Pecuária em um contexto socioeconômico:                   desafios e oportunidades                         Gabriel Granço ...
Motivação Outlook BrasilPreparar estrategicamente as indústrias de insumos agropecuários e dealimentos frente à dinâmica f...
Motivação Outlook BrasilA partir das projeções, apresentar os seus impactos:     •   Na dinâmica do uso da terra no Brasil...
Uso da Terra no Brasil 2011         554 milhões/ha de vegetação nativa          107 milhões/ha de Unidades de Conservação ...
Resultados MacrosO Brasil aumentará a sua participação nas exportações mundiais dosprincipais produtos do agronegócio em 2...
Dinamismo da produção | Brasil e MundoLegenda:                                Crescimento Anual             Crescimento An...
Dinamismo das exportações | Brasil e MundoLegenda:                                         Crescimento Anual             M...
Dinamismo das exportações | Brasil e MundoLegenda:                                         Crescimento Anual             M...
Resultados MacrosO Brasil observará uma redução de 63% no ritmo de incorporação denovas áreas para a agropecuária .     • ...
Dinâmica do Uso da Terra                                                                                                  ...
Resultados MacrosO Brasil observará uma redução de 63% no ritmo de incorporação de novasáreas para a agropecuária .     • ...
Dinamismo da produção brasileira | Grãos*                                        Área                                     ...
Dinâmica regional do Uso da TerraO pasto irá ceder área em todas as regiões, com exceção da região NorteAmazônia. Resultad...
Dinâmica regional do Uso da Terra       Em milhões de hectares       Sul                             Sudeste              ...
Dinâmica do rebanho brasileiroO desenvolvimento do rebanho para o período projeto, com crescimentodo número de cabeça com ...
Rebanho brasileiro (mil cabeças)250.000200.000150.000100.000 50.000     0          2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009...
Balanço de oferta e demandaMil toneladas                                                                                  ...
Dinâmica regional da produção de carneA expansão da produção de carne ocorrerá em todas as regiões, commaior intensidade n...
Produção de carne (mil toneladas)12.00010.000 8.000 6.000 4.000 2.000    -         2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009...
Evolução do abate por Região BLUM                        2011                                         2022  Nordeste-     ...
Mercado internacional de carne bovinaEvolução das exportaçãos de países selecionados (mil toneladas):                     ...
Mercado internacional de carne bovinaEvolução de países importadores selecionados (mil toneladas):                      20...
Febre Aftosa e Vaca Louca                                     Reconhecer novas áreas livre sem vacinação é                ...
Ações de Mitigação detalhadas na Política                       Nacional de Mudanças Climáticas                           ...
Novas demandas                      para as carnes brasileirasRastreabilidade: bovinos e suínos (individual) e frangos (lo...
Comércio e SustentabilidadeConsumidores demandam produtos ambientalmente e socialmente corretos;Relatórios do IPCC: Mudanç...
Avenida General Furtado Nascimento, 740, conj. 81                        05465-070 São Paulo-SP Brasil                    ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

[Palestra] Gabriel Granço: Pecuária em um contexto socioeconômico: desafios e oportunidades

852 views
751 views

Published on

Published in: News & Politics
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
852
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

[Palestra] Gabriel Granço: Pecuária em um contexto socioeconômico: desafios e oportunidades

  1. 1. Pecuária em um contexto socioeconômico: desafios e oportunidades Gabriel Granço Brasília, Julho 2012www.iconebrasil.org.br
  2. 2. Motivação Outlook BrasilPreparar estrategicamente as indústrias de insumos agropecuários e dealimentos frente à dinâmica futura da produção agropecuária.Oferecer uma visão de longo prazo para as decisões dos agentesenvolvidos nesse setor, conectando grande parte dos dados disponíveissobre o agronegócio: • Área Plantada • Produção • Produtividade • Exportações líquidas • Consumo doméstico (total e per • Estoques capita)Como nos EUA, apresentar um número elaborado pelo setor privado, apartir de uma metodologia diferenciada em relação à apresentada peloGoverno, servindo como balizador do mesmo.
