• Like
Manual procedimentos be_-_pdf
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Manual procedimentos be_-_pdf

  • 1,314 views
Published

 

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,314
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
46
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE Manual de Procedimentos da Biblioteca Escolar Centro de Recursos EducativosGRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉ 1
  • 2. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECREÍNDICEI-INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 – Objectivos ………………………………………………………………………………………..…… 3 1.2 - Introdução ……………………………………………………………………………………………. 3 1.3 - Constituição do Fundo Documental da Biblioteca ………………………………………………. 3 1.4 - Modos de Aquisição de Documentos ………………………………………………………………. 4 1.5 - Periodicidade de revisão do Manual de Procedimentos ………………………………………… 4II - ARRUMAÇÃO DE DOCUMENTOS ………………………………………………………………………… 5III- FUNCIONAMENTO DA ZONA DE ATENDIMENTO ……………………………………………………. 5 3.1 - Tarefas gerais diárias ….…………………………………………………………………………. 5IV- UNIFORMIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS NO TRATAMENTO DOCUMENTAL ………………….. 5 4.1 – Carimbagem………………………………………………………………………………………… 5 4.2 – Registo de Monografias…………………………………………………………………. …………. 5 4.3 – Registo de Material Não Livro………………………………………………………… …………… 6 4.3.1 - Registo de DVD’s…………………………………………………………………………. 6 4.3.2 - Registo de CD’s………………………………………………………………………….. 7 4.3.3 - Registo dos vídeos………………………………………………………………………. 8 4.3.4 - Registo de CD-ROM’s …………………………………………………………………. 8 4.3.5 - Registo de CD-ROM’s das revistas ……………………………………………………. 9 4.3.6 - Registo de Jogos………………………………………………………………………… 9 4.4 - Abate de documentos na base bibliográfica (Bibliobase) ………………………………………… 10 4.5 – Catalogação…………………………………………………………………………………………...10 4.5.1 - Nível de descrição…………………………………………………………………………11 4.5.2 - Fundo Adulto – monografias……………………………………………………………...11 4.5.3 - Fundo Infanto/Juvenil…………………………………………………………………….12 4.5.4 - Fundo Áudio……………………………………………………………………………. 12 4.5.5 - Fundo Vídeo e DVD’s …………………………………………………………………. 13 4.6 - Recursos Electrónicos ………………………………………………………………………………. 14 4.7 – Encabeçamentos ……………………………………………………………………………………. 14 4.8 – UNIMARC Bibliográfico …………………………………………………………………………. 15 4.8.1 – Monografias …………………………………………………………………………… 15 4.8.2 - Registo de Vídeos ………………………………………………………………………. 17 4.8.3 - Registo de Áudio………………………………………………………………………….19 4.8.4 - Descrição de Recursos Electrónicos………………………………………………………20 4.9- Cota 4.9.1 – Colagem da Etiqueta de Cota…………………………………………………………. 21 4.10 -Política para arquivar/guardar as Publicações Periódicas ………………………………………23 4.11 - Outros Procedimentos ……………………………………………………………………………...23 2
  • 3. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECREI-INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 – Objectivos1) Tomar claros e uniformes os procedimentos dos funcionários, de modo a garantireficácia no serviço;2) Concorrer para atitudes de profissionalismo, competência e educação com vista àexcelência do serviço. 1.2 – IntroduçãoA Biblioteca deve disponibilizar aos utilizadores um conjunto diversificado de suportesde informação, os quais podemos tipificar segundo características comuns quepossibilitam o seu tratamento e descrição em biblioteconomia.Nesse sentido, a Biblioteca está organizada de modo a assegurar com padrões dequalidade e pertinência, a informação necessária para garantir o acesso à informação eao conhecimento por parte dos utilizadores.O Manual de Procedimentos é um documento em aberto e em constante reestruturação,mas terá a vantagem de permitir a uniformização e a continuidade nas decisões ecritérios tomados. Daí que contenha toda uma série de medidas técnicas, entre as quais otratamento documental nas suas várias componentes, que constitui, afinal, o circuito dodocumento na Biblioteca Escolar / Centro de Recursos Educativos:- Selecção- Aquisição- Registo- Carimbagem- Catalogação- Classificação- Indexação- Cotação- Arrumação nas Estantes 1.3 - Constituição do Fundo Documental da Biblioteca  MONOGRAFIAS – obras com uma unidade de conteúdo, com texto, por vezes com ilustrações. Podem ser constituídos por um ou mais volumes publicados numa mesma data ou em momentos diferentes, segundo um plano preestabelecido. São o caso dos livros, actas, relatórios, etc.  OBRAS DE REFERÊNCIA – obras que permitem ao utilizador uma primeira abordagem sobre qualquer assunto remetendo-o para outras leituras. São obras de referência: as biografias, as bibliografias, as enciclopédias, os dicionários, o atlas, os directórios, etc.  PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS ou publicações em série – documentos impressos, publicados em partes sucessivas, com designação numérica e cuja publicação pressupõe uma continuidade, com periodicidade variada. São o caso dos jornais, revistas, boletins bibliográficos, boletins informativos...  MATERIAL NÃO LIVRO ou documento não textual – é todo o documento que não se inclui nos tipos anteriores e que serve de material pedagógico, de 3
