Relatorio de Auto-Avaliação 2010/2011 - RBE
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
3,543
On Slideshare
3,543
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
50
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Relatório de avaliaçãoContexto e caracterização1. Contexto1.1 Escola/agrupamento808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva1.2 EndereçoEBI Professor Doutor Aníbal Cavaco SilvaFonte de Boliqueime8100-069 Boliqueime1.3 Oferta CurricularCEF tipo 2 Serviço de BarEFA Secundário1.4. Dados Escolares1.4.1. Taxa média de transição/conclusão95.80%1.4.2. Taxa de abandono escolar0.00%1.4.3. Nº de alunos com apoios educativos192. Intervenientes no processo de avaliaçãoAno / Ciclo de Ensino N.º de N.º de % Alunos intervenientesPré-Escolar 0 0 --1.º Ano 24 0 0.00%2.º Ano 24 0 0.00%3.º Ano 38 0 0.00%4.º Ano 28 26 92.86% Total 1.º Ciclo 114.0 26.05.º Ano 67 16 23.88%6.º Ano 79 18 22.78% Total 2.º Ciclo 146.0 34.07.º Ano 81 17 20.99%8.º Ano 66 10 15.15%9.º Ano 66 7 10.61% Total 3.º Ciclo 213.0 34.010.º Ano 0 0 --11.º Ano 0 0 --12.º Ano 0 0 -- Total Ensino Secundário 0.0 0.0Outros cursos (CEF, EFA, …) 31 13 41.94% Total 504.0 107.0Departamento/ outros intervenientes N.º de N.º de %com funções pedagógicas Docentes inquiridosLínguas 12 6 50.00%Expressões 15 2 13.33% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 1/58
  • 2. Ciências Sociais e Humanas 7 1 14.29%-- -- -- --Matemática e Ciências experimentais 17 7 41.18%1º Ciclo 5 5 100.00%-- -- -- ---- -- -- -- Total 56.0 21.0Pais/ encarregados de N.º N.º de %educação inquiridos-- 0 -- --Outros a definir N.º N.º de % inquiridos-- -- -- ---- -- -- ---- -- -- -- Total 0.0 0.0 Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 2/58
  • 3. Secção AA. Apoio ao desenvolvimento curricularA.1 Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisãopedagógica e os docentesA.1.1 Cooperação da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógicaEvidências- A BE articulou regularmente com as estruturas de coordenação educativa e de supervisão pedagógica daescola/agrupamento: conselho pedagógico, departamentos curriculares, áreas disciplinares e coordenadoresde estabelecimento. Participou em todas as reuniões de Conselho Pedagógico e com uma média de 2reuniões/contactos formais e informais por ano lectivo com os Departamentos Curriculares e Conselhos deTurma.- A BE colaborou activamente com o conselho pedagógico, tendo a professora bibliotecária integrado aequipa responsável pela redacção do futuro Projecto Educativo do Agrupamento de Escolas de Boliqueime.A BE integrou, sempre que oportuno, a ordem de trabalhos do Conselho Pedagógico, sendo um contributoessencial para as várias estruturas de supervisão pedagógica. A BE é também parte integrante do seuRegulamento Interno e do Plano Anual de Actividades.- A BE colaborou com todos os departamentos curriculares/áreas disciplinares, tendo procurado integrar, nodecorrer do ano lectivo, sempre que oportuno, as suas planificações. Também colaborou activamente comos coordenadores de estabelecimento de ensino, os conselhos de turmas os docentes titulares das turmascom o objectivo de conhecer os diferentes projectos curriculares e de se envolver no planeamento dasrespectivas actividades, estratégias e recursos. Saliente-se a propósito, que nos questionários aplicados aosdocentes, 52,4% referem, no âmbito das suas funções docentes, que costumam articular e/ou planearregularmente com a professora bibliotecária ou com a equipa da BE, 9,5% sempre e ocasionalmente 38,1%.Referem ainda, 13,3% que costumam usar diariamente a BE ou os seus recursos, no âmbito das suasfunções docentes, 47,6%, uma ou duas vezes por semana e 28, 6%, uma ou duas vezes por mês. Mais seacrescenta que 71,4% o fazem enquanto docentes titulares de turma/grupo de uma disciplina/área curricular,14,3% no âmbito de determinados projectos/programas PNL, 9,5% enquanto docente de ACND e 4,8%enquanto coordenador de departamento.- A BE é rentabilizada pelos docentes no âmbito das suas actividades lectivas, desenvolvidas em parceria oude forma autónoma. De acordo com os resultados dos questionários 14,3% frequenta-a diariamente, 47,6%,uma ou duas vezes por semana, 28,6%, uma ou duas vezes por mês e muito raramente e de forma irregularapenas 9,5%, o correspondente a 2 professores. Mais se acrescenta que 31,5% frequenta para ler/consultarcom os alunos obras de referência ou livros específicos, 25, 9% para seleccionar/requisitar materiais para asala de aula, 20,4% para utilizar os computadores com os alunos, 11,1% para realizar trabalho pessoal eprofissional, 9,3% para fazer empréstimo domiciliário com a turma e finalmente, 1,9% para ver vídeos/DVDcom alunos. Mais se acrescenta pela sua relevância, que 71,4% dos docentes diz já ter colaborado com aBE na selecção ou na produção de materiais de apoios necessários à condução de actividades na BE ou nasala de aula.Pontos fortes identificados- A BE articula com regularidade com as estruturas de coordenação educativa e de supervisão pedagógica,especialmente com a Direcção Executiva e com os Departamentos Curriculares.- A BE tem um excelente nível de comunicação com o Director e as estruturas de coordenação educativa ede supervisão pedagógica, a qual é facilitadora da actualização e adequação dos recursos às necessidades.Pontos fracos identificados- A BE necessita de organizar mais acções de formação formais ou informais, com os docentes, em torno daformação de utilizadores da BE e do desenvolvimento das literacias da informação.- A BE necessita de continuar a investir na apresentação de sugestões de trabalho conjunto, em torno dotratamento das diferentes unidades de ensino ou temas.A.1.2 Parceria da BE com os docentes responsáveis pelas áreas curriculares não disciplinares (ACND) Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 3/58
  • 4. Evidências- A BE colaborou com muitos dos docentes responsáveis pelas Áreas Curriculares Não Disciplinares: áreasde projecto; estudo acompanhado/apoio ao estudo e formação cívica, tendo articulado particularmente comos directores de turma, docentes estes também responsáveis pela Formação Cívica, através da actividade“Monitores da BE” (actividade extensiva a todos os alunos do 1º, 2º e 3º ciclo da EBI de Boliqueime), da“Biblioteca de Turma” (actividade com o 8ºA) e do Projecto de Solidariedade que pretendeu ajudar o PRAVI- Projetco de Apoio a Vítimas Indefesas (envolveu os 5º anos). Também articulou com as turmas, cujasÁreas de Projecto estiveram associadas ao Projecto “Mãos à Obra” (envolveu o 5º B), ao Projecto Científico(envolveu as 3 turmas do 8ºano), ao PREAA - Projecto Regional de Educação Ambiental pela Arte (envolveuo Pré-Escolar e o 4º ano do 1º ciclo da EB1/JI de Vale Judeu e os 5º, 6º, 7º, 8º e 9º anos), à realização doMercado de Almocreves na Comunidade de Boliqueime (envolveu, ao nível da dinamização/animação da“Banca da Brízida”, personagem do Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, algumas das alunas dos 9ºanos e ainda os docentes e alunos de EVT, das 4 turmas do 5º anos, no que se refere à realização asBijutarias para serem vendidas nesta Banca), às actividades “TIC na BE” (envolveu o 4º ano de Boliqueimee o 8º C) e “TIC em Acção” (envolveu o 8º A) e finalmente, à criação/ dinamização do Blogue “Leituras eAventuras” - http://leiturasaventuras.blogspot.com/ (envolveu todas as turmas dos 5ºe 6º anos e do 8ºA, umtotal de 9 turmas).- A actividade “Monitores da BE” revelou-se também, extremamente rica do ponto de vista da Educaçãopara a Cidadania, tendo-se associado de um modo particular à comemoração do Ano Europeu doVoluntariado. Teve alguma adesão por parte dos alunos, 5% dos alunos da escola, e permitiu odesenvolvimento de várias competências, ao nível nomeadamente do seu desenvolvimento pessoal e social.Saliente-se a propósito, que no final do ano lectivo, alguns destes alunos, os Monitores +, foram louvadosem Conselho de Turma de Avaliação e distinguidos pela escola.Pontos fortes identificados- Os recursos da BE são bastante valorizados e rentabilizados pelos docentes, sobretudo no âmbito da suaactividade lectiva.- Os professores no âmbito das suas funções docentes, sobretudo, enquanto titulares de turma/grupo deuma disciplina/área curricular costumam, de forma significativa, articular e/ou planear sempre ouregularmente com a professora bibliotecária ou com a equipa da BE.- Os professores conhecem os recursos da BE e consideram que estes são Muito Bons ou Bons.Pontos fracos identificados- A BE necessita de continuar a investir na promoção de reuniões com os docentes responsáveis pelasACND para melhor poder articular com todos eles.A.1.3 Articulação da BE com os docentes responsáveis pelos serviços de apoios especializados e educativos(SAE)Evidências- A BE assegurou uma importante actividade de suporte junto dos serviços especializados de apoioeducativo, tendo definido estratégias conjuntas de acompanhamento e desenvolvimento. Semanalmente eao longo de todo o ano lectivo foram enquadrados nas suas actividades, 5 alunos do 2º e 3º ciclo comnecessidades educativas especiais.A professora bibliotecária reuniu uma vez por período com a responsável pelo SAE e com os directores deturma dos alunos com necessidades educativas especiais. Aliás, as actividades desenvolvidas na BE foramtidas em conta na avaliação final destes alunos. A responsável pelos SAE referiu, em reunião informal com aPB, que os alunos manifestam agrado em desenvolver actividades na BE, tanto no horário estipulado, comofora deste.Pontos fortes identificados- A BE assegura um importante nível de comunicação e de articulação com os docentes responsáveis pelosapoios educativos.- A utilização da BE é rentabilizada pelos docentes em actividades de educação especial e apoioseducativos.Pontos fracos identificados- A BE deverá consolidar a comunicação com os docentes dos apoios educativos, de modo a facilitar a Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 4/58
  • 5. actualização e adequação dos recursos às necessidades dos alunos com NEE.A.1.4 Ligação da BE ao Plano Tecnológico da Educação (PTE) e a outros programas e projectos curricularesde acção, inovação pedagógica e formaçãoEvidências- A BE participou no plano TIC no sentido de promover a utilização das TIC no contexto das actividadescurriculares. Os registos de utilização dos computadores da BE, por parte dos alunos, registam 3420utilizações para a realização de pesquisas na Internet, numa média de 9 pesquisas por aluno, por anolectivo. Relativamente à elaboração de trabalhos, verifica-se que 2438 alunos procuram a BE, o quecorresponde a uma média anual de 7 trabalhos por aluno. Os questionários aplicados aos docentes revelamque 42,9% considera Boas e 47,6% médias, as competências apresentadas pelos alunos ao nível do usoautónomo da BE ou dos seus recursos e no que se refere, mais especificamente, às competênciasapresentadas por estes, no uso das TIC e na exploração de diferentes materiais (livros, CD, DVD, Internet),52,4% considera Boas e 42,9% médias. Para finalizar, 57,1% considera Muito Bom o contributo dado pelaBE com vista ao desenvolvimento deste tipo de competências nos alunos, 38,1% Bom e 4,8% razoável.De salientar também, que a BE melhorou substancialmente o seu Blogue http://beboliqueime.blogspot.com/ao nível da sua apresentação e disponibilização de recursos e a disciplina da BE/CRE na plataforma Moodlehttp://eb123-boliqueime.no-ip.org/moodle/course/view.php?id=99. Também passou a ter, a partir deste anolectivo, um site http://eb123-boliqueime.no-ip.org/biblioteca/ bem como, uma página noFacebookhttp://www.facebook.com/pages/Biblioteca-Escolar-L%C3%ADdia-Jorge/231576170189234 Estesrecursos online permitiram, entre outros aspectos, recolher, organizar e difundir materiais relacionados comos temas e necessidades formativas e recreativas dos alunos e dos docentes. De salientar, que no final domês de Junho de 2010, o contador de visitas do Blogue, iniciado em Outubro de 2009, marcava 5070 visitase 23850 no final do mês de Junho de 2011, o que é bastante significativo.- A BE estimulou e apoiou também, os alunos e professores no desenvolvimento de outros programas eprojectos como o Plano Nacional de Leitura, através nomeadamente da sua participação no “ConcursoNacional de Leitura” (envolveu as turmas dos 8º e 9º anos), “ Quem Conta um Conto… Acrescenta umPonto…” (envolveu os 5º e 6º anos), “Camões, um Poeta Genial” http://luisdecamoesaab.blogspot.com/(envolveu o 8º C), “Faça lá um Poema” (envolveu os 5º e 6º anos), “O Cartaz da minha escola” (envolveuo 8º C), “Leitura em Vai e Vem” (envolveu os 4 Jardins de Infância do Agrupamento de Escolas deBoliqueime), “Ler em Casa é Bom!” (envolveu todas as turmas do 4º ano do Agrupamento de Escolas deBoliqueime) e a “Semana da Leitura” (envolveu todo o Agrupamento de Escolas de Boliqueime). No âmbitodo Plano de Acção da Matemática os alunos do 7º ciclo (4 turmas) puderam aprender, orientados pelodocente desta disciplina curricular, com horário na equipa da BE, a trabalhar no programa MicrosoftEquation. A partir deste programa realizaram diferentes trabalhos, fazendo a ligação entre os conteúdosprogramáticos dados e as necessidades de pesquisa de informação, de tratamento e de apresentação, emcontexto de sala de aula.- A actividade “Monitores da BE” revelou-se também, extremamente rica do ponto de vista da Educaçãopara a Cidadania, tendo-se associado de um modo particular à comemoração do Ano Europeu doVoluntariado. Teve alguma adesão por parte dos alunos, tendo-se inscrito 5% dos alunos da EBI deBoliqueime. Esta actividade permitiu o desenvolvimento de competências várias, ao nível nomeadamente doseu desenvolvimento pessoal e social.Pontos fortes identificados- A BE participa no plano TIC, promovendo a utilização das TIC no contexto das actividades curriculares eextra curriculares.- A BE tem um Blogue e um Site, apelativos do ponto de vista da apresentação, organização e dosconteúdos.- A integração na equipa da BE de um docente da área das TIC foi uma mais-valia na garantia do bomestado das redes, equipamentos e sofware existente na BE, bem como, na realização/dinamização deprojectos/actividades no âmbito do PAA da BE.- A BE apoia, de forma activa, os docentes no desenvolvimento de programas e projectos.Pontos fracos identificados- A BE deverá continuar a investir na organização de mais acções de formação, de acordo com olevantamento das necessidades formativas dos docentes, nomeadamente no âmbito da Web 2.0. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 5/58
