CUSTOS PARA ADEQUAÇÃO À INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 POR PECUARISTAS DE LEITE NO SUL DE MINAS GERAIS: ESTUDO MULTICASOS   MARIA ...
1- INTRODUÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 -> QUALIDADE DO LEITE (18 de setembro de 2002) EXIGÊNCIAS -> padrões de produção, ide...
<ul><li>INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 </li></ul><ul><li>CONTAGEM BACTERIANA TOTAL </li></ul><ul><li>->  a partir de 01/07/2005 ->...
LEITE CRU -> COLETA ->  caminhões com tanque isotérmico  ↓ - tanque de refrigeração por expansão direta  - tanque de refri...
<ul><li>CUSTOS DE PRODUÇÃO RELACIONADOS À ATIVIDADE LEITEIRA </li></ul><ul><li>CUSTOS DE PRODUÇÃO   ->  soma dos valores d...
<ul><li>CUSTOS FIXOS   ->  recursos que não são totalmente assimilados pelo produto no curto prazo </li></ul><ul><li>CUSTO...
<ul><li>PROBLEMA </li></ul><ul><li>PRODUTORES: </li></ul><ul><li>->   MUDAR SUA ESTRUTURA PRODUTIVA ? </li></ul><ul><li>↓ ...
OBJETIVOS GERAL  ->  avaliar a adequação à Instrução Normativa 51 por pecuaristas de leite da região sul de Minas Gerais, ...
OBJETIVOS ESPECIFICOS -> busca-se estimar o custo do sistema de refrigeração para a implantação e atendimento à Instrução ...
<ul><li>2- MATERIAIS E MÉTODOS </li></ul><ul><li>REGIÃO DE ESTUDO  -> SUL DE MG </li></ul><ul><li>1 a   FASE   ->  VISITAS...
<ul><li>PRODUTORES -> SELECIONADOS INTENCIONALMENTE  </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>CADA PRODUTOR -> CASO </li></ul...
<ul><li>ANÁLISES  ->  TAMANHO DAS PROPRIEDADES </li></ul><ul><li>(DIAGNÓSTICO DA PECUÁRIA LEITEIRA DO ESTADO DE MINAS GERA...
<ul><li>LEVANTAMENTO DOS DADOS DAS PROPRIEDADES  ->  JANEIRO A MAIO DE 2008 </li></ul><ul><li>DADOS REFERENTES AOS PREÇOS ...
<ul><li>2 a  FASE: ANÁLISES </li></ul><ul><li>ANÁLISES DE CUSTO </li></ul><ul><li>1- Produção média </li></ul><ul><li>2- C...
5- Custo alternativo (taxa de juros: 6,75%a.a.) 6- Custo econômico 7- Custo médio de implantação da Instrução Normativa 51...
<ul><li>ANÁLISES  FINANCEIRAS </li></ul><ul><li>1- Payback -> período de tempo necessário para recuperar o investimento in...
<ul><li>ANÁLISE CONTÁBIL </li></ul><ul><li>1- Ponto de Equilíbrio  ->  custos e  receitas totais se igualam </li></ul>
<ul><li>ANÁLISES DO LEITE </li></ul><ul><li>->  COMPOSIÇÃO DO LEITE (PROTEÍNA E GORDURA) E DE CONTAGEM BACTERIANA TOTAL  -...
->  As análises do leite foram realizadas no período de janeiro de 2006 a dezembro de 2008 ->  Os resultados do trabalho f...
<ul><li>3- RESULTADOS E DISCUSSÃO </li></ul><ul><li>3.1- ANÁLISES DE CUSTO  </li></ul><ul><li>CUSTO FIXO DE IMPLANTAÇÃO </...
NAS DEMAIS PROPRIEDADES -> ORDENHADEIRA (21,05%) ->  SALA DE ORDENHA (10,53%) ->  SALA DE LEITE (5,26%) TANQUE DE IMERSÃO ...
<ul><li>CUSTO VARIÁVEL DE IMPLANTAÇÃO </li></ul><ul><li>ITEM MAIS DISPENDIOSO: </li></ul><ul><li>->  MANUTENÇÃO DE MÁQUINA...