  • 4. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE informação e lazer: mapas, cartazes, cassete de vídeo, jogos, CD’s, CD-ROM’s, DVD’s, etc. 1.4 – Modos de Aquisição de DocumentosOs modos de aquisição para o fundo documental da Biblioteca são: a compra, e aoferta/doação.  compra – é o mais comum. Neste procedimento, é conveniente conhecer o mundo da produção de livros (o editor), da sua distribuição (o distribuidor) e da venda (o livreiro).  oferta/doações – atendendo às dificuldades orçamentais, as bibliotecas devem procurar, tanto quanto possível, receber doações de diferentes entidades e até, de particulares. Porém, receber ofertas, não significa receber obras sem interesse. Devemos ser selectivos e guardar apenas os títulos que vão ao encontro dos objectivos da biblioteca e, consequentemente, dos interesses dos leitores. 1.5 – Periodicidade de revisão do Manual de ProcedimentosEste manual poderá ser alterado sobre proposta do responsável desta biblioteca e/ousempre que este considere necessário.II- ARRUMAÇÃO DE DOCUMENTOS  Os livros têm que estar organizados nas estantes pelas classes da CDU e pelo Alfabeto;  Os livros não podem estar tombados nas estantes, com aspecto de desleixo;  Os livros que os leitores deixam nas mesas devem ser arrumados o mais depressa possível;  Os documentos audiovisuais devem encontrar-se sempre arrumados;  Os documentos audiovisuais não devem ficar muito tempo na secretária ou nos carrinhos;  Verificar se o expositor das novidades está bem preenchido e arrumado;  Verificar se há documentos danificados.  Verificar se os livros, as prateleiras e as mesas têm pó, no caso positivo, avisar as funcionárias de limpeza.III - FUNCIONAMENTO DA ZONA DE ATENDIMENTO 3.1 - Tarefas gerais diárias:  O balcão deve estar sempre arrumado;  Os documentos entregues pelos utilizadores devem ser arrumados;  Sempre que houver listas de reservas estas devem ser verificadas;  Recolher as sugestões/reclamações que os utilizadores deixam no local existente para o efeito e entregar ao responsável;  Verificar quais os leitores que têm documentos em atraso;  Verificar e actualizar a base de dados de leitor. 4
  • 5. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECREIV - UNIFORMIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS NO TRATAMENTODOCUMENTALDepois de adquiridos quer por compra, oferta/doação existe toda uma série deprocedimentos no tratamento dos documentos, a saber: 4.1 – CarimbagemTodo o documento que dê entrada na biblioteca, qualquer que seja a sua natureza, deveser carimbado.Um carimbo grande que deve conter o nome da biblioteca, um espaço para o número deentrada (registo) do documento. Este carimbo deverá ser colocado na Página de Rostoem local sempre visível. Sempre que a página seja ilustrada ou com informaçãodeverá ser posto num local aproximado mas, nunca no canto inferior direito oucanto superior direito (a ilustração não deverá ficar danificada com os carimbos);Obs.: Nos livros em que as folhas sejam enceradas, (i. e. macias e lustrosas), emque se fique na dúvida se a tinta do carimbo pegará ou não na folha, estes, deverãoser postos em etiquetas brancas, próprias para o efeito, e depois colados nosrespectivos sítios. 4.2 – Registo de MonografiasApós ser carimbado, todo o documento deve ser numerado, numa ordem sequencial eregistado no Livro de Registo de Entrada de Livros na BibliotecaO registo é uma operação administrativa que tem como objectivo inventariar todo o tipode documentos que constituem o fundo documental de uma biblioteca. 4.2.1 - Regras Gerais: 5
  • 6. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE a) - Ao registar um livro, nunca se coloca uma responsabilidade secundária como autor, ou seja, tradutor, coordenador, etc. Se na página de rosto ou na ficha técnica não vier mencionado o autor de responsabilidade principal o espaço não é preenchido; b) - O título da obra tem de ficar completo mas, se for muito comprido, escreve- se até à quinta palavra e só depois é que se coloca reticências; c) - Sempre que a obra não faça referência ao editor ficará registado [S.n.], sem nome. Caso a obra refira que é uma edição do autor, será o nome do autor que fica registado no espaço do editor; d) - Sempre que na obra não vier mencionado o local de edição, será registado [S.l.], sem local. No caso de se saber qual a localidade da editora, ficará registado o nome do local entre parênteses rectos, por exemplo, [Mem Martins]; e) – No preenchimento da data, colocamos sempre a mais recente, e no caso desta não vir mencionada ficará uma data aproximada que ficará entre parêntesis rectos (por ex.: [ 20]); f) - No livro de registo nunca são utilizadas aspas; g) - Tudo o que não vem mencionado na obra e é posto de nossa autoria deve ser colocado entre parênteses rectos; g) – Nos casos de documentos perdidos ou danificados deverá ser mencionado a lápis no Livro de Registo, nas Observações, o seguinte frase A AGUARDAR SUBSTITUIÇÃO, com a respectiva data e por um período que não deverá ultrapassar os 6 meses. Findo esse prazo, apaga-se o que está a lápis e passará a documento ABATIDO h) – Nos documentos abatidos será colocado um traço a vermelho, no Livro de Registo, correspondente ao documento e nas Observações será anotado ABATIDO (a vermelho); i) – O Nº de Registo abatido nunca será reutilizado; j) – Cabe ao funcionário, que está a registar as monografias, de verificar no Livro de Registo, se há registos para serem ABATIDOS 4.3 – Registo de Material Não Livro 4.3.1 - Registo de DVD’sO registo do documento é feito no computador, numa folha de Excel, na pasta “Livro deRegistos” com o nome de Registo DVD, ou em livro próprio. É necessário preenchero número de registo, a responsabilidade principal, título da obra, editora, data do dia emque está a ser registado e o modo de aquisição. Nos casos de documentos perdidos oudanificados deverá ser mencionado no [Livro de Registo], nas Observações, o seguintefrase A AGUARDAR SUBSTITUIÇÃO, com a respectiva data e por um período quenão deverá ultrapassar os 6 meses. Findo esse prazo, apaga-se e passará a documentoABATIDO. 6