  • 6. A.1.5 Integração da BE no plano de ocupação dos tempos escolares (OTE)Evidências- A BE integrou, através da disponibilização do espaço, recursos e actividades, o Plano de Ocupação dosTempos Escolares (OTE) da escola/agrupamento, tendo criado nomeadamente, a partir de conjuntos de 12livros do PNL, materiais lúdico-didácticos para disponibilizar aos docentes responsáveis pelas aulas desubstituição, de acordo, inclusive, com a sua área disciplinar. De salientar, que 42,9% dos docentesconsiderou Muito Bom o nível de recursos da BE para o apoio à sua prática educativa/lectiva, 52,4% Bom eapenas 4, 8% Razoável, o correspondente a 1 professor.- Os recursos da BE foram bastante rentabilizados pelos docentes e pelos alunos no âmbito da actividadelectiva. Especificando, 38,15% dos docentes referem que no âmbito da sua prática lectiva, promovemsempre a utilização da BE ou dos seus recursos nos trabalhos de pesquisa efectuados pelos alunos, 52,4%regularmente e apenas 9,55, ocasionalmente, o correspondente a 2 professores. Referem também,maioritariamente, que quando utilizam a BE ou os seus recursos, os seus alunos estão munidos dasindicações sobre a tarefa a executar e de sugestões de bibliografia a consultar, 57,1% sempre, 33,3%regularmente e 9,5%, ocasionalmente, o correspondente a 2 professores.Pontos fortes identificados- A BE apoia os docentes responsáveis pelas ACND, sobretudo ao nível das Áreas de Projecto e daFormação Cívica.- Os recursos da BE são bastante rentabilizados pelos docentes no âmbito da actividade lectiva.Pontos fracos identificados- A BE deverá consolidar a articulação com os docentes responsáveis pelo plano de OTE.- A BE deverá aumentar a produção, em colaboração com os docentes, de materiais e de sugestões deactividades e recursos que possam melhorar, enriquecer a OTE.A.1.6 Colaboração da BE com os docentes na concretização das actividades curriculares desenvolvidas noespaço da BE ou tendo por base os seus recursos.Evidências- O PAA da BE incluiu actividades diversificadas de apoio curricular junto de turmas, grupos e alunos, asquais foram desenvolvidas por sua iniciativa ou na continuidade da cooperação e diálogo estabelecidos comos docentes das diferentes áreas curriculares, conforme se poderá constatar, a partir da leitura da avaliaçãoglobal deste documento, realizada no final do corrente ano lectivo. As actividades desenvolvidas procuraramir também, ao encontro das necessidades e dos interesses dos alunos, no âmbito do desenvolvimento doapoio e da articulação curricular. Os registos de utilização da BE mostram que houve precisamente,relativamente às turmas que foram acompanhadas ao longo do ano lectivo pelo professor para usufruir doseu espaço, actividades e recursos, 128 actividades do Pré-Escolar e 1º ciclo (sete actividades por ano, porturma), 69 do 2º ciclo (nove actividades anuais por turma) e 121 (onze actividades anuais por turma) do 3ºciclo. No que se refere à vinda de alunos para a BE, em aula, mas sem professor a estatística de utilizaçãomostra que houve 43 registos de actividades, envolvendo um total de 191 em 146 alunos do 2º ciclo e 376registos de actividades, envolvendo um total de 1710 em 230 alunos do 3º ciclo. Igualmente bastantesignificativo, é o facto de 90,5% dos docentes referirem que já colaboraram com a professorabibliotecária/equipa na realização de actividades na BE ou em sala de aula com alguma turma/ grupo e aindao facto de 94,7% considerarem que o balanço que fazem da sua experiência de trabalho e de colaboraçãocom a BE é Muito Positivo e 5, 3% Positivo, neste último caso, o correspondente a 1 professor.- A BE participou em algumas actividades desenvolvidas na sala de aula, as quais foram solicitadas pelosdocentes ou sugeridas pela professora bibliotecária ou outros elementos da Equipa. As actividades foram aonível particularmente, da formação de utilizadores, do desenvolvimento da literacia da informação, daanimação da leitura e da escrita e entrega de prémios no âmbito de algumas das actividades promovidospela BE. Os docentes também utilizaram bastante, o espaço da BE, conforme já foi referido anteriormente,em actividades organizadas pela BE e em actividades solicitadas por estes, particularmente no âmbito dosDomínio A, B e C. Surgiu, inclusive, como necessidade, a realização de um agendamento semanal dasactividades/turmas que estavam ou requeriam o espaço da BE, de modo a não se sobrepor, no mesmohorário, demasiadas turmas. No caso do desenvolvimento da área curricular não disciplinar de ProjectoCientífico dos oitavos anos de escolaridade (envolveu os 8º A, B e C) os docentes responsáveis pela Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 6/58
  • 7. mesma, englobaram na sua planificação anual a articulação com a BE. No início do ano lectivo,conjuntamente com a professora bibliotecária, promoveram sessões na BE com vista ao desenvolvimento daliteracia da informação. Seguidamente, seleccionaram bibliografia específica, a partir do fundo documentalexistente na BE, para o tema a desenvolver e estabeleceram um horário semanal na BE para a pesquisa edesenvolvimento dos trabalhos dos alunos. No final do ano lectivo foi aplicada a grelha de análise dotrabalho escolar dos alunos (grelha T1), disponibilizada no âmbito do modelo de auto-avaliação da BE, cujosresultados revelaram que grande parte dos alunos desenvolveu a capacidade de identificar o problema, deaplicar estratégias de pesquisa de informação, de localizar outras fontes de informação, de utilizaradequadamente a informação, de organizar a informação e de proceder a uma avaliação do trabalho parapossíveis melhoramentos. Consultando os resultados da grelha TI, grelha de análise dos resultadosescolares, verifica-se que 48,4% dos alunos atingiram o nível de Muito Bom, 24,2% Bom e 27,4% Razoável,no que diz respeito à utilização de diferentes fontes de informação, impressas ou digitais.- A BE produziu ou colaborou com os docentes na elaboração de materiais didáticos, páginas de Internet,guiões de pesquisa, orientadores de leitura, maletas pedagógicas, dossiês temáticos, fichas de trabalho eoutros materiais formativos e de apoio às diferentes atividades. No âmbito da disponibilização de materiais, aBE reorganizou um espaço já existente, destinando-o exclusivamente aos docentes, no qual integrou umconjunto diversificado de recursos pedagógicos (fundo documental, dossiês temáticos e maletaspedagógicas), os quais estavam, anteriormente, menos visíveis do ponto de vista da sua divulgação.Saliente-se a propósito, que 42,9% dos docentes considera Muito Bom o nível de recursos da BE para oapoio da sua prática letiva, 52,4% Bom e apenas 4,8%, razoável, o correspondente a 1 professor.- A BE incentivou a leitura em ambientes digitais explorando as possibilidades facultadas pela WEB 2.0,através particularmente do seu Blogue, Site e da sua disciplina na plataforma Moodle, utilizando muitas dassuas ferramentas. Foram disponibilizadas diferentes fontes de informação, no âmbito das várias áreasdisciplinares e do desenvolvimento das competências de literacia da informação. No que se refereespecificamente ao seu Blogue, este melhorou consideravelmente a sua imagem, dinamização e aorganização dos seus conteúdos. Saliente-se a propósito, que para além da constante publicação demensagens (de Setembro a Junho foram feitas 91 publicações), particularmente no âmbito da divulgaçãodas atividades desenvolvidas, privilegiando todo o Agrupamento de Escolas de Boliqueime, foramintroduzidos muitos conteúdos e hiperligações à internet com fins pedagógicos, através nomeadamente daferramenta Diigo, seja no âmbito do interesse e das necessidades dos alunos como nas dos docentes e detoda a comunidade educativa. Também foram utilizadas, regularmente, algumas das ferramentas da Web 2.0como o Slideshare, Picturetrail, o canal da BE/CRE no Youtube e o Calaméo. Igualmente relevante foi acriação do Blogue “Leituras e Aventuras” http://leiturasaventuras.blogspot.com/, em articulaçãoparticularmente com a área disciplinar de Língua Portuguesa, a partir do qual os alunos puderam verpartilhadas as suas leituras e publicados os seus trabalhos. Refira-se, no entanto, que apesar do mesmo sertambém extensivo ao 3º ciclo, foram, contudo, mais os alunos e docentes de língua portuguesa do 2º cicloquem mais o explorou e dinamizou. De salientar, no entanto, que a turma do 8º A, na disciplina de FormaçãoCívica, integrou também o enriquecimento deste Blogue, no âmbito do seu projeto “Biblioteca de Turma.Pontos fortes identificados- A BE tem, no geral, uma boa equipa multidisciplinar, necessitando apenas de, pelo menos, um docente queleccione no 3º ciclo a área disciplinar de Língua Portuguesa.- A BE tem um bom nível de cooperação e de diálogo com a maioria dos docentes.- Os recursos da BE são bastante rentabilizados pelos doentes no âmbito da sua actividadeeducativa/lectiva.- A BE difunde online um conjunto diversificado de materiais de apoio para as várias áreas curricularesdisciplinares.Pontos fracos identificados- A BE deverá continuar a investir nas actividades de formação, junto dos docentes, com vista a uma maioraplicação junto dos alunos do Programa Concelhio de Desenvolvimento das Competências de Literacia daInformação, Tecnológica e Digital.- A BE necessita de incluir na sua equipa, pelo menos, um docente do 3º ciclo proveniente da área disciplinarde Língua portuguesa que possa garantir uma maior articulação com esta área disciplinar, ao nívelparticularmente deste nível de ensino. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 7/58
  • 8. A.2 Promoção das literacias da informação, tecnológica e digitalA.2.1 Organização de actividades de formação de utilizadoresEvidências- A BE incluiu no seu PAA e organizou no início do ano lectivo com a maioria dos professores titulares daturma, no caso do 1º ciclo, e com os directores de turma, no caso do 2º e 3º ciclo, um calendário de sessõesde formação de utilizadores com as respectivas turmas, com o intuito de promover o valor da BE, motivarpara a sua utilização, esclarecer sobre as formas como está organizada e ensinar a utilizar os diferentesserviços, nomeadamente como está organizado e classificado o seu fundo documental e como poderá serconsultado online. Os questionários aplicados aos alunos mostram que 83,3% refere já ter participado emactividades para aprender a usar a BE. Dos alunos que afirmaram já ter participado numa actividade deformação, 98,9% afirmaram sentir-se mais à vontade para usar a BE e apenas 1,1% não, o correspondente a1 aluno. Nos questionários aplicados aos docentes verifica-se, no entanto, que 47,6% dizem ter participadoem actividades de formação de utilizadores, verificando-se assim que 52,4% dizem não ter participado ainda.- A BE disponibilizou no seu espaço um computador só para a consulta do catálogo existente na mesma eincentivou à sua consulta através também do seu Blogue. Uma das tarefas dos Monitores da BE consistiuprecisamente na explicação junto dos utilizadores como deveriam proceder para procurar um documento nocatálogo da BE e no catálogo da rede concelhia.- A BE produziu materiais informativos e lúdicos de apoio à formação de utilizadores, tendo disponibilizadouma brochura informativa e apresentado nas sessões de formação um PowerPoint e um pequeno filmealusivo à mesma. Também expôs junto às várias estantes da BE, de uma forma apelativa, a explicação dasvárias classes que compõem a Classificação Decimal Universal (CDU), a partir da qual é feita a catalogaçãodo fundo documental e por consequência a sua arrumação. Todos estes materiais estão disponíveis naPágina Web, no Blogue e na Plataforma Moodle.Pontos fortes identificados- A BE aprovou em Conselho Pedagógico um plano articulado e progressivo, ao longo dos vários anos/ciclos,para o desenvolvimento das competências de informação.- A BE articula com os docentes responsáveis pelas áreas de projecto e/ou apoio ao estudo acompanhado, aintegração do ensino de competências de informação nestes domínios a apoia o trabalho escolar emalgumas áreas disciplinares em que é solicitada.- A BE produziu e partilhou materiais apelativos, no âmbito da formação de utilizadores.Pontos fracos identificados- A BE deverá alargar as sessões de formação de utilizadores e de promoção das literacias da informação,tecnológica e digital, a todos os professores.A.2.2 Promoção do ensino em contexto de competências de informaçãoEvidências- A BE propôs e aprovou no início do ano lectivo, em Conselho Pedagógico, no dia 9 de Novembro de 2010,o Guião de Pesquisa de Informação BIG SIX e o Programa Concelhio de Desenvolvimento das Literacias daInformação, Tecnológica e Digital com o intuito de motivar, informar e orientar a prática docente no âmbito dapromoção e desenvolvimento destas Literacias.- A BE realizou actividades de formação de utilizadores e de promoção das Literacias da Informação,Tecnológica e Digital com todas as turmas do 4º ano do 1º ciclo e nas áreas curriculares não disciplinarescom as turmas do 2º e 3º ciclo, tendo apresentado o Guião de Pesquisa aprovado em Conselho Pedagógico.Quando inquiridos 25% dos docentes afirma utilizar o Guião de Pesquisa usado pela BE e 43,8% utiliza umGuião de Pesquisa produzido por si, o que suscita alguma incompreensão, na medida em que o Guião BIGSIX apresentado e aprovado em Conselho Pedagógico, pressupondo-se a sua divulgação e aplicação juntodos docentes dos diferentes departamentos curriculares, alguns dos docentes. No entanto, ao invés, nosquestionários aplicados aos alunos, 83,3% referem já ter participado em actividades para aprender a usar aBE: localização dos livros, fazer pesquisas, outros… e ainda mais relevante é o facto de 93,5% referirem queo trabalho na BE contribuiu para que se sentissem mais seguros e confiantes nas tarefas de pesquisa, Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 8/58
  • 9. consulta e produção de informação.- A BE produziu e divulgou materiais de apoio à exploração de recursos da informação e ao desenvolvimentodas competências da Literacia da Informação, através nomeadamente do “Dossier do Aluno” e de váriosPowerPoints que foram disponibilizados através do Blogue, do Site e da disciplina Moodle da BE/CRE.- A BE desenvolveu no seu espaço físico o Programa “As TIC na BE”, o qual estabeleceu e permitiu umaactividade de articulação muito interessante entre os alunos do 8º C e uma turma do 4º ano da EBI deBoliqueime, tendo a mesma visado o desenvolvimento de algumas competências básicas no contexto dasliteracias da informação. Nesta actividade os alunos mais velhos acompanharam, orientaram e ajudaram,utilizando os computadores da BE, os alunos mais novos nas pesquisas e na elaboração dos seus trabalhosem Word ou PowerPoint.- A BE promoveu ao longo do 2º e 3º período a actividade: Concurso “Ciência na BE – Inspector CSI (Centrefor Study and Investigation) ” dirigido aos alunos do 1º, 2º e 3º ciclo, o qual visou promover a pesquisa e ogosto pela ciência. Foram colocados num painel apelativo preparado para o efeito, desafios associados aquestões na área das ciências naturais e da matemática aplicada. Participaram 60 alunos dos vários ciclosde escolaridade.Pontos fortes identificados- A BE tem um plano articulado e progressivo (ao longo dos vários anos/ciclos de escolaridade) para odesenvolvimento das competências de informação, designado por “Programa de Desenvolvimento dasLiteracias da Informação, Tecnológica e Digital”.- A Equipa da BE participa, em cooperação com os docentes, nas actividades de ensino de competências deinformação com turmas/ grupos/alunos.Pontos fracos identificados- A BE necessita de investir, ainda mais, em actividades de formação, junto dos docentes, de modo a quetodos possam usar o Guião de Pesquisa BIB SIX, como instrumento de apoio, no âmbito dos trabalhos depesquisa que solicitam aos alunos.A.2.3 Promoção do ensino em contexto de competências tecnológicas e digitaisEvidências- A BE promoveu a actividade “Sabias que…?”, a qual consistiu na divulgação semanal de pequenaspesquisas, associadas a curiosidades científicas, tendo as mesmas estado a cargo dos alunos das 3 turmasdo 9º ano, no âmbito da disciplina de Físico – Química. As pesquisas depois corrigidas pela docenteresponsável, elemento também da equipa da BE, foram colocadas, ao longo do ano lectivo, em PowerPointsque podiam ser continuamente visualizados por todos os utilizadores da BE, a partir de um LCD oferecidopela Fundação Jack Petchey à BE. Este recurso tecnológico foi utilizado também, na divulgação de outrasactividades da BE/Escola/Agrupamento.- A BE desenvolveu no âmbito da área de projecto “As TIC em Acção” um trabalho colaborativo com oprofessor de TIC e com a turma do 8º A, a partir do qual foram criados diferentes cartazes para a divulgaçãoda actividade “Queres ser Monitor da BE?” bem como, os cartões de identificação dos Monitores da BE.Esta turma também criou vários cartazes com vista à divulgação da Semana da Leitura, tendo um deles sidoenviado para o concurso do PNL, “O Cartaz da minha escola”. Esta turma participou ainda, no concurso“Camões, um Poeta Genial”, dinamizado pela Associação Casa-Memória de Camões em Constância, coma criação/dinamização do blogue: http://luisdecamoesaab.blogspot.com/- A BE realizou algumas acções dirigidas às necessidades de formação dos docentes e alunos no domínioda literacia tecnológica e digital, as quais foram desenvolvidas de forma informal e consoante adisponibilidade dos docentes interessados, do professor de TIC e da professora bibliotecária. Estas acçõesestiveram associadas, essencialmente, à utilização dos quadros interactivos, à administração de um bloguee à utilização de ferramentas da WEB 2.0, como o Calaméo, Slideshare e Picturetrail. A criação edinamização do Blogue “Leitura e Aventuras” http://leiturasaventuras.blogspot.com/ é uma das evidências aeste nível, dado que a BE apoiou, em grande medida, as docentes responsáveis pelo mesmo, ajudando-asna selecção e utilização dos recursos electrónicos e media.- A BE colaborou na dinamização ou divulgação de actividades de educação para e com os media tendo:.Comemorado, conjuntamente, com os professores de TIC, o dia da Internet Segura, no decorrer do qual foi Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 9/58