<ul><li>RECEITA </li></ul><ul><li>MAIOR RECEITA MENSAL TOTAL </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>MAIOR CUSTO FIXO TOTAL ...
3.2- PERFIL DAS PROPRIEDADES ESTUDADAS ->   15,79% MENOS DE 50 LITROS DE LEITE / DIA ->  36,84% DE 50 A 200 LITROS DE LEIT...
68,42% -> desenvolvem outro tipo de atividade 52,63% -> possuem funcionários ->  Sistema de produção predominante -> SEMI-...
63,16% -> já implantaram alguma mudança estipulada pela Instrução Normativa 51 31,58% -> afirmaram que as mudanças não for...
31,58% -> POSSUEM TANQUE EM ASSOCIAÇÃO COM OUTROS PRODUTORES TANQUE COMUNITÁRIO VISITADO -> adquirido através de financiam...
68,42% -> perceberam uma melhoria no preço do leite com a Instrução Normativa 51 52,63% -> melhoraram os problemas de reje...
3.3- ANÁLISES DO LEITE PORCENTAGEM DE PROPRIEDADES QUE ATENDEM A INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 1- Contagem de células somáticas 2...
<ul><li>RECEITA ADICIONAL POR QUALIDADE </li></ul><ul><li>->  LAVRAS -> (+) 100% </li></ul><ul><li>->  BOA ESPERANÇA -> (+...
<ul><li>3.4- ANÁLISES FINANCEIRAS </li></ul><ul><li>PAYBACK </li></ul><ul><li>21,05% das propriedades  ->  não apresentara...
<ul><li>TAXA INTERNA DE RETORNO (TIR) </li></ul><ul><li>52,63% das propriedades  ->  TIR superior à TMA (6,75% a.a.) </li>...
<ul><li>VALOR PRESENTE LÍQUIDO (VPL) </li></ul><ul><li>57,89%  ->  VPL positivo (viável economicamente) </li></ul><ul><li>...
foram encontradas 52,63% das propriedades com viabilidade financeira para o investimento de adequação à Instrução Normativ...
<ul><li>3.5- ANÁLISE CONTÁBIL </li></ul><ul><li>PONTO DE EQUILÍBRIO </li></ul><ul><li>21,05%  ->  não obtiveram ponto de e...
<ul><li>4- CONCLUSÕES </li></ul><ul><li>a Instrução Normativa 51 trouxe melhorias para os produtores de leite da região Su...
<ul><li>o tempo médio de retorno do investimento de implantação da Instrução Normativa 51 foi de 8 anos; </li></ul><ul><li...
<ul><li>5- CONSIDERAÇÕES FINAIS </li></ul><ul><li>O investimento é viável e se paga mais rápido para as propriedades que t...
OBRIGADO PELA ATENÇÃO!
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

SeminárioCUSTOS PARA ADEQUAÇÃO À INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 POR PECUARISTAS DE LEITE NO SUL DE MINAS GERAIS: ESTUDO MULTICASOS

4,291 views
4,171 views

Published on

Published in: Business, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
4,291
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
48
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

SeminárioCUSTOS PARA ADEQUAÇÃO À INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 POR PECUARISTAS DE LEITE NO SUL DE MINAS GERAIS: ESTUDO MULTICASOS

  1. 1. CUSTOS PARA ADEQUAÇÃO À INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 POR PECUARISTAS DE LEITE NO SUL DE MINAS GERAIS: ESTUDO MULTICASOS MARIA DAS GRAÇAS CLEMENTE ORIENTADOR: PROF. DR. LUIZ RONALDO DE ABREU DOUTORADO EM CIÊNCIA DOS ALIMENTOS
