Gramática   painel de acentuacao grafica -  aula demonstrativa  concurso passo a passo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Gramática painel de acentuacao grafica - aula demonstrativa concurso passo a passo

on

  • 5,275 views

 

Statistics

Views

Total Views
5,275
Views on SlideShare
1,569
Embed Views
3,706

Actions

Likes
1
Downloads
53
Comments
0

4 Embeds 3,706

http://sejogagalera.blogspot.com.br 3140
http://www.sejogagalera.blogspot.com.br 552
http://sejogagalera.blogspot.com 13
http://sejogagalera.blogspot.com.au 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Gramática   painel de acentuacao grafica -  aula demonstrativa  concurso passo a passo Gramática painel de acentuacao grafica - aula demonstrativa concurso passo a passo Document Transcript

  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br AULAS PASSO A PASSO www.sartorivirtual.com.brPAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CURSO DESCRITIVO E COMENTADO AULA ZERO, DEMONSTRATIVA CESPE RESPONSÁVEL: PROF.ª LUCIANE SARTORI e-mail – sartoriprofessores@hotmail.com 1
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br AULA DEMONSTRATIVA Oi, turma! É com grande satisfação que dividimos com vocês, aqui, um co-nhecimento tão gostoso como este: Língua Portuguesa. Muitos devem ter retorcidoo nariz ao ler isso, mas temos certeza de que muitos outros concordaram conosco,nós sempre encontramos “amiguinhos”. Como esse é o nosso primeiro encontro, vamos bater um papo a respeito dequal é o trabalho que devemos desenvolver – nós e vocês -, de como o curso seráconduzido e, antes de qualquer coisa, de quem somos nós, da nossa vida de Con-curso Público. Neste ano, eu, professora Luciane Sartori, completo vinte e três anos comoprofessora de Português, dezoito anos com concursos em geral e dez anos de tra-balho com concurso público em todas as disciplinas da área – Gramática, Interpre-tação de Texto, Redação Discursiva e Redação Oficial. É provável que alguns de vo-cês já me conheçam, porque, além de dar aulas há um certo tempo e trabalhar emcursos presenciais, trabalho também em alguns cursos satelitários e participo dealguns fóruns. Nota: A partir desse momento passarei a adotar uma postura mais impes-soal para dar um tom mais amplo às minhas explanações assumindo a segundapessoa do plural. Dissemos no início da aula que muitos devem ter retorcido o nariz ao falar-mos de Português, pois sabemos que a matéria não costuma agradar muito. Tantoisso é verdade que a maioria não dá atenção a ele, acha que na hora da prova “dáum jeito”, mas, gente, não é assim. Podemos ser suspeitos para falar, somos osprofessores, porém ninguém pode se esquecer de que é ele que tem feito a dife-rença: no ICMS de SP, foi o Português que provocou dissabores para muitos; no daReceita Federal, especialmente na prova de Analista, foi ele quem tirou muita genteda lista de classificados; neste último do ISS de SP, ele também eliminou vários;nas provas com redação discursiva, está lá o Português outra vez, marcando pontocontra os concurseiros. 2
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br É o que ocorre bastante, por exemplo, com advogado atuante, quando vaiprestar prova de concurso na área dele. Ele entende que não precisará de muitopreparo, pois ele entende do assunto, mas é principalmente aí que ele se engana,afinal a prova não pede a prática do direito, pede a teoria. Para o usuário da LínguaPortuguesa é a mesma coisa, ele pensa que domina o assunto, mas ele tem a práti-ca e o que cai na prova é a teoria. E quando se trata de Interpretação de Textos, então? Para muitos não háquem consiga ensinar a interpretar um texto e, além disso, é muito chato! Mas...quem se empenha no assunto acaba por se destacar, afinal as provas têm cobradomuito essa habilidade. O segredo é saber que existe técnica de leitura, aceitá-la ecolocá-la em prática sempre. Assim, o exercício trará a facilidade da compreensão,da concentração e do acerto, e o assunto deixará de ser chato. O curso dará a vocês suporte para a realização de prova do CESPE, mas ébom lembrar que só ele e o entendimento das aulas não resolverão. Vocês terão deassimilar os conceitos, fazer muito exercício prático, resolver muita questão de pro-va e NÃO parar de treinar. Dizemos isso, porque estudar Português, especificamen-te, não é decorar “um monte de regra e várias exceções que não servem para na-da”, é, de fato, apreender a lógica da linguagem e suas especialidades, aplicando-as constantemente. Por isso, lembrar-se da teoria é necessário, mas exercitá-la éimprescindível. Além disso, para concurso público, ainda é preciso saber lidar com otempo, o que só é possível se vocês conhecerem bem a banca que fará a sua pro-va – o que é a nossa pretensão com este curso. Sempre dizemos: um corredor de maratona não tem fôlego para cumprir suatarefa, se deixar para correr somente no dia da disputa. Ele precisa de muito treinoantes para chegar ao dia da corrida totalmente preparado: cheio de disposição epronto para superar qualquer dificuldade. Para vocês, a realidade é a mesma, vocêstêm de estar totalmente preparados, senão a meta não será alcançada. O curso de painel que vamos iniciar é centrado no CESPE, assim faremos au-las temáticas com base nas inclinações desta Banca. Para isso, ao início de cadatema, daremos a vocês a visão geral do assunto, depois trabalharemos as suas es-pecificações e - na sequência de cada uma dessas partes – indicaremos o que o 3 View slide
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.brCESPE mais gosta de cobrar nas questões em relação àquele assunto ou tópico ecomo ele faz isso. E, ainda, para ilustrar essas informações, colocaremos questõesque as evidenciem. É importante deixar claro aqui que o nosso foco será somente em uma Bancae em temas, ou seja, não se trata de um curso completo, mas sim de um curso queterá como meta mostrar-lhes o conteúdo por meio do enfoque teórico que estaBanca mais cobra associado às questões que ela elabora, portanto seu estudo e asaulas estarão voltados para o CESPE. Todo o conteúdo do último edital será abordado em dez (10) aulas, in-cluindo o conteúdo desta aula, que será Acentuação Gráfica. Dessa forma, os as-suntos serão dispostos nesta ordem:0 – Acentuação Gráfica;1 – Morfossintaxe do período simples e do composto;2 - Concordância nominal e verbal;3 – Sintaxe do período simples e composto – vozes verbais e funções do SE;4 – Regência e crase;5 – Pontuação;6 – Pronomes;7 - Verbos. + 8 e 9 Interpretação de textos + 10 redação Oficial Pessoal, sabemos que a e tarefa de vocês não é fácil, mas que ela é possível.Só que exige muita determinação e perseverança, pois somente a teoria não supreo conhecimento necessário para se realizar uma boa prova, como dissemos, é ne-cessário muito exercício, conhecer a linguagem da banca examinadora, saber mediro tempo da resolução das questões... Enfim, não é simples. Por isso estamos aqui,para aliviarmos ao máximo a sua carga e transformá-la em uma conquista. Perguntem o que quiserem sempre, não tenham receios. Sempre escutamosalguém dizer: “Professor(a), sei que minha pergunta é boba, mas...”. Não existe 4 View slide