  • 10. projectado um filme alertando para os perigos da Internet. Na continuidade desta problemática, publicoumais tarde, no Site da BE, um filme sobre o Cyberbullying;. Publicado no Site da BE um guia desenvolvido em HTML5, pela Google, o qual ajuda a perceber comofuncionam os navegadores (browsers) e a Internet;. Disponibilizado no seu site ebooks gratuitos;. Publicado um filme sobre a história do ebook e na sua continuidade, um estudo recente, segundo afacilidade de leitura no e-readers;. Disponibilizado o conversor Lince e o novo Vocabulário Ortográfico do Português, através do Portal daLíngua Portuguesa.. Sensibilizado e divulgado o Sítio do Projecto ALEA - Acção Local Estatística Aplicada, no âmbito daEducação, da Sociedade da Informação, da Informação Estatística, da Formação para a Cidadania e daLiteracia Estatística, por dar um excelente contributo no âmbito da elaboração e disponibilização deinstrumentos de apoio ao ensino da Estatística, tanto para os alunos como para os professores do EnsinoBásico e Secundário. Esta divulgação também foi feita, de um modo muito particular, junto dos professoresdo Departamento de Matemática e Ciências Experimentais.Pontos fortes identificados- A BE oferece um nível muito bom de incorporação das TIC nos serviços informativos e educativos.- A BE está implicada nas políticas, projectos e planos existentes na escola/agrupamento na área das TIC eda gestão de informação.Pontos fracos identificados- A BE necessita de continuar a investir na articulação com as áreas de carácter transversal que possamfomentar a comunicação através das TIC.A.2.4 Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação dos alunosEvidências- Tomando como evidências muitas das actividades já referidas nos anteriores pontos, a BE contribuiu deforma muito positiva, nuns casos, e positiva noutros, para a utilização por parte dos alunos, consoante o seuano/ciclo de escolaridade, de linguagens, suportes, modalidades de recepção e de produção de informaçãoe formas de comunicação variados. Refira-se, no entanto, que a BE/Equipa contínua ciente de há aspectosonde obviamente deverá continuar a investir, de modo a contribuir, de forma ainda mais significativa, para osucesso educativo e para a promoção da aprendizagem ao longo da vida dos seus alunos. Especificando,através das evidências que emergem dos questionários aplicados aos docentes: relativamente àclassificação, em geral, das competências para o uso autónomo da BE ou dos seus recursos, por parte dosseus alunos, 42,9% dos inquiridos consideram Boas e 47, 6% Médias e 9,5% Fracas. Na continuidade destaquestão, 52,4% dos inquiridos considera que os seus alunos têm Boas competências para o uso das TIC e42,9% Médias e 4,8% Fracas, o correspondente a 1 docente. Estes consideram também, que 52,4% dosseus alunos têm Boas competências para explorar diferentes materiais (livros, CD, DVD, Internet), 42,9%Médias e 4,8% Fracas. O mais relevante prende-se contudo, com o facto de os docentes valorizarem, deforma bastante positiva, o contributo dado pela BE para o desenvolvimento deste tipo de competências, namedida em que 57,1% avalia como Muito Bom, 38,1% como Bom e 4,8% como Razoável. Esta avaliaçãofica ainda mais evidente nos resultados apresentados nos questionários dos alunos, dado que no queconcerne à realização dos trabalhos de pesquisa, 95,4% considerou que progrediu, à medida que foirealizando mais trabalhos na BE ou utilizando os seus recursos, nas várias disciplinas/áreas curriculares eapenas 4,6% considerou que não. Igualmente importante, foi o facto de 96,3% dos alunos, consideraremsentir-se apoiados pela professora bibliotecária/equipa da BE e 3,7% não, quando necessitam de localizarlivros, fazer pesquisas ou outras actividades na BE.- Conjuntamente com as informações bastante positivas que foram sendo dadas, informalmente, pelos doisdocentes responsáveis pelo desenvolvimento, na BE, em área projeto, relativamente à evolução dos alunosenvolvidos no Projecto Científico das turmas A, B e C do 8º ano, foram, igualmente relevantes, os resultadosda Grelha de Análise de Trabalhos Escolares dos Alunos (T1), a eles aplicada, no final do ano lectivo, tendo-se registado as seguintes evidências:. 48,4% Utiliza Muito Bem diferentes fontes de informação, impressas ou digitais, 24,2% Bem e 27,4%Razoavelmente;. 56,5% Selecciona Muito Bem a informação relevante de acordo com a tarefa/tema abordado, 27,4%Razoavelmente e 16,1% Bem;. 56,5% Combina Muito Bem de forma adequada a informação recolhida em diferentes fontes, 24,2% Bem e Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 10/58
  • 11. 19,4% Razoavelmente;. 56,5% Distingue Muito Bem entre facto e opinião, 27,4% Razoavelmente e 16,1% Bem.. 48,4% Compara, avalia e produz argumentos e pontos de vista Muito Bem, revelando espírito crítico, 27,4%Razoavelmente e 24,2% Bem;. 56,5% Aprofunda Muito Bem, por sua própria iniciativa, a tarefa inicialmente proposta, 19,4%Razoavelmente, 16,1% Bem e 8,1% de forma Fraca;. 56,5% Selecciona Muito Bem o estilo apropriado de acordo com o tipo de trabalho e os destinatários, 24,2%Razoavelmente e 19,4% Bem;. 56, 7% Utiliza Muito Bem imagens com critério, devidamente relacionadas com os conteúdos e legendadas,24,2% Razoavelmente e 16, 1% Bem;. 56,5% Organiza Muito Bem o documento de acordo com um índice ordenado de que fazem parte umaintrodução, um desenvolvimento (eventualmente dividido em partes ou capítulos) e uma conclusão, 27,4%Razoavelmente e 16,1% Bem.. 56,5% Recorre Muito Bem, sempre que necessário, à inclusão de notas, ligações para páginas Web ouanexos, devidamente sinalizados, 19,4% Razoavelmente, 16,4% Bem e 8,1%, de forma Fraca..33,9% Regista Muito Bem, as referências dos documentos utilizados numa bibliografia, 38,7% Bem, 27,4%,de forma Fraca..Selecciona as modalidade de apresentação da informação mais adequada aos fins a que se propõe –apresentação electrónica, portefólio, trabalho escrito, cartaz, registo sonoro, vídeo, outros, 27,4% Bem e16,1% Razoavelmente.. 56,5% Manifesta Muito Bem, criatividade e proficiência técnica na exploração das ferramentas necessáriasà produção multimédia, 27,4% Razoavelmente e 16,1% Bem.- Para finalizar este ponto, é de salientar, no âmbito dos resultados dos questionários aplicados aos alunos,que 91,7% dos inquiridos considerou que o trabalho da BE ou tendo por base os seus recursos, contribuiupara que se sentisse mais seguro e confiante nas tarefas de pesquisa, consulta e produção de informaçãoque tinha de realizar. Apenas 7,5% considerou que não ajudou.Pontos fortes identificados- A grande maioria dos alunos diz já ter participado em actividades para aprender a usar a BE, ao nívelnomeadamente, da localização de livros e da realização de pesquisas e que estas os ajudaram a sentir-mais à vontade quando utilizam a BE.- A grande maioria dos alunos valorizou, fortemente, o apoio dado pela professora bibliotecária/equipa da BEquando utilizaram a BE.- A grande maioria dos alunos considerou que à medida que foi realizando mais trabalhos na BE ouutilizando os seus recursos, nas várias disciplinas/área curriculares, foi fazendo progressos e os seustrabalhos foram melhorando.- A grande maioria dos alunos valorizou, de forma bastante significativa, o trabalho na BE e os seusrecursos, pois considerou que esta contribuiu, em grande medida, para que se sentissem mais seguros econfiantes nas tarefas da pesquisa, consulta e produção de informação.- Os docentes valorizam, de forma bastante positiva, o contributo dado pela BE, no que concerne aodesenvolvimento nos seus alunos ao nível das competências associadas ao uso autónomo da BE e dos seusrecursos, ao uso das TIC, à exploração de diferentes materiais e à elaboração/ apresentação dos trabalhos.Pontos fracos identificados- A BE deverá reforçar a articulação da BE com as áreas de projecto e ou outras áreas transversais quepossam fomentar a utilização contextualizada das TIC.- A BE deverá aumentar a articulação entre esta e o trabalho de sala de aula, sobretudo no que se refere àaplicação, por todos os docentes, do modelo de pesquisa adoptado pela escola/agrupamento.- Incentivar a formação dos docentes, nomeadamente os da equipa da BE, na área das TIC e da literacia dainformação, tecnológica e digital.A.2.5 Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e àaprendizagem ao longo da vida.Evidências Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 11/58
  • 12. - Tomando em consideração que o agrupamento tem um total de 807 alunos e que 490 é que estãodiariamente na escola sede, durante o período diurno, constatou-se, a partir da estatística do módulo decirculação da BE, que entraram na BE, ao longo do ano lectivo, 27369 alunos, mais 3451 alunos, do que noano lectivo passado. Saliente-se a propósito que o número poderia ser ainda maior, se o contador deentradas tivesse sido sempre accionado, o que não acontecia, por vezes, devido ao facto da AssistenteOperacional estar a dar resposta a outras solicitações emergentes, por parte particularmente, dos outrosalunos e/ou professores.- Nos questionários aplicados aos alunos, verificou-se que 54,6% costuma frequentar uma ou duas vezes porsemana a BE, 14,8% uma ou duas vezes por mês, 13% todos os dias, 5,6% muito raramente e 1,9% deforma irregular ou nunca. Depois, relativamente às situações em que mais utilizam a BE ou os seus recursosnas suas actividades escolares, 64,5% referem que vão sozinhos ou com colegas, para fazer trabalhos -TPC ou outros, 24,0% vão com a turma e o professor, em actividades das disciplinas/áreas curriculares,8,3% quando um professor falta, em actividade de substituição e finalmente 0,8% em aula de apoio.- Ainda no que diz respeito aos alunos, no tocante à revelação de valores de cooperação, autonomia eresponsabilidade, conformes a uma aprendizagem autónoma, activa e colaborativa, 91,7% dos alunosconsiderou que os trabalhos de pesquisa realizados na BE ou a utilização dos seus recursos contribuírampara o desenvolvimento da sua capacidade de iniciativa, autonomia e cooperação com os colegas. Apenas8,3% dos alunos considerou que não. Igualmente relevante foi o facto destes alunos se mostrareminteressados em continuar a aprender e aprofundar mais conhecimentos. Especificando, 32,8% consideramimportante, saber mais, relativamente à forma como devem apresentar um trabalho em Word, PowerPoint,Movie Maker, outros, 21,9% como é que devem organizar um trabalho, 16,8% como encontrar melhorinformação na Internet, 16,1% como fazer trabalhos de pesquisa e finalmente, 12,4% como encontrar ainformação de que precisam nos livros.- Insere-se também neste ponto, o facto de a BE ter lançado, este ano lectivo, pela 1ª vez a actividadeMonitores da BE, a qual conforme, já foi referida no ponto A.1.4, se revelou extremamente rica do ponto devista da Educação para a Cidadania, chamando nomeadamente a atenção, para a importância doVoluntariado. Esta actividade teve alguma adesão por parte dos alunos, na medida em que se inscreveram5% dos alunos da EBI de Boliqueime, esperando-se que a mesma, no próximo ano lectivo, possa vir aaumentar. Aderiram, essencialmente, alunos do 2º e 3º ciclo, tendo sido alguns dos alunos mais jovens,quem mais se destacou, por revelar precisamente, altos valores de cooperação, autonomia eresponsabilidade, conformes a uma aprendizagem autónoma, activa e colaborativa. Estes alunos forampremiados, no final do ano lectivo, com livros e diplomas e valorizados, como exemplo a seguir, em contextode sala de aula, com a Directora de Turma, em Conselho de Turma de Avaliação e ainda através dapublicação de uma mensagem no Blogue da BE.- Para terminar, é de salientar que nos questionários aplicados aos docentes, 95,2% considera que a BEinfluenciou Muito os seus alunos, no que concerne ao desenvolvimento de valores e atitudes de convivência,iniciativa, cooperação e autonomia.Pontos fortes identificados- A grande maioria dos alunos vai à BE, durante a semana, sozinho ou com colegas, para fazer,essencialmente, os seus trabalhos de pesquisa ou os TPC.- A BE proporciona aos alunos a possibilidade de participarem, voluntariamente, na vida da BE através deuma forma activa e interventiva, criando para o efeito, um grupo de Monitores. A partir desta actividade, osalunos puderam desenvolver e partilhar com os demais colegas, competências associadas ao bomatendimento dos utilizadores da BE e à boa gestão/organização dos seus recursos, tanto no que diz respeitoao fundo documental, como aos seus recursos tecnológicos e digitais.- A BE favorece, fortemente com o seu trabalho o desenvolvimento visível nos seus alunos de um leque devalores e de atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida.Pontos fracos identificados- A BE poderá mobilizar a escola para a criação e aplicação de um código de conduta, coerente e deaplicação generalizada.Quadro SínteseA. Apoio ao desenvolvimento curricular Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 12/58
  • 13. Motivo da escolha do domínioTomando como referência os resultados da auto-avaliação da BE do ano lectivo passado, optou-se pelaescolha do domínio A - Apoio ao Desenvolvimento Curricular com o intuito de melhorar o trabalho já iniciadoa este nível e de aferir quais os aspectos onde se tornava ainda necessário continuar a investir, de modo amelhor potenciar a ligação do trabalho da BE à sala de aula, ao desenvolvimento das diferentes literacias e àsustentabilidade das aprendizagens curriculares. A escolha teve ainda como base, o plano anual deactividades e o projecto educativo de agrupamento, documentos orientadores onde se verifica que há umaclara opção pela gestão curricular e uma atenção crescente pela prática escolar e pelo apetrechamento dosalunos com instrumentos cognitivos de análise, reflexão, pesquisa, aprendizagem e produção doconhecimento, ao nível das diferentes áreas curriculares.Nível obtido--Acções para melhoria- Reforçar a articulação entre a BE e o trabalho de sala de aula, sobretudo no que se refere à aplicação portodos os docentes do modelo de pesquisa adoptado pela escola/agrupamento.- Aumentar a realização de acções de formação, de acordo com o levantamento das necessidadesformativas dos docentes ao nível nomeadamente, da Web 2.0.- Incentivar a formação dos docentes e da equipa da BE na área das TIC e da literacia da informação.- Incluir na equipa da BE um docente, pelo menos, do 3º ciclo, proveniente da área disciplinar de LínguaPortuguesa, que possa garantir uma maior articulação com esta área, ao nível particularmente deste nível deensino.- Consolidar a comunicação com os docentes dos apoios educativos, de modo a facilitar, ainda mais, aactualização e adequação dos recursos às necessidades dos alunos com NEE.ObservaçõesEmbora os resultados da Auto-Avaliação da BE/CRE, no Domínio do Apoio à Articulação Curricular, tenhamsido, de um modo geral, largamente valorizados pelos alunos e professores e a maioria dos seus factorescríticos de sucesso, tenham sido atingidos, muitos deles com percentagens elevadas, pena é, que o modelopermita, apenas, a atribuição de 4 níveis e que para se ter Muito Bom, a BE/CRE tenha que ter umdesempenho com um nível de excelência, dificilmente atingível, num agrupamento de escolas com 807alunos, em horário nocturno e diurno, que a ter de existir poderia ser o nível 5, ou seja, o Excelente. Énatural, que num processo de auto-avaliação, credível, possam ser detectados aspectos menos fortes e queos mesmos possam ser o ponto de partida para a execução de acções de melhoria. Tomando esta reflexãoem consideração, só poder atribuir o nível de Bom à BE/CRE do Agrupamento de Escolas de Boliqueime,depois de tanto esforço, empenho, dedicação e trabalho efectivo, em prol do Apoio à Articulação Curricular,é no mínimo injusta.Nível obtido--Acções para melhoria- Aumentar as actividades de formação dirigidas aos docentes, para que possam usar mais o Guião dePesquisa BIG SIX e colaborar no desenvolvimento do Programa de Desenvolvimento das Competências deLiteracia da Informação, Tecnológica e Digital.- Consolidar as acções de planeamento antecipado com os docentes, no que concerne ao trabalho depesquisa a realizar com os alunos, tendo como orientação o modelo de pesquisa de informação BIG SIX.- Continuar a investir na articulação com as áreas de projecto e outras áreas de carácter transversal quepossam fomentar a comunicação através das TIC.ObservaçõesEmbora os resultados da Auto-Avaliação da BE/CRE, no Domínio do Apoio à Articulação Curricular, tenhamsido, de um modo geral, largamente valorizados pelos alunos e professores e a maioria dos seus factorescríticos de sucesso, tenham sido atingidos, muitos deles com percentagens elevadas, pena é, que o modelopermita, apenas, a atribuição de 4 níveis e que para se ter Muito Bom, a BE/CRE tenha que ter um Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 13/58
