Your SlideShare is downloading. ×
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
A festa da tartaruga Tuga
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

A festa da tartaruga Tuga

1,271

Published on

Published in: Technology, News & Politics
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,271
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 9036052054860<br /> Caro leitores,<br /> A história “A festa da Tartaruga Tuga” teve como ponto de partida a exploração da célebre fábula de La Fontaine “A Lebre e a Tartaruga”. Surgiu a ideia de inventarmos, em conjunto, um seguimento à história, dando asas à nossa criatividade e imaginação.<br /> Elaborámos também as ilustrações no Magalhães, existindo sempre cooperação entre os colegas, o que foi positivo, pois aprendemos imenso uns com os outros. Este projecto foi, sem dúvida, uma experiência divertida, interessante e enriquecedora.<br /> Resta-nos desejar-vos uma ótima leitura!<br /> <br /> Os alunos do 2ºano<br />Autores e Ilustradores: Turma do 2º ano<br />Escola: EB1 de Vila Nova da Baronia<br />Coordenação do Projecto: Profª Beatriz Andrade<br /> Após a vitória inesperada da tartaruga, o porquinho Barnabé, a pata Josefina e o sapo Tobias decidiram organizar uma festa para comemorar a grande vitória da amiga tartaruga Tuga.<br /> - Uma vitória desta merece uma grande festança! – disseram os três amigos com alegria.<br /> - Vamos já tratar dos convites! Vamos convidar todos os animais da floresta! Quanto mais formos, melhor será a diversão! – exclamou o porquinho Barnabé. <br /> E fizeram os convites:<br /> <br />“Aparece na festa dedicada à nossa querida campeã Tuga , amanhã,<br />pelas 17 horas, no quintal da pata Josefina.<br />Vai ser uma festa de arromba!!!”<br /> <br /> Lá foram eles pela floresta fora, todos animados, entregar os convites.<br /> - Bem, só falta entregar o último convite à lebre! – disse o Barnabé.<br /> <br /> - Pois, temos aqui um grande dilema! Não sei se é boa ideia convidá-la! Acho que ela não vai reagir muito bem. <br />- disse o sapo Tobias.<br /> <br /> - Se vai reagir bem ou mal, não sei! Mas ela faz parte da floresta e, apesar do que aconteceu, ela é nossa amiga.<br /> – disse a Josefina.<br /> <br /> 4739005109855<br /> Com algum receio bateram à porta da casa da lebre<br />e disseram:<br /> - Amiga lebre! Viemos entregar-te um convite! <br /> - Um convite?<br /> - Sim! –disse o Tobias. – Organizámos uma festa <br />para comemorar a vi.. vitó… a …bem …a …. a …<br /> - Vitória da Tuga! – disse a pata com ar destemido.<br /> Ao ouvir essas palavras, a lebre ficou furiosa e gritou:<br /> - Festejar a vitória da tartaruga? Nuncaaaaaa………!!!<br /> Gritou com tanta força que a casa chegou mesmo<br />a tremer. Estava tão enraivada que já deitava fumo<br />pelas orelhas. <br /> Mas, de repente, parou, acalmou-se, pensou…, pensou…, abriu a porta e disse com um ar doce: <br /> - Uma festa em honra da nossa querida Tuga? Mas que bom. Podem contar com a minha presença. Vai ser, com certeza, a melhor festa do ano, ou melhor, do século!<br /> No dia seguinte, a Josefina passou a manhã a confeccionar os seus melhores petiscos, enquanto o sapo preparava as mesas e as cadeiras e o Barnabé tratava da decoração, enchendo balões, cortando fitas de papel reciclado e elaborando cartazes coloridos. Já perto da hora da festa, o sapo e o porquinho encarregaram-se de ir chamar a tartaruga.<br /> - Olá Tuga! Não queres vir dar um passeio connosco?<br /> - Agradeço muito o convite, mas estou com uma terrível enxaqueca e, ainda por cima, tenho fortes dores musculares!<br /> - Pois é natural que tenhas essas dores! Fizeste tanto esforço! – disse o Tobias.<br /> - Tenho uma solução para o teu problema! Mas tens de vir connosco dar uma voltinha! – disse o porquinho.<br /> - Está bem! Mas temos de ir devagar!<br /> - Claro, devagar se vai ao longe! - disseram os dois, soltando uma gargalhada.. <br /> Entretanto, a lebre estava a preparar-se para o grande festim.