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.brisso, todas são importantes. Muitas vezes, o que é simples torna-se difícil, porqueficou uma parte sem ser compreendida. Nós trabalhamos para vocês e nossa maior satisfação é receber retornos dosalunos, dizendo: “Professor(a), passei!” A sensação é ótima. Assim, quando vocêsalcançam seu objetivo, nós também alcançamos o nosso, é uma vitória nossa! Esperamos que a nossa participação em seus estudos ajude-os a decidir suacarreira profissional. Bom estudo e sucesso! Vamos trabalhar? 5
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br Acentuação Gráfica Iniciaremos a apresentação do assunto pelas normas anteriores ao AcordoOrtográfico da Língua Portuguesa, já que elas vão vigorar até 2012 e, principal-mente, porque há editais que pedem especificamente por essas normas anteriores. Entretanto, ao final de cada norma apresentada, haverá uma observação quemostrará a alteração estabelecida pelo Acordo. Isso se deve ao fato de que há tam-bém editais que pedem as normas estabelecidas a partir de 2009. Além disso, oCESPE não tem deixado claro em seus editais se irá cobrar ou não as normas já vi-gentes no Acordo. No edital do MPU, puseram apenas Ortografia Oficial e Acentua-ção Gráfica; assim, passamos um e-mail a eles, solicitando que nos explicitassemse as normas do Acordo seriam cobradas e nos disseram que poderiam tanto cobrá-las como não. Portanto, pessoal, por experiência desses últimos anos, não acredi-tamos que as novas normas sejam cobradas, mas melhor prevenir que remediar. O assunto da Acentuação faz parte, na verdade, da Ortografia, apesar de oseditais, os livros de gramática, enfim, todos separarmos como assuntos totalmentedistintos. Por exemplo, quando é que se utiliza o til? E quando é que se utiliza, nolugar dele, o “m” ou o “n” para representarmos o som nasal em determinada pala-vra? Vejamos: órfã se escreve com til, ambulância com “m” e “n”, mas não há re-gra de acentuação que nos diga quando usar o til, certo? É um caso de grafia. Assim, trataremos aqui apenas dos seguintes acentos: o trema, o agudo e ocircunflexo. Isso porque nos concentraremos nos motivos sonoros para que umapalavra tenha ou não acento, e estes sinais são empregados justamente com basenisso, diferenciando as palavras umas das outras, ou um tipo de som do outro.Lembrem-se, ainda, de que o CESPE cobra muito os conceitos, por isso faremosreferência a eles, vamos lembrar o que é ditongo, hiato, vogal e outros. Esta banca cobra muito este assunto em questões de acentuação especifica-mente, pedindo o motivo do acento de uma determinada palavra, ou comparandopalavras, para que o candidato diga se elas são acentuadas pelo mesmo motivo ounão. Pedem, ainda, esse conhecimento na parte de concordância, devido ao em- 6
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.brprego do acento em alguns verbos servir para diferenciar o plural do singular, comoveremos. Assim, antes de falarmos de concordância, vamos falar dos acentos. Vejamos o emprego do trema.1)Emprego do Trema (¨) aparece nos grupos QUE / QUI / GUE / GUI quan-do o “u” é pronunciado e átono (fraco). Ex.: seqüela, eqüino, agüei, lingüiça. Observem como o som do “e” e do “i” nos grupos QUE / QUI / GUE / GUInessas palavras é mais forte do que o “u” de cada uma delas. Além disso, quandofalamos cada uma delas, pronunciamos o som do “u”. Diferente do que ocorre como som das palavras: queijo, quitanda, guerra, guitarra, em que o “u” não tem som,ou seja, não é pronunciado. Podemos concluir com isso que o trema é um acento empregado para dife-renciarmos o som dos grupos QUE / QUI / GUE / GUI, esclarecendo-nos quando osom do “u” é emitido e quando esse som não é emitido. Agora nos respondam: por que água, quota, quatorze, enxáguo não têm tre-ma? Já pensaram? Porque são formados pelas sílabas gu e qu associadas ao “a” eao “o” e o trema só deve ser pensado quando esses grupos estiverem associados a“e” e “i”. Pessoal, isso é lógico, afinal não há sílaba qua que se pronuncie ka, ougua que seja ga, quo que seja ko, ou guo que seja go. É por essa razão que exis-tem formas variantes de quota cota e de quatorze catorze. Se quisermos emi-tir o som dessas palavras de forma diferente, podemos, desde que a grafia siga es-sa pronúncia. Atenção! Há verbos em que o “u” desses grupos é pronunciado e tônico(forte). Quando isso ocorre, o trema não é empregado, pois ele determina o somátono (fraco) do “u”, por isso ele é substituído pelo acento agudo, exemplo: ele ar-gúi. Isso ocorre também no presente do subjuntivo de alguns verbos como “averi-guar” e “apaziguar”, que já caíram muito em prova por isso, vejamos:Compare com os verbos que têm “água” em sua formação, como enxaguar 7
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br presente do indicativo pres. do subjuntivo presente do indicativo pres. do subjuntivo eu averiguo → (que) averigúe eu enxáguo → (que) enxágüe tu averiguas → (que) averigúes tu enxáguas → (que) enxágües ele averigua → (que) averigúe ele enxágua → (que) enxágüe nós averiguamos → (que) averigüemos nós enxaguamos → (que) enxagüemos vós averiguais → (que) averigüeis vós enxaguais → (que) enxagüeis eles averiguam → (que) averigúem eles enxáguam → (que) enxágüemALTERAÇÕES DO ACORDO DE 1990: O trema não será mais usado era: argüir, redargüir; agora: arguir, redar-guir –só será mantido nas palavras estrangeiras em suas derivadas: Müller, mülle-riano. Logo, o acento agudo que segue o mesmo raciocínio do trema também nãoserá mais empregado era: ele argúi; agora: ele argui. Vejam que nestes casos osom não muda, apenas a acentuação. Para os verbos terminados em -guar, -quar e -quir, como enxaguar, apazi-guar, obliquar, delinquir e outros, tanto a pronúncia quanto a escrita sofrerão alte-ração. Nós teremos duas formas de pronunciar esses verbos e, consequentemente,duas formas de escrevê-los. Essas duas formas facultativas misturam as formasdos dois grupos de verbos anteriores ao Acordo e eles ficarão assim: presente do indicativo presente do indicativo ou ou eu averiguo → averíguo eu enxáguo → enxaguo tu averiguas → averíguas tu enxáguas → enxaguas ele averigua → averígua ele enxágua → enxagua nós averiguamos → averiguamos nós enxaguamos → enxaguamos vós averiguais → averiguais vós enxaguais → enxaguais eles averiguam → averíguam eles enxáguam → enxáguam presente do subjuntivo presente do subjuntivo ou ou eu averigue → averígue eu enxágue → enxague tu averigues → averígues tu enxágues → enxagues ele averigue → averígue ele enxágue → enxague nós averiguemos → averiguemos nós enxaguemos → enxaguemos vós averigueis → averigueis vós enxagueis → enxagueis eles averiguem → averigúem eles enxáguem → enxágüem 8