  • 14. desempenho com um nível de excelência, dificilmente atingível num agrupamento de escolas com 807alunos e 84 professores, em horário nocturno e diurno. É natural, que num processo de auto-avaliação,credível, possam ser detectados aspectos menos fortes e que os mesmos possam ser o ponto de partidapara a execução de acções de melhoria. Tomando esta reflexão em consideração, só poder atribuir o nívelde Bom à BE/CRE do Agrupamento de Escolas de Boliqueime, depois de tanto esforço, empenho, dedicaçãoe trabalho efectivo, em prol do Apoio à Articulação Curricular, é no mínimo injusta.Fontes de evidênciasNeste item pode transcrever/ incluir excertos de diferentes documentos.Limite máximo de 1500 carácteres.Documentos de gestão da Escola/ Agrupamento(Projecto Educativo, Projecto Curricular, Plano de Acção, Regulamento Interno, Plano Anual de Actividades, relatórios de avaliação, currículos profissionais da equipa da BE,outros.)--Documentos pedagógicos da Escola/Agrupamento(Planificações dos departamentos, ACND, AEC, SAE, PTE-TIC, OTE, projectos curriculares das turmas, orientações/ recomendações do CP, trabalhos de alunos, resultadosde avaliação dos alunos, outros)--Documentos de Gestão da BE(Plano de Acção, Plano Anual de Actividades, acordos de parceria, Política de Desenvolvimento da Colecção, Manual de Procedimentos, Regimento, horário, relatórios,plantas, inventários, outros)--Documentos de funcionamento e dinamização da BE(Actas/ registos de reuniões/ contactos, registos de projectos/ actividades realizados, estatísticas da BE, materiais de apoio produzidos e editados, catálogo e outrasferramentas utilizadas, resultados de avaliação da colecção, outros)-- Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 14/58
  • 15. Perfis de desempenhoA.1 Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisãopedagógica e os docentesA1.1 A BE:3. Articula com alguma regularidade com as estruturas de coordenação educativa e de supervisãopedagógica, com destaque dos Departamentos.A1.2 A BE:3. Apoia muitos docentes responsáveis pelas ACND.A1.3 A BE:4. Assegura uma importante actividade de suporte junto dos docentes responsáveis pelos apoios educativos.A1.4 A BE:3. Participa no PTE e no desenvolvimento de alguns dos programas e projectos existentes na escola.A1.5 A BE:3. Integra o plano OTE dando resposta, sempre que solicitada, às necessidades da escola para actividadesde substituição.A1.6 Os recursos da BE são rentabilizados pelos docentes no âmbito da actividade educativa/lectiva:3. Bastante: 60 a 79% dos docentes recorrem à BE e aos seus serviços.A1.7 A BE:4. Produz e difunde um conjunto diversificado de materiais de apoio para as diferentes actividades.A.2 Promoção das literacias da informação, tecnológica e digitalA2.1 A BE organiza:3. Actividades de formação de utilizadores com algumas turmas/ grupos, em função de necessidadesdetectadas.A2.2 A BE fomenta o ensino em contexto das competências de informação:3. Articula com os docentes das ACND, AE e de algumas áreas disciplinares ou de conteúdos, em que ésolicitada: 60 a 79% dos docentes articulam com a BE.A2.3 A BE:3. Apoia algumas acções promotoras do uso das TIC e da Internet.A2.4 A BE tem impacto nas competências tecnológicas, digitais e de informação dos alunos:4. Grande: 80% ou mais detém excelentes competências nestes domínios.A2.5 A BE favorece com o seu trabalho o desenvolvimento de um leque de valores e de atitudesindispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida:4. Visível em 80% ou mais dos alunos. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 15/58
  • 16. Secção BDomínio B. Leitura e literaciaB.1. Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola/agrupamento.Relatório de avaliação-A BE disponibilizou uma colecção variada e adequada aos interesses e necessidades dos utilizadores.- A BE incentivou o empréstimo domiciliário, informando os seus utilizadores, regularmente, das obras queiam sendo adquiridas.De acordo com os resultados das estatísticas de requisição domiciliária, no que concerne aos documentosimpressos, foram feitas 9530 requisições, o que dá uma média de anual de 10,1, por utilizador, sendo queestão registados 943 utilizadores no serviço de empréstimo domiciliário. De salientar também, que no anolectivo passado a BE tinha um total de 715 leitores (alunos, professores e funcionários) e que, este anolectivo, passou para um total de 943 leitores. Mais se acrescenta que a BE teve um total de nº deempréstimos domiciliários (documentos impressos, áudio, vídeo e multimédia) de 10032 o que dá uma médiaanual, por utilizador, de 10, 6 empréstimos. Tomando em consideração que no ano lectivo passado, segundoa Base de Dados da RBE, a taxa nacional foi de 1,82 por utilizador e a concelhia de 3,90, a BE doAgrupamento de Escolas de Boliqueime, ultrapassou largamente estes resultados.- A BE procurou estar atenta aos seus novos públicos, nomeadamente, aos alunos do CEF, os quaiscostumam frequentá-la, de um modo geral, diariamente, para a leitura informal, para a utilização da zonamultimédia e para a realização de trabalhos. Saliente-se a propósito, que a BE também procurou enriquecero seu fundo documental, de acordo com as necessidades dos CEFs leccionados na EBI de Boliqueime(Cozinha e Serviço de Bar).- A BE desenvolveu, ao longo do ano lectivo, um trabalho sistemático com vista ao desenvolvimento do PNL,através dos (as) seguintes Projecto/Actividades e Estratégias:. Planificação/articulação, regularmente, com os docentes de actividades a desenvolver na BE ou na sala deaula, no âmbito do PNL;. Continuação da organização e disponibilização de um dossier com instrumentos pedagógicos de apoio àexploração de obras do PNL para o Pré-Escolar, 1º,2º e 3º ciclo;. Elaboração de fichas lúdico-didácticas para as aulas de substituição, a partir de algumas obras do PNLreferenciadas para o 2º e 3º ciclo, obras estas disponíveis em conjuntos de 12 exemplares para a leituraorientada.. Disponibilização em suporte informático de instrumentos pedagógicos para a exploração de obras PNL, naPlataforma Moodle do Agrupamento, na disciplina destinada à BE/CRE;. Promoção, semanal, de sessões de Hora do Conto, de Leitura Oral Expressiva ou de Oficinas de Escrita naBE ou nas salas de aula, com todos os alunos do 1ºciclo da escola sede, tendo sido estabelecido um dia porsemana e um horário para cada uma delas;. Animação da Leitura e da Escrita, 1x por mês, com cada uma das turmas do 4º ano, do 1º ciclo das escolaspolo e com cada um dos grupos de crianças dos 4 Jardins de Infância que integram o agrupamento, umavez, que só foi possível, por parte do transporte da CML, proporcionar a vinda destes grupos à escola sede,com esta regularidade.. Promoção do empréstimo domiciliário envolvendo, de um modo especial, os alunos do 1º ciclo das escolaspólo, com a actividade “Ler em casa é bom!” e ainda as crianças dos Jardins Infância com a actividade a“Leitura em Vai e Vem”- actividades motivadas pela BE mas dinamizadas na turma com a ajuda do professor(a), tendo comorecurso os livros da BE/CRE, com o objectivo de promover e de aumentar a leitura dos alunos, no contextofamiliar (em ambas as actividades os livros foram devidamente transportados e acondicionados em caixascompradas e decoradas para o efeito);. Exposições na BE, ao longo do ano lectivo, de trabalhos elaborados pelos alunos, de escrita ou deexpressão plástica (invenção, reconto e lustração de histórias originais ou a partir de outras de diferentesautores);. Divulgação no Blogue da BE, no Sítio Electrónico e no Jornal Escolar do Agrupamento, ao longo do anolectivo, de actividades e de trabalhos desenvolvidos no domínio da escrita e das literacias, tanto ao nível dosalunos da escola sede como das crianças do Pré-Escolar e dos alunos do 1º ciclo das escolas pólo; Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 16/58
  • 17. . Criação do Blogue “Leitura e Aventuras” em articulação com as duas docentes de língua portuguesa do 2ºciclo para a publicação e divulgação de trabalhos elaborados pelos alunos no âmbito da promoção da leiturae da escrita.. Desenvolvimento de diferentes actividades, ao longo do ano lectivo, envolvendo idosos oriundos da Sta.Casa da Misericórdia de Boliqueime e do Centro Comunitário de Vale Silves e os alunos do pré-escolar,1º e2º ciclo, com o objectivo de divulgar, valorizar e preservar o Património Tradicional Oral e Cultural Português;. Realização da Semana da Leitura, envolvendo todo o agrupamento de escolas;. Realização de uma Feira do livro na Semana da leitura, extensiva a toda a comunidade educativa;. Realização do Concurso Nacional de Leitura do PNL, no qual participaram as turmas do 8º e 9º ano, tendosido apurados 3 alunas, embora posteriormente só tivessem participado duas delas, na 1ª fase desteconcurso, cuja realização foi na Biblioteca Municipal de Faro;. Participação no Concurso “Quem conta um Conto… acrescenta um Ponto”, uma iniciativa do Jornal SOL edo PNL, a qual envolveu todas as turmas do 2º ciclo, tendo sido enviados 2 trabalhos, um de um aluno do 5ºe outro do 6º;. Participação no Concurso PNL “Faça lá um Poema”, envolvendo os alunos e docentes de línguaportuguesa do 2º ciclo, tendo sido enviado um trabalho;. Participação no Concurso do PNL “O Cartaz da Minha Escola” no âmbito da Semana da Leitura, emarticulação com o professor de TIC e os alunos do 8º A;. Participação no Concurso PNL “Camões um Poeta Genial”, envolvendo o professor de TIC e os alunos do8º A;. Promoção do Concurso de Leitura Oral, Expressiva em Língua Portuguesa e Estrangeira, numa articulaçãocom o Departamento de Línguas, o qual envolveu os alunos do 2º e 3º ciclo;. Encontros na BE com os escritores: Rita Sobral, Lídia Jorge, Fábio Ventura, José Viale Moutinho e osilustradores Cátia Viegas e José Carlos Fernandes;De acordo com as estatísticas de registo de atividades de promoção da leitura e da escrita foramdesenvolvidas, ao longo do ano lectivo, cerca de 128 sessões, as quais integraram a “Hora do Conto”,Dramatizações e a “Animação da Leitura/Escrita”, envolvendo turmas do Pré-Escolar, do 4º ano dasEscolas Pólo e de todo o 1º ciclo da escola sede de Boliqueime. No que concerne aos alunos do 2º e 3ºCiclo, estes também integraram esta estatística, em actividades/projectos específicos, como “Os Contos doMago”, a “Semana da Leitura”, “O Concurso de Leitura Oral Expressiva em Língua Portuguesa,Estrangeira e Português de Língua Não Materna”, “Da Obra da escritora Lídia Jorge “Instrumentalina” aoAlgarve Rural”, os “Os Lusíadas contados às Crianças”, etc..- A professora bibliotecária participou, ao longo do ano lectivo, em diferentes reuniões formais e informaisque envolveram a Direcção Executiva (cerca de 20 reuniões), os diferentes Departamentos Curriculares (3reuniões por ano, com cada departamento), os docentes em geral e outros elementos da comunidadeeducativa, conforme se poderá constatar a partir das grelhas criadas para o registo das reuniões e emexcertos de atas. Nestas reuniões foram planificados (as) projectos/actividades, veiculadas informações edelineadas acções/estratégias de melhoria, de apoio e de articulação, no âmbito particularmente da leitura eliteracias. De salientar a propósito que a professora bibliotecária também incentivou os outros docentes daequipa da BE a colaborarem com ela, ao nível da comunicação e da articulação com os departamentoscurriculares, particularmente junto daqueles onde estavam inseridos, conforme se poderá constatar nas atasdas reuniões da Equipa da BE.Em resumo, tomando em consideração as acções de melhoria delineadas no relatório de auto-avaliação doano lectivo passado, a BE adquiriu fundo documental de acordo com as necessidades detectadas e assugestões dos alunos e docentes, tendo registado também, uma maior adesão por parte dos professores, aonível da articulação das suas práticas com a BE e do envolvimento dos seus alunos nos concursos do PNL.Evidências que fundamentam o relatório. Estatísticas de requisição, circulação no agrupamento e uso de recursos relacionados com a leitura.. Estatísticas de utilização informal da BE. Estatística de utilização da BE para actividades de leitura programada/articulada com outros docentes.. Registos de actividades/projectos disponíveis no Dossier de Evidências.Acções para melhoria-Criar mais grupos ou comunidades de leitores para partilhar gostos e leituras.- Desenvolver uma acção sistemática na promoção de obras literárias ou de divulgação, na realização de Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 17/58
