Your SlideShare is downloading. ×
Suplemento de Ibiúna
Suplemento de Ibiúna
Suplemento de Ibiúna
Suplemento de Ibiúna
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Suplemento de Ibiúna

557

Published on

Published in: News & Politics
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
557
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. FOLHA RURAL 2o QUINZENA-MARÇO-1999 - Suplemento da FOLHA RURAL - Não pode ser vendido separadamente DesenvolvimentoAos 142 anos Ibiúna apresenta suas belezas naturais Município está entrando na Indústria Turística Nacional Uma palavra da Secretaria palavr vra Secretaria de Turismo e Cultura Cultura O perfil turístico de Ibiúna cas da Capital e Interior. tensão do roteiro da Capitalé amplo e variado, com inúme- Para isso Jonas criou a se- paulistaros caminhos a explorar, A Se- cretaria do turismo aliada à “ A EMBRATUR reco- Neste momento iniciamos es-cretaria de Turismo do Muni- cultura, a Busca está tambémcípio, sob a responsabilidade do na associação entre turismo nhece a Cidade com Selo forços para conseguir a inserção na“expert” Horácio Merino, vem cultural, além do rural e tradi- de Potencial turístico” Indústria Turística Nacional, fatobuscar junto à iniciativa priva- cionalista. que é capaz de abrir ao município,da (dado que o governo muni- Horácio Merino, teve a in- Com a criação da secretaria uma significativa fatia do mercadocipal carece de recursos), so- cumbência dada por Jonas de municipal de Turismo, apesar de trabalho, para a mão de obraluções para o desenvolvimen- Campos, em transformar a ci- das dificuldades, Ibiúna obte- especializada e não especializada. dade em polo turís- ve vitórias importantes em âm- A administração municipal as-to do projeto túristico bito nacional. A secretaria con- sumiu uma postura firme na busca tico com “status”depara a melhoria do poder cidade turística seguiu da EMBRATUR - Em- de seus objetivos e, vem vem ama-econômico da Cidade. promovendo assim presa brasileira de Turismo - o durecendo a idéia de inserir o mu- O prefeito Jonas de a busca e a confi- reconhecimento enquanto cida- nicípio no mapa de atrações turís-Campos, tem demonstra- ança dos turistas, de turística, a partir do momen- ticas do estado de São Paulo.do interesse pelo aprovei- garantindo en- to em que foi outorgado o Selo Nosso município encontra-se atamento turístico de tão a Cida- de Potencial Turístico conferi- 70 quilômetros de São Paulo, aIbiúna, a meta é inserir a de como do apenas às cidades que tem Capital Cultural do Mercosul, quecidade nas opções turísti- uma espé- uma real estrutura para os fins oferece a homens e mulheres de cie de ex- designados pelo governo fede- negócio, opções de lazer e cultura ral e a EMBRATUR. urbana. Mas os que querem des- A Capelinha do Bom Jesus foi tema da Loteria estadual na semana “O Município aposta nas cansar no intervalo de seus com- em que comemora o aniversário da cidade. promissos, ficam prejudicados pela belezas naturais” exiguidade de ofertas da cidade de turística para que a iniciativa priva- tem seus direitos preservados: res- Como pode ser conferido nesta da e o cidadão em geral colaborem, peito, segurança, conforto,preços São Paulo. edição especial, a FOLHA RURAL explorando a nossa potencialidade justos e cidade limpa. A maioria das pessoas se des- vem honrosa em poder mostrar aos de forma organizada, sem prejuízo Não há beleza, nem um outro loca para a orla