  2. 2. 1- INTRODUÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 -> QUALIDADE DO LEITE (18 de setembro de 2002) EXIGÊNCIAS -> padrões de produção, identidade e qualidade do leite e coleta de leite cru refrigerado e seu transporte a granel
  3. 3. <ul><li>INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 </li></ul><ul><li>CONTAGEM BACTERIANA TOTAL </li></ul><ul><li>-> a partir de 01/07/2005 -> 1 milhão UFC/ml </li></ul><ul><li>-> a partir de 01/07/2008 -> 750 mil UFC/ml </li></ul><ul><li>-> a partir de 01/01/2011 -> 100 mil UFC/ml </li></ul><ul><li>CCS </li></ul><ul><li>-> a partir de 01/07/2005 -> 1 milhão células/ml </li></ul><ul><li>-> a partir de 01/07/2008 -> 750 mil células/ml </li></ul><ul><li>-> a partir de 01/01/2011 -> 400 mil células/ml </li></ul>
  4. 4. LEITE CRU -> COLETA -> caminhões com tanque isotérmico ↓ - tanque de refrigeração por expansão direta - tanque de refrigeração por imersão INSTRUÇÃO NORMATIVA 51
  5. 5. <ul><li>CUSTOS DE PRODUÇÃO RELACIONADOS À ATIVIDADE LEITEIRA </li></ul><ul><li>CUSTOS DE PRODUÇÃO -> soma dos valores de todos os recursos em certo período de tempo </li></ul><ul><li>CUSTOS TOTAIS -> soma de todos os custos para produzir certa quantidade de produto </li></ul><ul><li>(REIS, 2002) </li></ul>
  6. 6. <ul><li>CUSTOS FIXOS -> recursos que não são totalmente assimilados pelo produto no curto prazo </li></ul><ul><li>CUSTOS VARIÁVEIS -> insumos que se incorporam totalmente ao produto no curto prazo </li></ul><ul><li>CUSTOS MÉDIOS -> divide-se os custos pela quantidade produzida </li></ul>
  7. 7. <ul><li>PROBLEMA </li></ul><ul><li>PRODUTORES: </li></ul><ul><li>-> MUDAR SUA ESTRUTURA PRODUTIVA ? </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>GANHOS DE PRODUTIVIDADE, </li></ul><ul><li>AUMENTO DE ESCALA E </li></ul><ul><li>DIMINUIÇÃO DOS CUSTOS </li></ul><ul><li>-> RECURSOS FINANCEIROS PARA AQUISIÇÃO ? </li></ul><ul><li>-> QUANDO OS INVESTIMENTOS SERÃO RECUPERADOS ? </li></ul><ul><li>(MELHORIA NA QUALIDADE DO LEITE) </li></ul>
  8. 8. OBJETIVOS GERAL -> avaliar a adequação à Instrução Normativa 51 por pecuaristas de leite da região sul de Minas Gerais, mostrando-os a importância do monitoramento da qualidade do leite para que o retorno financeiro seja alcançado
  9. 9. OBJETIVOS ESPECIFICOS -> busca-se estimar o custo do sistema de refrigeração para a implantação e atendimento à Instrução Normativa 51 por propriedades leiteiras na região sul do estado de Minas Gerais -> verificar o prazo de retorno do investimento, analisar a qualidade do leite produzido nas propriedades de leite estudadas e se esse leite está dentro dos parâmetros estabelecidos -> avaliar a atual situação de remuneração dos produtores de leite, em função do aumento da qualidade do produto
  10. 10. <ul><li>2- MATERIAIS E MÉTODOS </li></ul><ul><li>REGIÃO DE ESTUDO -> SUL DE MG </li></ul><ul><li>1 a FASE -> VISITAS TÉCNICAS ÀS LOCALIDADES </li></ul><ul><li>-> CONTATOS COM COOPERATIVAS PARA AMOSTRAGEM -> PRIMEIROS CONTATOS COM OS PRODUTORES </li></ul><ul><li>19 PROPRIEDADES -> 9 -> LAVRAS (CAARG) </li></ul><ul><li>-> 10 -> BOA ESPERANÇA (CAPEBE) </li></ul>