  • 18. exposições, de debates, na criação de grupos de leitura, outros.- Implementar o Projecto “Leitura e Ciência na BE” a partir da leitura de livros de Ciência e da realização depequenas actividades experimentais na BE – Público-alvo alunos do 3º e 4º ano.B.2. integração da BE nas estratégias e programas de leitura ao nível da escola/agrupamento.Relatório de avaliação- A acção da BE procurou articular com os docentes dos diferentes departamentos curriculares, de modo aque as suas actividades, projectos no âmbito da leitura e da literacia pudessem ir ao encontro dasproblemáticas identificadas no PEE e das consequentes necessidades de intervenção. Foi, inclusive,aprovado no Conselho Pedagógico um Programa de Desenvolvimento de Literacias da Informação,Tecnológica e Digital um Modelo de Pesquisa e um modelo de pesquisa.- Os docentes integraram a BE e os seus recursos nas suas funções docentes relacionadas com odesenvolvimento de competências relacionadas com a leitura. Quanto aos alunos, a sua maioria foi,regularmente, à BE para, entre outras actividades, requisitar livros. - Os docentes integraram a BE e os seusrecursos nas suas funções docentes relacionadas com o desenvolvimento de competências relacionadascom a leitura. Quanto aos alunos, a sua maioria foi, regularmente, à BE para, entre outras actividades,requisitar livros. A BE teve uma média mensal de 953 empréstimos documentais domiciliários.- A BE articulou activamente com todos os Departamentos Curriculares da EBI de Boliqueime e com oscoordenadores de estabelecimento e docentes das escolas e jardins-de-infância do agrupamento.- O espaço da BE foi também, muitas vezes, solicitado para a exposição de trabalhos elaborados pelosalunos ou solicitada para o estabelecimento de parcerias, ligadas a projectos ou actividades da escola. Porexemplo: “Meninos de Todas as Cores” (Projecto da História à Multiculturalidade); “A obra de José VialeMoutinho” (Banda Desenhada do conto tradicional “Pedro Malasartes”, resumos e ilustrações de contosdeste autor), “Conversas do Céu e da Terra com a escritora Rita Sobral” (Criação de novas histórias a partirdos títulos das histórias originais da autora), etc.- A BE difundiu informação sobre livros e autores através de divulgação em cartazes, no Blogue e Facebookda BE.-A BE organizou guiões de leitura de forma autónoma ou a partir da colaboração, partilha dos docentes,tendo continuado a enriquecer o Dossier PNL com instrumentos, em suporte escrito, para a exploração deobras do PNL e em suporte informático, inseridos na Disciplina da BE/CRE no âmbito da plataforma Moodledo Agrupamento. A intenção foi aumentar a rede de partilha, já iniciada no ano lectivo passado, entre a BE eos docentes de todos os níveis de ensino do agrupamento.- A BE desenvolveu actividades e projectos conjuntos no âmbito da leitura e da literacia, envolvendodocentes oriundos de todos os Departamentos Curriculares e níveis de ensino. Saliente-se a propósito, oProjecto Regional de Educação Ambiental pela Arte (PREEAA) - Contos do Mago, mais especificamente, aonível do conto “Bailado do Talude”, o qual envolveu os alunos do 1º, 2º e 3º ciclo e o Projecto “Da História àMulticulturalidade…”, em articulação com a docente responsável do Português Língua Não Materna, ao níveldo 1º ciclo.- A BE melhorou, consideravelmente, a imagem e a dinamização do seu Blogue, bem como sua organizaçãoe os seus conteúdos. Investiu também, na sua divulgação junto de toda a comunidade educativa e a suaprocura e valorização aumentou consideravelmente. De salientar, que este ano lectivo foram publicadas 91mensagens.A BE utilizou, regularmente, algumas das ferramentas da Web 2.0 como o Diigo, o slideshare, o picturetrail, ocalaméo e o youtube. Criou também um site como complemento do Blogue e uma página institucional nofacebook. A introdução da ferramenta Diigo proporcionou um importante aumento de materiais de apoio,relacionados com matérias de interesse curricular ou formativo.- A BE em articulação com as docentes de língua portuguesa do 2º ciclo associou ao seu Blogue oficial, oBlogue “Leituras e Aventuras” no qual passou a ser feita a partilha e a divulgação de leituras/trabalhosrealizados pelos alunos do 2ºciclo e ainda por uma turma do 8º ano, no âmbito do Projecto “Biblioteca deTurma”. Também associou o Blogue “Luís de Camões”, o qual foi criado pelos alunos do 8º C, no âmbitodo concurso do PNL “Camões, um Poeta Genial”. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 18/58
  • 19. - A BE deu continuidade à dinamização da disciplina da BE/CRE na Plataforma Moodle do seu agrupamento,tendo seguido as orientações do grupo concelhio de BEs em ao nível da organização e incentivou a criaçãode uma rede de partilha entre a BE e os docentes, ao nível do uso e da partilha de instrumentos pedagógicospara a exploração das obras do PNL.- A BE trabalhou em parceria com o Grupo concelhio das BE de Loulé e com o SABE da Biblioteca Municipalde Loulé, no âmbito da vinda do escritor José Viale Moutinho e do desenhador de Banda Desenhada, JoséCarlos Fernandes.Evidências que fundamentam o relatório- Registos de Projectos e actividades realizadas neste âmbito.- Materiais de apoio ou de divulgação produzidos.- Blogue da BE. Contador de visitas do Blogue da BEAcções para melhoria- Direccionar projectos e actividades para os novos públicos que possam emergir a partir da reestruturaçãocurricular ou das mudanças do sistema educativo.B.3. Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e da literacia.Relatório de avaliação- De acordo com as estatísticas de utilização da BE, num universo de 807 alunos (alunos do agrupamento),entraram 27369 vezes, alunos na BE, ao longo do ano lectivo, para ler de forma recreativa, para se informarou para realizar trabalhos escolares.- A BE promoveu acções formativas com o intuito de desenvolver as competências dos alunos nas áreas daleitura e da escrita, ao nível nomeadamente, das “Horas do conto”, das “Oficinas de Escrita Criativa”, deEncontros com Escritores, de Exposições Temáticas, de Celebração de Datas e Efemérides, etc. Desalientar que, os registos de avaliação da utilização da BE e o feedback formal e informal dos professores,no tocante ao interesse e impacto das actividades de leitura, realizadas na BE ou em articulação com osdocentes, em sala de aula, apontam para o registo de progressos assinaláveis no aumento dascompetências de leitura e de escrita dos alunos e por consequência dos seus resultados escolares.- A BE promoveu junto dos alunos, diferentes estratégias de divulgação e de incentivo, com o objectivo de oslevar a requisitar mais obras para a leitura no contexto familiar, inclusive, durante os períodos de férias,tendo-se verificado uma maior procura, relativamente aos anos lectivos passados. Refira-se a título decuriosidade que, este ano lectivo, o melhor leitor + do 1º ciclo, requisitou 13 livros, do 2º ciclo, 49 livros e do3º ciclo, 35 livros.Evidências que fundamentam o relatório- Mensagens publicadas no Blogue e/ou Site da BE- Plano Anual de Actividades- Estatísticas de Utilização da BE- Planos de Actividades/ProjectosAcções para melhoria- A BE, em colaboração com os respectivos docentes, deverá concertar estratégias e investir em acções eactividades que sejam apelativas ao envolvimento dos alunos do 3º ciclo, em particular, do 9º ano, emprojectos relacionados com a leitura e as literacias. Neste sentido, torna-se imprescindível a integração naequipa da BE, de professores de Língua Portuguesa, com um número de horas que lhes permita planificar econcretizar projectos, actividades ou acções, de forma contínua e sustentada e que leccionem tanto ao 2ºcomo no 3º ciclo.Domínio C. Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidadeC.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricularRelatório de avaliação- A BE fomentou e apoiou actividades livres de leitura, pesquisa e de estudo autónomos pelos alunos,estando aberta continuamente entre as 8:30h e as 17h, inclusive, durante os períodos de interrupção lectiva.- A BE criou, dentro do possível, as condições para a sua abertura no horário noturno, tendo criado para oefeito um instrumento de registo com as regras e os procedimentos necessários. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 19/58
  • 20. - A BE contribuiu para o desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomo pelos alunosnomeadamente através do “Dossier do Aluno” disponibilizado no seu Blogue e Site.- A BE proporcionou aos alunos actividades que para além de promoverem a articulação curricular, a leiturade forma voluntária e autónoma, também visaram a ocupação dos seus tempos livres.- A BE promoveu a actividade “Monitores da BE”, a qual foi desenvolvida nos tempos livres dos alunos.- A BE facilitou a utilização autónoma e voluntária da biblioteca como espaço de lazer e livre fruição derecursos.- A BE disponibilizou a toda a comunidade educativa, um conjunto de exposições que lhes permitiudesenvolver a sensibilidade estética e o gosto e o interesse pela arte, ciências e humanidades.- A BE desenvolveu actividades de articulação/ligação entre esta e a escola/agrupamento e as instituiçõeslocais, Sta. Casa da Misericórdia de Boliqueime (nas valências de Jardim de Infância e Lar de Idosos) eCentro Comunitário de Vale Silves.Evidências que fundamentam o relatório- Horário da BE- Plano Anual de Actividades- Estatísticas de Utilização da BE- Contador do Blogue da BE- Planos de Actividades/Projectos- Excertos de Atas, nomeadamente as da Equipa da BE- Resultados dos questionários aplicados aos docentes e alunos, no âmbito da avaliação do Domínio AAcções para melhoria- Continuar a Incentivar o empréstimo domiciliário nos períodos de férias.- Levar os livros e a leitura a mais espaços da comunidade envolvente, como o Centro de Saúde deBoliqueime.C.2. Projectos e ParceriasRelatório de avaliação- A BE estabeleceu parcerias, no âmbito de actividades/projectos, já referidos (as) com a Direcção Regionalde Educação do Algarve, com a Biblioteca Municipal de Loulé e as instituições locais Sta. Casa daMisericórdia de Boliqueime (ao nível dos idosos e doJardim de Infância) e o Centro Comunitário de Vale Silves.- A BE desenvolveu um trabalho colaborativo com todas as Escolas e Jardins de Infância do Agrupamento.- A BE participou regularmente em reuniões com o SABE e com o Grupo Concelhio dos ProfessoresBibliotecários de Loulé.- A BE foi solicitada, frequentemente, para o desenvolvimento de alguns projectos curriculares de turma.Foram feitas, ao longo do ano lectivo, muitas exposições de trabalhos dos alunos, ligados a diferentes áreasdisciplinares e de projecto, solicitadas pelos docentes por considerarem a BE o melhor espaço da escolapara mostrar/divulgar e valorizar os trabalhos dos seus alunos.- A BE procurou divulgar as suas actividades, projectos junto da comunidade educativa, através do seuBlogue e do Jornal Escolar do Agrupamento “Notícias da Malta”.- A professora bibliotecária participou sempre nas reuniões de trabalho do grupo concelhio de Loulé, ondepôde usufruir de um trabalho colaborativo em termos de troca de experiências e de materiais, existindomesmo o “wikispace” do grupo de Loulé, onde são difundidos e partilhados instrumentos de trabalho.- A professora bibliotecária também articulou, regularmente, com outras escolas/agrupamentos, com o SABEda Biblioteca Municipal de Loulé e com a Direcção Regional de Educação do Algarve.Evidências que fundamentam o relatório- Plano de actividades da BE- Actas do grupo concelhio Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 20/58
  • 21. Acções para melhoria- Solicitar mais, o envolvimento e a colaboração dos pais/EE e das instituições locais para a promoção eorganização de actividades/projectos, na BE, Escola ou fora dela.- Criar um Clube de Leitura que possa envolver elementos de toda a comunidade educativa com o intuito,particularmente, de aproximar os pais e a escola e de promover, num ambiente informal, a leitura e a partilhade sentimentos/ experiências que dela podem advir.Domínio D. Gestão da biblioteca escolarD.1. Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE.Relatório de avaliação- Todos os documentos que definem e regulam a escola/agrupamento contemplam a BE na formulação edesenvolvimento da sua missão, princípios e objectivos.- Os órgãos de direcção, administração e gestão reconhecem o valor da BE, garantem os recursos humanose aprovam um orçamento equilibrado para o seu funcionamento.- A professora bibliotecário integrou o conselho pedagógico e articula a sua prática com os váriosdepartamentos curriculares e demais estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica.- A professora bibliotecária manteve um excelente diálogo e um relacionamento muito positivo, com oDirector e os demais elementos da Direcção Executiva, partilhando as dificuldades e os sucessos da BE.- A BE esteve aberta em horário contínuo e diurno e em horário nocturno sempre que os docentessolicitaram a sua abertura, tendo criado as necessárias condições e os instrumentos de registo adequados àsua utilização.- A BE promoveu a formação e o acompanhamento dos seus utilizadores, apoiando-os no acesso àcolecção, aos equipamentos, à leitura, à pesquisa e ao uso da informação.- A BE implementou um sistema de auto-avaliação contínuo, baseado no modelo de auto-avaliação da RBE,identificando os pontos fortes e fracos e fomentando a melhoria da qualidade dos seus serviços.- A BE criou dinâmicas de promoção cultural e difundiu essas práticas formando públicos, promovendo aescola e a BE como pólo cultural.Evidências que fundamentam o relatório- Documentos de gestão da Escola/Agrupamento- Atas do Conselho Pedagógico- Estatísticas de utilização da BE- Planos de Actividades/Projectos- Mensagens e notícias publicadas: no Blogue e no Site da BE e no Jornal Escolar “Notícias da Malta” doAgrupamento de Escolas de Boliqueime.Acções para melhoria- Poder continuar a contar, no próximo ano lectivo, com uma equipa multidisciplinar na BE, de modo a melhorpoder continuar a fazer face às necessidades da escola/agrupamento, particularmente, as associadas àexigência inerente ao desenvolvimento de um maior apoio em termos de articulação curricular e ainda outrosdocentes ligados às TIC e a todas as outras Áreas Curriculares.- Reforçar a articulação de objectivos e de trabalho cooperativo com os departamentos curriculares e osdocentes.D.2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços.Relatório de avaliação- A professora bibliotecária, com o objectivo de melhorar o desempenho das suas funções e de aumentar assuas competências técnicas continuou o seu investimento na formação ao nível das BE. Durante o anolectivo fez a formação creditada: “A BE – Instrumentos de Desenvolvimento Curricular- 2”, na modalidadede Círculo de Estudos, o correspondente a 37, 30 horas (25+12,30) de formação, tendo obtido a avaliaçãofinal de 9,5 valores- Excelente. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 21/58
  • 22. - A professora bibliotecária exerceu uma boa gestão dos recursos humanos, criando boas relaçõesinterpessoais com a equipa e com todos os docentes que colaboraram na e com a biblioteca.- A professora bibliotecária procurou mobilizar os elementos da equipa pedagógica definindo e distribuindofunções (tendo também em conta, os seus currículos profissionais); recorrer à planificação estratégica eoperacional (tendo em consideração, os seus horários); e estar atenta às suas sugestões de modo a melhorcriar um ambiente de trabalho favorável ao bom funcionamento da BE e às boas relações interpessoais.- A professora bibliotecária através das reuniões de equipa e informalmente procurou criar situações de auto-formação partilhada, sobre a acção e funcionamento BE, bem como, do seu Modelo de Auto-Avaliação.Também procurou ir fazendo o balanço das actividades/projectos do PAA e quando necessário entrar acçõesde melhoria.- A equipa foi pluridisciplinar, tendo desenvolvido um excelente trabalho colaborativo com a professorabibliotecária e com as assistentes operacionais. Os seus elementos mostraram-se, de um modo geral,bastante empenhados e interessados, tendo o reflexo do seu trabalho sido bastante positivo, no âmbitoparticularmente da promoção da leitura e literacias e do apoio à articulação curricular. A lamentar só há, noentanto, o facto de a equipa não ter podido contar até ao final do ano lectivo, efectivamente, com umdocente, pelo menos, de de língua portuguesa, do 3º ciclo, dado que as docentes colocadas, inicialmente,acabaram por ter de sair, uma por licença de maternidade e outra por necessidades associadas aoreajustamento do seu horário na escola.- A professora bibliotecária mobilizou a comunidade educativa e escolar para o valor e para o trabalho da BE,ao nível particularmente da sua missão, objectivos, serviços e recursos materiais e humanos.- A BE constituiu um espaço agradável, com boas condições de mobiliário e de equipamentos, diariamentebastante frequentada, e garantiu uma utilização individual e em grupo que satisfez as necessidades dosutilizadores.- Os equipamentos tecnológicos afectos à BE, nomeadamente os informáticos satisfizeram, de um modogeral, as necessidades dos seus utilizadores, excepto o facto, de muitas vezes, os seus utilizadores nãopoderem ter acesso à Internet e de não poderem dar ordem de impressão a partir dos computadores ondeestavam a trabalhar, não por falta do apoio dos docentes de TIC, mas por serem situações cuja resoluçãopassava pela empresa responsável pela gestão dos serviços informáticos da escola.Evidências que fundamentam o relatório- Actas das Reuniões de Equipa da BE- Dossiers de Evidências da BE- Estatísticas do Módulo de CirculaçãoAcções para melhoria- Continuar o reforço da acção da BE, no âmbito do apoio ao funcionamento da escola e das actividades deensino/aprendizagem.- Continuar a melhorar as condições de acesso aos recursos, desenvolvendo estratégias deacompanhamento e de formação dos utilizadores em articulação com os docentes.- Continuar a promover, de forma sistemática e continuada, o desenvolvimento dos hábitos e do gosto pelaleitura e das competências a ela associadas, através da integração da BE no trabalho curricular dosdocentes, assim como no desenvolvimento dos hábitos de leitura, de forma contínua e sistemática e naplanificação avaliativa dos serviços e recursos, actuando de acordo com os resultados.- Aprofundar a articulação com a Equipa PTE para rentabilizar equipamentos e possibilidades de trabalho.D.3. Gestão da colecção/da informação.Relatório de avaliação- Embora não exista uma política formal de desenvolvimento da colecção, a mesma foi avaliada e asnecessidades foram inventariadas, tendo sido feita no início e no final do ano lectivo, um levantamento denecessidades, seguindo as sugestões dos diferentes departamentos curriculares e também dos alunos.- A colecção da BE é, no geral, equilibrada em quantidade e adequada nos diferentes suportes (impresso e Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 22/58