  • 7. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRENos documentos abatidos será colocado um traço a vermelho, [no Livro de Registo],correspondente ao documento e nas Observações será anotado ABATIDO (avermelho). O Nº de Registo abatido nunca será reutilizado. Cabe ao funcionário, queestá a registar, e verificar no [Livro de Registo], se há registos para serem ABATIDOS. 4.3.2 - Registo de CD’sO registo do documento é feito no computador, numa folha de Excel, na pasta “Livro deRegistos” com o nome de Registo CD’s ou em livro próprio. É necessário preencher onúmero de registo, a responsabilidade principal, título da obra, editora, data do dia emque está a ser registado e o modo de aquisição. Nos casos de documentos perdidos oudanificados deverá ser mencionado no [Livro de Registo], nas Observações, o seguintefrase A AGUARDAR SUBSTITUIÇÃO, com a respectiva data e por um período quenão deverá ultrapassar os 6 meses. Findo esse prazo, apaga-se e passará a documentoABATIDO.Nos documentos abatidos será colocado um traço a vermelho, [no Livro de Registo],correspondente ao documento e nas Observações será anotado ABATIDO (avermelho). O Nº de Registo abatido nunca será reutilizado. Cabe ao funcionário, queestá a registar, de verificar no [Livro de Registo], se há registos para seremABATIDOS. 4.3.3 - Registo dos vídeos 7
  • 8. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECREO registo do documento é feito no computador, numa folha de Excel, na pasta “Livro deRegistos” com o nome de Registo Vídeos ou em livro próprio. É necessário preenchero número de registo, a responsabilidade principal, título da obra, editora, data do dia emque está a ser registado e o modo de aquisição. Nos casos de documentos perdidos oudanificados deverá ser mencionado no [Livro de Registo], nas Observações, o seguintefrase A AGUARDAR SUBSTITUIÇÃO, com a respectiva data e por um período quenão deverá ultrapassar os 6 meses. Findo esse prazo, apaga-se e passará a documentoABATIDONos documentos abatidos será colocado um traço a vermelho, no [Livro de Registo],correspondente ao documento e nas Observações será anotado ABATIDO (avermelho). O Nº de Registo abatido nunca será reutilizado. Cabe ao funcionário, queestá a registar, de verificar no [Livro de Registo], se há registos para seremABATIDOS. 4.3.4 - Registo de CD-ROM’sO registo do documento é feito no computador, numa folha de Excel, na pasta “Livro deRegistos” com o nome de Registo Cd-rom ou em livro próprio. É necessáriopreencher o número de registo, a responsabilidade principal, título da obra, editora, datado dia em que está a ser registado e o modo de aquisição. Nos casos de documentosperdidos ou danificados deverá ser mencionado no [Livro de Registo], nas Observações,o seguinte frase A AGUARDAR SUBSTITUIÇÃO, com a respectiva data e por umperíodo que não deverá ultrapassar os 6 meses. Findo esse prazo, apaga-se e passará adocumento ABATIDO.Nos documentos abatidos será colocado um traço a vermelho, no [Livro de Registo],correspondente ao documento e nas Observações será anotado ABATIDO (avermelho). O Nº de Registo abatido nunca será reutilizado. Cabe ao funcionário, queestá a registar, de verificar no [Livro de Registo], se há registos para seremABATIDOS. 8
  • 9. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE 4.3.5 - Registo de CD-ROM’s das revistasO registo do documento é feito no computador, numa folha de Excel, na pasta “Livro deRegistos” que com o nome de Registo Cd-rom ou em livro próprio. É necessáriopreencher o número de registo, título da obra, editora, data do dia em que está a serregistado, a periodicidade, as observações e o tipo de suporte.Nos casos de documentos perdidos ou danificados deverá ser mencionado a lápis noLivro de Registo, nas Observações, o seguinte frase A AGUARDARSUBSTITUIÇÃO, com a respectiva data e por um período que não deverá ultrapassaros 6 meses. Findo esse prazo, apaga-se o que está a lápis e passará a documentoABATIDO.Nos documentos abatidos será colocado um traço a vermelho, no Livro de Registo,correspondente ao documento e nas Observações será anotado ABATIDO (avermelho). O Nº de Registo abatido nunca será reutilizado. Cabe ao funcionário, queestá a registar, de verificar no Livro de Registo, se há registos para serem ABATIDOS. 4.3.6 - Registo de JogosO registo do documento é feito no computador, numa folha de Excel, na pasta “Livro deRegistos” com o nome de Livro de Registo dos Jogos ou em livro próprio. Énecessário preencher o número de registo, título da obra, editora, data do dia em queestá a ser registado, modo de aquisição e observações, onde será colocada a composição 9