  3. 3. Motivação Outlook BrasilA partir das projeções, apresentar os seus impactos: • Na dinâmica do uso da terra no Brasil e a competição entre as atividades produtivas. • Na demanda por fertilizantes (agregada, regional e por cultura), destacando a participação do produto importado no mercado nacional. • Na demanda por logística de transportes para o escoamento da produção futura, a partir da simulação de dois cenários. • Para o Brasil, em termos sociais e econômicos, refletidos nas contribuições dos crescimentos do PIB, do emprego, entre outros.O Outlook é resultado de 3 anos de trabalho da FIESP e do ICONE noaperfeiçoamento do modelo do FAPRI (Food and Agricultural PolicyResearch Institute), consagrado e utilizado desde 1980 nos EUA.
  4. 4. Uso da Terra no Brasil 2011 554 milhões/ha de vegetação nativa 107 milhões/ha de Unidades de Conservação 103.5 milhões/ha de Terras Indígenas Regularizadas 274 milhões de/ha de vegetação nativa em propriedades privadas (APPs hídricas e de topo de morro + Reserva Legal) 69.5 remanescentes de vegetação nativa em APPs 60 milhões/ha de área produtiva (grãos, frutas e florestas plantadas) 38 milhões/ha urbanização e outros usos 198 milhões/ha de pastagens Fontes: Ministério do Meio Ambiente - MMA; IBGE – PAM (2010) e Censo Agropecuário (2006); INPE – TerraClass; Agricultural Land Use and Expansion Model Brazil - AgLUE-BR (Gerd Sparovek, ESALQ- USP). Notas 1) Os dados de Unidades de Conservação excluem as chamadas Áreas de Proteção Ambiental – APAs; 2) Os dados de APPs consideram vegetação nativa ripária, em topo de morros e encostas; 3) O dado de remanescentes de vegetação nativa inclui terras quilombolas, florestas públicas não regularizadas e outros remanescentes de vegetação nativa.
  5. 5. Resultados MacrosO Brasil aumentará a sua participação nas exportações mundiais dosprincipais produtos do agronegócio em 2022.A produção e as exportações brasileiras crescerão a um ritmo inferior aoobservado nos últimos 10 anos, com exceção da produção de carnebovina. • Ainda assim, o crescimento será superior à média mundial.
  6. 6. Dinamismo da produção | Brasil e MundoLegenda: Crescimento Anual Crescimento Anual Legenda: Mundo Brasil 2006 - 2011 2012 - 2022 2006 - 2011 2012 - 2022 Mundo Brasil 5,9% 3,0% 2,8% 1,9% 1,5% 1,4% Soja Carne bovina 0,0% -1,1% 4,8% 3,3% 6,4% 3,0% 1,5% 3,2% Carne de Milho 1,6% 2,2% frango 4,8% 2,9% 2,4% 1,7% 1,9% 1,8% 1,5% Açúcar 0,6% Carne suínaFontes: Outlook Brasil 2022 e FAPRI
  7. 7. Dinamismo das exportações | Brasil e MundoLegenda: Crescimento Anual Market share do Brasil Mundo Brasil 2002 - 2011 2012 - 2022 2011 2022 5,1% 26,1% 38,0% 4,3% 2,3% 2,5% Carne bovina 49,8% 54,1% 10,0% 6,7% Carne de frango 3,4% 2,5% 10,5% 13,4% 6,8% Carne suína 1,4% 1,3% 0,0%Fontes: Outlook Brasil 2022 e FAPRI
  8. 8. Dinamismo das exportações | Brasil e MundoLegenda: Crescimento Anual Market share do Brasil Mundo Brasil 2002 - 2011 2012 - 2022 2011 2022 7,8% 6,5% 34,7% 41,2% 3,6% Soja 1,8% 20,7% 10,3% 9,5% Milho 3,4% 3,4% 2,3% 8,2% 67,6% 73,0% 2,8% 2,2% Açúcar 1,4%Fontes: Outlook Brasil 2022 e FAPRI
  9. 9. Resultados MacrosO Brasil observará uma redução de 63% no ritmo de incorporação denovas áreas para a agropecuária . • Entre 2002 - 2011, foram incorporados 1.212 mil ha/ano. • No período projetado 2012 - 2022, serão necessários 443 mil ha/ano.