  • 23. não impresso) e nas diferentes áreas (recreativa e relacionada com o currículo). Foram adquiridos muitoslivros pertencentes às listagens do PNL e outros fora dela, sugeridos pelos docentes e alunos. A organizaçãoda colecção nas estantes garante as necessárias condições de acesso e de uso a todos os utilizadores. Oslivros do PNL estão organizados e identificados, inclusive, por anos de escolaridade, o que facilita imenso asua procura nas estantes, por parte dos docentes e dos alunos.- A colecção é muito usada pelos alunos/docentes, e as estatísticas de empréstimo domiciliário são bastanteelevadas, sobretudo no período de aulas. Este ano lectivo apesar de no período de férias ter aumentado onúmero de requisições, a BE deverá continuar a investir, contudo, nesta acção de melhoria. De acordo coma estatística de requisições, no ano lectivo passado, foram requisitados 9887documentos impressos, paraleitura domiciliária, este ano foram 9530, menos 357 livros. Esta diminuição está associada ao facto dosprofessores da escola sede não terem querido dinamizar, em contexto de sala de aula, a actividade “Ler emCasa é Bom!...” preferindo que os alunos fossem, de forma autónoma, requisitar livros à BE. Esta opção fezcom que deixassem de circular, mensalmente, em 5 salas de aulas, as caixas com o número de livroscorrespondente ao número de alunos de cada uma das turmas. Apesar destes alunos irem à BE, a falta dedinamização da actividade também, em contexto de sala de aula, já que na BE ela foi sempre feita,semanalmente, acabou por influenciar a diminuição do número de requisições. Mesmo assim, a taxa anualde empréstimos domiciliários, por utilizador, foi, no seu global, bastante elevada, relativamente à taxanacional e concelhia, conforme já foi referido no domínio B.1.- Foram criados, instrumentos de promoção e de divulgação dos livros novos que integraram a colecção daBE, através da criação de um cartaz convidativo à sua leitura e da elaboração de destaques, os quais foramexpostos num painel reservado à divulgação do PNL ou na vitrina no da BE. O cartaz também foi publicadono Blogue e no Site da BE.- No que diz respeito o tratamento técnico documental, este já está 100% registado e classificado e acatalogação automatizada também está nos100%. Falta fazer, contudo, a indexação de uma grande parte dofundo documental.- O catálogo da BE e o Catálogo Concelhio é pesquisável on-line, tanto através do Blogue da BE e de umcomputador que se encontra na BE, disponibilizado só para esse efeito, o que permite um fácil acesso porparte dos alunos e docentes.Evidências que fundamentam o relatório- Estatísticas de utilização da BE; estatísticas da leitura presencial; estatísticas da requisição domiciliária- Listagens do fundo documental- Grelhas com os levantamentos de necessidades de aumento de fundo documental preenchidas pelosalunos e docentes/departamentos- Base de Dados da RBE referente aos anos lectivos 2009/2010 e 2010/2011- Consulta do catálogo no Blogue: http://beboliqueime.blogspot.com/Acções para melhoria- Aumentar o fundo documental sugerido pelos alunos e docentes, a partir do novo levantamento que foi feitono final deste ano lectivo.- Adquirir dicionários com o novo acordo ortográfico, em quantidade suficiente, de modo a poderem serconsultados por vários alunos, ao mesmo tempo, em contexto também, de sala de aula.- Aumentar o nível de dinamização e de diversificação de estratégias com vista à divulgação/utilização dasobras existentes na BE, particularmente as associadas ao PNL e à leitura orientada, particularmente noâmbito das aulas de substituição.- Aumentar o número de livros indexados, de modo a melhor facilitar a procura por assunto, no catálogo on-line da BE.- Aumentar o empréstimo inter-bibliotecas escolares do concelho de Loulé, com vista ao desenvolvimentocooperativo da colecção (digital e impressa).Fontes de evidênciasNeste item pode transcrever/ incluir excertos de diferentes documentos. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 23/58
  • 24. Limite máximo de 1500 carácteres.Documentos de gestão da Escola/ Agrupamento(Projecto Educativo, Projecto Curricular, Plano de Acção, Regulamento Interno, Plano Anual de Actividades, relatórios de avaliação, currículos profissionais da equipa da BE,outros.)--Documentos pedagógicos da Escola/Agrupamento(Planificações dos departamentos, ACND, AEC, SAE, PTE-TIC, OTE, projectos curriculares das turmas, orientações/ recomendações do CP, trabalhos de alunos, resultadosde avaliação dos alunos, outros)--Documentos de Gestão da BE(Plano de Acção, Plano Anual de Actividades, acordos de parceria, Política de Desenvolvimento da Colecção, Manual de Procedimentos, Regimento, horário, relatórios,plantas, inventários, outros)--Documentos de funcionamento e dinamização da BE(Actas/ registos de reuniões/ contactos, registos de projectos/ actividades realizados, estatísticas da BE, materiais de apoio produzidos e editados, catálogo e outrasferramentas utilizadas, resultados de avaliação da colecção, outros)--Síntese geral da avaliação das BE do agrupamentoO preenchimento deste quadro só se aplica aos Agrupamentos. Apesar de feito no espaço da aplicação daescola sede, pretende ser uma síntese breve e geral da avaliação realizada ao nível das bibliotecas doAgrupamento, de modo a facilitar uma visão global do seu desempenho e a adopção de uma política degestão integrada que promova o seu desenvolvimento harmonioso e articulado.Identificar domínio/ subdomínios avaliados e níveis obtidos em cada BEA. Apoio ao desenvolvimento curricularA.1. Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica e osdocentesA.1.1 Cooperação da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógicaA.1.2 Parceria da BE com os docentes responsáveis pelas áreas curriculares não disciplinares (ACND)A.1.3 Articulação da BE com os docentes responsáveis pelos serviços de apoios especializados (SAE)A.1.4 Ligação da BE ao Plano Tecnológico da Educação (PTE) e a outros programas e projectos curricularesde acção, inovação pedagógica e formaçãoA.1.5 Integração da BE no plano de ocupação dos tempos escolares (OTE)A.1.6 Colaboração da BE com os docentes na concretização das actividades curriculares desenvolvidas noespaço da BE ou tendo por base os seus recursosNível obtido3,29A.2 Promoção das literacias da informação, tecnológica e digitalA.2.1 Organização de atividades de formação de utilizadoresA.2.2 Promoção do ensino em contexto de competências de informaçãoA.2.3 Promoção do ensino em contexto de competências tecnológicas e digitaisA.2.4 Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação dosA.2.5 Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e àaprendizagem ao longo da vida.Nível obtido3.40Pontos fortesA.1 Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica e osdocentes- A BE articula com regularidade com as estruturas de coordenação educativa e de supervisão pedagógica,especialmente com a Direcção Executiva e com os Departamentos Curriculares.- A BE tem um excelente nível de comunicação com o Director e as estruturas de coordenação educativa ede supervisão pedagógica, a qual é facilitadora da actualização e adequação dos recursos às necessidades. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 24/58
  • 25. - Os recursos da BE são bastante valorizados e rentabilizados pelos docentes, sobretudo no âmbito da suaactividade lectiva.- Os professores no âmbito das suas funções docentes, sobretudo, enquanto titulares de turma/grupo deuma disciplina/área curricular costumam, de forma significativa, articular e/ou planear sempre ouregularmente com a professora bibliotecária ou com a equipa da BE.- A BE participa no PTE e no plano TIC, promovendo a utilização das TIC no contexto das actividadescurriculares e extra curriculares.- A BE tem um Blogue e um Site, apelativos do ponto de vista da apresentação, organização e dosconteúdos.- A integração na equipa da BE de um docente da área das TIC foi uma mais-valia na garantia dobom estado das redes, equipamentos e sofware existente na BE, bem como, na realização/dinamização deprojectos/actividades no âmbito do PAA da BE.- A BE apoia, de forma activa, os docentes no desenvolvimento de programas e projectos.- Os professores conhecem os recursos da BE e consideram que estes são Muito Bons ou Bons.- A BE assegura um importante nível de comunicação e de articulação com os docentes responsáveis pelosapoios educativos.- A utilização da BE é rentabilizada pelos docentes em atividades de educação especial e apoios educativos.- A BE apoia os docentes responsáveis pelas ACND, sobretudo ao nível das Áreas de Projecto.- Os recursos da BE são bastante rentabilizados pelos docentes no âmbito da actividade lectiva.- A BE tem, no geral, uma boa equipa multidisciplinar, necessitando apenas de, pelo menos, um docente quelecione no 3º ciclo a área disciplinar de Língua Portuguesa.- A BE tem um bom nível de cooperação e de diálogo com a maioria dos docentes.- Os recursos da BE são bastante rentabilizados pelos doentes no âmbito da sua actividadeeducativa/lectiva.- A BE difunde on-line um conjunto diversificado de materiais de apoio para as várias áreas curricularesdisciplinares.A.2 Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital- A BE aprovou em Conselho Pedagógico um plano articulado e progressivo, ao longo dos vários anos /ciclos, para o desenvolvimento das competências de informação.- A BE articula com os docentes responsáveis pelas áreas de projeto e/ou apoio ao estudo acompanhado, aintegração do ensino de competências de informação nestes domínios a apoia o trabalho escolar emalgumas áreas disciplinares em que é solicitada.- A BE produziu e partilhou materiais apelativos, no âmbito da formação de utilizadores.- A BE tem um plano articulado e progressivo (ao longo dos vários anos/ciclos de escolaridade) para odesenvolvimento das competências de informação, designado por “Programa de Desenvolvimento dasLiteracias da Informação, Tecnológica e Digital”.- A Equipa da BE participa, em cooperação com os docentes, nas actividades de ensino de competências deinformação com turmas/ grupos/alunos.- A BE oferece um nível muito bom de incorporação das TIC nos serviços informativos e educativos.- A BE está implicada nas políticas, projetos e planos existentes na escola/agrupamento na área das TIC e Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 25/58
  • 26. da gestão de informação.- A grande maioria dos alunos diz já ter participado em atividades para aprender a usar a BE, ao nívelnomeadamente, da localização de livros e da realização de pesquisas e que estas os ajudaram a sentir-mais à vontade quando utilizam a BE.- A grande maioria valorizou, fortemente, o apoio dado pela professora bibliotecária/equipa da BE quandoutilizaram a BE.- A grande maioria dos alunos considerou que à medida que foi realizando mais trabalhos na BE ouutilizando os seus recursos, nas várias disciplinas/área curriculares, foi fazendo progressos e os seustrabalhos foram melhorando.- A grande maioria dos alunos valorizou, fortemente, o trabalho na BE e os seus recursos, pois considerouque esta contribuiu, em grande medida, para que se sentissem mais seguros e confiantes nas tarefas dapesquisa, consulta e produção de informação.- Os docentes valorizam, de forma bastante positiva, o contributo dado pela BE no que concerne aodesenvolvimento nos seus alunos ao nível das competências associadas ao uso autónomo da BE e dos seusrecursos, ao uso das TIC, à exploração de diferentes materiais e à elaboração/ apresentação dos trabalhos.- A grande maioria dos alunos vai à BE, durante a semana, sozinho ou com colegas, para fazer,essencialmente, os seus trabalhos de pesquisa ou os TPC.- A BE proporciona aos alunos a possibilidade de participarem, voluntariamente, na vida da BE através deuma forma ativa e interventiva, criando para o efeito, um grupo de Monitores. A partir desta atividade, osalunos puderam desenvolver e partilhar com os demais colegas, competências associadas ao bomatendimento dos utilizadores da BE e à boa gestão/organização dos seus recursos, tanto no que diz respeitoao fundo documental, como aos seus recursos tecnológicos e digitais.- A BE favorece, fortemente com o seu trabalho o desenvolvimento visível nos seus alunos de um leque devalores e de atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida.Pontos fracosA.1 Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica e osdocentes - A BE necessita de organizar mais acções de formação formais ou informais, em torno daformação de utilizadores da BE e do desenvolvimento das literacias da informação, que possam envolver osdocentes.- A BE necessita de continuar a investir na apresentação de sugestões de trabalho conjunto em torno dotratamento de diferentes unidades de ensino ou temas.- A BE necessita de continuar a investir na promoção de reuniões com os docentes responsáveis pelasACND para melhor poder articular com todos eles.- A BE necessita de continuar a investir na comunicação com os docentes dos apoios educativos, de modo afacilitar, ainda mais, a actualização e adequação dos recursos às necessidades dos alunos com NEE.- A BE deverá continuar a investir na organização de mais acções de formação, de acordo com olevantamento das necessidades formativas dos docentes.- A BE deverá promover mais reuniões com os docentes associados ao plano de OTE.- A BE deverá aumentar a produção, em colaboração com os docentes, de materiais e de sugestões deatividades e recursos que possam melhorar, enriquecer a OTE.- A BE deverá continuar a investir nas atividades de formação, junto dos docentes, com vista a uma maioraplicação junto dos alunos do Programa Concelhio de Desenvolvimento das Competências de Literacia daInformação, Tecnológica e Digital.- A BE necessita de incluir na sua equipa, pelo menos, um docente do 3º ciclo proveniente da área disciplinarde Língua portuguesa que possa garantir uma maior articulação com esta área disciplinar, ao nívelparticularmente deste nível de ensino. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 26/58