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br2) ´ (agudo) só aparece na sílaba tônica de som aberto, exemplo: avó. ^ (circunflexo) só aparece na sílaba tônica de som fechado, exemplo: avô Para entendermos a aplicação desses acentos, temos de fazer alguns lembre-tes. Quanto à tonicidade, as palavras são classificadas em:oxítona: quando sua sílaba tônica é a última café, urubu;paroxítona: quando sua sílaba tônica é a penúltima cabeça, júri;proparoxítona: quando sua sílaba tônica é a antepenúltima sílaba, tônico. Reconhecimento da sílaba tônica: basta que vocês chamem pela palavra, a-crescentando um ô antes dela (E por que este balão? Ele representa vocês pen-sando. O “ô” não está na frase de fato, vocês apenas o imaginam, para que eledê o ritmo correto da pronúncia da palavra), assim a sílaba que mais se estenderna pronúncia será a tônica: ô hooojehoje sílaba tônica “ho”; Ô ventiladooorventilador sílaba tônica “dor”; ô melanciiiiamelancia sílaba tônica “ci”;cadeira ô cadeeeeira sílaba tônica “dei”.Comparem: me-lan-ci-a ≠ ca-dei-ra hiato ditongo 9
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br Muitos de vocês podem ter pensado que a sílaba tônica de melancia fosse “ci-a”, mesmo depois de terem chamado pela palavra, mas observem que, quando vo-cês a chamam, é o som da sílaba “ci” - especificamente do “i”, que é vogal - que seestende e não o som do “a”. Porém, como o som do “a” também é forte, tem-se aimpressão de que ele faz parte da sílaba tônica, só que isso prova que há um hiato,porque não há sílaba com duas vogais, ou seja, com dois sons vocálicos fortes.Quando duas vogais ficam na mesma sílaba, encontramos, em verdade, uma vogale uma semivogal ou vice-versa e, neste caso, há um ditongo, o que ocorre em ca-deira, em que o “e” é a vogal e o “i” é a semivogal, tanto que pronunciamos “cade-ra” - prova de que o “i” é fraco. Dicas e lembretes: • o “a” sempre é vogal, nunca é fraco; • o “e” e o “o” são semivogais, se tiverem o som do “i” e do “u” respec- tivamente – como ocorre em mãe e mão -, com o som deles próprios, ou seja, de “e” e de “o” – como em apóia e sei, são vogais; • o “i” e o “u” são semivogais, só serão vogais se estiverem juntas de uma consoante, ou estiverem sozinhas na sílaba, ou tiverem o som es- tendido quando chamamos pela palavra.Comparem ainda: i-dei-a ≠ quais (não se separa, pois há aqui um tritongo) ditongo tritongoA sequência eia apresenta vogal (e com som de e) + semivogal (i de som fraco) + vogal (a).A sequência uai apresenta semivogal (u de som fraco) + vogal (a) + semivogal (i de som fraco). Sempre que as formações forem as apresentadas acima, o raciocínio será omesmo, portanto a separação ocorrerá somente no primeiro caso e da forma comoa fizemos.3) Emprego do Agudo (´) e do Circunflexo (^) Roteiro de acentuação gráfica da sílaba tônica 10
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br1º) Reconhecer a sílaba tônica, verificando a estrutura que existe nela para avaliarse ela será acentuada ou não. Se nela aparecer hiato... (vejam os próximos passos na sequên- cia abaixo)2º) Hiatorecebem acento - i (s), - u (s) quando forem a segunda vogal do hiato, seguidas ou não de “s” - mas não receberão acento se forem seguidos de –nh. -eem, -oo (s) no final das palavras, desde que o primeiro “e” ou o primeiro “o” do hiato estejam na sílaba tônica.Exemplos:1º.) saúde / saudade, fluído / fluido, faísca, balaústre, restituí-lo, vêem, vôos, perdôo.2º.) moinho, juiz, ruim, iam, Mooca, alcoólatra, álcool, meeiro. No primeiro grupo de palavras, confirmamos o que diz a condição de a-cento no “i” e no “u” na formação do hiato e apresentamos algumas comparações. Vejamos caso a caso, seguindo a ordem do roteiro que estamos oferecendopara os seus estudos: primeiro, procurem a sílaba tônica e, depois, analisem se ne-la aparece alguma das condições de hiato ditas acima. sa-ú-de / sau-da-de: em saúde, quando procuramos a sílaba tônica, encontra-mos o “u” sozinho nela, por isso devemos olhar na sílaba anterior e verificar se e-xiste outra vogal imediatamente anterior ao “i” ou ao “u”, o que no caso ocorre,pois aparece o “a” antes do “u”, confirmando a formação de um hiato – isso valecomo dica, pois, se fizerem assim e se acostumarem com isso, não terão de ficardecorando que “i”e “u” devem ser a segunda vogal do hiato e não farão confusãocom os demais casos. Comparando agora com saudade, e seguindo os passos queestamos desenvolvendo, primeiro procuramos a sílaba tônica, reconhecemos a síla-ba “da”, sendo que o “u” é pronunciado junto do “a”, porque o “u”, neste caso, ésemivogal, logo existe a formação de um ditongo e não de um hiato, fugiu à condi-ção do hiato. 11
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br Fazendo esse raciocínio, entendemos que o acento desse primeiro caso dehiato acentuado deve-se à diferenciação do hiato e do ditongo, ou seja, de quandoo “i” ou o “u” são fracos ou fortes, entenderam? Este é o motivo de os hiatos destetipo serem acentuados. flu-í-do/ flui-do: flu-í-do tem acento pelo mesmo motivo de sa-ú-de, um caso dehiato - o que nesta palavra só ocorrerá se tratar-se de forma verbal, ou seja, flu-í-do é o particípio do verbo fluir e nele ocorre hiato, como na frase O assunto haviafluído muito bem. Porém, quando se tratar de substantivo ou adjetivo – não seráverbo, claro –, sua pronúncia irá mudar e, por isso, não será acentuado. Nessaforma, passa a haver um ditongo, o “u” é forte, vogal, e o “i” é fraco, semivogal:flui-do, como em Temos de trocar o fluido de freio do carro. Essa mesma estrutura e pronúncia de fluido ocorrem em gra-tui-to, for-tui-to,in-tui-to. fa-ís-ca / ba-la-ús-tre / res-ti-tu-í-lo: notem que em todos esses casos, seguindoos passos que demos, ao procurarmos a sílaba tônica, encontramos o “i” e o “u” nasílaba tônica das três palavras analisadas e quando olhamos para a sílaba anterior,encontramos outra vogal - nos dois primeiros casos, o “i” e o “u” aparecem segui-dos de “s”, o que não faz diferença para o acento ser empregado . Assim, verifica-mos caso de hiato em que o acento deve ser empregado. vê-em / vô-os / per-dô-o: a sequência de duas vogais idênticas sempre é forma-ção de hiato e, nesses casos, “eem” e “oo”estão no final das três palavras; assim,temos de reconhecer a sílaba tônica. Reconhecendo-a, verificamos que o primeiro“o” e o primeiro “e” de cada hiato estão na sílaba tônica, confirmando que temos depôr o acento. No segundo grupo de palavras, verificamos que muitas vezes há confusãono raciocínio, porque tais palavras parecem ter a mesma formação do grupo de pa-lavras anterior, mas não a têm e reforçamos, ainda, o que foge às condições deemprego do acento, já que existe hiato em todas elas. Afinal, turma, por que as palavras abaixo fogem às regras de hiato apresen-tadas? 12
