• Like
  • Save

120807 07-wbeef-certif-ezequiel-do-valle

  • 85 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
85
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. WORKSHOP BEEF POINTRastreabilidade e Certificação‘‘Boas práticas agropecuárias edesenvolvimento sustentável’’ Ezequiel R. do Valle Coordenador Nacional Programa BPA-Bovinos de Corte Agosto de 2012
  • 2. O Novo ConsumidorAlimentos seguros, bem-estar dos animais e questões socioambientais
  • 3. Beef Cattle Business in Brazil
  • 4. ObjetivosGarantir ao mercado a oferta de alimentos seguros,provenientes de sistemas de produção sustentáveis.Aumentar a competitividade dos sistemas produtivos,mediante a incorporaçào de tecnologias que visam oaumento da produtividade e da rentabilidade.
  • 5. Manual Lista de verificação “Folder” DVD Link: bpa.cnpgc.embrapa.br
  • 6. RECONHECIMENTO OFICIAL  Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento  Ministério do Meio Ambiente  Ministério do Trabalho e EmpregoPortaria Interministerial Nº. 36 (25/01/2011)Instituiu o Programa Nacional de Fomento às Boas Práticas Agropecuárias - PRÓ- BPAObjetivo GeralDesenvolver e promover a inclusão das Boas Práticas Agropecuárias nas propriedades rurais das diversas cadeias pecuárias do país.
  • 7. Critérios de AtendimentoO = itens obrigatóriosR+ = itens altamente recomendáveis OuroR = itens recomendáveis Prata Bronze 80% dos O 90% dos O 100% dos O 60% dos R+ 70% dos R+ 80% dos R+ 20% dos R 20% dos R 20% dos R
  • 8. Implantação das BPA LaudoAtesta que a propriedade rural está de acordo com oscritérios estabelecidos pelo Programa BPA. CertificaçãoLaudo emitido pela Embrapa é o primeiro passo para aobtenção de certificados de qualidade, emitidos pororganismos independentes e credenciados pelo Inmetro
  • 9. Coordenações do Programa RR AP Norte PA MA CE AM RN PI PB PEAC TO Nordeste AL RO Centro BA Oeste MT GO MG Sudeste MS ES SP RJ PR SC Sul RS
  • 10. DESAFIOS  aixo nível de gerenciamento B  ificuldades na adequação ambiental D  roblemas na adequação trabalhista (NR-31) P  astagens degradadas e inadequação das instalações P  ificuldade de acesso a recursos para adequação D(Prog. ABC)
  • 11. SÍNTESE DO PROGRAMA BPA1.  rograma de adesão voluntaria; P2.  elhoria da qualidade, produtividade e rentabilidade; M3.  edução dos riscos de ações trabalhistas e ambientais; R4.  limentos seguros e sistemas de produção sustentáveis; A5.  inergia com Programa-ABC, Programa S Integração,Lavoura, Pecuária e Florestas (iLPF) e o Sistema de PlantioDireto (SPD);
  • 12. 6. Contribui para a redução da emissão dos gases de efeito estufa (GEE), mediante a redução da idade de abate, qualidade das pastagens e práticas conservacionistas;7. Estimular o associativismo e fortalecer as representações;8. Estratégia de marketing para facilitar o acesso a mercados diferenciados;9. Comunicar de forma clara e eficaz ao mercado consumidor, que produzimos alimentos seguros e de forma sustentável;10. Primeiro passo para certificação da propriedade.
  • 13. PROGRAMA  VOLUNTÁRIO     DE  MONITORAMENTO    DA  CADEIA  BOVINA   PRODUTORES-­‐INDÚSTRIAS-­‐ DISTRIBUIDORES-­‐VAREJISTAS    EM  PROL  DA  SUSTENTABILIDADE  
  • 14.    MISSÃO   O programa tem como missão monitorar de forma contínua a comercialização de carne bovina nos supermercados, com segurança alimentar e respeito ao meio ambiente, atuando principalmente contra o abate clandestino e a comercialização de carne ilegal proveniente do território da Amazônia. Foto:    Nelore  -­‐    Arquivo  CNPC  
  • 15. PREMISSASAo Programa tem como base o seguinte tripé:•  Meio Ambiente – Normas e ações em defesa do meio ambiente, com ênfase no respeito às leis ambientais vigentes•  Social - Respeito a todos os entes envolvidos no processo, em especial à legislação trabalhista e à ética do trabalho, além de atenção às leis e normas de defesa e sanidade animal vigentes no País.•  Segurança Alimentar – Respeito às normas vigentes de produção da carne bovina.