  10. 10. Dinâmica do Uso da Terra Em milhões de hectares Lavouras* (+9,9) Agropecuária (+4,5) 48,6 58,5 230,3 234,8 2011 2022 Pastagens (-5,4) 181,7 176,3 Pastagens Lavouras* 2011 2022 2011 2022As lavouras de 2ª safra ampliarão sua importância e serão responsáveis por19% da produção total de grãos em 2022. * Cana + lavouras de 1ª safra (algodão, arroz, feijão 1ª safra, milho 1ª safra e soja). Fonte: Outlook Brasil 2022
  11. 11. Resultados MacrosO Brasil observará uma redução de 63% no ritmo de incorporação de novasáreas para a agropecuária . • Entre 2002 - 2011, foram incorporados 1.212 mil ha/ano. • No período projetado 2012 - 2022, serão necessários 443 mil ha/ano.A produtividade média dos grãos crescerá 11,4% entre 2011 e 2022,resultando na preservação de 5,2 milhões de ha.
  12. 12. Dinamismo da produção brasileira | Grãos* Área Produção +15,9% +29,1% 208,6 45,4 39,2 161,6 2011 2022 2011 2022* Grãos: inclui soja, milho (todas as safras), algodão (base pluma), arroz (base casca), feijão (todas as safras), trigo e cevada. Fonte: Outlook Brasil 2022
  13. 13. Dinâmica regional do Uso da TerraO pasto irá ceder área em todas as regiões, com exceção da região NorteAmazônia. Resultado da maior intensificação das pastagem e dacompetição com a agricultura. • O Sul não irá alterar sua área agrícola, mas a pecuária irá ceder 1,4 milhões ha. • O Sudeste cederá 1,9 milhões ha de pastagem para a agricultura. • O Centro-Oeste Cerrado irá ceder aproximadamente 3 milhões ha entre 2011- 2022. • O Norte Amazônia irá incorporar 2,2 milhões ha de pasto no mesmo período. • O Nordeste Litorâneo terá redução de 0,08 milhões de ha da área de pasto. • O Nordeste Cerrado irá ceder 1,4 milhões ha de pasto.
  14. 14. Dinâmica regional do Uso da Terra Em milhões de hectares Sul Sudeste Centro-Oeste Cerrado35,0 40,0 70,030,0 35,0 60,0 30,025,0 50,0 25,020,0 40,0 20,015,0 30,0 15,010,0 10,0 20,0 5,0 5,0 10,0 0,0 0,0 0,0 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 2016 2018 2020 2022 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 2016 2018 2020 2022 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 2016 2018 2020 2022 Lavouras* Norte Amazônia Nordeste Litorâneo Nordeste Cerrado60,0 16,0 40,0 Pastagem 14,0 35,050,0 12,0 30,040,0 10,0 25,030,0 8,0 20,0 6,0 15,020,0 *Cana+lavouras 4,0 10,0 de 1ª safra10,0 2,0 (algodão, arroz, 5,0 feijão 1ª safra, milho 1ª safra e 0,0 0,0 0,0 soja). 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 2016 2018 2020 2022 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 2016 2018 2020 2022 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 2016 2018 2020 2022 Fonte: Outlook Brasil 2022
  15. 15. Dinâmica do rebanho brasileiroO desenvolvimento do rebanho para o período projeto, com crescimentodo número de cabeça com redução da área de pasto, demonstra aintensificação do setor de pecuária. • Todas as regiões apresentam expansão do rebanho para o período projetado. • A taxa de lotação projetada para o Brasil em 2022 será de 1,29 cab/ha, ante uma taxa de 1,17 em 2011. • A região Norte Amazônia será responsável por 61% da expansão do rebanho brasileiro. • O Centro-Oeste Cerrado será ultrapassado pelo Norte Amazônia como maior rebanho.