  • 10. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE do jogo. Nos casos de documentos perdidos ou danificados deverá ser mencionado no[Livro de Registo], nas Observações, o seguinte frase A AGUARDARSUBSTITUIÇÃO, com a respectiva data e por um período que não deverá ultrapassaros 6 meses. Findo esse prazo, apaga-se e passará a documento ABATIDO.Nos documentos abatidos será colocado um traço a vermelho, no [Livro de Registo],correspondente ao documento e nas Observações será anotado ABATIDO (avermelho). O Nº de Registo abatido nunca será reutilizado. Cabe ao funcionário, queestá a registar, de verificar no [Livro de Registo], se há registos para seremABATIDOS. 4.4 - Abate de documentos na base bibliográfica (Bibliobase) Como fazer: a) - No módulo de catalogação e pesquisa abrir o registo a abater; b) – No campo 215 no subcampo a (^a) – descrição física – digitar exactamente o nº de volumes, que temos na biblioteca, descontando o volume que foi abatido, isto se tivermos a obra completa; c) – No campo 966, abrir o subcampo n (^n) e escrever: ABATIDO; d) – No campo 966, abrir o subcampo 9 (^9) e seleccionar o código 1; e) - Caso seja uma publicação em vários volumes, terá que se eliminar os volumes a mais no campo 930, no subcampo d (^d); f) – Estes procedimentos repetem-se nos vários suportes de documentos. 4. 5 - CatalogaçãoAs presentes regras foram elaboradas com os seguintes fins: a) – Definir os elementos de identificação e de descrição dos documentos que constituem o fundo da biblioteca; 10
  • 11. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE b) – Determinar quais os elementos julgados necessários à descrição desses documentos, tendo sempre presentes os interesses dos utilizadores; c) – Fixar a forma de apresentação desses elementos; d) – Reduzir o nível e multiplicidade dos erros que sempre se verificam; e) – Uniformidade, normalização e qualidade dos dados; f) – Tornar mais célere a descrição catalográfica do fundo da biblioteca;A Catalogação é a descrição bibliográfica de um documento. Os elementos da descriçãobibliográfica são retirados da própria monografia, prioritariamente e principalmente daPágina de Rosto e só quando forem insuficientes é que devem ser retirados de outrafonte de informação (por exemplo da Ficha Técnica).Utilizaremos como ferramentas para a catalogação as R.C.P./Manual de Unimarc/ISBD(s)/ SBD(NBM)/ ISBD(ER) 4.5.1 – Nível de descriçãoDescrição bibliográfica:Tomaremos como norma a utilização do nível intermédio de descrição tal como édefinido internacionalmente:Título próprio [indicação geral da natureza do documento]. Título próprio de outroautor: complemento de título/1ª menção de responsabilidade; 2ª e outras menções deresponsabilidade. – Menção de edição. – Local de edição: editor, data de edição. –Designação específica de material e extensão: outros pormenores físicos. – (títulopróprio da colecção; nº dentro da colecção)Definida a norma, indica-se algumas especificações de implementação respeitante aosvários fundos: 4.5.2 - Fundo Adulto – monografias: a) - Só devem ser referidas as autorias principais. No caso de ilustradores, editores literários, prefaciadores, etc. só devem indicar-se se forem personalidades de reconhecido mérito cultural, nomeadamente portuguesas, ou se se verificar, através da análise do documento, que este tipo de informação é essencial; b) - Devem indicar-se sempre que essa informação vier na página de rosto ou então se se verificar que essa informação é essencial; c) - A indicação geral do documento não deve ser utilizada; d) - A menção de edição só deve ser usada para edições para além da primeira; e) - Só em casos muito raros deve ser utilizado mais do que um local de edição e editor; 11
  • 12. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE f) - A referência à ilustração só deve ser utilizada quando assumir uma importância relevante no conjunto do documento; g) – é obrigatório preencher o campo da descrição física se o documento trouxer material acompanhante; h) – Só em casos excepcionais deverá ser feita uma descrição em níveis e esta deve seguir o estipulado pelas Regras Portuguesas de Catalogação; i) – a informação respeitante à colecção é obrigatória; j) – O campo da cota sumária só deverá ser preenchido nos registos cujas obras sejam em volumes para as restantes obras, isto é, obras com mais que um exemplar não se preenche o campo da Cota Sumária; k) – No campo da cota – 966 – o dólar para indicação do nº de volume é o ^v e não o ^d. 4.5.3 - Fundo Infanto/Juvenil: a) - Só devem ser referidas as autorias principais, o que no caso deste tipo de documentos inclui obrigatoriamente os ilustradores; b) - A indicação geral da natureza do documento não deve ser utilizada; c) - A menção de edição só deve ser usada para edições para além da primeira; d) - Só em casos muito raros deve ser utilizado mais que um local de edição e editor; e) – O campo da descrição física é obrigatório, assim como, a referência à ilustração; f) - A informação respeitante à colecção é obrigatória; g) – O campo da cota sumária só deverá ser preenchido nos registos cujas obras sejam em volumes para os restantes registos, isto é, os registos com mais que um exemplar não se preenche o campo da Cota Sumária; h) – No campo da cota – 966 – o dólar para indicação do nº de volume é o ^v e não o ^d. i) – Os livros que não tenham as páginas numeradas é feita a contagem das mesmas e o carimbo é colocado de acordo com o predefinido. 4.5.4 - Fundo Áudio a) - Os títulos que compõem o documento e estejam impressos no CD devem ser dados, obrigatoriamente, em nota; b) - A referência às autorias deve ser exaustivas quanto a intérpretes e autores de trechos musicais e letras, assim como no caso da música pop a indicação dos produtores; c) - Outro tipo de responsabilidade pode excluir-se a não ser que essa informação se revele essencial; 12