  11. 11. <ul><li>PRODUTORES -> SELECIONADOS INTENCIONALMENTE </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>CADA PRODUTOR -> CASO </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>“ ESTUDO DE MULTICASOS” </li></ul><ul><li>AMOSTRAGEM -> NÃO PROBABILÍSTICA </li></ul><ul><li>QUESTIONÁRIOS -> ATENDIMENTO OU NÃO À IN 51 </li></ul><ul><li>-> RELAÇÃO DE MATERIAIS PARA </li></ul><ul><li>ADEQUAÇÃO À IN 51 </li></ul><ul><li>-> PERFIL TECNOLÓGICO </li></ul>
  12. 12. <ul><li>ANÁLISES -> TAMANHO DAS PROPRIEDADES </li></ul><ul><li>(DIAGNÓSTICO DA PECUÁRIA LEITEIRA DO ESTADO DE MINAS GERAIS, 2005) </li></ul><ul><li>-> ATÉ 50 LITROS DE LEITE POR DIA </li></ul><ul><li>-> DE 50 A 200 LITROS DE LEITE POR DIA </li></ul><ul><li>-> DE 200 A 500 LITROS DE LEITE POR DIA </li></ul><ul><li>-> DE 500 A 1.000 LITROS POR DIA </li></ul><ul><li>-> ACIMA DE 1.000 LITROS POR DIA </li></ul><ul><li>(SEBRAE, 2006) </li></ul>
  13. 13. <ul><li>LEVANTAMENTO DOS DADOS DAS PROPRIEDADES -> JANEIRO A MAIO DE 2008 </li></ul><ul><li>DADOS REFERENTES AOS PREÇOS -> JULHO DE 2008 </li></ul>
  14. 14. <ul><li>2 a FASE: ANÁLISES </li></ul><ul><li>ANÁLISES DE CUSTO </li></ul><ul><li>1- Produção média </li></ul><ul><li>2- Custo operacional fixo de aquisição da estrutura para adequação à Instrução Normativa 51 </li></ul><ul><li>-> Depreciação (Método linear) </li></ul><ul><li>3- Custo operacional variável relacionado à Instrução Normativa 51 </li></ul><ul><li>4- Custo operacional total de implantação da estrutura para atendimento às exigências da Instrução Normativa 51 </li></ul>
  15. 15. 5- Custo alternativo (taxa de juros: 6,75%a.a.) 6- Custo econômico 7- Custo médio de implantação da Instrução Normativa 51 8- Preço médio do leite 9- Receita mensal referente ao leite 10- Receita mensal referente a bonificação por qualidade 11- Receita mensal total
  16. 16. <ul><li>ANÁLISES FINANCEIRAS </li></ul><ul><li>1- Payback -> período de tempo necessário para recuperar o investimento inicial de um projeto; </li></ul><ul><li>2- Taxa interna de retorno (ao mês) -> taxa de desconto que torna o valor presente líquido igual a zero; </li></ul><ul><li>3- Valor presente líquido -> valor presente de um fluxo de caixa futuro de um projeto menos o seu investimento inicial (taxa mínima de atratividade 6,75% a.a.) </li></ul><ul><li>(GROPPELLI ET AL., 2007). </li></ul>
  17. 17. <ul><li>ANÁLISE CONTÁBIL </li></ul><ul><li>1- Ponto de Equilíbrio -> custos e receitas totais se igualam </li></ul>
  18. 18. <ul><li>ANÁLISES DO LEITE </li></ul><ul><li>-> COMPOSIÇÃO DO LEITE (PROTEÍNA E GORDURA) E DE CONTAGEM BACTERIANA TOTAL -> LEITURA DE ABSORÇÃO DE INFRAVERMELHO -> BENTLEY 2000 </li></ul><ul><li>-> CONTAGEM DE CÉLULAS SOMÁTICAS -> CITOMETRIA DE FLUXO -> SOMACOUNT 300 </li></ul>
  19. 19. -> As análises do leite foram realizadas no período de janeiro de 2006 a dezembro de 2008 -> Os resultados do trabalho foram comparados por meio de análises descritivas, utilizando o aplicativo MS Excel®, e agrupados em tabelas