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br mo-i-nho, ju-iz, ru-im: retomando o processo anterior, procuramos a sílaba tôni-ca e verificamos que os três vocábulos não deverão ser acentuados, pois em ne-nhum deles o “i” ou o “u” precisam de acento para que tenham som forte, pois, emmo-i-nho, o “i” está seguido de –nh e, em ju-iz e ru-im, o “i” não está sozinho nemseguido de –s, mas acompanhado de –z e -m. A condição para se colocar acento éo “i” e o “u”, como segundas vogais dos hiatos, serem acentuados se estiverem so-zinhos na sílaba tônica, o que não ocorre. i-am: o “i” está na sílaba tônica e forma um hiato com o “a”, mas não tem acen-to, por quê? Porque, seguindo a condição do acento, o “i” não é a segunda vogal dohiato. Dica: se seguirem o roteiro de raciocínio que estamos dando, basta que vo-cês olhem para trás, ou seja, para a sílaba anterior à do “i”, e vocês verificarão quenão há outra vogal, logo não há motivo para o acento ser empregado. Mo-o-ca, me-ei-ro: já procuraram a sílaba tônica dessas palavras? Muitos devemter pensado que é o “Mo” da Mooca e o “ei” de meeiro. Erraram no primeiro caso,mas acertaram no segundo. Pessoal, para quem errou na primeira palavra, temosde alertar, foi a “fadiga” a causadora do erro, vamos chamar a palavra por vocês: ô Moooo-ca , foi isso? Se foi, nós acertamos, foi mesmo a “fadiga” depronunciar os dois “os” que causou o seu erro; revejam a palavra ao ser chamadada forma certa: ô Mo-ooooo-ca , viram? É o segundo “o” do hiato deMooca que está na sílaba tônica, assim como é o segundo “e” do hiato de me-eiro, e não o primeiro “e” do hiato. Por esse motivo não há acento pela formação dehiato nessas palavras. Já que não se encaixou na condição do hiato acentuado, oque você deverá fazer agora é reconhecer qual é a sílaba tônica: a última, a penúl-tima ou a antepenúltima? No caso, é a penúltima, portanto trata-se de duas paroxí-tonas e paroxítonas terminadas em –a, –o não têm acento. Mas, então, por que há acento nas palavras abaixo? 13
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br al-co-ó-la-tra: em verdade, não existe acento no segundo “o” devido àformação do hiato, pois, pelo que vimos, só há acento neste caso, se o primeiro “o”estiver na sílaba tônica. Vamos começar do começo: procurando a sílaba tônica,verificamos que é o segundo “o” do hiato, logo foge à regra do hiato, já que não é oprimeiro “o” do hiato que está na sílaba forte, tônica; assim, lembrem-se: verifi-quem qual é a tônica e observem que, neste caso, é a antepenúltima, portanto tra-ta-se de uma proparoxítona! E todas têm acento, certo? ál-co-ol: esta é mais fácil, ainda que já tenhamos visto muita gente errar aanálise desta palavra, pensando ser ela uma paroxítona. Colocamos esta palavrinhaaqui, porque não é para vocês verem a formação do “oo” e já irem pensando noacento. O primeiro passo deve ser mantido: reconhecer a sílaba tônica e, o maisimportante, sem “fadiga”: ô aaaaal-co-ol . Pronto, trata-se de umaproparoxítona, e todas são acentuadas. Alterações do Acordo de 1990: 1) As vogais “i” e “u”, componentes de um falso hiato, nas paroxítonas não se- rão mais acentuadas, a não ser que façam parte das oxítonas. Mas, afinal, o que é um falso hiato? Um falso hiato é a ocorrência de uma vo- gal antecedida de um ditongo e não de outra vogal. Vamos ver: era: fei- ú –ra, agora: fei-u-ra → observem que a vogal “u” é antecedida de ditongo e não de outra vogal e o “u” tônico está na penúltima sí- laba, que é a tônica, por isso não tem mais acento. Assim Pi-au-í continua com acento, pois o “i” tônico está na última sílaba, que é a tônica. 2) Não se usa mais o acento nas palavras terminadas em -êem e -ôo (s) – era: vêem, vôos, agora: veem, voos.3º.) Ditongo = recebem acento os ditongos tônicos e de som aberto -éi(s), -ói(s),-éu (s). Memorização: as terminações lembram uma frase dita assim: éi, ói éu! (ei,óia eu), entenderam? 14
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br Exemplos:1º.) pastéis, herói, troféus;2º.) atéia, heróico, estréia, idéia;3º.) ateu, camafeu, coisa, moita, chapeuzinho. Completando nosso roteiro: primeiro, procure a sílaba tônica e, depois, analise se nela aparece um hiato a ser acentuado. Se não aparecer, verifique se há uma dessas formações de ditongo ditas acima, e, se houver, acentue o ditongo. pastéis, herói, troféus, atéia, heróico, estréia, idéia: em todas essas palavras, osditongos estão na sílaba tônica e têm som aberto, por isso são acentuados; ateu, camafeu, coisa, moita: nessas palavras do terceiro grupo, entendemos porque ocorre acento nos ditongos de som aberto. Comparem o som dos ditongos des-te grupo com os ditongos do primeiro e notem que o acento dos abertos distingue-os dos ditongos de som fechado. chapeuzinho: por que chapeuzinho não tem acento? Simples, pessoal, como jádissemos, o primeiro passo é reconhecer a sílaba tônica e, nesta palavra, a tônica é–zi, não entra na regra do ditongo, trata-se de uma paroxítona terminada em –o e,por isso, não é acentuada. Assim, não basta reconhecer o ditongo de som aberto,antes, verifique a sílaba tônica.Alterações do Acordo de 1990: Retome apenas as palavras do segundo grupo para entender o que determi-nou o Acordo. Nas paroxítonas em que há ditongos abertos -éi e –ói, o acento nãoserá mais empregado - era: a-téi-a, he-rói-co, es-tréi-a, i-déi-a; agora: a-tei-a, he-roi-co, es-trei-a, i-dei-a. As demais - oxítonas ou monossílabas tônicas - continuama ser acentuadas: pastéis, he-rói, tro-féus, céu (Opa! Mas nós ainda não falamossobre esta palavrinha. Não se preocupem, vamos falar já, na regra das monossíla-bas). Dica - Basta que você raciocine da seguinte forma: os ditongos de som aber-to não são mais acentuados nas paroxítonas. 15