marítima, enquan- leitores o que há de belo neste mu- ao meio ambiente, mantendo prote- atrativo que convença o turista a to outros para o interior do Esta- nicípio e convidamos a todos para gidas as nossas belezas naturais. conviver com o desrespeito, a do em busca do campo e da que confiram pessoalmente o que Nosso plano, em sua corrente insegurança,o desconforto os pre- tranquilidade. está descrito, seja instalando-se nas gerencial advoga no momento a ços injustos e uma cidade suja. Um estudo da São Paulo & pousadas da região ou simplesmen- necessidade de traçar metas, cada Este é o primeiro dos esforços Visitor’s Bureau (entidade do se- te passando um dia nos locais apre- vez mais arrojadas. Os segmentos da administração, onde pretende- tor hoteleiro) estima que o sentados, conferindo assim a razão voltados ao turismo e as autorida- mos cumprir uma dupla função: faturamento do Estado no setor de pela qual a EMBRATUR apostou des interessadas estão “Orientar nossos visitantes para as eventos atinja U$2,8 bilhões por na cidade a qual recebe além de ar- conscientizando a população que o nossas atrações turísticas”e ano, o que representa 1,8% do Pro- tistas que tem aqui seu refúgio, o turismo gera divisas e empregos, na “conscientizar nossa população duto Interno Bruto (PIB) estadual Presidente Fernando Henrique Car- medida exata em que o polo turísti- sobre a responsabilidade comuni- e gera 186 mil empregos, ficando doso que também busca em Ibiúna co, cidade-município “saiba” respei- tária perante a atividade turística concentrado na capital um uma certa paz a qual não tem en- tar o turista. Horácio Merino percentual 67,8%. A Igreja matriz na praça central contrado no seu dia-a-dia. O turista comoqualquer cidadão, é Secretário de Cultura e Turismo A ordem é firmar a consciência Bazar ASSINE A Pequeno sortimento Material Completo sor timento em Material escolar (015) 244-2027 Novembro R. XV de Novembro, 281 E Receba em casa, o Informativo Ambiental Ibiúna-SP, Tel: (015) 241-1254 Ibiúna-SP,
  • 2. FOLHA RURAL 2a quinzena/ MARÇO 99 Página 10 BREVE HISTÓRICO DE Rodrigo odrigo FOLHA RURAL Araújo Ar aújo presenta... A presenta... Baseado no arquivo do Museu Histórico Sorocabano QU EM QUADRINHOS EM 1618, BANDEIRANTES VINDO DE SÃO PAULO,PASSARAM POR ONDE HOJE É ESSAS REGIÕES, SERVIAM DE REFÚGIOS DE ÍNDIOS QUE, CAÇADOS PARA SERVIREM ESSA NEBLINA ERA POR CAUSA DAS CONSTANTES CHUVAS, A INFLUÊNCIA IBIÚNA, FOI UMA EXPEDIÇÃO DE 4.000 HOMENS QUE DIVIDIRAM-SE EM TRÊS COMO ESCRAVOS, REFUGIAVAM-SE PELO VALE DO UNA, DENOMINADO “TERRA LITORÂNEA E A PRÓPRIA GEOGRAFIA, POR ISSO, POUCOS SE AVENTURAVAM MARCOS INICIAIS. EM COTIA, ENCONTRARAM UM “PEABIM” UMA TRILHA QUE ESCURA”, OU “TERRA PRETA”, DEVIDO A NEBLINA QUE FORMAVA NO VALE POR ALI, DEMORANDO MUITO A COLONIZAÇÃO DE IBIÚNA... LIGAVA À SERRA DO PARANAPIACABA...O VALE DO UNA PERMANECEU ILHADO ATÉ 1710, NESSE LOCAL, FOI CONSTRUÍDA UMA FAZENDA, ONDE FOI P RV L AD 1 6 ,OF L OD M N E O I E R C R A H ,E I I A O OT E 70 IH E AOL LVIA AVLO RGU A COLONIZAÇÃO COMEÇOU RÁPIDA, LOGO, VIA-SEQUANDO MANOEL DE OLIVEIRA CARVALHO RECEBEU TOCADA POR ESCRAVOS ÍNDIOS, EXPLORANDO ESSE POVO DE CAPELA NOSSA SENHORA DAS DORES, E LOGO OS COLONOS COMEÇARAM A TROPEIROS QUE FAZIAM POUSADA EM SOROCABA,UMA SESMARIA DE 36 MIL METROS QUADRADOS. MANEIRA CRUEL E DESUMANA. SE AGRUPAR , ESTENDENDO SUAS POSSES, PLANTAÇÕES E CONSTRUÇÕES PARANDO NO PIRATUBA EM UNA.SESMARIAS, ERAM TERRAS DOADAS PARA PESSOASQUE