  20. 20. <ul><li>3- RESULTADOS E DISCUSSÃO </li></ul><ul><li>3.1- ANÁLISES DE CUSTO </li></ul><ul><li>CUSTO FIXO DE IMPLANTAÇÃO </li></ul><ul><li>TANQUE DE EXPANSÃO -> ITEM QUE MAIS ONEROU </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>-> 63,16% DAS PROPRIEDADES </li></ul><ul><li>-> 100% DO TANQUE COMUNITÁRIO </li></ul>
  21. 21. NAS DEMAIS PROPRIEDADES -> ORDENHADEIRA (21,05%) -> SALA DE ORDENHA (10,53%) -> SALA DE LEITE (5,26%) TANQUE DE IMERSÃO -> MENOR CUSTO FIXO (100%)
  22. 22. <ul><li>CUSTO VARIÁVEL DE IMPLANTAÇÃO </li></ul><ul><li>ITEM MAIS DISPENDIOSO: </li></ul><ul><li>-> MANUTENÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS </li></ul><ul><li>-> MÃO-DE-OBRA (100%) </li></ul>
  23. 23. <ul><li>RECEITA </li></ul><ul><li>MAIOR RECEITA MENSAL TOTAL </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>MAIOR CUSTO FIXO TOTAL DE IMPLANTAÇÃO DA IN 51 ↓ </li></ul><ul><li>MAIOR PRODUÇÃO MÉDIA </li></ul><ul><li>PROPRIEDADES TANQUE COMUNITÁRIO: </li></ul><ul><li>-> MENOR RECEITA MENSAL TOTAL </li></ul><ul><li>-> MENOR PRODUÇÃO </li></ul>
  24. 24. 3.2- PERFIL DAS PROPRIEDADES ESTUDADAS -> 15,79% MENOS DE 50 LITROS DE LEITE / DIA -> 36,84% DE 50 A 200 LITROS DE LEITE / DIA -> 31,58% DE 200 A 500 LITROS DE LEITE / DIA -> 15,79% ACIMA DE 1.000 LITROS DE LEITE / DIA -> NÃO FORAM ANALISADAS PROPRIEDADES QUE SE ENQUADRARAM NA CATEGORIA DE 500 A 1.000 LITROS DE LEITE POR DIA
  25. 25. 68,42% -> desenvolvem outro tipo de atividade 52,63% -> possuem funcionários -> Sistema de produção predominante -> SEMI-CONFINADO -> Não foram encontradas propriedades que calculam custo de produção da atividade leiteira
  26. 26. 63,16% -> já implantaram alguma mudança estipulada pela Instrução Normativa 51 31,58% -> afirmaram que as mudanças não foram implantadas espontaneamente 100% -> estão satisfeitos com as mudanças da Instrução Normativa 51
  27. 27. 31,58% -> POSSUEM TANQUE EM ASSOCIAÇÃO COM OUTROS PRODUTORES TANQUE COMUNITÁRIO VISITADO -> adquirido através de financiamento realizado pela CAPEBE -> 15 DONOS -> R$780,00 / PROPRORIETÁRIO -> demais usuários (23) pagam um aluguel -> R$3,80 mensais para a utilização do equipamento -> aluguel pago -> pagamento do salário de um funcionário, que é responsável pelo recebimento do leite
  28. 28. 68,42% -> perceberam uma melhoria no preço do leite com a Instrução Normativa 51 52,63% -> melhoraram os problemas de rejeição do leite por acidez com a Instrução Normativa 51 73,68% -> a Instrução Normativa 51 trouxe melhorias para o setor leiteiro
  29. 29. 3.3- ANÁLISES DO LEITE PORCENTAGEM DE PROPRIEDADES QUE ATENDEM A INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 1- Contagem de células somáticas 2- Contagem bacteriana total 3- Padrão vigente desde 01/07/2008 4- Padrão vigente a partir de 01/01/2011 100 100 - - TOTAL 94,74 84,21 - - NÃO 4 5,26 15,79 - - SIM 4 100 100 100 100 TOTAL 47,68 52,63 0 0 NÃO 3 52,32 47,37 100 100 SIM 3 CBT 2 CCS 1 PROTEÍNA GORDURA PROPR.