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br4º.) Quanto à terminação, as palavras serão acentuadas quando: Daqui para frente, não esqueça: o hiato e o ditongo prevalecem sobretodas as outras condições de acento.a) Monossílabas = são acentuadas as tônicas terminadas em –a (s), -e(s), -o (s). Memorização: esta é a regra do PÁ, PÉ, PÓ, seguidas ou não de –s.Exemplos:1º.) más, já, vês, pós, pôs;2º.) mas, o, cru, nu, mar;3º.) céu. Antes de voltarmos ao roteiro de estudo, temos de saber reconhecer a mo-nossílaba tônica, diferenciando-a da átona. Muitos dizem que a diferença está napronúncia, mas se chamarmos as monossílabas, todas ficam tônicas. Ai, gente, as-sim fica difícil, não é mesmo? ...Então, vamos fazer isso ficar mais fácil: Qual é a diferença entre de e dê? Obviamente o primeiro é átono e o segundo é tônico, mas como diferenciá-los? Muitos me responderiam: o primeiro é preposição e o segundo é verbo. Só queaí você teria de decorar que os átonos são os artigos, as preposições, as conjun-ções e os pronomes oblíquos átonos; as demais classes de palavras são as tônicas.Continuamos a não achar facilidade nisso. Agora, e se dissermos para vocês que oideal é você pensar assim: “dar” é palavra que tem sentido próprio, digamos, pen-sando nela isoladamente, sozinha mesmo, continuamos a entender seu sentido,sendo assim é tônica; enquanto “de” não tem sentido próprio, pensada isoladamen-te, fica sem sentido, então é átona. Pronto, ficou mais fácil! Sabendo isso, fica mais fácil saber por que a memorização é PÁ, PÉ, PÓ, afi-nal as três são tônicas e têm terminação em –a, -e, -o. Outra coisa boa é que va-mos levar esse mnemônico até o fim da acentuação. 16
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br Seguindo esse raciocínio, voltemos ao roteiro para analisarmos os acen-tos das monossílabas átonas. Primeiro, procurem a sílaba tônica, se a palavra formonossílaba e tônica, verifiquem apenas se há um ditongo tônico e aberto - claro,hiato não haverá. Se houver o ditongo aberto e tônico, acentuem-no. Se não hou-ver um ditongo, verifiquem a terminação da palavra, se é em “-a, -e, -o (s)”, sendoa terminação da palavra com uma delas, acentuem-na. Analisemos as palavras dos exemplos. No primeiro e no segundo grupo de palavras, confirmamos a regra dasmonossílabas. Lembrem-se de que para vermos se a monossílaba é átona ou tôni-ca, verificamos o sentido próprio da palavra e não se ela tem som forte ou fraco: más, já, vês, pós, pôs: observem que todas são tônicas → más, de meninas más,ruins, tem sentido, é tônica e termina em –a (s); já, tem sentido de agora, é tônicae termina em –a; vês, verbo ver, tem sentido, é tônica e termina em –e (s), desom fechado, por isso acento circunflexo; pós, tem sentido de após, é tônica e ter-mina em –o(s), de som aberto, acento agudo; pôs, verbo pôr, tem sentido, é tônicoe termina em –o (s), de som fechado, acento circunflexo. mas, o, cru, nu, mar: mas, como no exemplo: Ele estudou bastante, mas não foiaprovado, não tem sentido próprio, é átono, nem pensem em acento; o, não impor-ta a classificação ou o emprego, não tem sentido próprio, é átono, nem pensem emacento; cru e nu, são palavras de sentido próprio, são tônicos, porém terminam em–u, não têm acento; mar, tem sentido próprio, é tônico, mas termina em –r, nãotem acento. No terceiro grupo, vamos nos lembrar das condições de acento que preva-lecem. céu: tem sentido próprio, é monossílaba tônica, há ditongo de som aberto, queprevalece sobre as demais condições (nem precisamos pensar nas terminações –a,-e, -o seguidas ou não de –s), acentuamos a palavra.Observação: Pra não recebe acento nem apóstrofo, ou seja, estão erradas as for-mas: prá e pr’a. 17
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.brb) Oxítonas: acentuam-se as terminadas em –a (s), – e (s), – o (s), – em (ens). Memorização: esta é a regra do PÁ, PÉ, PÓ, -EM seguidas ou não de –s,lembrando que a terminação –em, quando seguida de –s, fica –ens.Exemplos:1º.) vatapá, café, cipós, refém, reféns, encontrá-la, fazê-lo, compô-lo;2º.) talvez, urubu, tatu, saci, parti-lo, substituí-lo. Completando nosso roteiro: primeiro, procurem a sílaba tôni- ca e, depois, analisem se nela aparece um hiato a ser acentuado. Se não aparecer, verifiquem se há um ditongo de som aberto. Se não houver, analisem as terminações, começando pelas monos- sílabas, depois oxítonas. Vamos novamente ver caso a caso: vatapá, café, cipós, refém, reféns: observem que ao chamar por essas palavras,vocês verificarão que todas têm a última sílaba forte e em nenhuma delas há casode hiato ou de ditongo a ser acentuado, assim o que resta é verificar a terminaçãopela regra das oxítonas. Como todas têm terminação de oxítonas a serem acentua-das, todas têm acento. Observem, ainda, que a terminação –em, quando seguidade –s, assume a forma –ens. encontrá-la, fazê-lo, compô-lo: em cada uma das formas apresentadas, há umverbo e um pronome, ou seja, duas palavras e, por esse motivo, devem ser anali-sadas separadamente. Dessa forma, apesar de haver hífen e mencionarmos os pro-nomes ao procurar pela sílaba tônica, devemos considerar que os verbos citadossão palavras oxítonas terminadas em –a, -e, -o; por isso são acentuadas. talvez, urubu, tatu, saci: reconhecendo a sílaba tônica dessas palavras, verifica-mos que todas são oxítonas, porém com terminações de oxítonas que não são a-centuadas, como determina a regra. Importante lembrar que talvez não terminaem –e, mas em –e seguido de -z e, mesmo assim, muita gente quer acentuar essapalavra, está errado. 18
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br parti-lo, substituí-lo: que dupla, hein, gente! Como elas “pegam” as pessoas emprova. Mas se vocês nos obedecerem, tudo dará certo, do contrário não podemosgarantir nada. Analisem conosco as duas palavras, seguindo o roteiro: sílaba tônicade parti-lo é –ti, nela não há hiato nem ditongo que recebem acento, assim deve-mos considerá-la uma oxítona terminada em –i, não leva acento; sílaba tônica desubstituí-lo é –i, ops!, achamos um –i sozinho na sílaba tônica, assim, vocês devempensar primeiro no caso do hiato, e não, no caso das oxítonas. Portanto, olhem pa-ra a sílaba anterior, vocês encontrarão outra vogal e detectarão um hiato a ser a-centuado, por isso essa palavra é acentuada. Daí dizermos que os casos do hiato edo ditongo prevalecem sobre os demais casos.c) Paroxítonas: acentuam-se as terminadas em –i(s), -us, -l, -x, -r, -ps, um(uns), -ã (s), -ão (s), -on (s), -en (só no singular) e ditongo. Memorização: paroxítonas são acentuadas, exceto as que terminam em – a (s),–e (s), – o (s), – em (ens), –am → PÁ(S), PÉ(S), PÓ(S), -EM(ENS), -AM.Exemplos:1º.) cebola, rubrica, rabanete, coco, item, itens, hifens, polens, iam, lembram;2º.) biquíni, vírus, móvel, ônix, açúcar, fórceps, álbum, ímã, órfão, íon, íons, hífen,água. Nossa! As paroxítonas têm muitas terminações para serem acentuadas! Pes-soal, por isso é que é melhor estudar essas palavras, usando a lei do menor esfor-ço: memorizem as que não são acentuadas, isso facilita muito. No começo, podeaté causar estranheza, mas treinando, vocês verão que ficará muito tranquilo. Completando nosso roteiro: primeiro, procurem a sílaba tônica e, depois,analisem se nela aparece um hiato a ser acentuado. Se não aparecer, verifiquem sehá um ditongo de som aberto. Se não houver, analisem as terminações, começandopelas monossílabas, depois oxítonas, depois, paroxítonas. cebola, rubrica, rabanete, coco, item, itens, hifens, polens, iam, lembram: nesseprimeiro grupo de palavras, encontramos paroxítonas com terminações que não asfazem ser acentuadas. É importante observarmos alguns detalhes ainda: 19