SE DESTACAVAM NA ÉPOCA DA COLÔNIAPEQUENOS PONTOS COMERCIAIS COMEÇARAM A SURGIR, EM JÁ EXISTIA POR ALÍ, AS TRADICIONAIS VENDAS, EM POUCO TEMPO, A CAPELA DE NOSSA SENHORA DAS EM 1857, A ENTÃO UNA TEVE DEMARCADA SUAS TERRAS,RAZÃO DAS NECESSIDADES DOS BOIADEIROS, SELEIROS, ONDE SE BEBIA UMA CACHAÇA VINDA DA DIVISA DORES PASSOU A SER UM IMPORTANTE PONTO PRECISAMENTE NO DIA 24 DE MARÇO. EM 30 DE NOVEMBRO DEFABRICANTE E CONSERTADOR DE ARREAME DE ANIMAIS, DA TERRA DE SÃO FRANCISCO... RELIGIOSO NAS CHAMADAS TERRAS DE SÃO ROQUE 1944, HOUVE A DEFINIÇÃO DO MUNICÍPIO PARA IBIÚNA.LEITERIA, SAPATARIA E LOJA DE ARMARINHOS...COM O TEMPO, IBIÚNA TORNOU-SE MUITO DESENVOLVIDA, COM A CHEGADA DE IMIGRANTES ITALIANOS, ÁRABES E JAPONESES, AMPLIANDO A AGRICULTURA E O I I N ,H J E T I V S I D E S UP T N I LT R S I O P I OM N C P OS T A S BÚA OE SÁ NETNO M E OECA UÍTC, OS UIÍI IU-ECOMÉRCIO. EM 1919 TEVE INÍCIO DA ROMARIA DE SÃO SEBASTIÃO, A MAIOR FESTA RELIGIOSA DA REGIÃO. NOS ANOS 60, IBIÚNA TEVE UMA REPRESSÃO ENTRE N MD SL G R SM I L N O D M N O O D A ÉOP E I E T F R A D H N I U U O UAE AS IDS O UD, NE T RSDNE ENNO ERQEESTUDANTES E MILITARES, DURANTE A DITADURA MILITAR . QUEM QUISER SABER MAIS SOBRE A HISTÓRIA DE IBIÚNA PODE LER O LIVRO DE JOSÉ GOMES “LINENSE”, C R O OT MU S T O M S R N OP R T D OP Í OQ A T ÉB L N S AR G Ã . ADS E M ÍI, OTAD AA OO AS UNO EA OS EIOY UNA- NOIVA AZUL, ONDE CONTA A HISTÓRIA DE IBIÚNA DETALHADA E COM MUITAS CURIOSIDADES. FECULARIA BANDEIRANTES Fone: (015) 241-1922 Rodovia Bandeirantes, s/n - Km 73,5 - Bairro Rio de Una-Ibiúna-SP
  • 3. FOLHA RURAL 2a quinzena/ MARÇO 99 Página 11 Meio Ambiente Reserva Jurupará, a nossa Cachoeira da Fumaça Com sua riqueza natural e fauna exuberante, a Cachoeira da Fumaça é o orgulho da região. R.J.Menezes aves, dos macaquinhos e de ou- cobrir um mundo de belezas cobras venenosas: corais , tros mamíferos. sem igual. Nas matas podem jararacas e urutus. As embaúbas com seus tron- ser encontrados jaguatiticas, Para visitação na Reserva cos ocos, cheios de formigas guaxinins, macaquinhos, Jurupará é necessário orientação que são alimentos para as saí- sussuaranas, onça parda, saguís, e autorização dos órgãos com- ras. A mata atlântica é cortada cachorro do mato, capivaras petentes, o Instituto Florestal- por inúmeros córregos, fontes antas,pacas,cutias, tamanduás, Secretaria do Meio Ambiente. d’águas. O acesso das pessoas preguiça , iraras, gambás, aves Pois trata-se de uma reserva não é fácil, mas a medida que mil, destacando-se o macuco, ecológica estadual que deve ser se consegue chegar pode des- gavião real, tucanos, papagaios, preservada. Cachoeira da Fumaça: névoa sob as águas, que lembram fumaças Localizada à 44 Km do cen- tenta. Possui uma enorme va- , cedros. árvores floríferas ,tro de Ibiúna, no 2o. Perímetro riedade de plantas e de árvo- com um colorido intenso comode São Roque, a Reserva e Re- res, que abrigam milhões de as paineiras, manacás da Serrapresa Jurupará. ( popularmen- insetos e bichinhos que produ- e os ipês.te conhecida como Cachoeira zem um grande número de se-da Fumaça ), foi instituida pelo mentes , frutos e frutinhas sil- Fauna Exuberante Secretaria Municipal de Turismo de Ibiúnadecreto no. l2.l85 de 30/ 08 / vestres. As árvores são literal- Esta floresta desde o iniciol.978 nos Municípios de Ibiuna mente coberta por outras plan- da colonização foi a primeira ae Piedade.Sua área é de tas, como vegetais superiores, sofrer