  30. 30. <ul><li>RECEITA ADICIONAL POR QUALIDADE </li></ul><ul><li>-> LAVRAS -> (+) 100% </li></ul><ul><li>-> BOA ESPERANÇA -> (+) 20% </li></ul><ul><li>CAPEBE -> não bonifica os produtores para o componente proteína </li></ul><ul><li>-> mais rígida quanto à bonificação/penalidade para contagem bacteriana total </li></ul><ul><li>CAARG -> oferece bonificações pela qualidade do leite e uma bonificação adicional -> tanque de expansão -> R$0,03 </li></ul><ul><li>-> tanque de refrigeração por imersão -> R$0,015 </li></ul>
  31. 31. <ul><li>3.4- ANÁLISES FINANCEIRAS </li></ul><ul><li>PAYBACK </li></ul><ul><li>21,05% das propriedades -> não apresentaram Payback </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>apresentaram receita adicional por qualidade negativa </li></ul><ul><li>e/ou </li></ul><ul><li>capacidade ociosa de produção </li></ul><ul><li>menor payback -> maior receita </li></ul>
  32. 32. <ul><li>TAXA INTERNA DE RETORNO (TIR) </li></ul><ul><li>52,63% das propriedades -> TIR superior à TMA (6,75% a.a.) </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>VIABILIDADE FINANCEIRA </li></ul><ul><li>1 propriedade -> TIR abaixo da Taxa Mínima de Atratividade </li></ul><ul><li>demais propriedades -> não apresentaram retorno para o </li></ul><ul><li>capital investido </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>capacidade ociosa do sistema </li></ul><ul><li>ou </li></ul><ul><li>por baixa produção </li></ul>
  33. 33. <ul><li>VALOR PRESENTE LÍQUIDO (VPL) </li></ul><ul><li>57,89% -> VPL positivo (viável economicamente) </li></ul><ul><li>VPL - -> resultado desfavorável para TIR e Payback </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>capacidade ociosa de produção </li></ul><ul><li>e/ou </li></ul><ul><li>baixa eficiência técnica e econômica </li></ul>
  34. 34. foram encontradas 52,63% das propriedades com viabilidade financeira para o investimento de adequação à Instrução Normativa 51 para todos os indicadores financeiros analisados ↓ a Instrução Normativa 51 é viável economicamente deve ser implantada com um bom planejamento e manutenção, com o apoio das cooperativas ↓ com informações sobre a capacidade correta do tanque a ser comprado e a forma correta de produzir leite com qualidade e como fazer a correta manutenção e higienização dos equipamentos adquiridos
  35. 35. <ul><li>3.5- ANÁLISE CONTÁBIL </li></ul><ul><li>PONTO DE EQUILÍBRIO </li></ul><ul><li>21,05% -> não obtiveram ponto de equilíbrio </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>CV unitário maior do que o preço de venda (margem nula sem cobrir os recursos variáveis) </li></ul><ul><li>26,32% -> produção acima do ponto de equilíbrio </li></ul><ul><li>52,63% -> produção abaixo do ponto de equilíbrio </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>capacidade ociosa de produção </li></ul>
  36. 36. <ul><li>4- CONCLUSÕES </li></ul><ul><li>a Instrução Normativa 51 trouxe melhorias para os produtores de leite da região Sul de Minas Gerais </li></ul><ul><li>quanto maior a produção de leite, maior a porcentagem de produtores que afirmaram não ter implantado mudanças com a Instrução Normativa 51 </li></ul><ul><li>o tanque de expansão é o item de maior impacto sobre o custo de implantação da estrutura necessária para adequação à Instrução Normativa 51 </li></ul>
  37. 37. <ul><li>o tempo médio de retorno do investimento de implantação da Instrução Normativa 51 foi de 8 anos; </li></ul><ul><li>foram encontradas 52,63% das propriedades com viabilidade financeira para o investimento de adequação à Instrução Normativa 51 para todos os indicadores financeiros analisados; </li></ul><ul><li>a Contagem Bacteriana Total (CBT) é o fator mais crítico para adequação à Instrução Normativa 51; </li></ul><ul><li>os diferentes programas de incentivo à melhoria da qualidade do leite por bonificação/penalidade adotados pelas cooperativas exercem influência sobre a receita adicional por qualidade e, consequentemente, no resultado econômico das propriedades. </li></ul>
  38. 38. <ul><li>5- CONSIDERAÇÕES FINAIS </li></ul><ul><li>O investimento é viável e se paga mais rápido para as propriedades que tem melhor qualidade do leite </li></ul><ul><li>O problema de quem não consegue pagar o investimento é a baixa qualidade do leite e a capacidade ociosa </li></ul>
  39. 39. OBRIGADO PELA ATENÇÃO!

×