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br 1) em relação à memorização, deve-se gravar as formas –em e –am assim: e, eme / a, eme. Senão vocês confundirão o som dessas formas com o som de –en e –ã, que fazem as paroxítonas serem acentuadas. A forma –am não é terminação de palavra, na verdade, é a forma que o verbo pode assumir no plural, por isso não aparece seguida de –s, como em iam e lembram; 2) para não restar dúvida, iam é paroxítona terminada em –am, por isso não é acentuada e se alguém estiver pensando: por que o “i” sozinho na sílaba não leva acento? Confundindo com a regra do hiato, volte para a explicação dos hiatos e encontrará a resposta lá, pois já falamos sobre essa palavra; 3) essas terminações que não são acentuadas, não ficam assim por acaso. Isso ocorre porque, no final, toda vez que usamos o agudo ou o circunflexo, faze- mos isso para diferenciarmos a pronúncia das palavras: Por que todas as proparoxítonas são acentuadas? Para serem diferenciadas das paroxítonas e das oxítonas. Por que coco não tem acento e cocô tem? Ainda que já tenhamos visto muita gente vender água de côco e também de cocô, compra quem quer, não é turma? Mas, vamos lá... Por que sabia não tem acento e sabiá tem? E tantas outras? Porque, quando a oxítona tem acento, a paroxítona não tem. Dessa maneira, ficam diferenciadas entre si. Por isso hifens, que é paroxítona, não tem acento; mas reféns, que é oxítona, tem. biquíni, vírus, móvel, ônix, açúcar, fórceps, álbum, ímã, órfão, elétron, elétrons,hífen, água: todas elas têm terminação de paroxítona que é acentuada, mas é im-portante comentarmos alguns casos em especial: 1) Não se pode confundir terminação em ditongo com as demais que não são acentuadas: cebola termina em –a e água termina em ditongo, assim como coco e órfão,... por isso ocorre a diferença de acentuação de uma palavra pa- ra a outra; 2) Não se pode comparar hífen com hifens, porque o plural da palavra faz a dife- rença. Compare hífen com pólen e hifens com polens, para que vocês não fa- 20
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br çam confusão. Assim, vejam se alguém pode ter esta dúvida depois: profes- sores, por que hífen tem acento e hifens não? Não entendi... Claro que não. Ninguém pode ter essa dúvida depois, justamente, porque já estamos expli- cando como você deve fazer as comparações de forma adequada: sempre en- tre palavras que tenham realmente a mesma estrutura. Hífen e hifens são coisas diferentes, assim como raiz e raízes...; 3) ateia, heroico, estreia, ideia: notem como essas palavras, pelo Acordo, foram deslocadas da regra dos ditongos tônicos e de som aberto, e passaram a fa- zer parte da regra das paroxítonas; 4) Prefixos paroxítonos terminados em –r e –i, normalmente, não são acentua- dos, independentemente da regra, como ocorre em super e semi. Porém são acentuados quando usados como substantivos: A máxi do orçamento abalou o futuro de muita gente. / Ela estava usando uma míni!d) Proparoxítonas: todas são acentuadas.Exemplos: matemática, ínterim, sílaba, alcoólatra*.* Não se esqueçam de que esta palavra apresenta dois “os”, portanto, no momentoem que vocês forem pronunciá-la para reconhecer a sílaba tônica, deverão pronun-ciar os dois. Do contrário, haverá diferença de raciocínio.Cuidado com a pronúncia: pudico, e não púdico rubrica, e não rúbrica ibero, e não íbero filantropo, e não filântropo... Completando nosso roteiro: primeiro, procurem a sílaba tôni- ca e, depois, analisem se nela aparece um hiato a ser acentuado. Se não aparecer, verifiquem se há um ditongo de som aberto. Se não houver, analisem as terminações, começando pelas monos- sílabas, depois oxítonas, depois paroxítonas e, por último, propa- roxítonas. 21
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br4) O acento em alguns verbos a) Nota Ortográfica Alguns verbos, quando vão para o plural, dobram o –e, observem: crê dê lê vê provê 3ª pessoa do singular ↓ ↓ ↓ ↓ ↓crêem dêem lêem vêem provêem 3ª pessoa do plural Memorização: verbos que dobram o e no plural: CREDELEVEPROVÊ. Dos quatro primeiros verbos acima, surgem os derivados que seguem asmesmas condições de grafia.Exemplo: reler (derivado de ler) - ele relê / eles relêem → como o verboler, seu primitivo, dobra o –e em terceira pessoa do plural, reler também faz isso.Alteração do Acordo de 1990: Não esquecer que as palavras terminadas em –eem não são mais acentua-das: creem, deem, leem, veem, proveem, releem etc. b) Acentuação presente 3ª pessoa do singular 3ª pessoa do pluralverboster tem – monossílaba tônica terminada têm – acento diferencial: diferencia em –em. o plural do singular.vir vem – monossílaba tônica termina- vêm – acento diferencial: diferen- da em –em. cia o plural do singular.ver vê – monossílaba tônica terminada vêem (hiato) / veem (Acordo) em –e / som fechado.conter contém – oxítona terminada em - contêm – oxítona terminada em – em / singular. em /plural = acento diferencial. Obs.: não dobra o –e, porque é de- rivado do verbo ter, que não dobra o –e.convir convém – oxítona terminada em – convêm – oxítona terminada em – 22
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br em/singular. em/ plural = acento diferencial. Obs.: não dobra o –e, porque é de- rivado do verbo vir, que não dobra o –e.rever revê – oxítona terminada em –e/ revêem (hiato) / reveem (Acordo) som fechado. Obs.: dobra o –e, porque é deriva- do do verbo ver.Atenção! Nas provas do CESPE esta parte da Acentuação é bastante cobrada nasquestões de Concordância, já que o segredo do emprego ou não do acento e do usodo agudo ou do circunflexo dependem da relação do verbo com o seu sujeito. Basi-camente, se o sujeito for singular, o verbo fica no singular; se o sujeito for pluralou composto, o verbo fica no plural.5) Acento diferencial As palavras que relacionamos abaixo não recebem acento, seguindo as regrasde acentuação que vimos hoje. Os motivos desses acentos são diferentes, comoveremos a seguir. a) Este primeiro grupo recebe acento diferencial, para que se distingam palavras que têm significação própria daquelas que não têm:pélo, pélas, péla (verbo) péla, pélas (subst.=jogo) pelo, pelas, pela (prep.+artigo)pára (verbo) para (preposição)pêlo, pêlos (cabelo) pelo, pelos (preposição por + artigo o/s)pêra (fruta ou barba) pera (preposição arcaica)pôr (verbo) por (preposição)côa, côas (verbo) coa, coas (preposição com +artigo a(s)/ formação antiga) b) O acento diferencial aqui marca a diferença do tempo verbal, recebendo a- cento a forma que tem som fechado, masculino. Bom, pessoal, até a nossa gramática é machista, o que se há de fazer?pôde (pretérito perfeito) pode (presente do indicativo) c) Este grupo tem acento para diferenciar o som fechado do som aberto e todas têm significação própria: 23