a devastação do homem.239.004.750.00 m2. e faz divi- orquídeas, cactos, vários cipós É também chamada a zona dasas: Rio Juquiá, Rio dos ou vegetais inferiores: líquens, mata por sua vegetação e al-Bagres, Rio do Peixe, Vargedo algas, musgos, fungos. guns animais parecidos com oe Capela Azul ( vide Mapa ). Há grande números de da floresta Amazônica . Na epífitas . Ex: bromélias. Varie- mata atlântica por sua abun- A Mata Atlântica dades imensas de samambaias. dância de alimentos muitas es- Esta mata recobre a Serra Na reserva, tem samambai- pécies vivem alí e alí se multi-do mar, aquela grande cadeia as gigantescas, as plicam dando um encanto es-de montanhas, quase paralela samambaiaçús. pecial à floresta. As palmeirasao litoral e é um tipo especial Confundem-se com as pal- de diversas espécies produ-de vegetação, por isso é uma meiras . Tem árvores chama- zem o palmito e também fru-floresta úmida e que auto sus- das de “lei”. Ex: canela . peroba tas que fazem as delícias das Represa Jurupará: Visitação permitida com autorização e orientação de guias. Monumento de Ibiúna GRITO PARA UM GRITO PARA O CÉU O autor fala sobre sua obra No momento em que os ca do homem com a terra cada coisa que se interpõe nos sem dúvida um trabalho for- pré-moldado de autoria do palavra. Apenas um outrohomens se distanciam da na- sempre formou com o artista caminhos de um poeta, de um te. Lembrando uma posição artista Paulo de modo de estabelecer o podertureza, no momento que a uma fonte inesgotável de ins- artista, é na maioria das ve- de guerreiro e ao mesmo tem- Andrade do homem sobre a natureza.unidade tribal vai sendo gra- piração. zes transformada em objeto po com um comportamento Arte ingenuadualmente destruída pela di- O ato simples de semear e palpável, corpóreo ou de suprema humildade,este (escultura), um Paulo de Andradevisão do trabalho, aquele colher, passa a ser um estado escultural ou simplesmente lavrador ergue para os céus meio de expressão, Artista Plásticoequilíbrio que sempre existiu de fé para o homem do cam- um belo poema. o fruto do seu trabalho . E um gesto, uma ima- Autor da Obra o Lavrador deentre o indivíduo e o mundo po, como o resultado primei- Numa destas visões naquele sulco foi colocada gem, um sim, uma Ibiúnaexterior vai aos poucos se ro de uma obra de grande po- contemplativas, nasceu o mo- uma semente, depois outra ecomplicando. A histeria, a in- der plástico para o artista es- numento ao Lavrador de outra, fazendo com que estasegurança e os acessos de cultor. Assim nasce um traba- Ibiuna. Pode-se dizer, ser este terra , a sua terra, seja noloucura por exemplo, comuns lho que na maioria das vezes um símbolo, representando a amanhã, mais fertil, produti-em nossos dias, são sinais diz mais que uma biblioteca arte como um instrumento va do que hoje.marcantes de uma ausência de mil livros. mágico para que o homem de-muito grande desta paz que Esta visão, este conheci- sempenhe o seu trabalho na O Lavrador de Ibiúnatodos nós almejamos. mento através da observação dominação da terra e no seu (obra não concluída). Porém a identidade mági- prolongada, inspirada em desenvolvimento social. É Escultura em concreto O “Lavrador de Ibiúna” é um cartão Postal da cidade IBIARTS IBIARTS ADESIVOS FAIXAS BANNERS Poaads rpgna PLACAS rizado do Computado LOGOTIPO Tu CARTÕES TEL: (015) 979-9659 TOLDOS Rua Pinduca Soares, 15 LUMINOSOS Ibiúna-SP