  • 13. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE d) - No caso da música clássica, o autor de trecho, bem como os intérpretes (individuais ou grupos), bem assim, os maestros e os solistas devem constituir autorias; e) - A indicação geral da natureza do documento é obrigatória – [Registo sonoro]; f) - A menção de edição só deve ser usada para edições para além da primeira; g) - Só em casos muito raros deve ser utilizado mais que um local de edição e editor; h) – A descrição em níveis deve seguir o estipulado pelas Regras Portuguesas de Catalogação e seguir as ISBD(NBM); i) - A fonte de informação para o título de um CD é o próprio disco. Os títulos traduzidos para português serão dados no bloco 5 no campo 512; j) – Na descrição física deverá ser utilizada a seguinte terminologia: “1 disco óptico (CD)” e a dimensão do disco: 12 cm; k) - Só em casos excepcionais deverá ser feita uma descrição em níveis e esta deve seguir o estipulado pelas Regras Portuguesas de Catalogação; l) - A folha de recolha para catalogar um CD audio (música) é a folha “Registos Sonoros Músicais” m) - A folha de recolha para catalogar um CD audio (não música) é a folha “Registos Sonoros Não Músicais”; n) – No campo da cota – 966 – o dólar para indicação do nº de volume é o ^v e não o ^d. 4.5. 5 - Fundo Vídeo e DVD’s a) - A referência às autorias deve ser exaustiva quanto a realizadores, produtores, guionistas, intérpretes. Devem ser consideradas como autorias principais o realizador e o produtor. No caso dos documentários “científicos” os conselheiros técnicos devem ser considerados autorias de segundo nível; b) - A indicação geral da natureza do documento é obrigatória – [Registo vídeo]; c) - Só em casos muito raros deve ser utilizado mais que um local de edição e editor; d) - A fonte de informação para o título de um filme é o próprio disco; e) – Será título próprio - ^a, o título que estiver em português. Se o título que vem no disco é exclusivamente o original (língua estrangeira) este entra como título próprio; 13
  • 14. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE f) – Se no disco existir título escrito em línguas diferentes, o título próprio será o que estiver em português e o da outra língua será dado em ^d – título paralelo. O título original, não em português, será dado no bloco 5 – Título Paralelo: campo 510; g) – Se no disco o título próprio for o título original ( língua estrangeira) e o título em português estiver na capa, este será referenciado no bloco 3 – Nota ao Título: campo 304 e dado no bloco 5 – Título de Capa: campo 512; h) – Na descrição física deverá ser utilizada as seguintes terminologias: “1 disco óptico (DVD)” e 1 cassete (VHS), consoante o caso e a dimensão do disco: 12 cm; i) - Só em casos excepcionais deverá ser feita uma descrição em níveis e esta deve seguir o estipulado pelas Regras Portuguesas de Catalogação; j) - A folha de recolha para catalogar um vídeo ou DVD é a folha “Material de Projecção e Vídeo”; k) – No campo da cota – 966 – o dólar para indicação do nº de volume é o ^v. 4.6 - Recursos ElectrónicosDe acordo com a ISBD(ER) Recursos electrónico são todos os materiais controladospor computador, o que inclui, por exemplo, CD-Rom’s, disquetes com software ououtra informação e recursos à Internet. a) - Designação específica de material é obrigatória – [Recurso electrónico]; b) - A menção de responsabilidade está relacionada, também com o designer, desenvolvimento de software e/ou produtos; c) - Não deve ser considerada outra edição: a mudança de “invólucro” (por exemplo de disco para disquete) e as diferenças de formato de visualização (por exemplo, um recurso de acesso remoto reproduzido numa disquete ou disco óptico); d) – Na descrição física deverá ser utilizada a seguinte terminologia: 1 disco óptico (CD-ROM) e a dimensão do disco: 12 cm; e) - A descrição em níveis deve seguir o estipulado pelas Regras Portuguesas de Catalogação e seguir as ISBD(ER); f) - A folha de recolha para catalogar estes documentos é a folha “Multimédia”; g)– No campo da cota – 966 – o dólar para indicação do nº de volume é o ^v. 4.7 – EncabeçamentosO encabeçamento deve seguir, como base, as Regras Portuguesas de Catalogação. Paraalém do que estas estipulam, não esquecer: 14
  • 15. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉ MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE a) - No caso da música clássica, o encabeçamento é sempre pelo o autor d trecho/obra; b) - No caso de outros géneros musicais, o encabeçamento deve ser o intérprete; c) - No caso do vídeo, o encabeçamento deve ser o realizador; d) - No caso dos documentos multimédia, o encabeçamento deverá ser o produtor; 4.8 – UNIMARC Bibliográfico Uma correcta utilização do formato em todas as suas potencialidades é essencial para garantir uma recuperação eficaz dos documentos, bem como para disponibilizar uma informação suficiente e esclarecedora sobre a natureza de cada documento. Os quadros que se seguem, apresentam a utilização do formato para descrições/tipo, de cada uma dos fundos documentais. Indicam, também, quais os campos obrigatórios a preencherem de modo que a catalogação no formato Unimarc seja uniforme e mais célere. 