Artigo 17 - Professora Luciane Sartori

  • 4,434 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
4,434
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8

Actions

Shares
Downloads
11
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. À MEDIDA QUE OU NA MEDIDA EM QUE?Olá, gente linda.Como vão todos? Espero que bem e estudando bastante.Tirei uma feriazinhas curtinhas, tirarei uma outra agora em julho, massaibam que nunca me esqueço de vocês. Estamos sempre alerta. Afinal, as provasnão param e a luta continua! - ou não?!Desta vez, vamos falar de expressões muito recorrentes em provas deconcurso público: à medida que e na medida em que. São locuções que as pessoasusam bastante e de forma equivocada; e não apenas no que diz respeito aosentido que elas expressam, mas também à estrutura delas. Notem que aprimeira apresenta apenas uma preposição no início, a preposição "a": à medidaque; enquanto a segunda apresenta a preposição "em" duas vezes, uma no inícioe outra antes de "que": na medida em que - e deve ser sempre assim para que nãohaja confusão.Vamos rever o emprego delas.À medida que é uma locução conjuntiva proporcional, logo expressa ideiade proporção. Essa ideia se baseia em fatos (expressos nas orações correlacionadas)concomitantes, mas que têm entre si uma relação de intensidade: aumento, diminuição ouigualdade. Assim, pode ser substituída por “à proporção que”. A oração em que elaaparece chama-se oração subordinada adverbial proporcional. À medida que nos aproximamos do litoral, o ar fica mais denso. O amor diminui à medida que o progresso avança.Na medida em que é uma locução conjuntiva causal, logo é empregada paraexpressar ideia de causa. Assim, pode ser substituída pelas equivalentes “uma vez que”,“porque”, “visto que”, “já que” e “tendo em vista que”. Essa ideia se baseia em fato querevelará o motivo de o outro fato ter acontecido. A oração em que ela aparece chama-seoração subordinada adverbial causal. Ele alcançou a cura na medida em que seguiu a prescrição médica à risca. Quando praticamos o bem, evoluímos, na medida em que o bem aperfeiçoa oespírito.Dessa forma, se ficar em dúvida, basta trocar a expressão empregada notexto pelas outras equivalentes e atentar ao significado. Em questão de prova, se
  • 2. o sentido da frase se mantiver, o emprego da expressão estará correto, desde quesua estrutura esteja correta.Assim, atenção!, se o examinador usar essas locuções com a estruturaindevida como, por exemplo, as indicadas abaixo, o emprego delas estará errado -o que é muito comum em prova: À medida em que nos aproximamos do litoral, o ar fica mais denso. - não deveriater sido colocada a preposição "em" na expressão, já que ela é de proporção. Ele alcançou a cura na medida ? que seguiu a prescrição médica à risca. - nestecaso faltou a preposição "em" na expressão, já que ela é de causa.Ou ainda: Na medida ? que nos aproximamos do litoral, o ar fica mais denso. Ele alcançou a cura à medida em que seguiu a prescrição médica à risca.Observem, nestes dois últimos casos, que, além de a estrutura estar errada, osentido de cada frase não permite o emprego das locuções de causa e de proporçãorespectivamente - elas estão trocadas.Agora que vocês já sabem como deve ser o raciocínio semântico e a forma corretade cada locução, não percam questão que tenha esse foco.Bons estudos a todos vocês! E até nosso próximo encontro.
  • 3. Professora Luciane SartoriContatos:www.sartoriprofessores.com.brwww.sartorivirtual.com.brfacebook: Luciane Sartori IIlucianesartori@bol.com.brprofessoralucianesartori@gmail.com