um senso de auto- aceitação e auto-valorização.
    • Todos estes estudos nos mostram que inclusão é possível e que inclusãoaumenta as possibilidades dos indivíduos identificados com necessidadesespeciais de estabelecer significativos laços de amizade, de desenvolverem-sefísico e cognitivamente e de serem membros ativos na construção deconhecimentos. Portanto, a pergunta inicial deste texto -"Por que Inclusão?"  -pode ser respondida simplesmente desta forma: "Porque inclusãofunciona." O principal ponto da pedagogia de inclusão é que todas os indivíduospodem aprender uma vez que nós professores identificamos o quê estesindivíduos sabem, planejamos em torno deste prévio conhecimento, econhecemos o estilo de aprender e as necessidades individuais dosnossos alunos. Todos os alunos podem se beneficiar das metodologias deinclusão e todos podem descobrir juntos que existem diferentes ingredientes paradiferentes bôlos. Escolas devem se torna um lugar de aprendizagem para todos.Nós não podemos nos dar ao luxo de criar currículos e programas educacionaisque somente favorecem uma parcela privilegiada da sociedade, seja em termoseconômicos ou em termos de abilidades físicas e cognitivas. Nós precisamos tercurrículos e programas que proporcionem uma educação de qualidade para todos.Aos educadores devem ser dados os instrumentos necessários para que elespossam ver a todos os alunos, incluindo os alunos com deficiência, com umpotencial ilimitado de aprender.
    •  A inclusão escolar só será viável se o professor e toda sociedade mudarem seu jeito de lidar com as diferenças, via aceitação de forma relacionais de afetividade, de escuta e compreensão, suspendo juízos de valores como pena ,repulsa e descrença . Uma mudança como desejo interior, por que algo anterior nos diz que vale a pena mudar. Só assim teremos a verdadeira inclusão escolar aquele em que devemos viver juntos o conviver.
    •  "Inclusãoé sair das escolas dos diferentes e promover a escola das diferenças"(Mantoan) 
    •  Referências Bibliográficas:   http://www.portaleducacao.com.br/pedagogia/artigos/2284/inclusao-escolar-um-desafio-entr http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/revistainclusao2.pdf http://www.defnet.org.br/heloiza.htm