  • 4. FOLHA RURAL 2a quinzena/ MARÇO 99 Página 12 Lazer Verifique alguns pontos turísticos de Ibiúna Confira os lugares, e aproveite para visitá-los Uma praia per to da roça praia perto roça IBIÚNA IBIÚNA A “Prainha”é opção para quem gosta de diversão err Preta Ter ra Preta Localizada na Região sudes- com inverno úmido). Localizada nas margens da Repre- te do Estado de São Paulo, dis- Temperatura média: sa Itupararanga, ta 70km da capital. Acesso pela 21oC dista 24 km do Rodovia Raposo Tavares até Coordenadas Geográfi- centro da cidade, indo pela Vargem Grande Paulista, após cas: rodovia dos Bandeirantes até rodovia dos Bandeirantes (SP- 20o 39’20” Latitude Sul o km 85 (entrada pela estra- 250). 47o 13’32”longitude GRW da de acesso ao Bairro A altitude média Limites de município: Cocais) muito frequentada É de 996 metro, sendo con- Norte - São Roque e por turistas, o local propor- siderado o terceiro mais alto do Mairinque ciona a prática de esportes Estado. Sul - Juquitiba, Miracatu e aquáticos. Sua extensão é de Área do município: Tapiraí aproximadamente 2 km. 1.093 km2 . É o 34o municí- Leste - Cotia e Itapecerica Prainha: Diversão e lazer nos fins de semana pio com maior extensão Do trabalho para o Escritório tra para da Serra territorial do Estado de São Oeste - Piedade e Paulo. Votorantim Prainha Escritório, era o escritório da Companhia Light Área urbana: Por localizar-se em região 300 km2 serrana, conserva grandes áre- Área de Lazer na Área da cidade: as verdes. Estima-se em 45% do beira da represa 12km2 total do município, a área ocu- Itupararanga. Dista pada com florestas nativas, ca- População: 8 km do centro da poeiras, capoeirinhas cerrados Aproximadamente 80 milcidade, indo pela estrada da habitantes sendo que 52% na e reflorestamentos.Cachoeira. A frequencia é in- zona rural e 48% na zona urba- Existe um grande mananci-tensa durante todo o ano, prin- na al composto de rios, ribeirões,cipalmente no verão, tendo açudes, represas e quedas de População flutuante nosido estimada a presença de 4 água.mil pessoas nos finais de sema- final de semana: Ibiúna teve sua emancipaçãona. 10 mil pessoas. política em 24 de março de O local possui este nome, Clima 1857, data em que se comemo-Escritório por ter sido no pas- De montanha ( temperado ra o aniversário da cidadesado, instalações da extintaLight. Vale a pena conhecer. Prainha Escritório: lugar de descanso Cachoeir arg hoeira Dê um pulo na Cachoeira Vargem do Salto Os pontos turísticos de Distante 16 km do centro da Cidade, chega-se pela es- trada do Salto. Possui várias Ibiúna quedas, sendo que a última e principal supera os 35 metros. Muito frequentada, principal- mente nos períodos mais quentes do ano, estima-se em 500 pessoas a frequência nos finais de semana. A cachoei- ra é particular, porém de aces- so livre ao público. Cachoeira Vargem do Salto, bastante frequentada nos dias quentes do ano Mirante Figueiras Conheça o Mirante das Figueiras Distante 4 km do centro da cidade, possui 19.500 m 2 de área e uma altitude de 100 metros, proporcio- nando, além de uma vista panorâmica da cidade, a contemplação de vários pontos da região. Chega- se ao mirante pela estrada do campo verde Vista do Mirante da Figueira: Beleza deslumbrante A Prefeitura Municipal e a Secretaria de IBIÚNA Turismo e Cultura parabeniza o município e o povo de Ibiúna pelo 142o Aniversário de Emancipação Política e Administrativa PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIÚNA MUNICIPAL IBIÚNA

×