Recuperação 9º ano II unidade

  • 2,419 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,419
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
27
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Recuperação 9º ano II Unidade<br />Leia o texto abaixo para responder às questões 1 e 2.<br /> <br />A partir da leitura do texto acima e analisando o emprego da conjunção se, assinale alternativa INCORRETA. (1,0)<br />Levando em conta os termos empregados para referir-se ao quarto, o aposento representa a segurança, um refúgio.<br />A conjunção se transmite a ideia de hipótese, condição.<br />A conjunção se exerce a função de ligar a oração subordinada à oração principal.<br />A conjunção se poderia ser substituída pela conjunção quando, e não mudaria o sentido do texto.<br />Há um momento no texto que o eu-lírico deixa escapar que apenas uma pessoa poderia entrar no quarto. Através de que palavra entendemos isso? Quem poderia ser? (0,5)<br />Através do pronome ele. Poderia ser um garoto que ela gostasse ou que fosse apaixonada.<br />______________________________________________________________________<br />Leia o texto abaixo para responder às questões 3 a 7.<br />3. Qual é a idéia defendida no texto? (0,5)<br />A de que letras de música violentas estimulam a violência.<br />4. O autor do texto se refere a alguma tese oposta? Qual? (0,5)<br />Sim, à noção popular de que as letras agressivas funcionam como uma válvula de escape para a molecada.<br />5. Qual delas é defendida por meio de argumentos baseados em dados científicos? A primeira ou a segunda. (0,5)<br />A primeira <br />6. No primeiro parágrafo há duas locuções conjuntivas. Identifique-as e classifique-as. (0,5)<br />Logo que. É uma locução conjuntiva subordinativa adverbial temporal.<br />Quanto mais. É uma locução conjuntiva subordinativa adverbial proporcional.<br />7. No segundo parágrafo há uma conjunção coordenativa alternativa. Identifique-a e transcreva abaixo. (0,5)<br />Ou.<br />8. Observe as falas dos quadrinhos substituindo o por uma palavra ou expressão que estabeleça a coesão adequada e marque a alternativa CORRETA. (1,0)<br />Quando, no primeiro balão; mas, depois que, respectivamente no segundo e então no terceiro.<br />Na época em que, no primeiro balão; porém, logo que, respectivamente no segundo e aí no terceiro.<br />Quando, no primeiro balão; mas, depois que, respectivamente no segundo e porém no terceiro.<br />Se, no primeiro balão; mas, quando, respectivamente no segundo e então no terceiro.<br />apenas as alternativas I, II e III estão corretas.<br />apenas as alternativas I, III e IV estão corretas.<br />apenas as alternativas I, II e IV estão corretas.<br />todas as alternativas estão corretas.<br />Leia o texto abaixo para responder às questões 9 e 10.<br />9. Após a leitura do texto sobre Portinari, podemos perceber que alguns artesãos italianos foram os responsáveis pela iniciação de Portinari em sua vida profissional. As alternativas abaixo explicitam corretamente o papel das orações no texto, das conjunções e suas interpretações, EXCETO em (1,0)<br />Esses artesãos eram conhecidos como “frentistas”. É uma oração subordinada adverbial.<br />“[...] porque viviam de executar trabalhos em estuque – imagens santas e ornamentos – nas fachadas de igrejas e casas.” É uma oração subordinada adverbial e expressa a circunstância de causa.<br />“[...] porque viviam de executar trabalhos em estuque – imagens santas e ornamentos – nas fachadas de igrejas e casas.” É uma oração subordinada adverbial e expressa a circunstância de condição.<br />A oração que informa ao leitor a razão de eles serem conhecidos por esse nome é “[...] porque viviam de executar trabalhos em estuque – imagens santas e ornamentos – nas fachadas de igrejas e casas.”<br />10. Marque com o X o período cuja oração subordinada expressa a mesma circunstância. (1,0)<br />( ) Os artesãos italianos percorriam as cidades em busca de serviço, uma vez que precisavam sustentar a família.<br />( ) Quando os artesãos italianos chegavam às cidades do interior, as pessoas sempre arranjavam serviço para eles.<br />( ) Se não conseguissem trabalho naquela cidade, os artesãos iam embora imediatamente.<br />Com base no período a seguir, responda às questões 11 a 13.<br />Conforme foi combinado com os artesãos, Portinari recebeu, após seis meses de trabalho, uma enorme moeda de 2 mil réis.<br />11.. Sublinhe a oração principal desse período. Lembre-se de não rasurar. (0,5)<br />12. Assinale a circunstância que é expressa pela oração subordinada adverbial em relação à oração principal: (0,5)<br />( ) comparação <br />( ) consequência <br />( ) conformidade<br />13. Qual dos conectivos a seguir poderia substituir o conectivo dessa oração e expressar a mesma circunstância? (0,5)<br />( ) porque<br />( ) segundo<br />( ) quando<br />Leia o texto a seguir para responder às questões 14 e 15 <br /> 14. Marque a alternativa correta sobre o emprego do porque. (0,5)<br />No primeiro quadrinho usa-se por quê; no segundo porquê e no terceiro por que.<br />No primeiro quadrinho usa-se por que; no segundo por quê e no terceiro porque.<br />No primeiro e no segundo quadrinho usa-se porquê e no terceiro porque.<br />No primeiro quadrinho usa-se por que; no segundo porquê e o terceiro porque.<br />15. No primeiro parágrafo percebemos que a conjunção e é empregada duas vezes. (1,0)<br />Nos dois empregos ela representa o mesmo sentido? Justifique.<br />Sim. Ambas são conjunções coordenativas aditivas.<br />Qual é a função dela nesse parágrafo.<br />Ligar orações independentes.<br />