4.8.1 - MonografiasCampo sub Descrição Notas ^a Número Internacional dos Livros - ISBN obrigatório 021 ^a Número do depósito legal – código de país obrigatório 100 ^a Dados gerais de processamento obrigatório 101 ^a Língua de publicação obrigatório ^c Língua do documento original Obrigatório para documentos noutras línguas 200 ^a Título e menção de responsabilidade – título próprio obrigatório ^e Título e menção de responsabilidade – informação de outro título Obrigatório se houver ^f Título e menção de responsabilidade – primeira menção de responsabilidade obrigatório 210 ^a Publicação, distribuição, etc. – lugar da edição, distribuição, etc. obrigatório ^c Publicação, distribuição, etc. – nome do editor, distribuidor, etc. obrigatório ^d Publicação, distribuição, etc. – data de publicação, distribuição, etc obrigatório ^f Publicação, distribuidor, etc. – menção de responsabilidade relativa à edição ^g Nome do impressor ^h Data da impressão obrigatório para Fundo Local 215 ^a Descrição física – indicação especifica da natureza do documento ^c Descrição física – outras indicações físicas obrigatório: - Fundo infanto/juvenil ^e Descrição física – material acompanhamento - quando existe material acomp. 225 ^a Título próprio da colecção obrigatório se houver ^v Indicação de volume 606 ^a Nome comum usado como assunto – elemento de entrada obrigatório 15
  • 16. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉ MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE ^x Nome comum usado como assunto – subdivisão de assunto Obrigatório se houver ^y Nome comum usado como assunto – subdivisão geográfica obrigatório se houver ^z Nome comum usado como assunto – subdivisão cronológica obrigatório se houver 675 ^a Classificação decimal Universal (CDU) – Notação obrigatório 700 ^a Nome de autor-pessoa física (resp. intel. principal) – palavra de ordem obrigatório se houver ^b Nome de autor-pessoa física (resp. intel. principal) – outra parte do nome obrigatório se houver ^f Responsabilidade principal – datas obrigatório se houver 701 ^a Nome de autor-pessoa física (co-resp. intel. principal) – palavra de ordem obrigatório se houver ^b Nome de autor-pessoa física (co-resp. intel. principal) – outra parte do nome obrigatório se houver 702 ^a Nome de autor-pessoa física (resp. intel. secundárial) – palavra de ordem obrigatório se houver ^b Nome de autor-pessoa física (co-resp. intel. secundária) – outra parte do nome obrigatório se houver não tomada para palavra de ordem710/712 É facultativo o nome de colectividade-autor, quer a de responsabilidade principal ou secundária 930 Cota sumária Obrigatório para doc. por vols. 966 Cota Obrigatório Atenção: todos os campos descritos no quadro acima são todos de preenchimento OBRIGATÓRIO. Notas Gerais: a) - Cataloga-se uma monografia numa folha de recolha [Monografias – Texto Impresso [MTI] b) – Verificar sempre, antes de abrir um novo, se o mesmo título/mesmo autor/mesma edição não está já catalogada e se estamos perante um 2º ou 3º... exemplar repetido c) - Ao preencher o campo 200 no ^a (título) ter em atenção, em colocar os bicos no inicio dos artigos definidos e indefinidos - < > ( ex.: <O >, <The >), assim como, a numeração deve estar entre bicos relacionados - <=> (ex.: <156= 156>) 1) – Bloco 5 - Campo dos Títulos Relacionados Quando uma obra tem mais que um título: a) - Se uma obra tiver mais que um títulos preenche-se o campo 517 – Títulos Relacionados; b) - Se uma obra infantil tiver mais que um título, serão considerados para efeito de preenchimento do campo 517 – Títulos Relacionados, os títulos mais tradicionais, até cinco títulos; c) - Se uma obra para adultos tiver mais que um título, serão considerados para efeito de preenchimento do campo 517, até dois títulos. 2) - Bloco 9 – Cota Para o preenchimento do campo 966, coloca-se o número de registo, o número de exemplares (se houver), o nº de volume (se houver), a sigla da Instituição e, por fim, a cota. 16
  • 17. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉ MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE a) - Para o preenchimento do campo 966, coloca-se o número de registo, o número de exemplares (se houver), o nº de volume (se houver), a sigla da Instituição e, por fim, a cota. b) - Se houver vários volumes preenche-se a cota sumária – campo 930 4.8.2 - Registo de Vídeoscampo sub descrição notas 100 ^a Dados gerais de processamento obrigatório 101 ^a Língua do texto, banda sonora, etc obrigatório 200 ^a Título e menção de responsabilidade – título próprio obrigatório ^b Título e menção de responsabilidade – indicação geral da natureza do [Registo vídeo] documento ^e Título e menção de responsabilidade – informação de outro título obrigatório se houver ^f Título e menção de responsabilidade – primeira menção de obrigatório se houver responsabilidade 210 ^a Publicação, distribuição, etc. – lugar da edição, distribuição, etc. obrigatório ^c Publicação, distribuição, etc. – nome do editor, distribuidor, etc. obrigatório ^d Publicação, distribuição, etc. – data de publicação, distribuição, etc. obrigatório 215 ^a Descrição física – indicação especifica da natureza do documento obrigatório ^c Descrição física – outras indicações físicas - cor obrigatório ^d Descrição física - duração obrigatório 323 ^a Notas ao elenco obrigatório 606 ^a Nome comum usado como assunto – elemento de entrada obrigatório ^x Nome comum usado como assunto – subdivisão