  • 16. OBJETIVOS  Promover as melhores práticas na Cadeia Bovina, respeitando a atuação de cada setor envolvido (produção-distribuição- comercialização), visando o melhor atendimento ao consumidor brasileiro.  Estabelecer elos de parceria com órgãos do governo, entidades e empresas de produção e distribuição de animais de corte atuantes no País, para aprimorar os processos legais de produção.  Apoiar a melhoria dos trabalhos dos Produtores, Plantas Frigoríficas e dos Supermercados, oferecendo a possibilidade de monitoramento voluntário dos mesmos, para qualificar ainda mais todos os elos dessa cadeia.  Comunicar todos os avanços obtidos pela cadeia bovina no País, com objetivo de valorizar a imagem da mesma perante o consumidor brasileiro.
  • 17. 1ª.  Parceria    ABRAS/MAPA/EMBRAPA   PROGRAMA BOAS PRÁTICAS AGROPECUÁRIAS BOVINO DE CORTE DA EMBRAPA
  • 18. IMPLANTAÇÃO     Protocolo  selecionado  para  setor  produção:                Programa  Boas  Prá>cas  –  Bovinos  de  Corte    nício  do  Projeto:  Estado  Mato  Grosso  do  Sul.   I  rojeto  Piloto:    Fazendas  da  Novilho  Precoce   P MS    que  par>cipam  do  BPA  (25  +57).  
  • 19. 1. Projeto Piloto da ABRAS
  • 20. 2ª.  PARCERIA    ABRAS  /  FRIGORÍFICOS  
  • 21. PREMISSAS   Sistema de monitoramento deve ser desenvolvido em comum acordo entre a Abras e entidades/empresas parceiras da Indústria/ Frigoríficos   Com objetivo de evoluir continuamente nas Boas Práticas, sugere-se privilegiar as compras das fazendas que seguem o programa BPA – Boas Práticas Agropecuárias da Embrapa.   Foco na conscientização e na educação: o programa de engajamento e qualificação dos produtores de gado, realizado pelo frigorífico, deve envolver um processo específico de educação e disseminarão das melhores práticas no campo ambiental e social de uma maneira estruturada.
  • 22. SISTEMA DE AVALIAÇÃO  O sistema de monitoramento, a ser negociado, poderá ter, por exemplo, uma avaliação por pontuação (ou nota)a)  Nível 0 : nenhuma evidência de planejamento e ações em andamento está disponível para atender ao requisito no momento da auditoriab)  Nível 1: requisito encontra-se satisfatoriamente planejado, contudo não há ainda evidências de ações de implementação em andamentoc)  Nível 2: requisito encontra-se satisfatoriamente planejado e ações de implementação estão em andamentod)  Nível 3: requisito encontra-se satisfatoriamente implementado
  • 23. MONITORAMENTO  DOS  SUPERMERCADOS  
  • 24. SUPERMERCADOS Os supermercados serão incentivados pela Abras a aderir ao Programa de Monitoramento, como segue:   Compromissos formais dos supermercados com fornecedores referente a obediência as leis trabalhistas, ambientais, de saúde e segurança.   Incentivar que Boas Práticas de fornecedores também sejam informadas   Incentivar as Boas Práticas nas compras, na manipulação da carne bovina e na exposição, promoção e precificação da mesma (Cartilha para Supermercados)
  • 25. Desafios para a CertificaçãoProdutor: Qualidade do produto Relação custo/beneficio Custo da certificação Custos e recursos para as adequaçõesIndústria: Programa de estímulos ao produtor Acesso a mercados diferenciados Valorização dos cortesVarejo. Conscientização dos consumidores Criação de demandas concretas Repasse de ganhos à indústria
  • 26. Ezequiel Rodrigues do Valleezequiel@cnpgc.embrapa.br Foto:Votorantim Metais tel.: (67) 3368-2059 Vazante-MG