<br /> Estreou o seu fato novo de seda azul e pôs o seu lindo chapéu com uma pena de pavão a condizer com o seu fato. Parecia muito satisfeita.<br /> - Está na hora! Ah… não me posso esquecer do bolo que fiz com tanto amor e carinho para a minha querida amiga! – disse ela com ironia. <br />6402705572135<br /> No quintal da pata, já tinham chegado todos os convidados. Todos ficaram estupefatos ao verem a lebre tão produzida e com um ar feliz, apesar da sua grande derrota.<br /> Alguns minutos depois, chegou a tartaruga que ficou sem palavras quando viu que, afinal, lhe tinham preparado uma festa surpresa.<br /> - Então Tuga, não dizes nada? – perguntou a pata.<br /> - Estou tão emocionada! Vocês são os melhores amigos do mundo!<br /> - Tu mereces isto tudo! – disse a lebre. – Quero oferecer-te este bolo de frutas que tu gostas tanto.<br /> - Obrigada pela tua gentileza. Estou contente por ver que não tens mau perder!<br /> - És muito ingénua. Nem sabes o que te espera. – disse a lebre entre dentes.<br /> - Disseste alguma coisa?<br /> - Eu? Bem, só disse que és muito queridinha, nem sabes o quanto te admiro! <br /> E a festa começou. O “Dj” Esquilomania ligou o som e alguns animais começaram a dançar, pular e cantar. Outros foram logo apreciar os petiscos da pata que são conhecidos por serem deliciosos e muito variados. <br /> A festa estava muito animada quando a lebre pensou: <br /> “Bem está na hora de entrar em acção. Agora é que a festa vai começar a sério”. <br /> Quando todos se estavam a divertir, a lebre interrompeu a festa, chamando a atenção de todos:<br /> - Atenção, por favor! Vamos fazer um brinde à nossa campeã e comer uma fatia de bolo.<br /> - Que ótima ideia! Vamos a isto! – disse o esquilo guloso.<br /> - Um brinde para a Tuga, para que nunca tenha momentos de azar na vida! E vai acima…, e vai abaixo…, e vai ao centro…, e vai para dentro!!!<br /> - Obrigado meus amigos! São uns queridos! – disse a Tuga feliz.<br /> A seguir, a lebre partiu o bolo, oferecendo a primeira fatia à Tuga:<br /> - Toma, a primeira fatia é para ti. Tem, por cima, uma folhinha de alface em forma de coração porque és muito especial.<br /> - Nem pensar! Tu é que mereces esta fatia de bolo. Tens tido uma atitude que é de louvar! – disse a pata.<br /> Todos os animais concordaram, deixando a lebre incomodada porque não estava nada à espera dessa situação.<br /> - Ai, não, não… bem … eu…, eu estou de dieta!<br /> - Hoje ninguém faz dieta, nem eu que sou muito gordinho! – disse o porquinho.<br /> - Não nos faças uma desfeita destas! Se não comeres esta fatia, ficaremos todos muito desiludidos contigo! – disse a pata, olhando para a lebre de uma forma estranha, como se desconfiasse de alguma coisa.<br /> - Come, come, come… - diziam todos.<br /> Todos pediam com insistência para que a lebre comesse, mas esta recusava-se, arranjando mil e uma desculpas, o que irritou a Josefina que, apercebendo-se da maldade da lebre, gritou:<br /> - Se não comes a bem, comes a mal!<br /> E dizendo isso, pegou na fatia de bolo e enfiou-a pela boca da lebre que não teve outro remédio senão engolir a dita fatia. <br />4497705251460<br /> <br /> Todos estavam espantados com a atitude<br />da pata, mas ficaram completamente atónitos<br />ao verem a lebre a deitar uma chama de fogo<br />pela boca e a fugir a sete pés pela floresta<br />fora!<br /> - Mas o que foi isto? – perguntou o sapo.<br /> - Não se preocupem, eu depois explico -vos <br />– disse a pata. – Vamos esquecer este<br />incidente e continuar esta grande festa.<br /> E a festa continuou. Já em casa, a lebre que estava muito mal disposta e triste disse:<br /> - Sou tão idiota! Não devia ter brindado à boa sorte da Tuga. Eu é que tive azar! Tive que comer aquela maldita fatia cheia de piri-piri. Que má sorte a minha!!!<br />14605-2540<br />Moral da história:<br />Não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti.<br />O feitiço vira-se contra o feiticeiro.<br />

×