  16. 16. Rebanho brasileiro (mil cabeças)250.000200.000150.000100.000 50.000 0 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 Sul Sudeste Centro-Oeste Cerrado Norte Amazônia Nordeste-Cerrado Nordeste-Litorâneo
  17. 17. Balanço de oferta e demandaMil toneladas R$/@12.000 12010.000 100 8.000 80 6.000 60 4.000 40 2.000 20 0 0 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 Produção Consumo Doméstico Exportações Líquidas Preço Sudeste (R$/@ 2010)
  18. 18. Dinâmica regional da produção de carneA expansão da produção de carne ocorrerá em todas as regiões, commaior intensidade no Sudeste e Norte Amazônia. • O Centro-Oeste Cerrado continuará sendo o maior produtor de carne entre 2011 e 2022. • O Norte Amazônia terá o maior crescimento no abate com 1,7 milhões de cab a mais no período. • O Desfrute Brasil será de 20% em 2022. O maior índice será no Sudeste com 25,7%.
  19. 19. Produção de carne (mil toneladas)12.00010.000 8.000 6.000 4.000 2.000 - 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 Sul Sudeste Centro-Oeste Cerrado Norte Amazônia Nordeste-Cerrado Nordeste-Litorâneo
  20. 20. Evolução do abate por Região BLUM 2011 2022 Nordeste- Nordeste- Litorâneo Litorâneo Nordeste- Sul 6% Nordeste- Sul 5% Cerrado 15% Cerrado 14% 10% 9% Norte Norte Sudeste Sudeste Amazônia Amazônia 22% 23% 16% 18% Centro-Oeste Centro-Oeste Cerrado Cerrado 32% 30%Abate total de 40 milhões de cabeças Abate total de 45,4 milhões de cabeças
  21. 21. Mercado internacional de carne bovinaEvolução das exportaçãos de países selecionados (mil toneladas): 2008 2009 2010 2011* EUA 871.408 827.763 1.015.985 1.231.264 Austrália 1.127.310 1.102.845 1.109.810 1.067.153 Brasil 1.313.663 1.180.862 1.162.634 1.026.006 Mundo 8.158.265 8.794.656 8.866.850 7.776.020 * 2011 é parcial Fontes: Comtrade. HS 0201, 0202, 020610, 020621, 020622, 020629, 021020, 160250.EUA e Austrália tiveram suas exportações menos afetadas no período; • O crescimento das exportações americanas é sustentável? • Acesso a mercados mais dinâmicos e com melhor remuneração. • Brasil sofre com as quotas russas e européias.
  22. 22. Mercado internacional de carne bovinaEvolução de países importadores selecionados (mil toneladas): 2008 2009 2010 2011*Rússia 918.283 766.864 743.284 831.439EUA 796.412 889.974 793.110 716.452Japão 503.167 532.491 553.289 573.138Coréia 232.386 244.798 291.539 344.040Hong Kong, China 279.559 403.394 355.096 400.105União Européia 2.617.665 2.564.757 2.729.421 2.140.041Mundo 6.859.714 7.100.348 8.212.676 6.839.214 * 2011 é parcial Fontes: Comtrade. HS 0201, 0202, 020610, 020621, 020622, 020629, 021020, 160250.Países para os quais o Brasil não exporta estão aumentando suasimportações. Já os parceiros do Brasil estão reduzindo suas compras.Barreiras não – tarifárias: questões sanitárias, saúde animal, ambientais.