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.brpôlo, pôlos (subst. = ave) pólo, pólos (substantivo= jogo ou extremidade)Alterações do Acordo de 1990: Algumas alterações foram feiras nesse grupo de palavras que recebe acentodiferencial. Vejamos: O acento diferencial de pôde/pode, pôr/por permanece; Os grupos pára/para, péla(s)/pela(s), pêlo(s)/pelo(s), pólo(s)/polo(s),côa(s)/coa(s) e pêra/pera não têm mais acento diferencial; também entraram parao grupo das paroxítonas; As palavras forma/fôrma têm acento diferencial, mas é faultativo o seuemprego; a Academia explica que isso serve para evitar ambiguidade, quando asduas palavras forem empregadas em uma mesma frase: A forma da fôrma é oval.É bom saber: Devemos considerar a tonicidade da última palavra para fazermos a classifi-cação dos nomes compostos. As demais palavras que constituem o nome são con-sideradas átonas: guarda-civil oxítona / amor-perfeito paroxítona. O til das palavras primitivas é mantido apenas nas derivadas que apresentamo sufixo –mente ou antes do sufixo iniciado pelo –z: irmãmente, leõezinhos,oraçõezinhas. ResumindoTrema:Somente nos grupos QUE, QUI, GUE, GUI, quando o “u” é pronunciado e átono –em alguns verbos, esse “u” é pronunciado e tônico, recebendo o acento agudo nopresente do subjuntivo: que eu averigúe, por exemplo.Acordo: em 2012, o trema não será mais empregado, a não ser nas palavras es-trangeiras e, por esse motivo, o acento agudo empregado nos verbos terminadosem -GUAR, -QUAR e –QUIR não apresentam mais esse acento e passam a ter duas formas de pronúnciae duas de grafia: eu enxáguo ou enxaguo.Agudo e circunflexo: somente nas sílabas tônicas, nos casos de: a) Hiatos → acentuam-se -i, -u (exceto se seguidos –nh), -eem, -oo (s); Acordo: os falsos hiatos das paroxítonas não serão mais acentuados: feiura, como também os hiatos finais –eem e –oo. 24
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br b) Ditongos → tônicos e de som aberto -éi, -ói, -éu (s); Acordo: não serão mais acentuados nas paroxítonas, somente em oxítonas e monossílabas. c) Monossílabas → PÁ, PÉ, PÓ (s); d) Oxítonas → PÁ, PÉ, PÓ (s), -EM (ens); e) Paroxítonas → não são acentuadas: PÁ, PÉ, PÓ (s), -EM (ens), -AM; f) Proparoxítonas → todas são acentuadas.Alguns verbos e a acentuação presente 3ª pessoa do singular 3ª pessoa do pluralverboster tem têmvir vem vêmver vê vêem / veem (Acordo)conter contém contêmconvir convém convêmrever revê revêem / reveem (Acordo) Vamos pôr o conhecimento à prova? Como isso é pedido em prova e como re-solver a questão? Vocês devem ler a questão, respondê-la e somente DEPOIS con-ferir se o seu raciocínio deu certo e bateu com o gabarito. As resoluções das ques-tões estão logo depois delas e não vale colar. 25
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br QUESTÕESI - Inédita / Adaptada No texto abaixo, de autoria de Mário Quintana e reproduzido com adaptações, ositens em algarismos romanos referem-se aos termos em negrito que os antecedem. Jul-gue-os com relação ao emprego dos vocábulos e das expressões quanto à sintaxe deconstrução do período e à grafia.O milagreDias maravilhosos em que os jornais vêm cheios de poesiae do lábio amigo brotam palavras de eterno encanto.Dias mágicos em que os burgueses espiam,através das vidraças dos escritórios,a graça gratuíta das nuvens.O vocábulo gratuíta está corretamente acentuado, pois trata-se da formação deum hiato, cuja segunda vogal é o “i”.II – CESPE – SEBRAE – Trainee – 2009Em “reúne” (l.14), o sinal gráfico marca a ocorrência da vogal como sílaba tônica,separada da vogal anterior; mas palavras da mesma família, como reunião e reu-nir, não precisam de acento gráfico, pois, nestes casos, a vogal u não ocorre comosílaba tônica.III - (INÉDITA / ADAPTADA)• Na linha 6, a forma “rastreá-lo” tem acento, pois trata-se de uma oxítona termi-nada em a, e isso ocorre devido ao fato de o verbo terminar em “r”, rastrear, que,para poder ser seguido do pronome oblíquo átono o, fica sem o “r” final e o prono-me tem o acréscimo de “l” graças aos efeitos fonéticos dessa relação entre o pro-nome e o verbo.IV- UnB/CESPE – TRE/BA – todos os cargos de nível superior – 2010 26
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.brNas palavras “referência” e “espécie”, o emprego do acento atende à mesma regrade acentuação gráfica.V – (Técnico Administrativo –TRE / MG-2009- CESPE) AdaptadaObedecem à mesma regra de acentuação gráfica os vocábulos “pérola”, “derruída”e “visível”.VI - (CESPE/ TRE/ AP-2007)- ADAPTADA Considerando o texto, julgue os itens abaixo com referência ao emprego dasclasses de palavras e à acentuação gráfica.C) Os vocábulos a seguir são acentuados porque são palavras proparoxítonas:“números”, “créditos”, “públicas”, “elétrica” e “técnica”.D) No texto, são acentuados por serem paroxítonos terminados em ditongo osseguintes substantivos abstratos: “órgão”,“área”, “agrária”, “famílias” e “perío-do”.VII - (CESPE /ADAGRICE / Fiscal Est. / 2009) Com relação ao texto acima,julgue os itens a seguir. Nas palavras “fitoterápico” (l.2), “líquido” (l.3) e “álcool” (l.5), foi empregadaa mesma regra de acentuação gráfica.VIII – (UnB/CESPE – IBAMA – Analista ambiental – 2009)As palavras “amazônico” e “viúva” acentuam-se de acordo com a mesma regra deacentuação gráfica.IX - (CESPE/ TER / MT – 2004)1 A Semana de 22 marcou o início da afirmação cultural brasileira. N os anos 30 há um intensoprocesso de construção do imaginário nacional, mesmo com um certo viés autoritário. A importância histórica dessa construção fica clara no pós-guerra até o período JK , quando aexaltação do país passa ser feita por todos, de músicos a esportistas. O subdesenvolvimento é como a miséria. Mais do que a falta d e recursos, é um estado de es-pírito, uma baixa auto-estima que impede pessoas e nações de terem vontade da superação.7 A parcela internacional-provinciana do país é restrita, sem expressão política e econômica esobreviverá por mais algum tempo, enquanto tiver serventia para os efetivamente poderosos. 27