  • 27. A.2 Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital- A BE deverá alargar as sessões de formação de utilizadores a todos os titulares de turma.- A BE necessita de investir ainda mais em atividades de formação, junto dos docentes, de modo a que todospossam usar o Guião de Pesquisa BIB SIX, como instrumento de apoio, no âmbito dos trabalhos depesquisa que solicitam aos alunos.- A BE necessita de continuar a investir na articulação com as áreas de carácter transversal que possamfomentar a comunicação através das TIC.- Reforçar a articulação da BE com áreas transversais que possam fomentar a utilização contextualizada dasTIC.- Reforçar a articulação entre a BE e o trabalho de sala de aula, sobretudo no que se refere à aplicação, portodos os docentes, do modelo de pesquisa adotado pela escola/agrupamento.- Incentivar a formação dos docentes, nomeadamente os da equipa da BE, na área das TIC e da literacia dainformação.- Mobilizar a escola para a criação e aplicação de um código de conduta, coerente e de aplicaçãogeneralizada.Acções para melhoriaA.1 Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica e osdocentes- Investir ainda mais, na promoção de reuniões com os docentes responsáveis pelas ACND para melhorpoder articular com todos eles.- Reforçar a articulação entre a BE e o trabalho de sala de aula, sobretudo no que se refere à aplicação portodos os docentes do modelo de pesquisa adoptado pela escola/agrupamento.- Investir ainda mais, na organização de acções de formação, de acordo com o levantamento dasnecessidades formativas dos docentes ao nível nomeadamente, da Web 2.0.- Incentivar a formação dos docentes e da equipa da BE na área das TIC e da literacia da informação.- Incluir na equipa da BE, pelo menos, um docente do 3º ciclo, proveniente da área disciplinar de Línguaportuguesa, que possa garantir uma maior articulação com esta área, ao nível particularmente deste nível deensino.- A BE necessita de continuar a investir na comunicação com os docentes dos apoios educativos, de modo afacilitar, ainda mais, a actualização e adequação dos recursos às necessidades dos alunos com NEE.A.2. Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital Nível obtido- Aumentar as actividades de formação dirigidas aos docentes, para que possam usar mais o Guião dePesquisa BIG SIX e colaborar no desenvolvimento do Programa de Desenvolvimento das Competências deLiteracia da Informação, Tecnológica e Digital.- Investir ainda mais, no planeamento antecipado com os docentes do trabalho de pesquisa a realizar com osalunos na BE, tendo como orientação o modelo de pesquisa de informação BIG SIX. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 27/58
  • 28. Secção CDomínio A. Apoio ao desenvolvimento curricularAno de incidência da avaliação.20102011Data de apresentação ao Conselho Pedagógico.2011/07/21A.1. Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica e osdocentesNível obtido3Resultados das acções de melhoria implementadas, após avaliação, para o subdomínio.- Aumentar a articulação entre a BE e o trabalho de sala de aula, sobretudo no que se refere à aplicação portodos os docentes do modelo de pesquisa adoptado pela escola/agrupamento;- Investir, ainda mais, na organização de acções de formação, de acordo com o levantamento dasnecessidades formativas dos docentes ao nível nomeadamente, da Web 2.0.- Incentivar a formação dos docentes e da equipa da BE na área da literacia da informação, tecnológica edigital.- Incluir na equipa da BE, pelo menos, um docente do 3º ciclo, proveniente da área disciplinar de LínguaPortuguesa, que possa garantir uma maior articulação com esta área, ao nível particularmente deste nível deensino.- Consolidar a comunicação com os docentes dos apoios educativos, de modo a melhor facilitar aactualização e adequação dos recursos às necessidades dos alunos com Necessidades EducativasEspeciais.Recomendações do Conselho PedagógicoA senda dos bons resultados alcançados pela Biblioteca Escolar Dra. Lídia Jorge ao longo dos dois últimosanos lectivos e a preponderância do trabalho pedagógico que aí se desenvolve, tão necessário aodesenvolvimento das literacias e ao acesso a mais altos níveis de conhecimento, interpelam-nos a continuare, consequentemente, consolidar o processo de desenvolvimento de competências. Desse ponto de vista, ohercúleo trabalho que espera à Biblioteca Escolar Dra. Lídia Jorge e à recém-criada Biblioteca da Escola do1.º Ciclo/JI de Vale Judeu é o de apoiar as escolas do agrupamento na consecução dos objectivos do seuprojecto educativo.A escola sede tem apostado numa organização pedagógica assente em ciclos de aprendizagem plurianuais.Estes ciclos visam uma individualização mil vezes mais ambiciosa, que não incide sobre projectos deformação nem sobre domínios finalmente visados, mas unicamente sobre os caminhos que levam a isso. Sebem que, como se diz muitas vezes, “todos os caminhos vão dar a Roma”, num ciclo de aprendizagemplurianual todos os alunos vão a Roma, chegando mais ao menos ao mesmo tempo, mas não fazem osmesmos trajectos. É neste novo contexto que se projecta o trabalho futuro das Bibliotecas Escolares desteagrupamento. A metáfora trajecto é aqui mobilizada para enfatizar os percursos de formação, ou seja asequência de experiências de aprendizagens formadoras vividas pelos alunos. É aqui que as nossasBibliotecas têm um longo e grande trabalho a realizar. De facto, a referência aos mesmos objectivos durantevários anos permite uma distinção mais clara entre objectivos, conteúdos e dispositivos. É nesta verdadeiraresponsabilidade colectiva pela efectiva consecução dos percursos de aprendizagem dos alunos numdeterminado ciclo que projectamos o contributo das Bibliotecas do agrupamento na transição da culturaescolar do implícito (“Eu compreendo”) e do oral a uma cultura do explícito, do documento de trabalho, dadiscussão e da negociação de um acordo sobre os pontos de divergência.O Plano de Melhoria da “Qualidade das Aprendizagens Escolares” que o Conselho Pedagógico aprovou nopassado dia 21 de Julho, vem justamente reconhecer que a qualidade dessas aprendizagens tem a ver comaquilo que os alunos aprendem e como aprendem e de como isso depende, em parte, do tempo que têmpara aprender, na sala de aula, na escola e em casa. O tempo enquanto recurso crítico da aprendizagem,projectado agora num ciclo mais longo de tempo, dá ao trabalho da Biblioteca Escolar um aprofundamento Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 28/58
  • 29. maior e uma importância central e única na trajectória necessariamente individualizada que cada um irávivenciar. Para tal a Biblioteca é, nesta organização de ciclos plurianuais, a bússola que não ameaçando aidentidade, a segurança, a solidariedade dos alunos, lhes proporciona o sentido das suas aprendizagens,lhes cria situações suficientemente mobilizadoras e lhes possibilita actividades nas quais se envolvempessoal e duradouramente, sempre em zona próxima de desenvolvimento e de aprendizagem das diferentesdisciplinas do currículo escolar. EIS O DESAFIO!A.2. Promoção das literacias da informação, tecnológica e digitalNível obtido3Resultados das acções de melhoria implementadas, após avaliação, para o subdomínio.- Aumentar as actividades de formação dirigidas aos docentes, para que possam usar mais o Guião dePesquisa BIG SIX e colaborar no desenvolvimento do Programa de Desenvolvimento das Competências deLiteracia da Informação, Tecnológica e Digital;- Investir ainda mais, no planeamento antecipado com os docentes do trabalho de pesquisa a realizar com osalunos na BE, tendo como orientação o modelo de pesquisa de informação BIG SIX;- Continuar a investir na articulação com as áreas de carácter transversal que possam fomentar acomunicação através das TIC.Recomendações do Conselho Pedagógico--Domínio B. Leitura e literaciaAno de incidência da avaliação.20092010Data de apresentação ao Conselho Pedagógico.2010/07/12Nível obtido3Resultados das acções de melhoria implementadas, após avaliação, para o subdomínio.- A BE aumentou de forma bastante significativa o seu fundo documental, de acordo com as sugestõesdadas, particularmente, pelos alunos do 3º ciclo, tendo adquirido, inclusive, obras fora das listagens do PlanoNacional de Leitura, por serem largamente procuradas por este grupo de leitores. Também foi adquiridofundo documental especializado para o enriquecimento dos CEFs de Cozinha e de Serviço de Bar.- A BE registou um significativo aumento de colaboração, por parte dos docentes, no tocante àcriação/exploração de novos ambientes digitais, com os seus alunos, em articulação com BE, com o intuitode melhor promover o desenvolvimento da leitura e das literacias da informação, tecnológica e digital. Refira-se a título de exemplo, que foram criados e adicionados ao Blogue da BE mais dois Blogues neste âmbito:“Leituras e Aventuras http://leiturasaventuras.blogspot.com/ e “Luís de Camões”http://luisdecamoesaab.blogspot.com/- A BE participou, conjuntamente com diferentes professores, em muitos dos concursos do PNL,nomeadamente no “Concurso Nacional de Leitura”, “Cartaz da Minha Escola”, “Camões um PoetaGenial”, “Quem conta um Conto… acrescenta um ponto…” e “Faça lá um poema”.- A BE deu uma maior sustentabilidade à rede de partilha criada, no ano lectivo passado, entre esta e osdocentes do agrupamento, através do enriquecimento, organização e dinamização a nível online do seuBlogue, Site e disciplina da BE/CRE na Plataforma Moodle e em suporte de papel no Dossier de Fichas deLeitura PNL.- A BE investiu bastante em estratégias com vista ao incentivo e aumento das requisições domiciliárias,inclusive, no âmbito dos períodos de férias, o que se veio a registar, tendo aumentado o número deutilizadores de empréstimos domiciliários (passou de 715 para 943).Também se verificou que ultrapassoulargamente a média concelhia e a nacional de requisições por utilizador, no que diz respeito ao ano lectivode 2009/2010 (as de este ano lectivo não estão ainda disponíveis na Base de Dados da RBE). Conforme já Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 29/58
  • 30. foi referido no domínio B.1, a BE teve um total de 10032 número de empréstimos domiciliários (documentosimpressos, áudio, vídeo e multimédia), o que dá uma média anual, por utilizador, de 10, 6 empréstimosdomiciliários (a taxa nacional em 2009/2010 foi de 1,82 e a concelhia de 3,90).- A BE investiu bastante em acções (estratégias, actividades, projectos) que pudessem envolver e motivarmais os alunos, em actividades promotoras da leitura e das literacias, tendo obtido, no geral, um maiorinteresse e envolvimento por parte dos professores dos diferentes departamentos e áreas curriculares. Penaé, no entanto, que pelas razões já referenciadas na avaliação do domínio A, que não tenha sido possível terna Equipa da BE, durante todo o ano lectivo, pelo menos, um docente de Língua Portuguesa, ligado 3º ciclo,pois notou-se que houve, mais uma vez, um menor o envolvimento por parte dos alunos do 3º ensino,comparativamente com os dos outros níveis de ensino, à excepção de uma turma do 8º ano e das trêsturmas do 9º ano. De salientar, no entanto, que embora a Direcção se tivesse mostrado sensível einteressada relativamente à resolução desta necessidade, não foi possível ultrapassa-la, porconstrangimentos associados à falta de um docente de língua portuguesa, cuja carga horária pudessepermitir a sua integração na Equipa da BE.- Finalmente, no que se refere à comunicação e envolvimento das famílias em projectos e actividades naárea da leitura, a tarefa continua a revelar-se difícil, dados os constrangimentos das vidas pessoais eprofissionais dos Pais/EE e dada ainda a grandiosidade da Escola/Agrupamento onde se insere a BE.Apesar disso, esta vai continuar a diligenciar esforços, no sentido de poder contar com uma maior e regularcolaboração por parte destes elementos da sua comunidade educativa.Recomendações do Conselho PedagógicoTendo em conta os muito bons resultados alcançados pela Biblioteca Escolar no presente ano lectivo e anecessidade de dar sequência ao bom trabalho aí desenvolvido, recomenda o conselho pedagógico que, nopróximo ano escolar, o trabalho a implementar na Biblioteca Escolar se oriente pelos seguintes princípios:- Consolidar o trabalho iniciado no presente ano escolar, designadamente, no Domínio A - Apoio aoDesenvolvimento Curricular, não só porque este será o principal domínio a ser objecto de avaliação daBiblioteca Escolar, no próximo ano lectivo, mas também pelo potencial formativo da ligação do trabalho daBiblioteca à sala de aula no desenvolvimento das diferentes literacias e na sustentabilidade dasaprendizagens curriculares;- Conceptualizar o plano anual de actividades associando-o ao projecto educativo de agrupamento onde aopção clara de gestão curricular, traduzida numa atenção crescente, na prática escolar, ao apetrechamentodos alunos com instrumentos cognitivos de análise, reflexão, pesquisa e produção do conhecimento, requer,por parte da Biblioteca, uma estratégia concertada com todos os docentes dos diferentes departamentoscurriculares;- Promover a aprendizagem dos processos de acesso e organização do conhecimento com as diferentesáreas curriculares;- Sustentar o próximo Plano Anual de Actividades da Biblioteca Escolar no Plano de Acção de Melhoria daBiblioteca Escolar e nas orientações do Projecto Educativo em vigor, uma vez que, em grande medida, seencontram aí especificadas as orientações emergentes a implementar no próximo ano lectivo.Domínio C. Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidadeAno de incidência da avaliação.--Data de apresentação ao Conselho Pedagógico.--C.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricularNível obtido--Resultados das acções de melhoria implementadas, após avaliação, para o subdomínio.--Recomendações do Conselho Pedagógico--C.2. Projectos e Parcerias Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 30/58
  • 31. Nível obtido--Resultados das acções de melhoria implementadas, após avaliação, para o subdomínio.--Recomendações do Conselho Pedagógico--Domínio D. Gestão da biblioteca escolarAno de incidência da avaliação.--Data de apresentação ao Conselho Pedagógico.--D.1. Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE.Nível obtido--Resultados das acções de melhoria implementadas, após avaliação, para o subdomínio.--Recomendações do Conselho Pedagógico--D.2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços.Nível obtido--Resultados das acções de melhoria implementadas, após avaliação, para o subdomínio.--Recomendações do Conselho Pedagógico--D.3. Gestão da colecção/da informação.Nível obtido--Resultados das acções de melhoria implementadas, após avaliação, para o subdomínio.--Recomendações do Conselho Pedagógico--Observações-- Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 31/58
  • 32. QA1. Questionário aos alunosNota para o mediadorNas escolas sem BE própria, as questões devem reportar aos recursos documentais que circulam a partir da BE do agrupamento.1. IdentificaçãoMasculino 43 39.8%Feminino 65 60.2%2. Frequento o ano de escolaridade seguinte:4.º 26 27.7%5.º 16 17.0%6.º 18 19.1%7.º 17 18.1%8.º 10 10.6%9.º 7 7.4%2.1 Frequento o Ensino Básico:Regular 95 88.0%CEF 10 9.3%EFA 3 2.8% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 32/58
  • 33. 2.2 Frequento o Ensino Secundário:sem respostas3. Com que frequência costumas usar a biblioteca escolar (BE) ou os seus recursos com o(s) teu(s)professor(es) ou a seu pedido?Todos os dias 14 13.0%Uma ou duas vezes por semana 59 54.6%Uma ou duas vezes por mês 16 14.8%Uma ou duas vezes por período 11 10.2%Muito raramente e de forma irregular 6 5.6%Nunca 2 1.9%4. Em que situações mais utilizas a BE ou os seus recursos nas tuas actividades escolares?Com a turma e o professor, em actividades das disciplinas/ áreas curriculares. 29 24.0%Com o professor em actividades das áreas curriculares não disciplinares. 10 8.3%Quando um professor falta, em actividades de substituição. 3 2.5%Em aulas de apoio. 1 0.8%Sozinho ou com colegas, para fazer trabalhos – TPC ou outros. 78 64.5% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 33/58
  • 34. 5. Quando vais à BE para realizar trabalhos para as disciplinas, tens as indicações necessárias sobre atarefa que vais fazer e as sugestões dos documentos que deves utilizar?Sempre 71 65.7%Às vezes 31 28.7%Nunca 6 5.6%6. Quando tens um trabalho de pesquisa para fazer, como costumas procurar a informação de que precisas?Indica as três situações mais frequentes.6.1 Situação 1Começo por pesquisar no catálogo informatizado da biblioteca. 12 6.0%Vou às estantes ver os livros com interesse para o assunto que quero tratar. 66 33.2%Vou pesquisar na Internet. 99 49.7%Aguardo as indicações do meu professor. 5 2.5%Peço ajuda a algum professor ou funcionário da BE. 9 4.5%Começo por consultar uma enciclopédia ou outro livro de carácter geral sobre o tema. 6 3.0%Consulto os guiões de apoio que existem na BE. 2 1.0% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 34/58
  • 35. 6.2 Situação 2sem respostas6.3 Situação 3sem respostas7. Já participaste em actividades para aprender a usar a BE: localização dos livros, fazer pesquisas, outros?Sim 90 83.3%Não 18 16.7%7.1 Se respondeste Sim, achas que depois dessas actividades te sentes mais à vontade a usar a BE?Sim 89 98.9%Não 1 1.1% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 35/58