de assunto obrigatório se houver ^y Nome comum usado como assunto – subdivisão geográfica obrigatório se houver ^z Nome comum usado como assunto – subdivisão cronológica obrigatório se houver 700 ^a Nome de autor-pessoa física (resp. intel. principal) – palavra de ordem obrigatório se houver ^b Nome de autor-pessoa física (resp. intel. principal) – outra parte do obrigatório se houver nome 701 ^a Nome de autor-pessoa física (co-resp. intel. principal) – palavra de obrigatório se houver ordem ^b Nome de autor-pessoa física (co-resp. intel. principal) – outra parte do obrigatório se houver nome 702 ^a Nome de autor-pessoa física (resp. intel. secundárial) – palavra de obrigatório se houver ordem ^b Nome de autor-pessoa física (co-resp. intel. secundária) – outra parte do obrigatório se houver nome não tomada para palavra de ordem 966 Cota obrigatório Notas Gerais - Obrigatórias: a) - Cataloga-se os vídeos e DVD’s numa folha de recolha [Material de Projecção e Vídeo] b) - Ao preencher o campo 200 no ^a (título) ter em atenção, em colocar os bicos no inicio dos artigos definidos e indefinidos - < > ( ex.: <O >, <The >), 17
  • 18. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE assim como, a numeração deve estar entre bicos relacionados - <=> (ex.: <156= 156>)1) - Bloco 3 – Campo das NotasCampo 323 – Notas ao elenco: a) - quando há mais de três actores coloca-se o que tem maior destaque seguidode [et al.] (ex.: Actores: Graham Chapman... [et al.] )2) - Bloco 5 - Campo dos Títulos RelacionadosCampo 512 – Titulo de capa: ^a – caso o título da capa seja diferente do título do disco (da página de rosto); ^e – complemento do título colocado no ^a.Campo 517 – Outra Variantes do Título: - quando uma obra tem mais que um título preenche-se o campo 517.3) - Bloco 9 - CotaPara o preenchimento do campo 966, coloca-se o número de registo, o número deexemplares (se houver), o nº de volume (se houver), a sigla da Instituição e, por fim, acota. 18
  • 19. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉ MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE 4.8.3 - Registo de Áudiocampo sub descrição notas 021 ^a Número do depósito legal – código do país obrigatório se houver 100 ^a Dados gerais de processamento obrigatório 101 ^a Língua do texto, banda sonora, etc obrigatório 200 ^a Título e menção de responsabilidade – título próprio obrigatório ^b Título e menção de responsabilidade – indicação geral da natureza do [Registo sonoro] documento ^e Título e menção de responsabilidade – informação de outro título obrigatório se houver ^f Título e menção de responsabilidade – primeira menção de responsabilidade obrigatório 210 ^a Publicação, distribuição, etc – lugar da edição, distribuição, etc. obrigatório ^c Publicação, distribuição, etc. – nome do editor, distribuidor, etc. obrigatório ^d Publicação, distribuição, etc. – data de publicação, distribuição, etc obrigatório 215 ^a Descrição física – indicação especifica da natureza do documento obrigatório ^d Descrição física – dimensão obrigatório ^e Material acompanhante obrigatório se houver 225 ^a Título próprio da colecção obrigatório se houver ^v Indicação de volume 606 ^a Nome comum usado como assunto – elemento de entrada obrigatório ^x Nome comum usado como assunto – subdivisão de assunto obrigatório ^y Nome comum usado como assunto – subdivisão geográfica obrigatório se houver ^z Nome comum usado como assunto – subdivisão cronológica 700 ^a Nome de autor-pessoa física (resp. intel. principal) – palavra de ordem obrigatório se houver ^b Nome de autor-pessoa física (resp. intel. principal) – outra parte do nome obrigatório se houver 701 ^a Nome de autor-pessoa física (co-resp. intel. principal) – palavra de ordem obrigatório se houver ^b Nome de autor-pessoa física (co-resp. intel. principal) – outra parte do nome obrigatório se houver 702 ^a Nome de autor-pessoa física (resp. intel. secundárial) – palavra de ordem obrigatório se houver ^b Nome de autor-pessoa física (co-resp. intel. secundária) – outra parte do obrigatório se houver nome não tomada para palavra de ordem 966 Cota obrigatório Atenção: todos os campos descritos no quadro acima são de preenchimento OBRIGATÓRIO. Notas Gerais Obrigatórias: a) - Cataloga-se um CD áudio numa folha de recolha [Registos Sonoros Musicais] ou se o CD não for musical a folha de recolha será [Registos Sonoros Não Musicais] 19
  • 20. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉ MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE b) - Ao preencher o campo 200 no ^a (título) ter em atenção, em colocar os bicos no inicio dos artigos definidos e indefinidos - < > ( ex.: <O >, <The >), assim como, a numeração deve estar entre bicos relacionados - <=> (ex.: <156= 156>) 1) – Bloco 5 - Campo dos Títulos Relacionados Campo 512 – Titulo de capa: ^a – caso o título da capa seja diferente do título da página de rosto; ^e – complemento do título colocado no ^a; Campo 517 – Outras Variantes do Título: - quando uma obra tem mais que um título preenche-se o campo 517 2) – Bloco 9 - Cota a) - Para o preenchimento do campo 966, coloca-se o número de registo, o número de exemplares (se houver), o nº de volume (se houver), a sigla da Instituição e, por fim, a cota. 4.8.4 - Descrição de Recursos Electrónicoscampo sub descrição notas 100 ^a Dados gerais de processamento obrigatório 101 ^a Língua do texto, banda sonora, etc