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.brHaverá erro gramatical no texto III, caso se substitua “sem expressão” (l.7) pornão têm expressão.X - UnB/CESPE – TCU Analista de Controle Externo – 2008(...) é totalmente coerente com as premissas da ideologia econômica que têm seafirmado como a forma dominante de representação do mundo ao longo dos últi-mos 100 anos, aproximadamente. (...)Na linha 24, a forma verbal “têm”, em “têm se afirmado”, estabelece relação deconcordância com o termo antecedente “ideologia”.RESOLUÇÕES:I – ERRADO - Aparentemente, a questão está correta; entretanto, o acento nãoestá devidamente empregado, pois na sílaba “tui” de gratuita não há a formação dehiato, mas sim de ditongo, como vimos no decorrer da aula. Dessa forma, a grafiacorreta seria gratuita. Neste caso, você teria de saber a correta pronúncia da pala-vra para reconhecer a sílaba tônica verdadeira. O item está, portanto, errado.__________________________________________________________________II – CERTO - Observem como, nesta questão, o CESPE trabalhou com o conceitodo hiato acentuado, pois vimos que esta condição de acento só ocorre para diferen-ciar o “u” tônico (vogal) do “u” átono (semivogal) – bem como diferenciar o “i” -,distinguindo, ao mesmo tempo, o ditongo do hiato nas sílabas tônicas. Assim, setais formações não estão na sílaba tônica, não serão acentuadas. Para resolver a questão com praticidade, façam apenas o reconhecimento doque o examinador falou: Ô re-úúúúú-ne Ô reu-ni-ãããão Ô re-u-niiiiiir Observem que, de fato, em “reúne” o “u” está na sílaba tônica e, na sílabaanterior há uma outra vogal, sendo assim ocorreu a formação de um hiato que écondição para o emprego do acento. Em “reunião”, a sílaba tônica é “ão”, logo o “u”não está na sílaba tônica e não há motivo, então, para ele ser acentuado. E, final-mente, em “reunir”, a tônica é “nir”, portanto o “u” também não está na sílaba tô-nica e não há motivo para ele ser acentuado. Item correto.__________________________________________________________________ 28
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.brIII – CERTO - “Rastreá-lo”, como vimos agora há pouco, apresenta um verbo eum pronome, logo duas palavras, uma trissílaba e uma monossílaba respectiva-mente. Quando os verbos terminam em –r, -s ou –z e são seguidos dos pronomes“o” ou “a”, no singular ou no plural, perdem essas consoantes e os pronomes rece-bem o “l” para a formação da eufonia (bom som) da palavra. Nesse caso, a forma“rastrear” perdeu o “r” e tornou-se uma oxítona terminada em “a”, portanto deveser acentuada. Item correto. Obs.: É bom lembrar que o CESPE adora “misturar” conhecimento em umitem apenas, como nessa questão, em que foi cobrada a acentuação gráfica, bemcomo o emprego dos oblíquos “a” e “o” junto dos verbos.__________________________________________________________________IV – CERTO - Quando esse tipo de questão aparecer, pensem “Que fácil! Pontoganho!”, pois mesmo que vocês não se lembrem das regras, tenham apenas umavaga Lembrança, ainda assim é possível acertar sem medo. Comparem as palavraspostas na questão, reconhecendo nelas a sílaba tônica, como estamos fazendo nodecorrer de toda a aula, e observem se nela há algum caso de hiato ou ditongo: Ô re-fe-rêêêêên-cia Ô es-péééé-cieNão há nenhum dos dois casos?! E as palavras não são monossílabas? Então sóresta pensar: são paroxítonas e as duas terminam com encontro vocálico, termi-nam em ditongo. Portanto, são acentuadas pelo mesmo motivo; o item está corre-to.__________________________________________________________________V – ERRADO - Vamos proceder da mesma forma para resolver esta questão: Ô péééé-ro-la Ô der-ru – ííííí - da Ô vi - sííííí - vel 29
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.br Vamos lá! Pessoal, é visual: “pérola” é proparoxítona, sem caso de hiato oude ditongo a ser acentuado, bem diferente das outras duas. O item está errado,não é mesmo? Em “derruída”, há um caso de hiato, vejam o “i” sozinho na sílaba tônica an-tecedido de outra vogal. E “visível” é uma paroxítona terminada em –l; notem quena sílaba tônica não há caso de hiato nem de ditongo.__________________________________________________________________VI – C) CERTO - Vocês ainda se lembram de como se resolve questão desse tipo?Primeiro, vocês devem reconhecer a sílaba tônica de cada uma e comparar suascaracterísticas. Já sabem como fazer isso, basta chamar pela palavra e verão que“números”, “créditos”, “públicas”, “elétrica” e “técnica” são proparoxítonas. Itemcorreto. D) ERRADO - Este item é para ser resolvido em um segundo: notem que“órgão”,“área”, “agrária” e “famílias” terminam em ditongo, mas “período” não.Além disso, o item diz que tais palavras são substantivos abstratos, mas “agrária” éadjetivo. Já sabemos, então, que o item está incorreto. As quatro primeiras palavras são paroxítonas terminadas em ditongo e, comovimos, todas elas são acentuadas, já “período” é uma proparoxítona. “Órgão” (notexto da prova, tratava-se do INCRA) e “período” são substantivos abstratos; “a-grária” é um adjetivo; “área” e “famílias” são concretos.__________________________________________________________________VII – CERTO - Pessoal, como dissemos, este tipo de questão é bem típico do CES-PE e vocês já sabem como resolver: as palavras “fi-to-te-rá-pi-co”, “lí-qui-do” e “ál-co-ol” são proparoxítonas. Item correto. Já perceberam como a Banca gosta deproparoxítonas e de palavras que têm ditongos? Fiquem atentos.__________________________________________________________________VIII – ERRADO - Já chamaram pelas palavras a serem analisadas? “A-ma-zô-ni-co” é uma proparoxítona, mas “vi-ú-va”, se vocês não percebessem que se trata de 30
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.brum caso de hiato (observem o “u” sozinho na sílaba tônica, precedido de outra vo-gal), ainda assim, daria para vocês acertarem a questão, pois é uma palavra paro-xítona, diferente da primeira. Item errado.__________________________________________________________________IX – CERTO - Quando se trata de analisar o comportamento de um verbo, não seesqueçam, procurem primeiramente o sujeito, afinal quem manda é ele. O Nélsondiscorda, mas acredito ser natural isso acontecer, pois o verbo é como um marido,ou seja, é quem obedece, e o sujeito é como esposa, portanto quem manda, não éverdade, meninas?! Assim, o primeiro passo para resolver esta questão é reconhecer o sujeito,pois a questão pede-nos para que avaliemos a inserção do verbo “ter” no texto, fle-xionado no plural. Sendo assim, perguntemos ao verbo: quem é que não tem ex-pressão? De acordo com o texto é A parcela internacional-provinciana do país. Seo sujeito está no singular, parcela, então haverá erro se o verbo “ter” for flexionadono plural neste contexto. Item correto.__________________________________________________________________X – ERRADO - Pessoal, essa estava fácil! Notem que a forma verbal “têm” estáacentuada para evidenciar sua flexão no plural, logo não pode ter como sujeito otermo ideologia, que está no singular. A concordância do verbo foi feita com pre-missas. Item errado. Acentuação não é uma coisa fácil, gente?! 31
  • PAINEL DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA CESPE CONCURSO PASSO A PASSO Professora Luciane Sartori www.sartorivirtual.com.brAté a próxima aula, pessoal! Tchau!! 32