  • 36. 8. Sentes-te apoiado pelo professor-bibliotecário/ equipa da BE quando a utilizas?Sim 104 96.3%Não 4 3.7%9. À medida que vais realizando mais trabalhos na BE ou utilizando os seus recursos, nas várias disciplinas/áreas curriculares, achas que os teus trabalhos de pesquisa vão melhorando e fazes progressos?Sim 103 95.4%Não 5 4.6%10. O trabalho na BE ou tendo por base os seus recursos, contribui para que te vás sentindo mais seguro e Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 36/58
  • 37. confiante nas tarefas da pesquisa, consulta e produção de informação que tens de realizar?Sim 101 93.5%Não 7 6.5%11. Consideras que os trabalhos de pesquisa realizados na BE ou utilizando os seus recursos exigem de ticapacidade de iniciativa, autonomia e cooperação com os teus colegas?Sim 99 91.7%Não 9 8.3%12. Gostavas de saber mais sobre:Indica aquilo que consideras mais importante para ti.Como fazer trabalhos de pesquisa 22 16.1%Como organizar um trabalho 30 21.9%Como encontrar a informação de que precisas na Internet 23 16.8%Como encontrar a informação de que precisas nos livros 17 12.4%Como apresentar um trabalho em Word, PowerPoint, Movie Maker, outros 45 32.8% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 37/58
  • 38. 13. Como classificas as aprendizagens que realizaste através da BE?13.1 Aprendizagens para usar os serviços e os equipamentos da BE.Boas 73 67.6%Médias 35 32.4%13.2 Aprendizagens para uso das TIC.Boas 68 45.9%Médias 40 27.0%Fracas 40 27.0% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 38/58
  • 39. 13.3 Aprendizagens para explorar diferentes materiais (livros, CD, DVD, Internet), elaborar trabalhos eapresentá-los.Boas 65 60.7%Médias 40 37.4%Fracas 2 1.9% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 39/58
  • 40. QD1. Questionário aos docentesCiclo de EnsinoJI/1.º Ciclo 5 23.8%2.º Ciclo 8 38.1%3.º Ciclo 8 38.1%1. Com que frequência costuma usar a biblioteca escolar (BE) ou os seus recursos no âmbito das suasfunções docentes?Diariamente 3 14.3%Uma ou duas vezes por semana 10 47.6%Uma ou duas vezes por mês 6 28.6%Muito raramente e de forma irregular 2 9.5%2. Com que objectivo(s) utiliza a BE ou os seus recursos no seu trabalho docente?Assinale as três situações mais frequentes que ocorrem consigo2.1 Situação 1Ler/ consultar com os alunos obras de referência ou livros específicos. 17 31.5%Utilizar os computadores com os alunos 11 20.4%Ver vídeos/ DVD com os alunos. 1 1.9%Seleccionar/ requisitar materiais para a sala de aula 14 25.9%Fazer empréstimo domiciliário com a turma. 5 9.3%Realizar trabalho pessoal e profissional. 6 11.1% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 40/58
  • 41. 2.2 Situação 2sem respostas2.3 Situação 3sem respostas3. Nas suas funções docentes, costuma articular e/ou planear actividades com o professor bibliotecário oucom a equipa da BE?Sempre 2 9.5%Regularmente 11 52.4%Ocasionalmente 8 38.1%3.1 Em caso afirmativo, em que contexto mais acontece essa articulação?Enquanto docente titular de turma/ grupo de uma disciplina/ área curricular. 15 71.4%Enquanto docente de ACND. 2 9.5%Enquanto coordenador de departamento/ responsável de área. 1 4.8%No âmbito de determinados projectos/ programas (PNL 3 14.3% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 41/58
  • 42. 4. Classifique o seu conhecimento sobre os recursos da BE:Muito Bom 4 19.0%Bom 13 61.9%Razoável 4 19.0%5. Classifique o nível dos recursos da BE para apoio à sua prática educativa/ lectiva:Muito Bom 9 42.9%Bom 11 52.4%Razoável 1 4.8% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 42/58
  • 43. 6. Costuma proceder à integração de competências de informação na planificação e tratamento dasdiferentes áreas de conteúdo/ unidades de ensino?Sempre 2 9.5%Regularmente 15 71.4%Ocasionalmente 4 19.0%7. Na sua prática lectiva, promove a utilização da BE ou dos seus recursos nos trabalhos de pesquisaefectuados pelos seus alunos?Sempre 8 38.1%Regularmente 11 52.4%Ocasionalmente 2 9.5%8. Quando utilizam a BE ou os seus recursos, os seus alunos estão munidos das indicações sobre a tarefaa executar e de sugestões de bibliografia a consultar?Sempre 12 57.1%Regularmente 7 33.3%Ocasionalmente 2 9.5% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 43/58
  • 44. 8.1 Como apoio para os trabalhos de pesquisa dos alunos costuma utilizar:Pode assinalar mais do que uma opção.O modelo/ guião de pesquisa proposto para a escola/ agrupamento ou usado pela BE. 8 25.0%Um guião de pesquisa produzido por si. 14 43.8%Orientações que dá oralmente aos alunos. 10 31.2%9. Já participou em actividades de formação de utilizadores para o uso da BE, promovidas pelo professorbibliotecário/ equipa da BE?Sim 10 47.6%Não 11 52.4% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 44/58
  • 45. 10. Já colaborou com o professor-bibliotecário/ equipa na realização de actividades na BE ou em sala deaula com alguma turma/ grupo?Sim 19 90.5%Nunca solicitei colaboração 2 9.5%11. Já colaborou com a BE na selecção ou produção de materiais de apoio necessários à condução deactividades na BE ou em sala de aula?Sim 15 71.4%Nunca solicitei colaboração 6 28.6%12. Se respondeu afirmativamente à questão 10 e 11, que balanço faz da sua experiência de trabalho e decolaboração com a BE?Muito positivo 18 94.7%Positivo 1 5.3% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 45/58
  • 46. 14. Como classifica as suas competências pessoais para o uso autónomo da BE ou dos seus recursos comos seus alunos?14.1 Competências para usar os serviços e equipamentos da BE.Boas 16 76.2%Médias 5 23.8%14.2 Competências para uso das TIC.Boas 15 71.4%Médias 6 28.6% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 46/58
  • 47. 14.3 Competências para explorar diferentes materiais (livros, CD, DVD, Internet) e usá-los em situação deensino-aprendizagem.Boas 16 76.2%Médias 5 23.8%15. Como classifica, em geral, as competências para o uso autónomo da BE ou dos seus recursos, por partedos seus alunos?15.1 Competências para usar os serviços e equipamentos da BE.Boas 9 42.9%Médias 10 47.6%Fracas 2 9.5%15.2 Competências para uso das TIC.Boas 11 52.4%Médias 9 42.9%Fracas 1 4.8% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 47/58
  • 48. 15.3 Competências para explorar diferentes materiais (livros, CD, DVD, Internet), elaborar trabalhos eapresentá-los.Boas 11 52.4%Médias 9 42.9%Fracas 1 4.8%16. Como avalia o contributo dado pela BE para o desenvolvimento nos alunos deste tipo de competências?Muito Bom 12 57.1%Bom 8 38.1%Razoável 1 4.8% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 48/58
  • 49. 17. Assinale entre os seguintes tipos de materiais/ ferramentas, aquele(s) que já alguma vez utilizou por suainiciativa ou sugestão da BE:Maleta Pedagógica 6 13.6%Lista seleccionada de sítios Web 9 20.5%Guia como elaborar um trabalho 11 25.0%Guião de pesquisa 7 15.9%Webquest 2 4.5%Catálogo da BE 9 20.5%18. Em que medida considera que a BE influencia, nos seus alunos, o desenvolvimento de valores eatitudes de convivência, iniciativa, cooperação e autonomia?Muito 20 95.2%Razoavelmente 1 4.8% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 49/58
  • 50. Relatório de avaliação808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva2011/07/26 14:27:2850/58
  • 51. GO1. Grelha de observação – Valores e atitudes1. Manifesta autonomia no trabalho(p. ex. não está sempre a pedir ajuda)sem respostas2. Manifesta motivação e interesse pelas tarefas atribuídas(p. ex. mostra-se focado na tarefa e não se dispersa)sem respostas3. Segue as orientações e sugestões dadas pelo docente ou pela equipa da BE.sem respostas4. Gere de forma adequada o tempo disponível para a tarefa.sem respostas5. Trabalha de forma adequada em grupo, ajuda os colegas.sem respostas6. Partilha ideias e conhecimentos com os outros colegas.sem respostas7. Assume um comportamento adequado na biblioteca (p. ex., revela cortesia no tratamento, segue as regrasde utilização da BE).sem respostas8. Interage em ambientes em linha, cumpre regras de utilização e adopta comportamentos de segurança nautilização da Internet.sem respostas9. Respeita os direitos de autor, identificando a autoria das fontes de informação utilizadas e recusando oplágio.sem respostasNotaA grelha pode ser usada numa mesma ocasião ou em situações distintas; pode ser utilizada para registo individual ou relativo às competências globalmente demonstradas porum determinado grupo. Devem ser seleccionadas as competências (em função do ano/ ciclo de escolaridade) mais significativas para a observação a realizar. Esta análisepode ser realizada em colaboração com o docente da turma. A grelha pode também ser utilizada para obter uma perspectiva diacrónica sobre um determinado aluno ou grupode alunos. Neste caso, no cabeçalho identifica-se o aluno/ os alunos e nas colunas indica-se a data em que é realizada a observação, possibilitando o registo do panorama aolongo de um ano lectivo, por exemplo. Assim, a primeira observação corresponderá à situação inicial do aluno ou grupo de alunos, servindo de referência e de elemento decomparação na análise evolutiva. Nos 1º e 2º ciclos do Ensino Básico algumas das competências listadas devem ser trabalhadas com o apoio do professor e/ou da BE.Oregisto das observações diz respeito ao total de níveis 1, 2, 3 ou 4 atribuídos em cada item ao conjunto dos alunos ou grupos observados. Se se pretender discriminar essasobservações por grupo ou aluno, terão de ser enviados aos responsáveis pela observação tantos exemplares quantos os grupos ou alunos a observar. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 51/58
  • 52. GO2. Grelha de observação – Literacias da informação, tecnológica e digital1. Define a questão ou problema a tratar, através de diálogo, identificação de palavras-chave, levantamentodo que já conhece sobre o tópico, colocação de questões, outros.sem respostas2. Identifica fontes de informação potenciais e formas de lhes aceder.sem respostas3. Consulta o catálogo da BE ou de outras bibliotecas.sem respostas4. Localiza livros e outros recursos na biblioteca.sem respostas5. Pesquisa informação na Internet e noutros suportes digitais (CD, DVD, CD-ROM, outros).sem respostas6. Regista as referências bibliográficas dos documentos utilizados.sem respostas7. Utiliza os dados informativos de um texto ou obra para a escolher/ rejeitar de acordo com o seu conteúdoe utilidade, através da análise dos títulos e subtítulos, índices, resumos, outros.sem respostas8. Avalia a relevância, fiabilidade e validade da informação nos diferentes recursos.sem respostas9. Localiza e extrai informação de diferentes suportes e tipos de documentos, recorrendo à percepção globale à leitura rápida e em diagonal do seu conteúdo, seguindo ligações preferenciais, outros.sem respostas10. Utiliza estratégias adequadas para registo de informação (toma notas, faz resumos, selecciona excertos,identifica frases e palavras-chave, realiza esquemas, outros).sem respostas11. Apresenta e comunica a outros, explorando diferentes ambientes e meios de comunicação, os resultadosdos seus trabalhos.sem respostasNotaA grelha pode ser usada numa mesma ocasião ou em situações distintas; pode ser utilizada para registo individual ou relativo às competências globalmente demonstradas porum determinado grupo. Devem ser seleccionadas as competências (em função do ano/ ciclo de escolaridade) mais significativas para a observação a realizar. Esta análisepode ser realizada em colaboração com o docente da turma. A grelha pode também ser utilizada para obter uma perspectiva diacrónica sobre um determinado aluno ou grupode alunos. Neste caso, no cabeçalho identifica-se o aluno/ os alunos e nas colunas indica-se a data em que é realizada a observação, possibilitando o registo do panorama aolongo de um ano lectivo, por exemplo. Assim, a primeira observação corresponderá à situação inicial do aluno ou grupo de alunos, servindo de referência e de elemento decomparação na análise evolutiva. Nos 1º e 2º ciclos do Ensino Básico algumas das competências listadas devem ser trabalhadas com o apoio do professor e/ou da BE.Oregisto das observações diz respeito ao total de níveis 1, 2, 3 ou 4 atribuídos em cada item ao conjunto dos alunos ou grupos observados. Se se pretender discriminar essasobservações por grupo ou aluno, terão de ser enviados aos responsáveis pela observação tantos exemplares quantos os grupos ou alunos a observar. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 52/58
  • 53. T1. Grelha de análise de trabalhos escolares dos alunos1. Utiliza diferentes fontes de informação, impressas ou digitais2 17 27.4%3 15 24.2%4 30 48.4%2. Selecciona informação relevante de acordo com a tarefa/ tema abordado.2 17 27.4%3 10 16.1%4 35 56.5%3. Combina de forma adequada informação recolhida em diferentes fontes.2 12 19.4%3 15 24.2%4 35 56.5% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 53/58
  • 54. 4. Distingue entre facto e opinião.2 17 27.4%3 10 16.1%4 35 56.5%5. Compara, avalia e produz argumentos e pontos de vista, revelando espírito crítico.2 17 27.4%3 15 24.2%4 30 48.4% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 54/58
  • 55. 6. Aprofunda, por sua própria iniciativa, a tarefa inicialmente proposta.(p. ex, recorre a outras leituras e a outras fontes para além das indicadas)1 5 8.1%2 12 19.4%3 10 16.1%4 35 56.5%7. Selecciona o estilo apropriado de acordo com o tipo de trabalho e os destinatários.2 15 24.2%3 12 19.4%4 35 56.5%8. Utiliza imagens com critério, devidamente relacionadas com os conteúdos e legendadas.2 15 24.2%3 10 16.1%4 37 59.7% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 55/58
  • 56. 9. Organiza o documento de acordo com um índice ordenado de que fazem parte uma introdução, umdesenvolvimento (eventualmente dividido em partes ou capítulos) e uma conclusão.2 17 27.4%3 10 16.1%4 35 56.5%10. Recorre sempre que necessário à inclusão de notas, ligações para páginas Web ou anexos,devidamente sinalizados.1 5 8.1%2 12 19.4%3 10 16.1%4 35 56.5% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 56/58
  • 57. 11. Regista as referências dos documentos utilizados numa bibliografia.2 17 27.4%3 24 38.7%4 21 33.9%12. Selecciona as modalidades de apresentação da informação mais adequadas aos fins a que se propõe –apresentação electrónica, portefólio, trabalho escrito, cartaz, registo sonoro, vídeo, outros.2 10 16.1%3 17 27.4%4 35 56.5% Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 57/58
  • 58. 13. Manifesta criatividade e proficiência técnica na exploração das ferramentas necessárias à produçãomultimédia.2 17 27.4%3 10 16.1%4 35 56.5%NotaA grelha pode ser usada numa mesma ocasião ou em situações distintas; pode ser utilizada para registo individual ou relativo às competências globalmente demonstradas porum determinado grupo. Devem ser seleccionadas as competências (em função do ano/ ciclo de escolaridade) mais significativas para a observação a realizar. Esta análisepode ser realizada em colaboração com o docente da turma. A grelha pode também ser utilizada para obter uma perspectiva diacrónica sobre um determinado aluno ou grupode alunos. Neste caso, no cabeçalho identifica-se o aluno/ os alunos e nas colunas indica-se a data em que é realizada a observação, possibilitando o registo do panorama aolongo de um ano lectivo, por exemplo. Assim, a primeira observação corresponderá à situação inicial do aluno ou grupo de alunos, servindo de referência e de elemento decomparação na análise evolutiva. Nos 1º e 2º ciclos do Ensino Básico algumas das competências listadas devem ser trabalhadas com o apoio do professor e/ou da BE. Oregisto resultante da análise de trabalhos escolares diz respeito ao total de níveis 1, 2, 3 ou 4 atribuídos em cada item ao conjunto dos trabalhos analisados. Se se pretenderdiscriminar esses resultados por grupo ou aluno, terão de ser enviados aos responsáveis pela análise tantos exemplares quantos os trabalhos dos grupos ou alunos aanalisar. Relatório de avaliação 808125 Escola Básica Integrada Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva 2011/07/26 14:27:28 58/58