  23. 23. Febre Aftosa e Vaca Louca Reconhecer novas áreas livre sem vacinação é crucial, mas deve ser um processo pautado por evidências científicas concretas; Não vacinar exige proibir a entrada de animais de áreas que vacinem: impactos na estrutura produtiva e necessidade de fiscalização; Brasil livre sem vacinação em 2015 é factível? REGIONALIZAÇÃO será sempre relevante: obter seu reconhecimento e aplicação por países como EUA, Japão, Coréia, etc. Status de risco negligenciável para BSE obtido em■ Área livre com vacinação (OIE);■ Área livre sem vacinação (OIE); maio/2012 é essencial para consolidar a defesa■ Área de risco. sanitária brasileira (UE e EUA risco controlado).Fontes: MAPA, OIE, 2011.
  24. 24. Ações de Mitigação detalhadas na Política Nacional de Mudanças Climáticas Amplitude da 2020 Proporção de Ações de Mitigação redução 2020 (tendencial) Redução (mi tCO2) Uso da terra 1084 669 669 24,70% 24,70%Redução no Desmatamento do Bioma Diretamente relacionadoAmazônia (80%) 564 564 20,90% 20,90% com AgropecuáriaRedução no Desmatamento do BiomaCerrado (40%) 104 104 3,90% 3,90% Agropecuária 627 133 166 4,90% 6,10%Recuperação de Pastos 83 104 3,10% 3,80% AgropecuáriaILP - Integração Lavoura Pecuária 18 22 0,70% 0,80%Plantio Direto 16 20 0,60% 0,70%Fixação Biológica de Nitrogênio 16 20 0,60% 0,70% Energia 901 166 207 6,10% 7,70%Eficiência Energética 12 15 0,40% 0,60%Incremento do uso de biocombustíveis 48 60 1,80% 2,20%Expansão da oferta de energia porHidroelétricas 79 99 2,90% 3,70%Fontes Alternativas (PCH, Bioeletricidade,eólica) 26 33 1,00% 1,20% Outros 92 8 10 0,30% 0,40%Siderurgia – substituir carvão de desmatepor plantado 8 10 0,30% 0,40%Total 2703 975 1052 36,10% 38,90% Fonte:MMA, MAPA, MME, MF, MDIC, MCT, MRE e Casa Civil, 13 de novembro de 2009.
  25. 25. Novas demandas para as carnes brasileirasRastreabilidade: bovinos e suínos (individual) e frangos (lotes);Bem estar animal: pressão da OIE para que seus padrões sejam implementados, ligadosao transporte de animais, abate para consumo humano, abate sanitário, uso de animaisem pesquisa e educação; • Conferência sobre Bem Estar Animal em novembro/2012 na Malásia;Controle de resíduos e contaminantes;Sustentabilidade: desmatamento e uso da terra (recuperação de pastagens degradadas),pecuária de baixo carbono;Certificações e Padrões Privados: cadeias de atacadistas, pressão ONGs, SCPRoundtable (União Européia), etc; • Exigências ambientais e exigências não-ambientais: aprofundamento de requisitos dos países.
  26. 26. Comércio e SustentabilidadeConsumidores demandam produtos ambientalmente e socialmente corretos;Relatórios do IPCC: Mudanças Climáticas, Emissões de gases do efeito estufa (GHG);Biodiversidade, uso da água e da terra;Presença organizada e ação de ONGs;Lobbies de produtores, atacadistas, importadores e consumidores, principalmente depaíses desenvolvidos;Fair trade, Food Miles, Buy Local, Ethical Consuming;Falta de regulamentação comum: múltiplos foros;Evidente preocupação com restrições ao comércio.
  27. 27. Avenida General Furtado Nascimento, 740, conj. 81 05465-070 São Paulo-SP Brasil Phone/Fax: 55 11 30210403 icone@iconebrasil.org.br www.iconebrasil.org.br Perguntas? gabriel@iconebrasil.org.brMantenedores Parceiros

×