obrigatório 102 ^a País de publicação obrigatório 200 ^a Título e menção de responsabilidade – título próprio obrigatório ^b Título e menção de responsabilidade – indicação geral da natureza do documento [Recurso electrónico] ^e Título e menção de responsabilidade – informação de outro título obrigatório se houver ^f Título e menção de responsabilidade – primeira menção de obrigatório responsabilidade 210 ^a Publicação, distribuição, etc – lugar da edição, distribuição, etc. obrigatório ^c Publicação, distribuição, etc. – nome do editor, distribuidor, etc. obrigatório ^d Publicação, distribuição, etc. – data de publicação, distribuição, etc obrigatório 215 ^a Descrição física – Indicação específica da natureza do documento obrigatório 606 ^a Nome comum usado como assunto – elemento de entrada obrigatório ^x Nome comum usado como assunto – subdivisão de assunto obrigatório se houver ^y Nome comum usado como assunto – subdivisão geográfica obrigatório se houver ^z Nome comum usado como assunto – subdivisão cronológica obrigatório se houver 700 ^a Nome de autor-pessoa física (resp. intel. principal) – palavra de obrigatório se houver ordem ^b Nome de autor-pessoa física (resp. intel. principal) – outra parte do nome obrigatório se houver 701 ^a Nome de autor-pessoa física (co-resp. intel. principal) – palavra de ordem obrigatório se houver ^b Nome de autor-pessoa física (co-resp. intel. principal) – outra parte do nome obrigatório se houver 702 ^a Nome de autor-pessoa física (resp. intel. secundárial) – palavra de 20
  • 21. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRE ordem obrigatório se houver ^b Nome de autor-pessoa física (co-resp. intel. secundária) – outra parte do nome não tomada para palavra de ordem obrigatório se houverAtenção: todos os campos descritos no quadro acima são de preenchimentoOBRIGATÓRIO.Notas Gerais Obrigatórias: a) - Cataloga-se os CD-ROM’s numa folha de recolha [Multimédia] b) - Ao preencher o campo 200 no ^a (título) ter em atenção, em colocar os bicos no inicio dos artigos definidos e indefinidos - < > ( ex.: <O >, <The >), assim como, a numeração deve estar entre bicos relacionados - < = > (ex.: <156= 156>)1) – Bloco 5 - Campo dos Títulos Relacionados Campo 512 – Titulo de capa: ^a – caso o título da capa seja diferente do título da página de rosto; ^e – complemento do título colocado no ^a; Campo 517 – Outras Variantes do Título: - quando uma obra tem mais que um título preenche-se o campo 5172) – Bloco 9 – Cota a) - Para o preenchimento do campo 966, coloca-se o número de registo, o número de exemplares (se houver), o nº de volume (se houver), a sigla da Instituição e, por fim, a cota. 4.9 - CotaA cota é o código que facilita a localização dum documento, para além de estabeleceruma ligação entre os dados relativos ao documento (descrição bibliográfica) e odocumento arrumado na estante.A cota é a aposição no fundo da lombada do documento, de uma etiqueta que tem deconter a cota respectiva para arrumação do documento e a sua posterior recuperação nasestantes das salas de leitura. 4.9.1 – Colagem da Etiqueta de Cota:MonografiasComo Fazer:O procedimento para a colagem da etiqueta da cota é da seguinte forma: a) - Desde o fundo do livro e na lombada, medir 2 cm, marcar com um lápis; b) - Colar a devida etiqueta com a informação da cota. 21
  • 22. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRENotas:1 - Os dígitos da etiqueta de cota deverão ficar na lombada do livro2 – Sobre a etiqueta deverá ser colada fita-cola, da larga, de forma imperceptívelDVD’sComo Fazer:O procedimento para a colagem da etiqueta da cota é da seguinte forma: a) – A Etiqueta de Cota é posta na frente da caixa, na capa de papel, em cima, no lado direitoVHSComo Fazer:O procedimento para a colagem da etiqueta da cota é igual ao procedimento dasmonografias.A etiqueta é colada na capa de papel.CD’sComo Fazer:O procedimento para a colagem da etiqueta da cota é da seguinte forma: a) – A Etiqueta de Cota é posta na frente da caixa, em cima, no lado direito, por cima da caixa de plásticoNota: Sobre a etiqueta deverá ser colocado fita-cola, da larga, de forma imperceptível. 22
  • 23. GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO CONCELHO DE LOULÉMANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA BECRECD-ROM’sComo Fazer:O procedimento para a colagem da etiqueta da cota é da seguinte forma: a) – A Etiqueta de Cota é posta na frente da caixa, em cima, no lado direito, por cima da caixa de plásticoNota: Sobre a etiqueta deverá ser colocado fita-cola, da larga, de forma imperceptível. 4.10 -Política para arquivar/guardar as Publicações Periódicas  Para os periódicos como “Visão”, ou seja, todos aqueles que são comerciais e os jornais nacionais, a biblioteca guarda até 3 meses, findo esse prazo estes documentos serão destruídos, sob autorização do superior hierárquico;  Para os jornais regionais a biblioteca arquiva-os durante 3 meses, findo esse prazo serão destruídos sob autorização do superior hierárquico;  Para todos os outros periódicos, tais como National Geographic, Visão são guardados durante 1 ano. Terminado este prazo, estes documentos serão destruídos. 4.11 - Outros Procedimentos  Deve realizar-se uma Formação de Utilizadores até ao final do 1º período.  Para todas as actividades realizadas na/pela Biblioteca Escolar deve ser elaborada uma ficha de projecto e uma ficha de avaliação. 23